Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu
ESTADO DO PARANÁ
SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO
Departamento de Ensino Fundamental...
Bilhete
Raisa,
Estou mandando uma borboleta de papel e uma foto minha.
Hoje é seu aniversário. Eu não esqueci.
Sei que voc...
Responda:
 Quem escreveu o bilhete acima?________________________________________
 Para quem foi escrito?_______________...
Bernardo,
Infelizmente eu não posso ir à sua casa no sábado
porque eu vou passear com meus primos ao zoológico.
Quer ir co...
Mariana,
Traga sua boneca nova para brincarmos na minha casa.
Vamos fazer comidinha.
Convide a Paulinha também.
Um beijo d...
O ENVELOPE
Ao escrevernos uma carta, temos de subscritar o envelope. Veja:
A
Felipe Villaça Beleza
Rua da paz, 1000
Belo H...
Carta ao Leitor
Moro na área rural, na cidade de Viçosa, em Minas Gerais. Escrevo para dizer que
adoro a revista CHC. Tenh...
Data
27 – 05
Nome de quem vai
receber o bilhete Andrea,
Mensagem Quero lhe mostrar minha coleção de selos.
Espero-a na por...
Questões a serem avaliadas Sim Não
Coloquei local e data acima à direita?
Destaquei o destinatário ao escrever a saudação?...
TEXTO 1
A Raposa e o Lenhador
Esopo
Uma raposa era perseguida por uns caçadores, quando viu um lenhador e suplicou que
ele...
O lobo e a cabra
Um lobo, tendo visto uma cabra pastando numa montanha escarpada, e como não pudesse
chegar até lá, pediu-...
Isso não está me cheirando bem
Imagine uma bolinha de neve no topo de uma montanha e quando ela chegar lá embaixo,
vai ter...
1)Para quem vocês acham que estas cartas foram escritas?
_________________________________________________________________...
O tataravô do computador
Conheça a origem e a história dessa máquina que revolucionou o planeta!
Hoje eles são menores. Po...
]
Qual produto está sendo anunciado?
Você conhece esse produto?
Qual a utilidade desse produto?
Quais as qualidades desse pr...
Veja a cena:
Qual é o estabelecimento comercial que mostra a cena?
Que nome recebe a pessoa que vende a mercadoria?
Qual é...
O que o anúncio está vendendo?_____________________________________________________________
Qual é a empresa que está anun...
SINAIS DE PONTUAÇÃO
Ponto Final: Indica que a frase terminou.
Ponto de Interrogação: Indica que se está fazendo uma pergun...
Estava a cigarra, saltitante, a cantarolar
pelos campos, quando encontrou uma
formiga que passava carregando um
imenso grã...
a. O texto lido é:
( ) um poema ( ) uma fábula ( ) um conto ( )uma música
b. Quais são as personagens do texto? __________...
1) Ao ver que ia apanhar da Mônica, cebolinha pediu ajuda para:
( ) seu pai ( ) sua mãe
( )seu anjo da guarda ( ) seus ami...
Sousa, Maurício. Turma da Mônica. O Globo, Rio de Janeiro, 15 de Maio 2003.
1. A palavra claro, no segundo quadrinho, sign...
SAPOS, RÃS E PERERECAS
Antes de se tornarem adultos, os sapos são girinos no início da vida. A transformação
pela qual ele...
( c ) informa como sobrevivem sapos, rãs e pererecas.
( d ) mostra como os sapos conseguem virar príncipe
A INCAPACIDADE D...
( C ) mentira e sonho parecem brincadeiras.
( D ) mentira e imaginação são diferentes.
PROCURA-SE!
Os beija-flores ou coli...
1. O balança-rabo-canela é um beija-flor que:
( A ) pesa apenas nove gramas.
( B ) põe ovos o ano inteiro.
( C ) possui um...
A cegonha e a raposa
Um dia a raposa, que era amiga da cegonha, convidou-a para um jantar. Mas preparou
para a amiga uma p...
Texto 1: CLASSIFICADOS POÉTICOS
Vende-se uma casa encantada
no topo da mais alta montanha.
tem dois amplos salões
onde voc...
Vocabulário
Galáxia: conjunto de estrelas
Desbotado: descolorido
Vai pelos ares: explode
Urgência: rapidez
Análise do text...
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Apostila gêneros textuais.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apostila gêneros textuais.

343 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
343
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila gêneros textuais.

  1. 1. Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO Departamento de Ensino Fundamental PORTUGUÊS Gêneros textuais
  2. 2. Bilhete Raisa, Estou mandando uma borboleta de papel e uma foto minha. Hoje é seu aniversário. Eu não esqueci. Sei que você gosta de enfeitar o seu diário. Um abraço, Luana.
  3. 3. Responda:  Quem escreveu o bilhete acima?________________________________________  Para quem foi escrito?________________________________________________  Que pedido tem no bilhete?___________________________________________  Em que dia foi escrito?________________________________________________  Escreva um bilhete para um amigo pedindo-lhe um livro emprestado?
  4. 4. Bernardo, Infelizmente eu não posso ir à sua casa no sábado porque eu vou passear com meus primos ao zoológico. Quer ir com a gente? Um abraço do amigo Enzo.
