Ana nery produção de perfumes

753 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
753
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ana nery produção de perfumes

  1. 1. P E R F U M E Tecnologia industrial II Prof. Joseval Estigaribia
  2. 2. O PERFUME • CCEAD – PUCRJ – Cosméticos e perfumes - http://youtu.be/FPNzA8fCe_s • Nossa cultura  há vários séculos  independentemente do sexo. • Ligado ás emoções – cada um tem sua preferência de odor. • Olfato  o mais primitivo dos sentidos  traz recordações.  Áreas cerebrais sensibilizadas: emoções, memória, criatividade. • FRAGÂNCIA  complexo sistema de odores ,  plantas tropicais e animais selvagens.  atualmente são sintéticos  permite ampliar o arsenal de fragrâncias e reduzir custos.  Produtos domésticos tem as mesmas fragrâncias dos perfumes.
  3. 3. O PERFUME • 1ºs perfumes  atos religiosos (±800 mil anos) = descoberta do fogo  queima de madeira/folhas secas p/ agradar aos deuses. • Incenso: “sopro de Deus” – odor adocicado levava as preces. • Perfume  Per = origem de; fumare = fumaça (latim). • Egípicios  levaram os perfumes p/ dentro de casa. • Vegetais e animais banhados em gordura ou óleo deixam para estes seus odores – unguentos descritos na bíblia. • Cristianismo  baniu o uso de perfumes por lembrarem cultos pagãos, mas os árabes (muçulmanos) continuaram a usá-lo.
  4. 4. O PERFUME Árabes – melhoraram a arte de fazer perfumes há mil anos. Maceravam as flores em água para extrair essências (água de rosas, violetas, etc). Mercadores ocidentais viajando ao oriente (Índia) recuperaram a admiração ao perfume. Os cruzados tb levaram a arte dos perfumistas árabes à Europa – gomas, óleos, substâncias odoríficas exóticas (Jasmim, Itangue, Almíscar e Sândalo) – sendo bem recebidos na França. Água de Colônia – tem cerca de 200 anos e foram criadas na Alemanha – cidade de Colônia.
  5. 5. O PERFUME • Fragrância – complexa mistura de odores básicos. • No início, a fragrância era classificada de acordo com sua fonte:  Floral vinha de óleos de flores (jasmim, rosa, etc),  Verde vinha de óleos de árvores e arbustos (eucalipto, pinho, citrus, alfazema, cânfora, etc) .  Animal vinha de óleos de animais selvagens (veado almiscareiro, gato da algália, castor, etc).  Amadeirada vinha de extratos de raízes, casca de árvores, troncos (cedro e sândalo). • Hoje, as fragrâncias são divididas em 14 grupos – de acordo com seus componentes voláteis.
  6. 6. O PERFUME Grupo Cítrica Fragrância limão, laranja Lavanda Ervas hortelã, erva doce Aldeídica Verde jacinto Frutas pêssego, maçã Florais jasmim, rosas Especiarias cravo Madeira sândalo Couro resina de vidoeiro Animal Almíscar, algália Âmbar Incenso Baunilha Um bom perfume tem 3 notas: a) Superior ou de cabeça – a que notamos primeiro (+ volátil), dura 15 minutos; b) Meio ou coração – um pouco menos volátil e leva de 3 a 4 horas para ser percebida; c) Fundo ou base – pouco volátil e demora cerca de 5 horas para ser percebida. Conhecido como “fixador” do perfume
  7. 7. O PERFUME
  8. 8. O PERFUME
  9. 9. O PERFUME • Óleos essenciais – chamados assim pois continham a essencia do material de onde eram extraídos. • Os químicos já sintetizaram cerca de 3000 óleos essenciais, sendo 150 importantes na industria do perfume. • Os óleos devem ser separados do resto das plantas, e são empregadas técnicas baseadas em diferenças de solubilização, temperatura de ebulição e volatilidade. • Extração por solvente: o uso de éter de petróleo solubiliza material apolar (óleos essenciais). • Destilação por arraste de vapor: óleo de eucalipto é extraído das suas folhas passando uma corrente de vapor de água pelas folhas. • O uso de técnicas de identificação de substâncias é usada a seguir.
  10. 10. O PERFUME • Antigamente, os químicos identificavam apenas o componente de maior concentração do óleo. • Hoje, o instrumental permite identificar todos os componentes do óleo essencial – alguns chegam a 30! • No slide 11 há alguns desses componentes e alguns dos óleos essenciais. • Uma vez identificados, é possível selecionar métodos de produção sintética mais barata (p/ uso em detergentes, desinfetantes, amaciantes de roupa, talcos, desodorantes, assentos automotivos, etc).  Também pode-se desenvolver uma molécula de odor similar à natural, mas com estrutura química diferente. • No slide 12 há algumas moléculas de compostos sintéticos para perfumes.
