O Q U E E ?DE ONDE VEM?0 QUE PRETENDE?Virtual 6oohs
Publicado com a devida autorização ecom todos os direitos reservados porEditora Betânia S/CCaixa Postal 501031.611-970 Ven...
“Ao Rei consagro o que compus.”(SI 45.1.)
AGRADECIMENTOSAo casal Darque e Janice França, irmãos amados que, es­tando eu longe de minha terra, me acolheram em seu la...
ÍNDICEIntrodução .......................................................................... 9Parte IO Pano de Fundo do Mov...
Parte IIIAtuação e Propagação do Movimento Nova Era ...... 711. Na Política Mundial .........................................
10DUÇÃ0Este nosso mundo não será para sempre como temsido até então. São muitos os textos bíblicos que descre­vem os últim...
10 Nova Eraeu pensava e eram muitas os que estavam sendo enreda­dos nele. A partir daí procurei envolver-me cada vez mais,...
Introdução 11mos procurar encontrar nesse conjunto tão complexo,aparentemente destonante, a harmonia que faz da NovaEra um...
0PANODEFUNDOD O M W Ii*) M lNova Era é um grande quebra-cabeça, com um semnúmero de pequenas peças. Toma-se bem mais fácil...
14 Nova Eraou que lhe trace as diretrizes, embora ele esteja indo exa­tamente para onde deseja. Enganamo-nos, no entanto, ...
0 Pano de Fundo do Movimento Nova Era 15já nos anos 40, um grupo internacional de intelectuais,artistas e cientistas, com ...
16 Nova EraEntre 1835 e 1860, surgiu nos EUA um grupo deno­minado “TYanscendentalistas”, trabalhando em cima dosmesmos ide...
0 Pano de Fundo do Movimento Nova Era 17ria da independência do Brasil e, posteriormente, lutandopela proclamação da Repúb...
18 Nova EraForam extintos por razões políticas, pois seu poder es­tava sobrepujando o do rei francês Felipe IV, que deviau...
0 Pano de Fundo do Movimento Nova Era 19Esse encontro de pensamentos no movimento gnós-tico e seu desenvolvimento históric...
20 Nova EraA Bíblia revela o começo, meio e fim desse conflito,delineando de maneira magistral o cenário necessárioao escl...
0 Pano de Fundo do Movimento Nova Era 216) Pedras preciosas o cobriam e instrumentos musicaisforam preparados para ele, pr...
22 Nova Eraa fez para ser um caos, mas para ser habitada: Eu souo Senhor e não há outro”.“Esta é uma das passagens bíblica...
0 Pano de Fundo do Movimento Nova Era 23minoso”, “Brilhante” ou “Portador de luz”, conforme Isa-ías 14.12)* e passou a ser...
24 Nova Eramem virar as costas ao Deus de bondade, misericórdia eamor. Foi uma proposta bem própria do caráter infiel eamo...
O Pano de Fundo do Movimento Nova Era 25mente contra o homem — ele próprio em pessoa ou atra­vés de seus mensageiros (2 Co...
26 Nova Era2) A unificação das nações em tomo de um único go­verno.Surgirá daí a necessidade de um líder mundial que go­ve...
0 Pano de Fundo- do Movimento Nova Era 27Isso contribuirá bastante para a unificação religiosa entrea humanidade. Porém, t...
AIDEOLOGIADO MOVIMENTO NOVA ERAO movimento Nova Era não tem data de fundação enem fundador. O mesmo acontece com a formula...
30 Nova Eramento têm pontos discordes entre si. São variações resul­tantes da miscelânea de que se origina a sua ideologia...
A Ideologia do Movimento Nova Era 31— Nesse Deus nós não acreditamos. Refutamos aidéia de um Deus pessoal, extracósmico e ...
32 Nova EraShirley McLaine afirma: “Reconheça todas as partes queformam o todo, pois você é o criador”.2Essa doutrina remo...
A Ideologia do Movimento Nova Era 33crêem, pois passam a crer que podem se salvar por inter­médio do autoconhecimento, atr...
34 Nova Eravez mais freqüentes. Nunca antes teve-se notícia de tantosterremotos, furacões, maremotos, etc. O apóstolo Paul...
A Ideologia do Movimento Nova Era 35“A consciência da sua própria consciência, produ­zindo a consciência do seu próprio po...
36 Nova EraMas as forças opostas no homem não se restringem, paraeles, ao bem e ao mal. Todo ser humano é igualmente mas­c...
A Ideologia do Movimento Nova Era 37Através da criação de comunidades e a eliminação donúcleo familiar, a humanidade passa...
38 Nova Eratamoém uma reação aos aspectos penosos de certomodo de vida familiar”8Isso tudo vem em cumprimento da profecia ...
A Ideologia do Movimento Nova Era 39Nada temos com esse novo paradigma social. Nossocomportamento deve ser irrepreensível ...
40 Nova EraJá os ultraterrestres seriam seres de alto desenvolvi­mento espiritual, muito evoluídos, que já viveram váriase...
A Ideologia do Movimento Nova Era 41não possui qualquer base científica concreta, tem suas im­plicações no mundo espiritua...
42 Nova Eraegípcios e 600 tanques em pouquíssimo tempo. Soldadosegípcios se renderam diante de Israel por terem visto an­j...
A Ideologia do Movimento Nova Era 43tado de transe sonambúlico, de maneira espontâneaou induzida, dando informações de teo...
44 Nova Era“Depois de alguns minutos, não mais de quinze,estávamos de volta a nossa consciência e começamosa comparar noss...
A Ideologia do Movimento Nova Era 45há uma classe de seres muito evoluída, acreditam que es­ses seres sejam mestres cósmic...
46 Nova Eralista poderia ou elevar-se mais ainda (como Abulafiaensinou), ou obter importantes informações sobre ofuturo. E...
A Ideologia do Movimento Nova Era 47tema” (G1 1.8); pois “não é de admirar, porque o próprioSatanás se transforma em anjo ...
48 Nova Eradial, onde afirma que o capitão da nave que efetuará oresgate chama-se Sananda, e que esse ta] Sananda foi co­n...
A Ideologia do Movimento Nova Era 49cometeu um grande erro em atribuir caráter maligno aLúcifer.A presença do Fator Lúcife...
50 Nova EraEmbora TYigueirinho afirme que esse ser mudou denome hoje e se chama Amuna Kut; desperta-me muito aatenção o fa...
A Ideologia do Movimento Nova Era 51Acreditam que a humanidade evoluiu dentro das se­guintes eras:• Era de Touro: de 4304 ...
52 Nova EraJaap Huibers diz que, pelo fato de o peixe viver submersona escuridão das profundezas do mar, a Era de Peixes e...
A Ideologia do Movimento Nova Era 53nhor de todos os tempos, de todas as eras, que merece todaa glória e honra. Como decla...
54 Nova Eracontramos o ponto de vista dos aquarianos sobre o Se­nhor Jesus Cristo face aos “novos tempos” trazidos pelaEra...
A Ideologia do Movimento Nova Era 55leça a paz. Acreditam que cada era possui o seu avatare que para a Era de Aquário tamb...
56 Nova Eradas elas. Naturalmente o homem sabe que precisa de umsalvador, e é ponto comum nas diversas religiões seus se­g...
A Ideologia do M ovimento Nova Era 57contra Creme por ter ele, certa vez, predito uma data parao Armagedom e tal evento nã...
58 Nova Eradadeira a sua missão aos seus impulsos originais, du­rante as próximas centenas de anos — diga-me,pergunto-lhe,...
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Nova Era   Marcos André
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Nova Era Marcos André

3.203 visualizações

Publicada em

Conheçam as sutilezas do Diabo Para enganar as Pessoas,,, "A Nova Era é uma forma sutil de levar as pessoas ao erro...

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.203
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
141
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nova Era Marcos André

  1. 1. O Q U E E ?DE ONDE VEM?0 QUE PRETENDE?Virtual 6oohs
  2. 2. Publicado com a devida autorização ecom todos os direitos reservados porEditora Betânia S/CCaixa Postal 501031.611-970 Venda Nova, MGRevisão e estilização: Mima Maria de Alcântara CamposPrimeira edição, 1992É proibida a reprodução total ou parcialsem permissão escrita dos editores.Composto e impresso nas oficinas daEditora Betânia S/CRua Padre Pedro Pinto, 2435Belo Horizonte (Venda Nova), MGCapa: Kleber FariaPrinted in Brazil
  3. 3. “Ao Rei consagro o que compus.”(SI 45.1.)
  4. 4. AGRADECIMENTOSAo casal Darque e Janice França, irmãos amados que, es­tando eu longe de minha terra, me acolheram em seu lar,onde este trabalho foi desenvolvido.Ao irmão Ananias Vilela, que sempre apoiou meu ministério.E aos muitos irmãos que, de uma forma ou de outra, con­tribuíram para que este livro se tomasse realidade.De coração, muito obrigado.Marco André
  5. 5. ÍNDICEIntrodução .......................................................................... 9Parte IO Pano de Fundo do Movimento Nova E r a ...... 131. Contexto Histórico Secular............................... 132. Contexto Histórico Espiritual ........................... 19Raízes Históricas do ConflitoEspiritual ................ 20Efeitos do Conflito Espiritual naHistória Humana ...................................................... 23O Futuro do Conflito Espiritual ............................ 25Parte IIA Ideologia do Movimento NovaE r a ......................... 291. Doutrinas da Nova E r a ...........................................30Deus ............................................................................. 30O H om em ................................................................... 34Os Extraterrestres ...................................................... 39Lúcifer ......................................................................... 48As E ra s........................................................................50Jesus Cristo ................................................................ 53O Avatar ..................................................................... 54A Natureza ................................................................. 58Os Bruxos .................................................................. 602. Peculiaridades da Nova E ra ....................................65Os Símbolos .............................................................. 65Termos Peculiares ..................................................... 68
  6. 6. Parte IIIAtuação e Propagação do Movimento Nova Era ...... 711. Na Política Mundial .................................................. 722. Através da Ciência .................................................... 753. Nas Entidades Educacionais................................... 774. Na Religião ................................................................. 815. Através dos Meios de Comunicação ..................... 836. Na M úsica................................................................... 86A Música da Nova E r a ............................................. 86Música Secular............................................................ 887. Na Medicina Alternativa........................................... 908. Na Psicologia ............................................................. 94Parte IVA Igreja e o Movimento Nova Era ............................ 971. A Ideologia da Nova Era na Igreja....................... 98O Poder da Mente .................................................... 99A Regressão TVanspessoal ..................................... 100Projeção Astral .............. .......................................... 1022. A Postura da Igreja Frente à Nova E r a ............ 102Bibliografia...................................................................... 106
  7. 7. 10DUÇÃ0Este nosso mundo não será para sempre como temsido até então. São muitos os textos bíblicos que descre­vem os últimos dias, textos que enumeram os sinais quecaracterizarão o tempo do fim. E verdade que em todosos momentos críticos por que passou a humanidadelevantaram-se alguns proclamando serem aqueles momen­tos os tais últimos dias profetizados pela Bíblia. Porém,a Bíblia deixa claro que é um conjunto de sinais que in­dicarão tais dias, e não alguns sinais isolados.Nas primeiras vezes em que ouvi falar sobre Nova Era,recebi as informações um tanto cético. As pessoas diziamque Nova Era seria o fim dos tempos. A princípio achei quefosse apenas uma seita a que davam demasiada importânciaaqueles que a combatiam. Alguns fatos atribuídos à NovaEra, porém, chamaram-me a atenção, mas não o suficientepara me fazer aprofundar no estudo do assunto. Foi neces­sário um mover de Deus para que me envolvesse de fato.Participei então de um congresso da Nova Era. O quevi e ouvi trouxe-me um peso muito grande ao coração.Percebi que o movimento já ia muito mais longe do que
  8. 8. 10 Nova Eraeu pensava e eram muitas os que estavam sendo enreda­dos nele. A partir daí procurei envolver-me cada vez mais,participando de suas reuniões. A medida que assimilavaseus ensinamentos, deparava-me em cada frente do mo­vimento com o cumprimento de um sinal bíblico para osúltimos dias. Descobri que não se trata de apenas maisuma seita ou crença, mas um movimento de grande alcance.A ideologia da Nova Era está presente na política, naeducação, na medicina, nas religiões orientais, na cultura,etc. Nova Era não é uma seita, pois compõe-se de váriaslinhas de pensamentos, bodas com variações dentro de umaideologia geral. Por isso é que aqueles que procuram es­tudar de fora o assunto, incorrem em muitos erros ao ten­tar explicar o que é Nova Era.Muitos definem o movimento todo por uma única li­nha, a que conheceram. Com isso tem havido uma con­fusão muito grande de informações sobre o que vem aser, na verdade, Nova Era.Nova Era não é um movimento organizado, que temuma liderança ou uma frente de trabalho única. TVata-sede um movimento de incontáveis segmentos, todos base­ados num mesmo princípio ideológico.No “pacote” Nova Era encontramos linhas bruxólicasmedievais (como a Ordem dos Magos da Nova Era —OMNE — por exemplo), o movimento holístico ou newVision (que tenta parecer desvinculado dele, mas possuia mesma base ideológica e trabalha com os mesmos al­vos), a linha ufológica (geralmente mais fatalista), as prá­ticas adivinhatórias (através de tarot, búzios, runas, etc.),a psicologia transpessoal (com práticas de regressão e si­milares), o movimento ecológico, e tantos outros, todosprofundamente esotéricos e místicos, divergentes em al­guns pontos doutrinários, mas congruentes em sua ide­ologia básica.Neste trabalho não vamos nos ater às variações exis­tentes nas diversas linhas, mas procurar delinear o troncoideológico básico de onde procedem as ramificações dessemovimento. Veremos que todas essas frentes têm tendên­cias iguais, cada segmento flui para a mesma direção, ape­sar de divergirem doutrinariamente nos pormenores. Va-
  9. 9. Introdução 11mos procurar encontrar nesse conjunto tão complexo,aparentemente destonante, a harmonia que faz da NovaEra um movimento de proporções gigantescas e de açãotão eficaz em todas as áreas em que atua.E exatamente aí que veremos retratado o conjunto desinais que a Bíblia descreve para os últimos dias. Tàntona ideologia quanto na prática, o movimento Nova Eratraduz claramente o cumprimento dos sinais descritos paraos dias finais.A Nova Era pode ser um desafio para a Igreja, levando-a a posicionar-se e assumir seu papel de agência do reinode Deus, frente a uma sociedade convulsionada por umafilosofia de caráter tão maligno, mas também pode servirde agravante para a visão fatalista que algumas linhas cristãsadotam. Embora a interpretação escatológica apresentadaneste trabalho seja pré-tribulacionista, ela não deve serencarada como fatalista. Se este modesto trabalho contri­buir de alguma forma para despertar a Igreja para o fatode que a nossa omissão frente aos problemas da huma­nidade toma-nos cúmplices tanto da injustiça social quantoda perdição espiritual e degradação moral, então sentir-me-ei compensado no meu esforço.Por outro lado, se a leitura não desafiar o leitor a as­sumir a integralidade do cristianismo, terei então fracas­sado nesse empreendimento que julguei útil ao reino deDeus.O autor.
