Mudanças no Setor Varejista

710 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
710
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mudanças no Setor Varejista

  1. 1. Capa NOVAS REGRAS Mudanças na rotina do setor O supermercadista precisa estar atento a alterações ou criação de leis que trazem novas obrigações fiscais, tributárias e normativas para o seu negócio. Diariamente são apresentados inúmeros projetos ou emendas de leis, seja em âmbito federal, estadual ou municipal, que, caso aprovadas, influenciam diretamente o setor. A SuperVarejo relacionou algumas dessas normas que estão ou estarão em vigor ainda neste ano e tem reflexos na rotina de gestão de uma loja. >> DeniSe Turco > dturco@super varejo.com.br >> rogério gaTTi > rgatti@super varejo.com.br 30 n S u p e r Va r e j o | ma rço 2 0 1 0
  2. 2. mar ç o 2010 | S uper Var ejo n 31
  3. 3. Capa NOVAS REGRAS Recursos humanos Cartão de ponto eletrônico dessas informações para os sistemas de folha de pagamento. O Ministério do Trabalho e Emprego assinou a Portaria 1.510 Vale lembrar que a utilização de ponto eletrônico não é obri- em agosto do 2009, que relaciona itens que devem ser observa- gatória; o registro da jornada de trabalho ainda pode continuar dos pelo empregador e pelo empregado para que o sistema de sendo feito pelo ponto manual ou mecânico. registro eletrônico de ponto seja totalmente confiável. De acordo com a norma, os fabricantes desses equipamentos Licença-maternidade são obrigados a seguir as especificações e submetê-los à homo- logação. O prazo para adequação da máquina pelas empresas estendida é agosto de 2010. Em janeiro deste ano começou a valer o programa Empresa Para o supermercadista, alguns pontos merecem destaque. O Cidadã, que prorroga por 60 dias o período de licença-mater- aparelho eletrônico deverá emitir comprovante de marcação a nidade, ampliando o beneficio para um total de seis meses. cada registro efetuado na máquina de ponto. Além disso, deve- Para aderir ao Empresa Cidadã, que é opcional, é preciso se rá seguir um novo formato de relatório e arquivos digitais, que cadastrar no site da Receita Federal. A funcionária que qui- o empregador manterá e apresentará à fiscalização do trabalho ser solicitar a licença-maternidade estendida deve requerer a sempre que requisitado. prorrogação do salário-maternidade até o primeiro mês depois O supermercadista deve verificar se a empresa da qual ele do parto. compra o equipamento está cadastrada no Ministério do Tra- Pelo programa criado pelo governo federal (lei 11.770/08), as balho e teve seu equipamento homologado. Com essas regras, empresas que operam pelo regime de lucro real poderão deduzir ele conseguirá conferir mais rápido e facilmente a jornada de do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) os custos com trabalho dos seus colaboradores e ainda agilizar a transmissão a remuneração dos 60 dias adicionais. Tributos Obrigação mensal especializada em assessoria contábil e fiscal para pequenas e A entrega da Declaração de Tributos Federais (DCTF), que in- médias empresas, Luiz Surian. forma os impostos devidos com base no faturamento da empre- Segundo o consultor da APAS na área contábil, Antonio sa, passou a ser mensal. A regra da Secretaria da Receita Federal Pires, é importante ficar atento aos prazos estabelecidos pela vale para todos os tipos de empresa, exceto para as que operam Receita Federal. A entrega da DCTF de janeiro foi prorrogada pelo Simples. Até então, apenas as grandes companhias tinham para 19 de março; é provável que também a entrega de fevereiro essa obrigação mensal; as demais entregavam a cada semestre. seja prorrogada, mas ainda não há confirmação. A multa pelo atraso de entrega da DCTF é de 2% para cada mês A DCTF de março, a ser entregue em abril, deve contar com de atraso, calculados sobre os tributos declarados já pagos ou a certificação digital, uma espécie de assinatura eletrônica do não. “Com a entrega mensal, o governo terá mais agilidade representante da empresa perante a Receita Federal, para validar para verificar as empresas que deixaram de pagar impostos e a remessa da declaração. cobrá-los”, explica o diretor de operações da Prolink Contábil, É importante destacar, segundo Pires, que a exigência da 32 n S u p e r Va r e j o | ma rço 2 0 1 0
