SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1
1
Ficha de trabalho referente à narrativa do David
1- Qual ou quais foram as características ambientais que contribuíram para o
desenvolvimento da vida do David? Identifica os ambientes expressos na
narrativa.
O David, ao longo da sua vida, teve alguns ambientes que funcionaram como facilitadores e
outros como barreiras. Assim, no que diz respeito aos ambientes facilitadores, ou seja os que
contribuíram de forma positiva no seu desempenho ocupacional, podemos destacar o museu e a
escola onde trabalhou. Enquanto os de barreira, os que prejudicam de alguma forma o
desempenho ocupacional, são salientados a casa da sua mãe e os outros espaços laborais.
Os ambientes expressos na narrativa são os ambientes físicos, como a escola onde trabalhou;
os espaços laborais; a casa da sua mãe.
Quanto ao ambiente social podemos evidenciar: a relação conflituosa entre o David e as
escolas onde lecionava devido à sua filosofia educacional não corresponder às filosofias
praticadas; as interações entre as crianças e os pais quando trabalhava no museu; discriminação
a que foi sujeito no seu local de trabalho; a relação que estabeleceu com a mãe enquanto
cuidador (salientando-se também a mudança de papel).
2- Na nossa análise a organização dos espaços referidos na narrativa pode, de
alguma forma, ter contribuído para o desempenho ocupacional do David? De que
forma pode ter sido esta influência?
Sim, a organização dos espaços referidos contribui para as alterações do desempenho
ocupacional do David. O facto de ter mudado o seu local de trabalho (das escolas para o
museu) melhorou o seu desempenho ocupacional, uma vez que, no museu tinha
oportunidade para ensinar segundo as suas filosofias, de forma mais liberal, dado que as
ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1
2
escolas não estavam organizadas segundo os seus ideais. Depois, com os despedimentos
sucessivos vê-se obrigado a mudar-se para casa da mãe. Quando o David se mudou para
casa da mãe, perdeu toda a sua independência financeira e como assumiu o papel de
cuidador, percebeu que todo o seu tempo era dedicado à mãe sem sobrar nenhum para si,
nomeadamente para a música deixando-o muito desmotivada fase ao rumo de vida que
enfrentava.
3- Qual a influência dos contextos no desempenho ocupacional do David, ao longo
da sua vida? Identificar os contextos presentes na narrativa.
Contextos pessoais:
 Homem com formação académica superior, sendo bacharelado;
 Professor de música, posteriormente desempregado;
 Instrutor num Museu;
 Após perder o emprego no museu, o seu nível financeiro fica desfavorecido;
 Voluntário na AIDS.
Contextos temporais:
 Toca violino desde os 7 anos;
 O seu emprego mais longo em escolas demorou 6 meses;
 Vários anos desempregado;
 Foi diagnosticado com SIDA e a sua esperança de vida era de 6 meses;
 Fazia voluntariado uma vez por semana;
 Frequentou em aulas de piano durante algumas semanas.
ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1
3
Contextos culturais:
 Possuía uma diferente filosofia educacional de acordo com o sistema de ensino das
escolas onde lecionou.
Referências Bibliográficas
 American Occupational Therapy Association, (2014). Occupational therapy practice
framework: Domain and process (3rd ed.). American Journal of OccupationalTherapy, 68
(Suppl.1), S1–S48. http://dx.doi.org/10.5014/ajot.2014.682006 Firfirey, N., & Hess-April,
L. (2014). A study to explore the occupational adaptation of adults with MDR-TB who
undergo long-term hospitalisation (Vol. 44, pp.18).

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Arte digital - Laurence Gartel
Arte digital - Laurence GartelArte digital - Laurence Gartel
Arte digital - Laurence Gartel
Catarina Vaz
 
Exploring occupational balance in adults in Sweden
Exploring occupational balance in adults in SwedenExploring occupational balance in adults in Sweden
Exploring occupational balance in adults in Sweden
Grupo OT5
 

Destaque (7)

Arte digital - Laurence Gartel
Arte digital - Laurence GartelArte digital - Laurence Gartel
Arte digital - Laurence Gartel
 
La Pedabobía.
La Pedabobía.La Pedabobía.
La Pedabobía.
 
