SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 70
Baixar para ler offline
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SOUSEL
ESCOLA BÁSICA PADRE JOAQUIM MARIA FERNANDES
SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO – SPO
“…a família é uma rede complexa de
relações e emoções, na qual todos os
indivíduos são essenciais. Mais do que a
soma dos elementos que compõem a
família, ela é um contexto privilegiado de
transmissão de vida, afetos, cultura,
referências éticas e desenvolvimento
moral.”
(Relvas &Alarcão, 2002)
“Asituação atual obriga a uma
análise da realidade das famílias
no mundo moderno, sem
estigmatizar nem julgar, já que
existe uma crise do modelo
tradicional de família, mais do que
uma ‘crise da família’ ”.
Contexto atual
Pensar a família é pensá-la no
tempo, no decorrer do seu
percurso de vida;
Não se trata de idealizar a
família: ela pode ou não ser
um lugar seguro para as
crianças e adolescentes
crescerem.
1. Aumento da expectativa de vida;
2. Aumento da participação da
mulher no mercado de trabalho;
3. Famílias menores;
4. Famílias mais instáveis
socialmente;
5. Mobilidade das famílias é maior;
6. Menos tempo de convivência.
1. Crescimento de separações/divórcios
2. Casamentos e recasamentos
3. Famílias monoparentais
4. Mulheres chefes de família
5. Famílias reconfiguradas (pluriparental)
6. Famílias homo afetivas
7. Famílias unipessoais
8. Famílias não parentais
Repensar a família
Que família?
• Carácter subjectivo do conceito de família– Quando
penso em famíliaem quem penso?
https://www.youtube.com/watch?v=f2ai4OC1BIg&index=3&list=PLEB8EFE65B1ABDA70
Formação
do casal
Família com
filhos
na escola
Família com
filhos
adultos
Família com
filhos
pequenos
Ajustamento conjugal de modo a criar espaço para o filho
Aprendizagem dos papéis parentais
Realinhamento das relações com famílias de origem
Abertura do sistema familiar ao
mundo extrafamiliar
1º teste à competência da
família
Triângulo família-escola
Ajustamento à maior
autonomia da criança
Família com
filhos
adolescentes
Mudança nas relações pais-filhos
Recentração nos aspectos da vida
conjugal e profissional
Início da função de suporte à
geração mais velha
Sucesso...
Realizações...
Obediência...
Realizem o que não
conseguiram conquistar
Boa auto-estima
Autonomia
Sejam felizes
I
nvestimento
Parental
PARENTALIDADE POSITIVA
Desligad
os
Crianças
não
envolvidas
Crianç
as
líderes
Autoritários
Autorizados
Crianç
as
Passiv
as
Permissiv
os
Criança
s
exigent
es
Baixas competências
sociais, emocionais e
cognitivas
Baixos resultados
escolares
Desordem de
conduta
Boa auto-
estima Baixa
empatia
Rebeldes
Mimadas
Resultados escolares
baixos
ou médios
Problemas
comportamento
Baixa auto-
estima
Empáticas
Obedientes
Resultados escolares
médios/bons Problemas
emocionais
Altas competências sociais e
emocionais Curiosas, criativas
Auto-reguladas e socialmente
responsáveis Excelentes resultados
escolares
Eficazes
***
***
*
*
As figuras parentais são a influência mais
determinante no comportamento de uma
criança a curto, médio e longo prazos
Christine Clark & Kevin H. Gross: Adolescent Health-Risk Behaviors: The Effect of Perceived
Parenting Style and Race
Estilos educativos parentais avaliados pelos adolescentes
Risco de problemas de saúde mental: avaliado com base no consumo de alcool, marijuana e tabaco
Efeito do
envolvimento
parental no sucesso
escolar→
Encorajar os comportamentos desejados e as
competências
(em vez de apenas desencorajar e parar o
comportamento não desejado)
Resposta sensível às necessidades das crianças
(em vez de ignorar os seus sinais)
Colocar limites de forma firme e calma
(em vez de explodir de forma imprevisivel e
violenta)
Stephen Scott, 2003 03/03/2015
• Considerando que “Pais”: são as
pessoas com responsabilidade parental;
como um comportamento
• A “Parentalidade Positiva”: define-se
parental
baseado no melhor interesse da criança
e que assegura a satisfação das
principais necessidades das crianças e a
sua capacitação sem violência,
proporcionando-lhe o reconhecimento e
a orientação necessários, o que implica
a fixação de limites ao seu
comportamento, para possibilitar o seu
pleno desenvolvimento”.
Parentalidade positiva
(Recomendação do Conselho da Europa, Lisboa 2006)
ENTRE A FAMÍLIA EA ESCOLA
O QUE OS PAIS PODEM FAZER
PARA PROMOVER O SUCESSO
ESCOLAR DOS FILHOS
Envolvimento Parental na Escola:
Porquê?
https://www.youtube.com/watch?v=lYttP-cG_8s&index=2&list=PLEB8EFE65B1ABDA70
A famíliaé o primeiro contexto de
desenvolvimento e de aprendizagem
Os pais são uma importante fonte de apoio
Gráfico: Percepção do apoio recebido por crianças do 1ºciclo (Pereira, 2007)
A famíliaé insubstituível…
Relação vitalícia
Exclusividade e individualização da relação
Vivências e contextos diversos
Função de protecção e de socialização
Os pais influenciam a aprendizagem…
•Jogando, questionando, ensinado apensar e a estudar…
•Promovendo o acesso adiversos recursos (livros,internet,…)
Mas também exercem asua influência de forma mais indirecta…
•Os pais como fonte de amor e suporte que permitem asegurança necessária a uma
adequada exploração do meio;
•Os pais como modelos ou exemplos que acriança observa no seuquotidiano;
•A famíliacomo transmissora de atitudes,expectativas e aspirações acerca da
aprendizagem e da escola.
A famíliaé o primeiro contexto de
desenvolvimento e de aprendizagem
Os pais devem ser os primeiros parceiros da
escola …
Benefícios do envolvimento parental na escola
FILHOS
Maior sucesso escolar
Menor número de problemas comportamentais e indisciplina
Aumento de aptidões sociais e de auto-estima
Menor absentismo e atitudes positivas faceà escola
Benefícios do envolvimento parental na escola
PAIS
Maior conhecimento das dificuldades /progressos do filho
Respostas mais adequadas aos problemas dos filhos
Maior conhecimento dos programas e políticas escolares
Atitudes mais positivas faceà escola e ao pessoal escolar
Desenvolvimento de formas mais positivas de parentalidade e maior auto-confiança
Maior troca de experiências com outras famílias
Benefícios do envolvimento parental na escola