  4. 4. assinatura digital para quem opera pelo regime de lucro presu- cumentos fiscais e de outras informações de interesse dos mido será apenas para a DCTF de abril. Para os três primeiros fiscos. A questão é que os dados constantes no Sped Contábil meses do ano não será necessário. ficam à disposição da Receita Federal e são compartilhados com os fiscos estadual e municipal. “As informações do Sped Contábil podem ser cruzadas com os dados contábeis envia- Parcelamento de tributos das mensalmente para a Receita como o ICMS. O cruzamento Um lembrete importante para as empresas e seus contadores dos dados ocorre em nível nacional, estadual e municipal”, que fizeram o parcelamento de tributos federais atrasados no informa o consultor Pires. ano passado, de acordo com a lei 11.941/09. “As empresas po- Nos próximos anos o Sped será uma realidade para todas dem acompanhar a consolidação das dívidas por meio do site as empresas. Enquanto isso, o ideal é se preparar. Segundo Su- da Receita Federal”, comenta Pires, da APAS. A consolidação rian, da Prolink, para se preparar para essa nova realidade de dos dados deve ocorrer até abril, por isso o acompanhamento escrituração digital é preciso treinar pessoas, adequar proces- é essencial para corrigir eventuais erros antecipadamente. sos e, principalmente, investir em um sistema de informação integrada. “Qualidade e segurança da informação são impor- Contabilidade tantíssimos no Sped”, diz ele. na era digital Em 2010, as empresas que operam pelo regime de lucro real Novo sistema de ECF deverão cumprir as obrigações do Sistema Público de Escritu- A partir do próximo semestre os supermercadistas do Es- ração Digital (Sped), conjunto de normas para transmissão de tado de São Paulo vão ouvir falar do Sistema de Autenticação informações contábeis para o governo. O Sped é formado pelo e Transmissão de Cupom Fiscal Eletrônico (SAT). “É um ECF Sped Contábil, o Sped Fiscal e a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). ‘vitaminado’, mais completo e abrangente’”, segundo a defi- Em junho de 2010 os livros contábeis deixam de existir e nição de Pires. entra no ar o modelo eletrônico, o Sped Contábil. É essencial Trata-se de um sistema automatizado como o ECF, mas com enviar informações corretas, pois, uma vez que a Junta Comer- aparelho celular embutido que transmitirá ao longo do dia cial confirme o recebimento eletrônico dos dados, não é pos- as informações de venda da loja diretamente para a Receita sível alterá-los. O atraso na entrega do Sped Contábil acarreta Estadual. O objetivo é evitar a sonegação e informalidade de multa de R$ 5 mil por mês de atraso. pequenas e médias empresas do varejo. O software e o equipa- A NF-e já está implementada no Estado de São Paulo, mas mento estão em estágio avançado de desenvolvimento. os supermercados não estão obrigados a emiti-las, apenas seus Outro detalhe, de acordo com Pires, é que o SAT terá GPS fornecedores (indústrias e atacadistas). O mesmo ocorre com embutido e qualquer mudança do local em que o equipamento o Sped Fiscal ou Escrituração Fiscal Digital (EFD), arquivo foi instalado será detectada. Além disso, se o lacre for rompido, digital constituído por um conjunto de escriturações de do- a máquina para de funcionar. Infraestrutura Cuidado para 12 meses, o proprietário conseguia o despejo. Com as altera- não perder seu ponto ções, caso o locatário atrase mais de uma vez em 24 meses, o proprietário poderá rescindir o contrato e despejar o inquilino A Lei do Inquilinato (8.245/91) sofreu alterações que come- em apenas 30 dias. çaram a vigorar em 25 de janeiro deste ano. Para o supermer- Na prática, segundo o advogado do escritório Cerveira, cadista que aluga o imóvel onde está sua loja, alguns pontos Dornellas e Advogados Associados, Mário Cerveira Filho, demandam atenção. um lojista pode perder seu ponto comercial por conta disso. Anteriormente, quando o dono do imóvel entrava com “Muitos proprietários torcerão para que o inquilino atrase uma ação de despejo por atraso no pagamento, o locatário um aluguel, pois isso vai representar 24 meses seguidos podia pagar em juízo. Caso o inquilino atrasasse três vezes em sem problemas. Mas haverá aqueles que se aproveitarão da mar ç o 2010 | S uper Var ejo n 33
