O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Jornadas 2016 - RCAAP - Parte II

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Próximos SlideShares
Jornadas 2016 - RCAAP - Parte I
Jornadas 2016 - RCAAP - Parte I
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 87 Anúncio

Jornadas 2016 - RCAAP - Parte II

Baixar para ler offline

Reunião de trabalho – RCAAP

Duração: 3 horas
Local: Universidade do Algarve
Data/Hora: Dia 7 de Abril – 16:30

Público-alvo
Dirigentes com o pelouro do RCAAP nas Instituições Membro
Gestores de Repositórios Institucionais
Gestores de Repositórios de Dados Científicos
Gestores de Revistas Científicas

Âmbito/Objetivos
Esta reunião de trabalho do RCAAP tem por objetivo fazer o balanço das atividades no ano de 2015 bem como de apresentar o plano de atividades para 2016. Conforme é habitual a reunião servirá para dar conta de aspetos operacionais bem como auscultar a comunidade RCAAP. Será dada especial atenção à Política de acesso aberto da FCT e aos processos de integração com o PTCRIS.

Agenda:
Grupos de trabalho
Estudos e prospeção I – Estudo DOI, Pedro Príncipe (BAD, UMinho)
Destaques II – Estudo nova geração Portal RCAAP, José Carvalho (UMinho)
Estudos e prospeção II – Dados Científicos, Pedro Príncipe (UMinho)
Plano de Atividades 2016, Paulo Lopes (FCT-FCCN)

Reunião de trabalho – RCAAP

Duração: 3 horas
Local: Universidade do Algarve
Data/Hora: Dia 7 de Abril – 16:30

Público-alvo
Dirigentes com o pelouro do RCAAP nas Instituições Membro
Gestores de Repositórios Institucionais
Gestores de Repositórios de Dados Científicos
Gestores de Revistas Científicas

Âmbito/Objetivos
Esta reunião de trabalho do RCAAP tem por objetivo fazer o balanço das atividades no ano de 2015 bem como de apresentar o plano de atividades para 2016. Conforme é habitual a reunião servirá para dar conta de aspetos operacionais bem como auscultar a comunidade RCAAP. Será dada especial atenção à Política de acesso aberto da FCT e aos processos de integração com o PTCRIS.

Agenda:
Grupos de trabalho
Estudos e prospeção I – Estudo DOI, Pedro Príncipe (BAD, UMinho)
Destaques II – Estudo nova geração Portal RCAAP, José Carvalho (UMinho)
Estudos e prospeção II – Dados Científicos, Pedro Príncipe (UMinho)
Plano de Atividades 2016, Paulo Lopes (FCT-FCCN)

Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Quem viu também gostou (15)

Semelhante a Jornadas 2016 - RCAAP - Parte II (20)

Anúncio

Mais recentes (20)

