SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
Outubro de 2015
Informações sobre a medida
Cheque Formação
Lisboa
Outubro de 2015
2. Objetivos
Índice
1. Enquadramento
3. Beneficiários
4. Apoios Financeiros
5. Processo de Apresentação das Candidaturas
6. Operacionalização da Formação
7. Áreas de Formação
8. Contactos
Outubro de 2015
No quadro do Compromisso para o
Crescimento, Competitividade e Emprego,
assinado pelo Governo e pela generalidade
dos Parceiros Sociais, foi estabelecido o
lançamento do Cheque Formação
enquanto medida relevante para a melhoria
da produtividade e da economia do país.
1. Enquadramento
Outubro de 2015
2. Objetivos
Cheque
Formação
Melhorar
produtividade e
competitividade
das empresas
Potenciar a
procura de
formação
Incentivar
aprendizagem ao
longo da vida e
pessoal dos
colaboradores
Promover melhoria
dos desempenhos
através de
formação
Outubro de 2015
3. Beneficiários
Trabalhadores, independentemente do nível de qualificação, cujas candidaturas são
apresentadas pelos próprios ou por:
Relativamente aos seus trabalhadores,
sendo consideradas para este efeito as
pessoas coletivas ou singulares de
direito privado, com ou sem fins
lucrativos (requisitos )
Entidades empregadoras
Outubro de 2015
Ativos empregados
​O apoio a atribuir, por trabalhador, considera:
a duração máxima de 50 horas de formação, no período de dois anos;
um valor/hora de 4,00 € num montante máximo que poderá atingir os
175,00 €, sendo que o apoio a atribuir não pode exceder 90% do valor total
da ação de formação, comprovadamente pago.
4. Apoios Financeiros
Outubro de 2015
5. Processo de Apresentação das Candidaturas
Etapa 1
• Confirmação do
cumprimento
das condições
de acesso
Etapa 2
• Identificação da
entidade
formadora e da
ação de
formação
Etapa 3
• Reunião de
todos os
documentos
necessários
Etapa 4
• Preenchimento
dos formulário
de candidatura e
fundamentação
para a atribuição
do apoio
Outubro de 2015
• A formação profissional a desenvolver deve ser ministrada por uma Entidade Formadora
Certificada pela DGERT.
• A Formação deve, preferencialmente, basear-se em unidades de formação de curta
duração (UFCD) que integram os referenciais de formação de nível 2 ou 4 constantes
do Catálogo Nacional de Qualificações.
• Os percursos formativos devem integrar UFCD de um único referencial de formação ou UFCD
de mais do que um referencial, desde que integrados na mesma área de educação e formação,
e devem privilegiar as áreas de formação prioritárias definidas anualmente pelo IEFP, I.P., em
função das dinâmicas do mercado de emprego e disponíveis em www.iefp.pt, cuja identificação
se baseia em diversos instrumentos, nomeadamente o SANQ - Sistema de Antecipação de
Necessidades de Qualificação.
• Não são aceites, para efeitos de financiamento no âmbito da presente Medida, candidaturas
a formações a distância.
6. Operacionalização da Formação
Outubro de 2015
7. Áreas de Formação – 341. Comércio
Para visualizar o Referencial
de Formação, clique aqui.
341024 Técnico/a Comercial
Outubro de 2015
7. Áreas de Formação – 341. Comércio
Para visualizar o Referencial
de Formação, clique aqui.
341027 Técnico/a de Marketing
Outubro de 2015
7. Áreas de Formação – 341. Comércio
Para visualizar o Referencial
de Formação, clique aqui.
341025 Técnico/a de Vendas
Outubro de 2015
7. Áreas de Formação – 341. Comércio
Para visualizar o Referencial
de Formação, clique aqui.
341028 Técnico/a de Vitrinismo
Outubro de 2015
7. Áreas de Formação – 341. Comércio
Para visualizar o Referencial
de Formação, clique aqui.
341306 Técnico/a
Especialista em Comércio
Internacional
Outubro de 2015
8. Contactos
Escola de Comércio de Lisboa
Rua Vice-Almirante Augusto de Castro Guedes, 51
1800 - 341 Lisboa
Piedade Pereira: piedade.pereira@escolacomerciolisboa.pt
António Jorge: antonio.jorge@escolacomerciolisboa.pt
Outubro de 2015
As entidades têm que reunir cumulativamente os seguintes requisitos no momento da apresentação
da candidatura e durante todo o período do apoio financeiro:
a) Estar regularmente constituídas e registadas;
b) Comprovar ter a situação contributiva regularizada perante a administração tributária e a
segurança social;
c) Preencher os requisitos legais exigidos para o exercício da atividade ou apresentem
comprovativo de ter iniciado o processo aplicável;
d) Não se encontrarem em situação de incumprimento, no que respeita a apoios financeiros
concedidos pelo IEFP, I.P.;
e) Dispor de contabilidade organizada de acordo com o previsto na lei;
f) Não ter sido condenadas em processo-crime, com sentença transitada em julgado, por factos
que envolvam disponibilidades dos fundos estruturais;
g) Não apresentar situações respeitantes a salários em atraso;
h) Não ter sido condenadas em processo-crime ou contraordenacional por violação, praticada com
dolo ou negligência grosseira, de legislação de trabalho sobre discriminação no trabalho e
emprego, nos últimos dois anos, salvo se, da sanção aplicada no âmbito desse processo, resultar
prazo superior, que passa a ser o aplicado.
Apresentação da candidatura - Requisitos

