Sala de tecnologia i consulesa

369 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
369
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sala de tecnologia i consulesa

  1. 1. Prefeitura Municipal De Campo Grande Secretaria Municipal De EducaçãoSuperintendência De Gestão De Políticas Educacionais Divisão De Tecnologia EducacionalEscola Municipal Consulesa Margarida Maksoud Trad PCTES: Ana Claudia Rocha Amaral Figueiredo Marcelo Saraiva Ferreira Assistente de Biblioteca: Fábio Duraes Gonzales e Angelita Gomes Turnos: Matutino e Vespertino Portfólio 2º Semestre/2012
  2. 2. A Escola Municipal Consulesa Margarida Maksoud Trad está localizadana periferia da cidade de Campo Grande-MS, atendeaproximadamente 2.000 alunos. Este portfólio contém projetos eatividades realizadas no 2º Semestre de 2012, nos períodos matutino evespertino, por alunos do 6º ao 9º Ano, atendidos pela sala detecnologia I. Constam neste portfólio 2 (projetos) que aconteceramneste 2º semestre. O primeiro projeto a ser apresentado será o daSemana da Arte, que teve como objetivo promover o Dia Nacional daArte, 12 de agosto, sendo assim uma série de atividades foramdesenvolvidas e apresentadas durante a semana de 20 a 24 deagosto, valorizando a Semana da Arte no calendário da escola. E osegundo é o FLORESCER POÉTICO, que desenvolveu atividadesdiversificadas em sala de aula e na sala de informática, nas áreas deLíngua Portuguesa, Língua Inglesa, Arte, História, Geografia eCiências, para assim estimular e aproximar os estudantes aliterariedade contida em poemas, músicas e danças. E consta tambémalgumas atividades que foram significativas para os alunos,principalmente as que envolveram pesquisa e produção de trabalhosutilizando o aplicativo PowerPoint.
  3. 3. OBJETIVO:Promover o Dia Nacional da Arte, 12 de agosto, com uma série de atividades a serem desenvolvidas e apresentadas durante a semana de 20 a24 de agosto, valorizando a Semana da Arte no calendário da escola.OBJETIVOS ESPECIFICOS:Valorizar a Semana da Arte da Escola Consulesa Margarida Maksoud Trad;Valorizar e comemorar o Dia Nacional da Arte, o Dia do Estudante e o Aniversario da Escola;Desenvolver e valorizar as formas de expressão e o conhecimento das diversas linguagens artísticas;Desenvolver diversas atividades artísticas, tendo como tema central, neste ano, a cidade de Campo Grande;Criar peças teatrais a partir dos conteúdos curriculares;Apresentar as peças a toda comunidade escolar;Criar e realizar apresentações de Musica e Dança;Elaborar exposição de pintura e desenhos, com os alunos do 9ºs anos, criando uma retrospectiva dos períodos da História da Arte estudadosdesde o 6º ano do ensino fundamental;Criar objetos artísticos utilizando materiais recicláveis;Estimular a imaginação e a criatividade;Realizar apresentações musicais, valorizando o artista local, no Dia Nacional da Arte;Possibilitar o trabalho em equipe e a aprendizagem colaborativa.METODOLOGIA Neste projeto contaremos com a participação das turmas dos 5ºs e 9ºs anos na culminância do projeto, envolvendo as turmas do períodomatutino, vespertino e EJA noturno.Os alunos do 3º, 4º e 6º ao 8º anos, participarão do projeto através do aprendizado das linguagens artísticas desenvolvidas em sala de aula.Inicialmente serão feitas aulas expositivas do projeto, esclarecendo as etapas e objetivos de seu desenvolvimento. Serão utilizados diversosrecursos audiovisuais no desenvolvimento e realização das atividades, como motivação, para a execução do projeto, em cada uma das suasetapas. Os professores de Arte dos períodos matutino, vespertino e noturno orientarão todo o processo de desenvolvimento.A pesquisa será base de desenvolvimento de todo o projeto, tanto da história da arte quanto da pesquisa de materiais e suas possibilidadesestéticas e de expressão artísticas.Todo o projeto deverá ser registrado em fotos e vídeos.O projeto terá sua culminância com a exposição das obras e atividades produzidas, assim como, as apresentações que forem preparadas para aSemana da Arte.
