SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
RACISMO E
VIOLÊNCIA
POLICIAL
9º ano B – Grupo 2
SESI 005 Limeira/SP 2020
Quantidade de negros mortos
em ações policiais
Homens negros, sobretudo jovens, são as principais vítimas da
violência policial no estado de São Paulo. A análise sobre taxas de
100 mil habitantes indica que a mortalidade de negros é pelo
menos três vezes maior que a de brancos.
Entre os anos de 2009 e 2011, 939 casos de ações policiais foram
analisados. O resultado aponta que 61% das vítimas de morte por
policiais eram negras.
Dados sobre prisões em flagrantes também foram analisados, e os
resultados demonstram que também há predominância de pessoas
negras presas pela polícia. Cerca de 2,5 negros são presos para
cada pessoa branca.
Racismo institucional é uma forma de desenho da política
pública que produz resultados diferentes para diferentes
camadas sociais, do ponto de vista das características
raciais.
O racismo não envolve os agentes policiais como indivíduos,
representando uma resposta às regras tradicionais das
próprias instituições responsáveis por garantir a segurança da
população.
Apenas 1,6% dos autos investigados sobre assassinatos
cometidos por policiais resultam em um inquérito policial.
Racismo institucional e
violência policial
 Aqui no Brasil o preconceito de cor ressurge, pois sendo o sistema carcerário
seletivo, por transbordamento se tem que a farsa da ressocialização também o
é bem assim, a utilização da reincidência (ou suposta) como justificativa para a
eliminação de pessoas negras, indígenas e brancas pobres.
 As polícias podem ser órgãos democráticos, que defendem direitos e
liberdades, reparando e prevenindo injustiças e violações, em benefício dos
direitos do cidadão e da disseminação dos princípios de igualdade. Mas na
prática a teoria é outra.
 A taxa de morte dos pretos é maior que a dos pardos, e a dos pardos, por sua
vez, maior que a dos brancos, o que significa que quanto mais escuro, maior o
risco de ser assassinado. O Brasil faz parte de uma triste estatística, está no 3°
lugar no assassinato de jovens entre 84 países.
Quantidade de negros que são assassinados
em diferentes estados
 O Brasil ocupa um lugar de destaque no ranking dos países mais
violentos do mundo, sendo o país que tem 11 das 30 cidades mais
violentas do mundo, de acordo com os estudos a taxa média de
homicídios global é de 6,2 por 100 mil habitantes.
 Rio de Janeiro e São Paulo são estados que, segundo a representação,
concederam uma verdadeira “licença para matar”, em especial para
jovens negros, que tem 2,5 vezes mais risco de ser vítima de
homicídio do que brancos ou amarelos. No Brasil, os registros apontam
que em cada 10 assassinatos praticados por ano, 7 são contra a
população negra.
 No Rio, comparando-se com o total de homicídios no estado, a polícia
foi responsável por 28,6% de todas as mortes, número que era 16,3%
em 2017. Porém, a atuação sanguinária das polícias é maior na
capital, representando 38,3% de todas as mortes, e na Grande Niterói,
com 38,7%.
 No Ceará, mesmo com uma redução de quase 57% de homicídios, a
polícia nunca matou tanto como em janeiro desse ano: foram 28
mortes. E apesar da redução significativa nos dois meses seguintes, no
acumulado do trimestre a polícia matou uma pessoa a cada 2 dias.
 No Amazonas, 17 pessoas foram mortas pela polícia. O secretário de
segurança pública disse à imprensa que “quem levantar arma e trocar
tiro com a polícia no Amazonas causará o choro de suas famílias”.
Homicídio de jovens negros e pobres
 Hoje em dia nós vemos o quanto os negros sofrem com racismo e, cada vez
mais se aumenta a taxa de mortalidades negra.
 Cada dia que passa aumenta ainda mais a violência dos policiais com os
negros e na maioria das vezes muitos deles são inocentes.
 O desemprego também aumenta cada dia mais, pois nem todos os lugares
contratam pessoas negras e isso acaba afetando o país e o resumo de tudo
isso é de que o negro simplesmente é excluído de muitas coisas e
acabam sendo prejudicados, sendo alvos constantes de abordagens policiais
violentas.
Taxa de mortalidade de negros
 Dados do recente anuário brasileiro de segurança pública, com base nos
registros policiais, estimam que cerca de 4.222 pessoas foram vítimas de
agentes de segurança, os números apontam que foram 76,2 pessoas negras.
 A taxa de mortalidade de negros foi 2,5 vezes maior do que a de não negros. O
crescimento do discurso e da violência preocupa, e apresentou também que o
número de assassinatos de negros foram de 62.517 , bem maior que os
brancos.
 E a violência vem piorando cada vez mais e mais. O Estado quer adotar
políticas ao combate ao racismo, com conceito de segurança e
desenvolvimento nas prevenções, e violência e insegurança das pessoas,
principalmente negros.
Mortalidade de negros nas favelas –
O alvo
 A seleção do suspeito nas abordagens policiais nas periferias é
orientada pelo preconceito contra o jovem, sobretudo do sexo
masculino, pelo preconceito aplicado aos pobres e pelo racismo contra
os negros.
 Os registros de homicídios fornecem poucos dados sobre as vítimas.
Somente a partir de 1996 a identificação de cor/raça/etnia passou a ser
obrigatória nas declarações de óbito.
 Esta ausência da identificação da cor em homicídios não é por acaso,
e responde à necessidade da negação do racismo e seus efeitos por
parte do Estado.
REFERÊNCIAS
 https://lunatenorio.jusbrasil.com.br/artigos/114873464/estudo-sobre-violencia-policial-revela-racismo-
institucional-na-pm-de-sp
 https://ponte.org/ong-brasileira-denuncia-violencia-policial-contra-negros-para-entidades-
internacionais/#/
 https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1362450
 https://www.educafro.org.br/site/wp-
content/uploads/2014/07/juventude__20negra_seguran_C3_A7a_20publica.pdf
 https://br.noticias.yahoo.com/brasil-combate-perseguicao-negros-182835267.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Livreto sobre violência contra a mulher
Livreto sobre violência contra a mulherLivreto sobre violência contra a mulher
Livreto sobre violência contra a mulherGerhard Brêda
 
