Reino protoctista e Protozooses

481 visualizações

Publicada em

Aulas sobre o Reino protoctista e as principais protozooses.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
481
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reino protoctista e Protozooses

  1. 1. REINO PROTOCTISTA BIOLOGIA PROF. KATIA QUEIROZ WWW.BIOMAISKATIAQUEIROZ.BLOGSPOT. COM
  2. 2. AULA 2 – Protozoários Representantes: Protozoários Algas uni e multicelulares
  3. 3. Características gerais:  Unicelulares (protozoários e algas);  Multicelulares (algas verdes);  Eucariontes;  Heterotróficos (protozoários);  Autotróficos (algas);
  4. 4.  Células mais organizadas e complexas do que os procariontes: mitocôndrias cloroplastos ribossomos R.E.R
  5. 5. Protozoários Tryconinpha sp.
  6. 6. Classificação:  Protozoários amebóides  pseudópodos (locomoção e alimentação);  vida livre ou parasitas; (pseudo = falso; podos = pés)
  7. 7.  Protozoários flagelados (mastigóforos)  flagelos (locomoção e alimentação);  vida livre ou parasitas; Leishmania sp. Trypanosoma cruzi
  8. 8.  Protozoários ciliados  cílios (locomoção e alimentação);  maioria de vida livre;  Ex: Paramecium sp – protozoário de água doce;
  9. 9.  Reprodução:  Assexuada: fissão binária transversal  Conjugação: recombinação gênica • micronúcleo
  10. 10.  Osmorregulação (protozoários de água doce) H2O H2O H2Oosmose vacúolos contráteis vacúolos contráteis
  11. 11.  Protozoários esporozoários (apicomplexa)  não possuem nenhum tipo de estrutura locomotora;  maioria são parasitas intracelulares; Plasmodium sp.
  12. 12. AULA 3: PROTOZOOSES Doença de Chagas Malária Amebíase Leishmaniose tegumentar Leishmaniose visceral Giardíse Toxoplasmose Tricomoníase
  13. 13. Doença de Chagas  Agente etiológico: Trypanosoma cruzi  Hospedeiro definitivo : homem  Hospedeiro intermediário: barbeiro  Locais parasitados: coração, paredes do esôfago e intestino grosso.
  14. 14.  Agente transmissor (vetor): inseto “barbeiro” Principalmente a espécie Triatoma infestans
  15. 15.  Transmissão:  contato com as fezes do barbeiro contaminado (principal);  transfusão de sangue;  aleitamento materno;
  16. 16.  Ciclo de vida: heteroxênico Hospedeiro intermediário Hospedeiro definitivo barbeiro homem
  17. 17.  Características (sintomas): hipertrofia dos órgãos afetados pelo parasito, principalmente o coração.
  18. 18.  Profilaxia:  tratamento dos doentes;  substituição de casas de pau-a-pique por construção de alvenaria;  combate ao barbeiro;  conscientização da população.
  19. 19. Malária  Agente etiológico: Plasmodium sp.  No Brasil: Plasmodium vivax Plasmodium malariae Plasmodium falciparum
  20. 20.  Agente transmissor (vetor) e hospedeiro definitivo: mosquito Anopheles sp (mosquito-prego).  Hospedeiro intermediário: homem  Transmissão: picada das fêmeas (hematófagas) do mosquito Anopheles sp (mosquito-prego). A. earlei Anopheles sp.
  21. 21.  Ciclo de vida: heteroxênico Hospedeiro intermediário Hospedeiro definitivo homem ♀ Anopheles sp. Reprodução assexuada do parasito Reprodução sexuada do parasito
  22. 22.  Características (sintomas):  febres intermitentes;  dores de cabeça;  vômitos;  hemorragia interna; Febre – resulta da liberação de toxinas quando os merozoítos rompem as hemáceas. Anualmente, morrem 2 milhões de pessoas.
  23. 23.  Distribuição da Malária:
  24. 24.  no Brasil:
  25. 25.  Profilaxia:  tratamento dos doentes;  combate ao vetor;  mosqueteiro nas camas;  uso de inseticidas.
  26. 26. Leishmaniose visceral ou calazar  Agente etiológico: Leishmania chagasi
  27. 27.  Agente transmissor: mosquito flebotomídeos do gênero Lutzomyia sp (mosquito-palha).  Transmissão: picada das fêmeas dos mosquitos Lutzomyia sp (mosquito-palha).
  28. 28.  Ciclo de vida: heteroxênico Hospedeiro intermediário Hospedeiro definitivo homem e outros mamíferos ♀ Lutzomyia sp.
  29. 29.  Características (sintomas):  Humanos – lesões no baço, fígado, rins e intestinos.
  30. 30.  Cães
  31. 31.  Profilaxia:  tratamento dos doentes;  combate ao vetor;  mosquiteiro nas camas;  uso de inseticidas;  sacrifício dos animais.  humanos: a doença é curável  cães: a doença não tem cura
  32. 32. Leishmaniose cutânea  Agente etiológico: Leishmania brasiliensis
  33. 33.  Agente transmissor: mosquito flebotomídeos do gênero Lutzomyia sp (mosquito-palha).  Transmissão: picada das fêmeas dos mosquitos Lutzomyia sp (mosquito-palha).
  34. 34.  Características (sintomas): ulcerações graves na pele.
  35. 35.  Profilaxia:  tratamento dos doentes;  combate ao vetor;  mosquiteiro nas camas;  uso de inseticidas;
  36. 36. Toxoplasmose  Agente etiológico: Toxoplasma gondii
  37. 37.  Transmissão:  ingestão de cistos dos parasitos presentes nas fezes de gatos;  ingestão de carne crua ou mal cozida contaminada pelo parasito. Hospedeiro definitivo
  38. 38.  Características (sintomas):  80% dos casos os portadores são assintomáticos;  gestantes (grupo de risco);
  39. 39.  Profilaxia:  higiene pessoal;  ingestão de carne bem cozida;  evitar contato com fezes de gatos.
  40. 40. Tricomoníase  Agente etiológico: Trichomonas vaginalis
  41. 41.  Transmissão:  relações sexuais com pessoas infectadas;  uso de sanitários e banheiras contaminados com o parasito;  uso de toalhas contaminadas com o parasito.
  42. 42.  Características (sintomas):  infecções genitais (corrimento, mau-cheiro, coceira, bolhas).
  43. 43.  Profilaxia:  tratamento dos doentes;  uso de preservativos;  higiene pessoal;
  44. 44. Amebíase Agente etiológico:  Entamoeba histolytica Giardíase Agente etiológico:  Giardia lamblia
  45. 45.  Entamoeba histolytica Doença: amebíase Causador: Entamoeba histolytica Hospedeiro definitivo: homem Hospedeiro intermediário: não há. Locais parasitados: principalmente o intestino grosso. Pulmões, cérebro e fígado também podem ser afetados.
  46. 46. AMEBÍASE
  47. 47.  Transmissão: ingestão de alimentos ou de água contaminada por fezes que contenham cistos do parasito.
  48. 48.  Características (sintomas):  dores abdominais;  febre;  diarréia;  anemia;  vômitos.
  49. 49.  Profilaxia:  tratamento dos doentes;  higiene pessoal;  saneamento básico;  lavar bem os alimentos antes de comer;  beber água filtrada e/ou fervida.

×