  4. 4. OBJETIVO GERAL O presente projeto tem por objetivo desenvolver atividades diversificadas em sala de aula e na sala de informática, nas áreas de Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Arte, História, Geografia e Ciências que estimule e aproxime os estudantes a literariedade contida em poemas, músicas e danças. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Conhecer a biografia do artista escolhido. Identificar as características das obras escolhidas. Reconhecer e distinguir os gêneros literários. Analisar os temas abordados pelos textos estudados. Relacionar os temas abordados pelos textos com fatos que ocorrem ou ocorreram na cidade, estado, país ou mundo. Interpretar poemas e músicas. Declamar poemas. Dramatizar poemas e músicas.METODOLOGIAO Projeto será desenvolvimento nas turmas do 6º ao 9º ano pela mediação dos professores. Cada professor seráresponsável por trabalhar com suas turmas os objetivos propostos pelo projeto por meio de atividades e ensaiar osestudantes para a culminância.Os professores juntamente com os estudantes escolherão os poetas, os músicos e os textos de representatividaderegional, para a apresentação. E auxiliarão os estudantes a realizarem as pesquisas sobre a biografia dos poetas eobras produzidas, assim como a mediação entre as obras e o conteúdo estabelecido pelo referencial curricular.A disciplina de Língua Portuguesa utilizará os poemas eos textos dos poetas sul-matogrossenses: Delasnieve Daspet,Raquel Naveira, Manoel de Barros, Emmanuel Marinho, Américo Calheiros, entre outros; e dos músicos Almir Sater eMarcelo Loureiro.
  5. 5. Escola M.Consulesa Margarida Margarida M.Trad.Campo Grande,10 de setembro de2012. Aluna;Cleunice Delgado Aluna;Thalita Trindade série;8e
  6. 6. A vida e a obra de Manuel Barros• Manoel Wenceslau Leite de Barros nasceu em Cuiabá (MT) no Beco da Marinha, beira do Rio Cuiabá, em 19 de dezembro de 1916, filho de João Venceslau Barros, capataz com influência naquela região. Mudou-se para Corumbá (MS), onde se fixou de tal forma que chegou a ser considerado corumbaense. Atualmente mora em Campo Grande (MS). É advogado, fazendeiro e poeta. Tinha um ano de idade quando o pai decidiu fundar fazenda com a família no Pantanal: construir rancho, cercar terras, amansar gado selvagem. Nequinho, como era chamado carinhosamente pelos familiares, cresceu brincando no terreiro em frente à casa, pé no chão, entre os currais e as coisas "desimportantes" que marcariam sua obra para sempre. "Ali o que eu tinha era ver os movimentos, a atrapalhação das formigas, caramujos, lagartixas. Era o apogeu do chão e do pequeno." Com oito anos foi para o colégio interno em Campo Grande, e depois no Rio de Janeiro. Não gostava de estudar até descobrir os livros do padre Antônio Vieira: "A frase para ele era mais importante que a verdade, mais importante que a sua própria fé.
  7. 7. Imagens das obras de Manuel
  8. 8. Poemas de Manoel• A maior riqueza do homem é a sua incompletude. Nesse ponto sou abastado. Palavras que me aceitam como sou - eu não aceito. Não agüento ser apenas um sujeito que abre portas, que puxa válvulas, que olha o relógio, que compra pão às 6 horas da tarde, que vai lá fora, que aponta lápis, que vê a uva etc. etc. Perdoai Mas eu preciso ser Outros. Eu penso renovar o homem usando borboletas.• Manoel de Barros
  9. 9. Tudo sobre a vida de manoel• Contrariamente aos pensamentos característicos da razão, a poesia não é uma conquista sobre a obscuridade, através da tentativa de torná-la clara, mas um percurso através de seu cerne dirigido pela aventura da palavra. O que flui de Manoel de Barros resguarda, invariavelmente, uma "escureza" inerente à sua compreensão acerca de poesia, de linguagem, de homem, de natureza; é na encruzilhada dessas ambiências que se revela a experiência do poeta, acenando para uma dinâmica de manifestação da própria realidade. Caracterizado por muitos como poeta pantaneiro, por tomar dessa exuberante região do Brasil, na qual ele vive, os elementos de sua poética, ele leva o "superficial fotográfico" a uma "transfiguração epifânica.
  10. 10. E.M.Consulesa M. M. TradLíngua PortuguesaProfª Leonice de Souza Alves3º Bimestre
  11. 11. Plano de aula usando recursos tecnológicos• Conteúdo: Ficha de livro e Produção textual• Data do Planejamento:30/07/2012• Turno: Matutino• OBJETIVOS: Identificar no livro os dados referentes a obra e o autor;• Trabalhar em equipe;
  12. 12. • Ler o livro e interpretá-lo.• Aplicativos: PowerPoint• Situação Didática: Os alunos em duplas irão pesquisar no livro dado, todos os itens relacionadas abaixo com o intuito de levá-los a gostar de ler e também saber olhá-lo e não apenas folhear sem sentido.
