SlideShare uma empresa Scribd logo

Poema Escola de Nuno Júdice

Apresentação 9ºano sobre o poema Escola de Nuno Júdice

Poema Escola de Nuno Júdice

1 de 8
Baixar para ler offline
Apresentação de
Português
Poema Escola de Nuno Júdice
Trabalho feito por Inês
Castanheira nº1661 do 9ºD
Nuno Júdice
• Data de Nascimento: 29 de Abril de 1949
• Local de Nascimento: Mexilhoeira Grande,
Algarve
• É um poeta, ficcionista e professor
universitário português
• Licenciou-se em Filologia Românica
pela Faculdade de Letras da Universidade
de Lisboa e obteve o grau
de Doutor pela Faculdade de Ciências
Sociais e Humanas da Universidade Nova
de Lisboa
Escola O que significa o rio,
a pedra, os lábios da terra
que murmuram, de manhã,
o acordar da respiração?
O que significa a medida
das margens, a cor que
desaparece das folhas no
lodo de um charco?
O dourado dos ramos na
estação seca, as gotas
de água na ponta dos
cabelos, os muros de hera?
A linha envolve os objetos
com a nitidez abstrata
dos dedos; traça o sentido
que a memória não guardou;
e um fio de versos e verbos
canta, no fundo do pátio,
no coro de arbustos que
o vento confunde com crianças.
A chave das coisas está
no equívoco da idade, na
sombria abóbada dos meses,
no rosto cego das nuvens.
Análise formal
• Versos: 24
• Estrofes: 6 quadras
• Rima: versos brancos ou soltos
• Sílabas métricas: “O que significa o rio”- o/que/si/gni/fi/ca o/ri/o : heptassílabo ;
“a pedra, os lábios da terra”- a/pe/dra, os/lá/bi/os/da/te/rra : octossílabo ;
“que murmuram, de manhã,”- que/mur/mu/ram,/de/ma/nhã : heptassílabo ;
“o acordar da respiração?”- o a/cor/dar/da/res/pi/ra/ção?” : octossílabo.
• Recursos expressivos predominantes: adjetivação, antítese, personificação e a metáfora.
Análise Temática
• O tema e assunto do poema: a nostalgia da infância e recorda-a como uma passagem positiva
na sua vida.
• 1ª estrofe: o sujeito poético reflete acerca do significado/simbolismo dos vários elementos da
natureza pelos quais passava de manhã a caminho da escola.
• 2ª estrofe: o sujeito poético reflete sobre pormenores/características dos elementos da natureza
e acerca da passagem do tempo (“a cor que desaparece das folhas”).
• 3ª estrofe: Reflete novamente sobre momentos/vivência da sua infância (“as gotas de água na
ponta dos cabelos”).
Análise Temática
• 4ª estrofe: O “eu” poético, ao encontrar-se com os elementos presentes na sua infância, apercebe-
se agora do seu significado e importância destes para ele, que “a memória não guardou”, ou seja, de
que não se apercebeu quando era criança.
• 5ª estrofe: Através do contacto com os elementos da natureza que encontra, o sujeito poético
recorda-se de momentos da sua infância passados na escola (compara o vento nos arbustos com os
“versos e verbos” ditos pelas crianças).
• 6ª estrofe: O sujeito poético conclui que o significado/simbolismo das coisas e a importância destas
para ele vai mudando ao longo do tempo, ou seja, consoante a sua idade.