Oficina de redação
Oficina de redaçãoOficina de redação
Oficina de redaçãohipolitus
 
Maioridade penal e direitos humanos
Maioridade penal e direitos humanosMaioridade penal e direitos humanos
Maioridade penal e direitos humanosaa. Rubens Lima
 
Carta Aberta da ABGLT à população brasileira sobre prisão arbitraria das duas...
Carta Aberta da ABGLT à população brasileira sobre prisão arbitraria das duas...Carta Aberta da ABGLT à população brasileira sobre prisão arbitraria das duas...
Carta Aberta da ABGLT à população brasileira sobre prisão arbitraria das duas...Grupo Dignidade
 
Maioridade penal e direitos humanos
Maioridade penal e direitos humanosMaioridade penal e direitos humanos
Maioridade penal e direitos humanosaa. Rubens Lima
 
João Leite é líder na 1ª pesquisa para Prefeitura de Belo Horizonte
João Leite é líder na 1ª pesquisa para Prefeitura de Belo HorizonteJoão Leite é líder na 1ª pesquisa para Prefeitura de Belo Horizonte
João Leite é líder na 1ª pesquisa para Prefeitura de Belo HorizonteCarlos Eduardo
 
João Paulo e Geraldo Julio lideram corrida pela Prefeitura do Recife
João Paulo e Geraldo Julio lideram corrida pela Prefeitura do RecifeJoão Paulo e Geraldo Julio lideram corrida pela Prefeitura do Recife
João Paulo e Geraldo Julio lideram corrida pela Prefeitura do RecifeCarlos Eduardo
 
Crivella lidera disputa eleitoral no Rio
Crivella lidera disputa eleitoral no RioCrivella lidera disputa eleitoral no Rio
Crivella lidera disputa eleitoral no RioCarlos Eduardo
 
Russomanno larga na frente na disputa pela Prefeitura de SP
Russomanno larga na frente na disputa pela Prefeitura de SPRussomanno larga na frente na disputa pela Prefeitura de SP
Russomanno larga na frente na disputa pela Prefeitura de SPCarlos Eduardo
 
Resumo resultados Pesquisa CNT/MDA - Outubro 2015
Resumo resultados Pesquisa CNT/MDA - Outubro 2015Resumo resultados Pesquisa CNT/MDA - Outubro 2015
Resumo resultados Pesquisa CNT/MDA - Outubro 2015Miguel Rosario
 
