Olm 100804-introdução ao estudo

316 visualizações

Publicada em

Estudo do livro da codificação espirita em ppt " O LIVRO DOS MÉDIUNS

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
316
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Olm 100804-introdução ao estudo

  1. 1. 1/25 O LIVRO DOS MÉDIUNS PARIS 1861
  2. 2. 2/25 Obras básicas – Codificação O LIVRO DOS MÉDIUNS  O Livro dos Espíritos – Abr/1857  O Livro dos Médiuns – Jan/1861  O Evangelho S. o Espiritismo – Abr/1864  O Céu e o Inferno – Ago/1865  A Gênese – Jan/1868 Outras obras:  O que é o espiritismo, principiante espírita, obras póstumas e a Revista Espírita
  3. 3. 3/25 Histórico do livro  Logo após a publicação de O Livro dos Espíritos, em 1857, Kardec lançou, em 58, um livrinho intitulado Instruções Práticas Sobre as Manifestações Espíritas. Era um ensaio para elaboração de O Livro dos Médiuns, que só pôde aparecer em 1861.  Após a publicação de OLM, Kardec acha por bem não imprimir mais o livro anterior, e explica o porquê na introdução de OLM O LIVRO DOS MÉDIUNS
  4. 4. 4/25 Histórico do livro  “Desejariam alguns que publicássemos um manual prático mais sucinto, indicando em poucas palavras como entrar em comunicação com os Espíritos. Entendem que um livrinho assim, mais barato, podendo ser difundido com mais profusão, seria poderoso meio de propaganda, multiplicando o número de médiuns. Pensamos que isso seria mais nocivo que útil, pelo menos no momento.” O LIVRO DOS MÉDIUNS
  5. 5. 5/25 Histórico do livro  “A prática espírita é difícil, apresentando escolhos que somente um estudo sério e completo pode prevenir. Uma exposição sucinta poderia facilitar experiências levianas, que levariam a decepções. São coisas com as quais não se deve brincar, e acreditamos que seria inconveniente pô-las ao alcance de qualquer estouvado que inventasse conversar com os mortos. O LIVRO DOS MÉDIUNS
  6. 6. 6/25 Histórico do livro  62 anos mais tarde, em 1923, Jean Meyer, então diretor da Casa dos Espíritas, em Paris, resolveu reeditar o Instruções, para circular juntamente com este livro, por considerar aquele livrinho útil à iniciação nas questões mediúnicas. No Brasil, Cairbar Schutel, em sua gráfica de Matão, lançou também o Instruções em nossa língua. O LIVRO DOS MÉDIUNS
  7. 7. 7/25 Histórico do livro  Kardec indica como continuação de “O livro dos espíritos”, como se vê no fronstispício. este livro foi considerado por ele como em grande parte obra deles  Herculano Pires considera que a tese fundamental do livro é a da existência do perispírito ou corpo espiritual – elemento de ligação do espírito à matéria, e essa ligação é o princípio da mediunidade. O LIVRO DOS MÉDIUNS
  8. 8. 8/25 O LIVRO DOS MÉDIUNS Histórico do livro  Herculano Pires diz ainda: “Tanto as pesquisas metapsíquicas quanto as parapsicológicas nada mais fizeram do que referendar, até agora, os princípios firmados neste livro. Tudo quanto conseguiram provar cientificamente já estava provado pela Ciência espírita e exposto neste volume. Portanto, ao contrário do que pensam algumas pessoas mal informados, OLM é um livro atualíssimo.
  9. 9. 9/25 Introdução Primeira Parte NOÇÕES PRELIMINARES Capítulo l: Existem Espíritos? Capítulo II: O Maravilhoso e o Sobrenatural Capítulo III: Método Capítulo IV: Sistemas Segunda Parte DAS MANIFESTAÇÕES ESPÍRITAS Capítulo l: Ação dos Espíritos sobre a Matéria Capítulo II: Manifestações Físicas e Mesas Girantes Capítulo III: Manifestações Inteligentes Capítulo IV: Teoria da Manifestações Físicas Capítulo V: Manifestações Físicas Espontâneas Capítulo VI: Manifestações Visuais Sumário de “O livro dos médiuns” O LIVRO DOS MÉDIUNS