Jornadas 2016 - RCAAP - Parte II

  1. 1. Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal – Parte II 2016-04-07
  2. 2. Agenda Parte I 1.Boas vindas 2.Informações AO / Ciência Aberta 3.Relatório de atividades 4.Política FCT (Novidades) 5.Destaques I – Teses e Dissertações 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 2 Parte II 1.Grupos de trabalhos (3x) 2.Estudos e prospeção I - DOI 3.Destaques II – Novo portal RCAAP 4.Estudos e prospeção II – Dados Científicos 5.Plano de atividades
  3. 3. SEMANA DO ACESSO ABERTO EM PORTUGAL Grupo de Trabalho de Divulgação do RCAAP Grupo de Trabalho de Divulgação do RCAAP evamigueis@sib.uc.pt yyyy-mm-dd
  4. 4. Agenda • CONTEXTO • ATIVIDADES / MATERIAIS REALIZADOS – MATERIAIS GRÁFICOS – KIT DE APOIO À DIVULGAÇÃO DA SEMANA DO ACESSO ABERTO – NEWSLETTER – WEBINAR – PORTAL • QUESTIONÁRIO • CONCLUSÕES 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 4
  5. 5. Introdução • CONTEXTO Realização de diversas atividades a nível mundial, as quais têm como objetivo promover e divulgar o movimento Open Access. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 5
  6. 6. MATERIAIS GRÁFICOS 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 6
  7. 7. KIT DE APOIO À DIVULGAÇÃO DA SEMANA INTERNACIONAL DO ACESSO ABERTO Objetivo – fornecer um conjunto de sugestões e materiais para promover a SIAA em Portugal. • Disponibiliza atividades / iniciativas e sugestões de conteúdos. Organização – em duas partes, baseadas no grau de esforço de implementação das sugestões e utilização dos materiais. • Atividades / Iniciativas com nível de esforço BAIXO • Atividades / Iniciativas com nível de esforço MÉDIO 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 7
  8. 8. KIT DE APOIO À DIVULGAÇÃO DA SEMANA INTERNACIONAL DO ACESSO ABERTO 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 8
  9. 9. NEWSLETTER 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 9
  10. 10. WEBINAR 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 10 Objetivo promover e divulgar os materiais de apoio à organização de atividades e divulgação da semana internacional do Acesso Aberto em Portugal, criados pelo GT de Divulgação do RCAAP. 2 Sessões
  11. 11. PORTAL 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 11
  12. 12. QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 12 – Questionário de avaliação das iniciativas do GT – Divulgação RCAAP para a Semana Internacional do Acesso Aberto 2015 – Realizado entre 2 e 16 de novembro – construção através do Google Doc – utilizando a lista de e-mails “administrativos@rcaap.pt” para a sua difusão
  13. 13. ANÁLISE DOS RESULTADOS 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 13 • PONTOS POSITIVOS: – Opinião bastante positiva em relação aos materiais / estratégias propostos, à forma de divulgação feita pelo GTD e a sua utilização e atividades realizadas. – aumento do n.º de respostas ao questionário e o aumento do tráfego registado no portal da SIAA. • PONTO NEGATIVO: – a coincidência entre a SIAA e o Congresso da BAD terá desmobilizado alguns dos profissionais da área a implementar algumas das estratégias propostas. • NO FUTURO: – as sugestões de materiais / estratégias de divulgação, poderão ir sendo amadurecidas ao longo do ano, pelas instituições, de forma a serem implementadas mais iniciativas e com caráter mais diversificado em 2017.
  14. 14. ESTATÍSTICAS DO PORTAL DA SEMANA INTERNACIONAL DO ACESSO ABERTO 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 14 Título da Página Nº Visualizações 1. Open Access Week Portugal | 1 996 2. Open Access Week Portugal | Eventos 2014 304 3. Sobre o Open Access 289 4. Sobre a semana 276 5. Equipa dos serviços de documentação da Uminho a promover o Acesso Aberto 241 6. Materiais promocionais para 2014 240 7. Open Access Week Portugal | Informações 2014 197 8. Open Access Week Portugal | Recursos 2014 178 Total de visualizações 6 074 Título da Página Nº Visualizações 1. Open Access Week Portugal | 3 560 2. Open Access Week Portugal | Eventos 2015 610 3. Sobre o Open Access 492 4. Sobre a semana 464 5. Materiais promocionais para 2015 398 6. Materiais gráficos OAW 2015 350 7. Sobre a semana 333 8. Open Access Week Portugal | Search results for 301 9. Kit de apoio à divulgação do OAW 286 10. O Depósito legal de teses e dissertações o que mudou? 243 Total de visualizações 10 170 2014 2015
  15. 15. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 15
  16. 16. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 16