  13. 13. Juliany Maria Soares de aguiar e Lorena Valente CavalheiroAlunos:Ano: Pepeu o pintimho carijóNome do livro:Nome do autor: Gerusa Rodrigues PintoNúmero de páginas: 13Editora: LTDAAno de publicação: Não constaIlustração/desenho: Hugo Mattos da SilvaPersonagem principal: PepeuPersonagem secundário: Dona Pintada
  14. 14. Pepeu Quando pequeno era feio e estranho e tinha uma mancha branca na cabeça. Ele cresceu e ficou bonito eResumo: elegante.Desenhe um trecho ou personagem da história lida:
  15. 15. Escreva como foram suas férias, utilize o gênero textual narrativo comnarrador/personagem, pois será contado por você.
  16. 16. Título: Minhas Férias Minhas férias foram divertidas. Eu brinquei com minha irmã,meus irmãos eminha prima. Foi tão legal eu também sai com a minha mãe em vários lugares e ela adorou e eu também.Minha mãe me levou ao centro, eu, minha prima e minha irmã foram, foi muito legal e eu me diverti. Eu e minha família nos divertimos. Lorena As minhas férias Nas minhas férias eu brinquei muito fui fazer compras no Norte Sul Plaza e comprei um biquíni para ir a piscina e adorei.
  17. 17. Escola Municipal Consulesa Margarida Maksoud Trad Campo Grande,21 de Novembro de 2012 Professor: Clodoaldo Valério Alunas: Daphiny Luenne e Raianny Silva Números: 40 e 21
  18. 18. • Mothers Day has its origins in the early twentieth century, when a young American girl, Annie Jarvis, lost his mother and went into complete depression. Concerned that suffering, some friends had the idea of perpetuating the memory of the mother of Annie with
  19. 19. • On Day 8 March 1857, workers of a textile factory, located at North American city of New York, made ​a great strike. Occupied the factory and began to demand better working conditions, such as reducing the daily workload for ten hours (the factories required 16 hours of daily work), equalization of wages with men (women came to receive up to one-third the salary of a man to perform the same type of work) and decent treatment in the workplace.
  20. 20. • Christmas is a day on which we commemorate the birth of Jesus Christ. In ancient times, Christmas was celebrated in several different dates because no one knew the exact date of Jesus birth. It was only in the fourth century that December 25 was established as the official date of celebration. In Ancient Rome, December 25th was the date when the Romans celebrated the beginning of winter. Therefore, it is believed that there is a relationship of this fact with the official celebration of Christmas.• The old Christmas celebrations used to last up to 12 days, as this was the time it took for trêsreis Magi arrive to the city of Bethlehem and deliver the gifts (gold, frankincense and myrrh) to the baby Jesus. Currently, people usually assemble trees and other Christmas decorations in early December and unmount them up to 12 days after Christmas.
  21. 21. • It was the Greeks who created the Olympic Games. Around 2500 BC, the Greeks did homage to the gods, especially Zeus, with completion of competitions. But it was not until 776 BC that occurred the first time the Olympic Games, organized and with the participation of athletes from various city-states.
  22. 22. gold medal
  23. 23. • London is a city with more than 2,000 years. During this period the city experienced several epidemics and was devastated by fire, civil war and by the German bombers and recently suffered terrorist attacks. But despite everything, she is one of the largest cities in the world landmark cultural and financial.
  24. 24. • Brazil performance was bad because it came in 22 the place won 3 gold, 5 silver and 9 bronze
  25. 25. Escola Municipal Consulesa Margarida Maksoud Trad Professor: Vagner Cleber de Almeida PCTE: Marcelo Disciplina: Ciências Tema da aula: AR FERNANDA CAROLINEAluno 01: KAMILA BALDUINOAluno 02: A matutinoSérie: 6° ano Turma
  26. 26. E.M.Consulesa Margarida Maksoud Trad. Campo Grande,17 de Setembro de 2012. Aluna: Rosiele N°22 Prof° Vagner
  27. 27. Isaac Newton.Foi um cientista inglês, mais reconhecido como físico e matemático, embora tenha sido também astrônomo, alquimista, filósofo natural e teólogo.• Sua obra, Philosophiae Naturalis Principia Mathematica, é considerada uma das mais influentes na história da ciência. Publicada em 1687, esta obra descreve a lei da gravitação universal e as três leis de Newton, que fundamentaram a mecânica clássica.
  28. 28. Primeira lei de Newton• Todo corpo continua em seu estado de repouso ou de movimento uniforme em uma linha reta, a menos que seja forçado a mudar aquele estado por forças aplicadas sobre ele.Um objeto que está em repouso ficará em repouso a não ser que uma força resultante aja sobre ele. Um objeto que está em movimento não mudará asua velocidade a não ser que uma força resultante aja sobre ele.
  29. 29. Segunda lei de Newton• A mudança de movimento é proporcional à força motora imprimida, e é produzida na direção de linha reta na qual aquela força é imprimida. Esta lei conforme acima apresentada tem validade geral, contudo, para sistemas onde a massa é uma constante, esta grandeza pode ser retirada da derivada.
