Gminospermas

367 visualizações

Publicada em

características, reprodução, habitat...

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
367
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gminospermas

  1. 1. Introdução • São as primeiras plantas que apresentam semente (fanerógamas) durante o processo de evolução biológica dos vegetais. • A origem do nome está relacionada com a presença destas sementes que estão desprotegidas de frutos, isto é, sementes nuas (do grego Gymnos: 'nu'; e sperma: 'semente'). • Primeiros vegetais a conquistarem definitivamente a independência da água para fecundação.
  2. 2. • Pinheiros, as sequoias e os ciprestes (grupo das coníferas). • Preferência por clima frio. • Atualmente existem cerca de 820 espécies vivas de Gimnospermas e cerca de 80 gêneros. • Plantas de vida terrestre.
  3. 3. Morfologia • Possuem folhas férteis, além de caule, raiz e flores. • Sementes produzidas em estruturas conhecidas como cones ou estróbilos (flores), conhecidos como pinhas. • Vasculares. • Possuem até 117 m de altura e 11 m de diâmetro. • Em geral são monoicas, mas algumas são dioicas.
  4. 4. Cones ou estróbilos
  5. 5. Existem quatro divisões de gimnospermas atuais:  Divisão Cycadophyta: conhecidas como cicas, muito usadas para paisagismo. Exemplar da Divisão Cycadophyta, planta ornamental do gênero Cyca.
  6. 6. • Plantas semelhantes a palmeiras. • Maioria são grandes. • Muito antigas (apareceram a cerca de 320 milhões de anos). • Tóxicas (agentes cancerígenos e neurotóxicos). • Dioicas. Estróbilo de Cyca, divisão Cycadophyta.
  7. 7.  Divisão Ginkgophyta: árvores de grande porte conhecidas como ginkgo. • Único representante vivo é a planta da espécie Ginkgo biloba. • É decíduo. • São particularmente comuns na China e Japão. Como é muito resistente à poluição, é bastante cultivado em áreas urbanas. • Dioicas. • Planta medicinal. • Nomes populares: Nogueira-do-Japão, árvore- avenca, ou simplesmente ginkgo.
  8. 8. Folhas labeladas da planta Ginkgo biloba, divisão Ginkgophyta. Árvore da espécie Ginkgo biloba. Semente de Ginkgo biloba.
  9. 9.  Divisão Gnetophyta • Habitam geralmente regiões desérticas ou áridas do mundo. • Esta divisão apresenta cerca de 70 espécies distribuídas em 3 gêneros: Gnetum: árvores e trepadeiras, com folhas grandes, encontradas na maioria das regiões tropicais.
  10. 10. • Ephedra: arbustos com folhas pequenas e caules aparentemente articulados. Exemplares de Ephedra, uma gimnosperma da Divisão Gnetophyta. Detalhe dos estróbilos de Ephedra
  11. 11. • Welwitschia: a maior parte da planta fica enterrada no solo. Ela produz apenas duas folhas, de crescimento contínuo. Vive em desertos da África.
  12. 12.  Divisão Coniferophyta: conhecidas como coníferas. • Plantas mais altas do mundo: as sequóias (Sequoia sempervirens). • Pinheiros e abetos. • Surgiram no final do Período Carbonífero, a 290 milhões de anos (Era Paleozóica). Folhas (acículas) do pinheiro bunia, da espécie Araucaria bidwillii, família Araucariaceae, divisão Coniferophyta.
  13. 13. • Os pinheiros são as espécies mais comuns de coníferas. • Árvores de grande porte, tronco espesso e muitos galhos. Têm folhas longas e finas, em forma de agulha (acículas), ou curtas e espessas, em forma de escamas. As principais famílias são:
  14. 14.  Família Pinaceae: plantas arbóreas ou arbustivas lenhosas, com folhas aciculares dispostas em espiral. • Flores masculinas em densos estróbilos alongados. • Esta é a maior família de gimnospermas vivas. Pinus é o maior gênero com cerca de 90 espécies.
  15. 15.  Família Taxodiaceae: 10 gêneros, composta essencialmente por plantas lenhosas arbóreas, com um único gênero nativo no hemisfério sul (Tasmânia). • Folhas pequenas, aciculares (agulha) com disposição espiralada. • Dioicas. • Dois gêneros da América do Norte: Sequoiadendron e Sequoia. O primeiro atinge tamanhos gigantescos e idade de cerca de 4.000 anos.
  16. 16. Conifera do gênero Sequoia, uma árvore que pode atingir tamanhos impressionantes. São consideradas as árvores mais altas do mundo.
  17. 17.  Família Cupressaceae: 16 gêneros e 140 espécies distribuídas em todo o mundo, principalmente no hemisfério norte. Nenhuma é nativa no Brasil. • Folhas em geral pequenas e aciculares. • Monoicas. • Estróbilos masculinos pequenos, terminais ou laterais, isolados ou em grupos. • Estróbilos femininos terminais em ramos curtos, pequenos, com escamas ovulíferas. • Cones pequenos, os menores dentre as coníferas, lenhosos ou carnosos.
  18. 18. Exemplar da conifera cipreste, gênero Cupressus. Exemplar do gênero Juniperus.
  19. 19.  Família Podocarpaceae: único gênero é o Podocarpus, com distribuição predominantemente no hemisfério sul (Brasil e África) e com poucas espécies. • Folhas pequenas. • As sementes são produzidas isoladamente. • Dioicas. No Brasil há duas espécies: P. lamberti e P. sellowi.
  20. 20.  Família Araucariaceae: plantas arbóreas de grande porte, com folhas pequenas. • Dioicos. • Família exclusiva do hemisfério sul, com dois gêneros: Araucaria, A. angustifolia e Agathis. Araucaria angustifolia
  21. 21. Estróbilo feminino (cone) de Araucaria. Quando maduro, se abre para liberar as sementes (pinhões). Estróbilo masculino de Araucaria. Formado na ponta do ramo, é bem menor do que o feminino.
  22. 22. Habitat • São plantas predominantemente de regiões temperadas, localizadas em grandes florestas nos Estados Unidos e Europa. • No Brasil estão localizadas principalmente na mata das Araucárias no sul do país (pinheiro-do- paraná).
  23. 23. Importância • Evolutiva. • Industrial. • Alimentar. • Ornamental. • Ecológica.
  24. 24. Reprodução *Usando o pinheiro-do-paraná (Araucária angustifólia) como modelo para explicar a reprodução das gimnospermas. Nessa planta, os sexos são separados.* • O estróbilo masculino produz pequenos esporos chamados grãos de pólen. O estróbilo feminino produz estruturas denominadas óvulos. No interior de um óvulo maduro surge um grande esporo. • Como ocorre a fecundação?
  25. 25. • Nos pinheiros, as sementes são chamadas pinhões. Uma vez formados os pinhões, o cone feminino passa a ser chamado pinha. Se espalhadas na natureza por algum agente disseminador, as sementes podem germinar. Ao germinar, cada semente origina uma nova planta. • A semente pode ser entendida como uma espécie de "fortaleza biológica", que abriga e protege o embrião contra desidratação, calor, frio e ação de certos parasitas.
  26. 26. A pinha e a semente (pinhão) da Araucária

×