As máquinas de tortura
mais terríveis da
história
1. A Gaiola Suspensa
O que você escolheria: uma morte lenta e que te
faça sofrer, ou uma morte rápida, mas muito
dolorosa?...
2. O Aspersor de Chumbo
Uma esfera com muitos furos na extremidade de um
bastão, que poderia ser preenchida pelo torturado...
3. Pata de Gato
Conhecido também com o
simpático nome de “cócegas
espanholas”, a pata de gato em
geral era ligada a um cab...
4. Sapatos punitivos
Feitos de metal, ao invés de saltos
altos, esses sapatos tinham
grandes agulhas de ferro na parte
tra...
5. Separador de joelhos
Apesar desse instrumento de tortura muito popular
durante a inquisição ser direcionado aos joelhos...
6. A Cadeira Inquisitória
Você já deve ter ouvido falar na cadeira
inquisitória. Seu conceito é muito
simples: A vítima er...
7. O Burro Espanhol
Homens, preparem-se, pois só a descrição desse
objeto pode fazer vocês sentirem dor. Fixado em
duas vi...
8. A Cadeira de Judas
Um dos “clássicos” da tortura, a Cadeira
de Judas tem forma de pirâmide. O
torturado é obrigado a se...
9. O Esmagador de Cabeças
Com a cabeça da vítima posicionada entre a
tampa e a barra inferior (onde o queixo era
apoiado),...
10. O Touro de Bronze
Para fechar com chave de ouro, ou melhor, de
bronze, mais um método cruel dos tempos
medievais: o to...
11. Dama de ferro
Método de tortura comum na Idade Média,
também é conhecido como Virgem de Ferro ou
Donzela de Ferro. O a...
12. Pera
Era um aparelho em forma de pera
formado por quatro folhas. Nas
mulheres, era inserido na vagina ou na
boca; nos ...
14. Roda de despedaçamento
De Roda Viva este aparelho não tinha nada!
Consistia em uma roda na qual o torturado era
preso ...
15. A máscara da infâmia
Esse instrumento promovia uma caça às
mulheres linguarudas. Isso mesmo, quem
fofocasse muito na E...
16. Tubo de crocodilo
O torturado era obrigado a entrar em um tubo
de dentes de crocodilos, que funcionavam
como pregos. D...
17. Empalação
Método mais conhecido, era quando um objeto
pontiagudo varava o corpo de uma pessoa. A
empalação perfeita pa...
18. Esfola
Método muito utilizado durante a Idade
Média e, sobretudo, na Caça às bruxas. O
torturado tinha as mãos e os pé...
19. Banco da tortura
Imagine dois rolos colocados nas
exterminadas de uma mesa. Agora,
imagine que, em um desses rolos, a
...
20. Tean Zu
Era um método simples no qual a
vítima colocava seus dedos em uma
superfície de madeira e tinha seus
dedos sep...
21. Forquilha do herege
Utensílio muito utilizado durante a
Inquisição. Era uma vara de metal com
um pino em cada uma das ...
22. Aranha espanhola
Temor de muitas mulheres durante a idade média,
era um objeto com garras de metal compridas e
que, de...
23. Garrote
O torturador trancava a vítima em uma
cadeira, com as costas presas a uma
superfície plana e o pescoço amarrad...
24. Manivela intestinal
O método de tortura que encabeça esse TOP
13 é digno de uma nota de prevenção: se já
ficou enjoado...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Dez máquinas de tortura mais terríveis da história

1.478 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.478
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dez máquinas de tortura mais terríveis da história

  1. 1. As máquinas de tortura mais terríveis da história
  2. 2. 1. A Gaiola Suspensa O que você escolheria: uma morte lenta e que te faça sofrer, ou uma morte rápida, mas muito dolorosa? Para quem prefere a primeira, a gaiola suspensa é o método ideal: a vítima, nua, é obrigada a permanecer em uma gaiola, pendurada e sem acesso a roupas para se proteger do frio, ou alimentos e água, para matar a fome. O torturado geralmente era “esquecido” lá até que morresse por causa da temperatura ou de desidratação.
  3. 3. 2. O Aspersor de Chumbo Uma esfera com muitos furos na extremidade de um bastão, que poderia ser preenchida pelo torturador com o material de sua preferência: água fervente, metais fundidos, óleo em ebulição, entre outros. A vítima, amarrada, era obrigada a “tomar um banho” com o conteúdo do recipiente.
  4. 4. 3. Pata de Gato Conhecido também com o simpático nome de “cócegas espanholas”, a pata de gato em geral era ligada a um cabo, de forma que se parecesse com uma extensão das mãos do torturador. Era utilizada para cortar a pele, em geral provocando arranhões tão profundos que poderiam alcançar os ossos.
  5. 5. 4. Sapatos punitivos Feitos de metal, ao invés de saltos altos, esses sapatos tinham grandes agulhas de ferro na parte traseira. A tortura era também psicológica: quanto tempo você agüentaria na ponta dos pés sem descansar os calcanhares? Os prisioneiros eram obrigados a permanecer estáticos se não quisessem ter os pés perfurados.