  10. 10. 0PANODEFUNDOD O M W Ii*) M lNova Era é um grande quebra-cabeça, com um semnúmero de pequenas peças. Toma-se bem mais fácil mon­tar um quebra-cabeça quando se sabe o ambiente que eleretrata, a paisagem que nele está expressa. Assim também,será bem mais fácil compreender o que é o movimentoNova Era conhecendo-se os bastidores desse movimento:o que está por trás, quem encabeça o movimento, quaisos seus objetivos, como, onde e porque começou.Iniciemos nossa busca por identificar o pano de fundohistórico desse movimento. Reportemo-nos à história es­piritual da humanidade, pois é o contexto em que se achaminseridas todas as profecias e o mais significativo de todosos conflitos: o conflito entre o bem e o mal na disputapelo homem.1. CONTEXTO HISTÓRICO SECULARO primeiro fato que nos chama a atenção é que o mo­vimento não tem data de fundação e nem fundador; nãotem, também, liderança humana a que esteja subordinado
  11. 11. 14 Nova Eraou que lhe trace as diretrizes, embora ele esteja indo exa­tamente para onde deseja. Enganamo-nos, no entanto, sepensamos que a Nova Era não possui nenhum tipo de li­derança. Os verdadeiros líderes, reconhecidos pelos adep­tos, são seres espirituais, a quem chamam de espíritos,anjos, extraterrestres. Como, por exemplo, relata um artigoda revista Ano Zero, falando sobre o banqueiro califomianoAllan Gold:“Atualmente ele se dedica a financiar empresas daNova Era, e com grande êxito. Tlido começou com umarevelação de caráter semelhante à mediunidade, ouchannel, segundo denominam os especialistas ameri­canos. O fenômeno se caracteriza quando um ser deoutra dimensão — espírito, anjo ou extraterrestre —envia mensagens a um ser humano receptivo”.1Quanto ao início do movimento também não temoscomo precisar uma data. O máximo que podemos fazeré nos reportar a 1962, quando surgiram os beatniks, quepropunham a tomada de consciência de uma ecologia pla­netária. Encontramos em seguida os hippies, exaltandoo amor à natureza, a origem, a liberdade sexual, a paz,e a Nova Era de Aquário, que foi cantada em prosa e versono musical Hair. Embora se diga que o movimento hippiefracassou, vale observar que, a nível espiritual, esse mo­vimento deixou suas seqüelas. A rejeição aos valores e prin­cípios cristãos em nossos dias é, de certa forma, resultadodireto do movimento hippie. Essa rejeição foi fundamentalpara preparar o caminho do atual movimento Nova Era,que não obteria tal penetração se a sociedade ocidentalainda estivesse apegada aos valores e princípios cristãoscomo outrora.Não podemos, porém, ser ingênuos a ponto de pensarque esses movimentos surgiram de repente, do nada.Vários indivíduos e grupos trabalharam de maneira di­reta para a existência do movimento, não só no séculoXX, mas em todo o decorrer da História.Assim foi com o filósofo Aldous Huxley (autor do livroAdmirável Mundo Novo), que influenciou profundamente,
  12. 12. 0 Pano de Fundo do Movimento Nova Era 15já nos anos 40, um grupo internacional de intelectuais,artistas e cientistas, com suas reflexões de transcendênciae de transformação, pregando a cura por meios paranor-mais, um desenvolvimento da consciência humana, e umnovo tipo de governo e economia para o mundo.Importante e expressiva foi também a participação einfluência do jesuíta Pierre Teilhard Chardin. Em 1931,Chardin escreveu em seu ensaio O Espírito da Tèrra que“a mente humana vem-se submetendo a sucessivas reor­ganizações através de toda a história da evolução, até queatingiu um ponto crucial — a descoberta de sua própriaevolução”. O que, segundo ele, “é a futura e natural his­tória do mundo” que estaria rumando para um ápice, aoqual chamou de “Ponto Ômega”. Esse Ponto Ômega, paraele, deveria ser uma “conspiração mundial” que mudassepor completo os valores humanos e levasse o homem acompreender o seu verdadeiro poder da mente. TM cons­piração seria chamada mais tarde, em 1980, de “Conspi­ração Aquariana”, por Merilyn Ferguson.Cari Jung, psicanalista suíço, também deu sua contri­buição à Nova Era, com seus pensamentos sobre uma di­mensão transcendente da consciência que, em contextomais amplo, introduziu a idéia do inconsciente coletivo.Essa idéia tem suas raízes no pensamento oriental queacredita ser o homem parte do todo que é Deus, rejeitandoassim a idéia de um Deus pessoal.No século XIX, Helena P. Blavatsky preconizava asidéias que regem o atual movimento Nova Era, através daSociedade Teosófica, além de ser uma sagaz perseguidorados valores e princípios do cristianismo, conforme elamesma declarou:“A doutrina da expiação é um perigoso dogma emque os cristãos acreditam e que ensina que, indepen­dente da enormidade de nossos crimes contra as leisde Deus e dos homens, temos de apenas acreditar noauto-sacrifício de Jesus para a salvação da humanidade,e que seu sangue lavará todas as máculas. Faz vinteanos que prego contra isso”.2
  13. 13. 16 Nova EraEntre 1835 e 1860, surgiu nos EUA um grupo deno­minado “TYanscendentalistas”, trabalhando em cima dosmesmos ideais e propagando as mesmas crenças da NovaEra. Seu principal precursor foi Ralph Waldo Emerson,que escreveu a obra Natureza, em 1836, marcando o iní­cio identificável do movimento transcendentalista. Eles di­ziam que o homem tinha que alcançar níveis de consci­ência mais altos através dos variados tipos de idealismofilosófico, e que tinha de libertar-se dos elementos das Es­crituras e da tradição cristã. Embora tenham ficado poucoconhecidos nos meios mais populares, eles influenciaram“muitas noções românticas a respeito da natureza e des­tino humanos, que se tornaram parte central da experi­ência norte-americana nesses últimos cem anos”.3Outro grupo que surgiu no século passado e que re­siste firme até hoje, em pleno progresso, é o da Fé Bahá’í.A Fé Bahá’í surgiu em 1844, no Irã, sendo estabelecidaem 1863 por Bahá’u’lláh, um nobre persa, que transmitiuseus ensinamentos durante mais de 40 anos. Ela está, hoje,em todos os países e territórios do mundo, com sua lite­ratura publicada em mais de 700 idiomas. Sua principalpregação é a unificação mundial em todos os setores, coma conseqüente formação de um governo mundial e a as-cenção de um líder mundial que estabelecerá a plena pazpara a humanidade.Embora reclamem os maçons que a maçonaria tenhasurgido nos primórdios da humanidade, os registros his­tóricos parecem datar seu início em meados do século XVII.Em 1717, foi fundada a Grande Loja de Londres e, logoem seguida, a organização cresceu rapidamente, abrindomais de 1700 lojas, e chegando aos EUA no ano de 1730.4No século XVIII ela desponta no cenário histórico comoimportante representante do pensamento e planos do atualmovimento Nova Era.E inegável sua influente participação nos movimentospolíticos dos países onde se estabeleceu. Sua atuação nocampo político foi sempre com o objetivo de libertar naçõesdo jugo de sistemas ditatoriais ou monárquicos. Tfemos oexemplo da maçonaria participando ativamente na histó­
  14. 14. 0 Pano de Fundo do Movimento Nova Era 17ria da independência do Brasil e, posteriormente, lutandopela proclamação da República em movimentos como aInconfidência Mineira. Essa atuação política se deve aofato de o sistema de crenças da maçonaria ter como or­dem Liberdade-Fratemidade-Igualdade. Acreditam os ma­çons que o mundo deve possuir um sistema igualitário emtodos os aspectos, o que os faz lutar tanto no campo po­lítico. O pensamento maçon é panteísta — vê Deus nãocomo um ser pessoal, mas o identifica como uma energiada qual tudo faz parte. Também são uma sociedade ocul-tista de princípios esotéricos, tal qual a visão do movi­mento Nova Era.Recuando ainda mais no tempo encontramos os rosa-cruzes publicando em 1614 um livro intitulado A ReformaGeral do Mundo, que defende a tendência de busca deuma nova humanidade, nos mesmos moldes da Nova Era.Essa organização vem pregando desde aquela época a fra­ternidade universal, o conhecimento intuitivo, o conheci­mento além dos cinco sentidos, a consciência cósmica euma existência mais plena; todos esses temas são defen­didos hoje pela Nova Era.Já entre o período de 1118 e 1307 encontramos a Ordemdos Cavaleiros Templários, representando o pensamento NovaEra na História, como descreve a revista Ano Zero:“De guerreiros passaram a refinados intelectuais,graças a seus contatos com sábios judeus e muçulma­nos, com cabalistas e místicos de todas as tendências.Criaram um sincretismo espiritual com base em mo­delos de culturas ancestrais, tanto orientais quanto oci­dentais, mediante a inclusão, em seus rituais, de divin­dades diversas”.5Os cavaleiros templários foram uma protomaçonaria,pois possuíam as mesmas crenças e lutavam pelos mes­mos ideais abraçados pela maçonaria desde que surgiu.Ordem riquíssima e de importante influência na históriamedieval, os templários possuíam profundas raízes esoté­ricas, tendo em seu corpo de doutrinas os mesmos prin­cípios do atual movimento Nova Era.
  15. 15. 18 Nova EraForam extintos por razões políticas, pois seu poder es­tava sobrepujando o do rei francês Felipe IV, que deviauma quantia volumosa à Ordem dos Cavaleiros Templá­rios. Felipe IV conseguiu armar um complô juntamentecom o Papa Clemente V, que era um fantoche nas mãosdo rei, e condenar os templários por heresia, executandodois grão-mestres e extinguindo provisoriamente a ordem.No primeiro milênio da era cristã nasce um movimentofilosófico hoje completamente aceito e respeitado pelosaquarianos de todas as linhas — o movimento gnóstico.E provável que os próprios apóstolos tenham tido proble­mas com os gnósticos, que tentavam distorcer os ensina­mentos apostólicos e associá-los à filosofia grega e orien­tal. Foi provavelmente sobre esse movimento que João sereferiu quando disse que o espírito do anticristo já estavaagindo no mundo em sua época (1 Jo 4.3).Entre as difíceis definições do gnosticismo encontra­mos a de Hans Jonas, importante expoente contemporâneoda história das religiões, que deixa bem claro como a gnoseé significativa para a Nova Era.“O gnosticismo é um fenômeno religioso geral domundo helenista e é o produto da fusão entre a cul­tura grega e a religião oriental.”6Visto que a ideologia da Nova Era é um sincretismode crenças religiosas e pensamentos filosóficos, encontraimportante representação de suas ideologias no movimentognóstico, pois ambos são o encontro de várias linhas depensamento — reúnem os mesmos elementos filosófico-religiosos. Ambos são regidos pelo mesmo espírito, comoafirmou João — o espírito do anticristo.Embora alguns estudiosos afirmem que o movimentognóstico é apenas a helenização do cristianismo, uma aná­lise mais acurada nos leva a concluir que a gnose com­preende, além de uma distorção do cristianismo, elemen­tos da cabala judaica; do pensamento oriental, através dozoroastrismo, que abarca matérias védicas provenientes dohinduísmo primitivo; da astrologia babilónica; do esoterismoegípcio; e do pensamento platônico.
