SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
DIFERENÇAS
ENTRE
INSALUBRIDADEE
PERICULOSIDADE
Acesse oremissivode NRs que
aparece ao longo dos slides em
nossosite: www.nrfacil.com.br Datashow
AseçãoDatashowéexclusivapara
assinantes. Nelavocêencontraartigosem
formatoPowerPoint(slides)publicados
constantementeabordandoosmais
variadosassuntosemSST
.
AseçãoDatashowéexclusivapara
assinantes.Nelavocêencontraartigosem
formatoPower Point (slides) publicados
constantementeabordandoosmais
variadosassuntosemSST
.
Muitos profissionais que atuam junto ao setor de recursos humanos
associam a insalubridade e a periculosidade única e exclusivamente
ao adicional que todos os meses devem fazer constar no
contracheque dos trabalhadores da empresa. Mas será que eles
saberiam identificar e diferenciar as atividades que pertencem a
cada um desses dois grupos?
É bem verdade que que a amplitude do tema não nos permite
esgotá-lo por completo, por isso mesmo, a empresa não deve abrir
mão de serviços especializados. No entanto, há algumas
informações que não podem ser ignoradas pelo gestor. Assim,
faremos, ao longo deste Datashow, um apanhado geral contendo as
questões mais importantes sobre o assunto. Confira a seguir.
Insalubridade e periculosidade: entenda a diferença!
Primeiro conheceremos um pouco sobre definições
que tem relação com insalubridade e
periculosidade:
Salubre – Definição dicionário Aurélio: Saudável;
higiênico; sadio.
Insalubre – Definição dicionário Aurélio: Doentio;
não salubre.
Periculoso – Tem a ver com o perigo
Conceitos:
De acordo com a Consolidação das Leis Trabalhistas
(CLT), a insalubridade é caracterizada quando o
empregado está exposto, durante o dia a dia de
trabalho, a agentes nocivos à saúde como produtos
químicos, ruídos, exposição ao calor, dentre outros.
Já a periculosidade está relacionada ao risco de
vida em
executar
que o
sua função. Um exemplo são
trabalhador fica exposto para
os
colaboradores que atuam com explosivos e
radioativos, segurança pessoal ou patrimonial.
Conceitos:
Adicional de insalubridade: É pago ao trabalhador que exerce sua
atividade em ambiente nocivo a saúde. É o tipo de exposição que
pode causar males como doenças a médio e longo prazo.
A insalubridade é definida nos termos da CLT (Consolidação das Leis
do Trabalho) do artigo 189 ao 196, e da Norma Regulamentadora (do
Ministério do Trabalho e Emprego) número 15.
Adicional de periculosidade: É pago ao trabalhador que exerce sua
atividade em ambiente perigoso à vida. Em ambiente de trabalho
onde há risco de morte imediata.
A periculosidade é definida nos termos da CLT (Consolidação das Leis
do Trabalho) do artigo 193 ao 196, e da Norma Regulamentadora (do
Ministério do Trabalho e Emprego) número 15.
Conceitos:
insalubres como as perigosas,
Tanto as atividades
apresentam um ambiente de trabalho que expõe o
trabalhador a um risco que, na medida do possível, deve
ser atenuado pelo empregador com o fornecimento
de equipamentos de segurança (EPI ou EPC). Vale lembrar,
ainda, que é dever da empresa treinar seus colaboradores,
fiscalizar a integridade e a utilização dos equipamentos. Por
fim, o exercício dos dois tipos de atividade enseja o
pagamento de um adicional ao trabalhador.
Fique atento:
A periculosidade é determinada pelo risco iminente de morte
durante o trabalho. A permanência constante ou habitualidade não é
relevante para a caracterização da periculosidade, uma vez que,
poucos minutos submetidos a condições perigosas são suficientes
para fazer com que o empregado fique inválido ou esteja sob risco de
vida.
O trabalho em situações perigosas garante ao trabalhador um
adicional de 30% incidente sobre o salário-base, sem os acréscimos
resultantes de gratificações, prêmios ou participação nos lucros da
empresa.
Particularidades do trabalho perigoso:
São consideradas atividades
ou operações perigosas, aquelas que,
por sua natureza ou métodos de trabalho,
impliquem risco acentuado em virtude de
exposição permanente do trabalhador a:
Inflamáveis, explosivos ou energia elétrica;
Roubos ou outras espécies de violência
física nas atividades profissionais
de segurança pessoal ou patrimonial.
São periculosas as atividades ou
operações, onde a natureza ou os seus
métodos de trabalhos configure um
contato com substâncias inflamáveis ou
explosivos, substâncias radioativas, ou
radiação ionizante, ou energia elétrica, em
condição de risco acentuado.
O trabalho insalubre é aquele que coloca em risco a saúde, o bem-
estar e a integridade física e psíquica do funcionário. Esse tipo de
exposição é regulamentado pelos artigos 189 e 192 da CLT e pela
Norma Regulamentadora (NR-15) do Ministério do Trabalho e
Emprego.
O funcionário que atua em condições insalubres tem direito a um
adicional que varia entre 10% e 40% do salário mínimo, dependendo
do grau de insalubridade a que está exposto: mínimo, médio e
máximo.
Particularidades do trabalho insalubre:
Acima dos limites de tolerância previstos
nos anexos à NR-15 de números:
1 (Limites de Tolerância para Ruído Contínuo ou
Intermitente);
2 (Limites de Tolerância para Ruídos de Impacto);
3 (Limites de Tolerância para Exposição ao Calor);
5 (Limites de Tolerância para Radiações Ionizantes);
11 (Agentes Químicos cuja Insalubridade é caracterizada
por Limite de Tolerância e Inspeção no Local de Trabalho);
12 (Limites de Tolerância para Poeiras Minerais).
Sãoconsideradasatividadesouoperações
insalubresasquesedesenvolvem:
Nas atividades mencionadas nos anexos números:
6 (Trabalho sob Condições Hiperbáricas);
13 (Agentes Químicos);
14 (Agentes Biológicos).
Sãoconsideradasatividadesouoperações
insalubresasquesedesenvolvem:
comprovadas através de laudo de inspeção do local
de trabalho, constantes dos anexos números:
7 (Radiações Não Ionizantes);
8 (Vibrações);
9 (Frio);
10 (Umidade).
Sãoconsideradasatividadesouoperações
insalubresasquesedesenvolvem:
Semelhanças entre a insalubridade e periculosidade:
A insalubridade e a periculosidade também possuem
semelhanças, pois, ambas, colocam o trabalhador em
condições de risco. Para que os problemas sejam
amenizados, é importante que o empregador assegure e
verifique a utilização de equipamentos de segurança e
promova medidas que diminuam ou eliminem as ameaças
do local de trabalho.
Oferecer cursos e treinamentos também é obrigação do
gestor e podem contribuir para um ambiente mais seguro e
saudável para toda a equipe.
Semelhanças entre a insalubridade e periculosidade:
Para que uma companhia siga rigorosamente todas a leis e
normas que regem a segurança no ambiente de trabalho, é
imprescindível que haja a contratação de uma equipe
especializada em Segurança e Medicina do Trabalho.
Através de uma perícia especializada, a empresa poderá
identificar as atividades e classificar o grau de
periculosidade ou insalubridade.
Os riscos estão presentes em todos os ambientes laborais –
inclusive aqueles que não imaginamos como um simples
escritório. Uma consultoria garante a redução dessas
ameaças e assegura a produtividade da empresa.
Vale lembrar que, embora os adicionais de
insalubridade e periculosidade tenham
causas distintas, eles não podem ser recebidos
juntos, conforme o entendimento majoritário
do TST. Assim, se o trabalhador estiver sujeito
a condições insalubres e perigosas, ao mesmo
tempo, ele terá direito a receber somente
aquele adicional cujo valor for mais alto.
insalubridadepericulosidade-160619220607.pptx
insalubridadepericulosidade-160619220607.pptx
insalubridadepericulosidade-160619220607.pptx
insalubridadepericulosidade-160619220607.pptx
insalubridadepericulosidade-160619220607.pptx

