Curso€de€Especialização€TecnológicaTecnologias€e€Programação€de€Sistemas€de€InformaçãoFerramentas€Multimédia              ...
Som             O som propaga-se no ar através de um movimento ordenado das partículasque o constituem.             Quando...
A propagação do som no espaço deve-se ao facto de umas partículastransmitirem o seu movimento às suas partículas vizinhas ...
A aquisição do som equivale a gravar um som analógico para digital, obtendoum conjunto de amostras do sinal analógico por ...
Tal como a imagem, o áudio digital pode ser quantizado com diferentesresoluções, isto é, cada amostra pode ser quantificad...
Quanto maior for o tamanho de um ficheiro de áudio, mais espaço esteocupará em disco, ao ser armazenado, e mais tempo leva...
Taxa de amostragem              A ilustração representa um som na forma analógica. Como o computadortrabalha apenas com si...
Comparemos os gráficos aolado.               Note-se que, com 11 KHz, acaptura será menor que com 44 KHz,indicando que a q...
Conversores ADC e DAC            As placas de som são constituídas por dispositivos com um ou mais chipsresponsáveis pelo ...
Ao ADC (ou Conversor A/D) cabe a tarefa de digitalização dos sinais sonoros. Aplaca de som recebe esses sinais de um dispo...
Para ouvirmos o som emitido pelos computadores, conectamos à placa desom caixas acústicas ou phones de ouvido. Para o áudi...
Digitalização do som                Como vimos, o sinal analógico é amostrado e convertido numa série devalores digitais (...
www.joaoleal.net   Formador: João José Leal   13
Teorema de Nyqvist  – Estabelece a frequência de amostragem mínima para ser possível          reconstruir o sinal analógic...
www.joaoleal.net   Formador: João José Leal   15
A Amostragem consiste em medir a amplitude da onda analógica em intervalosperiódicos.   www.joaoleal.net               For...
Como?                                                 Stream de impulsos repetidos no                                     ...
•   A informação analógica é contínua.                        – Problema fundamental: degradação                   •   A i...
Frequência mínima correcta?Segundo o Teorema de Nyqvist a frequência de Amostragem deve ser, no mínimo,igual ao dobro da f...
Taxa de transmissão vs qualidade      Amostragem        Resolução   Stereo/Mono Espaço (1min)               Qualidade     ...
Formatos de Ficheiros              Os ficheiros de áudio, se não estiverem comprimidos, apresentam um tamanhogrande porque...
Ficheiros Não Comprimidos              Depois do sinal amostrado e quantizado, utiliza-se a técnica de codificaçãoPCM (Pul...
Waveform Audio: formato de áudio digital nativo do sistema operativo Windows. Utilizama extensão wav.Audio Interchange Fil...
Musical Instrument Digital Interface: permite conectar sintetizadores, tecladoselectrónicos e outros instrumentos electrón...
Ficheiros Comprimidos              Quando se quer ter um arquivo de música próprio e portátil, o maisconveniente é ter fic...
A compressão de ficheiros áudio tem em consideração as características doouvido humano e as suas limitações na percepção d...
Compressão com perdas               Numa compressão com perdas existe uma perda de informação original paracriar um fichei...
Hoje em dia, o formato mais popular                                   deste tipo de compressão é o MP3, embora existam    ...
OGG Vorbis: tecnologia de codificação de código aberto (opensource) para o sistemaoperativo Linux. Foi desenhado para subs...
Compressão sem perdas              Ao contrário de uma compressão com perdas, numa compressão sem perdasnão é afectada a q...
Para se criar um repositório de alta-fidelidade digital, a melhor solução éusar um formato de compressão sem perdas. Estes...
Free Lossless Codec: formato de código aberto, aceite por muitas empresas deelectrónica e usado com a maior parte dos sist...
Edição de Som              Existe muito software para trabalhar com Som e que pode efectuar operaçõesde captura, reproduçã...
O software de edição de som possibilita a sua modificação.             O software de conversão de formatos permite alterá-...
Nesta Unidade, em particular, propõe-se a utilização do Audacity.               O Audacity é um gravador e editor de áudio...
A simplicidade do Audacity está em toda sua concepção. A sua interface foidesenvolvida para ser intuitiva, relativamente a...
Teclas de um gravador                   O Audacity é a mistura de um gravador e um editor de                   texto. Toda...
Componentes  Barra de Ferramentas de Controlo               A Barra de Ferramentas de Controle é composta de duas partes, ...
Controlo de Áudio              O funcionamento deste controlo é o mesmo das teclas de um micro system.Para iniciar uma gra...
Ferramentas de Edição               Com estas ferramentas manipularemos as trilhas de áudio. São responsáveispela maior pa...
Ferramenta de Desenho - para alterar partes da forma de onda da trilha de     áudio     Ferramenta de Ampliação - para amp...
Barra de Ferramenta de Mixagem             A Barra de Ferramenta de Mixagem possui três controles, usados para ajustaro vo...
Barra de Ferramentas Editar              Todos os botões desta barra de ferramentas realizam uma acção e comalgumas excepç...
Desfazer            Refazer            Ampliar            Reduzir            Amplie para ocupar a janela - amplia a selecç...
Trilha de Áudio                A Trilha de Áudio congrega informações e funções que são aplicáveisindividualmente ao arqui...
Etiqueta                                  Toda trilha de áudio possui controles                      independentes.       ...
Editar um Projecto              A edição de áudio segue a mesma lógica de um programa para processamentode texto como o Wo...