PROFESSORES
Descrevem menos problemas com os alunos
Compreendem melhor as necessidades, preocupações e objetivos da família
relativamente à criança
Mais centrados na criança e maior reconhecimento da sua diversidade
Envolvimento Parental na Escola:
Como?
1. Promovendo as condições básicas para a aprendizagem
2. Comunicando com aescola: ouvir e fazer-se ouvir
3. Participar nas atividades desenvolvidas na escola
4. Promovendo atividades de aprendizagem em casa
5. Participar ativamentena tomada de decisões
(Epstein,1987)
Existem diferentes formas da famíliase envolver
na escola
1.Promover as condições básicas para a aprendizagem
O que sabemos acercade COMPORTAMENTOS PARENTAIS promotores de um
desenvolvimento saudável
A. Ser afetuoso, estar sensível às necessidades da criança e responder a
essas necessidades de forma adequada
Mitoa combater:serafetuosoeresponderadequadamenteàs necessidadesda criança
torna-a mimada
1.Promover as condições básicas para a aprendizagem
B. Estabelecer regras e limites claros do que é o comportamento
aceitávele fazer cumprir consistentemente estas regras
Mitoa combater:estabelecerlimitesepunira criançaquandoelanão cumpreesseslimites
“traumatiza”
C. Estar atento e monitorizar as atividades dos filhos
(Com quem estão? Onde estão? O que estão afazer?)
Mitoa combater:As crianças,hámedidaquecrescem,nãonecessitamdamonitorização
dos pais
1.Promover as condições básicas para a aprendizagem
D. Oferecer um modelo positivo (de respeito pelos outros, de resolução
de conflitos, de honestidade, de esforço e empenho no trabalho)
Mito a combater: façam o que eu digo e não o que eu faço
1.Promover as condições básicas para a aprendizagem
OS PAISAUTORITATIVOS
•São afetuosos, apoiantes e empenhados em proporcionar um ambiente
estimulante e desafiador
.
•Valorizam, simultaneamente, avontade própria e aconformidade àdisciplina.
Fazem prevalecer asua perspetiva enquanto adultos, mas reconhecem os
interesses individuais e as características específicas das crianças.
•Exercem um controlo firme e consistente quando surgem divergências entre
pais e filhos, mas sem serem restritivos.
(Baumrind,1971)
1.Promover as condições básicas para a aprendizagem
OS PAISAUTORITATIVOS
•Os pais não baseiam as suas decisões no consenso de grupo ou no
desejo das crianças, mas também não se consideram infalíveis.
•Reforçam e valorizam as qualidades atuaisdos seus filhos,mas também
estabelecem padrões para comportamento futuro.
(Baumrind,1971)
2.Comunicar com aescola
• O contacto directo e individual entre afamíliae o professor /diretor de
turma é importante;
• Os pais devem procurar informação acercadas evoluções e dificuldades da
criança e procurar saber como podem ajudá-laa progredir;
• Os pais devem partilhar sempre as preocupações/questões que considerem
pertinentes junto do professor;
• Os pais devem estar informados acercado projeto educativo da escola,do
regulamento interno, do projeto curricular deturma.
2.Comunicar com aescola
• Estar presente nos diferentes acontecimentos da escola (festas, dias
comemorativos, acontecimentosdesportivos,...);
• Estar disponível para contribuir com os seus talentos e competências para
uma maior diversificação do processo de ensino aprendizagem na escola (ler
histórias, falarsobre profissão…);
• Esta é uma oportunidade para conhecer melhor como o seu filho funciona
noutros contextos, o espaço escolar
, os amigos/colegas do filho, os pais dos
amigos/colegasdos filhos.
3.Participar nas atividades desenvolvidas na escola
4.Promover atividades de aprendizagem em casa
Os pais devem proporcionar um contexto de aprendizagem estimulante e
diversificado:
Falar com acriança sobre aspetos daatualidade e ouvir o seu ponto de vista;
Perguntar porquê e encorajar acriança a questionar-se.
4.Promover atividades de aprendizagem em casa
Os pais devem proporcionar um contexto de aprendizagem estimulante e
diversificado:
Estimular o interesse pela leitura
Servir de modelo – deixar que acriança o vejaa ler
Ir àbiblioteca com acriança e procurar livros que sejam do seuinteresse
Ver recomendações do
Plano Nacional de Leitura:
www.planonacionaldeleitura.gov.pt
4.Promover atividades de aprendizagem em casa
•Os pais devem proporcionar um contexto de aprendizagem estimulante e
diversificado (cont.):
Ir amuseus e locais com interesse científico, histórico e cultural
Encorajar acriança aescrever acerca das suas própriasexperiências
Limitar o tempo de televisão/internet e supervisionar conteúdos, discutir e
conversar sobre o que se viu
Ver recomendações:
www.miudossegurosna.net
4.Promover atividades de aprendizagem em casa
•Os pais devem reforçar as aprendizagens escolares:
Estar apar das competências/aprendizagens exigidas ao aluno em cada ano
Supervisionar e ajudaracriança quando necessário nos t.p.c.
Ajudar acriança aplaneare tirar partido do seutempo
Organizar um espaço para acriança estudar e estabelecer rotinas de estudo
Acompanhar e ajudarapreparar os momentos deavaliação
Reforçar os progressos
5.Participar activamente na tomada de decisões
•É importante que os pais participem na associação de pais e noutros grupos
que tenham por objetivo a representação dos pais na tomada de decisões acerca
da escola;
• Os pais devem ser envolvidos em ações concretas para amelhoria da escola;
•Os pais podem contribuir para areforma e melhoria da educação nas escolas.
A. I.F. Pereira
Mas o grande desafio é mesmo…passar àprática
este conhecimento
O que sabemos acerca
da autoridade parental?
Autoridade Eficaz
Resposta às necessidades dos filhos
+
Exigência de padrões de
comportamento adequados
Compreender as mudanças que ocorrem durante
as diferentes fases de desenvolvimento
Compreender as necessidades da criança
Agir de acordo com as mudanças e necessidades
da criança
Como exigir padrões de comportamento
adequados?
• Apoio, comunicação,
estabilidade
• Valorização
• Monitorização
• Regras
Algumas estratégias
para diminuir
comportamentos
problemáticos
+
DESENVOLVER UMA RELAÇÃO POSITIVA
Tempo, comunicação, apoio,estabilidade
ELOGIAR E REFORÇAR
MONITORIZAR
LIMITES E REGRAS
ESTRATÉGIAS