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a insalubridadepericulosidade-160619220607.pptx

MODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docx
MODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docxMODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docx
MODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docx
rosanavasconcelosdeo
 
Aula 3 -_nr_s-1
Aula 3 -_nr_s-1Aula 3 -_nr_s-1
Aula 3 -_nr_s-1
pamcolbano
 
Riscos_Ocupacionais_em_Hospitais_NR-32.ppt
Riscos_Ocupacionais_em_Hospitais_NR-32.pptRiscos_Ocupacionais_em_Hospitais_NR-32.ppt
Riscos_Ocupacionais_em_Hospitais_NR-32.ppt
SMConsultoria2
 
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppttreinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
RaquelDonato2
 

Semelhante a insalubridadepericulosidade-160619220607.pptx (20)

MODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docx
MODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docxMODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docx
MODELO DE PGR PRONTO E COMPLETO192518-convertido.docx
 
Apresentaçao rh
Apresentaçao rhApresentaçao rh
Apresentaçao rh
 
Saúde e segurança do trabalho para técnicos de enfermagem
Saúde e segurança do trabalho para técnicos de enfermagemSaúde e segurança do trabalho para técnicos de enfermagem
Saúde e segurança do trabalho para técnicos de enfermagem
 
Treinamento segurança do trabalho
Treinamento segurança do trabalho Treinamento segurança do trabalho
Treinamento segurança do trabalho
 
Insalubridade e Periculosidade
Insalubridade e Periculosidade Insalubridade e Periculosidade
Insalubridade e Periculosidade
 
Insalubridade e-periculosidade - mauricio zago etec
Insalubridade e-periculosidade - mauricio zago etecInsalubridade e-periculosidade - mauricio zago etec
Insalubridade e-periculosidade - mauricio zago etec
 
Treinamento segurança do trabalgo nwn
Treinamento segurança do trabalgo nwnTreinamento segurança do trabalgo nwn
Treinamento segurança do trabalgo nwn
 
Treinamento segurança do trabalgo nwn
Treinamento segurança do trabalgo nwnTreinamento segurança do trabalgo nwn
Treinamento segurança do trabalgo nwn
 
Aula 3 -_nr_s-1
Aula 3 -_nr_s-1Aula 3 -_nr_s-1
Aula 3 -_nr_s-1
 
Cartilha seguranca do_trabalho_sebrae (1)
Cartilha seguranca do_trabalho_sebrae (1)Cartilha seguranca do_trabalho_sebrae (1)
Cartilha seguranca do_trabalho_sebrae (1)
 
Integração
IntegraçãoIntegração
Integração
 
PT_Ebook_Gestao_de_seguranca_do_trabalho_eficaz.pdf
PT_Ebook_Gestao_de_seguranca_do_trabalho_eficaz.pdfPT_Ebook_Gestao_de_seguranca_do_trabalho_eficaz.pdf
PT_Ebook_Gestao_de_seguranca_do_trabalho_eficaz.pdf
 
Resumo nr 6, nr 7 e nr 9
Resumo nr 6, nr 7 e nr 9Resumo nr 6, nr 7 e nr 9
Resumo nr 6, nr 7 e nr 9
 
Riscos_Ocupacionais_em_Hospitais_NR-32.ppt
Riscos_Ocupacionais_em_Hospitais_NR-32.pptRiscos_Ocupacionais_em_Hospitais_NR-32.ppt
Riscos_Ocupacionais_em_Hospitais_NR-32.ppt
 
Multiplicadores oficial
Multiplicadores   oficialMultiplicadores   oficial
Multiplicadores oficial
 
Normas Regulamentadoras.pptx
Normas Regulamentadoras.pptxNormas Regulamentadoras.pptx
Normas Regulamentadoras.pptx
 
Treinamento acidente de trabalho
Treinamento acidente de trabalhoTreinamento acidente de trabalho
Treinamento acidente de trabalho
 
Dialogo 4 edgar segato - insalubridade e periculosidade - cnc edgar segato ...
Dialogo 4   edgar segato - insalubridade e periculosidade - cnc edgar segato ...Dialogo 4   edgar segato - insalubridade e periculosidade - cnc edgar segato ...
Dialogo 4 edgar segato - insalubridade e periculosidade - cnc edgar segato ...
 
