Agendas estrategicas

898 visualizações

Publicada em

Por que as agendas estratégicas do desenvolvimento são importantes para os negócios

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
898
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
318
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Agendas estrategicas

  1. 1. Reprints B0709B e B0709CB E S T P R A C T I C E SAgendas estratégicas: uma novaferramenta para o desenvolvimentosocial e econômicoPor André Ribeiro Coutinho, Diretor, Symnetics; e Mathias Mangels, Vice Presidente, GlobalNetwork, Palladium Group, Inc.C O M M E N TA R YPor que as agendas estratégicasdo desenvolvimento são impor-tantes para os negóciosPor Robert S. Kaplan
  2. 2. Assinaturas Balanced Scorecard Report Para assinaturas, reprints ou números atrasados do Balanced Scorecard Report visite o site: www.bscreport.com.br Fomas de pagamento: Boleto Bancário, Cartão Visa ou Débito em Conta Itaú O Balanced Scorecard Report é publicado bimes- tralmente em português, com exclusividade, para toda a América Latina por Symnetics Consultoria Empresarial Ltda.Reprints Customizados Para Reprints em grandes quantidades ou com dia- gramação personalizada para sua empresa entre em contato pelo e-mail info@bscreport.com.brPermissões Copyright 2007 Harvard Business School Publishing Corp. Todos os direitos reservados. Não se permitem transcrições. Este material não pode ser reproduzido no todo ou em parte, sobre qualquer forma sem autorização prévia da editora.www.bscreport.com.br
  3. 3. P R A C T I C E S Agendas estratégicas: uma Porque elas articulam uma visão compartilhada da sociedade, obje- nova ferramenta para o desen- tivos, metas e iniciativas de longo prazo dentro de uma abordagem que volvimento social e econômico pode ser criada dentro do próprio governo ou fora dele, por intermédio Por André Ribeiro Coutinho, Diretor, Symnetics; e Mathias Mangels, Vice de uma coalizão da própria Presidente, Global Network, Palladium Group, Inc. sociedade civil organizada. Quando desenvolvida dentro do governo,B E S T Historicamente, a população espera que seus governos pro- uma agenda estratégica envolve movam o bem estar da sociedade e resolvam (ou pelo menos sessões de debates intensos com li- reduzam) os problemas sociais e econômicos de seus países, deranças que se dedicam a formular estados ou municípios. As soluções de governo seguem uma uma estratégia de desenvolvimento de maneira mais abrangente possível, trajetória previsível: os eleitos formulam planos, políticos e tendo a sinergia, o foco e o alinha- burocratas autorizam orçamentos e uma legião de servidores mento como alvos importantes. públicos sai implementando os programas de governo. O pro- Quando deflagrada fora do governo, gresso das ações é às vezes, mas nem sempre, monitorado a agenda estratégica articula diversos pela administração pública e raramente submetido à apreci- formadores de opinião – empresários, ação da sociedade e, mesmo quando o governo presta con- políticos, trabalhadores, educadores, tas, o fato já foi consumado. Quando o mandato de uma ativistas sociais, entre outros – que administração pública termina, as ações na maioria das vezes coletivamente formulam uma visão e objetivos estratégicos comuns, cons- param, até que um novo governo eleito assuma o comando e truindo um sistema de indicadores e o ciclo recomeça novamente. metas para gerenciar e medir desem- A gestão pública tem sido duramente simultaneamente com temas estratégi- penho e estabelecendo iniciativas de questionada nos últimos anos sobre cos estruturantes como política indus- longo prazo. Em seguida, fazem os aspectos como transparência e trial, desenvolvimento regional, ino- políticos eleitos assumirem a prestação de contas, responsabilidade vação, dentre tantos outros. responsabilidade e o compromisso por resultados (accountability) e por boa parte destas ações. Este padrão