  10. 10. 10/25 Capítulo VII: Bicorporeidade e Transfiguração Capítulo VIII: Laboratório do Mundo Invisível Capítulo IX: Locais Assombrados Capítulo X: Natureza das Comunicações Capítulo XI: Sematologia e Tiptologia Capítulo XII: Pneumatografia ou Escrita Direta-Pneumatofonia Capítulo XIII: Psicografia Capítulo XIV: Os Médiuns Capítulo XV: Médiuns Escreventes ou Psicógrafos Capítulo XVI: Médiuns Especiais Capítulo XVII: Formação dos Médiuns Capítulo XVIII:Inconvenientes e Perigos da Mediunidade Capítulo XIX: Papel do Médium nas Comunicações Sumário de “O livro dos médiuns” O LIVRO DOS MÉDIUNS
  11. 11. 11/25 Capítulo XX: Influência Moral do Médium Capítulo XXI: Influência do Meio Capítulo XXII: Da Mediunidade nos Animais Capítulo XXIII: Da Obsessão Capítulo XXIV: Identidade dos Espíritos Capítulo XXV: Das Evocações Capítulo XXVI: Perguntas que se podem fazer Capítulo XXVII: Contradições e Mistificações Capítulo XXVIII: Charlatanismo e Prestidigitação Capítulo XXIX: Reuniões e Sociedades Capítulo XXX: Regulamento da sociedade espírita Capítulo XXXI: Dissertações Espíritas Capítulo XXXII: Vocabulário Espírita Sumário de “O livro dos médiuns” O LIVRO DOS MÉDIUNS
  12. 12. 12/25 Introdução Primeira Parte NOÇÕES PRELIMINARES Capítulo l: Existem Espíritos? Capítulo II: O Maravilhoso e o Sobrenatural Capítulo III: Método Capítulo IV: Sistemas Segunda Parte DAS MANIFESTAÇÕES ESPÍRITAS Capítulo l: Ação dos Espíritos sobre a Matéria Capítulo II: Manifestações Físicas e Mesas Girantes Capítulo III: Manifestações Inteligentes Capítulo IV: Teoria da Manifestações Físicas Capítulo V: Manifestações Físicas Espontâneas Capítulo VI: Manifestações Visuais Sumário de “O livro dos médiuns” O LIVRO DOS MÉDIUNS
  13. 13. 13/25 Introdução  “Diariamente a experiência confirma a nossa opinião de que as dificuldades e desilusões encontradas na prática espírita decorrem da ignorância dos princípios doutrinários.”  “Esta obra não é uma receita infalível para fazer médiuns. Embora cada qual já traga em si mesmo os germes das qualidades necessárias, elas se apresentam em graus diversos, e o seu desenvolvimento depende de causas estranhas à vontade humana.” O LIVRO DOS MÉDIUNS
  14. 14. 14/25 Introdução  “Não fazemos poetas, nem pintores ou músicos com as regras dessas artes, que servem apenas para orientar os talentos naturais. Sua finalidade é indicar os meios de desenvolvimento da mediunidade em quem a possui, segundo as possibilidades de cada um, e, sobretudo apontar-lhes as dificuldades que certamente encontrarão, ensinar-lhes a maneira de se comunicarem com os Espíritos, obtendo boas comunicações.” O LIVRO DOS MÉDIUNS
  15. 15. 15/25 Introdução  “O progresso alcançado pelo Espiritismo se verifica depois que entrou no rumo filosófico, porque despertou a atenção de pessoas esclarecidas.”  Depois da exposição do aspecto filosófico em OLE, damos nesta obra a sua parte prática.  Essas duas obras, embora se completem, são até certo ponto independentes uma da outra. Mas a quem quiser tratar seriamente do assunto, recomendamos primeiramente a leitura de OLE. O LIVRO DOS MÉDIUNS
  16. 16. 16/25 Capítulo I – Existem espíritos? O LIVRO DOS MÉDIUNS No programa de TV, surge por cerca de 2 segundos este rosto... É possível ser um espírito? SIM.