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppttreinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
 
Cópia de Integração de Segurança.pptx
Cópia de Integração de Segurança.pptxCópia de Integração de Segurança.pptx
Cópia de Integração de Segurança.pptx
 

Mais de Aloisio Amaral

trivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdf
trivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdftrivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdf
trivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdf
Aloisio Amaral
 
ergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdf
ergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdfergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdf
ergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdf
Aloisio Amaral
 
aula2-normasregulamentadoras-141101085857-conversion-gate01.pptx
aula2-normasregulamentadoras-141101085857-conversion-gate01.pptxaula2-normasregulamentadoras-141101085857-conversion-gate01.pptx
aula2-normasregulamentadoras-141101085857-conversion-gate01.pptx
Aloisio Amaral
 
Promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno (1).pptx
Promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno (1).pptxPromoção, proteção e apoio ao aleitamento materno (1).pptx
Promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno (1).pptx
Aloisio Amaral
 
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdf
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdfmonkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdf
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdf
Aloisio Amaral
 

Mais de Aloisio Amaral (18)

trivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdf
trivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdftrivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdf
trivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdf
 
ergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdf
ergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdfergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdf
ergonomia-aula-130408212502-phpapp02.pdf
 
aula2-normasregulamentadoras-141101085857-conversion-gate01.pptx
aula2-normasregulamentadoras-141101085857-conversion-gate01.pptxaula2-normasregulamentadoras-141101085857-conversion-gate01.pptx
aula2-normasregulamentadoras-141101085857-conversion-gate01.pptx
 
AET Salão de Beleza SEMINÁRIO.ppt
AET Salão de Beleza SEMINÁRIO.pptAET Salão de Beleza SEMINÁRIO.ppt
AET Salão de Beleza SEMINÁRIO.ppt
 
Carcinogênicos (1).pdf
Carcinogênicos (1).pdfCarcinogênicos (1).pdf
Carcinogênicos (1).pdf
 
Promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno (1).pptx
Promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno (1).pptxPromoção, proteção e apoio ao aleitamento materno (1).pptx
Promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno (1).pptx
 
Cuidados ao RN no AC.pptx
Cuidados ao RN no AC.pptxCuidados ao RN no AC.pptx
Cuidados ao RN no AC.pptx
 
3-Higiene-do-Trabalho.pptx
3-Higiene-do-Trabalho.pptx3-Higiene-do-Trabalho.pptx
3-Higiene-do-Trabalho.pptx
 
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pptx
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pptxmonkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pptx
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pptx
 
Grupos farmacológicos.pptx
Grupos farmacológicos.pptxGrupos farmacológicos.pptx
Grupos farmacológicos.pptx
 
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdf
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdfmonkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdf
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdf
 
1higiene-e-seguranc3a7a-do-trabalho.ppt
1higiene-e-seguranc3a7a-do-trabalho.ppt1higiene-e-seguranc3a7a-do-trabalho.ppt
1higiene-e-seguranc3a7a-do-trabalho.ppt
 
03 raciocinio logico-1
03 raciocinio logico-103 raciocinio logico-1
03 raciocinio logico-1
 
Procedimento operacional padrao_pop
Procedimento operacional padrao_popProcedimento operacional padrao_pop
Procedimento operacional padrao_pop
 
Portaria 2048 de_2002_urgencia_e_emergencia
Portaria 2048 de_2002_urgencia_e_emergenciaPortaria 2048 de_2002_urgencia_e_emergencia
Portaria 2048 de_2002_urgencia_e_emergencia
 