  16. 16. 0 Pano de Fundo do Movimento Nova Era 19Esse encontro de pensamentos no movimento gnós-tico e seu desenvolvimento histórico até o movimentoNova Era, leva-nos a concluir que os elementos quecompõem o atual pensamento Nova Era datam dos pri­mórdios do pensamento humano, e se harmonizam comPlatão, Confúcio, Buda, Zoroastro, Lao Tzé, os Vedas,a Cabala. Na verdade, todas essas correntes de pensa­mento decorrem do pecado e rebeldia do homem noÉden; assim, o pano de fundo que estamos procurandoestabelecer ficaria incompleto, sem uma análise do con­texto histórico espiritual.2. CONTEXTO HISTÓRICO ESPIRITUALQuando compreendemos a existência do mundo espi­ritual revelado na Bíblia, entendemos que nada na Histó­ria acontece por acaso. Sabemos que há um mundo es­piritual atuante, decorrente do conflito entre as forças dobem e as forças do mal. A humanidade chegou ao estágioem que está, sofrendo influências de estratégias inteligen­temente armadas no mundo espiritual. Portanto, para com­preendermos o momento em que vivemos e sua crucialimportância histórica não podemos nos limitar ao que nosrevela a história secular. Temos de ir além, mas não buscaressas respostas em conjecturas, opiniões pessoais e elu­cubrações humanas. Temos de nos fundamentar em fontesegura, séria e de absoluta veracidade, a fim de nãoenveredar-nos pelo caminho daqueles que, alegando pos­suir “revelações” individuais, cometeram erros notórios e,não reconhecendo tais erros, deram à luz seitas heréticase tornaram-se instrumentos nas mãos do enganador. E aúnica fonte de absoluta autoridade sobre o mundo espi­ritual é a Bíblia.Passemos então ao histórico espiritual, revelado pelaBíblia, desde o princípio do conflito entre o bem e o mal,e de como esse conflito abarcou a história humana, fazendoda criação o palco dessa dramática guerra e, do homem,o objeto desse conflito.
  17. 17. 20 Nova EraA Bíblia revela o começo, meio e fim desse conflito,delineando de maneira magistral o cenário necessárioao esclarecimento do momento em que vivemos. A his­tória espiritual da humanidade revela como cada peçado quebra-cabeça Nova Era encaixa-se perfeitamente, for­mando o quadro que a Bíblia descreve para os últimosdias.Raízes Históricas do Conflito EspiritualO conflito espiritual que envolveu o homem no É-den é muito antigo. Visto que esse conflito foi geradopelo tentador, devemos nos reportar à história de Sata­nás, a fim de encontrarmos as raízes históricas desseconflito.Em Ezequiel 28.11-19, o profeta recebe uma revela­ção para levantar uma lamentação sobre um rei — o reide Tiro. Porém o texto não se refere a um príncipe hu­mano, mas sim a um príncipe celestial — um querubim(v. 14).O profeta, no resumo que fez da história de Satanás,revela informações muito importantes sobre o caráter dotentador e as raízes históricas do conflito espiritual queenvolveu a história humana.1) Ele foi criado por Deus; é, portanto, criatura e nãocriador: “no dia em que fostes criado”. (V. 13b.)2) Deus o ungiu e lhe deu autoridade, mas com o ob­jetivo de ele ser um servo: “Tli eras querubim ungido paraproteger, e te estabeleci”. (V. 14a — Rev. e Cor.)3) Deus o criou perfeito, sábio e formoso: “Perfeito erasnos teus caminhos” (v. 15a); “cheio de sabedoria e for­mosura”. (V. 12b.)4) Deus o colocou em seu jardim, o Éden: “Estavasno Éden, jardim de Deus”. (V. 13a.)5) É provável que Deus lhe deu a função de guardadordo seu jardim: “Tb eras querubim ungido para proteger”.(V. 14a — Rev. e Cor.)
  18. 18. 0 Pano de Fundo do Movimento Nova Era 216) Pedras preciosas o cobriam e instrumentos musicaisforam preparados para ele, provavelmente para que refle­tisse a glória de Deus e para que prestasse louvor ao Se­nhor: “Toda a pedra preciosa era a tua cobertura...: a obrados teus tambores e dos teus pífaros estava em ti; no diaem que foste criado foram preparados”. (V. 13 — Rev. eCor. Ver também Ezequiel 26.13.)7) Satanás corrompeu-se porque toda sua glória subiu-lhe à cabeça: “Elevou-se o teu coração por causa da tuaformosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teuresplendor”. (V. 17a.)8) A sua corrupção levou-o à loucura de querer tomaro trono de Deus: “Tu dizias no teu coração: Eu subireiao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono...Subirei acima das mais altas nuvens, e serei semelhanteao Altíssimo”. (Is 14.13a, 14.)9) Ele instigou uma rebelião (o termo comércio no seusignificado original é “andar por aí”), o que parece sugerirque ele andou entre os anjos para assegurar a fidelidadedeles ao seu programa de rebelião contra Deus: “Na mul­tiplicação do teu comércio se encheu o teu interior de vio­lência”. (V. 16a.)10) Por causa do seu pecado ele caiu e foi expulso dacongregação de Deus: “Na multiplicação do teu comérciose encheu o teu interior de violência, e pecaste; pelo quete lançarei profanado fora do monte de Deus”. (V. 16. Vertambém Isaías 14.12 e João 3.8.)11) A sua condenação é eterna, sem possibilidade dereconciliação: “E nunca mais serás para sempre”. (V. 19b— Rev. e Cor.)Alguns estudiosos bíblicos julgam que essa primeiraparte da história de Satanás tenha ocorrido num espaçode tempo dentro de Gênesis 1.1, quando a Terra sofreucom a queda de Lúcifer e, por conseqüência, pode ter-setornado o caos descrito em Gênesis 1.2, conforme salientaC. Scofield em seu comentário sobre Isaías 45.18: “Por­que assim diz o Senhor que criou os céus, o único Deus,que formou a terra, que a fez e a estabeleceu; que não
  19. 19. 22 Nova Eraa fez para ser um caos, mas para ser habitada: Eu souo Senhor e não há outro”.“Esta é uma das passagens bíblicas que sugerem a in­terpretação do Divino Julgamento de Gênesis 1.1,2. Estainterpretação defende que a terra foi criada perfeita. Apósum indefinido período de tempo, possivelmente em conexãocom o pecado de Satanás e sua rebeldia contra oTodo-Poderoso, o juízo desencadeou-se sobre a terra e elaficou “sem forma e vazia”. Um outro intervalo indefinidose passou depois que “o Espírito de Deus pairava por so­bre as águas” (Gn 1.2) numa recriação da terra. Algunsargumentos deste ponto de vista são:“1) Apenas a terra, não o universo, ficou “sem formae vazia”.“2) A superfície da terra está marcada pela catástrofe.“3) A palavra traduzida “era” também poderia ser tra­duzida para “tornou-se”, como ficou indicado acima —“tomou-se sem forma e vazia”.“4) A expressão hebraica para “sem fonna e vazia” (tohuwabohu) é usada para descrever uma condição produzidapor julgamento divino em apenas mais dois textos, ondeas duas palavras foram usadas em conjunto (Is 34.11; Jr4.23).“5) Um julgamento divino assim pré-histórico lançariaalguma luz sobre a queda de Satanás e o peculiar rela­cionamento que parece ter com a terra.“6) Esta interpretação dá lugar para um indeterminadoperíodo de tempo entre a criação original e o julgamentodivino. Adão, criado depois dos acontecimentos de Gêne­sis 1.1,2, foi o primeiro homem.”7Assim, apesar de ter sido criado por Deus como umanjo santo, Lúcifer, com o seu poder de escolher entreo bem e o mal, escolheu o mal. O pecado irremediávelde seu coração o degenerou e tornou-o um ser comple­tamente diferente daquele que Deus criou. Porém a suapersonalidade é melhor compreendida ao avaliarmos asqualidades que tinha em vista do propósito para o qualfora criado. Com sua queda ele deixou de ser Lúcifer (“Lu­
  20. 20. 0 Pano de Fundo do Movimento Nova Era 23minoso”, “Brilhante” ou “Portador de luz”, conforme Isa-ías 14.12)* e passou a ser Satanás (“Adversário”). Deixoude utilizar a sua enorme capacidade para o bem e passoua utilizá-la, bem como o seu grande poder e sabedoria,para o mal, em proveito próprio. Uma vez corrompido,ele passa a ser descrito como mentiroso (Jo 8.44); enga­nador (2 Co 11.3); ladrão (Jo 10.10); homicida (Jo 8.44;10.10); armador de ciladas (Ef 6.11); tentador (Mc 1.13);obstinado em sua maldade (Lc 4.13); deturpador da Pa­lavra de Deus (Mt 4.6); acusador (Ap 12.10); e todos osatributos malignos que podem-se acumular num ser (1 Jo3.8).Efeitos do Conflito Espiritual na História HumanaComo “adversário” o objetivo de Satanás é colocar-secontra os propósitos de Deus. Mas, como não pode opor-se diretamente ao Senhor Deus todo-poderoso, seu alvoé o objeto do amor de Deus, o homem (Jo 3.16), tentandofazer dele instrumento de oposição a Deus.Suas razões, no entanto, em atacar o homem, em de­sejar destruí-lo não param aí. Notemos que Deus criouo homem e colocou-o no Éden, dando-lhe a função deprotetor do jardim (Gn 2.15). Imagino que foi grande aira de Satanás, acendida por sua inveja e ciúme, ao ver-sesubstituído, e a sua glória transferida a outro ser criado.A partir daí, vemos Satanás tentando penetrar na vida dohomem com o intuito de destruí-lo.A primeira investida de Satanás contra o homem ob­teve o resultado desejado. Em Gênesis 3 ele se apresentoua Eva com sutileza e com muita astúcia, e fez-lhe uma pro­posta. Como Satanás não podia obrigá-la a pecar, pois ohomem possuía liberdade de opção, lançou mão de umaproposta — uma proposta atrativa o suficiente para o ho­*Em seu livro Tèologia Sistemática (Imprensa Batista Regular, pág.367), Chafer afirma que o vocábulo utilizado para “Lúcifer” significa “lu­minoso” ou "brilhante”. Támbém o Novo Dicionário da Bíblia (EdiçõesVida Nova. Vol. II, pág. 967), diz que em Isaías 14.12 "Lúcifer” aparececomo tradução do vocábulo hêlêl (brilhante), com a observação de quea Septuaginta traduz por heõsphoros (portador de luz).lulil
  21. 21. 24 Nova Eramem virar as costas ao Deus de bondade, misericórdia eamor. Foi uma proposta bem própria do caráter infiel eamotinado de Satanás.“Porque Deus sabe que no dia em que dele co­merdes (do fruto da árvore do conhecimento do beme do mal) se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereisconhecedores do bem e do mal.” (Gn 3.5.)A utopia de querer tomar o lugar de Deus invadiu ocoração do homem tanto quanto transbordou do coraçãode Lúcifer. 0 homem embebeu-se do veneno que jorrouda taça de Satanás e rebelou-se contra Deus. Desobede­cendo a orientação divina, entregou-se ao pecado. En­quanto imaginava que seria Deus, entorpecido pelo venenoda antiga serpente, tomou-se escravo de Satanás, subju­gado pelo pecado. (Rm 6.16.)O pecado fez com que a justiça de Deus exigisse se­paração entre o homem impuro e corrompido e o Deuspuro e santo, doador da vida (Is 59.2). Deus, então, pro­nunciou a sentença da condenação do homem: a morte.(Ez 18.20a.)A criação, que estava sujeita ao homem (SI 115.16), tevede curvar-se perante aquele a quem o homem submetera-se(Rm 8.20,21), tornando-se vítima e, ao mesmo tempo, palcoda trama diabólica. E até difícil compreender a dimensãodo significado dos abrolhos e cardos que a terra passoua produzir por causa da maldição que recaiu sobre ela.(Gn 3.17b, 18.)Porém, diante dessa fatalidade, enquanto Satanás pen­sava que tudo estava perdido para o homem, e toda a pá­tria celeste aguardava em expectativa o fatídico fim hu­mano, o próprio Deus insurge como Guerreiro salvador!Enquanto a sua justiça condenava o homem à morte, oseu divino amor exigia o resgate humano. E era dado nocéu o veredito: o próprio Filho guerrearia cara a cara comSatanás para resgatar o homem (Gn 3.15).Estava armada a trama que permearia toda a históriada existência humana.E a partir daí, vê-se Satanás trabalhando incansavel­
  22. 22. O Pano de Fundo do Movimento Nova Era 25mente contra o homem — ele próprio em pessoa ou atra­vés de seus mensageiros (2 Co 12.7), ao longo de todaa história da humanidade.O Futuro do Conflito Espiritual*Ao revelar os objetivos de Satanás de desferir seu golpefinal nos últimos dias, a Bíblia traça o futuro do conflitoespiritual. Ela traz claramente expresso que esse conflitodesencadeará acontecimentos que o definirá de uma vezpor todas.Satanás não trabalha de maneira desordenada na ten­tativa de alcançar os seus objetivos. Ele desenvolveu umplano que tem seguido através dos séculos. Esse plano,elaborado pelo sábio e perigoso adversário, é-nos reveladopela Bíblia, quando descreve os acontecimentos finais.Entrará em cena, no auge do seu plano maligno, umapersonagem principal — o anticristo, o homem do pecado,que L. S. Chafer descreve como sendo “a obra-prima epersonificação final de Satanás”.8 Os acontecimentos ma­nipulados por Satanás para estabelecer o poder do anti­cristo são os seguintes:1) As nações se unirão em tomo da paz (1 Ti 5.3).Essa situação naturalmente criará espaço político paraum herói que lute pela paz. O homem do pecado (o an­ticristo) surgirá tendo “aparência de piedade” (2 Tm 3.5— Rev. e Cor.) e chegará a promover a guerra em prolda paz, até que a alcancem e digam que há paz e segu­rança (1 K 5.3). Ele prosperará em todo o seu empreen­dimento e deterá todo poder, e toda a terra o seguirá(Ap 13.3).*E verdade que este assunto é bastante controverso entre os estudio­sos da Bíblia. Existem várias posições que sustentam visões diferentesdesta sobre o futuro do conflito espiritual. Creio porém que, como servode Deus, devo apresentar os argumentos que levam-me a crer nesta po­sição e suas respectivas passagens bíblicas, por considerar de grande im­portância tal tema, frente aos acontecimentos contemporâneos que, ilu­minados por uma visão escatológica séria e coerente, revelam-se verdadeirossinais dos tempos. Com isto, não coloco em desprezo qualquer outra po­sição. Entendo que o leitor deve analisar tudo à luz da Bíblia e ficar coma posição mais fiel às Sagradas Escrituras. (N.A.)