Recomendados

O sentimento dum ocidental
O sentimento dum ocidentalO sentimento dum ocidental
O sentimento dum ocidental1103sancho
 
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaSamuel Neves
 
Alberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicasAlberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicasAnabela Fernandes
 
Eugénio de Andrade e Augusto de Campos
Eugénio de Andrade e Augusto de CamposEugénio de Andrade e Augusto de Campos
Eugénio de Andrade e Augusto de CamposRosário Cunha
 
O heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto CaeiroO heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto Caeiroguest155834
 
Análise de poemas de Fernando Pessoa
Análise de poemas de Fernando PessoaAnálise de poemas de Fernando Pessoa
Análise de poemas de Fernando PessoaMargarida Rodrigues
 
Livro de Testes_sentidos.pdf
Livro de Testes_sentidos.pdfLivro de Testes_sentidos.pdf
Livro de Testes_sentidos.pdfRui Cravo
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimocaracterísticas temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimoDina Baptista
 
Aquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugadaAquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugadaHelena Coutinho
 
A representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de CamõesA representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de CamõesCristina Martins
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoAlexandra Canané
 
O amor em Memorial do Convento
O amor em Memorial do ConventoO amor em Memorial do Convento
O amor em Memorial do ConventoAntónio Teixeira
 
Deíticos - correção
Deíticos - correçãoDeíticos - correção
Deíticos - correçãoBiblioAlba
 
Poema Liberdade, de Fernando Pessoa
Poema Liberdade, de Fernando PessoaPoema Liberdade, de Fernando Pessoa
Poema Liberdade, de Fernando PessoaDina Baptista
 
Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas Lurdes Augusto
 
Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicosSílvia Faim
 
Antero de Quental
Antero de QuentalAntero de Quental
Antero de Quental010693
 
Miguel Torga - Poemas
Miguel Torga - PoemasMiguel Torga - Poemas
Miguel Torga - PoemasAna Tapadas
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoDina Baptista
 
Fernando Pessoa Heterónimos
Fernando Pessoa   HeterónimosFernando Pessoa   Heterónimos
Fernando Pessoa HeterónimosESVieira do Minho
 

Mais procurados (20)

características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimocaracterísticas temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Ricardo Reis
Ricardo ReisRicardo Reis
Ricardo Reis
 
Aquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugadaAquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugada
 
Cantigas trovadorescas
Cantigas trovadorescasCantigas trovadorescas
Cantigas trovadorescas
 
resumos
resumosresumos
resumos
 
Deíticos
DeíticosDeíticos
Deíticos
 
Autopsicografia e Isto
Autopsicografia e IstoAutopsicografia e Isto
Autopsicografia e Isto
 
A representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de CamõesA representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de Camões
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
 
áLvaro de campos
áLvaro de camposáLvaro de campos
áLvaro de campos
 
O amor em Memorial do Convento
O amor em Memorial do ConventoO amor em Memorial do Convento
O amor em Memorial do Convento
 
Deíticos - correção
Deíticos - correçãoDeíticos - correção
Deíticos - correção
 
Poema Liberdade, de Fernando Pessoa
Poema Liberdade, de Fernando PessoaPoema Liberdade, de Fernando Pessoa
Poema Liberdade, de Fernando Pessoa
 
Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas
 
Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicos
 
Antero de Quental
Antero de QuentalAntero de Quental
Antero de Quental
 
Miguel Torga - Poemas
Miguel Torga - PoemasMiguel Torga - Poemas
Miguel Torga - Poemas
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-Sistematização
 
Fernando Pessoa Heterónimos
Fernando Pessoa   HeterónimosFernando Pessoa   Heterónimos
Fernando Pessoa Heterónimos
 

Semelhante a Poema Escola de Nuno Júdice

Aula 27 produções contemporâneas em portugal e no brasil
Aula 27   produções contemporâneas em portugal e no brasilAula 27   produções contemporâneas em portugal e no brasil
Aula 27 produções contemporâneas em portugal e no brasilJonatas Carlos
 
Newsletter março (2)
Newsletter março (2)Newsletter março (2)
Newsletter março (2)mfsdias
 
Apresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da História
Apresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da HistóriaApresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da História
Apresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da HistóriaAna Souza
 
Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)
Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)
Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)Lilian Armani
 
Funções da linguagem para o vestibular
Funções da linguagem para o vestibularFunções da linguagem para o vestibular
Funções da linguagem para o vestibularSilene Faro
 