Doc go.net nbr-14277 campo treinamento
Doc go.net nbr-14277 campo treinamentoDoc go.net nbr-14277 campo treinamento
Doc go.net nbr-14277 campo treinamento
 
Portaria 2048 de_2002_urgencia_e_emergencia
Portaria 2048 de_2002_urgencia_e_emergenciaPortaria 2048 de_2002_urgencia_e_emergencia
Portaria 2048 de_2002_urgencia_e_emergencia
 
Doc go.net nbr-14277 campo treinamento
Doc go.net nbr-14277 campo treinamentoDoc go.net nbr-14277 campo treinamento
Doc go.net nbr-14277 campo treinamento
 

insalubridadepericulosidade-160619220607.pptx

  • 1. DIFERENÇAS ENTRE INSALUBRIDADEE PERICULOSIDADE Acesse oremissivode NRs que aparece ao longo dos slides em nossosite: www.nrfacil.com.br Datashow
  • 2.
  • 4. Muitos profissionais que atuam junto ao setor de recursos humanos associam a insalubridade e a periculosidade única e exclusivamente ao adicional que todos os meses devem fazer constar no contracheque dos trabalhadores da empresa. Mas será que eles saberiam identificar e diferenciar as atividades que pertencem a cada um desses dois grupos? É bem verdade que que a amplitude do tema não nos permite esgotá-lo por completo, por isso mesmo, a empresa não deve abrir mão de serviços especializados. No entanto, há algumas informações que não podem ser ignoradas pelo gestor. Assim, faremos, ao longo deste Datashow, um apanhado geral contendo as questões mais importantes sobre o assunto. Confira a seguir. Insalubridade e periculosidade: entenda a diferença!
  • 5. Primeiro conheceremos um pouco sobre definições que tem relação com insalubridade e periculosidade: Salubre – Definição dicionário Aurélio: Saudável; higiênico; sadio. Insalubre – Definição dicionário Aurélio: Doentio; não salubre. Periculoso – Tem a ver com o perigo Conceitos:
  • 6. De acordo com a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), a insalubridade é caracterizada quando o empregado está exposto, durante o dia a dia de trabalho, a agentes nocivos à saúde como produtos químicos, ruídos, exposição ao calor, dentre outros. Já a periculosidade está relacionada ao risco de vida em executar que o sua função. Um exemplo são trabalhador fica exposto para os colaboradores que atuam com explosivos e radioativos, segurança pessoal ou patrimonial. Conceitos:
  • 7. Adicional de insalubridade: É pago ao trabalhador que exerce sua atividade em ambiente nocivo a saúde. É o tipo de exposição que pode causar males como doenças a médio e longo prazo. A insalubridade é definida nos termos da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) do artigo 189 ao 196, e da Norma Regulamentadora (do Ministério do Trabalho e Emprego) número 15. Adicional de periculosidade: É pago ao trabalhador que exerce sua atividade em ambiente perigoso à vida. Em ambiente de trabalho onde há risco de morte imediata. A periculosidade é definida nos termos da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) do artigo 193 ao 196, e da Norma Regulamentadora (do Ministério do Trabalho e Emprego) número 15. Conceitos:
  • 8. insalubres como as perigosas, Tanto as atividades apresentam um ambiente de trabalho que expõe o trabalhador a um risco que, na medida do possível, deve ser atenuado pelo empregador com o fornecimento de equipamentos de segurança (EPI ou EPC). Vale lembrar, ainda, que é dever da empresa treinar seus colaboradores, fiscalizar a integridade e a utilização dos equipamentos. Por fim, o exercício dos dois tipos de atividade enseja o pagamento de um adicional ao trabalhador. Fique atento:
  • 9. A periculosidade é determinada pelo risco iminente de morte durante o trabalho. A permanência constante ou habitualidade não é relevante para a caracterização da periculosidade, uma vez que, poucos minutos submetidos a condições perigosas são suficientes para fazer com que o empregado fique inválido ou esteja sob risco de vida. O trabalho em situações perigosas garante ao trabalhador um adicional de 30% incidente sobre o salário-base, sem os acréscimos resultantes de gratificações, prêmios ou participação nos lucros da empresa. Particularidades do trabalho perigoso:
  • 10. São consideradas atividades ou operações perigosas, aquelas que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem risco acentuado em virtude de exposição permanente do trabalhador a: Inflamáveis, explosivos ou energia elétrica; Roubos ou outras espécies de violência física nas atividades profissionais de segurança pessoal ou patrimonial. São periculosas as atividades ou operações, onde a natureza ou os seus métodos de trabalhos configure um contato com substâncias inflamáveis ou explosivos, substâncias radioativas, ou radiação ionizante, ou energia elétrica, em condição de risco acentuado.
  • 11. O trabalho insalubre é aquele que coloca em risco a saúde, o bem- estar e a integridade física e psíquica do funcionário. Esse tipo de exposição é regulamentado pelos artigos 189 e 192 da CLT e pela Norma Regulamentadora (NR-15) do Ministério do Trabalho e Emprego. O funcionário que atua em condições insalubres tem direito a um adicional que varia entre 10% e 40% do salário mínimo, dependendo do grau de insalubridade a que está exposto: mínimo, médio e máximo. Particularidades do trabalho insalubre:
  • 12. Acima dos limites de tolerância previstos nos anexos à NR-15 de números: 1 (Limites de Tolerância para Ruído Contínuo ou Intermitente); 2 (Limites de Tolerância para Ruídos de Impacto); 3 (Limites de Tolerância para Exposição ao Calor); 5 (Limites de Tolerância para Radiações Ionizantes); 11 (Agentes Químicos cuja Insalubridade é caracterizada por Limite de Tolerância e Inspeção no Local de Trabalho); 12 (Limites de Tolerância para Poeiras Minerais). Sãoconsideradasatividadesouoperações insalubresasquesedesenvolvem:
  • 13. Nas atividades mencionadas nos anexos números: 6 (Trabalho sob Condições Hiperbáricas); 13 (Agentes Químicos); 14 (Agentes Biológicos). Sãoconsideradasatividadesouoperações insalubresasquesedesenvolvem:
  • 14. comprovadas através de laudo de inspeção do local de trabalho, constantes dos anexos números: 7 (Radiações Não Ionizantes); 8 (Vibrações); 9 (Frio); 10 (Umidade). Sãoconsideradasatividadesouoperações insalubresasquesedesenvolvem:
  • 15. Semelhanças entre a insalubridade e periculosidade: A insalubridade e a periculosidade também possuem semelhanças, pois, ambas, colocam o trabalhador em condições de risco. Para que os problemas sejam amenizados, é importante que o empregador assegure e verifique a utilização de equipamentos de segurança e promova medidas que diminuam ou eliminem as ameaças do local de trabalho. Oferecer cursos e treinamentos também é obrigação do gestor e podem contribuir para um ambiente mais seguro e saudável para toda a equipe.
  • 16. Semelhanças entre a insalubridade e periculosidade: Para que uma companhia siga rigorosamente todas a leis e normas que regem a segurança no ambiente de trabalho, é imprescindível que haja a contratação de uma equipe especializada em Segurança e Medicina do Trabalho. Através de uma perícia especializada, a empresa poderá identificar as atividades e classificar o grau de periculosidade ou insalubridade. Os riscos estão presentes em todos os ambientes laborais – inclusive aqueles que não imaginamos como um simples escritório. Uma consultoria garante a redução dessas ameaças e assegura a produtividade da empresa.
  • 17. Vale lembrar que, embora os adicionais de insalubridade e periculosidade tenham causas distintas, eles não podem ser recebidos juntos, conforme o entendimento majoritário do TST. Assim, se o trabalhador estiver sujeito a condições insalubres e perigosas, ao mesmo tempo, ele terá direito a receber somente aquele adicional cujo valor for mais alto.