  23. 23. 26 Nova Era2) A unificação das nações em tomo de um único go­verno.Surgirá daí a necessidade de um líder mundial que go­verne o mundo unificado, làl govemo será, obviamente,entregue ao anticristo (Ap 13.7).3) Um grande desenvolvimento na ciência nos últimosdias (Dn 12.4).O desenvolvimento de um sistema tecnológico que per­mita a comunicação rápida em todo o mundo, propagarámundialmente a ideologia do anticristo, o que tomará pos­sível, na prática, um govemo mundial, detendo o controlede tudo.4) A mistificação do homem nos últimos dias, comconseqüente apostasia (1 Thi 4.1).Satanás fará com que a humanidade deposite confiançano homem do pecado não apenas no caráter de bom go­vernante, mas sobretudo como líder espiritual, que levetodos ao engano (2 Ti 2.9-11). Ele será um místico (Dn8.23 — Rev. e Cor.) e terá todo poder de Satanás paraoperar “sinais e prodígios da mentira” (2 Ti 2.9), o que,aliado à sua “aparência de piedade”, fará dele uma figurabastante carismática (Ap 13.3-6). A previsão de apostasiaindica também que grande parte da igreja se envolverácom a ideologia do espírito do anticristo, tomando-se umaigreja apóstata e cheia de falsos profetas, enquanto a outraparte da igreja se tornará lutadora, fiel e sofredora (Mt24.10-14).5) Um movimento filosófico-religioso que influencie ohomem a abandonar os princípios morais e éticos da Pa­lavra de Deus (Mt 24.11,12).Quando o anticristo se levantar contra Deus e contraos seus princípios (2 2.4), levará todos a adorá-lo e tam­bém a Satanás, elevando-se a si mesmo como se fosse Deus(Ap 13.4,5). O abandono dos princípios morais e éticosda Palavra de Deus será essencial para que a humanidadeaceite a adoração satânica.6) Restauração do templo e do culto judeu e seus rituais.Esse acontecimento contribuirá para convencer os ju­deus de que o anticristo é o esperado Messias de Israel.
  24. 24. 0 Pano de Fundo- do Movimento Nova Era 27Isso contribuirá bastante para a unificação religiosa entrea humanidade. Porém, tal aliança com os judeus duraráapenas três anos e meio. Ao final desse período, ele que­brará a aliança firmada com os judeus. Então “começaráa abominação da desolação” que durará outros três anose meio (Mt 24.15; Dn 9.27; 12.11), completando o totalde sete anos de atuação do anticristo, quando haverá umagrande perseguição aos judeus que se converterem.A essa altura, o antigo propósito de Satanás de tomaro lugar de Deus como soberano, parecerá ter-se concre­tizado. Mas é aí que virá a grande derrota e condenação;tanto para ele, como para os seus anjos e todos que nãocreram na Palavra de Deus (Mt 24.29-35; 25.31-46; 2 Ts2.8; Ap 19.11-21; 20.1-6).Agora, de posse dessas importantes informações queformam a estrutura espiritual da Nova Era, poderemosanalisá-la à luz da Bíblia. Tànto na ideologia quanto naprática, esse movimento vem cumprindo as profecias bí­blicas, harmonizando-se com os planos e objetivos de Sa­tanás em sua estratégia de batalha para os últimos dias.Os acontecimentos mundiais vêm sendo visivelmente ma­nipulados por propostas do pensamento Nova Era, em plenoacordo com esses objetivos satânicos.Se nos pesa o coração antever toda essa tragédia hu­mana, alegra-nos o zelo do Senhor por nós, ao nos revelarantecipadamente todas essas coisas, para que não sejamosenganados.“Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operandograndes sinais e prodígios para enganar, se possível, ospróprios eleitos. Vede que vo-lo tenho predito.” (Mt24.24,25.)E necessário, pois, que estejamos bem fundamentadosna Palavra de Deus, para não sermos abalados pelo forteengano corrente em nossos dias.
  25. 25. AIDEOLOGIADO MOVIMENTO NOVA ERAO movimento Nova Era não tem data de fundação enem fundador. O mesmo acontece com a formulação dasua ideologia — reúne em seu corpo doutrinário preceitosde várias religiões. O leque doutrinário e os princípios domovimento podem ser considerados o extrato das menti­ras diabólicas propagadas entre as milhares de crenças es­palhadas pelo mundo através dos séculos. O número des­sas crenças é tão grande, tantas são suas contradições, queparece impossível qualquer tipo de acordo entre elas. Po­rém, levando-se em consideração que o autor de todaselas é Satanás, aliado à natureza corrompida e pecami­nosa do homem, logo todas têm origem comum. Assim,o próprio Satanás sabe como resumi-las, como direcioná-las num mesmo sentido, uma mesma direção. Para tanto,ele procurou formular um corpo de doutrinas de acordocom as filosofias mais antigas que formam os principaistroncos religiosos.Enganam-se, porém, aqueles que acham que a doutrinada Nova Era é idêntica em todos os seus segmentos. Osvários pensadores dos segmentos que compõem o movi-
  26. 26. 30 Nova Eramento têm pontos discordes entre si. São variações resul­tantes da miscelânea de que se origina a sua ideologia.Contudo, conseguem deixar suas diferenças de lado, embusca de objetvos afins, devido à linha básica comum depensamento que os une.Esse tipo de acordo permite que a ideologia da NovaEra penetre em todas as camadas sociais, nos diversos se­tores da sociedade. É essa linha ideológica básica que temdirecionado homens importantes, de papéis significativosno mundo, dando à atual história humana os rumos queSatanás deseja.Daí a importância de nos atermos à linha ideológicabásica do movimento, visto ser impossível tentar retratarcada segmento, dada a sua multiplicidade.Portanto, traçando essa linha básica teremos o pensa­mento central de todos os segmentos, o que nos permitiráidentificar qualquer um deles com que nos depararmosno dia-a-dia.1. DOUTRINAS DA NOVA ERADeusEste é o ponto principal do pensamento Nova Era. Todoo seu corpo doutrinário gira em tomo do eixo da sua dou­trina sobre Deus.O seu conceito de divindade é resgatado dos antigosconceitos orientais, que refutam a idéia de um Deus pes­soal, detentor de atributos pessoais. Deus não está sentadoem seu trono como Rei soberano regendo todas as coisas;é apenas uma energia universal de onde derivam todasas coisas.Como explicou Helena R Blavatsky (já falecida), influentepensadora da Nova Era, em entrevista a um inquiridor:— Vocês acreditam em Deus?— Depende do que você quer dizer com o termo.— Refiro-me ao Deus dos cristãos, o Pai de Jesuse o Criador; o Deus bíblico de Moisés.
  27. 27. A Ideologia do Movimento Nova Era 31— Nesse Deus nós não acreditamos. Refutamos aidéia de um Deus pessoal, extracósmico e antropo­mórfico, que é apenas a gigantesca sombra de homeme não do homem em seu melhor aspecto. Dizemos —e provamos — que o Deus da teologia é uma porçãode contradições e uma impossibilidade lógica. Destarte,nenhuma relação temos com ele.— Então vocês são ateus?— Que saibamos, não; a menos que o epíteto deateu deva ser aplicado àqueles que não acreditam numDeus antropomórfico. Acreditamos num Princípio Di­vino Universal, a raiz de tudo, de onde tudo procedee para onde tudo será absorvido no final do grandeciclo do Ser.1Essa rejeição ao Deus pessoal e verdadeiro se deve aofato de a ideologia da Nova Era ser essencialmente pan-teísta, isto é, crer que Deus é tudo e que tudo é Deus.Para eles Deus é apenas uma energia que, por vezes, de­nominam de Absoluto.Como energia absoluta, então a divindade compreendetodas as forças existentes, inclusive todos os opostos, comobem e mal, masculino e feminino, etc. Dentro dessa visão,o Absoluto emana a sua luz divina, que é a criação, atra­vés da união de seus pólos opostos. Por isso, crêem quecada partícula de matéria é divina, é Deus, pois emite luz,e possui em si todas as informações do Universo, sendopartes do Todo-Absoluto.Em suma, acreditam que tudo o que existe no universoé Deus. Exemplificando, dentro dessa visão, Deus é comouma nuvem que passou por um fenômeno pluvial, choveu,transformando-se em várias gotas d’água. Cada gota dessachuva é água, embora seja apenas uma parte de toda aágua que compunha a nuvem. Assim como a nuvem eracomposta de partículas de H20 suspensas na atmosfera,cada gota d’água continua sendo composta de H20.Dessa mesma maneira, acreditam eles que cada coisaque existe é constituída de essência divina, e Deus é oTodo-Absoluto do qual todas as coisas são parte. Por isso
  28. 28. 32 Nova EraShirley McLaine afirma: “Reconheça todas as partes queformam o todo, pois você é o criador”.2Essa doutrina remonta às escrituras védicas na índiae o Tào-Te Ching na China, que datam de centenas deanos a. C. Segundo a filosofia expressa nessas escrituras,cada uma das partes do todo deve evoluir e buscar níveismais elevados de sua consciência divina. Roberto Crema,da Universidade Holística Internacional em Brasília, DF,assim se expressou a esse respeito: “Deus dorme nos mi­nerais, sente nos vegetais, sonha nos animais, e despertanos humanos”.3Assim, apenas através de várias encarnações cada partepode evoluir e alcançar níveis mais elevados de consciên­cia. Essa evolução pode chegar ao ponto de não neces­sitar mais reencarnar, atingindo um estado evolutivo ondese torna um espírito cósmico.De acordo com esse pensamento ninguém inventa nada;apenas descobre as informações divinas que estão dentrode si, e assim vai adquirindo níveis mais elevados de cons­ciência divina, o eu maior do qual todos fazem parte. Tàisdescobertas, que levam o ser a níveis superiores da cons­ciência cósmica, podem ser adquiridas num processo devárias encarnações. Pierre Weil faz uma citação de MaryseChoisy, que expressa esse princípio.“Na teoria da ida e volta, o espírito decide encarnar-se e passa dos níveis mais sutis aos planos grosseiros.Em conseqüência, a matéria não se aquieta enquantonão volta à sua fonte divina primitiva. E a involução-evolução, simbolizadas pelos dois triângulos quecompõem a estrela de Davi. Não era isso que ensinavaPlatão, ao afirmai" que conhecer é iembrar-se? Ou entãoquando Lamartine escrevia: “O homem é um deus de­caído que se lembra dos céus”? Coitado, o homem temmemória tão curta... Volta e meia é preciso lembrar-lhe o que já sabe!”4Como podemos ver, a reencarnação é ponto funda­mental no pensamento Nova Era. Essa doutrina diabólicaafasta definitivamente da cruz de Cristo aqueles que nela
  29. 29. A Ideologia do Movimento Nova Era 33crêem, pois passam a crer que podem se salvar por inter­médio do autoconhecimento, através de várias encarnações.A Bíblia nega com veemência, do princípio ao fim, adoutrina da reencarnação, através do plano da salvaçãona cruz de Cristo.“E, assim como aos homens está ordenado mor­rerem uma só vez e, depois disto, o juízo, assim tam­bém Cristo, tendo-se oferecido uma vez para semprepara tirar os pecados de muitos aparecerá segundavez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação.”(Hb 9.27,28.)O homem passa por apenas uma encarnação, e no de­correr dela não pode salvar a si mesmo; precisa do sacri­fício perfeito de Jesus Cristo na cruz do Calvário. A cruzde Cristo é a maior prova de que a reencarnação não existe.Enquanto não existem provas palpáveis de que ocorre areencarnação, a cruz de Cristo tem lugar no tempo e noespaço — é fato — aconteceu em determinado tempo elugar. E prova real, histórica e inegável. Seu plano reden­tor salvífico é indiscutível. Foi vaticinado pelos profetasdesde a queda do homem, documentado nos registros doAntigo Testamento e confirmado pelos apóstolos nos do­cumentos neotestamentários.No entanto, o homem acha mais fácil crer na fábuladiabólica da reencarnação, ensinada por demônios atra­vés da boca de médiuns possessos, sensitivos e moderna­mente chamados chameis (seres humanos que são “ca­nais de espíritos”). Crer na cruz de Cristo significaabandonar a antiga utopia de ser igual a Deus. Significaabandonar o “trono” e curvar-se diante de Jesus Cristonuma atitude como a de Tomé, confessando-o como Se­nhor e Deus (Jo 20.28). Por isso o coração do homem,ainda intoxicado pelo veneno da antiga serpente, preferedar as costas ao Deus verdadeiro e soberano, negando-lhea existência e preferindo crer numa divindade caótica comoa humanidade e toda a criação, onde o deus-homem sedebate no desespero de encontrar razão para a existência,e a deusa Gaia (terra) se autodestrói em catástrofes cada
