Histórias selecionadas do Ateliê

1.004 visualizações

Publicada em

Histórias que foram selecionadas dentre as que foram produzidas pelos alunos nos diferentes ateliês de ilustração e escrita criativa.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.004
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
248
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Histórias selecionadas do Ateliê

  1. 1. As estaçõesMadalena Abade, 5.º ano, EB1 C/JI D. Carlos I
  2. 2. O sapo que não queria ser sapo Guilherme Pereira, 5.º ano, EB1 C/JI D. Carlos IEra uma vez um lago fora do normal ondevivia um sapo que não queria ser sapo. Essesapo queria ser o rei de todos os deuses.O lago era muito amigo do sapo quedesabafava com ele.Um dia, Zeus, foi à terra e foi encharcado pelolago. O lago tinha poderes, conseguiacontrolar tudo o que era água. Zeus ficoufurioso, mas sabia que não tinha sido por mal.
  3. 3. - O que tens, sapo? – perguntou Zeus, pai dosdeuses.- Eu queria ser o rei de todos os deuses. – disse osapo.- Mas isso é impossível! – respondeu Zeus.- Porquê? – questionou o sapo.Zeus não respondeu e foi-se embora.No dia seguinte, o sapo armou-se com tudo oque tinha e foi ter com Perséfone, que nestaaltura do ano ainda não estava no submundo.- Podes dizer-me como se vai para o submundo?– interrogou o sapo.- Só Hades ou eu te podemos levar. – afirmouPerséfone.- Podes-me levar? – pediu o sapo.
  4. 4. Perséfone pensou e pensou e lá aceitou.Quando o sapo chegou ao submundo viuHades que lhe disse:- Que queres tu?- Sou um sapo que te vem pedir para beber osumo da romã.Hades deu-lhe o sumo e o sapo transformou-se num Deus com o poder de mover tudo oque era verde.Passados alguns dias Zeus foi ter com o sapoporque pensava que tinha sido duro com ele,mas o sapo não estava lá.
  5. 5. Com a ajuda do lago, em forma de gota deágua, Zeus partiu à procura do sapo.Encontrou uma árvore que lhe disse ter vistoo sapo a dirigir-se para o topo do monte. Agota de água e Zeus prosseguiram o seucaminho, passaram por Hárpias e outrasárvores personificadas.Encontraram o sapo no cimo do monte muitotriste. Zeus perguntou-lhe porque estava tãotriste, ao que o sapo respondeu que ninguémgostava dele.
  6. 6. - Gostavam todos de ti como tu eras. – disse-lhe Zeus.Quando o sapo ouviu isto percebeu o que lhetinha acontecido, o poder tinha-otransformado num sapo arrogante e egoísta.Zeus aconselhou-o a voltar a tratar todoscomo o fazia antes de ter poderes.O sapo aceitou o conselho e regressou a casacom Zeus. Passou a tratar todos bem, não seachando mais importante que outros.
  7. 7. A castanha Rita Arranca, 3.º L, EB1 C/JI LourelEra uma vez uma castanha que nunca, nuncaqueria ser comida.Um dia, quando estavam a assar castanhas, acastanha ficou muito preocupada porquepensava que também a iam assar.A castanha saltitava para fugir, mas ummenino apanhou-a. A castanha pensou:- É o meu fim! A mãe do menino disse-lhe para não comer acastanha porque estava no chão.
  8. 8. A castanha respirou de alívio e continuou asaltitar estrada fora. Dormia todos os dias numlocal diferente sempre com medo de ser comida.Fez um amigo, um gato na casa de uma senhoraonde encontrou alguma segurança.Depois de muito andar, encontrou outracastanha. Esta tinha muito medo de morrer.Chamava-se Inês.A castanha Inês convidou a castanha que nãoqueria ser comida para brincar.Enquanto brincavam as castanhas esqueceram osseus medos.Nesse dia decidiram ficar juntas e dormir junto docastanheiro.
  9. 9. Muitos dias se passaram e as duas castanhaseram cada vez mais amigas.Certo dia, ao regressarem de mais um passeioviram pessoas a assar castanhas. A castanhaInês gritou:- Foge para o castanheiro!Mas já era tarde. As pessoas pegaram nascastanhas e assaram-nas.
  10. 10. Bonecos de neve Sara Cunha, 5.º ano, EB1 C/JI D. Carlos INum belo dia de inverno em que, apesar do frio,o sol brilhava a Sara decidiu fazer um boneco deneve. Era o boneco mais bonito do bairro.Na manhã seguinte quando abriu os estoresreparou que havia algo de diferente no bonecode neve. Estava triste.A Sara perguntou-lhe porque estava triste. Oboneco disse-lhe que se sentia sozinho no meiodas árvores sem cor. O inverso só tinha duascores o branco e o cinzento.