  30. 30. Terceira lei de Newton• A toda ação há sempre uma reação oposta e de igual intensidade: ou as ações mútuas de dois corpos um sobre o outro são sempre iguais e dirigidas em direções opostas.A Terceira lei de Newton, ou Princípio da Ação eReação, diz que a força representa a interaçãofísica entre dois corpos distintos ou partes distintasde um corpo.
  31. 31. Atmosfera significa esfera de ar.A atmosfera é uma camada formada por diversos gases e vapor de água, queenvolve todo o nosso planeta. As camadas da atmosfera. Vai até os 15km de altitude Vai dos 15km até os 50km de altitude Vai dos 50km aos 80km de altitude Vai dos 80km aos 500km de altitude Acima dos 500km de altitude
  32. 32. Responda as questões que aparecem no final de cada slide na caixa de texto abaixo da mesma.01- Qual o nome de cada camada da atmosfera? TROPOSFERA ESTRATOSFERA MESOSFERA JONOSFERA EXOSFERA02- Qual a camada mais próxima do solo? E qual a camada da atmosfera que possui a TROPOSFERA EXOSFERA maior altitude?
  33. 33. Composição do ar na troposfera
  34. 34. 03- De acordo com o gráfico qual o gás que existe em maior quantidade na atmosfera? NITROGENIO04- Qual a quantidade de oxigênio existente na atmosfera? 21 POR CENTO
  35. 35. O gás oxigênioQuase todos os seres vivos dependem dele para sobreviver.É fundamental para a respiração dos seres vivos.Sem ele não há fogo, por isso, é um gás essencial para a combustão.Combustão significa queima, ato de queimarPara que haja a combustão, é necessário que haja um combustível, umcomburente, e energia (calor); Por exemplo: uma vela acesa, a parafina é ocombustível e o oxigênio é o comburente.
  36. 36. 05- Explique por que o gás oxigênio é considerado um gás de suma importância no Planeta Terra?06- O que é, e como acontece o processo de combustão?
  37. 37. O oxigênio e a respiração celularQuase todos os seres vivos utilizam o oxigênio para liberar energia dosalimentos;Esse processo de liberar energia do alimento com o uso do oxigênio échamado de respiração celular e ocorre da seguinte forma:Glicose + oxigênio = gás carbônico + água + energia.As plantas e os animais respiram durante todo o tempo (24 horas do dia)
  38. 38. 07- Existe alguma relação entre o gás oxigênio e a respiração celular?Se sim por que esta relação é importante?
  39. 39. O Gás CarbônicoImpede a queima do material combustível.É fundamental para a vida, pois, com ele, os vegetais realizam afotossíntese, e produzem seu alimento.É lançado na natureza pela respiração dos seres vivos e como resultado dascombustões.
  40. 40. Algumas formas de emissão de gás carbônico na atmosfera
  41. 41. 08- Qual a importância do gás carbônico para aosseres vivos terrestres ? Quais são os agentesemissores deste gás?
  42. 42. FOTOSSÍNTESEO gás carbônico é utilizado pelas plantas para produção de alimento.As plantas somente realizam a fotossíntese na presença de luz (Sol).
  43. 43. 09- Explique como ocorre o processo defotossíntese no meio ambiente?
  44. 44. O Gás NitrogênioÉ o gás mais abundante no ar;Não participa nem da respiração nem das combustões;Não é absorvido diretamente pelos organismos;É indispensável para o desenvolvimento dos vegetais, e de todos os outrosseres vivos.
  45. 45. 10- Qual é a importância do nitrogênio no meioambiente? Explique.NÃO PARTICIPA NEM DA RESPIRAÇÃO E NEM DASCOMBUSTÕES .
  46. 46. BURACO NA CAMADA DE OZÔNIO Os principais causadores desse problema são os gases produzidos industrialmente, chamados CFC (clorofluorcarbonetos)Esses gases sãoutilizados em aerossóis,refrigeradores,condicionadores de ar e Com o aumento do buraco na camada dena fabricação de ozônio os raios ultravioletas chegam maisespuma de plástico e fortes no planeta e podem causar câncerisopor. de pele, se ficarmos expostos ao sol.