PARA DIMINUIR
COMPORTAMENTO
S PROBLEMÁTICOS
Mito a combater: ser afetuoso e responder adequadamente às necessidades
da jovem torna-o mimado
DESENVOLVER UMA RELAÇÃO POSITIVA
Tempo, comunicação, apoio,estabilidade
ELOGIAR E REFORÇAR
MONITORIZAR
LIMITES E REGRAS
ESTRATÉGIAS
PARA DIMINUIR
COMPORTAMENTO
S PROBLEMÁTICOS
LIMITES E REGRAS
MONITORIZAR
ELOGIAR E REFORÇAR
DESENVOLVER UMA RELAÇÃO POSITIVA
Tempo, comunicação, apoio,estabilidade
Que mensagens para a criança?
Gosto muito de ti, aceito-te como és
Valorizo as coisas positivas que fazes
Sei do que precisas e procuro
corresponder
Tenho tempo e disponibilidade para
ti
Carinho, respeito, interesse,atenção
às mudanças, supervisão, limites
claros, comunicação.
suporte, afeto, envolvimento
Fazer acontecer
Criar espaços de comunicação
Ouvir
Parar, olhar, não interromper, ajudar a
criança a expressar-se, compreender
e transmitir compreensão
Falar
Olhar, falar calmamente e confirmar
se o outro percebeu
I. Desenvolver uma relação positiva
Comunicar com a criança
A importância dasrotinasfamiliares:
• Facilitam a organização do tempo
• Facilitam a coordenação entre os elementos da família
• Tornam o dia-a-dia previsível
Ambientes estruturados contribuem para dar estabilidade e segurança
à criança
Limites, regras, expectativas, controlo,
monitorização
Mito a combater: os comportamentos positivos da criança não são mais
do que a sua obrigação, pelo que não são dignos de atenção especial
DESENVOLVER UMA RELAÇÃO POSITIVA
Tempo, comunicação, apoio,estabilidade
ESTRATÉGIAS
PARA DIMINUIR
COMPORTAMENTO
S PROBLEMÁTICOS
LIMITES E REGRAS
MONITORIZAR
ELOGIAR E REFORÇAR
A criança precisa de serelogiada e valorizada…
O quê
Elogie comportamentos positivos –não guarde o elogio apenas
para comportamentos perfeitos
Elogie comportamentos que indiquem esforço e progressos e
não apenas o comportamento final
Quando
Faça o elogio imediatamente após o comportamento positivo
Como
Faça elogios específicos e realistas
Acompanhe o elogio com sorrisos, contacto visual e entusiasmo
Dê abraços e beijos juntamente com o elogio
Elogie a criança à frente de outras pessoas
Mito a combater: as crianças não precisam de supervisão dos pais
ou As crianças têm de ser protegidos de todos os riscos
DESENVOLVER UMA RELAÇÃO POSITIVA
Tempo, comunicação, apoio,estabilidade
ESTRATÉGIAS
PARA DIMINUIR
COMPORTAMENTO
S PROBLEMÁTICOS
LIMITES E REGRAS
MONITORIZAR
ELOGIAR E REFORÇAR
Encorajar a autonomia e respeitar as suas
opções, mas…
Perguntas-chave
• Onde está? Qual o horário?
• Com quem está? Conheço os seus amigos?
• O que está a fazer?
• Quando regressa? Como regressa?
Mito a combater: as crianças sabem o que se espera delas
DESENVOLVER UMA RELAÇÃO POSITIVA
Tempo, comunicação, apoio,estabilidade
ESTRATÉGIAS
PARA DIMINUIR
COMPORTAMENTO
S PROBLEMÁTICOS
LIMITES E REGRAS
MONITORIZAR
ELOGIAR E REFORÇAR
Estabeleça regras razoáveis.
Defina regras explícitas, claras, concretas e
positivas.
Estabeleça um número razoável de regras.
Defina a regra a cumprir e consequências
pelo seu incumprimento (exemplo, perda
de privilégios).
Não estabeleça regras que não consiga
ou não queira fazer cumprir.
Tente estabelecer regras gerais para
toda a família.
Exija o cumprimento sistemático das
regras estabelecidas.
O que posso fazer para REFORÇAR o comportamento
alternativo positivo?
REFORÇO POSITIVO
Aplicação de consequências positivas após a ocorrência do
comportamento desejável (objetos, regalias, atividades,
atenção, elogio, afeto…)
Exemplo: Se te portares bem todos os dias desta semana,
na semana a seguir podes fazer o que mais gostas nos
últimos 15 minutos antes de ires para a cama.
RETIRARA ATENÇÃO
Por vezes, reforçamos os comportamentos problemáticos
apenas com a nossa atenção mesmo que negativa (ralhar,
culpar). Nesse caso, devemos retirar a atenção.
COMO?
•Face à exibição do comportamento “fingir que não vê ou ouve”
•Afastar-se fisicamente da crianças, mas manter-se no mesmo espaço se
possível
•Evitar o contacto visual
•Dar novamente atenção assim que o comportamento desadequado seja
interrompido
•Dar atenção aos comportamentos positivos
O que posso fazer para deixar de reforçar o
comportamento problemático?
O que posso fazer para punir o comportamento
problemático?
RETIRARPRIVILÉGIOS
Perda de bens, atividades ou regalias valorizados pela criança
devido à exibição de comportamentos desadequados
COMO?
•Negociar com a criança os custos dos comportamentos que se pretendem
reduzir
•Selecionar custos que tenham uma relação lógica com os comportamentos a
diminuir
•Retirar os bens ou regalias ou interromper a atividade agradável face à
exibição do comportamento indesejável
1.Escolhendo, do “menu de punidores” do sujeito,
aquele que parece, por hipótese, o mais adequado e
eficaz.
2.Os punidores negativos (remoções) são
frequentemente usados, porém mal usados.
3.Não se devem estender os efeitos das punições para
além de um tempo razoável, a fim de não se correr o
risco de outros comportamentos adequados ficarem
sob punição. Por exemplo, privar a criança de ver
televisão durante uma semana faz com que outros
comportamentos adequados estejam a ser punidos.
4.Pelos mesmos motivos, as punições não devem ser
aplicadas muito depois da ocorrência do
comportamento a punir.
5.A punição, uma vez decidida, não deve ser
negociada.
6.Quando se pretende avisar que irá ser aplicada uma
punição, o aviso deverá ser descritivo (“se continuares a
atirar os brinquedos, irás apanhá-los um a um e pedir
desculpa pela confusão que estás a causar”). Nunca
poderá ser ambíguo. Evitar afirmações do tipo “se
continuares assim, nem sabes o que te vai acontecer”.
7.Falhas na aplicação da punição podem aumentar a
resistência à eliminação do comportamento.
A disciplina é um
instrumento para educar
e vai muito além da
punição.
A melhor fonte de
disciplina é crescer numa
família afetuosa e atenta.
https://www.youtube.com/watch?v=qXocYehhwQg&list
=PLEB8EFE65B1ABDA70&index=1
http://smmafalda.wix.com/spoaesousel
E quando os Pais têm dúvidas…
O que fazer???
OBRIGADA PELA VOSSA
ATENÇÃO!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