Com a ferramenta Selecção                 , selecionamos parte da trilha de áudio.Para eliminar um trecho basta clicar na ...
A ferramenta Envelope       possibilita o controle do volume da trilha de áudioou de parte dela.     www.joaoleal.net     ...
A ferramenta Desenho         possibilita fazer alterações no gráfico da onda.A ferramenta Lupa        é utilizada quando n...
Silence               Esta operação silencia a selecção. Essencialmente é uma operação de cortesem apagar a selecçcão comp...
Quando silenciamos partes entre linhas vocais, considere que uma súbitacaída no som ambiente poderá deixar as coisas nada ...
Duplicate                A área seleccionada é copiada, uma nova trilha é criada e o material copiado écolado nessa nova t...
Os benefícios de uma duplicação são muitos. Um deles seria o teste comefeitos.               Mas também não podemos fazer ...
Também podemos criar efeitos especiais nas cópias duplicadas. Para além deter duas peças do mesmo áudio para trabalhar, o ...
Split               Faz o mesmo que duplicar, mas também silencia o material seleccionado, apóscopiá-lo para uma nova tril...
Em todos os projectos estaremos a colocar o áudio nalgum sítio.             Estas são técnicas, facilmente realizadas com ...
Seleccionamos a parte após a pausa.              Depois utilizamos a função split (dividir) para conter o áudio selecciona...
Split divididawww.joaoleal.net   Formador: João José Leal   59
A ferramenta deslocamento de tempo                    é seleccionada e o áudio na trilhainferior é deslocado para a esquer...
Ouçamos as duas trilhas individualmente procurando por exemplo sons derespiração. Utilize o botão solo das trilhas para fa...
Quando estivermos satisfeitos, aplicamos um Fade Out nas últimas duasterceiras partes da parte sobreposta superior, e apli...
Podemos rever tudo abrindo uma peça de música, duplicando-a, e depoisacomodando o volume das trilhas, um fade out, o segun...
Copy, Cut e Paste             Este programa também nos permite utilizar as funções universais Copiar(Copy), Cut (Cortar) e...
De salientar que:         •Depois de copiarmos (Copy) uma porção de áudio         o material copiado permanece visível;   ...
Preparar um loop            Existem inúmeras técnicas para fazer um loop sem falhas aparentes, mas amelhor é o hábito, a e...
Certas partes da música, especialmente a batida, são fáceis de identificar(sobretudo os pontos mais altos e mais baixos co...
Poderemos experimentar o loop carregando em shift + barra de espaços.             A primeira selecção só irá funcionar cor...
Vamos trabalhar o som?Primeiro deveremos seleccionar uma parte do gráfico com a ferramenta deselecção.  www.joaoleal.net  ...
Clicando no menu Efeitos, poderemosaplicar vários efeitos ao som.              Não         são   efeitos   sonoros,       ...
De seguida iremos trabalhar com os efeitos:                       Remover ruído (elimina ruídos na gravação)              ...
Remover Ruído:Este efeito serve para limpar osom de ruídos indesejáveis.Após        seleccionar   todo   oficheiro de som,...
Abre-se a janela das opções de remoção de ruídos. Clicar em Perceber Perfilde Ruído para que o programa distinga entre som...
Mantendo o gráfico de som seleccionado, voltar à opção Remover Ruído.         Agora basta clicar no botão Remover ruído pa...
Gravar um ficheiro de áudio:                             Clicar no menu Arquivo e escolher a opção                   Expor...
Misturar ficheiros de som:              Primeiro, abrir os sons no Audacity. Basta clicar sobre os ficheiros noambiente de...
A ferramenta Zoom (lupa) facilita o trabalho com ficheiros                   longos, aumentando ou diminuindo o aspecto vi...
Para juntar dois ou mais ficheiros de som, basta                   seleccionar o som de um dos ficheiros, copiar o        ...
…e colar o som na faixa que pretendemos.     www.joaoleal.net              Formador: João José Leal   79
Para terminar o trabalho de manipulação de som, vamos inserir um Fade Ine um Fade Out.                Estas são transições...
Para inserir um Fade Out, selecciona-se a parte final da onda sonora, clica-seno menu Efeitos e escolhe-se a opção Fade Ou...
Nota-se que o perfil da onda sonora se alterou após a aplicação destes efeitos.Se clicar no botão Play, ouvir-se-á um cres...
Apesar de não ser um editor de som avançado, o Audacity permite umelevado nível de manipulação de som. Podemos trabalhar c...
Criar Podcasts Após instalar o Audacity : 1º Faça o unzip do encoder LAME 2º Copie o ficheiro lame_enc.dll para a pasta Pr...
www.joaoleal.net   Formador: João José Leal   85
Para começar a gravar, ligue o seu microfone e clique no botão Recordwww.joaoleal.net                   Formador: João Jos...
Quando começar a gravar irá ver algo semelhante ao da imagemwww.joaoleal.net                  Formador: João José Leal    ...
Pode guardar aquilo que está a fazer recorrendo ao menu File – SaveProject                                                ...
Podemos   adicionar   mais                              informação acerca do mp3 preenchendo a                            ...
Se    desejarmos        poderemosadicionar música de fundo. Para adicionarmúsica               de    fundo       ao      P...
A música pode ser maior                                              que o texto que gravamos. Neste                      ...
Para poder baixar o somda música e manipular melhor agravação podemos aumentar oZoom                 In,   quantas   vezes...