  5. 5. Capa NOVAS REGRAS situação para inflacionar o mercado”, acredita. plugues: com dois ou três pinos redondos. O encaixe do plugue “Por exemplo, se o locatário atrasar pela segunda vez em é sextavado assim como a cavidade da tomada. menos de 24 meses, o dono do imóvel pode exigir uma com- Desde janeiro deste ano, aparelhos e equipamentos elétricos pensação financeira ou um aumento informal no aluguel para e eletrônicos devem sair de fábrica com plugues e tomadas não acionar a justiça e, assim, despejar o inquilino”, analisa padronizados. o advogado. “Além disso, ele pode dizer que tem outra oferta O gerente do departamento de tecnologia da Associação Bra- maior e que se o inquilino não cobrir ele será despejado”, sileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), o engenheiro completa. Fabián Yaksic, esclarece que os supermercados poderão receber De acordo com a lei, quem tem comércio pode renovar do fornecedor plugues, tomadas e prolongadores comerciali- compulsoriamente o contrato desde que o prazo seja de cinco zados isoladamente até 1º de janeiro de 2011; a partir dessa anos ou mais (em apenas um contrato ou com sucessivos cuja data, vale somente o padrão brasileiro. No caso de aparelhos soma atinja esse número) e esteja em dia com suas obriga- com plugues e tomadas no modelo antigo, o prazo é julho de ções. O advogado alerta para que o lojista conheça a lei e não 2011. perca seus prazos e direitos. “A renovação deve ser proposta Por enquanto, não é preciso se preocupar com mudanças na entre um ano e seis meses anteriores à data do término do infraestrutura da loja. Equipamentos novos e com plugue pa- contrato. Caso contrário, o dono do imóvel poderá entrar dronizado com dois pinos redondos (como cafeteiras, aparelhos com uma ação de despejo e, ocorrendo a hipótese, haverá de som, telefones) se encaixam em tomadas antigas. a rescisão do contrato locatício. Assim, o lojista perderá a Já os equipamentos novos com plugue padrão de três pinos posse do imóvel e, por consequência, o seu ponto comercial”, têm a necessidade de aterramento, como aparelho de ar-con- explica Cerveira Filho. dicionado e refrigeradores. “Para ligar o aparelho com plugue Para o advogado, essas mudanças podem causar problemas. de três pinos é preciso trocar a tomada ou usar um adaptador, “Com as alterações, se o juiz na primeira instância der uma que deve ser certificado pelo Inmetro”, explica Yaksic. sentença equivocada para um pedido desse tipo, o proprietário A recomendação do Inmetro e da Abinee é trocar as toma- pode despejar o inquilino em 30 dias; antes ele só podia fazer das ao longo dos próximos dois anos. As novas construções já isso depois de recorrido e julgado”, compara Cerveira Filho. “Se devem contemplar o padrão brasileiro de plugues. o lojista apelar da sentença e ganhar, como ele poderá voltar para o imóvel se houver outro locatário no lugar?”, questiona o especialista. Isenção em estacionamento Na segunda quinzena de março começa a vigorar no Es- tado de São Paulo a lei que proíbe estacionamentos públicos, Ergonomia no checkout privados e serviços de manobristas a usar placas de isenção de Até dezembro de 2010, 65% dos checkouts das lojas devem responsabilidade por objetos que os motoristas possam deixar estar de acordo com as definições do anexo I da Norma Regula- no interior dos veículos. mentadora 17, a NR-17. Em 2011, 100% dos caixas devem estar Todos os estacionamentos também serão obrigados a emitir dentro da norma. A NR-17 estabelece diretrizes para adequar os um novo comprovante para o motorista assim que ele entregar checkouts às condições de ergonomia e assim prevenir proble- o carro para o manobrista ou passar pela cancela eletrônica. No mas de saúde e segurança do trabalho dos tíquete deverá constar a identificação do carro com modelo e operadores. Desde 2008 as lojas seguem placa, valor da tarifa (caso o estabelecimento cobre pelo uso um calendário para implementar as do espaço), tempo de tolerância, horário de funcionamento e mudanças. dados da empresa responsável pelo estacionamento, além, de dia e horário da entrega do veículo. É importante que os supermercadistas atentem também para Plugues e as leis municipais que complementam essa estadual. Na cidade de São Paulo, por exemplo, os estacionamentos precisarão fixar tomadas placas indicando dados da apólice de seguro do local, como Neste ano ocorrerá a