[c7s] Palestra para pais do Fundamental I 2011 - Quem me educa
[c7s] Palestra para pais do Fundamental I 2011 - Quem me educa[c7s] Palestra para pais do Fundamental I 2011 - Quem me educa
[c7s] Palestra para pais do Fundamental I 2011 - Quem me educa7 de Setembro
 
Família e escola: A união como solução da educação no mundo.
Família e escola: A união como solução da educação no mundo.Família e escola: A união como solução da educação no mundo.
Família e escola: A união como solução da educação no mundo.Kássia Quadros Ferreira
 
A importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de EducarA importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de EducarClaudia Dutra
 
Estabelecendo limites
Estabelecendo limitesEstabelecendo limites
Estabelecendo limitesCras Macatuba
 
Transtornos de atenção e de aprendizagem
Transtornos de atenção e de aprendizagemTranstornos de atenção e de aprendizagem
Transtornos de atenção e de aprendizagemCaio Grimberg
 
A importancia familia
A importancia familia A importancia familia
A importancia familia Elsa Cristina
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoruibraz
 
PARENTALIDADE Positiva - um guia para proteção de noss@s filh@s
PARENTALIDADE Positiva - um guia para proteção de noss@s filh@sPARENTALIDADE Positiva - um guia para proteção de noss@s filh@s
PARENTALIDADE Positiva - um guia para proteção de noss@s filh@sProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Desenvolvimento infantil - o que é prórpio de cada idade
Desenvolvimento infantil - o que é prórpio de cada idadeDesenvolvimento infantil - o que é prórpio de cada idade
Desenvolvimento infantil - o que é prórpio de cada idadeLara Kessia Martins Ávila
 
O relatório psicológico deve conter, modelo de laudo
O relatório psicológico deve conter, modelo de laudoO relatório psicológico deve conter, modelo de laudo
O relatório psicológico deve conter, modelo de laudoAna Cristina Balthazar
 
A infância com disciplina positiva
A infância com disciplina positivaA infância com disciplina positiva
A infância com disciplina positivaLilian Ferraz
 
Emoções básicas
Emoções básicasEmoções básicas
Emoções básicasDalila Melo
 
Família x Escola
Família x EscolaFamília x Escola
Família x Escolaestercotrim
 

Mais procurados (20)

[c7s] Palestra para pais do Fundamental I 2011 - Quem me educa
[c7s] Palestra para pais do Fundamental I 2011 - Quem me educa[c7s] Palestra para pais do Fundamental I 2011 - Quem me educa
[c7s] Palestra para pais do Fundamental I 2011 - Quem me educa
 
Família e escola: A união como solução da educação no mundo.
Família e escola: A união como solução da educação no mundo.Família e escola: A união como solução da educação no mundo.
Família e escola: A união como solução da educação no mundo.
 
A importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de EducarA importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de Educar
 
Familia e autismo
Familia e autismoFamilia e autismo
Familia e autismo
 
Estabelecendo limites
Estabelecendo limitesEstabelecendo limites
Estabelecendo limites
 
Transtornos de atenção e de aprendizagem
Transtornos de atenção e de aprendizagemTranstornos de atenção e de aprendizagem
Transtornos de atenção e de aprendizagem
 
Comunicação dos pais para com os filhos
Comunicação dos pais para com os filhosComunicação dos pais para com os filhos
Comunicação dos pais para com os filhos
 
A importancia familia
A importancia familia A importancia familia
A importancia familia
 
Palestra para pais
Palestra para paisPalestra para pais
Palestra para pais
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
PARENTALIDADE Positiva - um guia para proteção de noss@s filh@s
PARENTALIDADE Positiva - um guia para proteção de noss@s filh@sPARENTALIDADE Positiva - um guia para proteção de noss@s filh@s
PARENTALIDADE Positiva - um guia para proteção de noss@s filh@s
 
Como Manejar a Ansiedade?
Como Manejar a Ansiedade?Como Manejar a Ansiedade?
Como Manejar a Ansiedade?
 
Desenvolvimento infantil - o que é prórpio de cada idade
Desenvolvimento infantil - o que é prórpio de cada idadeDesenvolvimento infantil - o que é prórpio de cada idade
Desenvolvimento infantil - o que é prórpio de cada idade
 
O relatório psicológico deve conter, modelo de laudo
O relatório psicológico deve conter, modelo de laudoO relatório psicológico deve conter, modelo de laudo
O relatório psicológico deve conter, modelo de laudo
 
A relação família-escola
A relação família-escolaA relação família-escola
A relação família-escola
 
A infância com disciplina positiva
A infância com disciplina positivaA infância com disciplina positiva
A infância com disciplina positiva
 
Emoções básicas
Emoções básicasEmoções básicas
Emoções básicas
 
Família x Escola
Família x EscolaFamília x Escola
Família x Escola
 
Desenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantilDesenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantil
 
Autismo: o que os profissionais precisam saber?
Autismo: o que os profissionais precisam saber?Autismo: o que os profissionais precisam saber?
Autismo: o que os profissionais precisam saber?
 

