Saude bucal da gestante e bebe

23.040 visualizações

Publicada em

0 comentários
21 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
23.040
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
36
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.076
Comentários
0
Gostaram
21
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Saude bucal da gestante e bebe

  1. 1. LOURENÇO ODONTOLOGIADra. Bárbara Galletti Lourenço CRO 105037
  2. 2. Saúde bucal da gestante e do bebê
  3. 3. Alterações decorrentes dagravidez:Durante o período As alterações hormonais gestacional muitas não levam à alterações metabólicas inflamação, mas vão ocorrer. Mudanças agravam problemas hormonais como um preexistentes, caso a aumento da mulher seja portadora concentração dos de algum processo hormônios progesterona inflamatório e cortisol podem trazer (inflamação gengival conseqüências para a por exemplo) ele se saúde bucal. intensificará durante a gestação.
  4. 4. A alteração de rotina È comum preferir alimentos (cuidados com pré- ácidos, o que acaba por natal, diminuição da desequilibrar o pH da carga de saliva. Nos primeiros trabalho, preparo do quarto do bebê, etc) meses, por conta dos podem provocar um enjôos e vômitos, e na descuido da gestante fase final da gravidez, quanto aos cuidados com com o cansaço e a a boca, a dieta pode se dificuldade de se modificar, aumentando a movimentar, pode haver ingestão de alimentos uma falta de atenção à entre as refeições, muitas vezes higiene e à dieta, o que para diminuir a ansiedade pode acarretar no ou mesmo amenizar aparecimento da cárie ou náuseas. da inflamação gengival.
  5. 5. Durante a gestação o acompanhamento odontológico deve ser realizado. Após o nascimento do bebê, a boa condição bucal da mãe já deve ter sido alcançada, evitando a transmissibilidade de bactérias causadoras da cárie e da doença periodontal ao bebê. Hábitos saudáveis de higiene e dieta devem ser desenvolvidos pela gestante para que ela possa transmiti-los ao bebê.
  6. 6. A Alimentação:Para a gestante, é de extrema importância que a alimentação supra as necessidades do seu próprio corpo e as do bebê em formação. A dieta deve ser balanceada e rica em vitaminas, proteínas, minerais, além de equilibrada em carboidratos e gorduras.
  7. 7. Escolha alimentos frescos e naturais: leite e seus derivados, carnes, aves, peixes, ovos, verduras, legumes, frutas e cereais.
  8. 8. Evite os alimentos industrializados eles contém aditivos químicos como conservantes, corantes, aromatizantes, emulsificantes que podem trazer conseqüências para a saúde da mãe e do bebê. Evite a formação da placa bacteriana não ingerindo balas, chicletes, refrigerantes, café,chá, bolachas, chocolates, bolos, sorvetes.
  9. 9. Uma dieta equilibrada proporcionará à gestante uma gestação saudável, minimizando a ocorrência de problemas de saúde, como febre e infecções, que podem afetar a saúde do bebê e a formação de seus dentes.
  10. 10.  O cálcio dos dentes da  A gestante pode e deve mãe não passa para os receber tratamento odontológico durante a futuros dentes do gestação, preferencialmente bebê, o cálcio provém durante o segundo trimestre. da alimentação materna, não haverá  Anestésicos e medicamentos perda de conteúdo podem ser utilizados, segundo mineral da a prescrição do dentista ou do gestante, durante a médico. gravidez.  Bochechos com soluções anti- A presença de sépticas estão indicados para sangramento é sinal de se evitar a transmissão de inflamação. Intensifique bactérias da mãe para o bebê. a higienização e procure o dentista.  As radiografias devem ser evitadas durante a gestação. A suplementação de flúor não é recomendada em cidades com água de abastecimento já fluoretada (como na grande São Paulo).
  11. 11.  As bactérias responsáveis pelo aparecimento da cárie e da inflação gengival são transmissíveis, não beije seu bebê na boca, não assopre a comida que será destinada ao bebê.
  12. 12. Amamentação:O leite materno é um composto natural que possui todas as substâncias que faltam ao recém- nascido, protegendo-o de agressões diversas, como as provocadas por doenças causadas por vírus e bactérias. Além disso, possui os nutrientes necessários ao seu crescimento até o sexto mês de vida.
