SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Os olhos que não queriam
dormir
Os olhos do menino eram duas
jabuticabas: pretos, redondos e doces.
Abriam, fechavam, sorriam, choravam.
Lágrimas de verdade e de mentirinha também.
Soltas... sozinhas...de montão! Somente à noite
é que descansavam para, no outro dia, verem
mais ainda. Só eles sabiam quanta coisa boa
existe pra gente ver.
Uma noite, o dono dos olhos, muito abor-
recido, chamou sua mãe e falou:
Hoje os olhos não querem dormir.
Eu fecho, eles abrem.
Eu tranco, eles piscam.
Me conta uma história
Pra ver se ficam quietos.
Maria Antonia R. Coutinho. São Paulo, Editora FTD, 1985.
Os olhos que não queriam
dormir
Os olhos do menino eram duas
jabuticabas: pretos, redondos e doces.
Abriam, fechavam, sorriam, choravam.
Lágrimas de verdade e de mentirinha também.
Soltas... sozinhas...de montão! Somente à noite
é que descansavam para, no outro dia, verem
mais ainda. Só eles sabiam quanta coisa boa
existe pra gente ver.
Uma noite, o dono dos olhos, muito abor-
recido, chamou sua mãe e falou:
Hoje os olhos não querem dormir.
Eu fecho, eles abrem.
Eu tranco, eles piscam.
Me conta uma história
Pra ver se ficam quietos.
Maria Antonia R. Coutinho. São Paulo, Editora FTD, 1985.
Os olhos que não queriam
dormir
Os olhos do menino eram duas
jabuticabas: pretos, redondos e doces.
Abriam, fechavam, sorriam, choravam.
Lágrimas de verdade e de mentirinha também.
Soltas... sozinhas...de montão! Somente à noite
é que descansavam para, no outro dia, verem
mais ainda. Só eles sabiam quanta coisa boa
existe pra gente ver.
Uma noite, o dono dos olhos, muito abor-
recido, chamou sua mãe e falou:
Hoje os olhos não querem dormir.
Eu fecho, eles abrem.
Eu tranco, eles piscam.
Me conta uma história
Pra ver se ficam quietos.
Maria Antonia R. Coutinho. São Paulo, Editora FTD, 1985.
Os olhos que não queriam
dormir
Os olhos do menino eram duas
jabuticabas: pretos, redondos e doces.
Abriam, fechavam, sorriam, choravam.
Lágrimas de verdade e de mentirinha também.
Soltas... sozinhas...de montão! Somente à noite
é que descansavam para, no outro dia, verem
mais ainda. Só eles sabiam quanta coisa boa
existe pra gente ver.
Uma noite, o dono dos olhos, muito abor-
recido, chamou sua mãe e falou:
Hoje os olhos não querem dormir.
Eu fecho, eles abrem.
Eu tranco, eles piscam.
Me conta uma história
Pra ver se ficam quietos.
Maria Antonia R. Coutinho. São Paulo, Editora FTD, 1985.
Os olhos que não queriam
dormir
Os olhos do menino eram duas
jabuticabas: pretos, redondos e doces.
Abriam, fechavam, sorriam, choravam.
Lágrimas de verdade e de mentirinha também.
Soltas... sozinhas...de montão! Somente à noite
é que descansavam para, no outro dia, verem
mais ainda. Só eles sabiam quanta coisa boa
existe pra gente ver.
Uma noite, o dono dos olhos, muito abor-
recido, chamou sua mãe e falou:
Hoje os olhos não querem dormir.
Eu fecho, eles abrem.
Eu tranco, eles piscam.
Os olhos que não queriam
dormir
Os olhos do menino eram duas
jabuticabas: pretos, redondos e doces.
Abriam, fechavam, sorriam, choravam.
Lágrimas de verdade e de mentirinha também.
Soltas... sozinhas...de montão! Somente à noite
é que descansavam para, no outro dia, verem
mais ainda. Só eles sabiam quanta coisa boa
existe pra gente ver.
Uma noite, o dono dos olhos, muito abor-
recido, chamou sua mãe e falou:
Hoje os olhos não querem dormir.
Eu fecho, eles abrem.
Eu tranco, eles piscam.
Me conta uma história
Pra ver se ficam quietos.
Maria Antonia R. Coutinho. São Paulo, Editora FTD, 1985.
Me conta uma história
Pra ver se ficam quietos.
Maria Antonia R. Coutinho. São Paulo, Editora FTD, 1985.
Responda marcando x na alternativa correta:
1. Os olhos do menino foram comparados a jabuticaba porque:
(A) A jabuticaba é preta, redonda e doce;
(B) A jabuticaba tem a aparência de um olho
(C) Os olhos do menino eram parecidos com uma jabuticaba.
2. Os olhos do menino sorriam:
(A) Porque pareciam a jabuticaba
(B) Porque ele estava feliz
(C) Porque os olhos não queriam dormir.
3. Na frase: “Só eles sabiam quanta coisa boa existe para ver.”
A palavra grifada está se referindo:
(A) ao menino (B) aos olhos (C) ao dia
4. Lágrimas de mentirinha significam que:
(A) O menino finge que está chorando;
(B) O menino chora pouco;
(C) O olhos não querem chorar.
5. Por que os olhos do menino não queriam dormir:
(A) Eles queriam ver o mundo;
(B) Eles queriam ouvir uma história;
(C) Eles não queriam ficar quietos.
6. Na frase: EU FECHO ELES ABREM , aparecem palavras que uma é contrário da
outra: Vamos brincar de Antônimo , ligando palavras ao seu contrário:
fechar
sorrir
verdade
bom
mal
feliz
livre
parar
secar
cair
alegre
inimigo
escuro
calar
bem
ruim
abrir
chorar
mentira
continua
r
infeliz
preso
triste
amigo
claro
falar
levantar
molhar
7. Agora vamos escrever algumas frases no
PLURAL, conforme os pronomes. Completando
as palavras:
Eu tran............. a porta.
Eles tran...............................................................
Eu brin.............. na garagem ontem.
Nós brin..............................................................ontem.
Ela via........ em trem especial.
Elas via................... em ..............................................
Ele é goleiro.
Eles ............................................................
8. Agora procure formar lindas frases, usando a palavra OLHOS :
9. ............................................................................................................................
.......................................................................................................................................
....................................................................................................................................
...................................................................................................................................................
.........................................................................................................................................
........................................................................................................................................