  6. 6. 5. Separador de joelhos Apesar desse instrumento de tortura muito popular durante a inquisição ser direcionado aos joelhos, é melhor preparar o estômago antes entender como ele funciona. Pronto? Bom, como você deve imaginar, o separador de joelhos foi construído para inutilizar as pernas das vítimas: construído a partir de dois blocos de madeira com espinhos, o objeto é encaixado na metade das pernas. Dois parafusos grandes conectam os blocos de forma que, quando torcidos, pressionam as partes uma contra a outra, apertando os espinhos contra os joelhos. Ah, mas fique tranquilo: ele também pode ser usado ao redor dos braços, causando efeito semelhante. De arrepiar.
  7. 7. 6. A Cadeira Inquisitória Você já deve ter ouvido falar na cadeira inquisitória. Seu conceito é muito simples: A vítima era obrigada a se sentar numa cadeira com dois mil pregos. Se o torturador estivesse em um dia ruim, poderia piorar a situação colocando fogo em uma chapa de ferro abaixo da cadeira, fazendo o torturado se apoiar sobre o ferro em brasa.
  8. 8. 7. O Burro Espanhol Homens, preparem-se, pois só a descrição desse objeto pode fazer vocês sentirem dor. Fixado em duas vigas transversais, o Burro Espanhol consistia em uma placa cortante, de corte triangular, onde a vítima era obrigada a sentar como se senta ao cavalgar. Pesos anexados aos pés dos torturados pressionavam o corpo deles contra o objeto cortante. Há relatos de fontes que afirmam que, em casos mais extremos, a vítima chegava a se partir ao meio.
  9. 9. 8. A Cadeira de Judas Um dos “clássicos” da tortura, a Cadeira de Judas tem forma de pirâmide. O torturado é obrigado a se sustentar na cadeira, de modo que o peso do corpo seja projetado sobre um ponto de apoio que pode ser o ânus, a vagina, uma das vértebras da coluna ou outra parte escolhida pelo torturador. O objeto é conhecido no mundo todo, em italiano (culla di Giuda), Alemão (Judaswiege), e francês (la veille, “o velório”).
  10. 10. 9. O Esmagador de Cabeças Com a cabeça da vítima posicionada entre a tampa e a barra inferior (onde o queixo era apoiado), o parafuso do dispositivo era virado lentamente, comprimindo o crânio do torturado com força. Primeiro, os dentes eram destruídos e em seguida, o osso da mandíbula se quebrava. Em estágios iniciais, o torturador poderia bater na estrutura de metal enquanto a cabeça da pessoa estivesse amarrada, fazendo com que os golpes ecoassem por todo o corpo de quem estava vulnerável.
  11. 11. 10. O Touro de Bronze Para fechar com chave de ouro, ou melhor, de bronze, mais um método cruel dos tempos medievais: o torturado era preso em uma escultura oca, com a forma de touro. Em seguida, os algozes colocavam fogo em toda a estrutura, e a pessoa morria queimada. Era um método frequentemente usado para obter confissões – tubos transmitiam os gritos dos prisioneiros para fora do ambiente, caso ele quisesse se pronunciar.
  12. 12. 11. Dama de ferro Método de tortura comum na Idade Média, também é conhecido como Virgem de Ferro ou Donzela de Ferro. O aprisionado era colocado em um sarcófago – com a estampa da Virgem Maria, daí o nome Dama de Ferro – que, em seu interior, continha uma série de cravos de ferro. Quando fechado, os cravos perfuravam a pele da vítima, no entanto, não atingiam nenhum órgão vital. Como penetravam na pessoa, ela morria aos poucos, por insuficiência sanguínea. Detalhe: alguns modelos eram tão grossos que os gritos do prisioneiro nem eram ouvidos pelo torturador.
  13. 13. 12. Pera Era um aparelho em forma de pera formado por quatro folhas. Nas mulheres, era inserido na vagina ou na boca; nos homens – geralmente os castigados eram homossexuais – era inserido no ânus. Depois de inserido na vítima, o aparelho, formado por 4 folhas, começava a se abrir. Como suas extremidades eram cortantes, causavam danos irreparáveis nos torturados.
  14. 14. 14. Roda de despedaçamento De Roda Viva este aparelho não tinha nada! Consistia em uma roda na qual o torturado era preso com as costas voltadas para o interior do instrumento. Abaixo da roda, o torturador colocava fogo. A roda, então, era girada. A pessoa assava, aos poucos, como se estivesse em uma churrasqueira, acima da brasa. Em outros casos, o carrasco substituía a brasa por objetos pontiagudos, o que fazia com que, conforme a roda fosse girando, a pessoa fosse sendo mutilada aos poucos.