Semelhante a Formacao-Parentalidade-Positiva-Diapositivos.pptx

Relação Família Escola
Relação Família EscolaRelação Família Escola
Relação Família EscolaJoaquim Colôa
 
Desenvolvimento psicossocial na terceira infância
Desenvolvimento psicossocial na terceira infânciaDesenvolvimento psicossocial na terceira infância
Desenvolvimento psicossocial na terceira infânciaAdilson Rodrigues Furtado
 
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamentalPrimeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamentalPatriciaOliver29
 
A família e a Aprendizagem dos Filhos.pptx
A família e a Aprendizagem dos Filhos.pptxA família e a Aprendizagem dos Filhos.pptx
A família e a Aprendizagem dos Filhos.pptxmickellesousa2
 
55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)
55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)
55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)Welida Alves da Cruz
 
Os pais e a formação do bom aluno
Os pais e a formação do bom alunoOs pais e a formação do bom aluno
Os pais e a formação do bom alunoTania G. Pereira
 
Conflitos entre escolares
Conflitos entre escolaresConflitos entre escolares
Conflitos entre escolaresRenata Peruce
 
LiçãO 06 Educando Os Filhos I
LiçãO 06 Educando Os Filhos ILiçãO 06 Educando Os Filhos I
LiçãO 06 Educando Os Filhos Iguest06a00c
 
Importância da parceria família/escola no desenvolvimento e aprendizagem das ...
Importância da parceria família/escola no desenvolvimento e aprendizagem das ...Importância da parceria família/escola no desenvolvimento e aprendizagem das ...
Importância da parceria família/escola no desenvolvimento e aprendizagem das ...Elisandra Manfroi
 
Palestra ecaq-responsabilidade e compromisso dos pais na vida escolar
Palestra  ecaq-responsabilidade e compromisso dos pais na vida escolarPalestra  ecaq-responsabilidade e compromisso dos pais na vida escolar
Palestra ecaq-responsabilidade e compromisso dos pais na vida escolarAnaí Peña
 
O currículo high
O currículo highO currículo high
O currículo highHeles Souza
 
O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?
O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?
O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?pr_afsalbergaria
 
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?Elisandra Manfroi
 
Sexualidade na Escola
Sexualidade na EscolaSexualidade na Escola
Sexualidade na EscolaLeandroFuzaro
 

Semelhante a Formacao-Parentalidade-Positiva-Diapositivos.pptx (20)

Relação Família Escola
Relação Família EscolaRelação Família Escola
Relação Família Escola
 
Reunião de pais
Reunião de paisReunião de pais
Reunião de pais
 
Desenvolvimento psicossocial na terceira infância
Desenvolvimento psicossocial na terceira infânciaDesenvolvimento psicossocial na terceira infância
Desenvolvimento psicossocial na terceira infância
 
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamentalPrimeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
 
A família e a Aprendizagem dos Filhos.pptx
A família e a Aprendizagem dos Filhos.pptxA família e a Aprendizagem dos Filhos.pptx
A família e a Aprendizagem dos Filhos.pptx
 
55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)
55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)
55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)
 
Os pais e a formação do bom aluno
Os pais e a formação do bom alunoOs pais e a formação do bom aluno
Os pais e a formação do bom aluno
 
Conflitos entre escolares
Conflitos entre escolaresConflitos entre escolares
Conflitos entre escolares
 
LiçãO 06 Educando Os Filhos I
LiçãO 06 Educando Os Filhos ILiçãO 06 Educando Os Filhos I
LiçãO 06 Educando Os Filhos I
 
Importância da parceria família/escola no desenvolvimento e aprendizagem das ...
Importância da parceria família/escola no desenvolvimento e aprendizagem das ...Importância da parceria família/escola no desenvolvimento e aprendizagem das ...
Importância da parceria família/escola no desenvolvimento e aprendizagem das ...
 
Palestra ecaq-responsabilidade e compromisso dos pais na vida escolar
Palestra  ecaq-responsabilidade e compromisso dos pais na vida escolarPalestra  ecaq-responsabilidade e compromisso dos pais na vida escolar
Palestra ecaq-responsabilidade e compromisso dos pais na vida escolar
 
0 pais relações
0 pais relações0 pais relações
0 pais relações
 
Compreendendo o Aventureiro.pptx
Compreendendo o Aventureiro.pptxCompreendendo o Aventureiro.pptx
Compreendendo o Aventureiro.pptx
 
O currículo high
O currículo highO currículo high
O currículo high
 
INP-Aula 12.pptx
INP-Aula 12.pptxINP-Aula 12.pptx
INP-Aula 12.pptx
 
Encontro de Pais
Encontro de PaisEncontro de Pais
Encontro de Pais
 
Oppi
OppiOppi
Oppi
 
O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?
O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?
O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?
 
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
 
Sexualidade na Escola
Sexualidade na EscolaSexualidade na Escola
Sexualidade na Escola
 