  5. 5. Mariana, Traga sua boneca nova para brincarmos na minha casa. Vamos fazer comidinha. Convide a Paulinha também. Um beijo de sua amiga Talita. 21/05/11
  6. 6. O ENVELOPE Ao escrevernos uma carta, temos de subscritar o envelope. Veja: A Felipe Villaça Beleza Rua da paz, 1000 Belo Horizonte – MG Remetente: Lucas Barini Rua Paraíso, 2000 Belo Horizonte – MG 31010 - 0803
  7. 7. Carta ao Leitor Moro na área rural, na cidade de Viçosa, em Minas Gerais. Escrevo para dizer que adoro a revista CHC. Tenho a revista desde o número 1. Gosto do Rex, da Diná e do Zíper. Inventei até uma namorada para o Zíper, o nome dela é Zipinha. Gostaria que publicassem o meu endereço, pois quero fazer novas amizades. Um grande abraço. Olá, pessoal! Amo demais a RECREIO, principalmente as seções Teste e Era Uma Vez. Também gosto muito dos materiais para pesquisa escolar. Rosa - Santa Bárbara D’Oeste – SP. Revista Recreio 14/09/06 ano 7 no 340 Noé M. E. P. L. da Costa. Caixa Postal 201, 36510-000, Viçosa/MG. Iiiih, Noé! O Zíper não quer saber de namorada agora, não. Talvez quando estiver mais velho. Mas toda a turma manda abraços para você! REVISTA CIÊNCIA HOJE DAS CRIANÇAS. Rio de Janeiro: SBPC, ano 1997, nº 170, p. 29, julho de 2006. 1. O suporte onde este texto foi publicado é: a) ( ) um jornal. b) ( ) uma revista. c) ( ) um livro. d) ( ) a cidade Rio de Janeiro. 2. O texto acima é: a) ( ) uma carta entre amigos. b) ( ) um texto informativo. c) ( ) um anúncio de revista. d) ( ) uma carta de um leitor. 3. Porque a segunda parte do texto está escrita em itálico? 4. “Escrevo para dizer que adoro a revista CHC.” O que significa a sigla CHC? 5. Na fonte do texto aparece escrito “p. 29”, significa que: a) ( ) o texto está na página 29. b) ( ) o texto está na publicação 29. c) ( ) o texto está no parágrafo 29. d) ( ) o texto foi publicado no dia 29.
  8. 8. Data 27 – 05 Nome de quem vai receber o bilhete Andrea, Mensagem Quero lhe mostrar minha coleção de selos. Espero-a na porta da Biblioteca, na hora do lanche. Agradecimento ou despedida Beijinhos Nome de quem escreveu Sofia
  9. 9. Questões a serem avaliadas Sim Não Coloquei local e data acima à direita? Destaquei o destinatário ao escrever a saudação? Escrevi uma despedida? Coloquei minha assinatura? Deixei a mensagem bem clara? Usei ponto no meio e no final do parágrafo? Usei letra maiúscula depois do ponto e nos nomes próprios? Usei vírgula depois do local, do destinatário e da despedida? Minha letra está legível? Pulei uma linha entre cabeçalho/vocativo e vocativo/corpo do texto? Pulei uma linha entre despedida/assinatura? Há erros ortográficos? Usei linguagem adequada ao meu destinatário?
  10. 10. TEXTO 1 A Raposa e o Lenhador Esopo Uma raposa era perseguida por uns caçadores, quando viu um lenhador e suplicou que ele a escondesse. O homem então lhe aconselhou que entrasse em sua cabana. De imediato chegaram os caçadores, e perguntaram ao lenhador se havia visto a raposa. Com a voz ele disse que não, mas com sua mão disfarçadamente mostrava onde ela havia se escondido. Os caçadores não compreenderam os sinais da mão e se confiaram no que disse com as palavras. A raposa, ao vê-los irem, saiu sem dizer nada. O lenhador a reprovou porque, apesar de tê-la salvo, não agradecera, ao que a raposa respondeu: — Agradeceria se tuas mãos e tua boca tivessem dito o mesmo. Moral da história: Não negues com teus atos, o que pregas com tuas palavras. 1) O nome da fábula é ___________________________ e o autor da fábula é _______________ 2) Os personagens da fábula são _________________________________________________ 3) O que o homem (lenhador) aconselhou à raposa? ____________________________________ 4) Qual foi a pergunta que os caçadores fizeram para o lenhador?___________________________ 5) O que você entendeu com a moral da história?______________________________________ O louco e o pinguim O louco acorda de manhã e encontra um pinguim no quintal. O vizinho do louco, que estava espiando pelo muro, faz uma sugestão: - Por que você não leva o pinguim para o zoológico? - Boa ideia! Vou levar. No dia seguinte, o vizinho encontra o louco com o pinguim no colo. - Ué!? Você não levou o pinguim para o zoológico? - Levei, sim. Hoje vou levá-lo ao parque de diversões e amanhã vamos ao Shopping Center. Fonte: “Meu primeiro livro de piadas”; Fizetto, Ângela - Editora Todo livro. 1- Leia novamente o trecho : “- Por que você não leva o pinguim para o zoológico?” Ao dizer isso ao louco, o vizinho sugeria que: (a ) O levasse para passear no zoológico. (b ) O levasse para ver outros pinguins no zoológico. (c ) O levasse para ser deixado aos cuidados do zoológico. (d ) O levasse para brincar com outros animais no zoológico. 2- Por que o vizinho ficou supresso ao encontrar o louco com o pinguim no colo? (a ) Porque não se coloca pinguim no colo. (b ) Porque ele não gostou de ir ao zoológico. (c ) Porque ele não levou o pinguim para passear no zoológico. (d ) Porque o louco não entendeu o que ele tinha sugerido. 3- “Hoje vou levá-lo...” . Nesse trecho, “lo” se refere: (a ) Ao louco. (b ) O vizinho. (c ) Ao pinguim. (d ) Não se refere a ninguém. 4- A função desse texto é: (a ) Informar como divertir um animal na cidade. (b ) Fazer o leitor rir. (c ) Instruir como cuidar de um pinguim. (d ) Informar o leitor sobre onde levar um pinguim para passear.