Mais conteúdo relacionado

Mais de Raquel Becker

Prova português 1º bimestre.
Prova português   1º bimestre.Prova português   1º bimestre.
Prova português 1º bimestre.
Raquel Becker
 
Prova de matemática 1º bimestre
Prova de matemática   1º bimestreProva de matemática   1º bimestre
Prova de matemática 1º bimestre
Raquel Becker
 
Prova brasil matriz2
Prova brasil matriz2Prova brasil matriz2
Prova brasil matriz2
Raquel Becker
 
Portugues e matematica
Portugues e matematicaPortugues e matematica
Portugues e matematica
Raquel Becker
 
Paraíso. texto poema
Paraíso. texto poemaParaíso. texto poema
Paraíso. texto poema
Raquel Becker
 
O burro e a pele de leão
O burro e a pele de leãoO burro e a pele de leão
O burro e a pele de leão
Raquel Becker
 
Mat. doces com preço
Mat. doces com preçoMat. doces com preço
Mat. doces com preço
Raquel Becker
 
Gráfico desmatamento
Gráfico   desmatamentoGráfico   desmatamento
Gráfico desmatamento
Raquel Becker
 
Gráfico datas de nascimento
Gráfico   datas de nascimentoGráfico   datas de nascimento
Gráfico datas de nascimento
Raquel Becker
 
Gênero poema. grande ou pequeno.
Gênero poema. grande ou pequeno.Gênero poema. grande ou pequeno.
Gênero poema. grande ou pequeno.
Raquel Becker
 
Fabula 1 texto - a pomba e a formiga
Fabula 1   texto - a pomba e a formigaFabula 1   texto - a pomba e a formiga
Fabula 1 texto - a pomba e a formiga
Raquel Becker
 
Estados fisicos da água
Estados fisicos da águaEstados fisicos da água
Estados fisicos da água
Raquel Becker
 

Mais de Raquel Becker (20)

Prova português 1º bimestre.
Prova português   1º bimestre.Prova português   1º bimestre.
Prova português 1º bimestre.
 