Se premir o botão PLAY           para ouvir                                 pode verificar que a música está muito        ...
Terminar a música correctamente:Seleccione um bocadinho de música no final evá ao menu Effect – Fade Out e adicione oefeit...
www.joaoleal.net   Formador: João José Leal   95
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação TPSI - ISEC (Edição de Som)

3.086 visualizações

Publicada em

Apresentação TPSI - ISEC (Edição de Som)

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.086
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.243
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação TPSI - ISEC (Edição de Som)

  1. 1. Curso€de€Especialização€TecnológicaTecnologias€e€Programação€de€Sistemas€de€InformaçãoFerramentas€Multimédia Formador:€João€Leal
  2. 2. Som O som propaga-se no ar através de um movimento ordenado das partículasque o constituem. Quando fazemos vibrar as nossas cordas vocais, ou quando tocamos umanota musical num instrumento, fazemos com que as partículas do ar que nos rodeiamentrem numa oscilação que dá origem ao som que ouvimos. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 2
  3. 3. A propagação do som no espaço deve-se ao facto de umas partículastransmitirem o seu movimento às suas partículas vizinhas (e assim sucessivamente),levando a que a oscilação inicialmente produzida nas nossas cordas vocais ouinstrumento musical se propague através do espaço aberto, até chegar aos nossosouvidos. O nosso aparelho auditivo capta asvibrações geradas por uma fonte sonora etransforma-as em impulsos eléctricos que sãotransmitidos ao cérebro onde são interpretados. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 3
  4. 4. A aquisição do som equivale a gravar um som analógico para digital, obtendoum conjunto de amostras do sinal analógico por segundo. Quanto maior for estenúmero de amostras por segundo maior será a fidelidade do som, isto é, maior será,depois, a semelhança entre o som reproduzido e o som original. Amostrar um sinal significa obter valores dele em determinados pontos,geralmente em intervalos constantes, segundo uma determinada frequência, designadapor taxa de amostragem e medida em Hertz (Hz). As taxas de amostragem de 44,1 Hz ede 48 Hz são utilizadas, respectivamente, para áudio com qualidade de CD e DVD. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 4
  5. 5. Tal como a imagem, o áudio digital pode ser quantizado com diferentesresoluções, isto é, cada amostra pode ser quantificada com mais ou menos bits. Quantomaior for a resolução, maior será a profundidade de bits utilizada, melhor será a qualidadede som e maior será o ficheiro armazenado. Profundidade de bits por amostra Quantidade de valores possíveis 8 256 16 65 536 24 16 777 216 Portanto, a qualidade de reprodução de um som é determinada pelo tamanho dasamostras em bits e pela sua taxa de amostragem em Hz. Quanto maiores forem estesvalores, maior será a qualidade do som reproduzido, assim como o tamanho do ficheiro deáudio armazenado. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 5
  6. 6. Quanto maior for o tamanho de um ficheiro de áudio, mais espaço esteocupará em disco, ao ser armazenado, e mais tempo levará o seu carregamento atravésda Internet ou através de outra rede informática. Para se obter a qualidade de um CD digital de música, utilizam-se 44 100amostras por segundo e cada amostra tem uma profundidade ou resolução de 16 bits, ouseja, 1 400 000 bits por segundo ou 1400 Kbps ou 1,4 Mbps. Este valor 1,4 Mbps indica que a quantidade de informação a debitar é grande eo ficheiro áudio será grande. Desta forma, surge a necessidade de aplicar algoritmos decompressão para reduzir os ficheiros de áudio. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 6
  7. 7. Taxa de amostragem A ilustração representa um som na forma analógica. Como o computadortrabalha apenas com sinais digitais, é necessário fazer uma conversão, todavia, não épossível "capturar" todos os pontos do sinal. A frequência determina o intervalo entrecada ponto capturado. Quantos mais pontos, mais fiel será o áudio. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 7
  8. 8. Comparemos os gráficos aolado. Note-se que, com 11 KHz, acaptura será menor que com 44 KHz,indicando que a qualidade do áudio seráinferior:Repare que, com 44 KHz, o sinal digital (em vermelho) é muito fiel ao sinal analógico (em azul), indicado boa qualidade deáudio. No entanto, com 11 KHz, o sinal digital acaba não sendo fiel ao sinal analógico, causando perda de qualidade doáudio. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 8
  9. 9. Conversores ADC e DAC As placas de som são constituídas por dispositivos com um ou mais chipsresponsáveis pelo processamento e emissão do áudio gerado pelas aplicações. Para queisso seja possível nos computadores, é necessário trabalhar com sinais sonoros digitais.É neste ponto que entram em cena os conversores denominados ADC (Analog-to-DigitalConverter - Conversor Analógico-Digital) e DAC (Digital-to-Analog Converter - ConversorDigital-Analógico). www.joaoleal.net Formador: João José Leal 9
  10. 10. Ao ADC (ou Conversor A/D) cabe a tarefa de digitalização dos sinais sonoros. Aplaca de som recebe esses sinais de um dispositivo externo, por exemplo, um microfoneou um instrumento musical. O som oriundo desses dispositivos é disponibilizado porsinais analógicos. Todavia, os computadores só trabalham com informações digitais,sendo necessário, portanto, fazer uma conversão de analógico para digital. É exactamenteisso que o ADC faz. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 10