Formacao-Parentalidade-Positiva-Diapositivos.pptx

  • 1. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SOUSEL ESCOLA BÁSICA PADRE JOAQUIM MARIA FERNANDES SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO – SPO
  • 2. “…a família é uma rede complexa de relações e emoções, na qual todos os indivíduos são essenciais. Mais do que a soma dos elementos que compõem a família, ela é um contexto privilegiado de transmissão de vida, afetos, cultura, referências éticas e desenvolvimento moral.” (Relvas &Alarcão, 2002)
  • 3. “Asituação atual obriga a uma análise da realidade das famílias no mundo moderno, sem estigmatizar nem julgar, já que existe uma crise do modelo tradicional de família, mais do que uma ‘crise da família’ ”. Contexto atual
  • 4.
  • 5.
  • 6. Pensar a família é pensá-la no tempo, no decorrer do seu percurso de vida; Não se trata de idealizar a família: ela pode ou não ser um lugar seguro para as crianças e adolescentes crescerem.
  • 7. 1. Aumento da expectativa de vida; 2. Aumento da participação da mulher no mercado de trabalho; 3. Famílias menores; 4. Famílias mais instáveis socialmente; 5. Mobilidade das famílias é maior; 6. Menos tempo de convivência.
  • 8.
  • 9.
  • 10. 1. Crescimento de separações/divórcios 2. Casamentos e recasamentos 3. Famílias monoparentais 4. Mulheres chefes de família 5. Famílias reconfiguradas (pluriparental) 6. Famílias homo afetivas 7. Famílias unipessoais 8. Famílias não parentais
  • 11. Repensar a família Que família? • Carácter subjectivo do conceito de família– Quando penso em famíliaem quem penso? https://www.youtube.com/watch?v=f2ai4OC1BIg&index=3&list=PLEB8EFE65B1ABDA70
  • 12. Formação do casal Família com filhos na escola Família com filhos adultos Família com filhos pequenos Ajustamento conjugal de modo a criar espaço para o filho Aprendizagem dos papéis parentais Realinhamento das relações com famílias de origem Abertura do sistema familiar ao mundo extrafamiliar 1º teste à competência da família Triângulo família-escola Ajustamento à maior autonomia da criança Família com filhos adolescentes Mudança nas relações pais-filhos Recentração nos aspectos da vida conjugal e profissional Início da função de suporte à geração mais velha
  • 13. Sucesso... Realizações... Obediência... Realizem o que não conseguiram conquistar Boa auto-estima Autonomia Sejam felizes I nvestimento Parental
  • 15. Desligad os Crianças não envolvidas Crianç as líderes Autoritários Autorizados Crianç as Passiv as Permissiv os Criança s exigent es Baixas competências sociais, emocionais e cognitivas Baixos resultados escolares Desordem de conduta Boa auto- estima Baixa empatia Rebeldes Mimadas Resultados escolares baixos ou médios Problemas comportamento Baixa auto- estima Empáticas Obedientes Resultados escolares médios/bons Problemas emocionais Altas competências sociais e emocionais Curiosas, criativas Auto-reguladas e socialmente responsáveis Excelentes resultados escolares Eficazes *** *** * *
  • 16. As figuras parentais são a influência mais determinante no comportamento de uma criança a curto, médio e longo prazos
  • 17. Christine Clark & Kevin H. Gross: Adolescent Health-Risk Behaviors: The Effect of Perceived Parenting Style and Race Estilos educativos parentais avaliados pelos adolescentes Risco de problemas de saúde mental: avaliado com base no consumo de alcool, marijuana e tabaco
  • 19. Encorajar os comportamentos desejados e as competências (em vez de apenas desencorajar e parar o comportamento não desejado) Resposta sensível às necessidades das crianças (em vez de ignorar os seus sinais) Colocar limites de forma firme e calma (em vez de explodir de forma imprevisivel e violenta) Stephen Scott, 2003 03/03/2015
  • 20. • Considerando que “Pais”: são as pessoas com responsabilidade parental; como um comportamento • A “Parentalidade Positiva”: define-se parental baseado no melhor interesse da criança e que assegura a satisfação das principais necessidades das crianças e a sua capacitação sem violência, proporcionando-lhe o reconhecimento e a orientação necessários, o que implica a fixação de limites ao seu comportamento, para possibilitar o seu pleno desenvolvimento”. Parentalidade positiva (Recomendação do Conselho da Europa, Lisboa 2006)
  • 21. ENTRE A FAMÍLIA EA ESCOLA O QUE OS PAIS PODEM FAZER PARA PROMOVER O SUCESSO ESCOLAR DOS FILHOS
  • 22. Envolvimento Parental na Escola: Porquê? https://www.youtube.com/watch?v=lYttP-cG_8s&index=2&list=PLEB8EFE65B1ABDA70
  • 23. A famíliaé o primeiro contexto de desenvolvimento e de aprendizagem Os pais são uma importante fonte de apoio Gráfico: Percepção do apoio recebido por crianças do 1ºciclo (Pereira, 2007)
  • 24. A famíliaé insubstituível… Relação vitalícia Exclusividade e individualização da relação Vivências e contextos diversos Função de protecção e de socialização
  • 25. Os pais influenciam a aprendizagem… •Jogando, questionando, ensinado apensar e a estudar… •Promovendo o acesso adiversos recursos (livros,internet,…) Mas também exercem asua influência de forma mais indirecta… •Os pais como fonte de amor e suporte que permitem asegurança necessária a uma adequada exploração do meio; •Os pais como modelos ou exemplos que acriança observa no seuquotidiano; •A famíliacomo transmissora de atitudes,expectativas e aspirações acerca da aprendizagem e da escola. A famíliaé o primeiro contexto de desenvolvimento e de aprendizagem
  • 26. Os pais devem ser os primeiros parceiros da escola …
  • 27. Benefícios do envolvimento parental na escola FILHOS Maior sucesso escolar Menor número de problemas comportamentais e indisciplina Aumento de aptidões sociais e de auto-estima Menor absentismo e atitudes positivas faceà escola
  • 28. Benefícios do envolvimento parental na escola PAIS Maior conhecimento das dificuldades /progressos do filho Respostas mais adequadas aos problemas dos filhos Maior conhecimento dos programas e políticas escolares Atitudes mais positivas faceà escola e ao pessoal escolar Desenvolvimento de formas mais positivas de parentalidade e maior auto-confiança Maior troca de experiências com outras famílias