de comportamento já é descontinuidade política que, soma- A primeira agenda estratégica uti- conhecido nas várias esferas de go- dos, criam uma fórmula para a inefi- lizando o BSC foi criada em 2004 verno em todo o mundo, mas ele ciência, no melhor dos casos (o des- pela Confederação da Indústria (CNI) não precisa mais persistir. Os em- perdício de recursos do contribuinte) no Brasil. Para esclarecer uma visão e presários, as organizações do terceiro ou, no pior dos casos, corrupção. objetivos para o desenvolvimento setor, as universidades e outros repre- Mesmo quando existe evolução dos sustentável do Brasil e pressionar o sentantes da sociedade civil estão programas e projetos econômicos e governo federal brasileiro por me- inconformados em esperar, intermi- sociais, a mudança pode ser lenta ou lhores resultados, os empresários da navelmente, que os políticos eleitos desfeita com a próxima eleição. indústria brasileiras construíram o planejem e executem as ações de Não é de se admirar que o nível de governo. Novos mecanismos de go- chamado Mapa Estratégico da confiança na gestão pública esteja vernança pública estão emergindo, Indústria Brasileira 2007-2015. Desde caindo, já que os cidadãos (mais não apenas a partir da sociedade então este mecanismo tem sido ado- informados e conectados do que civil, mas também de dentro do tado por diversos governos estaduais nunca) passaram a questionar seria- próprio governo, já que mais e mais e departamentos administrativos no mente a habilidade de políticos e gestores públicas adotam os modelos Brasil, incluindo o estado do Rio gestores públicos implementarem de gestão voltados para resultados do Grande do Sul, bem como por enti- soluções sociais e econômicas em setor privado. dades extragovernamentais como, um mundo cada dia mais complexo. por exemplo, o Todos pela Um desses mecanismos é a Agenda Educação, uma ampla iniciativa de Este é essencialmente o caso das Estratégica. Partindo de uma variação educação pública incluindo acadêmi- nações emergentes da América da clássica abordagem do Balanced cos, empresários e o próprio gover- Latina, África e Ásia, cujas agendas Scorecard (BSC), a agenda estratégica no. As agendas estratégicas também governamentais devem confrontar é orginada com mapas estratégicos. estão sendo adotadas em Botswana, dificuldades freqüentes típicas de Durante anos as organizações públicas Indonésia, Jordão, Tailândia e economias em desenvolvimento: no mundo desenvolvido têm utilizado Filipinas, dentre outros. infra-estrutura precária, falta de regu- o BSC para alavancar a habilidade do lamentação, baixos níveis de edu- Por que construir agendas governo de fazer as coisas aconte- cação e saúde. A única esperança é estratégicas? cerem. As agendas estratégicas são, superar rapidamente os caminhos por princípio, uma grande promessa Existem pelo menos quatro tradicionais do desenvolvimento para o desenvolvimento econômico e motivos para a adoção de agendas (“por etapas”) e lidar holística e social de nações emergentes. Por que? estratégicas: 3
  4. 4. Figura 1. Exemplo da agenda estratégica do estado brasileiro do mentais e manter a pressão Rio Grande do Sul (visão macro) sobre as autoridades políticas para melhoria dos resultados. A agenda estratégica pode servir como uma ferramenta legítima para monitorar o desempenho do gover- no. O governo pode usá-la para monitorar a si mesmo ou o público pode usá-la para pressionar os líderes do governo a atingir um alto desempenho. Os indicadores típicos de uma agenda estratégica incluem o Índice de Desenvolvimento Humano das Nações Unidas (indicador de qualidade de vida), o indicador Gini (desigualdade social) e o crescimen- to do PIB (Produto Interno Bruto). Utilizando o Balanced Scorecard, a sociedade pode não apenas moni- torar esses resultados como também acompanhar que se as iniciativas estão surtindo efeito. O BSC cons- truído pela sociedade, na verdade, torna-se um “observatório público” para o desempenho e que não só encoraja mas “obriga” as organiza- ções públicas a alinharem suas agen- das políticas com as agendas estratégicas da sociedade. 