  11. 11. Para ouvirmos o som emitido pelos computadores, conectamos à placa desom caixas acústicas ou phones de ouvido. Para o áudio chegar até os nossosouvidos por esses dispositivos, é necessário fazer outra conversão: a de sinaisdigitais (isto é, os sinais trabalhados pela máquina) para sinais analógicos. Essatarefa é feita pelo DAC (ou Conversor D/A). É claro que há situações em que é necessário trabalhar com ambos osconversores ao mesmo. Isso é possível na maioria das placas de som, num recursodenominado fullduplex. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 11
  12. 12. Digitalização do som Como vimos, o sinal analógico é amostrado e convertido numa série devalores digitais (Conversor AD). Os sinais digitais são posteriormente convertidospara analógico para serem ouvidos via altifalantes (conversor DA).Os parâmetros são: – A frequência de amostragem – A resolução de cada amostra (nº de bits para codificar o valor do sinal analógico) www.joaoleal.net Formador: João José Leal 12
  13. 13. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 13
  14. 14. Teorema de Nyqvist – Estabelece a frequência de amostragem mínima para ser possível reconstruir o sinal analógico. – Se a frequência máxima da forma de onda for n Hz, a frequência de amostragem mínima é 2n Hz. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 14
  15. 15. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 15
  16. 16. A Amostragem consiste em medir a amplitude da onda analógica em intervalosperiódicos. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 16
  17. 17. Como? Stream de impulsos repetidos no tempo à frequência de amostragem www.joaoleal.net Formador: João José Leal 17
  18. 18. • A informação analógica é contínua. – Problema fundamental: degradação • A informação digital é discreta (binária): – baixo, inactivo, falso, 0 – alto, activo, verdadeiro, 1www.joaoleal.net Formador: João José Leal 18
  19. 19. Frequência mínima correcta?Segundo o Teorema de Nyqvist a frequência de Amostragem deve ser, no mínimo,igual ao dobro da frequência máxima do sinal a amostrar. f s ≥ 2 f max www.joaoleal.net Formador: João José Leal 19
  20. 20. Taxa de transmissão vs qualidade Amostragem Resolução Stereo/Mono Espaço (1min) Qualidade KHz (bits) 44.10 16 Stereo 10.10 MB Audio CD 44.10 8 Mono 2.60 MB 22.05 16 Stereo 5.25 MB 22.05 8 Mono 1.30 MB Áudio TV 11.00 8 Mono 650 KB 5.50 8 Mono 325 Kb Telefone de má qualidade www.joaoleal.net Formador: João José Leal 20
  21. 21. Formatos de Ficheiros Os ficheiros de áudio, se não estiverem comprimidos, apresentam um tamanhogrande porque contêm uma enorme quantidade de dados. Estes ficheiros podem incluiroutros dados, para além dos dados de áudio, tais como o nome do ficheiro, o tamanho, aduração, o número de canais, … Assim, os ficheiros de áudio digital podem assumir os formatos nãocomprimidos ou comprimidos, resultando ficheiros diferentes em tamanho e qualidade doáudio gravado. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 21
  22. 22. Ficheiros Não Comprimidos Depois do sinal amostrado e quantizado, utiliza-se a técnica de codificaçãoPCM (Pulse Code Modulation) na gravação dos ficheiros de música em CD áudio. Estacodificação faz-se sem recurso a algoritmos de compressão e estes ficheirosapresentam grandes tamanhos. A maior parte dos formatos de ficheiros não comprimidos são nativos desistemas operativos específicos, tais como:Waveform Audio: formato de áudio digital nativo do sistema operativo Windows. Utilizama extensão wav. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 22
  23. 23. Waveform Audio: formato de áudio digital nativo do sistema operativo Windows. Utilizama extensão wav.Audio Interchange File Format: formato de áudio utilizado pela Apple com extensão aiffou aif.Audio: formato utilizado pela Sun e pelo sistema operativo Unix, com extensão au.Sound: formato semelhante ao au, mas com extensão snd. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 23
  24. 24. Musical Instrument Digital Interface: permite conectar sintetizadores, tecladoselectrónicos e outros instrumentos electrónicos ao computador. São ficheiros midi quenão são propriamente ficheiros áudio, mas como armazenam notas musicaisencontram-se dentro desta categoria. Têm extensão mid.Compact Disc Digital Audio: formato usado para codificar música em discos comerciais,não sendo armazenado nos computadores e sendo necessário convertê-lo para oconseguir. Utiliza a extensão cda. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 24
  25. 25. Ficheiros Comprimidos Quando se quer ter um arquivo de música próprio e portátil, o maisconveniente é ter ficheiros de áudio comprimidos. Designa-se por compressão um conjunto de algoritmos que tanto comprimecomo descomprime um ficheiro de som. Os codecs (COmpression/DECompression)permitem comprimir o ficheiro num gravador ou permitem ouvir o som no leitor demúsica. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 25
  26. 26. A compressão de ficheiros áudio tem em consideração as características doouvido humano e as suas limitações na percepção de sons, resultando algoritmos decodificação que permitem reduzir a quantidade de dados armazenados num ficheiro.Utilizam-se algoritmos como o ADPCM, True Speech, MP3 ou MPEG. No áudio, tal como nas imagens, os ficheiros podem ser compactados até umcerto ponto sem perda de qualidade. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 26