  47. 47. Escola Municipal Consulesa Margarida Maksoud Trad.Alunas: Carolini e CrissyProfessora:Silvana’9ºB
  48. 48. • No dia 11 de Outubro de 1977, retornava do meu trabalho na Telemat e na Rua Rui Barbosa em Campo Grande, deparei-me com o professor César Mafus Macksoud que do outro lado da rua em alto tom gritou: até que em fim nos livramos dos cuiabanos. Estranhei a frase dele, mas depois entendi o porquê: ele era Coordenador do Projeto Rondon da Região Sul, cuja sede era no primeiro bloco da Universidade Estadual de Mato Grosso- UEMAT, sendo demitido da direção por questões que não vou entrar no mérito, passou a odiar os cuiabanos. Em seu lugar fui nomeado pela direção o novo coordenador, ali fiquei até ser extinta, devido à divisão do estado que estava prestes a acontecer. Em seguida, ingressei no dia 18/08/1976 na Telemat, saindo em 16/06/1999 da Telems, devido à privatização do Sistema Telebrás, já tinha sido transferido para a cidade no dia 13/03/1978.
  49. 49. • A divisão do Estado de Mato Grosso em dois foi com base na Lei Complementar 31/77, aprovada em 13 de outubro de 1977, que propôs a separação física dos dois estados, a partir de 1º de janeiro de 1979. Tomou posse nesta data o engenheiro gaúcho Harry Amorim Costa como o primeiro governador de Mato Grosso do Sul, nomeado pelo General Presidente Ernesto Geisel, após uma imensa e fratricida luta entre as lideranças políticas sulistas pelo poder. O advogado corumbaense Cássio Leite de Barros encerrava o mandato de último governador do velho Mato Grosso, entregando o cargo ao sucessor, engenheiro cuiabano Frederico Campos.
  50. 50. ESCOLA MUNICIPAL CONSULESA MARGARIDA MAKSOUD TRAD CAMPO GRANDE:17-09-2012 PROFESSORA:SILVANA ALUNA:DAIANE FERREIRA BARBOSA ALUNA:RAYSSA CRISTINA DA SILVA M.M SÉRIE:8B N:07 N:26
  51. 51. DATAS E LOCALIZAÇÃO• Início e desenvolvimento do conflito:• - A guerra teve início em novembro de 1864, quando um navio brasileiro foi aprisionado pelos paraguaios no rio Paraguai.• - Em dezembro de 1864, o Paraguai invadiu o Mato Grosso.• - No começo de 1865, as tropas paraguaias invadiram Corrientes (Argentina) e logo em seguida o Rio Grande do Sul.• - Em 1 de maio de 1865, Brasil, Argentina e Uruguai selam um acordo para enfrentar o Paraguai. Contam com a ajuda da Inglaterra.• - Em 11 de junho de 1865 ocorreu um dos principais enfrentamentos da guerra, a Batalha de Riachuelo. A vitória brasileira neste enfrentamento naval foi determinante para a derrota do Paraguai.• - Em abril de 1866 ocorreu a invasão do Paraguai.• - Em 1869, sob a liderança de Duque de Caxias, os militares brasileiros chegam a Assunção.• - A guerra terminou em 1870 com a morte de Francisco Solano Lopes em Cerro Cora
  52. 52. MOTIVOS E INICIO• Os motivos do conflito armado, Tomada de Corrientes, Batalha de Riachuelo, a Tríplice Aliança entre Uruguai, Brasil e Argentina• Guerra do Paraguai: um dos maiores conflitos armados em que o Brasil se envolveu
  53. 53. IMAGENS DA GUERRAMOTIVOS DA GUERRA
  54. 54. PAÍSES ENVOLVIDOS• Motivos da participação da Inglaterra• Antes da guerra, o Paraguai era uma potência econômica na América do Sul. Além disso, era um país independente das nações européias. Para a Inglaterra, este país era um exemplo que não deveria ser seguido pelos demais países latino-americanos, que eram totalmente dependentes do império inglês. Foi por isso, que os ingleses ficaram ao lado dos países da Tríplice Aliança, emprestando dinheiro e oferecendo apoio militar. Era interessante para a Inglaterra enfraquecer e eliminar um exemplo de sucesso e independência na América Latina.• Consequências• - A indústria paraguaia ficou arrasada após a guerra. O Paraguai nunca mais voltou a ser um país com um bom índice de desenvolvimento industrial e econômico, pelo contrário, passa até hoje por dificuldades políticas e econômicas.• - Cerca de 70% da população paraguaia morreu durante o conflito, sendo que a maioria dos mortos eram homens;• - Embora tenha saído vitorioso, o Brasil também teve grandes prejuízos financeiros com o conflito. OsMotivos da participação da Inglaterra• Antes da guerra, o Paraguai era uma potência econômica na América do Sul. Além disso, era um país independente das nações européias. Para a Inglaterra, este país era um exemplo que não deveria ser seguido pelos demais países latino-americanos, que eram totalmente dependentes do império inglês. Foi por isso, que os ingleses ficaram ao lado dos países da Tríplice Aliança, emprestando dinheiro e oferecendo apoio militar. Era interessante para a Inglaterra enfraquecer e eliminar um exemplo de sucesso e independência na América Latina.