Absolutismo inglês e revoluções inglesas

2.393 visualizações

Publicada em

A Europa do século XVIII assistiu à derrocada da estrutura do Antigo Regime, cujo episódio derradeiro foi a Revolução Francesa. Antes, porém, ainda durante o século XVII as bases do Antigo Regime foram duramente atingidas pelas críticas contra o Absolutismo que, na Inglaterra foi eliminado depois de um processo revolucionário.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.393
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Absolutismo inglês e revoluções inglesas

  1. 1. 16/04/2012 Absolutismo Inglês Revoluções Inglesas Prof. Jorge Miklos Abril/2012 Absolutismo• DEFINIÇÃO• Absolutismo: absoluta concentração de poderes políticos nas mãos dos monarcas europeus, durante a Idade Moderna, que comandam seus Estados sem qualquer interferência. Absolutismo• As monarquias nacionais europeias nasceram no final da Idade Média, graças à aliança estabelecida entre rei e a burguesia e, a partir de então, os reis ampliaram seus poderes, monopolizando o governo. 1
  2. 2. 16/04/2012 Absolutismo Absolutismo• Os monarcas absolutistas europeus controlavam o exército (permanente e profissional), a cobrança de tributos e a justiça dos seus reinos.• Controlavam, portanto, um grande e oneroso aparelho de Estado que demandava recursos constantes para seu sustento. Absolutismo TEORIAS ABSOLUTISTAS 2
  3. 3. 16/04/2012 Absolutismo• No início da Idade Moderna, alguns pensadores dedicaram-se a justificar os poderes absolutos dos reis, dentre os quais se destacaram: Nicolau Maquiavel • Italiano (Florença • Escreveu O Príncipe • Considerado o pai da Teoria Política Moderna • “Os fins justificam os meios” Thomas Hobbes • Pensador inglês • Escreveu “O Leviatã” • “O homem é o lobo do homem” 3
  4. 4. 16/04/2012 Jacques Bossuet • Pensador Francês • Escreveu “A política inspirada nas Sagradas Escrituras” • “O trono de um rei não é o trono de um homem mas o trono de Deus na terra” ABSOLUTISMO INGLÊS Henrique VIII• Rompeu com a Igreja Católica• Fundou a Igreja Anglicana• Fortaleceu o Absolutismo 4
  5. 5. 16/04/2012 Absolutismo Inglês• Seu filho, Eduardo VI (1547-1553), teve um reinado curto e foi substituído pela meia- irmã, Maria Tudor, ou Maria Sangüinária, católica famosa pelas perseguições que impôs aos protestantes. Maria I (18 de Fevereiro 1516 - 17 de Novembro 1558) foi Rainha de Inglaterra e da Irlanda, da casa de Tudor, desde 19 de Julho de 1553 até à sua morte. É lembrada pela sua tentativa de restabelecer o Catolicismo como religião oficial, depois do movimento protestante iniciado nos reinados anteriores. Para tal mandou perseguir e executar cerca de 300 alegados heréticos, o que lhe valeu o cognome Bloody Mary (Maria, a Sanguinária). Elizabeth I (7 de setembro de 1533 — 24 de março de 1603), também conhecida no Brasil sob a variante Elisabete I, e em Portugal como Isabel I, foi Rainha da Inglaterra e da Irlanda desde 1558 até à sua morte. Também ficou conhecida pelos nomes de A Rainha Virgem, Gloriana e Boa Rainha Bess. 5
  6. 6. 16/04/2012 Absolutismo Inglês• Além disso, foi responsável pela implantação de uma agressiva política mercantilista, buscando aumentar o poderio da Inglaterra nos mares:• favoreceu o comércio inglês,• estimulou a pirataria e a construção naval, obtendo incalculáveis recursos para o tesouro real.• Procurou ainda dar início à colonização inglesa na América do Norte, fundando a Colônia da Virgínia.• Derrotou a Invencível Armada da Espanha"sei que tenho o corpo de uma mulher fraca efrágil; mas tenho também o coração e oestômago de um rei - e de um rei de Inglaterra!". Quadro de 1588 comemorativo da vitória sobre a Armada Espanhola (vista ao fundo). Revoluções Inglesas 6
