Livro dos Espiritos questao 198 Evangelho 14-4

651 visualizações

Publicada em

Reuniao Publica GECD

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
651
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
67
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro dos Espiritos questao 198 Evangelho 14-4

  1. 1. Estudo de O Livro dos Espíritos e do Evangelho Segundo o Espiritismo L.E. – Questão 197 Evangelho – Cap. XIV item 1 Dubai, 01/09/2013 Parte II - Cap. IV - Da Pluralidade das Existências Sorte das Crianças depois da Morte
  2. 2. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Sorte das Crianças depois da Morte GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 2 É comum no nosso planeta a morte na infância, mesmo no que se refere as comunidades que desfrutam de melhor qualidade de vida. A curta duração da vida da criança pode representar, para o Espírito que o animava, o complemento de existência precedentemente interrompido antes do momento em que deveria terminar, e sua morte, também não raro, constitui provação ou expiação para os pais.
  3. 3. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Sorte das Crianças depois da Morte GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 3 Para o Espiritismo, Infância é um estado que... Corresponde a uma necessidade, está na ordem da natureza e de acordo com a vista da Providência. É um período de repouso do Espírito. Encarnando, com o objetivo de se aperfeiçoar, o Espírito, durante esse período é mais acessível às impressões que recebe, capazes de lhe auxiliarem o adiantamento, para o que devem contribuir os incumbidos de educá-lo. As diferenças observadas nas crianças resultam... Da carga genética herdada dos pais, da educação recebida, das tendências instintivas, e das idéias inatas que o Espírito traz ao renascer.
  4. 4. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Sorte das Crianças depois da Morte GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 4 198. Não tendo podido praticar o mal, o Espírito de uma criança que morreu em tenra idade pertence a alguma das categorias superiores? “Se não fez o mal, igualmente não fez o bem e Deus não o isenta das provas que tenha de padecer. Se for um Espírito puro, não o é pelo fato de ter animado apenas uma criança, mas porque já progredira até a pureza.” 199. Por que tão freqüentemente a vida se interrompe na infância? “A curta duração da vida da criança pode representar, para o Espírito que a animava, o complemento de existência precedentemente interrompida antes do momento em que devera terminar, e sua morte, também não raro, constitui provação ou expiação para os pais.” a) - Que sucede ao Espírito de uma criança que morre pequenina? “Recomeça outra existência.”
  5. 5. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Sorte das Crianças depois da Morte GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 5 Se uma única existência tivesse o homem e se, extinguindo-se-lhe ela, sua sorte ficasse decidida para a eternidade, qual seria o mérito de metade do gênero humano, da que morre na infância, para gozar, sem esforços, da felicidade eterna e com que direito se acharia isenta das condições, às vezes tão duras, a que se vê submetida a outra metade?Semelhante ordem de coisas não corresponderia à justiça de Deus. Com a reencarnação, a igualdade é real para todos. O futuro a todos toca sem exceção e sem favor para quem quer que seja. Os retardatários só de si mesmos se podem queixar. Forçoso é que o homem tenha o merecimento de seus atos, como tem deles a responsabilidade.
  6. 6. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Sorte das Crianças depois da Morte GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 6 Aliás, não é racional considerar-se a infância como um estado normal de inocência. Não se vêem crianças dotadas dos piores instintos, numa idade em que ainda nenhuma influência pode ter tido a educação? Alguns não há que parecem trazer do berço a astúcia, a felonia, a perfídia, até pendor para o roubo e para o assassínio, não obstante os bons exemplos que de todos os lados se lhes dão? A lei civil as absorve de seus crimes, porque, diz ela, obraram sem discernimento. Tem razão a lei, porque, de fato, elas obram mais por instinto do que intencionalmente.
  7. 7. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Sorte das Crianças depois da Morte GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 7 Donde, porém, provirão instintos tão diversos em crianças da mesma idade, educadas em condições idênticas e sujeitas às mesmas influências? Donde a precoce perversidade, senão da inferioridade do Espírito, uma vez que a educação em nada contribuiu para isso? As que se revelam viciosas, é porque seus Espíritos muito pouco hão progredido. Sofrem então, por efeito dessa falta de progresso, as conseqüência , não dos atos que praticam na infância, mas dos de suas existências anteriores. Assim é que a lei é uma só para todos e que todos são atingidos pela justiça de Deus.
  8. 8. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Sorte das Crianças depois da Morte GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 8 O Espírito Sanson, ex membro da Sociedade Espírita de Paris, em mensagem datada de 1863, esclarece, pondera e aconselha: (Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap 5 -Item 21)
  9. 9. Dubai, 05/02/2013 Cap. XIV – Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe Item 1-4
  10. 10. 10 Capítulo XIV - Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe 1- Sabeis os mandamentos: não cometereis adultério; não matareis; não roubareis; não prestareis falso-testemunho; não fareis agravo a ninguém; honrai a vosso pai e a vossa mãe. (S. MARCOS, capítulo X, v. 19; S. LUCAS, cap. XVIII, v. 20; S. MATEUS, cap. XIX, vv. 18 e 19.) Piedade filial. - Quem é minha mãe e quem são meus irmãos? - Parentela corpórea e parentela espiritual. - Instruções dos Espíritos: A ingratidão dos filhos e os laços de família. 2. Honrai a vosso pai e a vossa mãe, a fim de viverdes longo tempo na terra que o Senhor vosso Deus vos dará. (Decálogo: "Êxodo", cap. XX, v. 12.)
  11. 11. 11 Capítulo XIV - Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe Piedade filial 4. Deus disse: "Honrai a vosso pai e a vossa mãe, a fim de viverdes longo tempo na terra que o Senhor vosso Deus vos dará." Por que promete ele como recompensa a vida na Terra e não a vida celeste? A explicação se encontra nestas palavras: “que Deus vos dará” , as quais, suprimidas na moderna fórmula do Decálogo, lhe alteram o sentido. Para compreendermos aqueles dizeres, temos de nos reportar à situação e às idéias dos hebreus naquela época. Eles ainda nada sabiam da vida futura, não lhes indo a visão além da vida corpórea. Tinham, pois, de ser impressionados mais pelo que viam, do que pelo que não viam. Fala-lhes Deus então numa linguagem que lhes estava mais ao alcance e, como se se dirigisse a crianças, põe-lhes em perspectiva o que os pode satisfazer. Achavam-se eles ainda no deserto; a terra que Deus lhes dará e a Terra da Promissão, objetivo das suas aspirações. Nada mais desejavam do que isso; Deus lhes diz que viverão nela longo tempo, isto é, que a possuirão por longo tempo, se observarem seus mandamentos.
  12. 12. 12 Capítulo XIV - Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe Este Mandamento encerra toda a obrigação dos filhos perante aos pais, traduzida pelo amor, respeito, atenção, submissão e condescendência para com eles. Isso é o dever da Piedade Filial. Piedade Filial – É a obrigação incondicional que temos, perante nossos pais, de cumprir para com eles os deveres impostos pela lei de caridade e de amor, de modo mais rigoroso que o demonstrado ao próximo em geral. Nossos pais são nossos irmãos a quem Deus nos confiou, nesta existência terrena, como responsáveis importantes pela nossa atual fase evolutiva. “A Família é um cadinho de purificação onde aprendemos a legítima fraternidade”.
  13. 13. 13 Capítulo XIV - Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe Cada qual deve cumprir o seu papel. O dos filhos é honrar os pais, sempre em qualquer circunstancia. Alguns pais descuidam de seus deveres e não são o que deviam ser. Quanto a esses pais, compete a Deus julgá-los e puni-los e não a seus filhos.

×