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Presentation
PresentationPresentation
PresentationHotara007
 
Automobile exhibition design
Automobile exhibition designAutomobile exhibition design
Automobile exhibition designDeepam Shah
 
Indian habitat centre (6)
Indian habitat centre (6)Indian habitat centre (6)
Indian habitat centre (6)tivar rose
 
FINAL Report AUTOMOBILE MUSEUM
FINAL Report AUTOMOBILE MUSEUMFINAL Report AUTOMOBILE MUSEUM
FINAL Report AUTOMOBILE MUSEUMRaktim Saha
 
Public library
Public libraryPublic library
Public libraryOla Hassan
 
National gallery of modern arts
National gallery of modern artsNational gallery of modern arts
National gallery of modern artsSheetu Goel
 
Lighting design considerations
Lighting design considerationsLighting design considerations
Lighting design considerationsmominzaki
 
Casestudy on National Museum , New Delhi
Casestudy on National Museum , New DelhiCasestudy on National Museum , New Delhi
Casestudy on National Museum , New DelhiDivya Mishra
 
Casestudy on National Gallery Of Modern Art , New Delhi
Casestudy on National Gallery Of Modern Art , New DelhiCasestudy on National Gallery Of Modern Art , New Delhi
Casestudy on National Gallery Of Modern Art , New DelhiDivya Mishra
 
Museum case study by Sarthak
Museum case study by SarthakMuseum case study by Sarthak
Museum case study by SarthakSarthak Kaura
 

Destaque (20)

eCulture: Making the museum a social hub
eCulture: Making the museum a social hubeCulture: Making the museum a social hub
eCulture: Making the museum a social hub
 
Vom Labor ins Museum
Vom Labor ins MuseumVom Labor ins Museum
Vom Labor ins Museum
 
Presentation
PresentationPresentation
Presentation
 
Kolkata science city
Kolkata science cityKolkata science city
Kolkata science city
 
Lighting design basics
Lighting design basicsLighting design basics
Lighting design basics
 
Automobile exhibition design
Automobile exhibition designAutomobile exhibition design
Automobile exhibition design
 
Indian habitat centre (6)
Indian habitat centre (6)Indian habitat centre (6)
Indian habitat centre (6)
 
FINAL Report AUTOMOBILE MUSEUM
FINAL Report AUTOMOBILE MUSEUMFINAL Report AUTOMOBILE MUSEUM
FINAL Report AUTOMOBILE MUSEUM
 
folk museum
folk museumfolk museum
folk museum
 
Museum ppt
Museum pptMuseum ppt
Museum ppt
 
site & case study
site & case studysite & case study
site & case study
 
Public library
Public libraryPublic library
Public library
 
National gallery of modern arts
National gallery of modern artsNational gallery of modern arts
National gallery of modern arts
 
Lighting design considerations
Lighting design considerationsLighting design considerations
Lighting design considerations
 
Casestudy on National Museum , New Delhi
Casestudy on National Museum , New DelhiCasestudy on National Museum , New Delhi
Casestudy on National Museum , New Delhi
 
Dissertation _ Museum
Dissertation _ MuseumDissertation _ Museum
Dissertation _ Museum
 
Indian Habitat Centre
Indian Habitat CentreIndian Habitat Centre
Indian Habitat Centre
 