Relatório detalhado Datafolha - pesquisa intenção de voto presidente da repúb...
Relatório detalhado Datafolha - pesquisa intenção de voto presidente da repúb...Relatório detalhado Datafolha - pesquisa intenção de voto presidente da repúb...
Relatório detalhado Datafolha - pesquisa intenção de voto presidente da repúb...Miguel Rosario
 

Mais procurados (18)

Violência
ViolênciaViolência
Violência
 
Livreto sobre violência contra a mulher
Livreto sobre violência contra a mulherLivreto sobre violência contra a mulher
Livreto sobre violência contra a mulher
 
Maioridade penal - o absurdo da redução.
Maioridade penal - o absurdo da redução.Maioridade penal - o absurdo da redução.
Maioridade penal - o absurdo da redução.
 
Cessar-fogo_parte 3
Cessar-fogo_parte 3Cessar-fogo_parte 3
Cessar-fogo_parte 3
 
Oficina de redação
Oficina de redaçãoOficina de redação
Oficina de redação
 
Anuário Brasileiro de Segurança Pública - ano 10
Anuário Brasileiro de Segurança Pública - ano 10Anuário Brasileiro de Segurança Pública - ano 10
Anuário Brasileiro de Segurança Pública - ano 10
 
Jovens Delinquentes Paulistanos
Jovens Delinquentes PaulistanosJovens Delinquentes Paulistanos
Jovens Delinquentes Paulistanos
 
Maioridade penal e direitos humanos
Maioridade penal e direitos humanosMaioridade penal e direitos humanos
Maioridade penal e direitos humanos
 
Carta Aberta da ABGLT à população brasileira sobre prisão arbitraria das duas...
Carta Aberta da ABGLT à população brasileira sobre prisão arbitraria das duas...Carta Aberta da ABGLT à população brasileira sobre prisão arbitraria das duas...
Carta Aberta da ABGLT à população brasileira sobre prisão arbitraria das duas...
 
Jornalismo preconceito racial matéria
Jornalismo   preconceito racial matériaJornalismo   preconceito racial matéria
Jornalismo preconceito racial matéria
 
Maioridade penal e direitos humanos
Maioridade penal e direitos humanosMaioridade penal e direitos humanos
Maioridade penal e direitos humanos
 
João Leite é líder na 1ª pesquisa para Prefeitura de Belo Horizonte
João Leite é líder na 1ª pesquisa para Prefeitura de Belo HorizonteJoão Leite é líder na 1ª pesquisa para Prefeitura de Belo Horizonte
João Leite é líder na 1ª pesquisa para Prefeitura de Belo Horizonte
 
Vitimas da cor
Vitimas da corVitimas da cor
Vitimas da cor
 
João Paulo e Geraldo Julio lideram corrida pela Prefeitura do Recife
João Paulo e Geraldo Julio lideram corrida pela Prefeitura do RecifeJoão Paulo e Geraldo Julio lideram corrida pela Prefeitura do Recife
João Paulo e Geraldo Julio lideram corrida pela Prefeitura do Recife
 
Crivella lidera disputa eleitoral no Rio
Crivella lidera disputa eleitoral no RioCrivella lidera disputa eleitoral no Rio
Crivella lidera disputa eleitoral no Rio
 
Russomanno larga na frente na disputa pela Prefeitura de SP
Russomanno larga na frente na disputa pela Prefeitura de SPRussomanno larga na frente na disputa pela Prefeitura de SP
Russomanno larga na frente na disputa pela Prefeitura de SP
 
Resumo resultados Pesquisa CNT/MDA - Outubro 2015
Resumo resultados Pesquisa CNT/MDA - Outubro 2015Resumo resultados Pesquisa CNT/MDA - Outubro 2015
Resumo resultados Pesquisa CNT/MDA - Outubro 2015
 
Relatório detalhado Datafolha - pesquisa intenção de voto presidente da repúb...
Relatório detalhado Datafolha - pesquisa intenção de voto presidente da repúb...Relatório detalhado Datafolha - pesquisa intenção de voto presidente da repúb...
Relatório detalhado Datafolha - pesquisa intenção de voto presidente da repúb...
 