  27. 27. Compressão com perdas Numa compressão com perdas existe uma perda de informação original paracriar um ficheiro menor. Nesta compressão de áudio são rejeitadas determinadas frequências doespectro e removidos dados desnecessários, utilizando uma técnica designada porcodificação perceptual. O ouvido humano geralmente não percebe que a informação foiperdida. Por isso, para muitos utilizadores o som de um ficheiro comprimido éaceitável, mas para outros a compressão representa uma alternativa inaceitável àreprodução de som de alta-fidelidade. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 27
  28. 28. Hoje em dia, o formato mais popular deste tipo de compressão é o MP3, embora existam outros formatos que funcionem da mesma maneira. Alguns formatos de ficheiros com uma compressão com perdas:Motion Picture Experts Group (MPEG): família de standards para áudio e vídeo onde seincluem o MPEG-1, MPEG-2, MPEG-1 Layer 3 (MP3) e o MPEG-4.Adaptative Transform Acoustic Coding 3 (ATRAC3): formato compatível com osprodutos da Sony e que oferece um som e compressão razoáveis. Extensão omg.Liquid Audio: concorrente do MP3 e muito popular nos anos 90. A sua extensão é lqt. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 28
  29. 29. OGG Vorbis: tecnologia de codificação de código aberto (opensource) para o sistemaoperativo Linux. Foi desenhado para substituir o MP3 e o WMA. Extensão ogg.QuickTime Audio: Essencialmente tecnologia MPEG-4, suportando áudio, vídeo e MP3.Extensão qt ou mov.RealAudio Media: desenhado para a reprodução de áudio em tempo real numa rede,necessitando de um leitor próprio para reproduzir o som. Extensão ra ou ram.Windows Media Audio: formato de áudio digital da Microsoft alternativo ao MP3 comextensão wma.TwinVQ: Algoritmo criado pela Yamaha, cada vez mais divulgado, mais eficiente e commais qualidade do que o MP3. Extensão vqa. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 29
  30. 30. Compressão sem perdas Ao contrário de uma compressão com perdas, numa compressão sem perdasnão é afectada a qualidade da informação original, mas resulta um ficheiro de tamanhomaior, embora não tão grande como um ficheiro não comprimido. Nesta compressão de áudio sem perdas os dados são “apertados” sem haverrejeição de informação. Alguns dados são removidos temporariamente, mas sãorecolocados mais tarde, de acordo com o algoritmo de descompressão. Assim, éproduzido um som com maior qualidade, mas também um ficheiro maior. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 30
  31. 31. Para se criar um repositório de alta-fidelidade digital, a melhor solução éusar um formato de compressão sem perdas. Estes formatos trabalham de formaidêntica a uma compressão zip. Os bits redundantes são eliminados para ser criadoum ficheiro comprimido. Como se torna evidente, esta compressão não cria ficheiros tão pequenoscomo numa compressão com perdas e, por isto, não é recomendada para leitores demúsica portáteis, onde o espaço de armazenamento é limitado. Alguns formatos de compressão sem perdas:Apple Lossless Audio Codec: formato disponível para ser usado com o Apple’s iTunes eo iPod. Extensão m4a. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 31
  32. 32. Free Lossless Codec: formato de código aberto, aceite por muitas empresas deelectrónica e usado com a maior parte dos sistemas operativos. Tem qualidade de somsemelhante ao MP3. Extensão flac.Windows Media Audio Lossless: formato da Microsoft, disponível nas versões 9 e 10 doWindows Media Player. Usa a mesma extensão wma de um ficheiro normal do WindowsMedia Audio. Boa opção para compressão sem perdas.WavPack: é um formato semelhante ao formato flac, mas não é muito usado. Extensãowv.Shorten: Oferece uma compressão de 2 para 1. Ganhou popularidade entre as pessoasque gravam concertos e os partilham na Internet. A extensão é shn. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 32
  33. 33. Edição de Som Existe muito software para trabalhar com Som e que pode efectuar operaçõesde captura, reprodução, edição, conversão de formatos e gravação em suporte óptico. Para realizar a captura é necessário ter um software de captura ligado à placade som e ao microfone. Por outro lado, a captura também pode ser realizada através dautilização de software MIDI, permitindo a ligação de outro tipo de hardware (tecladosmusicais e outros instrumentos musicais). Para efectuar a reprodução do som é necessário ter um software dereprodução ligado à placa de som e às colunas. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 33
  34. 34. O software de edição de som possibilita a sua modificação. O software de conversão de formatos permite alterá-los, possibilitando quesejam guardados em formatos diferentes dos iniciais. Este tipo de software pode ser adquirido de uma forma relativamente fácil naInternet, como shareware, freeware ou pagos.Exemplos de software de som: Winamp, Audacity, AcidPro, Adobe Soundbooth, Jing, JetAudio, MySoundStudio, CDBurnerXPPro, Nero, Windows Media Player, RealPlayer, SwiffRec, 3D MP3 Sound Recorder, StepVoice Recorder,… www.joaoleal.net Formador: João José Leal 34
  35. 35. Nesta Unidade, em particular, propõe-se a utilização do Audacity. O Audacity é um gravador e editor de áudio livre, gratuito e fácil de usardisponível para Windows, Mac OS X e GNU/Linux, capaz de atender às necessidadesde edição de áudio. Está disponível para download em: http://audacity.sourceforge.nete pode ser usado para: Gravações ao vivo Transformar o som de fitas cassete em gravações digitais e CDs Editar arquivos em formato Ogg Vorbis, MP3 e WAV Cortar, copiar, colar e juntar sons e faixas de áudio Alterar a velocidade ou o timbre de uma gravação. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 35