  7. 7. 16/04/2012 Revoluções Inglesas A DINASTIA STUART Revoluções Inglesas• Os reis da dinastia Stuart, Jaime I (1603-1625) e Carlos I (1625-1649), tentaram dar continuidade ao absolutismo de seus antecessores.• As alterações socioeconômicas por que passara a Inglaterra ao longo do século XVI, porém, impediram-nos de concretizar plenamente seu objetivo. Jaime I• perseguiu violentamente católicos e calvinistas• adotou uma política fiscal e tributária de péssimas repercussões: criou novos impostos e aumentou os existentes.• Como o Parlamento negou- se a colaborar com o monarca foi por ele dissolvido em 1614, assim permanecendo até 1621. 7
  8. 8. 16/04/2012 Carlos I – procurou manter a concentração absoluta de poderes herdada dos Tudor. – Procurou negociar com o Parlamento a aprovação de novos impostos e, em 1628, conseguiu novas fontes de recursos. – Para isso, porém, teve que jurar a Petição de Direitos que previa o fim das prisões arbitrárias e da imposição de tributos ilegais. Revoluções Inglesas• O fechamento do Parlamento em 1640, gerou uma violenta reação por parte dos setores anti-absolutistas da sociedade inglesa que passaram a enfrentar o rei, primeiro criticando, mas depois pegando em armas, originando uma guerra civil. Guerra Civil• O conflito armado entre adeptos do absolutismo monárquico (chamados cavaleiros) e seus opositores (conhecidos como cabeças redondas e liderados por Oliver Cromwell) iniciou-se em 1642.• Os cabeças redondas melhor organizados e mais disciplinados venceram, aprisionaram e executaram o rei e instauraram o regime republicano na Inglaterra, em 1649. 8
  9. 9. 16/04/2012 Revoluções Inglesas A REPÚBLICA PURITANA (1649-1658) Revoluções Inglesas• Em 1651, Cromwell instituiu os • Tal ato, porém, desagradou Atos de Navegação, enormemente os determinando que todas as mercadorias que entrassem ou holandeses que detinham a saíssem dos portos ingleses hegemonia marítima até deveriam ser transportadas por então. navios ingleses. Assim, o governante procurava fortalecer a • A guerra entre Holanda e construção naval no país e o Inglaterra foi inevitável e comércio externo da Inglaterra, terminou com uma obtendo a supremacia naval importante vitória inglesa, a inglesa. qual se tornou a primeira potência naval europeia e mundial. Revoluções Inglesas A RESTAURAÇÃO STUART E A REVOLUÇÃO GLORIOSA 9
  10. 10. 16/04/2012 Revoluções Inglesas• Em 1660, diante da instabilidade do governo de Ricardo Cromwell, o Parlamento foi reconvocado e reinstituiu a Monarquia na Inglaterra, coroando Carlos II (1660-1685).• Este monarca, educado na França durante o período republicano e simpatizante do catolicismo e do absolutismo, promoveu uma política de aproximação com aquele país e com Roma. Revoluções Inglesas• A morte de Carlos II fez subir ao trono inglês o já idoso Jaime II (1685-1688).• Católico convicto e declarado, o novo monarca ameaçou restabelecer o catolicismo como religião oficial na Inglaterra, almejando, assim, restaurar o Absolutismo e reduzir a influência política da nobreza anglicana e da burguesia monopolista. Revoluções Inglesas• Diante da ameaça católica e absolutista, o Parlamento inglês ofereceu, em 1688, a Coroa britânica a Guilherme de Orange.• Este, por seu turno, era também herdeiro do trono holandês e, para assumir o trono inglês, abdicou da sucessão holandesa. 10
  11. 11. 16/04/2012 Revoluções Inglesas• Além disso, teve que jurar o Bill of Rights (Declaração de Direitos) que estabelecia as bases da monarquia parlamentar na Inglaterra:• o Parlamento era responsável pela aprovação ou não de impostos, garantia-se a liberdade individual aos cidadãos e a propriedade privada, o poder seria dividido em executivo, legislativo e judiciário. Referências• ANDERSON, Perry. O Estado Absolutista no Ocidente. In: ANDERSON, Perry. Linhagens do Estado absolutista. São Paulo: Brasiliense, 1989.• FLORENZANO, Modesto. As revoluções burguesas. 12. ed. São Paulo: Brasiliense, 1991.• HILL, C. Uma revolução burguesa? In: Revista Brasileira de História, n. 7, p. 7-32, 1984.• STONE, Lawrence. La Revolución Inglesa. In: VVAA; Revoluciones y rebeliones de la Europa moderna. Madrid: Alianza, 1978.• TREVOR-ROPER, H. R. Religião, Reforma e transformação social. Lisboa, Presença/Martins Fontes, 1972. 11

×