Semelhante a Racismo e violência policial contra negros

AULA 1 - PSICOLOGIA E RELAÇÕES ETNICO-RACIAIS.pdf
AULA 1 - PSICOLOGIA E RELAÇÕES ETNICO-RACIAIS.pdfAULA 1 - PSICOLOGIA E RELAÇÕES ETNICO-RACIAIS.pdf
AULA 1 - PSICOLOGIA E RELAÇÕES ETNICO-RACIAIS.pdfSilierAndradeCardoso
 
Violência Racial e Violência Policial
Violência Racial e Violência PolicialViolência Racial e Violência Policial
Violência Racial e Violência PolicialCleiton Miler
 
Livreto sobre violência contra a mulher
Livreto sobre violência contra a mulherLivreto sobre violência contra a mulher
Livreto sobre violência contra a mulherPaulo Cesar Almeida
 
Homicídios de crianças e adolescentes
Homicídios de crianças e adolescentesHomicídios de crianças e adolescentes
Homicídios de crianças e adolescentesLucas Nacre
 
Relatório Anual 2019 da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da ALERJ
Relatório Anual 2019 da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da ALERJRelatório Anual 2019 da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da ALERJ
Relatório Anual 2019 da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da ALERJAscomRenata
 
A D O L E S C E N T E, F A MÍ L I A, S O C I E D A D E
A D O L E S C E N T E,  F A MÍ L I A,  S O C I E D A D EA D O L E S C E N T E,  F A MÍ L I A,  S O C I E D A D E
A D O L E S C E N T E, F A MÍ L I A, S O C I E D A D Echristall
 
Dados da Violência Contra a Mulher (1)
Dados da Violência Contra a Mulher (1)Dados da Violência Contra a Mulher (1)
Dados da Violência Contra a Mulher (1)Conceição Amorim
 
Apresentação do 4º Boletim de Análise Político-Institucional - Participação, ...
Apresentação do 4º Boletim de Análise Político-Institucional - Participação, ...Apresentação do 4º Boletim de Análise Político-Institucional - Participação, ...
Apresentação do 4º Boletim de Análise Político-Institucional - Participação, ...Danilo de Azevedo
 
Dados Sobre As Desigualdades Raciais No Brasil Site Mundo Negro
Dados Sobre As Desigualdades Raciais No Brasil   Site Mundo NegroDados Sobre As Desigualdades Raciais No Brasil   Site Mundo Negro
Dados Sobre As Desigualdades Raciais No Brasil Site Mundo Negroguesta7e113
 
Maioridade penal e direitos humanos
Maioridade penal e direitos humanosMaioridade penal e direitos humanos
Maioridade penal e direitos humanosaa. Rubens Lima
 
Os Homicídios no Nordeste Brasileiro
Os Homicídios no Nordeste BrasileiroOs Homicídios no Nordeste Brasileiro
Os Homicídios no Nordeste BrasileiroJamildo Melo
 

Semelhante a Racismo e violência policial contra negros (20)

Violência Urbana 2019.pptx
Violência Urbana 2019.pptxViolência Urbana 2019.pptx
Violência Urbana 2019.pptx
 
"A Banalidade do Mal"
"A Banalidade do Mal""A Banalidade do Mal"
"A Banalidade do Mal"
 
AULA 1 - PSICOLOGIA E RELAÇÕES ETNICO-RACIAIS.pdf
AULA 1 - PSICOLOGIA E RELAÇÕES ETNICO-RACIAIS.pdfAULA 1 - PSICOLOGIA E RELAÇÕES ETNICO-RACIAIS.pdf
AULA 1 - PSICOLOGIA E RELAÇÕES ETNICO-RACIAIS.pdf
 
Violencia policial
Violencia policialViolencia policial
Violencia policial
 
Violência Racial e Violência Policial
Violência Racial e Violência PolicialViolência Racial e Violência Policial
Violência Racial e Violência Policial
 
Livreto sobre violência contra a mulher
Livreto sobre violência contra a mulherLivreto sobre violência contra a mulher
Livreto sobre violência contra a mulher
 
Homicídios de crianças e adolescentes
Homicídios de crianças e adolescentesHomicídios de crianças e adolescentes
Homicídios de crianças e adolescentes
 
