Família e escola: A união como solução da educação no mundo.

592 visualizações

Publicada em

A Família e a Escola são responsáveis por transmitir conhecimentos, incentivar a aprendizagem e desenvolver o crescimento físico e intelectual. A principal responsabilidade é acreditar e reconhecer que o aluno/filho precisa de estímulos para desenvolver os aspectos físicos, de aprendizagem, emocional/afetivo e como participante social. Cada instituição tem o seu papel e precisa desenvolver hábitos para que o desenvolvimento integral do filho/aluno seja saudável.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
592
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Família e escola: A união como solução da educação no mundo.

  1. 1. Família e Escola: A união como solução da educação para a convivência no mundo. Kássia Quadros Ferreira Psicopedagoga Clínica e Institucional
  2. 2. ESCOLA E FAMÍLIA. São responsáveis: TRANSMITIR CONHECIMENTOS INCENTIVAR A PARENDIZAGEM DESENVOLVER O CRESCIMENTO O PRINCIPAL: Acreditar e reconhecer que seu aluno/filho como ser humano estimulando seu crescimento nos aspectos físicos, de aprendizagem, emocional afetivo e de participantes da sociedade.
  3. 3. O papel dos pais. Laços afetivos O desenvolvimento saudável possibilita que participe em diferentes ambientes. A figura dos pais exerce grande influência na construção da afetividade. Definido melhor: “Os pais são modelos”. Apoio em todas as situações do dia a dia (seja elas boas ou ruins). Não significa: • Superestimar: “meu filho é o melhor”. • Proteger com excesso: “Ele não tem culpa a culpa é do outro”.
  4. 4. O papel da escola. Reunir diversos conhecimentos, atividades que desenvolve a aprendizagem e o desenvolvimento de regras e valores para melhor conviver no mundo atual que se transforma a todo momento com grande diversidade cultural e social. Espaço de participação onde, vários grupos se expressam e desenvolvem a convivência. Lugar para buscar compreender e superar as dificuldades de um mundo de mudanças rápidas e conflitos interpessoais.
  5. 5. Pais na escola. Envolver-se nas atividades escolares. Contribuir envolvendo-se na resolução das atividades e trabalhos. Mesmo que pense que não sabe, peça para ele te explicar, desenvolve a compreensão de que os pais são parceiros dos filhos. Adotar estratégias de acompanhamento em casa. Nada de impor, “vem cá vamos ver teus cadernos e fazer ESSES temas”... Ser afetivo com alunos/filhos permite que Eles lidem com conflitos e resolvam seus problemas de forma conjunta ou de forma separada.
  6. 6. Sete hábitos dos bons pais e dos pais brilhantes (Augusto Cury, 2008. 1º Bons pais dão presentes, pais brilhantes dão seu próprio ser. Muitos pais trabalham para dar coisas, atender os desejos dos filhos, esquecem de contar sua história, experiências, lágrimas, seu tempo. (Transforme a relação numa aventura e não em momentos trágicos. Eles não precisam de gigantes e sim de seres humanos). 2º Bons pais nutrem o corpo, pais brilhantes nutrem a personalidade. Prepare seu filho para “ser”, pois o mundo o prepara para “ter”. (De que adianta se alimentar bem e ter corpo saudável se são infelizes, fogem dos problemas, tem medo das críticas, não sabem receber um “não”). Faça-os conhecer seus limites e sua força. 3º Bons pais corrigem erros, pais brilhantes ensinam a pensar. As velhas broncas e sermões não funcionam “vai começar”, é importante criar ideias, não agir como ele agiu, use a criatividade e sinceridade, “o que você acha do seu comportamento”?
  7. 7. Sete hábitos dos bons pais e dos pais brilhantes (Augusto Cury, 2008. 4º Bons pais preparam os filhos para os aplausos, pais brilhantes preparam os filhos para os fracassos. Estimule seus filhos a ter metas, a procurar os sucesso no estudo, no trabalho, nas relações com os outros, mas não pare por ai, leve-os a não ter medo dos seus insucessos, a ser humilde para reconhecer falhas e a enfrentar críticas. 5º Bons pais conversam, pais brilhantes dialogam como amigos. Devemos criar hábitos de nos reunir com os filhos, dar liberdade para falar sobre si mesmo. Combine de cozinhar juntos, conte piadas, plantem flores, pescar em família. Essas reuniões podem provocar efeitos curativos, pois o diálogo traz consequências como, o amor e a amizade. 6º Bons pais dão informações, pais brilhantes contam histórias. Cative seus filhos pela sua inteligência e afetividade, não pela autoridade. Quando sentir que seu filho está enfrentando um problema, crie uma história que transforme a ansiedade em motivação.
  8. 8. 7º Bons pais dão oportunidades, pais brilhantes nunca desistem. Em primeiro lugar, aprenda a dizer “não” para seus filhos sem medo. Se eles não ouvirem “não” dos seus pais, estarão despreparados para ouvir “não” da vida. É preciso compreender pontos negociáveis e limites sem negociação ( como ir dormir na madrugada e ter que acordar cedo para ir a escola). Negociável por exemplo é o tempo de um colega.
  9. 9. • Rua Raimundo Aléssio S/N, sala 01 anexo Sindicato dos Trabalhadores Rurais, centro, Nova Palma/RS. • Clínica Pró Vida serviços assistenciais Cauzzo, Rua Tiradentes, nº 1213, Agudo/RS. (55) 3265-2228 ou pelo meu telefone (55)9613-5507.

×