  17. 17. Agenda Parte I 1.Boas vindas 2.Informações AO / Ciência Aberta 3.Relatório de atividades 4.Política FCT (Novidades) 5.Destaques I – Teses e Dissertações 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 17 Parte II 1.Grupos de trabalhos (3x) 2.Estudos e prospeção I - DOI 3.Destaques II – Novo portal RCAAP 4.Estudos e prospeção II – Dados Científicos 5.Plano de atividades
  18. 18. ESTUDO PROSPETIVO SOBRE IMPLEMENTAÇÃO DO DOI EM PORTUGAL aplicação nas atividades RCAAP Reunião de trabalho – RCAAP Pedro Príncipe, Diana Silva, Susana Lopes, José Carvalho Grupo de Trabalho @BAD das Bibliotecas de Ensino Superior pedroprincipe@gmail.com 20016-04-07
  19. 19. http://tinyurl.com/estudoPTdoi
  20. 20. Estrutura do estudo ENQUADRAMENTO  Conceito e quadro normativo  Modelo de funcionamento e organização do DOI VISÃO GERAL E ANÁLISE TÉCNICA DO SISTEMA DOI  Aplicação e atribuição de identificadores DOI  Agências registo DOI  Datacite  CrossRef ÂMBITO DA APLICAÇÃO EM PORTUGAL  Quadro das necessidades no contexto nacional  Aplicação ao caso RCAAP  Teses e Dissertações  Revistas científicas – SARC LINHAS DE AÇÃO E MODELOS DE IMPLEMENTAÇÃO  Proposta de plano de ação  Características e requisitos técnicos do sistema  Aplicação ao RCAAP (Teses e Dissertações, SARIs, SARC) 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 20 http://tinyurl.com/estudoPTdoi
  21. 21. Visão geral do estudo 12/04/2016 21 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal • Conceito e quadro normativo • Modelo de organização e funcionamento do DOI • Aplicação e atribuição de identificadores DOI • Agências registo DOI Sistema DOI • Quadro das necessidades no contexto nacional • Aplicação ao caso RCAAP • Teses e Dissertações • Revistas científicas – SARC Aplicação em Portugal • Proposta de plano de ação • Características e requisitos técnicos do sistema • Aplicação ao RCAAP Implementação no RCAAP
  22. 22. Objetivos e âmbito:  Propõe a definição dos meios para facilitar a generalização da atribuição de identificadores únicos e persistentes DOI (Digital Object Identifier) em Portugal.  Análise orientada:  Pelos desenvolvimentos no quadro legal para as teses e dissertações em implementação no RCAAP  Pelas diferentes aplicações no contexto nacional da publicação científica e académica, considerando ainda o Serviços de Alojamento de Revistas Científicas e de Repositórios do RCAAP. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 22
  23. 23. O estudo preconiza:  O registo generalizado de identificadores DOI confere maior robustez, interoperabilidade e escalabilidade aos serviços em desenvolvimento na infraestrutura RCAAP.  A utilização dos DOI no âmbito das necessidades da rede RCAAP configuram uma resposta adequada aos desafios estabelecidos no quadro normativo:  dos reptos que resultam do Decreto-Lei n.º 115/2013 de 7 de agosto, estabelecendo a obrigatoriedade de depósito de uma versão digital das teses e dissertações num repositório da rede RCAAP,  Da política de Acesso Aberto da FCT, requerendo o depósito em repositórios das publicações que resultem de projetos ou bolsas com financiamento da FCT. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 23
  24. 24. Agências de registo 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 24  O sistema DOI é operacionalizado por agências de registo que aplicam políticas e ferramentas comuns designadas pela International DOI Foundation.  Serviços das agências de registo:  criação de prefixos DOI,  registo dos identificadores,  implementação da infraestrutura para que os utilizadores mantenham os metadados de forma centralizada,  proporcionar outros serviços de valor acrescentado. Detalha os serviços de duas agências:  DataCite, enquanto agência focada no desenvolvimento da infraestrutura ligada aos dados científicos centrando a sua atividade na colaboração com organizações sem fins lucrativos.  CrossRef, agência oficial de registo DOI vocacionada para informação científica e académica em geral, especificamente artigos de revistas científicas, livros, e atas de conferências.
  25. 25. Aplicação no RCAAP Dados estatísticos que fundamentam a aplicação de atribuição de DOI nas 3 áreas de ação das atividades RCAAP: crescimento do nº de teses e dissertações e de artigos nas revistas SARC (exemplo: em 2010 o nº de teses foi 1666 e em 2013 de 2668; estimam-se 15.500 a 16.500 teses e dissertações anualmente; aproximadamente 4500 artigos no SARC). 12/04/2016 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 25 Teses e dissertações SARC + REVISTAS SARI + REPOSITÓRIOS