Relatório Anual 2019 da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da ALERJ
Relatório Anual 2019 da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da ALERJRelatório Anual 2019 da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da ALERJ
Relatório Anual 2019 da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da ALERJ
 
nuzzi.pptx
nuzzi.pptxnuzzi.pptx
nuzzi.pptx
 
ADOLESCENTE
ADOLESCENTEADOLESCENTE
ADOLESCENTE
 
A D O L E S C E N T E, F A MÍ L I A, S O C I E D A D E
A D O L E S C E N T E,  F A MÍ L I A,  S O C I E D A D EA D O L E S C E N T E,  F A MÍ L I A,  S O C I E D A D E
A D O L E S C E N T E, F A MÍ L I A, S O C I E D A D E
 
Dados da Violência Contra a Mulher (1)
Dados da Violência Contra a Mulher (1)Dados da Violência Contra a Mulher (1)
Dados da Violência Contra a Mulher (1)
 
Ccriminalidade
CcriminalidadeCcriminalidade
Ccriminalidade
 
Juventude no alvo
Juventude no alvoJuventude no alvo
Juventude no alvo
 
Crimes de maio
Crimes de maioCrimes de maio
Crimes de maio
 
Apresentação do 4º Boletim de Análise Político-Institucional - Participação, ...
Apresentação do 4º Boletim de Análise Político-Institucional - Participação, ...Apresentação do 4º Boletim de Análise Político-Institucional - Participação, ...
Apresentação do 4º Boletim de Análise Político-Institucional - Participação, ...
 
Dados Sobre As Desigualdades Raciais No Brasil Site Mundo Negro
Dados Sobre As Desigualdades Raciais No Brasil   Site Mundo NegroDados Sobre As Desigualdades Raciais No Brasil   Site Mundo Negro
Dados Sobre As Desigualdades Raciais No Brasil Site Mundo Negro
 
Preconceito e ações afirmativas
Preconceito e ações afirmativasPreconceito e ações afirmativas
Preconceito e ações afirmativas
 
Maioridade penal e direitos humanos
Maioridade penal e direitos humanosMaioridade penal e direitos humanos
Maioridade penal e direitos humanos
 
Os Homicídios no Nordeste Brasileiro
Os Homicídios no Nordeste BrasileiroOs Homicídios no Nordeste Brasileiro
Os Homicídios no Nordeste Brasileiro
 

Mais de Saber interáreas SESI 005 - LIMEIRA

Mais de Saber interáreas SESI 005 - LIMEIRA (18)

9º ano C (Grupo 2) - Fome de quê?
9º ano C (Grupo 2) - Fome de quê?9º ano C (Grupo 2) - Fome de quê?
9º ano C (Grupo 2) - Fome de quê?
 
9º ano C (Grupo 1) - Fome de quê?
9º ano C (Grupo 1) - Fome de quê?9º ano C (Grupo 1) - Fome de quê?
9º ano C (Grupo 1) - Fome de quê?
 
9º ano C (Grupo 3) - Fome de quê?
9º ano C (Grupo 3) - Fome de quê?9º ano C (Grupo 3) - Fome de quê?
9º ano C (Grupo 3) - Fome de quê?
 
9º ano B (Grupo 3) - Racismo
9º ano B (Grupo 3) - Racismo9º ano B (Grupo 3) - Racismo
9º ano B (Grupo 3) - Racismo
 
9º ano B (Grupo 1) - Racismo
9º ano B (Grupo 1) - Racismo9º ano B (Grupo 1) - Racismo
9º ano B (Grupo 1) - Racismo
 
9º ano A (Grupo 3) - Pandemias
9º ano A (Grupo 3) - Pandemias9º ano A (Grupo 3) - Pandemias
9º ano A (Grupo 3) - Pandemias
 
9º ano A (Grupo 2) - Pandemias
9º ano A (Grupo 2) - Pandemias9º ano A (Grupo 2) - Pandemias
9º ano A (Grupo 2) - Pandemias
 
9º ano A (Grupo 1) - Pandemias
9º ano A (Grupo 1) - Pandemias9º ano A (Grupo 1) - Pandemias
9º ano A (Grupo 1) - Pandemias
 
8º ano C (Grupo 1) - Racismo e desigualdade
8º ano C (Grupo 1) - Racismo e desigualdade8º ano C (Grupo 1) - Racismo e desigualdade
8º ano C (Grupo 1) - Racismo e desigualdade
 