  13. 13. Contém anticorpos que o O vínculo afetivo entre mãe protegem contra doenças infantis, neuropsicomoto e filho, estabelecido no ras, alérgicas ou ato de amamentar é infecciosas, possui insubstituível . Permite a elementos aproximação dos corpos, antiinfecciosos. Crianças jogos de olhares e prazer, amamentadas no peito havendo uma troca de resistem melhor às amor e doação, é muito infecções, desenvolvem mais do que a nutrição de uma dentição mais saudável e são mais seu filho. seguras emocionalmente.
  14. 14. A amamentação estimula a musculatura e o desenvolvimento da articulação temporo- mandibular (ATM), favorece o crescimento dos ossos da face, desenvolve a respiração nasal, promove o crescimento da mandíbula, facilitando o nascimento dos dentes de leite. A mãe pode assim evitar futuros problemas de respiração, mastigação, d eglutição, fonação e ortodônticos para seu filho.
  15. 15. Aleitamento Artificial -MamadeirasA principal alegação para a interrupção do aleitamento materno é a ausência de leite, os especialistas dizem que tal problema ocorre apenas em 1% dos casos. Causa mais freqüente para tal interrupção são as questões emocionais relacionadas com a gestação, parto e cuidados com o recém nascido. Muitas mães estressam, ficam ansiosas e entram em depressão o que cria um ambiente desfavorável para a amamentação. Quando dificuldades surgirem a mãe deve procurar ajuda com o ginecologista, pediatra e psicólogo.
  16. 16. Quando o uso da mamadeira é inevitável é importante cultivar uma relação de intimidade com a criança, dando a ela atenção e carinho. O ritual para o uso da mamadeira deve ser o mais parecido possível com o da amamentação natural.
  17. 17. O Uso da Mamadeira: A mamadeira deve ser  O aleitamento deve ser feito utilizada como se fosse o com o bebê acordado, para próprio peito. O bebê deve que se tenha certeza de que mamar de um lado do o leite está sendo deglutido. colo, até a metade e então do outro lado, isso evitará a  A eliminação da mamadeira ocorrência de assimetrias nos durante a madrugada deve ser músculos da face. feita antes do nascimento dos dentes. A mamadeira noturna pode provocar o aparecimento A posição do bebê deve ser de cárie precoce de evolução semelhante à do aleitamento rápida. materno.  Não use açúcar ou mel na A cabeça do bebê deverá alimentação do bebê. Água, leite, sucos e chás não ficar mais alta que o seu devem ser adoçados. A criança corpo, isso previne a não conhece o sabor do ocorrência de otites, do mau açúcar, portanto não sentirá posicionamento da língua ao sua falta, apreciando assim o deglutir e da ingestão de sabor natural dos alimentos. grandes quantidades de leite, evitando o sufocamento.
  18. 18. O bico deve ser anatômico, funcional, ort odôntico, com pequeno furo. Com a mamadeira na posição vertical o leite não deve jorrar e sim pingar lentamente. Esse pingamento deve ser de 40 a 50 gotas por minuto. Quando o furo é maior diminui o esforço muscular e altera a deglutição, a sucção e a respiração. O orifício do bico deve estar voltado para a parte superior da boca.
  19. 19. Desmame:Deve ser iniciado quando do nascimento dos dentes de leite (do 6º ao 9º mês de idade). A erupção dos dentes é o indicativo de que o bebê está preparado para se iniciar numa dieta sólida. O desenvolvimento fisiológico e psíquico da criança poderá ser prejudicado com uma amamentação prolongada. O processo de aprendizado da utilização da alimentação sólida é de extrema importância para o desenvolvimento correto dos maxilares.
  20. 20.  Para administrar alimentos líquidos, a mamadeira pode ser substituída inicialmente por copos com bicos, que podem ter desenhos criativos preferencialmente de algum tema que seja de interesse da criança
  21. 21. Mais que retirar o leite são vividos materno da deliciosamente pela dieta, desmamar quer mães. O desmame faz, dizer desatar o primeiro muitas vezes, com que laço emocional entre elas se sintam inseguras, mãe e filho, quebrar gerando uma saudade uma relação especial de antecipada desses dependência. Os instantes de intimidade momentos de carinho e tão difíceis de romper. ternura, o toque da pele com o bebê