3. Criar um meio democrático de desenvolver uma plataforma política que pode ser incorpora- Este gráfico mostra os objetivos para o tema “Saúde”; o mapa na verdade contém da por programas de governo de 14 objetivos na perspectiva “Bases para o Crescimento” e outros 13 nos outros temas políticos eleitos. da perspectiva “Bases para o desenvolvimento”. O processo de desenvolvimento das1. Desenvolver visão, objetivos, longo prazo seja realmente executa- agendas estratégicas é o da busca demetas e iniciativas de longo al- do em sua integridade. uma base comum (consenso). Ascance para as gerações atuais e agendas podem ser criadas por uma Quando criada por uma coalizão dafuturas, e manter o governo coalizão de diversos formadores de sociedade civil, as agendas estratégi-focado nessas prioridades opinião que representam, coletiva- cas podem fornecer uma plataformaestratégicas. mente, os interesses da sociedade. para líderes políticos e governamen-As agendas estratégicas podem trazer tais, uma espécie de referendo da Para ser socialmente legítima, umauma perspectiva de longo prazo em sociedade. As agendas estratégicas agenda deve seguramente represen-programas sociais e econômicos, ao representam uma visão consensual tar os interesses de todos os for-mesmo tempo em que reduzem a de desafios e objetivos, juntamente madores de opinião. As agendasprobabilidade de descontinuidade com as ações recomendadas, para estratégicas criam uma plataformadas ações de uma administração adoção pelo governo. Em muitos legítima para políticos em campanha.pública para a outra. casos, as ações propostas das agen- Durante as eleições presidenciais de das podem ser implementados fora 2006 no Brasil, por exemplo, os can-Por exemplo, considerando que didatos abraçaram a agenda da CNI. do governo. Por exemplo, na agendapara se vislumbrar o retorno em No caso dos estados brasileiros em da Confederação Nacional daprogramas de educação e infraestru- 2006, muitos dos assessores econô- Indústria (CNI), um total de 40% dostura podem ser necessários 10 anos micos dos candidatos a governo uti- programas identificados pode ser (eou mais, a agenda estratégica, lizaram a agenda como base para os já estão sendo) assumidos por orga-por resistir a sucessivas adminis- programas econômicos de seus can- nizações privadas e ONGs.trações, pode ajudar a manter os didatos. Por exemplo, em abril decompromissos previamente 2. Servir como uma abordagem 2007, Fernando Haddad, ministro daassumidos com a sociedade e para monitorar o desempenho do educação no Brasil, lançou seu Planogarantir que um plano de ação de governo e organizações governa- Nacional de Desenvolvimento para 4
  5. 5. a Educação, um plano de longo por meio da lei, da política pública elabora agenda nacional – com o BSC”, BSR julho- agosto 2006 (Reprint B0607B)prazo (2022), cujos objetivos, metas ou de programas estruturantes.e projetos foram baseados na agen- Cada vez mais estamos teste- PA R A M A I S I N F O R M A Ç Õ E Sda desenvolvida pela sociedade noTodos pela Educação. munhando o surgimento de fóruns de liderança, comitês estratégicos e Muitas agendas estratégicas4. Fornecer um mecanismo conselhos, cuja missão é acelerar a são disponibilizadas on-line.para alinhar diferentes for- mudança econômica e social. As A agenda estratégica do Rio Grandemadores de opinião, construin- agendas estratégicas ajudam os gru- do Sul está no endereço www.agen-do uma coalização política e da2020.org.br, e o Mapa Estratégico pos políticos a se organizar porcoordenando as atividades de da Indústria Brasileira (CNI) está no meio de uma base comum de obje-defesa de interesses. endereço www.cni.org.br/mapadain- tivos, metas e iniciativas, ao