Casestudy on National Gallery Of Modern Art , New Delhi
Casestudy on National Gallery Of Modern Art , New DelhiCasestudy on National Gallery Of Modern Art , New Delhi
Casestudy on National Gallery Of Modern Art , New Delhi
 
Museum case study by Sarthak
Museum case study by SarthakMuseum case study by Sarthak
Museum case study by Sarthak
 
2010 Thesis Project
2010 Thesis Project2010 Thesis Project
2010 Thesis Project
 

Semelhante a Cheque Formação Lisboa

Candidaturas Poph - QREN
Candidaturas Poph - QRENCandidaturas Poph - QREN
Candidaturas Poph - QRENPSZ Consulting
 
37404565-Referencial-de-formacao-EFA-nivel-secundario.pdf
37404565-Referencial-de-formacao-EFA-nivel-secundario.pdf37404565-Referencial-de-formacao-EFA-nivel-secundario.pdf
37404565-Referencial-de-formacao-EFA-nivel-secundario.pdfFreiheit Ribeiro
 
2015 10-29 ficha sintese-cheque-formacao
2015 10-29 ficha sintese-cheque-formacao2015 10-29 ficha sintese-cheque-formacao
2015 10-29 ficha sintese-cheque-formacaoJosé Carlos Martins
 
Iapmei incentivos e financimento - mai2018 public
Iapmei incentivos e financimento - mai2018 publicIapmei incentivos e financimento - mai2018 public
Iapmei incentivos e financimento - mai2018 publicPedro Cilínio
 
Apresentação Roberto Gonzalez - Programa Top VI(1)
Apresentação Roberto Gonzalez - Programa Top VI(1)Apresentação Roberto Gonzalez - Programa Top VI(1)
Apresentação Roberto Gonzalez - Programa Top VI(1)apimec
 
UFCD -CP4 - Organismos de Apoio e Acolhimento aos Imigrantes em Portugal.pptx
UFCD -CP4 - Organismos de Apoio e Acolhimento aos Imigrantes em Portugal.pptxUFCD -CP4 - Organismos de Apoio e Acolhimento aos Imigrantes em Portugal.pptx
UFCD -CP4 - Organismos de Apoio e Acolhimento aos Imigrantes em Portugal.pptxNome Sobrenome
 
Manual da bolsa formação - apresentação
Manual da bolsa formação - apresentaçãoManual da bolsa formação - apresentação
Manual da bolsa formação - apresentaçãopronatec
 
A regulamentação da lei do aprendiz ibef
A regulamentação da lei do aprendiz  ibefA regulamentação da lei do aprendiz  ibef
A regulamentação da lei do aprendiz ibefWilliam Rocha
 
Projetos Simplificados
Projetos SimplificadosProjetos Simplificados
Projetos SimplificadosAveiro
 
16-CERTIFICADO B.pdf
16-CERTIFICADO B.pdf16-CERTIFICADO B.pdf
16-CERTIFICADO B.pdfSheizeMorais
 
Apresentação curso Empreendedorismo
Apresentação curso EmpreendedorismoApresentação curso Empreendedorismo
Apresentação curso EmpreendedorismoJessica Oliveira
 
Política de capacitação portaria 296-08
Política de capacitação   portaria 296-08Política de capacitação   portaria 296-08
Política de capacitação portaria 296-08Ederson Varejo
 
Conhecimento e a Aprendizagem Organizacional
Conhecimento e a Aprendizagem OrganizacionalConhecimento e a Aprendizagem Organizacional
Conhecimento e a Aprendizagem Organizacionalrfaria
 
Aprendizagem Organizacional
Aprendizagem OrganizacionalAprendizagem Organizacional
Aprendizagem Organizacionalnesi
 

Semelhante a Cheque Formação Lisboa (20)

supply chain.pdf
supply chain.pdfsupply chain.pdf
supply chain.pdf
 
Candidaturas Poph - QREN
Candidaturas Poph - QRENCandidaturas Poph - QREN
Candidaturas Poph - QREN
 
37404565-Referencial-de-formacao-EFA-nivel-secundario.pdf
37404565-Referencial-de-formacao-EFA-nivel-secundario.pdf37404565-Referencial-de-formacao-EFA-nivel-secundario.pdf
37404565-Referencial-de-formacao-EFA-nivel-secundario.pdf
 