  11. 11. O lobo e a cabra Um lobo, tendo visto uma cabra pastando numa montanha escarpada, e como não pudesse chegar até lá, pediu-lhe que descesse, pois, sem perceber, ela poderia cair de lá de cima. Disse ainda que o pasto onde ele estava era melhor, que a relva estava florida. Mas a cabra lhe respondeu: “ Não é em meu benefício que me chamas para o pasto, mas porque tu próprio estás sem alimento”. Esopo: Fábulas completas. Tradução, introdução e notas de Neide Cupertino de Castro Smolka. São Paulo: Moderna, 1994, p. 125. 1- De acordo com o texto, em relação ao lobo, pode-se afirmar que: ( A ) podia chegar até a montanha. ( B ) queria acompanhar a cabra. ( C ) estava sem alimento. ( D ) queria ajudar a cabra. 2– A cabra não atendeu a sugestão do lobo porque: ( A ) fingiu que não ouviu o lobo. ( B ) não concordou que o pasto era melhor. ( C ) percebeu que o lobo falava de uma coisa, mas queria outra. ( D ) ela não conseguiu descer do monte. O cão e seu reflexo Um cão estava se sentindo muito orgulhoso de si mesmo. Achara um enorme pedaço de carne e a levava na boca, pretendendo devorá-lo em paz em algum lugar. Ele chegou a um rio e começou a cruzar a estreita ponte que o levava para o outro lado. De repente, parou e olhou para baixo. Na superfície da água, viu seu próprio reflexo brilhando. O cão não se deu conta que estava olhando para si mesmo. Julgou estar vendo outro cão com um pedaço de carne na boca. Opa! Aquele pedaço de carne é maior que o meu, pensou ele. Vou pegá-lo e correr. Dito e feito. Largou seu pedaço de carne para pegar o que estava na boca do outro cão. Naturalmente, seu pedaço caiu na água e foi parar bem no fundo, deixando-o sem nada. MORAL: Quem tudo quer tudo perde. 1- O texto acima é: ( A ) Fábula ( B ) Conto de fadas ( C ) Propaganda ( D ) Notícia 2- O texto foi escrito com o objetivo principal : ( A ) anunciar um produto. ( B ) dar instruções. ( C ) transmitir ensinamento. ( D ) mostrar pesquisa. 3- O texto trata principalmente da: ( A ) coragem do cão. ( B ) fome do cão. ( C ) ambição do cão. ( D ) sabedoria do cão. 4- O fato que deu início a narrativa foi: ( A ) a grande fome do cão. ( B ) o sentimento de orgulho do cão. ( C ) a sombra que o cão viu no rio. ( D ) a ponte que o cão atravessou. 5- O cão largou seu pedaço de carne por que: ( A ) atravessou um rio procurando alguma coisa. ( B ) deixou que o pedaço menor fosse levado pelo rio. ( C ) ficou privado dos dois pedaços de carne. ( D ) julgou que o outro cão tinha um pedaço maior.
  12. 12. Isso não está me cheirando bem Imagine uma bolinha de neve no topo de uma montanha e quando ela chegar lá embaixo, vai ter virado um imenso bolão, não é? Isso é o que acontece com o lixo. Cada um de nós, brasileiros, produz mais ou menos 500 gramas de lixo todos os dias. Parece pouco, mas é só fazer as contas. Todos os dias, esse lixo vira um bolão de milhões de toneladas! Só na cidade de São Paulo, são produzidas 12 mil toneladas por dia. Para resolver esse problemão, a reciclagem é uma grande ideia! Na reciclagem, o lixo é tratado e será reaproveitado para fazer novos produtos. Para reciclar, é preciso primeiro separar os tipos de lixo feitos de plástico, papel metal e vidro, que são materiais reaproveitáveis. É por isso que em alguns lugares a gente encontra aquelas lixeiras coloridas. Suplemento “O Estadinho”, agosto/2006. 1- O texto foi escrito para: (A) Informar as pessoas. (B) Divertir as pessoas. (C) Promover um produto. (D) Dar um recado 2- Segundo o texto, cada brasileiro produz por dia: (A) 200 g de lixo (B) 300 g de lixo (C) 500 de lixo. (D) 1 kg de lixo. 3- Para solucionar este problema é preciso: (A) Separar o lixo para reciclagem. (B) Jogar o lixo nos lixões. (C) Limpar o lixo dos rios. (D) Produzir mais lixo. 4- De acordo com as informações do texto, o grande problema nas cidades é: (A) A separação do lixo. (B) A reciclagem do lixo. (C) A produção de lixo. (D) Decomposição do lixo.