  26. 26. O estudo recomenda: OBJETIVO: garantir na DataCite uma representação nacional, assegurando, como preconizado pela própria organização, pelo menos um representante (membro) em cada país. ADESÃO como membro da DataCite: - da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) - ou de outro órgão nacional competente ou instituição relevante no domínio da gestão de informação e repositórios digitais. RAZÕES: solução adequada técnica e financeiramente e que irá permitir de forma ágil o cumprimento do requisito de atribuir um identificador persistente e consistente a todas as teses de doutoramento e dissertações de mestrado realizadas em IES de PT. NOTA: Esta adesão não dispensa o necessário acompanhamento aos serviços disponibilizados pela agência CrossRef. 12/04/2016 26Jornadas 2016 @ UAlg No quadro de uma solução de âmbito nacional e de ação imediata seja realizada a adesão ao organismo internacional Datacite.
  27. 27. Adesão à DataCite irá permitir: Envolvimento numa organização internacional de matriz participativa COMUNIDADE focada no desenvolvimento da infraestrutura ligada aos resultados de investigação, com particular enfoque nos dados científicos DIVERSIDADE DE CONTEÚDOS Atividade centrada na colaboração com organizações sem fins lucrativos. REGISTO DE DOI 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 27
  28. 28. Proposta de ação: 1) Adesão à DataCite 2) Aplicação de atribuição de identificadores únicos e persistentes DOI em três domínios de intervenção no âmbito da rede RCAAP: • teses e dissertações, • serviço de alojamento de revistas • serviço de alojamento de repositórios. 3) A aplicação técnica e os desenvolvimentos decorrentes da utilização dos serviços da DataCite resultarão em soluções ágeis executadas nos sistemas RCAAP por via da integração da API da DataCite. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 28
  29. 29. Implementação: • Características e requisitos técnicos do sistema: – O registo de DOIs será executado nos sistemas RCAAP por via da integração da API da DataCite. • https://mds.datacite.org/static/apidoc • Aplicação ao RCAAP – definir implementações particulares para: • Teses e dissertações • Repositórios SARI • Revistas SARC 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 29
  30. 30. Implementação – Teses & Dissertações http://doi.org/10.6969/TID/1234567 (URL / prefixoDOI / prefixoTID / TIDnumerico) Nota: além de conter o identificador TID, o registo integra também os serviços DOI, podendo este substituir o handle dos repositórios. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 30 Considerando o depósito legal obrigatório e a atribuição de um identificador do trabalho aprovado, é possível fundir num só identificador o TID e o DOI através do uso de prefixos.
  31. 31. Implementação – Teses & Dissertações 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 31 Solução implementada recentemente pelo Australian National Data Service (ANDS)
  32. 32. Implementação – SARI • No contexto dos repositórios institucionais SARI, o processo de atribuição de DOI está já previsto na plataforma Dspace: – necessário configurar o prefixo associado à instituição e o “endpoint” para onde é registada a informação do DOI, que neste caso corresponde ao serviço DOI nacional. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 32
  33. 33. Implementação – SARC • As revistas científicas integradas no serviço SARC poderão também integrar o DOI nos seus trabalhos através da funcionalidade disponível no OJS. – Como nos Repositórios, as revistas podem ter associado um prefixo próprio que as caracteriza e identifica diretamente no DOI, tal como: http://doi.org/10.6969/motricidade.79 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 33
  34. 34. Solução integrada… Os modelos de aplicação ficam dependentes:  de opções estratégicas dos organismos competentes pela gestão da infraestrutura RCAAP,  da colaboração com outras instituições que compõem o ecossistema mais vasto da gestão da informação científica e académica de Portugal,  da adoção e desenvolvimentos funcionais e técnicos subsequentes. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 34
  35. 35. Obrigado! 12/04/2016 35 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal http://tinyurl.com/estudoPTdoi
  36. 36. Agenda Parte I 1.Boas vindas 2.Informações AO / Ciência Aberta 3.Relatório de atividades 4.Política FCT (Novidades) 5.Destaques I – Teses e Dissertações 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 36 Parte II 1.Grupos de trabalhos (3x) 2.Estudos e prospeção I - DOI 3.Destaques II – Novo portal RCAAP 4.Estudos e prospeção II – Dados Científicos 5.Plano de atividades