8º ano C (Grupo 2) - Racismo e desigualdade
8º ano C (Grupo 2) - Racismo e desigualdade8º ano C (Grupo 2) - Racismo e desigualdade
8º ano C (Grupo 2) - Racismo e desigualdade
 
8º ano B (Grupo 1) - O corpo em (des)ordem
8º ano B (Grupo 1) - O corpo em (des)ordem8º ano B (Grupo 1) - O corpo em (des)ordem
8º ano B (Grupo 1) - O corpo em (des)ordem
 
8º ano B (Grupo 2) - O corpo em (des)ordem
8º ano B (Grupo 2) - O corpo em (des)ordem8º ano B (Grupo 2) - O corpo em (des)ordem
8º ano B (Grupo 2) - O corpo em (des)ordem
 
8º ano A (Grupo 3) - Autoestima dos jovens
8º ano A (Grupo 3) - Autoestima dos jovens8º ano A (Grupo 3) - Autoestima dos jovens
8º ano A (Grupo 3) - Autoestima dos jovens
 
8º ano A (Grupo 2) - Autoestima dos jovens
8º ano A (Grupo 2) - Autoestima dos jovens8º ano A (Grupo 2) - Autoestima dos jovens
8º ano A (Grupo 2) - Autoestima dos jovens
 
8º ano A (Grupo 1) - Autoestima dos jovens
8º ano A (Grupo 1) - Autoestima dos jovens8º ano A (Grupo 1) - Autoestima dos jovens
8º ano A (Grupo 1) - Autoestima dos jovens
 
7º ano B (Grupo 3) - Let's play: jogo e improvisação
7º ano B (Grupo 3) - Let's play: jogo e improvisação7º ano B (Grupo 3) - Let's play: jogo e improvisação
7º ano B (Grupo 3) - Let's play: jogo e improvisação
 
7º ano B (Grupo 1) - Let's play: jogo e improvisação
7º ano B (Grupo 1) - Let's play: jogo e improvisação7º ano B (Grupo 1) - Let's play: jogo e improvisação
7º ano B (Grupo 1) - Let's play: jogo e improvisação
 
7º ano A (Grupo 3) - Let's play: jogo e improvisação
7º ano A (Grupo 3) - Let's play: jogo e improvisação7º ano A (Grupo 3) - Let's play: jogo e improvisação
7º ano A (Grupo 3) - Let's play: jogo e improvisação
 