  13. 13. 1)Para quem vocês acham que estas cartas foram escritas? _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ 3) Nas cartas da revista Recreio, leitores fazem comentários sobre:__________________________ Olá pessoal!! A revista RECREIO é super legal e me ajuda bastante nas pesquisas escolares! Divirto- me muito com as piadinhas, curiosidades e com a seção do correio. Ana - São Paulo – SP Revista Recreio 02/08/07 ano 8. no. 386 Olá, pessoal! Amo demais a RECREIO, principalmente as seções Teste e Era Uma Vez. Também gosto muito dos materiais para pesquisa escolar. Rosa - Santa Bárbara D’Oeste – SP. Revista Recreio 14/09/06 ano 7 no 340 FALEM DA FLORESTA Nós somos alunos da escola Municipal Prof. Waldomiro Mayr e estamos na 4ª. Série. Gostamos muito das informações publicadas na CHC. Ano passado, estudamos sobre bichos em extinção e foi muito importante para nossa aprendizagem. É muito triste sabermos que estes animais correm risco de extinção. Queremos informações sobre a floresta Amazônica. Alunos da 4ª. Série da EM prof. Waldomiro Mayr. Valinhos. SP. Publicamos uma edição especial sobre a Amazônia: CHC179. Revista Ciência Hoje das Crianças 183, setembro de 2007.
  14. 14. O tataravô do computador Conheça a origem e a história dessa máquina que revolucionou o planeta! Hoje eles são menores. Podem ser carregados como uma maleta ou caberem na palma da mão. Mas os computadores já foram imensos! Sua história começou com os matemáticos ingleses Charles Babbage e Ada de Lovelace no século 19. Charles queria construir uma máquina capaz de fazer cálculos complexos, comandada por instruções em cartões perfurados. Para Ada, concretizar as ideias de Charles significaria pôr o raciocínio humano em uma máquina! Os dois começaram a estudar o novo invento. Charles gastou sua fortuna no projeto, mas eles não conseguiram construí-lo. Já no século seguinte, na década de 1940, estudiosos de vários países, como o alemão Konrad Zuze, o norte-americano John von Neumann e o inglês Alain Turing, criaram os primeiros computadores modernos. Eles tinham as partes básicas imaginadas por Charles Babbage: memória e unidades de aritmética, de controle, de entrada e de saída. Para construí-los, foi usada a tecnologia das centrais telefônicas. Os computadores eram eletromecânicos, ou seja, construídos com dispositivos magnéticos chamados relés. O primeiro computador eletrônico (o Eniac) foi criado em 1946, nos Estados Unidos. Com o tamanho de um caminhão, ele consumia energia elétrica suficiente para abastecer cem casas! Funcionava por poucas horas: suas 19 mil válvulas falhavam e eram substituídas com frequência. Só os seus projetistas conseguiam operá-lo porque ele era muito complicado. No final dos anos 40, a válvula eletrônica foi substituída pelo transistor, que era menor, mais rápido, falhava menos e consumia menos energia. [...]. Na década de 60, os circuitos integrados revolucionaram os computadores. Eles substituíram os transistores, permitiram a construção de minicomputadores e eram muito mais rápidos, baratos e eficientes. Logo surgiram os sistemas operacionais, programas responsáveis pelo funcionamento do computador. Eles tornaram a operação das máquinas mais segura e permitiram que um número maior de pessoas as utilizasse com mais facilidade. Hoje em dia, o sistema operacional mais utilizado é o Windows. O primeiro passo para criar o microcomputador foi dado no início da década de 70 pela empresa norte-americana Intel Corporation. Ela inventou o microprocessador para máquinas de calcular e depois o modificou para usá-lo em computadores. No início da década de 80, os microcomputadores chegaram ao mercado. Espalharam-se por milhões de casas e empresas no mundo. Com a criação de programas para edição de textos, planilhas e gráficos, tornaram-se ferramenta de trabalho e ganharam popularidade. Hoje, milhões de computadores estão ligados em rede na internet, o que permite, por exemplo, que você leia da sua casa este texto da CHC! A essência do que foi idealizado por Charles e Ada manteve-se nos computadores modernos. Eles jamais poderiam imaginar o impacto de sua criação em todo o planeta... (adaptado do artigo originalmente publicado em Ciência Hoje das Crianças 47, escrito por: Edson Fregni, Escola Politécnica, Universidade Federal de São Paulo) (Retirado em 22/11/2007 do site: http://cienciahoje.uol.com.br/2873) RESPONDA NO SEU CADERNO: a. Se você fosse opinar sobre esta reportagem o que você diria? b. Você utiliza computador? Onde? Retirado do site: http://cienciahoje.uol.com.br/105719, em 22/11/2007.
