Revoluções inglesas

754 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
754
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
439
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revoluções inglesas

  1. 1. Professora Kelly Custódio Delfino Historintegral.blogspot.com.br
  2. 2. Confrontar interpretações diversas de situações ou fatos de natureza histórico-geográfica, técnico-científica, artístico-cultural ou do cotidiano, comparando diferentes pontos de vista, identificando os pressupostos de cada interpretação e analisando a validade dos argumentos utilizados.
  3. 3. Movimento político, militar e religioso que destruiu o Absolutismo na Inglaterra instalando naquele país a primeira Monarquia Parlamentar da História.
  4. 4. Contexto Histórico
  5. 5. A Sociedade inglesa às vésperas das Revoluções GRUPOS SOCIAIS POSIÇÃO POLÍTICA TENDÊNCIA RELIGIOSA Nobreza : grandes proprietários rurais Conservadores apoiavam o poder real e o Absolutismo Católicos e anglicanos Gentry: pequena burguesia mercantil e yeomen classe média e pequenos proprietários rurais Liberais identificam –se com ideais burgueses e apoiam o Parlamento na luta contra o poder real Puritanos (calvinistas) que questionavam a religião oficial e (anglicanismo) que lutavam por liberdade. Camponeses e proletários Revolucionários mais radicais que desejavam profundas mudanças políticas e sociais. Dividiam-se em dois grupos – levelles (niveladores) e diggers (escavadores). Apoiavam o Parlamento Puritanos (calvinistas)
  6. 6. Campo Religioso
  7. 7. Através do ATO DE SUPREMACIA torna o Rei a autoridade maior religiosa na Inglaterra concentrando assim o poder político e religioso nas mãos do Rei - ANGLICANO Reforma Anglicana:
  8. 8. Filha de Henrique VIII e Ana Bolena. Era Anglicana. Raramente convocou o parlamento. Por meio de ameaças e subornos e utilizando-se de ampla autoridade e habilidade política, sempre fazia prevalecer suas decisões.
  9. 9. . Jaime I (1603-1625) Deu continuidade à política absolutista que marcou seus antecessores. Entretanto: começaram a enfrentar forte oposição da Burguesia Inglesa. O rei lutava pelo poder absoluto. A maioria dos parlamentares defendia a limitação jurídica do poder real. Em 1614 Jaime I fechou o Parlamento inglês acirrando os ânimos da burguesia Liberal. Perseguiu Católicos e Puritanos (protestantes calvinistas), muitos migraram para a América.
  10. 10. Revolução Puritana
  11. 11. Elmo arrendondado que deu origem ao apelido dos membros do
  12. 12. A República de Cromwell (1649 – 1660): Oliver Cromwell centralizou todo o poder, fechou o Parlamento e governou de maneira ditatorial. Seu governo não enfrentou grande oposição por ter atendido aos interesses da Burguesia. Governo (1649-1658): Afastou possibilidades de mudanças mais radicais . Desenvolveu a economia estimulando o comércio marítimo (Ato de Navegação). Após sua morte (1658), seu filho (Richard Cromwell) não conseguiu manter-se no poder com mesma eficiência e carisma, renunciando em oito meses de governo. CROMWELL
  13. 13. Restauração da Monarquia. O interesse da burguesia e da pequena nobreza (gentry) era manter afastados os grupos radicais e conduzir a revolução. Assim, o antigo regime foi restaurado em 1660 assumindo novamente a dinastia Stuart Rei Carlos II (1660-1685) Rei Jaime II (1685-1688). Resultado: Retrocesso político que agradava apenas os setores mais tradicionais e conservadores da nobreza católica e anglicana.
  14. 14. A Restauração STUART (1660 – 1688): Carlos II (1660 – 1685). Anglicano, pró-católicos. Aproximação com a França. Parlamento cria o HABEAS CORPUS e exclui católicos de cargos. Parlamento é novamente fechado pelo rei (1683)
  15. 15. Jaime II (1683 – 1688). Católico. Tentativa de restabelecer o absolutismo. Apoiado por Luís XIV (FRA). Parlamento temeroso com a restituição do catolicismo oferece a coroa a Guilherme de Orange (HOL), casado com Maria Stuart, filha mais velha de Jaime II. Em troca, pedia o parlamento livre e a manutenção do anglicanismo. GUILHERME DE ORANGE
  16. 16. Revolução Gloriosa. Última e decisiva etapa do movimento revolucionário. Golpe de Estado articulado pela Burguesia, com apoio de parte da nobreza: Em seu lugar assumiu sua filha, Maria II, casada com Guilherme de Orange (Guilherme III). O novo rei aceitou o pacto com a burguesia: Impôs limites ao poder real (Declaração de Direitos - 1689). Fim às perseguições (Ato de Tolerância).
  17. 17. DECLARAÇÃO DE DIREITOS DE 1689 (Bill of Rights) → é ilegal a faculdade que se atribui à autoridade real para suspender as leis ou seu cumprimento. → é ilegal toda cobrança de impostos para a Coroa sem o concurso do Parlamento. → que os discursos pronunciados nos debates do Parlamento não devem ser examinados senão por ele mesmo, e não em outro Tribunal ou sítio algum.
  18. 18. Estava instituída uma monarquia constitucional e parlamentarista = o rei reina, mas não governa.
  19. 19. Conclusão: A Revolução Inglesa (ou Revoluções) criou as condições indispensáveis para a Revolução Industrial do século XVIII, limpando o terreno para o avanço do capitalismo, deve ser considerado a primeira revolução burguesa da história na Europa, antecipando em cento e cinquenta anos a Revolução Francesa.

×