  30. 30. 34 Nova Eravez mais freqüentes. Nunca antes teve-se notícia de tantosterremotos, furacões, maremotos, etc. O apóstolo Paulodiz que tais homens serão indesculpáveis diante de Deus.“A ira de Deus se revela do céu contra toda im­piedade e perversão dos homens que detém a verdadepela injustiça; porquanto o que de Deus se pode co­nhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes ma­nifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assimo seu eterno poder como também a sua própria divin­dade, claramente se reconhecem, desde o princípio domundo, sendo percebidos por meio das cousas queforam criadas. Tkis homens são por isso indesculpá­veis; porquanto, tendo conhecimento de Deus não oglorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antesse tomaram nulos em seus próprios raciocínios,obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tomaram-se loucos, e mudaram a glóriado Deus incorruptível em semelhança da imagem dehomem corruptível, bem como de aves, quadrúpedese répteis. Por isso Deus entregou tais homens à imun­dícia, pelas concupiscências de seus próprios corações,para desonrarem os seus corpos entre si; pois eles mu­daram a verdade de Deus em mentira, adorando e ser­vindo a criatura em lugar do Criador, o qual é benditoeternamente. Amém.” (Rm 1.18-25.)O HomemO homem é o centro de toda a doutrina da Nova Era.Como acreditam que tudo o que existe é Deus, o homemse toma a expressão máxima de evolução divina na ter­ceira dimensão, que é a dimensão física. Dentro desse con­ceito o homem nada menos é do que deus. Embora al­guns segmentos temam afirmar isso claramente, deixamesse conceito subentendido, enquanto outros o defendemabertamente.Um bom exemplo disso é a tentativa, sem êxito, doP e Lauro TVevisan, em justificar a doutrina homem-deus,de forma a não assustar os seus leitores.
  31. 31. A Ideologia do Movimento Nova Era 35“A consciência da sua própria consciência, produ­zindo a consciência do seu próprio poder e de suadimensão superior, levando o homem a percorrer doalpha ao ômega — na linguagem de Teilhard Chardin— isto caracteriza a nova humanidade de aquárius.“Pode-se dizer agora que não há nada no mundoa não ser o homem; não há nada no homem a nãoser a mente; não há nada maior na mente a não serDeus.“A compreensão da unidade Deus-homem ou homem-Deus, não no sentido de que o homem seja Deus, masna significação de que no homem está Deus."5Para clarear essa explicação de Trevisan, onde ele querdizer que não quis dizer o que disse, vamos ver um textomais coerente e claro, onde Helena P. Blavatsky, numa en­trevista, afirma a idéia do homem-deus.— Vocês acreditam que o homem é um deus?— Por favor, diga Deus e não um deus. A nossover, o homem é o único Deus que podemos conhecer.E como poderia ser de outra forma? Nosso postuladoaceita como verdadeiro que Deus é um princípio uni­versalmente difuso, infinito e, sendo assim, como po­deria o homem sozinho escapar de ser embebido pore na Deidade? Chamamos “Pai do céu” a essa essênciadeífica que reconhecemos dentro de nós, em nossocoração e em nossa consciência espiritual.6Dessa maneira, acreditam que todas as forças existen­tes no Universo estão dentro do homem e que, atravésdo poder da mente, o homem pode realizar qualquer mi­lagre divino.Assim como o homem possui o poder de realizar gran­des milagres, também possui o poder de provocar grandescatástrofes. Acreditam que, como ser divino, no homemhabita todo o bem e todo o mal do Universo. Por isso Eli-zabeth Kubler-Ross afirmou que “há um Hitler dentro decada um de nós, e se admitirmos isso poderemos nos tor­nar uma madre Tereza de Calcutá”.7
  32. 32. 36 Nova EraMas as forças opostas no homem não se restringem, paraeles, ao bem e ao mal. Todo ser humano é igualmente mas­culino e feminino; amor e ódio; cristo e demônio; positivoe negativo; e todos os demais opostos existentes.Dizem que a evolução do homem está rumando paraum equilíbrio entre todas essas forças opostas, pois é esseequilíbrio entre os pólos opostos que fará com que a luzdivina possa se manifestar com plenitude no homem-deus.A Nova Era será uma era de plenitude divina para ahumanidade, onde a luz do cristo que há dentro de cadaum se manifestará com intensidade. Tanto o cristo quantoo demônio são níveis de consciência que o homem podeatingir. Logo, o demônio não existe como entidade pes­soal, mas como um estado de consciência. Da mesma forma,cristo não é uma qualidade exclusiva de Jesus, mas tam­bém um estado de consciência elevado que qualquer serpode alcançar através da evolução.Dentro desse aspecto, afirmam que a divisão do nossocérebro em dois hemisférios (direito e esquerdo) faz grandediferença para a nossa condição evolutiva, porque acre­ditam que o lado esquerdo do cérebro é o que analisa,abstrai, conta, marca o tempo, planeja, verbaliza. Tudocom base na lógica. O lado esquerdo é o lado masculinodo ser. Já o lado direito, que compreende metáforas, usaa intuição, cria idéias e sonha, é o lado feminino.Para o homem tomar-se um ser evoluído tem de bus­car o equilíbrio entre esses dois lados cerebrais. O ser hu­mano precisa equilibrar raciocínio lógico e intuição; mas­culino e feminino. Por essa razão apóiam plenamente aspráticas hetero e homossexuais. Defendem que, desde quehaja um “relacionamento saudável”, os “seres mais evolu­ídos” devem possuir plena liberdade de relações amorosasentre os sexos.Esperam que esse tipo de comportamento afete com­pletamente a sociedade da Nova Era, determinando umnovo paradigma social, um novo estilo de vida para a hu­manidade. Esse novo paradigma deverá determinar o fimdo núcleo familiar e produzir uma condição de igualdadeabsoluta entre os homens.
  33. 33. A Ideologia do Movimento Nova Era 37Através da criação de comunidades e a eliminação donúcleo familiar, a humanidade passará a possuir uma ati­tude mais cooperativista e solidária entre todos, pois a ins­tituição familiar individualiza o ser e cria o egoísmo, a in­veja, o ciúme, e a possessividade. A instituição familiar fazcom que o homem trabalhe para reunir bens para a suadescendência e não para a posteridade comunitária, criandoassim os conflitos, competições, ciúmes e egoísmos quecorroem o bom relacionamento social. A solução está, pois,em eliminar o núcleo familiar e instituir a vida comunitária.Atualmente já existem algumas comunidades espalha­das pelo mundo que estão vivenciando essas idéias, comorelata Pierre Weil em seu livro Sementes Para Uma NovaEra.“Em certas comunidades existe uma liberdade to­tal de relações amorosas entre os sexos. Existe, porexemplo, na Alemanha, um movimento comunitáriochamado “Action Analysis Comune” que exigiu em fi­losofia de vida a eliminação total do núcleo familiar.Consideram a relação de duas pessoas no núcleo fa­miliar, à luz da experiência coletiva, como uma ver­dadeira doença. Muito influenciada pelas idéias deReich, a comunidade considera o núcleo familiar comooriundo de uma necessidade materialista de assegurara posse da propriedade privada. A comunidade existepara satisfazer as necessidades materiais e existenciaisdos seus membros. Há nela um respeito muito grandepela vida. Por exemplo, o aborto é inconcebível nela.A comunidade dá amparo à mãe durante a gestaçãoe assume a responsabilidade da criação dos filhos.Rajneesh preconiza também um sistema desta naturezae afirma que é muito mais saudável para uma criançater vários modelos de adultos com que identificar eescolher o seu próprio comportamento, do que ape­nas dois, sobretudo quando estes modelos são inde­sejáveis do ponto de vista humano. Cari Rogers tam­bém questiona bastante o atual modelo familiar. Asexperiências atuais de “casamento aberto” constituem
  34. 34. 38 Nova Eratamoém uma reação aos aspectos penosos de certomodo de vida familiar”8Isso tudo vem em cumprimento da profecia do após­tolo Paulo, onde ele afirmou que nos últimos dias sobre­viriam tempos difíceis porque o homem seria amante desi mesmo (2 Tm 3.1-5). E qual maior manifestação quehomens amantes de si mesmos poderiam ter nos últimosdias senão consideraram-se Deus?O apóstolo prossegue no texto listando o paradigmamaligno que caracterizaria essa sociedade final citando aavareza, a presunção, a soberba, a blasfêmia, a desobe­diência aos pais, a ingratidão, a profanação, a falta de afetonatural; onde o apóstolo poderia estar muito bem referindo-se à fuga das relações conjugais, que é o afeto natural parao qual o homem foi criado (Mt 19.8), e a prática homos­sexual, que significa mudar o uso natural da criação hu­mana de relação entre homem e mulher para unir-se ho­mem com homem e mulher com mulher, lais pessoas,segundo o apóstolo, receberiam a recompensa por seu pe­cado em seus próprios corpos (Rm 1.26,27). Paulo prevêsofrimento físico resultante de tais práticas homossexuais.O apóstolo segue a sua listagem com a irreconciliação,a calúnia, a incontinência, que significa falta de moderaçãona sensualidade, a crueldade, a falta de amor para comos bons, a traição, a obstinação, o orgulho; homens maisamigos dos prazeres que amigos de Deus.Paulo encerra dizendo que tais homens ainda teriamaparência de piedade! No grego, a palavra piedade é “eu-sebeia”, usada como fruto do desenvolvimento espiritual,corno “verdadeira religião”.E incrível como toda essa doutrina demoníaca da NovaEra, que leva o homem aos mais baixos níveis morais, aindaconsegue ser anunciada e aceita como desenvolvimentoespiritual.Resta aos que são nascidos de novo, que possuem umcompromisso sincero com o evangelho de Jesus Cristo,o conselho de Paulo ao findar a sua listagem: “Foge tam­bém destes.” (V. 5.)
  35. 35. A Ideologia do Movimento Nova Era 39Nada temos com esse novo paradigma social. Nossocomportamento deve ser irrepreensível e sincero, de “filhosde Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertidae corrupta”, na qual resplandecemos como “luzeiros nomundo”. (Fp 2.15.)Os ExtraterrestresA ufologia também é uma questão importante no quediz respeito ao movimento Nova Era.Atualmente os estudiosos que se dedicam à questãoufológica têm movido suas pesquisas baseados na filosofiada energia divina evolutiva. Acreditando que as partes dodivino passam por um processo evolutivo, concluem queos extraterrestres são partes da energia divina que estãoem outros estágios de evolução.Alguns conceitos bastante complexos que envolvem aciência quântica têm sido desenvolvidos para tentar expli­car a questão dos extraterrestres. Esses conceitos estãoprofundamente associados aos princípios ideológicos daNova Era e, nesse ponto, ciência e misticismo se confun­dem, pois as teorias científicas acabam indo ao encontrodas crenças místicas, fazendo com que se percam as noçõesde limites entre elas.Há uma indefinição muito grande quanto à naturezados seres cósmicos, se são extraterrestres, ultraterrestres,ou os dois.Os extraterrestres são seres que vivem em outros pla­netas, localizados em outras galáxias. Entre esses seresdeve haver os que estão menos evoluídos que nós e osque se encontram em estágios mais avançados. Essa evo­lução dá-se em termos tecnológicos, onde podem existircivilizações muito menos evoluídas que a nossa, ao mesmotempo que outras estão bem mais adiante, desenvolvendoinclusive naves espaciais que lhes permitem realizar via­gens intergaláticas, que ainda são um desafio para a nossatecnologia. No entanto, algumas civilizações altamente de­senvolvidas tecnologicamente podem não o ser espiritual­mente, acabando por serem civilizações nocivas para a so­ciedade cósmica.