  • 29. Benefícios do envolvimento parental na escola PROFESSORES Descrevem menos problemas com os alunos Compreendem melhor as necessidades, preocupações e objetivos da família relativamente à criança Mais centrados na criança e maior reconhecimento da sua diversidade
  • 30. Envolvimento Parental na Escola: Como?
  • 31. 1. Promovendo as condições básicas para a aprendizagem 2. Comunicando com aescola: ouvir e fazer-se ouvir 3. Participar nas atividades desenvolvidas na escola 4. Promovendo atividades de aprendizagem em casa 5. Participar ativamentena tomada de decisões (Epstein,1987) Existem diferentes formas da famíliase envolver na escola
  • 32. 1.Promover as condições básicas para a aprendizagem O que sabemos acercade COMPORTAMENTOS PARENTAIS promotores de um desenvolvimento saudável A. Ser afetuoso, estar sensível às necessidades da criança e responder a essas necessidades de forma adequada Mitoa combater:serafetuosoeresponderadequadamenteàs necessidadesda criança torna-a mimada
  • 33. 1.Promover as condições básicas para a aprendizagem B. Estabelecer regras e limites claros do que é o comportamento aceitávele fazer cumprir consistentemente estas regras Mitoa combater:estabelecerlimitesepunira criançaquandoelanão cumpreesseslimites “traumatiza” C. Estar atento e monitorizar as atividades dos filhos (Com quem estão? Onde estão? O que estão afazer?) Mitoa combater:As crianças,hámedidaquecrescem,nãonecessitamdamonitorização dos pais
  • 34. 1.Promover as condições básicas para a aprendizagem D. Oferecer um modelo positivo (de respeito pelos outros, de resolução de conflitos, de honestidade, de esforço e empenho no trabalho) Mito a combater: façam o que eu digo e não o que eu faço
  • 35. 1.Promover as condições básicas para a aprendizagem OS PAISAUTORITATIVOS •São afetuosos, apoiantes e empenhados em proporcionar um ambiente estimulante e desafiador . •Valorizam, simultaneamente, avontade própria e aconformidade àdisciplina. Fazem prevalecer asua perspetiva enquanto adultos, mas reconhecem os interesses individuais e as características específicas das crianças. •Exercem um controlo firme e consistente quando surgem divergências entre pais e filhos, mas sem serem restritivos. (Baumrind,1971)
  • 36. 1.Promover as condições básicas para a aprendizagem OS PAISAUTORITATIVOS •Os pais não baseiam as suas decisões no consenso de grupo ou no desejo das crianças, mas também não se consideram infalíveis. •Reforçam e valorizam as qualidades atuaisdos seus filhos,mas também estabelecem padrões para comportamento futuro. (Baumrind,1971)
  • 38. • O contacto directo e individual entre afamíliae o professor /diretor de turma é importante; • Os pais devem procurar informação acercadas evoluções e dificuldades da criança e procurar saber como podem ajudá-laa progredir; • Os pais devem partilhar sempre as preocupações/questões que considerem pertinentes junto do professor; • Os pais devem estar informados acercado projeto educativo da escola,do regulamento interno, do projeto curricular deturma. 2.Comunicar com aescola
  • 39. • Estar presente nos diferentes acontecimentos da escola (festas, dias comemorativos, acontecimentosdesportivos,...); • Estar disponível para contribuir com os seus talentos e competências para uma maior diversificação do processo de ensino aprendizagem na escola (ler histórias, falarsobre profissão…); • Esta é uma oportunidade para conhecer melhor como o seu filho funciona noutros contextos, o espaço escolar , os amigos/colegas do filho, os pais dos amigos/colegasdos filhos. 3.Participar nas atividades desenvolvidas na escola
  • 40. 4.Promover atividades de aprendizagem em casa Os pais devem proporcionar um contexto de aprendizagem estimulante e diversificado: Falar com acriança sobre aspetos daatualidade e ouvir o seu ponto de vista; Perguntar porquê e encorajar acriança a questionar-se.
  • 41. 4.Promover atividades de aprendizagem em casa Os pais devem proporcionar um contexto de aprendizagem estimulante e diversificado: Estimular o interesse pela leitura Servir de modelo – deixar que acriança o vejaa ler Ir àbiblioteca com acriança e procurar livros que sejam do seuinteresse Ver recomendações do Plano Nacional de Leitura: www.planonacionaldeleitura.gov.pt
  • 42. 4.Promover atividades de aprendizagem em casa •Os pais devem proporcionar um contexto de aprendizagem estimulante e diversificado (cont.): Ir amuseus e locais com interesse científico, histórico e cultural Encorajar acriança aescrever acerca das suas própriasexperiências Limitar o tempo de televisão/internet e supervisionar conteúdos, discutir e conversar sobre o que se viu Ver recomendações: www.miudossegurosna.net
  • 43. 4.Promover atividades de aprendizagem em casa •Os pais devem reforçar as aprendizagens escolares: Estar apar das competências/aprendizagens exigidas ao aluno em cada ano Supervisionar e ajudaracriança quando necessário nos t.p.c. Ajudar acriança aplaneare tirar partido do seutempo Organizar um espaço para acriança estudar e estabelecer rotinas de estudo Acompanhar e ajudarapreparar os momentos deavaliação Reforçar os progressos
  • 44. 5.Participar activamente na tomada de decisões •É importante que os pais participem na associação de pais e noutros grupos que tenham por objetivo a representação dos pais na tomada de decisões acerca da escola; • Os pais devem ser envolvidos em ações concretas para amelhoria da escola; •Os pais podem contribuir para areforma e melhoria da educação nas escolas.
  • 45. A. I.F. Pereira Mas o grande desafio é mesmo…passar àprática este conhecimento
  • 46. O que sabemos acerca da autoridade parental? Autoridade Eficaz Resposta às necessidades dos filhos + Exigência de padrões de comportamento adequados
  • 47. Compreender as mudanças que ocorrem durante as diferentes fases de desenvolvimento Compreender as necessidades da criança Agir de acordo com as mudanças e necessidades da criança Como exigir padrões de comportamento adequados?
  • 48. • Apoio, comunicação, estabilidade • Valorização • Monitorização • Regras Algumas estratégias para diminuir comportamentos problemáticos +
  • 49. DESENVOLVER UMA RELAÇÃO POSITIVA Tempo, comunicação, apoio,estabilidade ELOGIAR E REFORÇAR MONITORIZAR LIMITES E REGRAS ESTRATÉGIAS PARA DIMINUIR COMPORTAMENTO S PROBLEMÁTICOS