• - Com a guerra, o exército brasileiro ficou fortalecido no aspecto bélico, pois ganhou experiência e passou por um processo de modernização. Houve também um importante fortalecimento institucional. Do ponto de vista político, o exército também saiu fortalecido e passou a ser uma importante força no cenário político nacional elevados gastos da guerra foram custeados com empréstimos estrangeiros, fazendo com que aumentasse a dívida externa brasileira e a dependência de países ricos como, por exemplo, da Inglaterra;• - Com a guerra, o exército brasileiro ficou fortalecido no aspecto bélico, pois ganhou experiência e passou por um processo de modernização. Houve também um importante fortalecimento institucional. Do ponto de vista político, o exército também saiu fortalecido e passou a ser uma importante força no cenário político nacional
  55. 55. PRINCIPAIS PERSONAGENS(GOVERMAMTES, CHEFES,MILITARES)• Guerra do Paraguai foi o maior conflito armado internacional ocorrido na América do Sul.[1] Ela foi travada entre o Paraguai e a Tríplice Aliança, composta por Brasil, Argentina e Uruguai[2]. A guerra estendeu-se de dezembro de 1864 a março de 1870. É também chamada Guerra da Tríplice Aliança (Guerra de la Triple Alianza), na Argentina e Uruguai, e de Guerra Grande, no Paraguai.[1][3]• O conflito iniciou-se com a invasão da província brasileira de Mato Grosso pelo exército do Paraguai, sob ordens do presidente Francisco Solano López. O ataque paraguaio ocorreu após uma intervenção armada do Brasil no Uruguai, em 1863, que pôs fim à guerra civil uruguaia ao depor o presidente Atanasio Aguirre, do Partido Blanco, e empossar seu rival colorado, Venancio Flores. Solano López temia que o Império brasileiro e a República Argentina viessem a desmantelar os países menores do Cone Sul. Para confrontar essa suposta ameaça, Solano López esperava contar com o apoio dos blancos, no Uruguai, e dos caudilhos do norte da Argentina. O temor do presidente paraguaio levou-o a aprisionar, em 11 de novembro de 1864, o vapor brasileiro Marquês de Olinda, que transportava o presidente da província de Mato Grosso, mas que o governo paraguaio suspeitava que contivesse armas. Seis semanas depois, o Paraguai invadiu o Mato Grosso. Antes da intervenção brasileira no Uruguai, Solano López já vinha produzindo material bélico moderno, em preparação para um futuro conflito
  56. 56. PRINCIPAIS GOVERNANTESCompilaçãodeim
  57. 57. FATOS E BATALHAS• – Ver artigo principal: Batalha Naval do Riachuelo••• Batalha do Riachuelo, por Eduardo de Martino.• Foi no setor naval que o Brasil, mais bem preparado, infligiu, logo no primeiro ano de guerra, uma pesada derrota aos paraguaios na batalha do Riachuelo.• Na bacia do rio da Prata as comunicações eram feitas pelos rios; quase não havia estradas. Quem controlasse os rios ganharia a guerra. Todas as fortalezas paraguaias tinham sido construídas nas margens do baixo curso (parte do rio perto de sua foz) do rio Paraguai.• Em 11 de junho de 1865, no rio Paraná, travou-se a Batalha Naval do Riachuelo, na qual a esquadra comandada pelo chefe-de-divisão Francisco Manuel Barroso da Silva derrotou a esquadra paraguaia, comandada por Pedro Inacio Meza, cortando as comunicações com o tenente-coronel paraguaio Antonio de la Cruz Estigarribia, que estava atacando o Rio Grande do Sul. A vitória do Riachuelo teve notável influência nos rumos da guerra: impediu a invasão da província argentina de Entre Ríos, destruiu o poderio naval paraguaio (tornando-se impossível a permanência dos paraguaios em território argentino) e cortou a marcha, até então triunfante, de López. Ela praticamente decidiu a guerra em favor da Tríplice Aliança, que passou a controlar, a partir de então, os rios da bacia platina até a entrada do Paraguai. Desse momento até a derrota final, o Paraguai teve de recorrer à guerra defensiva
  58. 58. BATALHAS
  59. 59. Consequências - A indústria paraguaia ficou arrasada após a guerra. O Paraguai nunca mais voltou a ser um país com um bom índice de desenvolvimento industrial e econômico, pelo contrário, passa até hoje por dificuldades políticas e econômicas.- Cerca de 70% da população paraguaia morreu durante o conflito, sendo que a maioria dos mortos eram homens; - Embora tenha saído vitorioso, o Brasil também teve grandes prejuízosfinanceiros com o conflito. Os elevados gastos da guerra foram custeados com empréstimos estrangeiros, fazendo com que aumentasse a dívida externa brasileira e a dependência de países ricos .