Sala de tecnologia i consulesa
Sala de tecnologia i consulesaSala de tecnologia i consulesa
Sala de tecnologia i consulesateacheranaclaudia
 
Trabalho sobre uma escritora infantil
Trabalho sobre uma escritora infantilTrabalho sobre uma escritora infantil
Trabalho sobre uma escritora infantilcortesines
 
Trabalho sobre uma escritora infantil
Trabalho sobre uma escritora infantilTrabalho sobre uma escritora infantil
Trabalho sobre uma escritora infantilcortesines
 
Mathesis10 287
Mathesis10 287Mathesis10 287
Mathesis10 287Elisa Dias
 
Trabalho sobre uma escritora infantil
Trabalho sobre uma escritora infantilTrabalho sobre uma escritora infantil
Trabalho sobre uma escritora infantilcortesines
 
Tipos De Poesias
Tipos De PoesiasTipos De Poesias
Tipos De Poesiasklauddia
 
1.ª voz - 3.ª publicação
1.ª voz  - 3.ª publicação1.ª voz  - 3.ª publicação
1.ª voz - 3.ª publicaçãomariajoao2013
 

Semelhante a Poema Escola de Nuno Júdice (20)

poemas.pdf
poemas.pdfpoemas.pdf
poemas.pdf
 
Eugénio de Andrade
Eugénio de AndradeEugénio de Andrade
Eugénio de Andrade
 
Aula 27 produções contemporâneas em portugal e no brasil
Aula 27   produções contemporâneas em portugal e no brasilAula 27   produções contemporâneas em portugal e no brasil
Aula 27 produções contemporâneas em portugal e no brasil
 
Newsletter março (2)
Newsletter março (2)Newsletter março (2)
Newsletter março (2)
 
Apresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da História
Apresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da HistóriaApresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da História
Apresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da História
 
Boletim informativo Contacto julho de 2021
Boletim informativo Contacto   julho de 2021Boletim informativo Contacto   julho de 2021
Boletim informativo Contacto julho de 2021
 
E trabalhar poesia em sala de aula
E trabalhar poesia em sala de aulaE trabalhar poesia em sala de aula
E trabalhar poesia em sala de aula
 
Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)
Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)
Cadernodeorientacoes poemas-130501180429-phpapp01-131023131337-phpapp02 (2)
 
Português Enem
Português EnemPortuguês Enem
Português Enem
 
Slides olimpíadas de língua portuguea
Slides  olimpíadas de língua portugueaSlides  olimpíadas de língua portuguea
Slides olimpíadas de língua portuguea
 
Funções da linguagem para o vestibular
Funções da linguagem para o vestibularFunções da linguagem para o vestibular
Funções da linguagem para o vestibular
 
Sala de tecnologia i consulesa
Sala de tecnologia i consulesaSala de tecnologia i consulesa
Sala de tecnologia i consulesa
 
Brincadeiras
BrincadeirasBrincadeiras
Brincadeiras
 
Trabalho sobre uma escritora infantil
Trabalho sobre uma escritora infantilTrabalho sobre uma escritora infantil
Trabalho sobre uma escritora infantil
 
Trabalho sobre uma escritora infantil
Trabalho sobre uma escritora infantilTrabalho sobre uma escritora infantil
Trabalho sobre uma escritora infantil
 
Mathesis10 287
Mathesis10 287Mathesis10 287
Mathesis10 287
 
Trabalho sobre uma escritora infantil
Trabalho sobre uma escritora infantilTrabalho sobre uma escritora infantil
Trabalho sobre uma escritora infantil
 
Tipos De Poesias
Tipos De PoesiasTipos De Poesias
Tipos De Poesias
 
Contacto - abril de 2023.pdf
Contacto - abril de 2023.pdfContacto - abril de 2023.pdf
Contacto - abril de 2023.pdf
 