  36. 36. A simplicidade do Audacity está em toda sua concepção. A sua interface foidesenvolvida para ser intuitiva, relativamente adaptável e confortável visualmente. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 36
  37. 37. Teclas de um gravador O Audacity é a mistura de um gravador e um editor de texto. Todas as ferramentas do WORD são semelhantes às do Audacity. Só que neste caso em vez de editar texto edita som. O som aparece na área cinzawww.joaoleal.net Formador: João José Leal 37
  38. 38. Componentes Barra de Ferramentas de Controlo A Barra de Ferramentas de Controle é composta de duas partes, os botões deControle de Áudio e as Ferramentas de Edição. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 38
  39. 39. Controlo de Áudio O funcionamento deste controlo é o mesmo das teclas de um micro system.Para iniciar uma gravação clica-se no botão Gravar (Record): www.joaoleal.net Formador: João José Leal 39
  40. 40. Ferramentas de Edição Com estas ferramentas manipularemos as trilhas de áudio. São responsáveispela maior parte da edição de áudio. Ferramenta de Selecção - para selecionar a área do áudio que você deseja editar ou ouvir Ferramenta Envelope - altera o volume na trilha de áudio www.joaoleal.net Formador: João José Leal 40
  41. 41. Ferramenta de Desenho - para alterar partes da forma de onda da trilha de áudio Ferramenta de Ampliação - para ampliar ou reduzir a visualização de uma área Ferramenta de Movimentação - para mover a trilha de áudio para esquerda ou a direita Ferramenta Múltipla - permite que usar as demais ferramentas de uma vez, dependendo de onde estiver o rato e a tecla que estiver a ser clicadawww.joaoleal.net Formador: João José Leal 41
  42. 42. Barra de Ferramenta de Mixagem A Barra de Ferramenta de Mixagem possui três controles, usados para ajustaro volume do dispositivo de áudio e seleccionar a fonte de entrada. O botão de ajustedeslizante mais a esquerda controla o volume de saída, o outro ajuste deslizantecontrola o volume de gravação, e o controle à direita permite a escolha da fonte deentrada (como Microfone, Line in, CD de Áudio e etc.). www.joaoleal.net Formador: João José Leal 42
  43. 43. Barra de Ferramentas Editar Todos os botões desta barra de ferramentas realizam uma acção e comalgumas excepções, elas possuem teclas de atalho para economizar tempo. Cortar Copiar Colar Apagar o que estiver fora da selecção Apagar o que estiver dentro da selecção www.joaoleal.net Formador: João José Leal 43
  44. 44. Desfazer Refazer Ampliar Reduzir Amplie para ocupar a janela - amplia a selecção até que esta ocupe o espaço da janela Amplie para ocupar a janela - amplia a selecção até que esta ocupe o espaço da janelawww.joaoleal.net Formador: João José Leal 44
  45. 45. Trilha de Áudio A Trilha de Áudio congrega informações e funções que são aplicáveisindividualmente ao arquivo de áudio que foi gravado ou importado para o projecto. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 45
  46. 46. Etiqueta Toda trilha de áudio possui controles independentes. Clicando no X eliminamos a faixa, em Mudo paramos a exibição do som daquela trilha, os botões abaixo controlam o volume da faixa. É importante mantê- los sempre paralelos. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 46
  47. 47. Editar um Projecto A edição de áudio segue a mesma lógica de um programa para processamentode texto como o Word da Microsoft. Recursos como Copiar, Colar, Cortar, Clicar, Arrastar,Desfazer, Refazer, etc… podem ser utilizados. A diferença é que no lugar de texto, háuma representação gráfica de áudio para ser alterada. Assim, as principais ferramentasutilizadas para edição são: www.joaoleal.net Formador: João José Leal 47
  48. 48. Com a ferramenta Selecção , selecionamos parte da trilha de áudio.Para eliminar um trecho basta clicar na tecla delete. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 48
  49. 49. A ferramenta Envelope possibilita o controle do volume da trilha de áudioou de parte dela. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 49
  50. 50. A ferramenta Desenho possibilita fazer alterações no gráfico da onda.A ferramenta Lupa é utilizada quando necessitamos ampliar parte da trilha.A ferramenta Movimentar movimenta a trilha no sentido horizontal. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 50
  51. 51. Silence Esta operação silencia a selecção. Essencialmente é uma operação de cortesem apagar a selecçcão completamente. Caso corte um segundo, nada permanece, aoinvés disso o comando Silence (Silenciar) deixará o espaço com silêncio.Tecla de Atalho: Ctrl + L www.joaoleal.net Formador: João José Leal 51
  52. 52. Quando silenciamos partes entre linhas vocais, considere que uma súbitacaída no som ambiente poderá deixar as coisas nada agradáveis, dessa forma, apliqueum fade out na parte que antecede o trecho silenciado. As regras iniciais são, aumentarrapidamente e diminuir lentamente. De forma alternativa, utilize a ferramenta envelope para diminuir o volumenessa área. Dessa maneira podemos alterá-la comodamente mais tarde. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 52
  53. 53. Duplicate A área seleccionada é copiada, uma nova trilha é criada e o material copiado écolado nessa nova trilha no mesmo ponto na linha de tempo. Para ilustrar, aqui está a imagem da referência do Menu: www.joaoleal.net Formador: João José Leal 53