  37. 37. Estudo Portal RCAAP 12/04/2016 37RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  38. 38. ESTUDO SOBRE PORTAL RCAAP 12/04/2016 38RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  39. 39. Objetivos ● Redefinir o papel do Portal RCAAP no contexto futuro ● Analisar as funcionalidades atuais e futuras ● Analisar sistemas semelhantes ● Considerar tendências 12/04/2016 39RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  40. 40. Metodologia 1 - Análise do Portal RCAAP do ponto de vista do seu papel e funcionalidades 2 - Análise de outras iniciativas e entrevistas com gestores 3 - Definição de Cenários 4 - Conclusões 12/04/2016 40RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  41. 41. O Portal RCAAP ● Agregador nacional de produção científica (em Open Access inicialmente) ● Obriga à implementação das diretrizes DRIVER ● Integra o Portal brasileiro oasisbr ● Interface com análise de usabilidade e acessibilidade 12/04/2016 41RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  42. 42. O Portal RCAAP ● Inclui um diretório com um perfil de todos os recursos agregados ● Usado para monitorar e gerar relatórios para a política Open Access da FCT ● Integração com RENATES (em curso) ● API pública 12/04/2016 42RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  43. 43. O Portal RCAAP ● Atualização diária ● Algoritmo de pesquisa testado ● Integra processo de validação dos recursos (inexistente noutros sistemas semelhantes) 12/04/2016 43RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  44. 44. O Papel do Portal RCAAP ● Na promoção do Open Access ● O seu papel para a Comunidade RCAAP ● Integrado no contexto legal (T&D) ● Melhoria na organização dos recursos 12/04/2016 44RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  45. 45. Outros Projetos Similares ● Oasisbr – Brasil ● BASE – Alemanha ● RIAN - Irlanda ● RECOLECT – Espanha ● OpenAIRE – Internacional ● La Referência – América do Sul ● … 12/04/2016 45RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  46. 46. Contexto Futuro… ● Projeto PT-CRIS ● DSpace-CRIS e IRIS como RI local ● Teses & Dissertações ● Política da FCT ● CPLP 12/04/2016 46RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  47. 47. Entrevistas com Especialistas ● Paolo Manghi – OpenAIRE / D-NET ● Friedrich Summann – BASE ● Washington Ribeiro – oasisbr ● Filipe Bento – EBSCO ● Andrea Boline - CINECA 12/04/2016 47RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  48. 48. Software alternativo 1º Não existe (que cumpra os requisitos) 2º Combinação de tecnologias/sistemas Vufind + ??? 3º Desenvolvimento à medida 12/04/2016 48RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  49. 49. Software alternativo ● PKP Harvester ● DSpace permite a agregação ● REPOX (Europeana) ● Mais em: https://www.openarchives.org/pmh/tools/tools.php 12/04/2016 49RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  50. 50. Novas Funcionalidades ● Deduplicação ● Melhoria e adição da descrição dos registos / pós-processamento ● Dashboard/Log da agregação com histórico ● Correção automática de XML mal formado ● APP ou versão mobile 12/04/2016 50RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  51. 51. Novas Funcionalidades ● Uso de Linked Open Data ● Esquema de metadados mais rico (marc, mods, datacite, CERIF-XML…) ● Manter e melhorar guidelines ● Estatísticas sobre pesquisas e conteúdos (autor, trabalho, RI, revista) ● Relações entre entidades (Intelligo) 12/04/2016 51RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  52. 52. Novas Funcionalidades ● Sugestão de pesquisa / resultados ● Funções de Preservação digital ● Text/Data Mining ● Ferramentas de Plágio ● Áreas temáticas no Portal ● Ligação com disseminação da ciência (notícias) ● Integração de métricas com registos 12/04/2016 52RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  53. 53. Cenários ● Eliminar o Portal RCAAP ● Manter com pequenos desenvolvimentos ● Manter com grandes desenvolvimentos ● Função de Proxy para Portal de Ciência ● Substituição por DSpace-CRIS (com agregação CERIF-XML) 12/04/2016 53RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  54. 54. Conclusões ● Decisão dependente de outros contextos (portal de ciência/pt-cris e DSpace-CRIS) ● Poderá existir uma evolução dos cenários ao longo do tempo (fase-in / fase-out) de aplicações/sistemas ● Deve ser mantido o projeto RCAAP, mas o nome do Portal poderá mudar. 12/04/2016 54RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  55. 55. ? E vocês? O que pensam? 12/04/2016 55RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  56. 56. Agenda Parte I 1.Boas vindas 2.Informações AO / Ciência Aberta 3.Relatório de atividades 4.Política FCT (Novidades) 5.Destaques I – Teses e Dissertações 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 56 Parte II 1.Grupos de trabalhos (3x) 2.Estudos e prospeção I - DOI 3.Destaques II – Novo portal RCAAP 4.Estudos e prospeção II – Dados Científicos 5.Plano de atividades
