AULAS DO PROFESSOR MARCIANO DANTAS: RELEVO

37 visualizações

Publicada em

SLIDES COM O OBJETIVO DE MELHORAR O APRENDIZADO DO PÚBLICO EM GERAL

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
37
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AULAS DO PROFESSOR MARCIANO DANTAS: RELEVO

  1. 1. RELEVO PROFESSOR MARCIANO DANTAS
  2. 2. RELEVO – SÃO AS DIVERSAS FORMAS EXISTENTES NA SUPERFÍCIE TERRESTRE. APRESENTAM-SE NA FORMA DE PLANALTOS, PLANÍCIES, MONTANHAS E DEPRESSÕES.
  3. 3. MONTANHAS – SÃO GRANDES ELEVAÇÕES NATURAIS DO RELEVO; ESTÁ RELACIONADO AOS DOBRAMENTOS MODERNOS; RESULTADO DO CHOQUE ENTRE AS PLACAS TECTÔNICAS QUE PROVOCAM GRANDES DOBRAS ENTRE AS ROCHAS; UM CONJUNTO DE MONTANHAS É CHAMADO DE CORDILHEIRA; DESTACAM-SE AS MONTANHAS ROCHOSAS, OS ANDES, O HIMALAIA, OS ALPES E O ATLAS.
  4. 4. MONTANHAS ROCHOSASMACHU PICCHUCORDILHEIRA DOS ANDESCORDILHEIRA DO HIMALAIAALPESCADEIA DO ATLAS
  5. 5. PLANALTOS – SÃO FORMAS DE RELEVO COM ALTITUDES VARIÁVEIS E BASTANTE ANTIGOS; POSSUI TERRENOS COM TOPOGRAFIA PLANA OU INCLINADA; PREDOMINA O PROCESSO DE EROSÃO; DESTACAM-SE OS PLANALTOS: ALPES ESCANDINAVOS, SIBERIANO, MONTES URAIS, PIRINEUS, MACIÇO CENTRAL DA FRANÇA, BRASILEIRO, DA BORBOREMA, DAS GUIANAS, PATAGÔNIA, DO LABRADOR E MONTES APALACHES.
  6. 6. ALPES ESCANDINAVOS PLANALTO CENTRAL RUSSO MONTES URAISPIRINEUSMACIÇO CENTRAL FRANCÊSPLANALTO BRASILEIROPLANALTO DA BORBOREMAPLANALTO DAS GUIANAS (MONTE RORAIMA) PLANALTO DA PATAGÔNIA PLANALTO DO LABRADORMONTES APALACHES
  7. 7. PLANÍCIES – SÃO ÁREAS PLANAS, RECENTES, ONDE O PROCESSO DE SEDIMENTAÇÃO SUPERA O DE EROSÃO; PREDOMINAM AS BAIXAS ALTITUDES; PODEM SER COSTEIRAS OU CONTINENTAIS; DESTACAM-SE AS PLANÍCIES: HÚNGARA, RUSSA, CENTRAL DA AMÉRICA DO NORTE, AMAZÔNICA, PANTANAL MATOGROSSENSE, DO RIO CONGO, MESOPOTÂMICA, DO RIO GANGES, DENTRE OUTRAS.
  8. 8. PLANÍCIE HÚNGARAPLANÍCIE SIBERIANA OU RUSSAPLANÍCIE CENTRAL (EUA) PLANÍCIE AMAZÔNICA PANTANAL MATOGROSSENSEPLANÍCIE DO CONGORIO TIGRESRIO GANGES
  9. 9. DEPRESSÕES – SÃO ÁREAS REBAIXADAS EM RELAÇÃO ÀS ÁREAS AO SEU REDOR; ORIGINAM- SE DO DESGASTE DOS PLANALTOS, PROVOCADOS PRINCIPALMENTE PELA AÇÃO DOS AGENTES EXTERNOS MODELADORES DO RELEVO; PODEM SER ABSOLUTAS (ABAIXO DO NÍVEL DO MAR) OU RELATIVAS (ACIMA DO NÍVEL DO MAR, MAS ABAIXO DAS ÁREAS AO SEU REDOR).
  10. 10. MAR MORTOLAGOA DAS SETE CIDADES - AÇORESDEPRESSÃO SERTANEJACABACEIRAS - PB
  11. 11. INSELBERGUES – TAMBÉM CHAMADOS DE “MORROS TESTEMUNHOS” SÃO RELEVOS RESIDUAIS QUE RESISTIRAM AO PROCESSO DE DESGASTE PROVOCADO PELA AÇÃO DO TEMPO, DA CHUVA, DA TEMPERATURA, ETC.
  12. 12. NAMPULA - MOÇAMBIQUEPEDRA DA BOCAMONTE DO GALO SERRA CAIADA PÃO DE AÇÚCAR
  13. 13. CHAPADA – ELEVAÇÃO DE TOPO PLANO, GERALMENTE DE GRANDE EXTENSÃO, QUE APRESENTA, NAS BORDAS, DECLIVES BEM ACENTUADOS, ÀS VEZES FORMANDO GRANDES PAREDÕES.
  14. 14. CHAPADA DIAMANTINA CHAPADA DOS GUIMARÃES (MT)CHAPADA DO ARARIPE (CE)CHAPADA DO APODI (CE/RN)
  15. 15. MORRO – TAMBÉM CHAMADO DE COLINA OU CERRO, É UM ACIDENTE GEOGRÁFICO CARACTERIZADO POR PEQUENA ELEVAÇÃO DE TERRENO COM DECLINE SUAVE.
  16. 16. CERRO DE INHACURUTUM - RSMORRO DO CARECA - NATAL MARES DE MORRO
  17. 17. COXILHA – COLINA DE DECLIVE SUAVE, LOCALIZADA EM REGIÕES DE CAMPOS COM GRANDE OU PEQUENA ELEVAÇÃO E COBERTA POR PASTAGEM.
  18. 18. SERRAS – É UM TIPO DE PLANALTO ACIDENTADO COM FORTE DESNÍVEIS E MUITOS PICOS E ESCARPAS ASSIMÉTRICAS.
  19. 19. SERRA DA MANTIQUEIRA - MG SERRA DO MAR - PR
  20. 20. CUESTA – FORMA DE RELEVO EM QUE COLINAS E MONTES TÊM UM DECLIVE SUAVE DE UM LADO E ÍNGREME DO OUTRO.
  21. 21. CUESTA DE BOTUCATU - SP
  22. 22. FALÉSIA – TAMBÉM CHAMADA DE ARRIBA OU COSTA ALTA, É UM ACIDENTE GEOGRÁFICO CONSTITUÍDO POR UMA ENCOSTA ÍNGREME OU VERTICAL E QUE SOFRE A AÇÃO EROSIVA DAS ÁGUAS DO MAR (ABRASÃO MARINHA).
  23. 23. BARREIRA DO INFERNO
  24. 24. RELEVO BRASILEIRO – POSSUI UMA FORMAÇÃO MUITO ANTIGA E DESGASTADA; RESULTA PRINCIPALMENTE DAS ATIVIDADES INTERNAS; DE ACORDO COM A DIVISÃO DE JURANDYR ROSS, O RELEVO BRASILEIRO É DIVIDIDO EM 11 PLANALTOS, 11 DEPRESSÕES E 6 PLANÍCIES.

×