  15. 15. ]
  16. 16. Qual produto está sendo anunciado? Você conhece esse produto? Qual a utilidade desse produto? Quais as qualidades desse produto? O que o Slogan ou frase da propaganda quer dizer? Explique?
  17. 17. Veja a cena: Qual é o estabelecimento comercial que mostra a cena? Que nome recebe a pessoa que vende a mercadoria? Qual é a matéria-prima do produto vendido? Qual é a origem dessa matéria-prima? Se um metro de tecido custa 8 reais, quanto pagarei ao comprar 13 metros?
  18. 18. O que o anúncio está vendendo?_____________________________________________________________ Qual é a empresa que está anunciando o apartamento?__________________________________________ Descreva o apartamento anunciado?__________________________________________________________ Escreva o endereço do apartamento: _________________________________________________________
  19. 19. SINAIS DE PONTUAÇÃO Ponto Final: Indica que a frase terminou. Ponto de Interrogação: Indica que se está fazendo uma pergunta. Ponto de exclamação: Indica admiração, alegria, surpresa, espanto. Dois – pontos: Indica que alguém vai falar, antes de uma explicação, citação e enumeração. Travessão: Indica que alguém está falando. Reticência: Indica suspensão do pensamento, dúvida ou que a frase foi interrompida. Vírgula: Indica uma pequena pausa na leitura e também serve para separar expressões ou palavras. Ponto-e- vírgula: Indica uma pausa maior que a vírgula. Parênteses: São utilizadas para separar palavras ou expressões na frase, para chamar a atenção ou dar uma explicação.
  20. 20. Estava a cigarra, saltitante, a cantarolar pelos campos, quando encontrou uma formiga que passava carregando um imenso grão de trigo. “Deixe essa trabalheira de lado” disse a cigarra “E venha aproveitar este dia ensolarado de verão” “Não posso. Preciso juntar alimentos para o inverno”, disse a formiga, “E recomendamos que você faça o mesmo”. “Eu, me preocupar com o inverno?” Perguntou a cigarra, “Temos comida de sobra por enquanto”. Mas a formiga não se deixou levar pela conversa da cigarra e continuou o seu trabalho. Quando o inverno chegou. A cigarra não tinha o que comer. Enquanto as formigas contavam com o suprimento de alimentos que haviam guardado. Morrendo de fome, a cigarra teve de bater à porta do formigueiro onde foi acolhida pelas formigas, e assim aprendeu a lição. Esta fábula ensina que é necessário preparar-se para os dias de necessidade.
  21. 21. a. O texto lido é: ( ) um poema ( ) uma fábula ( ) um conto ( )uma música b. Quais são as personagens do texto? _______________________________________________ c. Com que propósito este texto foi produzido? _________________________________________ d. Você acha importante o trabalho da formiga?_________________________________________ e. Como será que estes textos circulam? ______________________________________________ f. Você considera o canto da cigarra como uma forma de trabalho?_________________________ g. Voce concorda com as formigas ao negar ajuda à cigarra? Por quê?______________________ h. Comparando os dois textos lidos, marque X na(s) alternativa(s) abaixo que melhor os definam. ( ) Tratam do mesmo conteúdo, ou seja, a história narrada é a mesma; ( ) Há mudanças com relação à atitude das personagens; ( ) A forma de organização de cada texto é diferente, embora tenham o mesmo tema.
  22. 22. 1) Ao ver que ia apanhar da Mônica, cebolinha pediu ajuda para: ( ) seu pai ( ) sua mãe ( )seu anjo da guarda ( ) seus amigos 2) O Cebolinha ficou decepcionado com o seu anjo da guarda porque: ( ) a Mônica foi embora. ( ) porque ele e o Cebolinha apanharam da Mônica. ( ) o Cebolinha caiu no chão. ( ) o anjo não veio ajudar. a) Cascão marcou um encontro com uma garota. Ela vai estar vestida com: ( ) um vestido rosa ( ) um maiô verde ( ) um biquíni amarelo ( ) uma canga roxa b) Como o encontro era na piscina do clube, Cascão foi vestido de mergulhador: ( ) porque estava com frio ( ) porque ele adora água ( ) porque ele ia mergulhar ( ) para se proteger da água
  23. 23. Sousa, Maurício. Turma da Mônica. O Globo, Rio de Janeiro, 15 de Maio 2003. 1. A palavra claro, no segundo quadrinho, significa: ( ) o contrário de escuro. ( ) o contrário de pode. ( ) o mesmo que escuro. ( ) o mesmo que pode. 2. O ponto de interrogação em “ Monica, posso te pintar?” indica que Cebolinha está: ( ) concordando. ( ) perguntando. ( ) afirmando. ( ) obedecendo. 3. Mônica ficou aborrecida porque: ( ) entendeu diferente o sentido da palvra pintar. ( ) implicou com o assobio do Cebolinha. ( ) pensou que o amigo ia pintar o retrato dela. ( ) respondeu apressadamente a pergunta. 4. O primeiro e o terceiro quadrinhos indicam que o personagem está: ( ) assobiando uma melodia. ( ) pensando na nota da prova. ( ) atrasado para aula de música. ( ) querendo ir embora depressa. 5. O texto que você leu é: ( ) uma fábula. ( ) uma receita. ( ) uma notícia. ( ) uma tirinha.