  57. 57. Estudos e prospeção II Dados Científicos Reunião de trabalho – RCAAP Pedro Príncipe, Universidade do Minho pedroprincipe@sdum.uminho.pt 20016-04-07
  58. 58. Motivação e contexto: Relatório sobre Serviços de Dados Científicos no RCAAP • Apoiar a política nacional para a ciência Aberta. • Apoiar a estratégia nacional para os dados científicos. • Responder a necessidades práticas de cumprimento de requisitos dos financiadores. • Responder a necessidades práticas de compatibilidade com orientações de editores. • Capacitar os repositórios e acompanhar os desenvolvimentos das infraestruturas para a gestão de dados. • Dotar a comunidade RCAAP de recursos para a gestão de dados científicos. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 58
  59. 59. CICLO DE VIDA DA INVESTIGAÇÃO DMPs, dados existentes, documentação, metadados, datasets, depositar, partilhar INFRAESTRUTURA Arquivos de dados, repositórios, acesso, licenças, preservação, cloud, DOI GOVERNAÇÃO Financiadores, Universidades, Instituições de Investigação, Políticas, Protocolos Contextualização: áreas estratégicas de ação na Gestão de Dados Científicos
  60. 60. Estrutura geral: Relatório sobre Serviços de Dados Científicos no RCAAP 1. Infraestrutura. 2. Serviços. 3. Políticas. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 60 Infraestruturas, repositório e normalização Serviços de suporte e competências Políticas e prática por disciplinas
  61. 61. Serviços RCAAP: GESTÃO DE DADOS CIENTÍFICOS ADEQUADA IRÁ: AUMENTAR O IMPACTO DA INVESTIGAÇÃO maximizando a visibilidade dos dados produzidos e promovendo a transparência. MELHORAR A ACESSIBILIDADE asegurando a qualidade e integralidade dos dados durante o projeto de investigação e depois de concluído. PREVENIR O USO INADEQUADO identificando as questões de reserva e confidencialidade que devem ser asseguradas. SALVAGUARDAR OS DADOS PRODUZIDOS estabelecendo as medidas necessárias à gestão do armazenamento e de backups. ASSEGURAR A COMPATIBILIDADE cumprindo os requisitos dos financiadores de ciência e de infraestruturas de informação.
  62. 62. Serviços RCAAP: Kit de Dados Científicos • Dotar a comunidade RCAAP de recursos para a gestão de dados científicos – Conteúdos para a formação – Recursos para a disseminação – Ferramentas para planos de gestão de dados – Instrumentos para os repositórios 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 62
  63. 63. Recursos para a comunidade RCAAP • Elearning RCAAP: planos de gestão de dados, repositórios de dados e questões de licenças e copyrights para dados. • Planos de Gestão de Dados – guidelines FCT/RCAAP no DMPonline (ferramenta do Digital Curation Center UK). • Materiais de disseminação/advocacy para a gestão de dados de investigação (repositórios de dados, planos de gestão de dados, licenças). 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 63
  64. 64. Ligue des Bibliothèques Européennes de Recherche Association of European Research Libraries League of European Research Universities Relatório alinhado com:
  65. 65. Relatório alinhado com: • Projetos europeus relevantes: – OpenAIRE – FOSTER Open Science – EUDAT – LEARN RDM – … 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 65
  66. 66. Obrigado… Relatório sobre Serviços de Dados Científicos no RCAAP - Trabalho em desenvolvimento… 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 66
  67. 67. Agenda Parte I 1.Boas vindas 2.Informações AO / Ciência Aberta 3.Relatório de atividades 4.Política FCT (Novidades) 5.Destaques I – Teses e Dissertações 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 67 Parte II 1.Grupos de trabalhos (3x) 2.Estudos e prospeção I - DOI 3.Destaques II – Novo portal RCAAP 4.Estudos e prospeção II – Dados Científicos 5.Plano de atividades
  68. 68. Plano de Atividades Atividades 2016-04-07 Paulo Lopes plopes@fccn.pt
  69. 69. Análise SWOT 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 69 Forças Forte suporte ao nível político Envolvimento da Comunidade Imagem de credibilidade, planeamento e execução Modelo de serviço/governance Fraquezas Usabilidade dos repositórios (Dspace) Eficácia mandados institucionais / nacionais Oportunidades Novos serviços: Dados, Monografias AA Serviços de valor acrescentado: PTCRIS Alargamento mundo lusófono: CPLP Mandado nacional instituições financiadoras Ameaças Financiamento a médio / longo prazo
  70. 70. Serviços eletrónicos disponibilizados 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 70 Portal RCAAP Repositórios Institucionais (SARI) Repositórios de dados científicos (SARDC) Revistas científicas (SARC) Repositório comum Diretório Luso- Brasileiro Estatísticas (SCEUR)