Formação Ação para PME's
Formação Ação para PME'sFormação Ação para PME's
Formação Ação para PME's
 
2015 10-29 ficha sintese-cheque-formacao
2015 10-29 ficha sintese-cheque-formacao2015 10-29 ficha sintese-cheque-formacao
2015 10-29 ficha sintese-cheque-formacao
 
Iapmei incentivos e financimento - mai2018 public
Iapmei incentivos e financimento - mai2018 publicIapmei incentivos e financimento - mai2018 public
Iapmei incentivos e financimento - mai2018 public
 
Apresentação Roberto Gonzalez - Programa Top VI(1)
Apresentação Roberto Gonzalez - Programa Top VI(1)Apresentação Roberto Gonzalez - Programa Top VI(1)
Apresentação Roberto Gonzalez - Programa Top VI(1)
 
UFCD -CP4 - Organismos de Apoio e Acolhimento aos Imigrantes em Portugal.pptx
UFCD -CP4 - Organismos de Apoio e Acolhimento aos Imigrantes em Portugal.pptxUFCD -CP4 - Organismos de Apoio e Acolhimento aos Imigrantes em Portugal.pptx
UFCD -CP4 - Organismos de Apoio e Acolhimento aos Imigrantes em Portugal.pptx
 
Manual da bolsa formação - apresentação
Manual da bolsa formação - apresentaçãoManual da bolsa formação - apresentação
Manual da bolsa formação - apresentação
 
Regulamento formação 2011 2012
Regulamento formação 2011 2012Regulamento formação 2011 2012
Regulamento formação 2011 2012
 
A regulamentação da lei do aprendiz ibef
A regulamentação da lei do aprendiz  ibefA regulamentação da lei do aprendiz  ibef
A regulamentação da lei do aprendiz ibef
 
Projetos Simplificados
Projetos SimplificadosProjetos Simplificados
Projetos Simplificados
 
16-CERTIFICADO B.pdf
16-CERTIFICADO B.pdf16-CERTIFICADO B.pdf
16-CERTIFICADO B.pdf
 
Guia do tributarista - FBT
Guia do tributarista - FBTGuia do tributarista - FBT
Guia do tributarista - FBT
 
24 Horas Gestão Corporate - Regulamento
24 Horas Gestão Corporate - Regulamento24 Horas Gestão Corporate - Regulamento
24 Horas Gestão Corporate - Regulamento
 
Apresentação curso Empreendedorismo
Apresentação curso EmpreendedorismoApresentação curso Empreendedorismo
Apresentação curso Empreendedorismo
 
Política de capacitação portaria 296-08
Política de capacitação   portaria 296-08Política de capacitação   portaria 296-08
Política de capacitação portaria 296-08
 
Webinar PRIMAVERA - Oportunidades Portugal 2020
Webinar PRIMAVERA - Oportunidades Portugal 2020Webinar PRIMAVERA - Oportunidades Portugal 2020
Webinar PRIMAVERA - Oportunidades Portugal 2020
 
Conhecimento e a Aprendizagem Organizacional
Conhecimento e a Aprendizagem OrganizacionalConhecimento e a Aprendizagem Organizacional
Conhecimento e a Aprendizagem Organizacional
 
Aprendizagem Organizacional
Aprendizagem OrganizacionalAprendizagem Organizacional
Aprendizagem Organizacional
 