VRGJ2016Autumn いかだVR
VRGJ2016Autumn いかだVRVRGJ2016Autumn いかだVR
VRGJ2016Autumn いかだVR
 
Alimentación balanceada
Alimentación balanceadaAlimentación balanceada
Alimentación balanceada
 
Ermelino 168
Ermelino 168Ermelino 168
Ermelino 168
 
Exploring occupational balance in adults in Sweden
Exploring occupational balance in adults in SwedenExploring occupational balance in adults in Sweden
Exploring occupational balance in adults in Sweden
 
GEOGRAFIA URBANA
GEOGRAFIA URBANAGEOGRAFIA URBANA
GEOGRAFIA URBANA
 

Semelhante a Ficha de Trabalho referente à narrativa do David (11)

Análise do caso do David
Análise do caso do DavidAnálise do caso do David
Análise do caso do David
 
Narrativa do david novan
Narrativa do david novanNarrativa do david novan
Narrativa do david novan
 
Comparando espectros de funcionalidade - TEA e TEAF
Comparando espectros de funcionalidade - TEA e TEAFComparando espectros de funcionalidade - TEA e TEAF
Comparando espectros de funcionalidade - TEA e TEAF
 
PROJETO DE VIDA 21 03.pptx
PROJETO DE VIDA 21 03.pptxPROJETO DE VIDA 21 03.pptx
PROJETO DE VIDA 21 03.pptx
 
RECURSO EDUCACIONAL PAULO FREIRE.pdf
RECURSO EDUCACIONAL PAULO FREIRE.pdfRECURSO EDUCACIONAL PAULO FREIRE.pdf
RECURSO EDUCACIONAL PAULO FREIRE.pdf
 
Guião video
Guião videoGuião video
Guião video
 
artigo2
artigo2artigo2
artigo2
 
Carl Ransom Rogers
Carl Ransom RogersCarl Ransom Rogers
Carl Ransom Rogers
 
Faculdade%20 nossa%20cidade%20copia%20%282%29
Faculdade%20 nossa%20cidade%20copia%20%282%29Faculdade%20 nossa%20cidade%20copia%20%282%29
Faculdade%20 nossa%20cidade%20copia%20%282%29
 
Apresentação aos professores de byeux
Apresentação aos professores de byeuxApresentação aos professores de byeux
Apresentação aos professores de byeux
 
Guião 2
Guião 2Guião 2
Guião 2
 

Mais de Grupo OT5

Grelha de Observação segundo o EPTO
Grelha de Observação segundo o EPTOGrelha de Observação segundo o EPTO
Grelha de Observação segundo o EPTO
Grupo OT5
 

Mais de Grupo OT5 (20)

Ficha de trabalho: Narrativa do Roberto
Ficha de trabalho:  Narrativa do RobertoFicha de trabalho:  Narrativa do Roberto
Ficha de trabalho: Narrativa do Roberto
 
Running as an Occupation
Running as an Occupation Running as an Occupation
Running as an Occupation
 
Ata 1
Ata 1Ata 1
Ata 1
 
Ata 1
Ata 1Ata 1
Ata 1
 
Narrativa do David - MOH.
Narrativa do David - MOH.Narrativa do David - MOH.
Narrativa do David - MOH.
 
Narrativa do Jon - MOH.
Narrativa do Jon - MOH.Narrativa do Jon - MOH.
Narrativa do Jon - MOH.
 
Narrativa do John - MOH
Narrativa do John - MOHNarrativa do John - MOH
Narrativa do John - MOH
 
Narrativa do David - MOH
Narrativa do David - MOHNarrativa do David - MOH
Narrativa do David - MOH
 
14 18-novembro
14 18-novembro14 18-novembro
14 18-novembro
 
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional 3ª edição
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional  3ª ediçãoEstrutura da prática da Terapia Ocupacional  3ª edição
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional 3ª edição
 
Ata 14
Ata 14Ata 14
Ata 14
 
Poster- Resumo das aulas TO 3.º Problema
Poster- Resumo das aulas TO 3.º ProblemaPoster- Resumo das aulas TO 3.º Problema
Poster- Resumo das aulas TO 3.º Problema
 
Organização do Portefólio
Organização do Portefólio Organização do Portefólio
Organização do Portefólio
 
Relatório filme "Amigos Improváveis"
Relatório filme "Amigos Improváveis" Relatório filme "Amigos Improváveis"
Relatório filme "Amigos Improváveis"
 