  54. 54. Os benefícios de uma duplicação são muitos. Um deles seria o teste comefeitos. Mas também não podemos fazer isso com a trilha original? Podemos,porém, não podemos alterar o volume do efeito e o áudio original separadamente. Caso se coloque alguma reverberação no áudio, somente poderemosdiminuir o volume desse áudio processado mais tarde. Caso se duplique primeiro oáudio e utilize a reverberação nele (com 100% de reverberação e 0% do sinaloriginal), poderemos alterar livremente tanto o volume do sinal original como doreverberado. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 54
  55. 55. Também podemos criar efeitos especiais nas cópias duplicadas. Para além deter duas peças do mesmo áudio para trabalhar, o que com certeza dá maiorflexibilidade. Partes silenciosas, outra reverberação, alterar a fase de um terceiro, filtraroutro e ver como soa tudo. É fácil duplicar uma peça de áudio e fazer efeitos com ela. Acombinação de sons é um exemplo.Uma nota especial sobre o desempenho : A nova peça de áudio não é copiada realmente para o HD. O Audacityreproduzirá a partir dos arquivos originais de áudio a não ser que se faça uma alteraçãonela. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 55
  56. 56. Split Faz o mesmo que duplicar, mas também silencia o material seleccionado, apóscopiá-lo para uma nova trilha. Novamente, aqui está a ilustração do Menu referência:Tecla de Atalho: Ctrl + Y www.joaoleal.net Formador: João José Leal 56
  57. 57. Em todos os projectos estaremos a colocar o áudio nalgum sítio. Estas são técnicas, facilmente realizadas com o Audacity, para cobrir quasequalquer tipo de alteração que desejarmos realizar. Daremos um exemplo, de um pequeno discurso, onde quem fala fez uma pausaapós a primeira palavra. Iremos eliminar essa pausa. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 57
  58. 58. Seleccionamos a parte após a pausa. Depois utilizamos a função split (dividir) para conter o áudio seleccionadonuma nova pista: www.joaoleal.net Formador: João José Leal 58
  59. 59. Split divididawww.joaoleal.net Formador: João José Leal 59
  60. 60. A ferramenta deslocamento de tempo é seleccionada e o áudio na trilhainferior é deslocado para a esquerda. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 60
  61. 61. Ouçamos as duas trilhas individualmente procurando por exemplo sons derespiração. Utilize o botão solo das trilhas para fazer isto. Depois vamos ouvir ambasna mixagem. Novamente, podemos utilizar os botões Solo para isto. Caso possuamosmuitas outras trilhas sendo reproduzidas ao mesmo tempo, pressione o botão solo emambas as trilhas. Não deverá haver sons de sobreposição ou de respiração cortada. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 61
  62. 62. Quando estivermos satisfeitos, aplicamos um Fade Out nas últimas duasterceiras partes da parte sobreposta superior, e aplicamos um Fade In nas duasprimeiras partes do áudio inferior sobreposto. As duas terceiras partes, e não todo o áudio sobreposto, são escolhidos paramanter o nível de áudio constante. Quase todas as partes sobrepostas foramajustadas, baixamos o volume em 3 dB no meio da amostra. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 62
  63. 63. Podemos rever tudo abrindo uma peça de música, duplicando-a, e depoisacomodando o volume das trilhas, um fade out, o segundo aumentando. Fazer fadesobre os últimos dois terços para o diminuir e os dois primeiros terços paraaumentar, e provavelmente não notaremos nenhuma alteração no nível. Dois terços é um exemplo e não uma lei, sendo assim podemos experimentarum pouco. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 63
  64. 64. Copy, Cut e Paste Este programa também nos permite utilizar as funções universais Copiar(Copy), Cut (Cortar) e Paste (Colar). Estas acções, no Audacity, funcionam de forma tradicional. A única diferença éque no Audacity trabalhamos com ficheiros de áudio. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 64
  65. 65. De salientar que: •Depois de copiarmos (Copy) uma porção de áudio o material copiado permanece visível; •Se cortarmos (Cut) o material cortado é removido.Em qualquer um dos casos, podemos fazer Paste emqualquer ponto. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 65
  66. 66. Preparar um loop Existem inúmeras técnicas para fazer um loop sem falhas aparentes, mas amelhor é o hábito, a experiência. Até isso ser possível, deixo algumas ideias: Através do Zoom Tool ampliamos consideravelmente aquilo que vemos. Deseguida, com o Selection Tool, clicamos no início da zona que estamos a visualizar efazemos Play. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 66
  67. 67. Certas partes da música, especialmente a batida, são fáceis de identificar(sobretudo os pontos mais altos e mais baixos correspondem literalmente a zonas quese ouvem mais ou menos, respectivamente. Com a Selection tool vai seleccionar uma zona que lhe pareça, auditivamente,um bom loop. Isto é, um fragmento sonoro que tenha princípio e fim, ou que funcionebem isolada e repetidamente www.joaoleal.net Formador: João José Leal 67
  68. 68. Poderemos experimentar o loop carregando em shift + barra de espaços. A primeira selecção só irá funcionar correctamente com muita sorte. Assim,necessitamos de ajustar as fronteiras da zona seleccionada. Para esse ajustedeveremos utilizar a Zoom Tool em cada um dos limites da selecção. Depois do Loop estar correctamente seleccionado (quando soar bem) é altura deo transformar num ficheiro mp3. O mp3 é um formato áudio que, entre outras vantagens, nos permite utilizarum loop sem que este seja muito pesado (ideal para a internet). www.joaoleal.net Formador: João José Leal 68