Último

As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 

Cheque Formação Lisboa

  • 1. Outubro de 2015 Informações sobre a medida Cheque Formação Lisboa
  • 2. Outubro de 2015 2. Objetivos Índice 1. Enquadramento 3. Beneficiários 4. Apoios Financeiros 5. Processo de Apresentação das Candidaturas 6. Operacionalização da Formação 7. Áreas de Formação 8. Contactos
  • 3. Outubro de 2015 No quadro do Compromisso para o Crescimento, Competitividade e Emprego, assinado pelo Governo e pela generalidade dos Parceiros Sociais, foi estabelecido o lançamento do Cheque Formação enquanto medida relevante para a melhoria da produtividade e da economia do país. 1. Enquadramento
  • 4. Outubro de 2015 2. Objetivos Cheque Formação Melhorar produtividade e competitividade das empresas Potenciar a procura de formação Incentivar aprendizagem ao longo da vida e pessoal dos colaboradores Promover melhoria dos desempenhos através de formação
  • 5. Outubro de 2015 3. Beneficiários Trabalhadores, independentemente do nível de qualificação, cujas candidaturas são apresentadas pelos próprios ou por: Relativamente aos seus trabalhadores, sendo consideradas para este efeito as pessoas coletivas ou singulares de direito privado, com ou sem fins lucrativos (requisitos ) Entidades empregadoras
  • 6. Outubro de 2015 Ativos empregados ​O apoio a atribuir, por trabalhador, considera: a duração máxima de 50 horas de formação, no período de dois anos; um valor/hora de 4,00 € num montante máximo que poderá atingir os 175,00 €, sendo que o apoio a atribuir não pode exceder 90% do valor total da ação de formação, comprovadamente pago. 4. Apoios Financeiros
  • 7. Outubro de 2015 5. Processo de Apresentação das Candidaturas Etapa 1 • Confirmação do cumprimento das condições de acesso Etapa 2 • Identificação da entidade formadora e da ação de formação Etapa 3 • Reunião de todos os documentos necessários Etapa 4 • Preenchimento dos formulário de candidatura e fundamentação para a atribuição do apoio
  • 8. Outubro de 2015 • A formação profissional a desenvolver deve ser ministrada por uma Entidade Formadora Certificada pela DGERT. • A Formação deve, preferencialmente, basear-se em unidades de formação de curta duração (UFCD) que integram os referenciais de formação de nível 2 ou 4 constantes do Catálogo Nacional de Qualificações. • Os percursos formativos devem integrar UFCD de um único referencial de formação ou UFCD de mais do que um referencial, desde que integrados na mesma área de educação e formação, e devem privilegiar as áreas de formação prioritárias definidas anualmente pelo IEFP, I.P., em função das dinâmicas do mercado de emprego e disponíveis em www.iefp.pt, cuja identificação se baseia em diversos instrumentos, nomeadamente o SANQ - Sistema de Antecipação de Necessidades de Qualificação. • Não são aceites, para efeitos de financiamento no âmbito da presente Medida, candidaturas a formações a distância. 6. Operacionalização da Formação
  • 9. Outubro de 2015 7. Áreas de Formação – 341. Comércio Para visualizar o Referencial de Formação, clique aqui. 341024 Técnico/a Comercial
  • 10. Outubro de 2015 7. Áreas de Formação – 341. Comércio Para visualizar o Referencial de Formação, clique aqui. 341027 Técnico/a de Marketing
  • 11. Outubro de 2015 7. Áreas de Formação – 341. Comércio Para visualizar o Referencial de Formação, clique aqui. 341025 Técnico/a de Vendas
  • 12. Outubro de 2015 7. Áreas de Formação – 341. Comércio Para visualizar o Referencial de Formação, clique aqui. 341028 Técnico/a de Vitrinismo
  • 13. Outubro de 2015 7. Áreas de Formação – 341. Comércio Para visualizar o Referencial de Formação, clique aqui. 341306 Técnico/a Especialista em Comércio Internacional
  • 14. Outubro de 2015 8. Contactos Escola de Comércio de Lisboa Rua Vice-Almirante Augusto de Castro Guedes, 51 1800 - 341 Lisboa Piedade Pereira: piedade.pereira@escolacomerciolisboa.pt António Jorge: antonio.jorge@escolacomerciolisboa.pt
  • 15. Outubro de 2015 As entidades têm que reunir cumulativamente os seguintes requisitos no momento da apresentação da candidatura e durante todo o período do apoio financeiro: a) Estar regularmente constituídas e registadas; b) Comprovar ter a situação contributiva regularizada perante a administração tributária e a segurança social; c) Preencher os requisitos legais exigidos para o exercício da atividade ou apresentem comprovativo de ter iniciado o processo aplicável; d) Não se encontrarem em situação de incumprimento, no que respeita a apoios financeiros concedidos pelo IEFP, I.P.; e) Dispor de contabilidade organizada de acordo com o previsto na lei; f) Não ter sido condenadas em processo-crime, com sentença transitada em julgado, por factos que envolvam disponibilidades dos fundos estruturais; g) Não apresentar situações respeitantes a salários em atraso; h) Não ter sido condenadas em processo-crime ou contraordenacional por violação, praticada com dolo ou negligência grosseira, de legislação de trabalho sobre discriminação no trabalho e emprego, nos últimos dois anos, salvo se, da sanção aplicada no âmbito desse processo, resultar prazo superior, que passa a ser o aplicado. Apresentação da candidatura - Requisitos