  • 50. Mito a combater: ser afetuoso e responder adequadamente às necessidades da jovem torna-o mimado DESENVOLVER UMA RELAÇÃO POSITIVA Tempo, comunicação, apoio,estabilidade ELOGIAR E REFORÇAR MONITORIZAR LIMITES E REGRAS ESTRATÉGIAS PARA DIMINUIR COMPORTAMENTO S PROBLEMÁTICOS LIMITES E REGRAS MONITORIZAR ELOGIAR E REFORÇAR DESENVOLVER UMA RELAÇÃO POSITIVA Tempo, comunicação, apoio,estabilidade
  • 51. Que mensagens para a criança? Gosto muito de ti, aceito-te como és Valorizo as coisas positivas que fazes Sei do que precisas e procuro corresponder Tenho tempo e disponibilidade para ti Carinho, respeito, interesse,atenção às mudanças, supervisão, limites claros, comunicação. suporte, afeto, envolvimento
  • 52. Fazer acontecer Criar espaços de comunicação Ouvir Parar, olhar, não interromper, ajudar a criança a expressar-se, compreender e transmitir compreensão Falar Olhar, falar calmamente e confirmar se o outro percebeu I. Desenvolver uma relação positiva Comunicar com a criança
  • 53. A importância dasrotinasfamiliares: • Facilitam a organização do tempo • Facilitam a coordenação entre os elementos da família • Tornam o dia-a-dia previsível Ambientes estruturados contribuem para dar estabilidade e segurança à criança Limites, regras, expectativas, controlo, monitorização
  • 54. Mito a combater: os comportamentos positivos da criança não são mais do que a sua obrigação, pelo que não são dignos de atenção especial DESENVOLVER UMA RELAÇÃO POSITIVA Tempo, comunicação, apoio,estabilidade ESTRATÉGIAS PARA DIMINUIR COMPORTAMENTO S PROBLEMÁTICOS LIMITES E REGRAS MONITORIZAR ELOGIAR E REFORÇAR
  • 55. A criança precisa de serelogiada e valorizada… O quê Elogie comportamentos positivos –não guarde o elogio apenas para comportamentos perfeitos Elogie comportamentos que indiquem esforço e progressos e não apenas o comportamento final Quando Faça o elogio imediatamente após o comportamento positivo Como Faça elogios específicos e realistas Acompanhe o elogio com sorrisos, contacto visual e entusiasmo Dê abraços e beijos juntamente com o elogio Elogie a criança à frente de outras pessoas
  • 56. Mito a combater: as crianças não precisam de supervisão dos pais ou As crianças têm de ser protegidos de todos os riscos DESENVOLVER UMA RELAÇÃO POSITIVA Tempo, comunicação, apoio,estabilidade ESTRATÉGIAS PARA DIMINUIR COMPORTAMENTO S PROBLEMÁTICOS LIMITES E REGRAS MONITORIZAR ELOGIAR E REFORÇAR
  • 57. Encorajar a autonomia e respeitar as suas opções, mas… Perguntas-chave • Onde está? Qual o horário? • Com quem está? Conheço os seus amigos? • O que está a fazer? • Quando regressa? Como regressa?
  • 58. Mito a combater: as crianças sabem o que se espera delas DESENVOLVER UMA RELAÇÃO POSITIVA Tempo, comunicação, apoio,estabilidade ESTRATÉGIAS PARA DIMINUIR COMPORTAMENTO S PROBLEMÁTICOS LIMITES E REGRAS MONITORIZAR ELOGIAR E REFORÇAR
  • 59. Estabeleça regras razoáveis. Defina regras explícitas, claras, concretas e positivas. Estabeleça um número razoável de regras. Defina a regra a cumprir e consequências pelo seu incumprimento (exemplo, perda de privilégios).
  • 60. Não estabeleça regras que não consiga ou não queira fazer cumprir. Tente estabelecer regras gerais para toda a família. Exija o cumprimento sistemático das regras estabelecidas.
  • 61. O que posso fazer para REFORÇAR o comportamento alternativo positivo? REFORÇO POSITIVO Aplicação de consequências positivas após a ocorrência do comportamento desejável (objetos, regalias, atividades, atenção, elogio, afeto…) Exemplo: Se te portares bem todos os dias desta semana, na semana a seguir podes fazer o que mais gostas nos últimos 15 minutos antes de ires para a cama.
  • 62. RETIRARA ATENÇÃO Por vezes, reforçamos os comportamentos problemáticos apenas com a nossa atenção mesmo que negativa (ralhar, culpar). Nesse caso, devemos retirar a atenção. COMO? •Face à exibição do comportamento “fingir que não vê ou ouve” •Afastar-se fisicamente da crianças, mas manter-se no mesmo espaço se possível •Evitar o contacto visual •Dar novamente atenção assim que o comportamento desadequado seja interrompido •Dar atenção aos comportamentos positivos O que posso fazer para deixar de reforçar o comportamento problemático?
  • 63. O que posso fazer para punir o comportamento problemático? RETIRARPRIVILÉGIOS Perda de bens, atividades ou regalias valorizados pela criança devido à exibição de comportamentos desadequados COMO? •Negociar com a criança os custos dos comportamentos que se pretendem reduzir •Selecionar custos que tenham uma relação lógica com os comportamentos a diminuir •Retirar os bens ou regalias ou interromper a atividade agradável face à exibição do comportamento indesejável
  • 64. 1.Escolhendo, do “menu de punidores” do sujeito, aquele que parece, por hipótese, o mais adequado e eficaz. 2.Os punidores negativos (remoções) são frequentemente usados, porém mal usados. 3.Não se devem estender os efeitos das punições para além de um tempo razoável, a fim de não se correr o risco de outros comportamentos adequados ficarem sob punição. Por exemplo, privar a criança de ver televisão durante uma semana faz com que outros comportamentos adequados estejam a ser punidos. 4.Pelos mesmos motivos, as punições não devem ser aplicadas muito depois da ocorrência do comportamento a punir.
  • 65. 5.A punição, uma vez decidida, não deve ser negociada. 6.Quando se pretende avisar que irá ser aplicada uma punição, o aviso deverá ser descritivo (“se continuares a atirar os brinquedos, irás apanhá-los um a um e pedir desculpa pela confusão que estás a causar”). Nunca poderá ser ambíguo. Evitar afirmações do tipo “se continuares assim, nem sabes o que te vai acontecer”. 7.Falhas na aplicação da punição podem aumentar a resistência à eliminação do comportamento.
  • 66. A disciplina é um instrumento para educar e vai muito além da punição. A melhor fonte de disciplina é crescer numa família afetuosa e atenta. https://www.youtube.com/watch?v=qXocYehhwQg&list =PLEB8EFE65B1ABDA70&index=1
  • 67. http://smmafalda.wix.com/spoaesousel E quando os Pais têm dúvidas… O que fazer???
  • 68.
  • 69.