Racismo e violência policial contra negros

  • 1. RACISMO E VIOLÊNCIA POLICIAL 9º ano B – Grupo 2 SESI 005 Limeira/SP 2020
  • 2. Quantidade de negros mortos em ações policiais Homens negros, sobretudo jovens, são as principais vítimas da violência policial no estado de São Paulo. A análise sobre taxas de 100 mil habitantes indica que a mortalidade de negros é pelo menos três vezes maior que a de brancos. Entre os anos de 2009 e 2011, 939 casos de ações policiais foram analisados. O resultado aponta que 61% das vítimas de morte por policiais eram negras. Dados sobre prisões em flagrantes também foram analisados, e os resultados demonstram que também há predominância de pessoas negras presas pela polícia. Cerca de 2,5 negros são presos para cada pessoa branca.
  • 3. Racismo institucional é uma forma de desenho da política pública que produz resultados diferentes para diferentes camadas sociais, do ponto de vista das características raciais. O racismo não envolve os agentes policiais como indivíduos, representando uma resposta às regras tradicionais das próprias instituições responsáveis por garantir a segurança da população. Apenas 1,6% dos autos investigados sobre assassinatos cometidos por policiais resultam em um inquérito policial. Racismo institucional e violência policial
  • 4.  Aqui no Brasil o preconceito de cor ressurge, pois sendo o sistema carcerário seletivo, por transbordamento se tem que a farsa da ressocialização também o é bem assim, a utilização da reincidência (ou suposta) como justificativa para a eliminação de pessoas negras, indígenas e brancas pobres.  As polícias podem ser órgãos democráticos, que defendem direitos e liberdades, reparando e prevenindo injustiças e violações, em benefício dos direitos do cidadão e da disseminação dos princípios de igualdade. Mas na prática a teoria é outra.  A taxa de morte dos pretos é maior que a dos pardos, e a dos pardos, por sua vez, maior que a dos brancos, o que significa que quanto mais escuro, maior o risco de ser assassinado. O Brasil faz parte de uma triste estatística, está no 3° lugar no assassinato de jovens entre 84 países.
  • 5.
  • 6. Quantidade de negros que são assassinados em diferentes estados  O Brasil ocupa um lugar de destaque no ranking dos países mais violentos do mundo, sendo o país que tem 11 das 30 cidades mais violentas do mundo, de acordo com os estudos a taxa média de homicídios global é de 6,2 por 100 mil habitantes.  Rio de Janeiro e São Paulo são estados que, segundo a representação, concederam uma verdadeira “licença para matar”, em especial para jovens negros, que tem 2,5 vezes mais risco de ser vítima de homicídio do que brancos ou amarelos. No Brasil, os registros apontam que em cada 10 assassinatos praticados por ano, 7 são contra a população negra.
  • 7.  No Rio, comparando-se com o total de homicídios no estado, a polícia foi responsável por 28,6% de todas as mortes, número que era 16,3% em 2017. Porém, a atuação sanguinária das polícias é maior na capital, representando 38,3% de todas as mortes, e na Grande Niterói, com 38,7%.  No Ceará, mesmo com uma redução de quase 57% de homicídios, a polícia nunca matou tanto como em janeiro desse ano: foram 28 mortes. E apesar da redução significativa nos dois meses seguintes, no acumulado do trimestre a polícia matou uma pessoa a cada 2 dias.  No Amazonas, 17 pessoas foram mortas pela polícia. O secretário de segurança pública disse à imprensa que “quem levantar arma e trocar tiro com a polícia no Amazonas causará o choro de suas famílias”.
  • 8.
  • 9. Homicídio de jovens negros e pobres  Hoje em dia nós vemos o quanto os negros sofrem com racismo e, cada vez mais se aumenta a taxa de mortalidades negra.  Cada dia que passa aumenta ainda mais a violência dos policiais com os negros e na maioria das vezes muitos deles são inocentes.  O desemprego também aumenta cada dia mais, pois nem todos os lugares contratam pessoas negras e isso acaba afetando o país e o resumo de tudo isso é de que o negro simplesmente é excluído de muitas coisas e acabam sendo prejudicados, sendo alvos constantes de abordagens policiais violentas.
  • 10. Taxa de mortalidade de negros  Dados do recente anuário brasileiro de segurança pública, com base nos registros policiais, estimam que cerca de 4.222 pessoas foram vítimas de agentes de segurança, os números apontam que foram 76,2 pessoas negras.  A taxa de mortalidade de negros foi 2,5 vezes maior do que a de não negros. O crescimento do discurso e da violência preocupa, e apresentou também que o número de assassinatos de negros foram de 62.517 , bem maior que os brancos.  E a violência vem piorando cada vez mais e mais. O Estado quer adotar políticas ao combate ao racismo, com conceito de segurança e desenvolvimento nas prevenções, e violência e insegurança das pessoas, principalmente negros.
  • 11. Mortalidade de negros nas favelas – O alvo  A seleção do suspeito nas abordagens policiais nas periferias é orientada pelo preconceito contra o jovem, sobretudo do sexo masculino, pelo preconceito aplicado aos pobres e pelo racismo contra os negros.  Os registros de homicídios fornecem poucos dados sobre as vítimas. Somente a partir de 1996 a identificação de cor/raça/etnia passou a ser obrigatória nas declarações de óbito.  Esta ausência da identificação da cor em homicídios não é por acaso, e responde à necessidade da negação do racismo e seus efeitos por parte do Estado.
  • 12. REFERÊNCIAS  https://lunatenorio.jusbrasil.com.br/artigos/114873464/estudo-sobre-violencia-policial-revela-racismo- institucional-na-pm-de-sp  https://ponte.org/ong-brasileira-denuncia-violencia-policial-contra-negros-para-entidades- internacionais/#/  https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1362450  https://www.educafro.org.br/site/wp- content/uploads/2014/07/juventude__20negra_seguran_C3_A7a_20publica.pdf  https://br.noticias.yahoo.com/brasil-combate-perseguicao-negros-182835267.html