  69. 69. Vamos trabalhar o som?Primeiro deveremos seleccionar uma parte do gráfico com a ferramenta deselecção. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 69
  70. 70. Clicando no menu Efeitos, poderemosaplicar vários efeitos ao som. Não são efeitos sonoros, sãoalterações que permitem melhorar a qualidade dosom. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 70
  71. 71. De seguida iremos trabalhar com os efeitos: Remover ruído (elimina ruídos na gravação) Fade In (efeito de silêncio ao som) Fade Out (efeito do som ao silêncio) www.joaoleal.net Formador: João José Leal 71
  72. 72. Remover Ruído:Este efeito serve para limpar osom de ruídos indesejáveis.Após seleccionar todo oficheiro de som, clicar no menuEfeitos e escolher a opçãoRemover ruído. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 72
  73. 73. Abre-se a janela das opções de remoção de ruídos. Clicar em Perceber Perfilde Ruído para que o programa distinga entre som e ruído. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 73
  74. 74. Mantendo o gráfico de som seleccionado, voltar à opção Remover Ruído. Agora basta clicar no botão Remover ruído para limpar o som do ficheiro. Esta é uma ferramenta útil, mas que não faz milagres! É importante que no momento da captação desom estejam asseguradas condições de silêncio. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 74
  75. 75. Gravar um ficheiro de áudio: Clicar no menu Arquivo e escolher a opção Exportar. O Audacity permite exportar em WAV (sem compressão), mp3 (se o codec mp3 estiver disponível no computador) e OggVorbis.www.joaoleal.net Formador: João José Leal 75
  76. 76. Misturar ficheiros de som: Primeiro, abrir os sons no Audacity. Basta clicar sobre os ficheiros noambiente de trabalho ou pasta e arrastar para a janela do Audacity. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 76
  77. 77. A ferramenta Zoom (lupa) facilita o trabalho com ficheiros longos, aumentando ou diminuindo o aspecto visual do gráfico sonoro.www.joaoleal.net Formador: João José Leal 77
  78. 78. Para juntar dois ou mais ficheiros de som, basta seleccionar o som de um dos ficheiros, copiar o som…www.joaoleal.net Formador: João José Leal 78
  79. 79. …e colar o som na faixa que pretendemos. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 79
  80. 80. Para terminar o trabalho de manipulação de som, vamos inserir um Fade Ine um Fade Out. Estas são transições graduais, do silêncio ao som e do som ao silêncio.Para inserir o Fade In basta seleccionar uma parcela da onda sonora no início dagravação, clicar no menu Efeitos e escolher a opção Fade In. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 80
  81. 81. Para inserir um Fade Out, selecciona-se a parte final da onda sonora, clica-seno menu Efeitos e escolhe-se a opção Fade Out. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 81
  82. 82. Nota-se que o perfil da onda sonora se alterou após a aplicação destes efeitos.Se clicar no botão Play, ouvir-se-á um crescendo do silêncio ao som e, no final do clip,um regresso ao silêncio. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 82
  83. 83. Apesar de não ser um editor de som avançado, o Audacity permite umelevado nível de manipulação de som. Podemos trabalhar com múltiplas pistas,misturar ficheiros de música em mp3 ou wav com gravações de voz e outros sons. Com o Audacity podemos com muita facilidade misturar voz, música e ruídospara criar um podcast ou uma apresentação em áudio com retoques de profissional. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 83
  84. 84. Criar Podcasts Após instalar o Audacity : 1º Faça o unzip do encoder LAME 2º Copie o ficheiro lame_enc.dll para a pasta Programa – Audacity – Plug-ins 3º Abra o Audacity vá ao Menu Editar – Preferências – Formato Ficheiro – Localizar livraria : procurar o ficheiro (lame_enc.dll) no seu disco rígido. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 84
  85. 85. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 85
  86. 86. Para começar a gravar, ligue o seu microfone e clique no botão Recordwww.joaoleal.net Formador: João José Leal 86
  87. 87. Quando começar a gravar irá ver algo semelhante ao da imagemwww.joaoleal.net Formador: João José Leal 87
  88. 88. Pode guardar aquilo que está a fazer recorrendo ao menu File – SaveProject A melhor forma de guardar o Podcast será guardar como mp3 e para isso, deverá seleccionar a opção Export to MP3 – Menu File www.joaoleal.net Formador: João José Leal 88
  89. 89. Podemos adicionar mais informação acerca do mp3 preenchendo a janela que se observa ao lado.www.joaoleal.net Formador: João José Leal 89
  90. 90. Se desejarmos poderemosadicionar música de fundo. Para adicionarmúsica de fundo ao Podcastseleccionamos Import Audio no menuProject. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 90
  91. 91. A música pode ser maior que o texto que gravamos. Neste caso, seleccionamos a parte final da música e fazemos Delete.www.joaoleal.net Formador: João José Leal 91
  92. 92. Para poder baixar o somda música e manipular melhor agravação podemos aumentar oZoom In, quantas vezesdesejarmos. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 92
  93. 93. Se premir o botão PLAY para ouvir pode verificar que a música está muito alta relativamente à gravação. Clique no botão e baixe até ao nível que desejarwww.joaoleal.net Formador: João José Leal 93
  94. 94. Terminar a música correctamente:Seleccione um bocadinho de música no final evá ao menu Effect – Fade Out e adicione oefeito explicado na aula anterior. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 94
  95. 95. www.joaoleal.net Formador: João José Leal 95

×