  60. 60. E.M Consulesa Margarida Maksoud Trad Aluno(a) Maiara L. Moreira n° 34 Vespertino Geografia TEMA>> Estados Unidos
  61. 61. Treze Colônias*As Colônias do Norte ou Nova Inglaterra* •Província de New Hampishire mais tarde oestado de New Hampshire •Província da Baía de Massachusetts mais tardeos estados de Massachusetts e Maine •Colônia de Rhode Island mais tarde o estado deRhode Island •Colônia de Connecticut mais tarde o estado deConnecticut
  62. 62. *As Colônias Centrais *•Província de Nova Iorque mais tarde os estados de Nova Iorque e Vermont•Província de Nova Jérsei mais tarde o estado de Nova Jérsei•Província de Pensilvânia mais tarde o estado de Pensilvânia•Colônias de Delaware mais tarde o estado de Delaware
  63. 63. *As Colônias do Sul*– Província de Maryland mais tarde o estado de Maryland– Colônia de Domínio da Virgínia mais tarde os estados de Virgínia, Kentucky e Virgínia do Oeste– Província da Carolina do Nort mais tarde os estados de Carolina do Norte e Tennessee– Província da Carolina do Sul mais tarde o estado de Carolina do Sul– Província da Geórgia mais tarde o estado de Geórgia
  64. 64. Colonização de Povoamento e Exploração• A Colonização de Povoamento é o tipo de colonização que aconteceu no Norte e Centro das Treze Colônias Britânicas (exatamente nas antigas colônias de New Hampshire, Massachusetts, Nova Iorque, Rhode Island, Connecticut,Nova Jersey, Pensilvânia, Maryland e Delaware, e no distrito de Maine, hoje estados-membros dos Estados Unidos) e no Canadá. Também existiu na China e na Nova Zelândia. Colonização de povoamento também é o tipo de colonização em que o colonizador usa a terra como moradia!
  65. 65. ...Continuação• Os Estados Unidos (e é errôneo dizer-se que os Estados Unidos um dia foram as 13 colônias, uma vez que em momento nenhum foram colonizados, mas povoados). Sim os EUA foram ocupados por pessoas (ingleses, principalmente) que tinham o objetivo único de povoá-lo, uma vez que foram expulsos de suas nações européias.
  66. 66. FORMAS DE RELEVO Anderson ;Jean 6ºE
  67. 67. PLANALTOS• Os planaltos, também chamados de platôs, são áreas de altitudes variadas e limitadas, em um de seus lados, por superfície rebaixada. Os planaltos são originários das erosões provocadas por água ou vento. Os cumes dos planaltos são ligeiramente nivelados. Exemplo: Planalto Central no Brasil, localizado em território dos estados de Goiás, Minas gerais, Tocantins, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.
  68. 68. DEPRESSÃO• As depressões são regiões geográficas mais baixas do que as áreas em sua volta. Quando esta região situa-se numa altitude abaixo do nível do mar, ela é chamada de depressão absoluta. Quando são apenas mais baixas do que as áreas ao redor, são chamadas de depressões relativas. As crateras de vulcões desativados são consideradas depressões. É comum a formação de lagos nas depressões. Exemplo: Depressão Sul Amazônica
  69. 69. PLANICIES• É uma área geográfica caracterizada por superfície relativamente plana (pouca ou nenhuma variação de altitude). São encontradas, na maioria das vezes, em regiões de baixas altitudes. As planícies são formadas por rochas sedimentares. Nestas áreas, ocorre o acúmulo de sedimentos. Exemplos: Planície Litorânea, Planície Amazônica e Planície do Pantanal.
  70. 70. MONTANHAS• As montanhas são formações geográficas originadas do choque (encontro) entre placas tectônicas. Quando ocorre este choque na crosta terrestre, o solo das regiões que sofrem o impacto acabam se elevando na superfície, formando assim as montanhas. Estas são conhecidas como montanhas de dobramentos. Grande parte deste tipo de montanhas formaram-se na era geológica do Terciário. Existem também, embora menos comum, as montanhas formadas por vulcões.