  36. 36. 40 Nova EraJá os ultraterrestres seriam seres de alto desenvolvi­mento espiritual, muito evoluídos, que já viveram váriasencarnações neste e/ou em outros planetas e estão, agora,no nível onde já não precisam mais encarnar. Esses seressão considerados mestres cósmicos, que só se encarnamse houver uma missão a ser realizada no mundo físico.Esses seres se moveriam em outras dimensões, sem ne­cessitarem qualquer aparato material.A ciência tem chamado o mundo desses seres ultrater­restres de mundo paralelo, ou seja, um mundo sobrepostoao nosso em outra dimensão. Dessa maneira esses serespoderiam se mover independentes de tempo e espaço. Se­gundo acreditam, seres extraterrestres mais evoluídos quenós já descobriram isso e desenvolvem a sua tecnologiaespacial em cima da “realidade" dos universos paralelos.Isso permitirá que seres extraterrestres que vivem em pla­netas localizados a milhares de anos-luz da Terra e quelevam um tempo incalculável para chegarem aqui, possamvir em questão de segundos através do hiperespaço — umtipo de túnel em outra dimensão, onde inexiste tempo eespaço.Um artigo da revista Ano Zero exemplifica isso, citandoo filme de ficção científica Guerra nas Estrelas:“Quando os heróis de Guerra nas Estrelas se vêemencurralados pelos cruéis seguidores de Dart Vader,se lançam no hiperespaço e desaparecem num túnelde luz”.9Aproveitando o exemplo do filme Guerra nas Estrelas,vemos nesse filme que, ao mesmo tempo em que o heróiLuke Skywalker e seus companheiros eram seres de váriasorigens planetárias, pertencentes a uma mesma dimensão,havia mestres cósmicos que viviam em outra dimensão eque eram os guias que o ajudavam no seu desenvolvimentoespiritual. O filme mostra que os mestres cósmicos queajudavam o herói, eram seres evoluídos que já tinham vi­vido em encarnações na mesma dimensão que ele.Toda essa ginástica de idéias fabulosas, que tenta ex­plicar cientificamente a questão ufológica, que até hoje
  37. 37. A Ideologia do Movimento Nova Era 41não possui qualquer base científica concreta, tem suas im­plicações no mundo espiritual.Em primeiro lugar, é importante notar que todas essasabstrações da moderna ciência são desenvolvidas a partirdo único fato de objetos voadores não identificados (OV-NIs) terem sido observados e até mesmo fotografados pormuitas testemunhas. Daí, qualquer elucubração humanaou proposta explicativa diabólica pode encaixar-se ao fato— como diz o ditado popular: “De noite todo gato é pardo.”A ciência perde-se completamente diante da realidadeque envolve o fato da aparição desses fenômenos ufoló-gicos. Mostra-se completamente incapaz de compreenderatravés das leis da física o que fazem as “naves espaciais”.As aparições mostram tais “naves espaciais” fazeremmanobras em ângulo reto; não fazem curva para mudara trajetória. As manobras em ângulo reto só têm uma ex­plicação aceitável: a ausência de massa.A dedução a que somos obrigados a chegar pelas leisda física, diante desse fato, é muito bem descrita pelo Pr.José Benedito de Lira Neto, num estudo que desenvolveusobre ufologia:“Qualquer veículo, ao mudar de direção, sofre oefeito da força centrífuga, que tende a mantê-lo na di­reção anterior. Essa força centrífuga é diretamente pro­porcional à massa e ao quadrado da velocidade do apa­relho. Ora, para que o veículo execute uma viagemperpendicular, é necessário que a força centrífuga sejanula e que a sua massa seja zero, pois a velocidadedele, como se sabe, não o é. Uma coisa poderosa einteligente, cuja massa é zero, só pode pertencer aomundo espiritual.”10As leis da física não são as únicas que dão respaldopara deduzirmos que o fenômeno ufológico é de origemespiritual. Entre os muitos testemunhos que podem escla­recer esse fato, é bastante claro o do ocorrido durante aGuerra dos Seis Dias, em 1967. Nessa guerra, Israel foiatacado pelas nações árabes e encontrava-se em enormedesvantagem militar. Mesmo assim, Israel abateu 400 aviões
  38. 38. 42 Nova Eraegípcios e 600 tanques em pouquíssimo tempo. Soldadosegípcios se renderam diante de Israel por terem visto an­jos com espadas desembainhadas ao lado de Israel. Ca­nhões completamente novos, que a URSS havia fornecidoaos árabes, foram apreendidos sem ter sido dado qualquerdisparo. Nesse período, a NASA registrou a presença demilhares de OVNIs sobre a região do conflito.11Um último fato que precisamos levar em consideraçãoantes de uma conclusão final é o de que o testemunhodas pessoas que fazem qualquer contato direto com navesespaciais e seres cósmicos é analisado, em grande partedas vezes, em estado hipnótico, porque os pesquisadoresdescobriram que os seres extraterrestres praticam a hip­nose com as pessoas que com eles têm contato. A revistaPlaneta descreve um desses casos.“Um dos casos mais famosos é o de Bety e BameyHill, casal norte-americano que, somente sob hipnose,narrava um encontro imediato de terceiro grau, quandoteriam sido levados a bordo de uma espaçonave e sub­metidos a detalhado exame médico por humanóidesextraterrestres...“Sabemos que a hipnose é uma técnica altamentevantajosa no sentido de desencadear e melhorar a ESP*,dando alto resultado em testes controlados — por exem­plo, em telepatia, visão à distância (clarividência) e pre-cognição.“Ao mesmo tempo, são inacreditavelmente fre­qüentes na causuística ufológica as experiências emque os referidos fenômenos parapsicológicos estão pre­sentes, sendo mesmo a telepatia o meio usual de co­municação com os UFO-operadores, segundo os con­tatados.“Certos indivíduos que viveram uma experiência ufo­lógica marcante passaram a ter o que nós chamamos“efeito residual”: após o incidente, entram em es-*ESP — São as iniciais de Extrasensory Perception (Percepção Extra-Sensorial), que se refere à capacidade de perceber sensações sobrenatu­rais que o cérebro comum não consegue captar ou transmitir.
  39. 39. A Ideologia do Movimento Nova Era 43tado de transe sonambúlico, de maneira espontâneaou induzida, dando informações de teor variado, da­dos técnicos, “planetas” de origem, nomes dos coman­dantes de naves e mensagens místicas!’12Um testemunho também muito esclarecedor a esse res­peito é o da experiência de Eve Camey e suas duas filhas,de uma visita que fizeram a uma nave espacial.“Há muitos anos, em minha casa situada nos pro­fundos bosques da Pensylvânia, minhas filhas e eu es­távamosjuntas em meditação, quando três Irmãos Es­paciais apareceram no jardim em frente à casa.Preferiram permanecer lá fora quando os convidei paraentrar, devido a sua diferença de altura em relação àsportas e tetos normais. Convidaram-nos a conhecersua nave, o que aceitamos com satisfação. Fixaram ahora da visita para 8:00 horas do dia seguinte, dando-nos instruções para relaxarmos em posição horizon­tal, no piso, para que pudesse vir a escolta.“Agradecidas, regressamos à casa. Minhas filhas pu­deram ver a nave sobre nós,já que ambas têm o domperceptivo visual.“Ao entardecer do dia seguinte relaxamos, comocombinado, e fizemos três experiências com meditaçõesdiferentes. Abandonei meu corpo e apoiei minhas mãossobre os braços de minhas escoltas, experimentandouma emoção tremenda enquanto ascendíamos, a umavelocidade incrível, à nave que nos esperava acima.Imediatamente encontrei-me parada no aposento decontrole principal, frente a Athena, enquanto as lágri­mas rolavam-me pela face. Chorando abraçamo-nos.Athena (comandante mulher) começou a mostrar-mevários mapas. Senti que uma de minhas filhas seguiapor um longo passadiço. Embora eu não tenha visto,sabia que se encontrava em alguma outra parte da nave.Caminhamos e passamos por uma parede transparente,através da qual pude ver minha outra filha reclinadasobre uma mesa de exame médico, com alguém juntodela. Essas recordações são fragmentadas.
  40. 40. 44 Nova Era“Depois de alguns minutos, não mais de quinze,estávamos de volta a nossa consciência e começamosa comparar nossas experiências.”13Luiz Gonzaga Scortecci, um dos mais respeitados ufo-logistas do Brasil, vai mais adiante; chega a afirmar queos contatos com extraterrestres são simplesmente manifes­tações mediúnicas.“O contato se faz de forma mediúnica e é mais fácildo que se pode imaginar. Muitas das manifestações deespiritismo ou da umbanda, por exemplo, poaem ser con­tatos de terceiro grau com Ets, pois esta é a maneirade eles se comunicarem no estágio atual da humanidade.Antes, esses contatos eram feitos materialmente e mui­tos deles estão registrados. Buda, Krishna, Gandi e Je­sus Cristo, por exemplo, são seres cósmicos humanos,em um estágio de alto desenvolvimento, e digo huma­nos, porque a humanidade é uma só, tanto na terra comoem qualquer outro planeta, sistema solar ou galáxia, as­sumindo formas físicas diferentes.”14Se tais experiências são realizadas em estado de transehipnótico e através de mediunidade, como podemos dis­tinguir o que é realmente físico e o que é espiritual numaexperiência de contato ufológico? Ora, uma pessoa em es­tado de transe hipnótico pode ter qualquer coisa impressaem sua mente, inclusive uma mentira diabólica. E se ospróprios pesquisadores não conseguem determinar a na­tureza da experiência, não há como afastar a enorme pos­sibilidade de que essa seja apenas mais uma ardilosa ma­nipulação demoníaca sobre a frágil mente do homemdegenerado pelo pecado.Diante dos fatos, somos obrigados a concluir que osfenômenos ufológicos são atuações de seres espirituais,mais provavelmente mensageiros de Satanás, pois, comoa Bíblia mesma adverte, são capazes de se transformaremem anjos de luz (2 Co 11.14).Esse fato tem suas implicações no mundo espiritual.Como na filosofia da Nova Era existe o conceito de que
  41. 41. A Ideologia do Movimento Nova Era 45há uma classe de seres muito evoluída, acreditam que es­ses seres sejam mestres cósmicos que devam ser consul­tados, pois podem ajudar o homem na sua evolução.Esse tipo de crença é bastante antiga, embora hoje ve­nha revestida de uma roupagem espacial. O Bhagavad-Gita orienta os seus seguidores a cultuarem e se subme­terem aos seres superiores, mais evoluídos:“Descerá sobre vós a bênção dos seres superiores,se os cultivardes; e a prosperidade que demandais vosserá dada como prêmio do culto que lhes prestardes.“Aquele, porém, que goza os dons dos seres supe­riores e prospera com seus favores, mas retém tudopara si, sem nada restituir aos céus donde veio — esseé ingrato e ladrão.”15A cabala judaica também ensina a necessidade de con­tato com seres mais evoluídos para se obter informaçõesnecessárias à evolução humana, como demonstra PerleEpsteins.“Os indivíduos mais desenvolvidos espiritualmente,dominados pelo nível intelectual da alma, sonharãoque estão no reino celestial, onde se comunicam comseres desencarnados, a que chamam de “anjos”. Afunção formadora de imagens, própria da natureza ani­mal, transforma essas “jornadas” em sonhos, e assimo indivíduo pode obter mensagens significativas da re­gião celestial. Ele deve ser cuidadoso, pois a informação,freqüentemente, está misturada a desejos subjetivos edistorções resultantes de sua própria vida emocional.Os sábios judeus, portanto, sempre preveniram que éimpossível a uma pessoa comum ter um sonho real­mente profético sem uma considerável mistura de in­formações inúteis.“Os cabalistas que proferiram os nomes de Deuse alteravam seus padrões de respiração, estavam fazendouso do terceiro degrau da escada da alma — a res­piração que os ligava ao mundo espiritual. Ligando-sementalmente a um “ser espiritual” específico, o caba-
