O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Body arte, instalação e performance.

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 58 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Mais recentes (20)

Anúncio

Body arte, instalação e performance.

  1. 1. 2 INSTALAÇÃO BODY ART PERFORMANC E HAPPENING ARTE CONCEITUAL ARTE URBANA
  2. 2. INSTALAÇÃO • Uma instalação (krafts) é uma manifestação artística contemporânea composta por elementos organizados em um ambiente. Ela pode ter um caráter efêmero (só "existir" na hora da exposição) ou pode ser desmontada e recriada em outro local. Diferentemente do que ocorre tradicionalmente com as esculturas ou pinturas, a mão do artista não está presente na obra como um item notável; • Uma instalação pode ser multimídia e provocar sensações: táteis, térmicas, odoríficas, auditivas, visuais entre outras. 3
  3. 3. " Tezi Gabunia, americano de 29 anos, pretende tornar a arte acessível para todos, mas de uma forma inusitada" 4 INSTALAÇÃO
  4. 4. Rachel Whiteread, Embankment no Tate Modern, Londres. Ghost, Rachel Whiteread, 1990, National Gallery of Art, Londres. INSTALAÇÃO 5
  5. 5. INSTALAÇÃO 6
  6. 6. ARTE CONTEMPORÂNEA 7
  7. 7. Hélio Oiticica (Rio de Janeiro, 26 de julho de 1937 — Rio de Janeiro, 22 de março de 1980) foi um pintor, escultor, artista plástico e performático de aspirações anarquistas. É considerado um dos maiores artistas da história da arte brasileira. Hélio Oiticica criou o Parangolé, que ele chamava de "antiarte por excelência", uma pintura viva e ambulante. O Parangolé é uma espécie de capa (ou bandeira, estandarte ou tenda) que só com o movimento de quem o veste revela plenamente suas cores, formas, texturas e mensagens como “Incorporo a Revolta” e “Estou Possuído” 8
  8. 8. Parangolé, 1960 Oiticica 9
  9. 9. Vista de instalação, “Hélio Oiticica: para organizar delirium” no Carnegie Museum of Art, foto: Bryan Conley ARTE CONTEMPORÂNEA 10
  10. 10. Tropicália Hélio Oiticica, 4 de março de 1968 ARTE CONTEMPORÂNEA 11
  11. 11. Cildo Meireles ou " Desvio para o Vermelho " ARTE CONTEMPORÂNEA 12
  12. 12. BODY ART • É uma manifestação das artes visuais onde o corpo do artista é utilizado como suporte ou meio de expressão. • Suas origens encontram referências no início do séc.XX na premissa de Marcel Duchamp em que "tudo pode ser usado como uma obra de arte", inclusive o corpo. 13
  13. 13. BODY ART 14
  14. 14. BODY ART 15
  15. 15. No México, o Dia dos Mortos é uma celebração de origem indígena, que honra os falecidos no dia 2 de novembro. Começa no dia 31 de outubro e coincide com as tradições católicas do Dia dos Fiéis Defuntos e o Dia de Todos os Santos. BODY ART 16
  16. 16. BODY ART 17
  17. 17. 18 BODY ART
  18. 18. BODY ART 19
  19. 19. BODY ART 20
  20. 20. PERFORMANCE • Na década de 1960 a performance artística surge como uma modalidade de manifestação artística interdisciplinar que - assim como o happening - pode combinar teatro, música, poesia ou vídeo, com ou sem público. • É característica da segunda metade do século XX, mas suas origens estão ligadas aos movimentos de vanguarda, o (dadaísmo, futurismo, Bauhaus, etc.) no início do século XX. 21
  21. 21. 22
  22. 22. PERFORMANCE •A performance é uma modalidade artística híbrida, isto é, que pode mesclar diversas linguagens como teatro, música e artes visuais. •Está relacionada também ao happening e, muitas vezes, os termos são descritos como sendo a mesma coisa. •Alguns estudiosos dizem que há uma pequena diferença entre os dois tipos de manifestação artística. 23
  23. 23. •Linguagem híbrida: mistura elementos do teatro, artes visuais, instalação, música, entre outros; •Não tem lugar "apropriado" para acontecer: pode ocorrer tanto em museus, galerias e instituições, quanto em ambiente urbano e/ou público; •Registros da ação podem ocorrer por meio de fotografias e vídeos, mas o caráter da obra é efêmero, passageiro; •Corpo como instrumento de ação artística. CARACTERÍSTICAS DA ARTE PERFORMÁTICA 24
  24. 24. Takehisa Kosugi , Ben Vautier , George Brecht. Performance simultânea de Anima 1, Attache de Ben e Solo para Violino, realizada durante Fully Guaranteed 12 Fluxus Concerts, Nova York, 23 de maio de 1964. PERFORMANCE 25
  25. 25. Nam June Paik with Charlotte Moorman and K- 456 robot “Nam June Paik, TV Cello, 1971” PERFORMANCE 26
  26. 26. Peri Pane é cantor, artista e veste lixo; Marcos Dávila é jornalista e banca Peri Pane 27