  24. 24. SAPOS, RÃS E PERERECAS Antes de se tornarem adultos, os sapos são girinos no início da vida. A transformação pela qual eles passam também ocorre com outros anfíbios e insetos, e tem nome: metamorfose! Sapos, rãs e pererecas, por exemplo, passam por uma transformação extraordinária: seu corpo, seu comportamento e até a forma como esses animais se relacionam com o meio em que vivem passam por uma reestruturação. Não que eles virem príncipes ao serem beijados por uma princesa. Mas a mudança é tão radical quanto à das fábulas. Afinal, os girinos são larvas de sapos, rãs ou pererecas e não se parecem em nada com os bichos que irão se tornar quando adultos! Suas características comprovam isso: em geral, os girinos são aquáticos. Estão em riachos, lagos, poças ou na água acumulada em bromélias, um tipo de planta. Têm, acredite, algo em comum com os peixes. Sim, com peixes!!! Adaptados a viver na água, os girinos possuem, no corpo, estruturas semelhantes às desses animais, como brânquias, que retiram o oxigênio da água. Por meio delas, eles respiram! Uma das grandes diferenças entre girinos, sapos, rãs e pererecas está na boca. Embora o formato dela varie com a alimentação e a espécie, muitos girinos têm um bico feito da mesma substância que forma as unhas e os dentes. Basta que a fase de girino chegue ao fim, para que a larva se pareça cada vez mais com o sapo, com a rã ou com a perereca que será no futuro! Sapos, rãs e pererecas. Ciência hoje das crianças, Rio de Janeiro, out. 2003. 1. Antes de se tornarem adultos, sapos, rãs e pererecas são: ( a ) animais que vivem muito. ( b ) bichos que não se transformam. ( c ) filhotes de peixes de rio. ( d ) larvas chamadas girinos. 2. Em “... E até a forma como esses animais se relacionam”, a expressão esses animais está substituindo: ( a ) rãs e pererecas. ( b ) rãs e sapos. ( c ) sapos e pererecas. ( d ) sapos, rãs e pererecas. 3. Em “sapos, rãs e pererecas passam por uma transformação extraordinária”, a palavra grifada significa: ( a ) fantástica. ( b ) muito leve. ( c ) normal. ( d ) pequena. 4. O texto trata: ( a ) da maneira como muitos filhotinhos vivem nas bromélias. ( b ) da mudança profunda que acontece na vida de alguns animais. ( c ) do modo como vivem principalmente os animais aquáticos. ( d ) dos alimentos preferidos dos sapos. 5. Os girinos podem viver na água porque têm: ( a ) bico. ( b ) brânquias. ( c ) pulmões. ( d ) unhas. 6. O texto que você leu: ( a ) ensina como alguns bichos se transformam. ( b ) explica como são os sapos dos contos de fadas.
  25. 25. ( c ) informa como sobrevivem sapos, rãs e pererecas. ( d ) mostra como os sapos conseguem virar príncipe A INCAPACIDADE DE SER VERDADEIRO Paulo tinha fama de mentiroso. Um dia chegou em casa dizendo que vira no campo dois dragões-da-independência cuspindo fogo e lendo fotonovelas. A mãe botou-o de castigo, mas na semana seguinte ele veio contando que caíra no pátio da escola um pedaço de lua, todo cheio de queijo. Desta vez Paulo não só ficou sem sobremesa como foi proibido de jogar futebol durante quinze dias. Quando o menino voltou falando que todas as borboletas da Terra passaram pela chácara de Siá Elpídia e queriam formar um tapete voador para transportá-lo ao sétimo céu, a mãe decidiu levá-lo ao médico. Após o exame, o Dr. Epaminondas abanou a cabeça: – Não há nada a fazer, Dona Coló. Este menino é mesmo um caso de poesia. Andrade, Carlos Drummond de .A incapacidade de ser verdadeiro. Deixa que eu conto. São Paulo: Ática, 2003. Literatura em minha casa, v. 2, p.44. 01. Quando Paulo chegou em casa dizendo que vira no campo dois dragões-da-independência cuspindo fogo e lendo fotonovelas, a mãe ( A ) colocou-o de castigo. ( B ) deixou-o sem sobremesa. ( C ) levou-o ao médico. ( D ) proibiu-o de jogar futebol. 02. A mãe de Paulo ficou preocupada com o filho porque ele ( A ) machucou-se no pátio da escola. ( B ) contava histórias criativas. ( C ) desistiu de jogar futebol. ( D ) queixou-se do médico. 03. A preocupação da mãe que a fez levar o filho ao médico deveu-se à ( A ) fábula dos dragões-da-independência cuspindo fogo e lendo fotonovelas. ( B ) história do pedaço de lua, cheio de queijo no pátio da escola. ( C ) passagem das borboletas pela chácara de Siá Elpídia formando um tapete voador. ( D ) imaginação do menino ao criar suas histórias fantasiosas. 04. O parecer do médico “Este menino é mesmo um caso de poesia”, sugere que Paulo ( A ) agia dessa forma pelo excesso de castigo. ( B ) brincava com coisas verdadeiras. ( C ) era um menino imaginativo e criativo. ( D ) estava precisando do carinho familiar. 05. Dona Coló castigava o filho porque acreditava que ele estivesse ( A ) brincando. ( B ) sonhando. ( C ) mentindo. ( D ) teimando. 06. O texto sugere que ( A ) mentira e teimosia andam juntos. ( B ) mentira e fantasia são sinônimos.