  42. 42. 46 Nova Eralista poderia ou elevar-se mais ainda (como Abulafiaensinou), ou obter importantes informações sobre ofuturo. Essa segunda prática era perigosa, pois, comfreqüência, resultava em fazer contato com os shedim— seres demoníacos — que alteravam e confundiama mente dos meditados. Ao longo desse caminho,coloca-se o perigo da insanidade Por isso, a respiração,ou terceiro nível da alma, era considerada uma espadade dois gumes.”16Há muitas outras fontes que comprovam que o diabosempre procurou enganar o homem, levando-o a crer nanecessidade da prática antibíblica de consultas aos espí­ritos. Especialistas que estudam fenômenos paranormais,têm observado a prática de consultas a mestres cósmicos,pelos adeptos do movimento Nova Era, e a têm denomi­nado de channeling (que no inglês quer dizer “canalização”).A realização da channeling consiste numa prática demeditação onde a pessoa entra em transe hipnótico. Du­rante esse exercício a mente do indivíduo que o praticasai do nível de ondas beta do cérebro, que é o estado devigília, e entra no nível de ondas alpha, um nível inferior,onde a pessoa fica em estado de transe hipnótico. No es­tado alpha, geralmente a pessoa visualiza um lugar muitobonito, onde pode. tatear, sentir cheiro e ouvir sons pro­venientes do local. Nessas circunstâncias, a pessoa podevisualizar um ser que vem sempre revestido de muita luz,que pode ser denominado mestre cósmico, anjo, ou sim­plesmente ET. Esse ser, então, transmite mensagens à pes­soa que está fazendo o contato e, muitas vezes, a leva apassear em lugares distantes, até mesmo celestes, ou ainda,a momentos do seu passado, nesta vida ou em “outras en­carnações”.O fato de esses ET^ serem espíritos revestidos de luznão nos admira. Pelo contrário, essa “luz” e as mensagensantibíblicas que transmitem, apenas revelam sua verdadeiraidentidade, como nos advertiu o apóstolo Paulo: “Mas. aindaque nós, ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evan­gelho que vá além do que vos temos pregado, seja aná-
  43. 43. A Ideologia do Movimento Nova Era 47tema” (G1 1.8); pois “não é de admirar, porque o próprioSatanás se transforma em anjo de luz” (2 Co 11.14).Postulam os adeptos do movimento que na Nova Eraa humanidade estabelecerá um relacionamento aberto comos seres cósmicos. Ao alcançar um maior desenvolvimentoespiritual a humanidade viverá um verdadeiro regime “cos-mocrático”, como preconiza TYevisan.“A Nova Era ruma para a cosmocracia, que é umpasso além da democracia. O cosmo será a forma devida ideal, onde o indivíduo se sentirá um no todo.”17Parte dos segmentos do movimento afirma que algu­mas pessoas se negarão a sofrer a evolução necessária paraa instauração da Nova Ordem e que esses tais terão deser retirados daqui, como afirma Célia Labome Tavares.“Os que não assumirem o trabalho para o autoco-nhecimento e aperfeiçoamento, deverão esperar poroutro ciclo de reconstrução em algum lugar do cos­mos. A manifestação crística do nosso tempo é muitoacentuada e clara, e não há tempo a perder”18Tkis pessoas “menos evoluídas” serão seqüestradas porum enorme disco voador, e, levadas para outro lugar, pas­sarão pela evolução necessária, afirmam alguns pensado­res da Nova Era.Aleluia! Até o diabo é obrigado a reconhecer a reali­dade do arrebatamento da Igreja de Jesus Cristo! E o diaboé obrigado a trabalhar de acordo com o fato de que oarrebatamento ocorrerá. Caso contrário, após o arrebata­mento muitas pessoas passariam a crer nas palavras pre­gadas pelos cristãos, pois Satanás seria desmentido.Embora alguns segmentos afirmem que serão levadosos seres menos evoluídos, outros afirmam que serão seresescolhidos para passarem por um trabalho de evoluçãomaior, mas que já possuem certa evolução no plano daNova Era.De qualquer forma, parece ponto pacífico a crença deum arrebatamento ufológico de um grupo de pessoas. Er-gom trata sobre isso no seu livro Projeto Evacuação Mun­
  44. 44. 48 Nova Eradial, onde afirma que o capitão da nave que efetuará oresgate chama-se Sananda, e que esse ta] Sananda foi co­nhecido na terra como o mestre Jesus.19Num ponto ele está certo: é o próprio Jesus quem vembuscar a sua Igreja. Mas este Jesus não é um capitão in-tergalático em alto estágio evolutivo. Este Jesus é o Ge­neral dos exércitos, o Senhor dos senhores, em quem po­demos seguramente esperar.“Pois a nossa pátria está nos céus, de onde tam­bém aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo,o qual transformará o nosso corpo de humilhação, paraser igual ao corpo da sua glória, segundo a eficáciado poder que ele tem de até subordinar a si todas ascousas.” (Fp 3.20,21.)LúciferA idéia de evolução espiritual cria, automaticamente,a idéia de uma cadeia evolutiva em diferentes graus dedesenvolvimento e conseqüente hierarquia dentro deles— o que subentende que há alguém no topo dessa hie­rarquia, ou um ser mais evoluído do que os demais, oupelo menos uma elite entre eles.Neste ponto há uma questão pouco comentada nas li­teraturas e palestras do Nova Era. Tàl questão, porém, éde grande importância, pois revela o caráter maligno domovimento — é o Fator Lúcifer.É ponto básico no pensamento Nova Era a existênciade um ser superior a todos os outros em nível de evolução.Alguns segmentos chamam abertamente esse ser de Lú­cifer, outros utilizam outros nomes. Suas característicassão as mesmas em todos os segmentos. Daí denominaressa questão de Fator Lúcifer, já que existem tantos no­mes para descrever um mesmo ser.Durante o II Congresso Holístico Internacional, ocor­rido em julho de 1991, em Belo Horizonte (MG), CarlosByngton afirmou que Lúcifer não é um ser maligno, pelocontrário, seu próprio nome já declara que ele é um “ema-nador de luz”. Segundo Carlos Byngton, o cristianismo
  45. 45. A Ideologia do Movimento Nova Era 49cometeu um grande erro em atribuir caráter maligno aLúcifer.A presença do Fator Lúcifer no movimento Nova Erafica ainda mais patente ao estudarmos as entidades quepromovem a filosofia New Age, pois entre elas encontra­mos a Lucis Thist (que quer dizer Confiança em Lúcifer).Essa entidade foi fundada em 1922, com o nome LúciferPublishing Company (Companhia de Publicações Lúcifer),que foi mudado no ano seguinte para a então Lucis TYust.Em 1987 essa organização já contava com seis mil mem­bros ativos.20J. Benitez, em seu livro A Rebelião de Lúcifer, sugereque Lúcifer foi inocente e que, na realidade, ele é um mes­tre cósmico bom, que deseja ajudar a humanidade.O Fator Lúcifer também está presente nas obras deTVigueirinho, líder de um movimento místico ufológico queanuncia o despertar de uma nova era.José TVigueirinho Netto é formado em psicologia e de­senvolve o seu trabalho dentro da linha teosófica, adotandoos ensinamentos de Alice Bailey. Ele foi discipulado porPaul Bournton que, por sua vez, cursou a Lucis Trust. TVi­gueirinho fala sobre a hierarquia cósmica e cita a existên­cia de um ser mais evoluído que todos os outros.“Neste capítulo estamos utilizando novamente al­gumas indicações de Djwhal Khul, atualizando o queele deixou escrito sobre Amuna Kur na época em queeste ainda era chamado Sanat Kumara. Amuna Kurtambém foi conhecido anteriormente como o Senhordo Mundo, o Jovem Eterno, o Ancião dos Dias, Mel-quisedeque e Deus, tendo passado pelas etapas quea Lei Divina apresenta a todo ser evoluído. (...)“Amuna Kur tem hoje a consciência muito ampliada,e controla a evolução das raças de superfície de todos osplanetas habitados que estão submetidos à Lei de Purifi­cação, até que estes consigam, em estado divino,transcendê-la. Assim, quando tivermos atingido esse ponto,Amuna Kur se transferirá para outro planeta cuja raça desuperfície esteja ainda sob a Lei de Purificação.”21
  46. 46. 50 Nova EraEmbora TYigueirinho afirme que esse ser mudou denome hoje e se chama Amuna Kut; desperta-me muito aatenção o fato de o seu antigo nome cósmico ser SanatKumara. Ora, se invertermos apenas duas letras do nomeSanat, encontraremos o nome Satan: o ser a quem TVi-gueirinho atribui o mérito de a humanidade vir a alcançaruma nova era.Para outro segmento, de ordem ufológica, o nome desseser é Ashtar, onde encontramos as mesmas descrições quedeterminam o Fator Lúcifer. O absurdo é colocar esse seracima de Jesus na hierarquia cósmica, como descreve Er-gom.“Ashtar e aqueles que o servem são tão reais comovocê e eu. Na Aliança da Confederação Intergalática,o Comandante Ashtar é a mais alta autoridade parao nosso hemisfério. Ele é o Comandante da Nave es­trelar do nosso Amado Senhor e Grande ComandanteJesus-Sananda para a maior parte de seu tempo. Eletem autoridade para aclarar qualquer canal e para in­terromper ou tomar controle de qualquer comunicação,de qualquer fonte, em qualquer momento, sobre nossoplaneta.”22Esses exemplos deixam claro que Satanás é o mentore chefe maior do atual movimento Nova Era. Não é deadmirar que ele já esteja-se revelando através desse FatorLúcifer, pois a Bíblia diz que durante o governo do an-ticristo todos serão levados a adorar Satanás (Ap 13.4).Para que a humanidade chegue a ponto de adorar Satanásserá necessário que haja uma predisposição mental porparte das pessoas; é o que vem fazendo o Fator Lúciferdentro da ideologia da Nova Era.As ErasA razão por que tem-se ouvido tanto sobre uma novaera fundamenta-se na crença de que os ciclos divinos deevolução são desenvolvidos através de diferentes eras as­trológicas, cada uma com sua característica distinta.
  47. 47. A Ideologia do Movimento Nova Era 51Acreditam que a humanidade evoluiu dentro das se­guintes eras:• Era de Touro: de 4304 a 2154 a. C.• Era de Carneiro: de 2154 a 4 a. C.• Era de Peixes: de 4 a. C. a 2146 d. C.• Era de Aquário: 2146 a 4296 d. C.Cada era compreende um período de 2.150 anos. Nemtodos os segmentos concordam com essas datas, mas sãounânimes na seqüência das eras: Touro — Carneiro — Pei­xes — Aquário.A Era de Touro é atribuída à antiga cultura egípcia,que tinha a vaca como deusa da fertilidade e a pecuáriacomo principal cultura. Os astrólogos dizem que essa foia era em que a cultura egípcia se desenvolveu e foi o cen­tro da civilização.Com o final da Era de Touro, o domínio egípcio ces­sou e deu lugar à de Carneiro, o signo que passou a do­minar. Os astrólogos dizem que foi Israel que dominouessa era, devido ao sacrifício do cordeiro, o ritual maismarcante da religião de Israel, além da ovinocultura (criaçãode ovelhas), sua principal cultura. Dizem que a fase detransição entre as duas eras foi a saída de Israel do Egito,e que os hebreus ainda tentaram preservar o poder deTouro, quando fizeram o bezerro de ouro no deserto, masMoisés (avatar da Era de Carneiro) os repreendeu e inau­gurou a Era de Carneiro. Afirmam que Jesus foi chamadode “Cordeiro de Deus” (Jo 1.36) porque era filho do povodominante da Era de Carneiro.23Jesus Cristo (avatar da Era de Peixes) teria, então, inau­gurado essa era, dando evidência disso ao chamar os após­tolos para serem pescadores de homens, fazendo alusãoà humanidade pisciana.Por causa de Jesus Cristo, o povo dominante da Era dePeixes seriam os cristãos. Para provar que o cristianismo éo que domina a Era de Peixes, apegam-se ao fato de queo mais antigo símbolo cristão é o peixe. Os cristãos primi­tivos adotaram o peixe porque a palavra, no grego, formavaas iniciais da frase Jesus Cristo, Filho de Deus, Salvador (Peixe— Ichthys — Iésous Christos Theou Hyos Sõter).