1.ª voz - 3.ª publicação
1.ª voz  - 3.ª publicação1.ª voz  - 3.ª publicação
1.ª voz - 3.ª publicação
 

Poema Escola de Nuno Júdice

  • 1. Apresentação de Português Poema Escola de Nuno Júdice Trabalho feito por Inês Castanheira nº1661 do 9ºD
  • 2. Nuno Júdice • Data de Nascimento: 29 de Abril de 1949 • Local de Nascimento: Mexilhoeira Grande, Algarve • É um poeta, ficcionista e professor universitário português • Licenciou-se em Filologia Românica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e obteve o grau de Doutor pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa
  • 3. Escola O que significa o rio, a pedra, os lábios da terra que murmuram, de manhã, o acordar da respiração? O que significa a medida das margens, a cor que desaparece das folhas no lodo de um charco? O dourado dos ramos na estação seca, as gotas de água na ponta dos cabelos, os muros de hera? A linha envolve os objetos com a nitidez abstrata dos dedos; traça o sentido que a memória não guardou; e um fio de versos e verbos canta, no fundo do pátio, no coro de arbustos que o vento confunde com crianças. A chave das coisas está no equívoco da idade, na sombria abóbada dos meses, no rosto cego das nuvens.
  • 4. Análise formal • Versos: 24 • Estrofes: 6 quadras • Rima: versos brancos ou soltos • Sílabas métricas: “O que significa o rio”- o/que/si/gni/fi/ca o/ri/o : heptassílabo ; “a pedra, os lábios da terra”- a/pe/dra, os/lá/bi/os/da/te/rra : octossílabo ; “que murmuram, de manhã,”- que/mur/mu/ram,/de/ma/nhã : heptassílabo ; “o acordar da respiração?”- o a/cor/dar/da/res/pi/ra/ção?” : octossílabo. • Recursos expressivos predominantes: adjetivação, antítese, personificação e a metáfora.
  • 5. Análise Temática • O tema e assunto do poema: a nostalgia da infância e recorda-a como uma passagem positiva na sua vida. • 1ª estrofe: o sujeito poético reflete acerca do significado/simbolismo dos vários elementos da natureza pelos quais passava de manhã a caminho da escola. • 2ª estrofe: o sujeito poético reflete sobre pormenores/características dos elementos da natureza e acerca da passagem do tempo (“a cor que desaparece das folhas”). • 3ª estrofe: Reflete novamente sobre momentos/vivência da sua infância (“as gotas de água na ponta dos cabelos”).
  • 6. Análise Temática • 4ª estrofe: O “eu” poético, ao encontrar-se com os elementos presentes na sua infância, apercebe- se agora do seu significado e importância destes para ele, que “a memória não guardou”, ou seja, de que não se apercebeu quando era criança. • 5ª estrofe: Através do contacto com os elementos da natureza que encontra, o sujeito poético recorda-se de momentos da sua infância passados na escola (compara o vento nos arbustos com os “versos e verbos” ditos pelas crianças). • 6ª estrofe: O sujeito poético conclui que o significado/simbolismo das coisas e a importância destas para ele vai mudando ao longo do tempo, ou seja, consoante a sua idade.
  • 7. Análise intertextual • Quadro “By the pond” de Theodore Wendel • A pintura retrata a natureza vivenciada pelo sujeito poético na sua infância e que recorda no momento presente (rio, pedra, terra, charco, folhas, ramos, arbustos); • O edifício amarelo presente na pintura remete ao título do poema (“Escola”), estando imerso no ambiente natural que descreve.
  • 8. Conclusão • O sujeito poético revela-se melancólico, nostálgico, triste e saudoso ao longo do poema, refletindo acerca do significado/importância de momentos da sua infância e tempos escolares que já passaram e não voltam. • O poema relembra-nos que devemos valorizar e aproveitar todos os momentos enquanto jovens pois, à medida que o tempo passa, vem o peso da reflexão e da consciência que a idade nos traz.