  22. 22. O desmame deve ser feito de modo lento e progressivo, com muito amor e firmeza, uma interrupção brusca pode levar à substituição do peito pela sucção do dedo, o que, poderá trazer malefícios para a dentição.
  23. 23. Alimentação de transição De 6 a 12 meses: suco de  Aos 7 meses: segunda papa ou papa de refeição (JANTAR) – frutas, nos intervalos do mesma papinha, com leite nos horários das acréscimo de refeições principais; proteínas, aumentando a quantidade aos poucos; Aos 6 meses e meio: primeira refeição  Aos 8 – 9 meses: a dieta (ALMOÇO) – papa de será a cereais e mesma, aumentando a tubérculos, sempre consistência dos amassados. Alterna-se com alimentos, de amassados leite, frutas e sucos nos para aos pedaços; intervalos;
  24. 24.  Aos 12 meses: a alimentação dada será a mesma da família. Os alimentos não devem ser muito condimentados e os intervalos entre as refeições devem estabelecer uma rotina;
  25. 25. ChupetaPara a criança a sucção é o carinho, o aconchego e a importante, pois ajuda a voz da mãe. satisfazer as necessidades psicológicas A sensação de fome e a necessidade de sucção e nutricionais. Os bebês surgem ao mesmo tempo e não têm apenas portanto, o ideal seria que satisfação nutricional a sucção e a fome fossem saciadas ao mesmo durante a tempo, mas nem sempre alimentação, mas isso acontece. também experimentam o estímulo progressivo dos lábios, língua e mucosa bucal e aprendem a associar esses estímulos a outras sensações agradáveis:
  26. 26. Há bebês que se satisfazem impedindo o bebê de apenas com as mamadas e satisfazer a necessidade existem outros que de sucção, podendo necessitam de mais tempo causar choro ou de sucção. Isso também inquietação logo a seguir. ocorre quando o bico da mamadeira tem furo Quando o uso da chupeta aumentado, fazendo com se fizer necessário ela que o esvaziamento da deve ser ortodôntica, de mamadeira ocorra muito silicone e sem argolas, o rapidamente, tamanho deve ser adequado à idade da criança.
  27. 27.  A chupeta pode ser  Na maioria das vezes o importante, desde que a choro do bebê quer mãe saiba o momento certo comunicar fome, calor, de oferecer. frio, desconforto, falta de companhia e de aconchego. Os pais, em geral, transformam a chupeta em  O uso da chupeta pode se vício, usando-a para calar a transformar em um vício criança. extremamente prejudicial à mastigação, respiração, O melhor é tentar descobrir fala e posição dos dentes. por que o bebê está chorando.  O hábito de sucção de chupeta é muito prejudicial Oferta de chupeta a todo quando permanece além do instante ou penduradas na segundo ano de vida. roupa da criança devem ser evitadas.
  28. 28. A remoção do hábito da chupeta deve ser realizada até os dois anos de idade.A criança deve ser motivada até que se sinta segura o suficiente para a mudança.A remoção da chupeta deve ser realizada de maneira sensível, suave e gradual.Atitudes agressivas poderão tornar a criança mais insegura, pondo em dúvida o amor dos pais e trazendo-lhes outros problemas de natureza psicológica.No início negocie o tempo e a freqüência de uso, retire-a após adormecer.
  29. 29. Higienização Escova de cerdas macias e cabeça pequena e fio dental. Ao mínimo 3 vezes ao dia a partir do aparecimento dos primeiros dentes. Pasta floretada com ao menos 1000 ppm de flúor por mg de pasta. Para crianças com menos de 3 anos, a escovação deve ser sempre supervisionada. Caso a criança goste de brincar com a escova deve ser oferecida uma pasta sem flúor para esse fim.
  30. 30.  Para crianças que ainda não apresentam dentes, a higienização pode ser realizada com uma gaze ou fralda umedecida para remover os resíduos de leite na cavidade oral. Existem, ainda, dispositivos no mercado chamados dedeiras, que também podem ser usados para este fim.
  31. 31. Técnica de escovação Parte que mastiga: movimento de trenzinho Parte de trás: movimento de vassourinha Parte da frente: movimento de bolinha Movimentos curtos 10 segundos de escovação a cada dois dentes
  32. 32. OBRIGADA !!!www.lourencoodontologia.com.br

×