Prova de matemática 1º bimestre
Prova de matemática   1º bimestreProva de matemática   1º bimestre
Prova de matemática 1º bimestre
 
Prova brasil matriz2
Prova brasil matriz2Prova brasil matriz2
Prova brasil matriz2
 
Pronomes texto
Pronomes textoPronomes texto
Pronomes texto
 
Problemas de r$
Problemas de r$Problemas de r$
Problemas de r$
 
Problemas com horas
Problemas com horasProblemas com horas
Problemas com horas
 
Portugues e matematica
Portugues e matematicaPortugues e matematica
Portugues e matematica
 
Planejamento 2012
Planejamento  2012Planejamento  2012
Planejamento 2012
 
Paraíso. texto poema
Paraíso. texto poemaParaíso. texto poema
Paraíso. texto poema
 
O burro e a pele de leão
O burro e a pele de leãoO burro e a pele de leão
O burro e a pele de leão
 
Matemática 2012
Matemática 2012Matemática 2012
Matemática 2012
 
Mat. doces com preço
Mat. doces com preçoMat. doces com preço
Mat. doces com preço
 
História da cidade
História da cidadeHistória da cidade
História da cidade
 
Gráfico desmatamento
Gráfico   desmatamentoGráfico   desmatamento
Gráfico desmatamento
 
Gráfico datas de nascimento
Gráfico   datas de nascimentoGráfico   datas de nascimento
Gráfico datas de nascimento
 
Gênero poema. grande ou pequeno.
Gênero poema. grande ou pequeno.Gênero poema. grande ou pequeno.
Gênero poema. grande ou pequeno.
 
Fração mista
Fração mistaFração mista
Fração mista
 
Fração ad
Fração adFração ad
Fração ad
 
Fabula 1 texto - a pomba e a formiga
Fabula 1   texto - a pomba e a formigaFabula 1   texto - a pomba e a formiga
Fabula 1 texto - a pomba e a formiga
 
Estados fisicos da água
Estados fisicos da águaEstados fisicos da água
Estados fisicos da água
 