  11. 11. O PERFUME
  12. 12. O PERFUME
  13. 13. O PERFUME • Não se pretende substituir definitivamente os óleos naturais pelos sintéticos – nos perfumes caros, os produtos sintéticos apenas acentuam um determinado odor natural. • Os aromas de pachouli e sândalo ainda não tem substitutos sintéticos á altura. • Químicos tem ajudado a evitar a extinção de animais e vegetais, que eram explorados sem escrúpulos e possibilitou o uso de perfumes por faixas menos abastadas da população. • Os diferentes preços de perfumes, água de Colônia e loções revelam diferentes % de óleos essenciais e de água no etanol – relação direta. • O fixador tem a função de retardar a volatilização da essência. • O propilenoglicol tem a função de aumentar a solubilidade da essência no solvente.
  14. 14. O PERFUME Tipo de produto Volume de essência Etanol : água Perfume 15% (150 mL/L) 950 : 50 Loção perfumada 8% (80 mL/L) 900 : 100 Água de toalete 4% (40 mL/L) 800 : 200 Água de colônia 3% (30 mL/L) 700 : 300 Deocolônia 1% (10 mL/L) 700 : 300 Essências como anis, bergamota, canela, citronela, cravo, gerânio, Hortelã, safrol, sassafraz podem ativar processos alérgicos em pessoas Sensíveis levando á dermatites, manchas cutâneas e febre do feno. Luis XV (século XVIII) teria decretado que na corte francesa deveria-se usar um perfume a cada dia da semana. Madame Pompadour teria gasto o equivalente a R$250.000 em perfumes “Pare de tomar banho! Estou voltando”. Napoleão Bonaparte (1800)
  15. 15. O PERFUME • Arqueólogos que abriram a tumba do faraó Tutankhamon, puderam sentir o odor de perfume dos vasos do local, mesmo 3300 anos após sua morte. • Em 1900, cerca de 50 mil animais foram mortos para a coleta de 1.400 kg de essência de almíscar. • Hoje o comércio de almíscar é limitado a 300 kg/ano (morrem 10.700 animais para este fim). • Óleo de jasmim natural = R$ 5.000/kg • Essência sintética de jasmim = R$5/kg • 1 kg de óleo de jasmim requer 8 milhões de flores. • 1 kg de óleo de rosas requer 5 toneladas de pétalas. • “3 coisas são indispensáveis na terra: mulheres, perfumes e orações” – Maomé, o profeta.
  16. 16. O PERFUME • Produção das essências • Essência = principal parte do perfume, seguida do fixador.  A extração de uma essência natural é realizada por prensagem, maceração, extração com solventes voláteis, enfleurage ou através de destilação por arraste a vapor (este último método se mostra como o mais eficiente e de menor custo, sendo ainda o mais adequado para a extração de determinadas substâncias de uma planta).  Destilação por arraste de vapor é útil para extração em folhas, pétalas (menos a de jasmim) e ervas, mas não é efetivo para caules, sementes, raizes e madeiras.  Saindo de uma caldeira, o vapor circula através das partes da planta forçando a quebra das frágeis bolsas intercelulares que se abrem e liberam o óleo essencial. As moléculas de óleos essenciais evaporam junto com o vapor da água viajando através de um tubo no alto do destilador e se condensam (provocado) junto com a água.
  17. 17. O PERFUME • O extrato aquoso (hidrossol) da mistura água/óleo pode ser usado como “Florais de Bach”, devido as suas propriedades terapêuticas. • O extrato oleoso separado por decantação é usado como essência. • Extração por solvente  Determinados tipos de óleos são muito instáveis e não suportam o aumento de temperatura.  O hexano é usado para extrair os compostos aromáticos da planta (concreto). O concreto é dissolvido em álcool de cereais para remover o solvente que, ao ser evaporado, faz surgir o absoluto, constituído por óleos aromáticos, ceras, parafinas, gorduras e pigmentos.  O processo de mistura de hexano com álcool de cereais faz os componentes do extrato oleoso serem purificados de impurezas voláteis solúveis nestes solventes.

×