  17. 17. 17/25 Capítulo I – Existem espíritos?  “A causa principal da dúvida sobre a existência dos Espíritos é a ignorância da sua verdadeira natureza.”  Admitindo a existência da alma e da sua individualidade após a morte, é necessário admitir também: 1°) Que a sua natureza é diferente da corpórea, pois ao separar-se, ela não mantém as propriedades materiais; 2°) Que ela possui consciência própria. O LIVRO DOS MÉDIUNS
  18. 18. 18/25 Capítulo I – Existem espíritos?  “A existência de Deus e da alma, constitui a base de todo o edifício do Espiritismo. Antes de aceitarmos qualquer discussão espírita, temos de assegurar-nos se o interlocutor admite essa base.”  São muitos os que negam a possibilidade dessas comunicações. Acreditam na existência da alma e na dos Espíritos, mas sustentam a teoria de que os seres imateriais não podem agir sobre a matéria. O LIVRO DOS MÉDIUNS
  19. 19. 19/25 Capítulo I – Existem espíritos?  O espírito é ser pensante e que sobrevive à morte. Além do corpo físico, o Espírito possui outro, semi-material, que o liga ao primeiro.  Este corpo semi-material denomina-se Perispírito e é através dele que a ação dos espíritos sobre a matéria se verifica.  Admitida a sobrevivência da alma, seria racional negar-se a sobrevivência das suas afeições? O LIVRO DOS MÉDIUNS
  20. 20. 20/25 Cap.II-O maravilhoso e o sobrenatural  “E que entendeis por sobrenatural? — O que é contrário às leis da Natureza. — Então conheceis tão bem essas leis que podeis marcar limites ao poder de Deus?”  Mas que um homem morto e bem morto possa ressuscitar corporalmente, que os seus membros dispersos se reúnam para restabelecer-lhe o corpo, eis o que é maravilhoso, sobrenatural, fantástico. O LIVRO DOS MÉDIUNS
  21. 21. 21/25 Cap.II-O maravilhoso e o sobrenatural  “Observai a Doutrina Espírita e vereis se no seu encadeamento elas não apresentam todas as características de uma lei admirável, que resolve tudo o que os princípios filosóficos até agora não puderam resolver.“  A Parapsicologia confirma hoje, cientificamente, através de pesquisas de laboratório, a naturalidade desses fenômenos. O LIVRO DOS MÉDIUNS
  22. 22. 22/25 Cap.II-O maravilhoso e o sobrenatural  “Os que pensarem que podem encontrar para esses efeitos inteligentes uma solução mais racional, podendo, sobretudo explicar a razão de todos os fatos, queiram fazê-lo, e então poder-se-á discutir o mérito de ambas.”  O prof. Ernesto Bozzano chama a isto "convergência das provas", mostrando a necessidade cientifica de uma hipótese explicar todos os fenômenos da mesma natureza e não apenas alguns deles. O LIVRO DOS MÉDIUNS
  23. 23. 23/25 Cap.II-O maravilhoso e o sobrenatural  “O Espiritismo não aceita todos os fatos considerados maravilhosos. Longe disso, demonstra a impossibilidade de muitos deles e o ridículo de algumas crenças que constituem, propriamente falando, a superstição.“  Os ditos milagres das religiões se enquadram nos fatos maravilhosos ou sobrenaturais e o espíritismo não os aceita ou então, para alguns, interpreta de outra forma. O LIVRO DOS MÉDIUNS
  24. 24. 24/25 Introdução Primeira Parte NOÇÕES PRELIMINARES Capítulo l: Existem Espíritos? Capítulo II: O Maravilhoso e o Sobrenatural Capítulo III: Método Capítulo IV: Sistemas Segunda Parte DAS MANIFESTAÇÕES ESPÍRITAS Capítulo l: Ação dos Espíritos sobre a Matéria Capítulo II: Manifestações Físicas e Mesas Girantes Capítulo III: Manifestações Inteligentes Capítulo IV: Teoria da Manifestações Físicas Capítulo V: Manifestações Físicas Espontâneas Capítulo VI: Manifestações Visuais Sumário de “O livro dos médiuns” O LIVRO DOS MÉDIUNS
  25. 25. 25/25 O LIVRO DOS MÉDIUNS “O que caracteriza um estudo sério é a continuidade que se lhe dá.” Allan Kardec Na Introdução de “O Livro dos Espíritos”

×