  71. 71. Grandes linhas orientação 2015 • Convergência com os planos ministeriais para o compromisso Ciência Aberta| Conhecimento para todos (incluindo dados científicos) • Monitorização política AA FCT / Depósito Legal • Serviços eletrónicos – valor acrescentado (Integração com PTCRIS, DOI, …) 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 71
  72. 72. Organização do trabalho #WP Nome Notas Nível WP1 Serviços eletrónicos - Operação e manutenção (inclui interoperabilidade OpenAIRE, b-on (metalib,SFX), DeGóis, DART, DIDL, OASIS) 28 SARIs + 2 SARIs 3 SARDCI 14 SARC 1 Portal 1 Validador 1 Diretório 1 Plataforma de e-Learning 1 Website 1 SCEUR WP2 Helpdesk Serviço de apoio ao utilizador WP3 SARI 2 SARI 1 CALL Upgrade Dspace 6.x Serviço ORCID-IR, Piloto DSpaceCRIS, ShareIR WP4 Dados Científicos Estudo / Relatório sobre Serviço de Dados Científicos Plano Nacional para a gestão de dados científicos Kit Dados Científicos 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 72
  73. 73. Organização do trabalho #WP Nome Notas Nível WP5 SARC Workshop SARC Serviço SHARE IR WP6 Serviços Eletrónicos - Desenvolvimento Relatório do Portal RCAAP Novo portal RCAAP VIVO – Instalação configuração e testes SCEUR – Documentação, Análise e reformulação do addon para DSpace Dspace CRIS – Piloto de implementação de 3 instâncias WP7 Políticas e Diretrizes Guidelines OpenAIRE 3.0 Plus Monitorização da Política FCT Teses e Dissertações – Boas práticas (DL 115/2013) WP8 Comunicação, Disseminação e formação Missões (Nacionais / Internacionais) E-learning (SARC / SARI) Website do projeto RCAAP Dinamização dos grupos de trabalho WP9 Preservação Follow up da Auditoria WP10 Estudos Métricas Alternativas WP11 Cooperação com o Brasil Apoio ConfOA 2016 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 73
  74. 74. Metas Id Descrição Prazo M4 Plano monitorização política AA da FCT e depósito legal 1º Trimestre M5 Estudo Nova geração Portal RCAAP 2º Trimestre M7 Relatório Piloto DspaceCRIS 3º TrimestreM8 Relatório de balanço implementação política OA e depósito legal M12 Serviço nacional de registo de DOIs 4º Trimestre 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 74
  75. 75. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 75 DESTAQUES 2016
  76. 76. Ciência Aberta • Compromisso ciência aberta | conhecimento para todos – Operacionalização de recomendações constantes na Política Nacional de Ciência Aberta 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 76
  77. 77. Dados científicos • Plano Nacional para a Gestão de dados Científicos • Relatório sobre serviços dados científicos – Portfolio de serviços a disponibilizar 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 77 SAVE THE DATE Conferência sobre dados científicos, dia 29 de Setembro
  78. 78. Política de Acesso Aberto FCT 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 78 2015 – Criados os mecanismos de monitorização da política 2016 - Relatório de análise do nível de cumprimento da política Política sobre Acesso Aberto a Publicações Científicas Resultantes de atividades financiadas pela FCT
  79. 79. Políticas e diretrizes • Documento de boas práticas para a gestão de teses e dissertações no contexto do DL 115/2013 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 79 • Mecanismos de monitorização
  80. 80. Integrações com o PTCRIS 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 80 2015 - Testes de integração com API do ORCID Instalação e configuração de uma instância DSpaceCRIS
  81. 81. Instituições Piloto • Universidade do Algarve • Universidade Aberta • Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz Cada instituição terá a sua área de testes 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 81
  82. 82. Estudo – Nova geração Portal RCAAP Novos serviços previstos para a gestão dos outputs científicos em Portugal Relatório de análise à solução atual e contexto futuro. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 82
  83. 83. Registo Nacional de DOIs 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 83 • 2015 – Estudo prospetivo comissionado à BAD • 2016 – Fase piloto da operacionalização do serviço nacional de registo de DOIs
  84. 84. Estudos 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 84 Estudo prévio do estado da arte que incluirá uma componente prática com a subscrição de 1 ou 2 soluções para benchmarking
  85. 85. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 85
  86. 86. Outros • Upgrade DSpace 6.X • VIVO (piloto) • SCEUR • ShareIR: OJS para Dspace (auto) • Novos módulos de e-Learning (SARI + SARC)
  87. 87. 12/04/2016 Jornadas 2016 @ UAlg 87 O lugar do saber! Obrigado!