  26. 26. ( C ) mentira e sonho parecem brincadeiras. ( D ) mentira e imaginação são diferentes. PROCURA-SE! Os beija-flores ou colibris estão entre as menores aves do mundo e são as únicas capazes de ficar voando no mesmo lugar, como um helicóptero, ou de voar para trás. Para isso, porém, as suas pequenas asas precisam movimentar-se muito depressa, o que gasta muita energia. Assim, eles precisam se alimentar bastante, e algumas espécies podem comer em um único dia até oito vezes o seu próprio peso. Uau! O balança-rabo-canela é um beija-flor pequeno que pesa apenas nove gramas e só existe no Brasil. Ele tem as costas esverdeadas e a parte de baixo do corpo na cor canela, com um tom mais escuro na garganta. As penas da cauda, por sua vez, são de cor bronze e têm as pontas brancas. A ave possui ainda uma fina listra branca em cima e embaixo dos olhos. Assim como os outros beija-flores, o balança-rabo-canela geralmente se alimenta de pequenos insetos, aranha e néctar, um líquido doce produzido pelas flores. Para sugá- lo, essas aves têm uma língua com ponta dupla, que forma dois pequenos canudos. É comum os beija-flores ficarem com os grãos de pólen das flores grudados nas penas e no bico depois de sugarem o néctar. Assim, acabam levando-os de uma flor a outra, à medida que seguem seu caminho. Como as flores precisam do pólen para produzir sementes, os beija-flores, sem querer, ajudam-nas ao fazer esse transporte e acabam beneficiados também: afinal, o néctar das flores é um dos seus alimentos. Os beija-flores enxergam muito bem, e muitas flores possuem cores fortes, como vermelho ou laranja, para atraírem a sua atenção. Embora muito pequenas, essas aves são muito valentes e sabem defender seus recursos, como as flores que utilizam para se alimentar. Assim, alguns machos podem até expulsar as fêmeas da sua própria espécie caso elas cheguem perto da comida. Na luta pela sobrevivência parece não haver espaço para gentileza: machos e fêmeas geralmente se juntam apenas na época da reprodução. O balança-rabo-canela coloca seus ovos de setembro a fevereiro e choca-os durante 15 dias. A fêmea é quem constrói o ninho e também cuida dos filhotes por quase um mês após o nascimento para que eles consigam sobreviver sozinhos. O pequeno balança-rabo-canela está ameaçado de extinção por conta da destruição do ambiente onde vive, ou seja, do seu habitat. As matas que servem de lar para essa ave estão sendo destruídas de maneira acelerada para a criação de animais, o cultivo de alimentos, a instalação de indústrias e pelo crescimento das cidades. Portanto, precisamos preservá-las para que esse belo beija-flor não desapareça para sempre. FONSECA, Lorena C.N; ALVES, Maria Alice. Procura-se! Ciência Hoje para Crianças, Rio de Janeiro, n.159, jul. de 2005. Responda: Qual é o título do testo? Qual é a fonte do testo? Quantos parágrafos tem o texto?
  27. 27. 1. O balança-rabo-canela é um beija-flor que: ( A ) pesa apenas nove gramas. ( B ) põe ovos o ano inteiro. ( C ) possui uma lista branca nas asas. ( D ) tem as costas cor de bronze. 2. Em “É comum os beija-flores ficarem com os grãos de pólen das flores grudados nas penas e no bico depois de sugarem o néctar. Assim, acabam levando-os de uma flor a outra, à medida que seguem seu caminho.”, o termo destacado refere-se a: ( A ) brotos em geral. ( B ) colibris pequenos. ( C ) grãos de pólen. ( D ) insetos comestíveis. 3. O balança-rabo-canela, depois de sugar o néctar: ( A ) alimenta-se de pequenos insetos. ( B ) auxilia as fêmeas na criação dos filhotes. ( C ) contribui para a reprodução das flores. ( D ) cuida dos filhotes por quase um mês. 4. Os beija-flores estão ameaçado de extinção porque: ( A ) comem até oito vezes o seu próprio peso. ( B ) o ambiente em que eles vivem está sendo destruído. ( C ) gastam muita energia para voar. ( D ) têm de lutar constantemente por seus recursos. 5. O texto “Procura-se!” : ( A ) informa sobre o perigo de extinção dos beija-flores chamados de “balança-rabo-canela”. ( B ) inventa algumas características sobre os beija-flores chamados de “balança-rabo- canela”. ( C ) traz um relato de experiência científica com os beija-flores chamados de “balança-rabo- canela”. ( D ) anuncia que alguém está procurando beija-flores chamados de “balança-rabo-canela” para comprar. 6. A questão central tratada no texto é: ( A ) a preservação dos beija-flores. ( B ) a reprodução de animais silvestres. ( C ) o crescimento das cidades. ( D ) o hábito alimentar das aves.