Grelhas de Observação
Grelhas de ObservaçãoGrelhas de Observação
Grelhas de Observação
 
Esquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
Esquema sobre o processo em Terapia OcupacionalEsquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
Esquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
 
Grelha de Observação segundo o EPTO
Grelha de Observação segundo o EPTOGrelha de Observação segundo o EPTO
Grelha de Observação segundo o EPTO
 
Pesquisa sobre conceitos de Ciência Ocupacional
Pesquisa sobre conceitos de Ciência OcupacionalPesquisa sobre conceitos de Ciência Ocupacional
Pesquisa sobre conceitos de Ciência Ocupacional
 
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e SaúdePesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
 
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e SaúdePesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 

Ficha de Trabalho referente à narrativa do David

  • 1. ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1 1 Ficha de trabalho referente à narrativa do David 1- Qual ou quais foram as características ambientais que contribuíram para o desenvolvimento da vida do David? Identifica os ambientes expressos na narrativa. O David, ao longo da sua vida, teve alguns ambientes que funcionaram como facilitadores e outros como barreiras. Assim, no que diz respeito aos ambientes facilitadores, ou seja os que contribuíram de forma positiva no seu desempenho ocupacional, podemos destacar o museu e a escola onde trabalhou. Enquanto os de barreira, os que prejudicam de alguma forma o desempenho ocupacional, são salientados a casa da sua mãe e os outros espaços laborais. Os ambientes expressos na narrativa são os ambientes físicos, como a escola onde trabalhou; os espaços laborais; a casa da sua mãe. Quanto ao ambiente social podemos evidenciar: a relação conflituosa entre o David e as escolas onde lecionava devido à sua filosofia educacional não corresponder às filosofias praticadas; as interações entre as crianças e os pais quando trabalhava no museu; discriminação a que foi sujeito no seu local de trabalho; a relação que estabeleceu com a mãe enquanto cuidador (salientando-se também a mudança de papel). 2- Na nossa análise a organização dos espaços referidos na narrativa pode, de alguma forma, ter contribuído para o desempenho ocupacional do David? De que forma pode ter sido esta influência? Sim, a organização dos espaços referidos contribui para as alterações do desempenho ocupacional do David. O facto de ter mudado o seu local de trabalho (das escolas para o museu) melhorou o seu desempenho ocupacional, uma vez que, no museu tinha oportunidade para ensinar segundo as suas filosofias, de forma mais liberal, dado que as
  • 2. ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1 2 escolas não estavam organizadas segundo os seus ideais. Depois, com os despedimentos sucessivos vê-se obrigado a mudar-se para casa da mãe. Quando o David se mudou para casa da mãe, perdeu toda a sua independência financeira e como assumiu o papel de cuidador, percebeu que todo o seu tempo era dedicado à mãe sem sobrar nenhum para si, nomeadamente para a música deixando-o muito desmotivada fase ao rumo de vida que enfrentava. 3- Qual a influência dos contextos no desempenho ocupacional do David, ao longo da sua vida? Identificar os contextos presentes na narrativa. Contextos pessoais:  Homem com formação académica superior, sendo bacharelado;  Professor de música, posteriormente desempregado;  Instrutor num Museu;  Após perder o emprego no museu, o seu nível financeiro fica desfavorecido;  Voluntário na AIDS. Contextos temporais:  Toca violino desde os 7 anos;  O seu emprego mais longo em escolas demorou 6 meses;  Vários anos desempregado;  Foi diagnosticado com SIDA e a sua esperança de vida era de 6 meses;  Fazia voluntariado uma vez por semana;  Frequentou em aulas de piano durante algumas semanas.
  • 3. ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1 3 Contextos culturais:  Possuía uma diferente filosofia educacional de acordo com o sistema de ensino das escolas onde lecionou. Referências Bibliográficas  American Occupational Therapy Association, (2014). Occupational therapy practice framework: Domain and process (3rd ed.). American Journal of OccupationalTherapy, 68 (Suppl.1), S1–S48. http://dx.doi.org/10.5014/ajot.2014.682006 Firfirey, N., & Hess-April, L. (2014). A study to explore the occupational adaptation of adults with MDR-TB who undergo long-term hospitalisation (Vol. 44, pp.18).