Notas do Editor

  • Política Nacional de Ciência Aberta
    Desta forma Portugal torna-se um dos países pioneiros no acesso aberto a publicações e dados científicos resultantes de investigações financiadas por fundos públicos.

  • Uma vez que a ciência aberta tem uma forte componente de dados científicos estamos a prever ….

    Com o suporte político


    1 – Estudo prospetivo sobre o portfólio de serviços a disponibilizar pelo RCAAP à comunidade no âmbito dos dados científicos
    2 - Produzido em conjunto com a comunidade; Disponibilização de ferramentas DMPOnline

    Neste contexto dos dados científicos consiste em criar, configurar e documentar um plano de gestão de dados científicos ajustado à política da FCT no serviço DMPonline.
    Finalmente, inclui um relatório sobre os tipos de serviços e os vários cenários possíveis para o projeto RCAAP desenvolver no seio da sua comunidade. 

  • 2015 – Criados os mecanismos de monitorização da política

    A nível da Política de AA da FCT será elaborado um relatório de análise do nível de cumprimento da política por parte dos repositórios institucionais integrados no Portal RCAAP

    Time line com evolução
    2014 Definição da política
    2015 Preparação
    2016 Implementação e monitorização

    Os objetivos da política, que entrou em vigor no dia 5 de maio de 2015, são:

    • Otimizar a aplicação e rentabilização do financiamento público em atividades de investigação;
    • Maximizar o aproveitamento das infraestruturas digitais existentes, em particular o RCAAP (Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal)
    • Aumentar a visibilidade internacional de investigadores e instituições nacionais
  • Texto de Agosto de 2013

    Timeezembro Dmas só entrou em vigor a 1 d line – texto é de Agosto de 2013
  • 2015 - Serviço ORCID – IR – Testes de integração com API do ORCID
    Instalação e configuração de uma instância DSpaceCRIS
    2016 – Piloto; 3 instituições (Algarve, Egas Moniz; Uaberta)

    Ver simbolo dspacecris
  • Face aos novos serviços que estão previstos para a gestão dos outputs científicos em Portugal
  • 2015 - Estudo prospetivo comissionado a Associação Portuguesa de Bibliotecários e Arquivistas, cujos resultados serão apresentados durante a sessão do RCAAP
  • Estudo prévio do estado da arte que incluirá uma componente prática com a subscrição de 1 ou 2 soluções para benchmarking
  • O RCAAP participa no apoio à organização da conferência, quer na vertente da avaliação científica, quer na definição do programa e apoio à divulgação do evento.

×