  27. 27. (Belgrado, Sérvia, 30 de novembro de 1946) é uma artista performática que iniciou sua carreira no início dos anos 70 e manteve-se em atividade desde então. Considera-se a “avó da arte da performance". Seu trabalho explora as relações entre o artista e a plateia, os limites do corpo e as possibilidades da mente. Marina Abramović 28
  28. 28. Formada e pós-graduada em Belas Artes, suas performances começaram nos anos 70. Brincadeiras com facas;(Rhythm 10), deitar no meio de uma estrela de fogo (Rhythm 5), ficar sob efeito de drogas controladas (Rhythm 2), se colocar à disposição dos espectadores (Rhythm 0) – era assim que ela mostrava a relação humana consigo e com os outros. Marina Abramović 29
  29. 29. Marina Abramović 30
  30. 30. PERFORMANCE 31
  31. 31. PERFORMANCE 33
  32. 32. No Brasil, já na década de 30 a arte da performance dava sinais. Isso por conta de Flávio de Carvalho (1899-1973), precursor do movimento e integrante do modernismo brasileiro. Mais tarde, com o Grupo Rex (1966-1967), os artistas Wesley Duke Lee (1931- 2010), Geraldo de Barros (1923-1998) e Nelson Leirner (1932) realizam diversas ações artísticas, dentre elas, performances. Há ainda outros nomes no Brasil, como Carlos Fajardo (1941), José Resende (1945), Frederico Nasser (1945), além de Hélio Oiticica (1937-1980). PERFORMANCE ARTÍSTICA NO BRASIL 34
  33. 33. New Look (1956), performance de Flávio de Carvalho causou espanto, pois o artista usava roupa "feminina" publicamente https://static.todamateria.com.br/upload/pe/rf/performancenobrasil.jpg 35
  34. 34. PERFORMANCE 36
  35. 35. CEGOS é uma intervenção urbana cuja proposta visual é criticar a condição massacrante característica do trabalho corporativo iconizado nos trajes sociais que homens e mulheres das grandes metrópoles utilizam como armadura cotidiana. PERFORMANCE 37
  36. 36. https://s.yimg.com/ny/api/res/1.2/tVZEscXLX4kU4RWgy7F14g--~A/YXBwaWQ9aGlnaGxhbmRlcjtzbT0xO3c9NjMwO2g9NTA3O2lsPXBsYW5l/http://media.zenfs.com/pt-BR/blogs/notas- tv/deborah-evelyn-15032013.jpg 38
  37. 37. 39
  38. 38. HAPPENING ➢É uma expressão das artes visuais que utiliza também a participação dos espectadores. O termo “happening” é proveniente do inglês, e significa “acontecimento”. • O palco pode ser a rua, um prédio abandonado, uma loja ou qualquer lugar que permita tal apresentação artística. • A base do happening é a ação, nunca passível de reprodução, o modelo é a rotina, temas do dia a dia, materiais de encenação, ações e associações de mensagens. Abrange diferentes modalidades artísticas como a pintura, a dança, o teatro e a música. 40
  39. 39. 41
  40. 40. artista tadeuz kantor 42
  41. 41. “Happenings não devem ser ensaiados e devem ser performados por não-profissionais, apenas uma vez;O desdobramento é que não deve haver (e de fato quase sempre não pode haver, pelas cirscunstâncias próprias) uma plateia ou plateias para assistir a um Happening.” Allan Kaprow 43
  42. 42. ARTE CONCEITUAL • É considerado um movimento artístico moderno e contemporâneo, a ideia é vista como a máquina da arte. Na arte conceitual há o uso de fotografias, mapas, textos, instruções descritivas da obra, que muitas inexiste materialmente. • A partir de 1960, essa forma de encarar a arte espalha-se pelo mundo inteiro, abarcando várias manifestações artísticas. Entretanto, desde Duchamp podem ser percebidos os primeiros indícios da sobrevalorização do conceito. 44
  43. 43. Marcel Duchamp e suas antiobras de arte ARTE CONCEITUAL 45
  44. 44. ARTE URBANA • É o termo utilizado para designar os movimentos artísticos relacionados com as intervenções visuais das grandes metrópole. • A arte urbana serve para que os seus autores exprimam o seu ponto de vista sobre as coisas, exprimem recados ou as coisas que estão a sentir, como se fossem poemas, mas na forma de desenho. 46
  45. 45. 47
  46. 46. 48
  47. 47. BANKSY 49
  48. 48. 50
  49. 49. Lygia Clark 51
  50. 50. 52
  51. 51. 53 Vicente José de Oliveira Muniz
  52. 52. 54 Vicente José de Oliveira Muniz
  53. 53. Vicente José de Oliveira Muniz 55
  54. 54. 56
  55. 55. 57
  56. 56. 01- A obra “Marat (Sebastião)” foi produzida pelo artista plástico Vik Muniz, em parceria com os catadores de lixo do aterro sanitário Jardim Gramacho. O trabalho desenvolvido com os catadores, pelo artista Vik Muniz, resultou no documentário: A) Almas perdidas. B) Reciclando vidas. C) Lixo extraordinário. D) Do lixo para a fama. E) Da lama ao caos. EXERCÍCIOS 58

×