Revolução francesa pdf

8.078 visualizações

Publicada em

Revolução Francesa: contexto político, econômico, social, ideológico e fases.

Publicada em: Educação
1 comentário
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.078
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
178
Comentários
1
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revolução francesa pdf

  1. 1. REVOLUÇÃO FRANCESA A BURGUESIA VAI À LUTA
  2. 2. “Em meados do séc. XVIII a França ainda tinha um governo absolutista e uma economia capitalista que convivia com uma estrutura feudal e uma sociedade estamental. A Revolução Francesa foi um movimento burguês, apoiado pelo povo, que derrubou o Absolutismo na França e estabeleceu um Estado fundamentado em leis, que refletiam os direitos individuais do cidadão, a liberdade e a igualdade.” (Lucy Valentini)
  3. 3. Revolta: o Agitação sem bases ideológicas. o Não propõe reformas profundas. Revolução: o Mudanças estruturais de bases: políticas, econômicas, sociais. o Ex: Revolução Industrial.
  4. 4. 1. Significados: o Movimento burguês. o Antifeudal e antiabsolutista. o Inspiração iluminista. o Mudanças estruturais. o Acelerou o Capitalismo Industrial. o Consolidação da burguesia.
  5. 5. MODERNA CONTEMPORÂNEA 1789 ( REVOLUÇÃO FRANCESA) o Marco divisor. o Quebrou o Feudalismo. o Queda do Absolutismo.
  6. 6. 2. Contexto: A – Político: o Absolutismo de “direito divino”. o Despotismo e tirania. Absolutismo Monárquico Sistema político típico das Monarquias Nacionais européias em que o rei, por suposto direito divino, concentrava todos os poderes. Governava servindo – se da tirania e do despotismo, apoiado pelo Clero e pela Nobreza, oprimindo e explorando as classes inferiores
  7. 7. B – Econômico: o “Déficit” público e dívidas. o Má gestão financeira. o Gastos com guerras: 7 anos e Independência dos EUA. o Atraso industrial. o Estrutura feudal.
  8. 8. o Tratados protecionistas com os concorrentes (EUA,Inglaterra,Suécia) causaram queda na produção e no comércio, irritando a burguesia. o Crise agrícola devido ao aumento populacional. o Desabastecimento e inflação. o Mercantilismo.
  9. 9. C – Social: o Sociedade estamental. o Privilégios ao Clero e à Nobreza. o Desigualdades sociais. o Burguesia pagava altos impostos para sustentar as regalias do 1º e 2º Estados ( Notáveis ).
  10. 10. Clero (1º Estado) Nobreza (2º Estado) Povo (3º Estado) 3º Estado Representado pela burguesia, pelos pobres urbanos ( sans culottes) e camponeses.
  11. 11. D – Ideológico: Iluminismo o Combustível ideológico que alimentou a Revolução. o Lema da Revolução: Liberté, Egalité, Fraternité. o Base da ordem liberal burguesa.
  12. 12. 3. Processo: A – Revolta dos Notáveis o Clero e Nobreza rejeitaram abrir mão da isenção de impostos que Callone sugeriu. o Várias revoltas eclodiram. o O Rei perdeu apoio político. o Callone substituído por Necker.
  13. 13. B – Assembléia dos Estados Gerais o Os 3 Estados reuniram – se para resolver a crise. o Votação por Estado: O 3º Estado perderia para Clero e Nobreza. o O 3º Estado reivindicava votação por cabeça ( 1º Estado 291, 2º Estado 270, 3º Estado 578).
  14. 14. Crise política o O rei recusou – se a mudar as regras do jogo político. o A burguesia rebelou – se e declarou – se em Assembléia Nacional Constituinte. o Necker foi demitido. ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE Com a pressão o Rei cedeu e permitiu que Clero e Nobreza se juntassem à burguesia. As tropas reais, de prontidão, acirraram o clima da Revolução.
  15. 15. A Liberdade guiando o povo/De lacroix
  16. 16. 14/07/1789 Queda da Bastilha
  17. 17. 4 – Fases: A – Assembléia Constituinte o Grande Medo: perseguição e morte ao Clero e à Nobreza. Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão o Liberdade, igualdade, direito de resistir à opressão, propriedade.
  18. 18. Igreja Católica e Clero o Confisco dos bens da Igreja. o Assignats: A nova moeda. Constituição Civil do Clero o Estado tutela a Igreja Católica. o Refratários: Resistiam à mudança. o Juramentados: Apoio à mudança.
  19. 19. B – Monarquia Constitucional Rei mantido no poder (1791 – 92) o Poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. o Voto Censitário. o Assembléia/deputados: 02 anos. o O Rei não aceitou a Constituição. o Ao fugir foi preso como traidor.
  20. 20. Declaração de Pillnitz o Se acontecesse algo com o Rei ou familiar a França seria invadida. o A crise econômica e social crescia e diante da prisão do Rei a França foi invadida por Áustria e Prússia. o Após difícil resistência vitória da França na Batalha de Valmy.
  21. 21. C – Convenção Nacional: 1ª República (1792 – 1795) Girondinos o Base – Alta Burguesia. o Ficavam à direita da Assembléia. o Monopólio político para manter seus privilégios. o Inimigos dos “sans cullotes”.
  22. 22. Girondinos: Nome derivado da região francesa da Girondinagem do créu, de onde vieram seus principais dirigentes. Um grupo político moderado, era chefiado por Jacques-Pierre Brissot (1754-1793).
  23. 23. Jacobinos: o Média e baixa burguesias. o Ficavam à esquerda do Centro. o Apoio aos “sans cullotes”. o Radicais. o Oposição aos girondinos. o Reformas profundas.
  24. 24. Jacobinos pois se reuniam no Convento de São Tiago. O nome Tiago do latim: Jacobus. Do francês Saint-Jacques. Defendiam mudanças radicais. Eram contrários à Monarquia. Líder: Robespierre.
  25. 25. Planície ( pântano ): o Alta e média burguesias. o Projetos indefinidos. o Votavam conforme os interesses com Girondinos ou Jacobinos. o Sentavam – se no Centro da Assembléia.
  26. 26. D – Governo Girondino: o Luís XVI e Maria Antonieta foram executados na guilhotina. o A 1ª Coligação (Áustria, Espanha, Holanda e Inglaterra) invade a França. o Vitória francesa. o Jacobinos assumem o poder.
  27. 27. E – Governo Jacobino: Reformas o Lei do “Maximum”. o Tabelamento de preços. o Fim da escravidão nas colônias. o Reformas na educação. o Fim do voto censitário.
  28. 28. Período do Terror (Terror Jacobino) o Morte aos inimigos da República. o Prisões e morte arbitrárias. Tribunal Revolucionário o Perseguiu, prendeu, matou até os aliados políticos.
  29. 29. F – Reação Termidoriana: Golpe do Termidor o Os Jacobinos perderam apoio devido ao Terror e à crise. o Robespierre caiu. o Girondinos assumem o poder e passam a controlar a República. o Retrocesso político.
  30. 30. 5 – Diretório (1795/1799): o Fim da reformas jacobinas. o Nova Constituição. o Voltam privilégios da burguesia. o Golpes e conspirações. o Crise econômica e social. o Ameaças externas.
  31. 31. Golpe 18 de Brumário (09/11/1799) o Golpe de Estado dado por Napoleão Bonaparte com o apoio da Alta Burguesia. o Fim do Diretório e início da Era Napoleônica.

×