  71. 71. Escola Municipal Consulesa Margarida Maksoud TradCampo Grande, 29 de Agosto de 2012Aluna:Luana de Paula n°15Serie:9°DProf.:Marcelo Capacidades Físicas
  72. 72. Força• Força é um dos conceitos fundamentais da Física newtoniana. Relacionado com as três leis de Newton, é uma grandeza que tem a capacidade de vencer a inércia de um corpo, modificando-lhe a velocidade (seja na sua magnitude ou direção, já que se trata de um vetor). Como corolário, chega-se ao constructo de que a força pode causar deformação em um objeto flexível[1]. Intuitivamente, a força se identifica com as noções de empuxo ou impuxo. A força, por ser também um vetor, tem dois elementos: a magnitude e a direção. A Segunda Lei de Newton , ("F=ma"), foi originalmente formulada em termos ligeiramente diferentes, mas equivalentes: a versão original afirma que a força que age sobre um objeto é igual à derivada temporal do momento linear deste objeto[2].• Alguns conceitos relacionados com a força:• pressão, divisão ou distribuição da força sobre a área;• arrasto, diminuição da velocidade de um objeto;• torque, momento que produz mudanças na velocidade de rotação de um objeto
  73. 73. Velocidade• Na física, velocidade relaciona a variação da posição no espaço em relação ao tempo, ou seja, qual a distância percorrida por um corpo num determinado intervalo temporal. É uma grandeza vetorial, possuindo direção, sentido e módulo, esse último chamado de rapidez e de dimensões [L][T]-1, sendo medida no SI em metros por segundo (m/s ou ms-1). Em geral, os símbolos da velocidade são v ou , o primeiro para a velocidade escalar e o segundo para o vetor velocidade. A variação da velocidade em relação ao tempo é a aceleração.
  74. 74. Agilidade• Agilidade é a capacidade de executar movimentos rápidos e ligeiros com mudanças nas direções, que as pessoas necessitam para ter uma boa forma física. Ela é fundamental na prática de esportes e na vida de todos os dias. Juntamente com a força e a resistência, a agilidade é uma modalidade necessária em práticas esportivas como no futebol, no caso dos dribles, ou das acrobacias, no caso das lutas como o boxe tailândes e a ginástica artística.A agilidade é a capacidade fisica de deslocar o corpo no espaço o mais rapido que seja possivel mudando o centro da gravidade sem perder um sequer de equilibrio e a coordenação.A agilidade aparece nos esportes como:Basquete, boxe,volei etc e nas atividades recreativas:Pega-pega,queimada e rouba bandeira.
  75. 75. Destreza(condenação motora)• A destreza pode ser qualificada quanto à proporcionalidade física ou não, tendo em conta que ainda temos no mesmo grupo, a velocidade, a força, a resistência. Destreza também é uma maneira de dizer habilidade, agilidade, aptidão. O termo destreza está relacionado também a direito, que fica do lado direito, ou seja, o destro.• Destreza também pode ser entendida como a capacidade de percepção; de notar; que o indivíduo possui.• Estratégias para desenvolvimento de destrezas são aquelas que possibilitam o exercício de práticas específicas. Por exemplo: para adquirir destreza manual são necessários exercícios com a mão.• Destreza está infimamente ligada ao termo "sagacidade"
  76. 76. Equilíbrio• Na física clássica, define-se equilíbrio estático como o arranjo de forças atuantes sobre determinado corpo em repouso de modo que a resultante dessas forças tenha módulo igual a zero. Ou seja, todo e qualquer corpo estará parado (nesse caso, parado no sentido de ausente de movimento, acelerado ou não) em relação a um ponto referencial se, e somente se, as resultantes das forças aplicadas sobre ele forem nulas.• No cotidiano, basicamente tudo que está em repouso perante os olhos (nosso ponto referencial padrão) está em equilíbrio estático, como: um aparelho de TV sobre uma estante, uma cadeira, um livro sobre uma mesa. Caso alguma força aja sobre esses objetos, de modo que vença quaisquer obstáculos contrários – como a força de atrito-, a força resultante final será diferente de zero e o corpo entrará em movimento.
  77. 77. Resistencia• Qualidade de um corpo que reage contra a ação de outro corpo. Aptidão para suportar a fadiga, a fome, o esforço: soldados que têm resistência. Defesa contra um ataque: opor forte resistência a assaltantes. Oposição, reação, recusa de submissão à vontade de outrem: obedecer sem resistência. Força que se opõe ao movimento; inércia. Organização que, num país ocupado por forças militares estrangeiras, reúne civis e militares empenhados em combater o inimigo com ações de sabotagem, guerrilha etc. Eletricidade. Quociente de uma diferença de potencial aplicada às extremidades de um condutor pela intensidade da corrente que ela produz quando o condutor não é dotado de força eletromotriz. Condutor elétrico do qual se utiliza especialmente a resistência. Centro de resistência, agrupamento das organizações defensivas de um batalhão articulado em pontos de apoio. Prato, peça de resistência, prato principal de uma refeição. Resistência do ar, força que o ar, mesmo imóvel, opõe ao deslocamento de um corpo, particularmente de um projétil. Construção. Resistência dos materiais, ciência que tem como objetivo determinar as dimensões dos elementos de uma construção para que possam resistir à tensão que terão de suportar. Resistência passiva, a que se faz sem revide, sem apelo à violência

×