  15. 15. 15. A máscara da infâmia Esse instrumento promovia uma caça às mulheres linguarudas. Isso mesmo, quem fofocasse muito na Escócia do anos 1500 corria o risco de ter a cabeça trancada em uma gaiola de ferro. Presa à gaiola, uma placa de freio às vezes era inserida na boca da mulher (para dominar sua língua). Por serem de ferro cortante, muitas placas causavam sangramentos na boca do torturado. Mas a tortura não parava por aí: na maioria das vezes, as mulheres – geralmente as que mais sofriam com o método – eram levadas a cidades para serem expostas publicamente.
  16. 16. 16. Tubo de crocodilo O torturado era obrigado a entrar em um tubo de dentes de crocodilos, que funcionavam como pregos. Dentro, apenas seu rosto e seus pés ficavam expostos. Aí começava a pior parte. Com fogo, o torturador aquecia, gradualmente, o dente de crocodilo, queimando as vítimas. Era o preço por não passar informações. O fogo também podia ser colocado diretamente na face ou nos pés da pessoa. Quem pegava mais pesado obrigava o torturado a se agachar dentro do próprio anel, movimento que acabava perfurando os órgãos vitais da vítima.
  17. 17. 17. Empalação Método mais conhecido, era quando um objeto pontiagudo varava o corpo de uma pessoa. A empalação perfeita para um torturador – se é que um método de tortura pode ser chamado de perfeito… – seria quando a estaca longa entrasse pelo ânus e saísse pela boca da vítima. Em alguns casos, o torturador enfiava as estacas sem causar a morte imediata da vítima. Aí começava a girar o objeto, suspender o corpo ou fazer movimentos que torturavam ainda mais a pessoa.
  18. 18. 18. Esfola Método muito utilizado durante a Idade Média e, sobretudo, na Caça às bruxas. O torturado tinha as mãos e os pés amarrados em uma espécie de poste e ficava totalmente exposto ao carrasco. Esse, então, pegava uma faca e começava a cortar, lentamente, a pele da vítima, deixando seu corpo em carne viva. A tortura, na maioria das vezes, começava pela cabeça e descia em direção dos pés. Geralmente, antes mesmo de chegar à cintura, a vítima já tinha morrido por insuficiência sanguínea.
  19. 19. 19. Banco da tortura Imagine dois rolos colocados nas exterminadas de uma mesa. Agora, imagine que, em um desses rolos, a pessoa tivesse seus pés amarrados; no outro, suas mãos. Aí o torturador começava a fazer perguntas. Se a vítima não respondesse, os rolos começavam a girar em direção contrárias, afastando- se. A pessoa, então, era esticada. Depois de um tempo, suas articulações começavam a se descolar e a vítima morria aos poucos.
  20. 20. 20. Tean Zu Era um método simples no qual a vítima colocava seus dedos em uma superfície de madeira e tinha seus dedos separados por varas ligadas a cordas. Se não respondesse às perguntas, as cordas de ferro começavam a ser fechadas, esmagando os dedos do torturado que podiam até ter os ossos escancarados para fora da pele.
  21. 21. 21. Forquilha do herege Utensílio muito utilizado durante a Inquisição. Era uma vara de metal com um pino em cada uma das extremidades. A parte superior do garfo era colocada na carne do queixo da vítima, enquanto a inferior pressionava o osso do esterno da vítima. O torturado era obrigado a permanecer com a cabeça erguida o tempo todo, sem se deitar, olhar para o lado ou para o próprio corpo. Qualquer movimento ou descuido e o garfo penetrava em sua mandíbula.
  22. 22. 22. Aranha espanhola Temor de muitas mulheres durante a idade média, era um objeto com garras de metal compridas e que, depois de serem aquecidas, eram fixadas nas mamas da mulher. O metal quente queimava a pele macia dos seios das mulheres. Mais do que isso: as garras se fechavam e o torturador puxava o objeto, arrancando violentamente o peito da vítima. O método também chegou a ser utilizado em barrigas e nádegas.
  23. 23. 23. Garrote O torturador trancava a vítima em uma cadeira, com as costas presas a uma superfície plana e o pescoço amarrado a uma roda. A roda, então, girava e o pescoço era esmagado lentamente, fazendo com que o torturado fosse sufocado aos poucos. No entanto, essa era a forma menos violenta. Havia garrotes com pregos ou lâminas que, conforme viravam, penetravam na coluna da vítima.
  24. 24. 24. Manivela intestinal O método de tortura que encabeça esse TOP 13 é digno de uma nota de prevenção: se já ficou enjoado com um dos anteriores, nem leia esse método. Aqui, o torturado era amarrado em uma mesa e o torturado cortava seu abdômen. Então, separava o intestino delgado da vítima do fundo do estômago e o ligava em uma manivela. Essa, então, começa a tirar centímetro por centímetro o intestino delgado – que podia chegar até 6m – do corpo da vítima (que estava consciente e vendo tudo). Ninguém sobrevivia a esse processo, que matava pela dor que provocava ou por insuficiência sanguínea.

×