Os olhos que não queria dormir

  • 1. Os olhos que não queriam dormir Os olhos do menino eram duas jabuticabas: pretos, redondos e doces. Abriam, fechavam, sorriam, choravam. Lágrimas de verdade e de mentirinha também. Soltas... sozinhas...de montão! Somente à noite é que descansavam para, no outro dia, verem mais ainda. Só eles sabiam quanta coisa boa existe pra gente ver. Uma noite, o dono dos olhos, muito abor- recido, chamou sua mãe e falou: Hoje os olhos não querem dormir. Eu fecho, eles abrem. Eu tranco, eles piscam. Me conta uma história Pra ver se ficam quietos. Maria Antonia R. Coutinho. São Paulo, Editora FTD, 1985. Os olhos que não queriam dormir Os olhos do menino eram duas jabuticabas: pretos, redondos e doces. Abriam, fechavam, sorriam, choravam. Lágrimas de verdade e de mentirinha também. Soltas... sozinhas...de montão! Somente à noite é que descansavam para, no outro dia, verem mais ainda. Só eles sabiam quanta coisa boa existe pra gente ver. Uma noite, o dono dos olhos, muito abor- recido, chamou sua mãe e falou: Hoje os olhos não querem dormir. Eu fecho, eles abrem. Eu tranco, eles piscam. Me conta uma história Pra ver se ficam quietos. Maria Antonia R. Coutinho. São Paulo, Editora FTD, 1985. Os olhos que não queriam dormir Os olhos do menino eram duas jabuticabas: pretos, redondos e doces. Abriam, fechavam, sorriam, choravam. Lágrimas de verdade e de mentirinha também. Soltas... sozinhas...de montão! Somente à noite é que descansavam para, no outro dia, verem mais ainda. Só eles sabiam quanta coisa boa existe pra gente ver. Uma noite, o dono dos olhos, muito abor- recido, chamou sua mãe e falou: Hoje os olhos não querem dormir. Eu fecho, eles abrem. Eu tranco, eles piscam. Me conta uma história Pra ver se ficam quietos. Maria Antonia R. Coutinho. São Paulo, Editora FTD, 1985. Os olhos que não queriam dormir Os olhos do menino eram duas jabuticabas: pretos, redondos e doces. Abriam, fechavam, sorriam, choravam. Lágrimas de verdade e de mentirinha também. Soltas... sozinhas...de montão! Somente à noite é que descansavam para, no outro dia, verem mais ainda. Só eles sabiam quanta coisa boa existe pra gente ver. Uma noite, o dono dos olhos, muito abor- recido, chamou sua mãe e falou: Hoje os olhos não querem dormir. Eu fecho, eles abrem. Eu tranco, eles piscam. Me conta uma história Pra ver se ficam quietos. Maria Antonia R. Coutinho. São Paulo, Editora FTD, 1985. Os olhos que não queriam dormir Os olhos do menino eram duas jabuticabas: pretos, redondos e doces. Abriam, fechavam, sorriam, choravam. Lágrimas de verdade e de mentirinha também. Soltas... sozinhas...de montão! Somente à noite é que descansavam para, no outro dia, verem mais ainda. Só eles sabiam quanta coisa boa existe pra gente ver. Uma noite, o dono dos olhos, muito abor- recido, chamou sua mãe e falou: Hoje os olhos não querem dormir. Eu fecho, eles abrem. Eu tranco, eles piscam. Os olhos que não queriam dormir Os olhos do menino eram duas jabuticabas: pretos, redondos e doces. Abriam, fechavam, sorriam, choravam. Lágrimas de verdade e de mentirinha também. Soltas... sozinhas...de montão! Somente à noite é que descansavam para, no outro dia, verem mais ainda. Só eles sabiam quanta coisa boa existe pra gente ver. Uma noite, o dono dos olhos, muito abor- recido, chamou sua mãe e falou: Hoje os olhos não querem dormir. Eu fecho, eles abrem. Eu tranco, eles piscam.
  • 2. Me conta uma história Pra ver se ficam quietos. Maria Antonia R. Coutinho. São Paulo, Editora FTD, 1985. Me conta uma história Pra ver se ficam quietos. Maria Antonia R. Coutinho. São Paulo, Editora FTD, 1985. Responda marcando x na alternativa correta: 1. Os olhos do menino foram comparados a jabuticaba porque: (A) A jabuticaba é preta, redonda e doce; (B) A jabuticaba tem a aparência de um olho (C) Os olhos do menino eram parecidos com uma jabuticaba. 2. Os olhos do menino sorriam: (A) Porque pareciam a jabuticaba (B) Porque ele estava feliz (C) Porque os olhos não queriam dormir. 3. Na frase: “Só eles sabiam quanta coisa boa existe para ver.” A palavra grifada está se referindo: (A) ao menino (B) aos olhos (C) ao dia 4. Lágrimas de mentirinha significam que: (A) O menino finge que está chorando; (B) O menino chora pouco; (C) O olhos não querem chorar. 5. Por que os olhos do menino não queriam dormir: (A) Eles queriam ver o mundo; (B) Eles queriam ouvir uma história; (C) Eles não queriam ficar quietos. 6. Na frase: EU FECHO ELES ABREM , aparecem palavras que uma é contrário da outra: Vamos brincar de Antônimo , ligando palavras ao seu contrário: fechar sorrir verdade bom mal feliz livre parar secar cair alegre inimigo escuro calar bem ruim abrir chorar mentira continua r infeliz preso triste amigo claro falar levantar molhar 7. Agora vamos escrever algumas frases no PLURAL, conforme os pronomes. Completando as palavras: Eu tran............. a porta. Eles tran............................................................... Eu brin.............. na garagem ontem. Nós brin..............................................................ontem. Ela via........ em trem especial. Elas via................... em .............................................. Ele é goleiro. Eles ............................................................ 8. Agora procure formar lindas frases, usando a palavra OLHOS : 9. ............................................................................................................................ ....................................................................................................................................... ....................................................................................................................................