  48. 48. 52 Nova EraJaap Huibers diz que, pelo fato de o peixe viver submersona escuridão das profundezas do mar, a Era de Peixes estámarcada pelas trevas, onde o homem busca mais o materialdo que o espiritual. Um claro exemplo disso são as própriascatedrais cristãs, sempre sombrias e luxuosas.24Terminando a Era de Peixes surge a de Aquário. A-quário é um signo regido pelo planeta Urano, que foi des­coberto em 1781, coincidindo com a Revolução Francesa.Por isso, dizem alguns que a palavra de ordem de Uranoé “liberdade, igualdade e fraternidade” (essa é também apalavra de ordem na Maçonaria), que foi a palavra de or­dem na Revolução Francesa. Palavra de ordem necessáriapara que o planeta Terra possa se transformar numa al­deia global, vivendo uma Nova Ordem Mundial, num re­gime cosmocrático.Urano, por sua vez, é um deus da mitologia grega, quese casou com Gea (ou Gaia). Eles tiveram um filho cha­mado Kronos, que foi expulso por Urano. Kronos vingou-se do pai cortando-lhe os testículos e, assim, Urano dei­xou de ser completamente homem, mas também não pas­sou a ser completamente mulher. A interpretação que osaquarianos dão para a história de Urano é a de que Uranoé o céu e Gea (Gaia) é a terra. A tragédia de Urano terperdido os testículos apenas veio estabelecer um equilí­brio cósmico nas forças celestiais, marcando, desse modo,a característica da Era de Aquário: um céu, parceiro damãe terra, estabelecendo um equilíbrio cósmico de todasas energias.Por fim, alegam que é a isso que se referiu João noApocalipse, quando falou de novo céu e nova terra (Ap21.1). Ele teria se referido à nova era que Urano, o Anciãodos Dias, derramaria sobre a humanidade, quando disseque via a nova Jerusalém (Nova Era, segundo eles) des­cendo do céu (Urano).Nossa esperança não se fundamenta no deus inexistenteUrano (disfarce de Satanás), nem como deus nem como as­tro regente de uma nova era. A mensagem do cristianismonão se secará como as supostas águas de Peixes, pois sãopalavras eternas, do Salvador eterno, Deus verdadeiro e Se­
  49. 49. A Ideologia do Movimento Nova Era 53nhor de todos os tempos, de todas as eras, que merece todaa glória e honra. Como declarou Judas, irmão de Tiago, ho­mem de profunda visão do mundo espiritual:“Ao único Deus, nosso Salvador, mediante JesusCristo, Senhor nosso, glória, majestade, império e so­berania, antes de todas as eras, e agora, e por todosos séculos. Amém.” (Jd 25.)Jesus CristoNo pensamento Nova Era cristo não é qualidade re­dentora exclusiva de Jesus. Acreditam que cristo é um ní­vel evolutivo que qualquer um pode alcançar e que estápotencialmente dentro de cada ser existente.Por isso, pregam que na Nova Era o homem atingiráum estágio de alta evolução crística, e que é esse fatorque faz da Era de Aquário uma era de profunda harmoniada humanidade cósmica.Para eles Jesus foi apenas um dos muitos mestres cós­micos que tiveram papel importante de auxílio no processoevolutivo da humanidade. Jesus seria, nessa visão, um serde alto desenvolvimento crístico e por isso acabou sendoconhecido como Jesus Cristo.O papel de Jesus foi de muita importância para a hu­manidade, pois, por se tratar de um ser de alta evolução,foi escolhido para implantar a Era de Peixes, para ser oseu avatar, como afirma TVevisan.“Jesus inaugurou a Era de Peixes, mas anunciandoa Era de Aquário. Graças à semente lançada há doismil anos, hoje a humanidade chegou ao seu grandemomento. Foi o Mestre quem implantou as bases daNova Era.”25Por essa razão, dificilmente chamam Jesus de Senhor,pois o senhorio de Jesus finda com a Era de Peixes. Nãoé de admirar, já visto que a Bíblia diz que ninguém podechamar Jesus de Senhor se não for pelo Espírito Santo(1 Co 12.3).Em um artigo da revista Destino, de abril de 1991, en-
  50. 50. 54 Nova Eracontramos o ponto de vista dos aquarianos sobre o Se­nhor Jesus Cristo face aos “novos tempos” trazidos pelaEra de Aquário.“A passagem de Peixes para Aquário, do ponto devista da astrologia, é extremamente difícil, pois as ca­racterísticas dos dois signos são bem diferentes. Peixesé representado pelo espírito de sacrifício, da caridade.Aquário aponta em outra direção. É o signo da ami­zade, do companheirismo, da esperança e da criaçãode um mundo novo.“Com a mudança de Peixes para Aquário, dizemos astrólogos, sai de cena também Jesus Cristo, o grandeavatar da era que termina, dando lugar ao patrono má­ximo de Aquário, o mestre Saint Germain.”26Lembremo-nos do que disse o apóstolo João:“Quem é o mentiroso senão aquele que nega queJesus é Cristo? Este é o anticristo, o qut nega o Paie o Filho.” (1 Jo 2.22.)É exatamente o que faz a Nova Era: nega o Pai e oFilho. Segundo o apóstolo João, essa doutrina não é ape­nas diabólica, mas a própria doutrina do anticristo, poisnega a existência do Pai como um Deus pessoal e único,e também nega a glória e a majestade do Filho.Mas, de acordo com as Sagradas Escrituras, Jesus éo Rei único e soberano."... Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nomeque está acima de todo nome, para que ao nome deJesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e de­baixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristoé Senhor, para glória de Deus Pai.” (Fp 2.9-11.)Pois, “Jesus Cristo ontem e hoje é o mesmo, e o serápara sempre” (Hb 13.8).O AvatarOs adeptos da Nova Era esperam por um tipo de mes­sias — avatar — que coloque ordem no mundo e estabe-
  51. 51. A Ideologia do Movimento Nova Era 55leça a paz. Acreditam que cada era possui o seu avatare que para a Era de Aquário também se levantará umaespécie de messias.Os segmentos da Nova Era usam nomes diferentes paradesignar o avatar; os mais correntes são Saint Germaine Lord Maitreya. No entanto, crêem unanimente na vindadesse avatar, e esperam que essa personagem unifique todoo mundo debaixo de um único governo e estabeleça a pazpara a humanidade.Worls Goodwill, um destacado adepto da Nova Era,diz o seguinte sobre o avatar.“Este é um tipo de preparação não apenas parauma nova civilização e cultura numa Nova Ordem Mun­dial, mas também para a vinda de uma nova dispen-sação espiritual. A humanidade não está seguindo umcurso não planejado. Há um plano divino no cosmosdo qual somos parte. No fim de uma era os recursoshumanos e instituições estabelecidas parecem inade­quados para suprirem as necessidades e resolveremos problemas do mundo. Em tal tempo, a vinda deum Mestre, um líder ou avatar espiritual, é antecipadae invocada pelas massas da humanidade em todas aspartes do mundo. Hoje o reaparecimento do Instrutordo mundo — o Ungido — é esperado por milhões,não só por aqueles da fé cristã, mas por aqueles detodas as fés que esperam o avatar, debaixo dos nomes:Senhor Maitreya, Krishna, Messias, Iman Mahdi e oBodhisattva... A preparação por homens e mulheresde boa vontade é necessária para introduzir novos va­lores; novos padrões de comportamento, novas atitu­des de não separação e cooperação, guiando as retasrelações humanas a uma paz mundial. O Instrutor mun­dial vindouro estará principalmente preocupado, nãocom o resultado ou erros passados e insuficiências,mas com as necessidades de uma Nova Ordem Mun­dial e com a organização da estrutura social.”27Esse líder mundial surge de forma a satisfazer as re­ligiões, pois ele é apresentado como o “esperado” de to-
  52. 52. 56 Nova Eradas elas. Naturalmente o homem sabe que precisa de umsalvador, e é ponto comum nas diversas religiões seus se­guidores acreditarem na vinda de um salvador. A Nova Eraexplica que, na realidade, todos esses esperados salvado­res são um mesmo ser, com nomes diferentes — o Mai-treya de alguns místicos é o mesmo Saint Germain de ou­tros, que por sua vez é o Messias dos judeus, o quintoBuda dos budistas, o Iman Mahdi dos muçulmanos, o Kri-shna dos hindus, e também o Cristo dos cristãos. Todos,“mestres-salvadores” para as suas respectivas religiões, es­perados por seus seguidores.Com relação ao Cristo dos cristãos eles fazem uma im­portante distinção entre Jesus e o Cristo que voltará. Ben-jamin Creme, que afirma ser o porta-voz do Maitreya, ex­plica essa distinção dizendo que Jesus é um discípulo deMaitreya. Assim, Jesus teve o seu momento de Cristo masjá não o é mais.Foi realizada em Londres, nos dias 21 e 22 de abrilde 1982, uma grande conferência com importantes líderesde diversas religiões, políticos do mundo todo e jornalis­tas. Sobre essa conferência relata um artigo da revistaAreopagus:“Alguns destes participantes disseram ter visto Mai­treya aparecer e desaparecer e terem-no ouvido falardos seus ensinamentos e trabalhos. Creme afirma sereste o evento mencionado por um jornal americano,o National Examiner, quando ele citou o bispo do Va­ticano dizendo: “Há uma evidência irresistível de queCristo já está voltando para tomar lugarf28Devido a matérias que saíram em vários jornais domundo, na época do evento, sob títulos do tipo “O CristoChegou”, algumas pessoas interpretaram o evento comosendo o nascimento do Maitreya. No entanto, o que Cremechamou de “Dia da Declaração” do Maitreya, em 1982,não se referia ao seu nascimento.Embora Benjamin Creme tenha se intitulado porta-vozdo Maitreya, no meio aquariano ele não é de todo acre­ditado. Os aquarianos mais informados têm certa reserva
  53. 53. A Ideologia do M ovimento Nova Era 57contra Creme por ter ele, certa vez, predito uma data parao Armagedom e tal evento não ter ocorrido. Mesmo as­sim, como acreditam piamente na vinda do avatar, dão certocrédito ao que Creme anuncia sobre o senhor Maitreya,mas sempre com reservas, conseqüência de seu fracassoanterior.A ascensão do anticristo é o objetivo máximo de Sa­tanás. Tbdas as suas articulações diabólicas giram, há muitotempo, em tomo desse propósito. Ele tem trabalhado in­cansavelmente para criar as condições para esse evento,e, através de toda essa filosofia, preparar a mente humanapara que aceite o homem do pecado (anticristo), conformejá revelou Helena P. Blavatsky, há um século atrás.“Se a tentativa atual, em forma de nossa sociedade,for melhor sucedida que as anteriores, ela será entãoum corpo organizado, vivo e saudável quando chegara hora crucial do século vinte. A condição geral damente e do coração do homem terá sido melhoradae purificada pela expansão de seus ensinamentos e,como já disse, seus preconceitos e ilusões dogmáticasterão sido, até certo ponto, removidos. Não apenas isso,mas além dele uma literatura profícua e acessível teráchegado às mãos do homem, e o próximo impulso en­contrará um corpo numeroso e unido de pessoas pron­tas a darem as boas-vindas ao novo portador da Ver­dade. Ele encontrará a mente do homem preparadapara sua mensagem, uma linguagem pronta para ele,capaz de transmitir as novas verdades que traz, umaorganização que espera a sua chegada, que removeráos obstáculos meramente mecânicos e materiais e asdificuldades de seu caminho. Pense em quanto alguém,a quem esta oportunidade fosse dada, poderia fazer.Compare isso com o que a Sociedade Ttosófica real­mente conseguiu nos últimos quatorze anos, sem ne­nhuma dessas vantagens e rodeada por hostes de im­pedimentos que não impediriam o novo líder. Consideretudo isto e diga-me então se sou muito otimista quandodigo que, se a Sociedade Tfeosófica sobreviver e for ver-
  54. 54. 58 Nova Eradadeira a sua missão aos seus impulsos originais, du­rante as próximas centenas de anos — diga-me,pergunto-lhe, se vou longe demais quando afirmo quea terra será um paraíso no século vinte e um em com­paração com o que é agora.”29Não fosse a Palavra de Deus, creio que não suporta­ríamos diante de tão forte pressão espiritual destes dias.E verdade que muitos sucumbirão. O próprio Jesus disseque nos últimos dias o amor de muitos se esfriará (Mt 24.12),e Paulo acrescenta que muitos abandonarão a fé para se­guir doutrinas de demônios (1 TVn 4.1).Bem-aventurados aqueles que nestes dias podem de­clarar juntamente com o apóstolo Paulo:“Porque, ainda que há também alguns que se cha­mem deuses, quer no céu, ou sobre a terra, como hámuitos deuses e muitos senhores, todavia, para nóshá um só Deus, o Pai, de quem são todas as cousase para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo,pelo qual são todas as coisas, e nós também por ele.”(1 Co 8.5,6.)A NaturezaPanteístas que são, os seguidores da Nova Era acre­ditam que a Terra também é parte do todo divino — umser vivo que tem espírito.Tentando criar uma ponte entre essa visão mística ea ciência, o professor James Lovelock formulou a hipótesede Gaia, onde tenta encontrar elementos científicos quecomprovem que certas características do planeta Terra sãosemelhantes àquelas que os gregos atribuíam à deusa Gaia,a Mãe-Terra. Tenta, assim, comprovar que a Terra é umaentidade viva, consciente, que sente e respira.Por essa razão, todos os segmentos da Nova Erapreocupam-se igualmente com a questão ecológica. Acre­ditam que o espírito da Terra possui força capaz de for­talecer e delegar poder aos que o buscam. Crêem que ohomem é constituído por um corpo energético, e que anatureza possui forças que podem fortalecê-lo, conforme

×