  28. 28. A cegonha e a raposa Um dia a raposa, que era amiga da cegonha, convidou-a para um jantar. Mas preparou para a amiga uma porção de comidas moles, líquidas, que ela servia sobre uma pedra lisa. Ora, a cegonha, com seu longo bico, por mais que se esforçasse só conseguia bicar a comida, machucando seu bico e não comendo nada. A raposa insistia para que a cegonha comesse, mas ela não conseguia, e acabou indo para casa com fome. Então, a cegonha, em outra ocasião, convidou a raposa para jantar com ela. Preparou comidas cheirosas e colocou em vasos compridos e altos, onde seu bico entrava com facilidade, mas o focinho da raposa não alcançava. Foi a vez da raposa voltar para casa desapontada e faminta. Fábulas Ruth Rocha 1- Na sua opinião, qual frase serviria de moral para esta fábula? ( a ) "Não faça aos outros o que não quer que lhe façam." ( b ) "Muitos Padecem os bons que julgam os outros por si." ( c ) "Quem Muito quer nada tem" 2- Na frase "A raposa andou fazendo pouco caso da cegonha." Explique o sentido da expressão grifada. ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________. 3- Retire do texto: ( a ) duas palavras monossílabas:_____________________________________ ( b ) duas palavras dissílabas:________________________________________ ( c ) duas palavras trissílabas:________________________________________ ( d ) duas palavras polissílabas:_______________________________________ 4- Marque (1) para hiato, (2) para ditongo, (3) para tritongo: ( ) serviu ( ) conseguia ( ) dia ( ) outra ( ) Cheirosa 5- Coloque (DV), quando houver dígrafo vocálico e (DC), quando houver dígrafo consonantal. ( ) cegonha ( ) jantar ( ) comesse ( ) compridos ( ) cheirosa
  29. 29. Texto 1: CLASSIFICADOS POÉTICOS Vende-se uma casa encantada no topo da mais alta montanha. tem dois amplos salões onde você poderá oferecer banquetes para os duendes e anões que moram na floresta ao lado. Tem jardineiras na janela onde convém plantar margaridas. Tem quartos de todas as cores que aumentam ou diminuem de acordo com seu tamanho e na garagem há vagas para todos os seus sonhos. Roseana Murray. Classificados poéticos, pag.34. Belo Horizonte, Miguilim, 1990. Texto 2 : CLASSIFICADOS POÉTICOS Compro um barco feito de vento com velas cor de firmamento e uma bússola que aponte sempre para as luas de saturno. Compro um barco que conheça caminhos secretos de mares desconhecidos um barco cheio de vento onde caibam todos os meus amigos. Compro um barco que saiba decifrar os segredos escondidos no coração das noites sem luar. Roseana Murray. Classificados poéticos, pag.32. Belo Horizonte, Miguilim, 1990. Texto 3: Classificados Poéticos. Planeta classificados poéticos Menino que mora num planeta azul feito a cauda de um cometa quer se corresponder com alguém de outra galáxia. Neste planeta onde o menino mora as coisas não vão tão bem assim: o azul está ficando desbotado e os homens brincam de guerra. É só apertar um botão que o planeta Terra vai pelos ares... Então o menino procura com urgência alguém de outra galáxia para trocarem selos, figurinhas e esperanças. Roseana Murray. Classificados poéticos. In: Zeneide Silva e Célia Passos. Novo Eu gosto integrado, 4ª série/5º ano. Belo Horizonte: Miguilim, 1985.
  30. 30. Vocabulário Galáxia: conjunto de estrelas Desbotado: descolorido Vai pelos ares: explode Urgência: rapidez Análise do texto 3 1 - Quem escreveu o texto 3? __________________________________________________________________________________ 2 - Qual é o título desse texto 3? __________________________________________________________________________________ 3 - Que gênero textual é o texto 1 e 2 ? ( ) uma poesia ( ) uma história ( ) uma notícia ( ) um classificado poético 4 – Segundo o texto 3 o que o menino estava pretendendo fazer? __________________________________________________________________________________ 5 - Copie a frase substituindo a palavra grifada por um sinônimo. O menino procura com urgência alguém de outra galáxia. __________________________________________________________________________________ 6 - O que você pode fazer para melhorar o seu planeta? __________________________________________________________________________________ 7 - Desenhe como você sentiu que era o planeta do menino do texto 3. 8 - Escreva um e-mail para o menino dizendo que quer se corresponder com ele. Demonstre sua preocupação com o planeta dele e dê soluções. De: Para: Assunto: __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ 9 - O que ele quis dizer no texto 3 com “É só apertar um botão que o planeta Terra vai para os ares...” ( ) Que aqui tem muito ar. ( ) Que tem muitos passarinhos voando. ( ) Que o planeta Terra pode explodir. ( ) Que os homens gostam de apertar botões. 10 – No texto 3 a autora escreveu que: “Neste planeta onde o menino mora as coisas não vão tão bem assim”. Por quê? __________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________

×