  11. 11. O boneco de neve pediu à Sara para ir com elapara a primavera. A Sara explicou-lhe que iriaderreter, no entanto o boneco insistiu e a Saraacabou por ceder. Colocou o boneco numa geleirae levou-o com ela.O boneco de neve queria agora conhecer todas asestações, incluindo o verão porque tinha maiscores.Quando regressou o inverno, a Sara fez umaboneca de neve para que o seu boneco não sesentisse só. No entanto, a sua boneca de neverapidamente ficou triste. Tal como no invernotinha feito com o boneco, a Sara perguntou-lhe oque tinha.
  12. 12. - Tenha um desejo muito grande, quero ser mãe. –disse a boneca de neve. – Se concretizares esse meusonho serei a boneca de neve mais feliz do mundo. –acrescentou a boneca de neve.- Mas nós já estamos na primavera. No próximoinverno eu faço um bonequinho. – respondeu a Sara.- Eu quero agora! – exclamou a boneca.A Sara questionou-a:- Como?- Ter um filho é tirar um pedaço de nós. – afirmou aboneca.Então, a Sara tirou um pedaço da boneca de neve econstruiu um bonequinho.Viveram felizes até à primavera seguinte.
  13. 13. Quatro amigos e mais um Manuel Neves, 4.º ano, EBI c/JI LourelEra uma vez quatro amigos que se chamavam:outono, inverno, verão e primavera. Devem estar aperguntar porque têm o nome das quatroestações? Têm este nome porque eram os quetratavam de cada estação.Até que um dia se chatearam porque a primaverafez um grande arco-íris na estação do outono e oinverno fez nevar no verão. Houve uma discussãoo que provocou o descontrolo das estações:nevava no verão, apareciam borboletas nooutono…
  14. 14. Na mesma cidade havia um menino chamadoBruno, que todos os dias olhava pela janela asestrelas. Havia uma estrela a quem pedia o seugrande desejo: viver uma aventura.Por causa das discussões Zeus, o pai doshomens teve de arranjar uma solução. Tentoureconciliá-los, mas não conseguiu, por isso tevede arranjar um guarda para fazer isso. Pensoude imediato no menino que sempre quis teruma aventura, o Bruno.Zeus chamou Bruno ao Olimpo e disse:- Bruno, tu foste escolhido para ajudar asquatro estações.
  15. 15. Bruno respondeu:- Claro que sim!Zeus pediu-lhe para apanhar os seguinteselementos: castanhas, flores, neve e areiadourada. Bruno fez o que Zeus lhe pediu e seguiupara a Serra de Sintra.Foi primeiro, para o Palácio de Monserrate eprocurou até encontrar, a castanha dourada.Assim que a apanhou, o outono parou de fazerdisparates. Bruno disse para si próprio:- Já lhe apanhei o jeito! Bruno continuou a caminhar em direção aoCastelo dos Mouros. Na antiga sala real, escondidaatrás do trono, estava a flor dourada. Nessemomento a primavera também parou de fazerdisparates.
  16. 16. Seguiu para o Palácio da Pena e, bem lá notopo, estava um floco de neve. Brunoexclamou:- É um floco de neve!Nesse momento o inverno parou de fazerdisparates.Ainda faltava encontrar um elemento danatureza: a areia.O Bruno lembrou-se do Tritão e pensou:- O Tritão tem conchas, algas e outroselementos marinhos. Também deve ter areia!Assim, Bruno, conseguiu controlar as estaçõese tornou-se um dos deuses mais poderosos.
  17. 17. 123 Amar e sentirEra Uma Vez Cheirar ou tocarHistórias com letras e cores Dizer a verdade ou mentirUm ateliê bem decorado Colar, recortar e pintarE bem organizado. Ou até com canela ilustrar.Com a música ambienteParecia que estávamos no oriente. Criar uma história Assim é fácilEm cada mesa um tema Alimentar a imaginaçãoDos mitos às lendas Através de um contoDas histórias de encantar Ou canção.Às receitas para cozinhar. Anjinhos a voarLivros e cadernos pequeninos Vou fugir das bruxasHistórias, cartas e bilhetinhos Que nos tentam apanhar.Escrever, desenhar Sereias e princesasLindos momentos Deuses e heróisA relembrar. Nenhum é esquecido São todos bem-vindosImagino-me na praia 123Fascino-me com uma romã. Era uma vez...Dois jovens apaixonadosNuma história entrelaçados. Madalena Matos, 5.º ano

×