última validade e nome da seguradora, entre outros. fase de implantação do padrão brasileiro de plugues e toma- > Fontes desta matéria abinee: (11) 2175-0000 das, norma criada pelo Inmetro antonio pires: (11) 5506-2497 com o objetivo de proporcionar cer veira, Dornellas e advogados associados: (11) 2246-3888 mais segurança ao consumidor, inmetro: www.inmetro.gov.br/pluguesetomadas evitando choques elétricos e cur- prolink: (11) 3107-4505 to-circuito. Além disso, o padrão receita Federal: www.receita.fazenda.gov.br acaba com a grande variedade de to- para maiS eSclarecimenToS, conSulTe o DeparTamenTo juríDico madas existentes no mercado. A regra Da apaS: (11) 3647-5000 ou juríDico@apaS.com.br estabelece dois formatos diferentes de 34 n S u p e r Va r e j o | ma rço 2 0 1 0
  6. 6. Conheça os projetos de lei relacionados ao dia a dia do supermercado uma lei Surge a parTir De projeToS que São apreSenTaDoS naS câmaraS municipaiS, por VereaDoreS, ou na aSSembleia legiSlaTiVa, por DepuTaDoS eSTaDuaiS. apóS aproVaDaS, elaS eSperam pela Sanção Do preFeiTo ou Do goVernaDor, DepenDenDo Da Sua abrangência, para enTrar em Vigor. a SuperVarejo reuniu algunS projeToS De lei que eSTão em TrâmiTe naS câmaraS municipaiS ou na aSSembleia e aguarDam VoTação Da caSa compeTenTe. São iDeiaS que, caSo aproVaDaS, eSTão relacionaDaS DireTamenTe ao coTiDiano Do SupermercaDiSTa. Agendamento Carrinhos PL 298/2008 – Estado de São Paulo Determina que os fornecedores de bens de consumo, PL 576/09 – Campinas (SP) localizados no estado de São paulo, agendem data e turno Determina que supermercados e estabelecimentos comerciais (manhã, tarde ou noite) para entrega de produtos ou realização instalem dispositivo de segurança para fixação e acomodação de serviços aos consumidores. segura de crianças nos carrinhos de compras. Preços por unidades de medida Meio ambiente PL 123/09 – Estado de São Paulo PL 616/09 – Município de São Paulo Determina que supermercados e hipermercados divulguem Determina que os produtos descartados e resíduos tecnológicos preços por unidade de medida dos produtos à venda no estado devem ser coletados, reutilizados, reciclados e receber paulista. o preço deverá ser informado por quilo, litro, metro ou tratamento final específico e ambientalmente adequado pelas unidade, conforme o caso, e constar expressamente na mesma empresas que fabricam, produzem, importam, distribuem e placa em que estiver o preço do item. comercializam esses equipamentos ou seus componentes. Vagas demarcadas Comprovação da origem PL 258/09 – Município de São Paulo PL 668/09 – Estado de São Paulo Determina que estabelecimentos como supermercados devem Determina que todos os estabelecimentos que comercializem colocar logomarca azul de demarcação de vaga destinada a carne bovina, suína, ovina ou de aves devem fixar todas as idosos e portadores de deficiência de maneira visível. notas fiscais de compra (ou cópia) em local visível e de fácil acesso aos consumidores para comprovar a origem dos Cão-guia alimentos. PL 523/09 – Município de São Paulo a pessoa portadora de deficiência visual usuária de cão-guia Caixa térmica poderá entrar e permanecer com o animal em veículos e PL 160/00 – Município de São Paulo estabelecimentos públicos e privados de uso coletivo. Determina que os supermercados tenham caixas térmicas em 20% de sua frota de carrinhos de compras sob pena de multa. SACOLAS PLÁSTICAS o Tema gerou granDe número De projeToS De lei (pl) em ToDo o eSTaDo De São paulo em 2009. enTre eleS, DeSTacam-Se oS SeguinTeS: PL 401/09 PL 546/09 determina que os estabelecimentos comerciais que restringe o uso de sacolas e sacos plásticos para utilizam sacolas plásticas para embalar mercadorias acondicionamento de produtos e mercadorias devem imprimir em suas sacolas informações sobre a em supermercados. os supermercados deverão coleta seletiva de lixo. estimular o uso de sacolas reutilizáveis por meio de programas de conscientização sobre PL 517/09 os danos causados pelo material plástico não Proíbe a fabricação, a comercialização e uso de saco- biodegradável, além de disponibilizar aos las plásticas e obriga a substituição por embalagens clientes embalagens alternativas que minimizem feitas com material não nocivo ao meio ambiente. o impacto causado ao meio ambiente. mar ç o 2010 | S uper Var ejo n 35

×