mesmo dustria. Para Todos pelaDedicar-se aos interesses díspares tempo em que lhes permite moni- Educação, acesse www.todospelaedu-dos eleitores é o maior desafio que torar e medir seu desempenho e cacao.org.br.enfrentam os políticos – e freqüente- eficiência enquanto grupo de inter-mente a maior fonte de paralisia esse. As agendas ajudam a pautar o Para mais, informações entre em con- governo sobre as prioridades tato com André Coutinho no endereçopolítica. Pode levar muitos anos para estratégicas. I acoutinho@symnetics.com.br ouse chegar a um consenso em assun- Mathias Mangels no endereçotos complexos como reforma tribu- 1. De acordo com o World Economic Fórum mathias.mangels@palladiumes.com.tária, reforma da previdência, para Annual Report 2005/06.depois formular e executar soluções Reprint B0709B 2. L. K. Johnson, “Associação Brasileira de Indústria Exemplos de agendas estratégicas tornar público seu comprometimento com programas dignos de nota nacionais em jornais de grande circulação, e os ministros são entrevistados regularmente em um programa de rádio de A seguir apresentamos dois esforços de agenda estratégica grande audiência. Na primavera de 2007, o ministro da edu- atualmente em andamento. (Estudos de Caso oferecendo cação desenvolveu uma série de panfletos para comunicar a mais detalhes sobre implementações específicas serão apre- visão nacional a todas as crianças em idade escolar. sentados nos futuros números de BSR.). Rio Grande do Sul:“O melhor estado para se viver e tra- A República de Botswana:“Prosperidade para todos” balhar em 2020” Desde sua independência da Grã Bretanha em 1966, Historicamente um dos estados mais ricos do Brasil, o Rio Botswana tem desfrutado de quatro décadas ininterruptas Grande do Sul quase foi à falência há alguns anos. O investi- de liderança civil, políticas de progresso social e significativo mento público atingiu seu nível mais baixo em 35 anos; a investimentos, o que faz dela uma das mais dinâmicas econo- seca recorrente tem prejudicado a agricultura e uma moeda mias da África. A mineração domina a economia, embora o nacional mais forte tem causado danos às receitas com turismo tenha se tornado cada vez mais importante, devido à exportação. O alto índice de endividamento público e déficit vida selvagem do país e às práticas de conservação. Apesar da previdência são componentes da crise fiscal estadual. de ter uma das taxas mundiais mais altas de infecção de As reformas governamentais colocadas em prática têm siste- HIV/AIDS, Botswana possui um dos programas mais progres- maticamente fracassado. sivos e abrangentes para lidar com a doença. Em 2006, inspirados pelos esforços da CNI, empresários reuni- Desde que o BSC foi introduzido em 2004-05, Botswana criou ram-se com lideranças da sociedade civil (trabalhadores, edu- uma Agenda Estratégica Nacional (mapa estratégico) para cadores, políticos, funcionários públicos) para propor uma alcançar sua Visão 2016. Incluindo o Plano de agenda abrangente para recuperação social e econômica do Desenvolvimento Nacional (NDP9) do país, o mapa tem estado. Cerca de 950 representantes da sociedade gaúcha se como objetivos “Estimular uma melhor qualidade de vida” , juntaram para formular uma visão para o estado – “o melhor “Manter a estabilidade nacional” e “Tornar Botswana uma estado para viver e trabalhar em 2020” - bem como seus nação de oportunidades competitiva e vibrante” com resulta- objetivos, metas e ações. Para definir os objetivos estratégicos dos na direção de garantir o objetivo máximo “Prosperidade que representam os eleitores, o grupo entrevistou mais de para todos” Por meio de uma implementação rigorosa e em . 5.000 pessoas em 200 municípios (Ver Figura 1, pg 8.) Também fases, os responsáveis definiram objetivos, identificaram indi- estabeleceu um modelo de governança, um plano para cadores e priorizaram programas nacionais associados a comunicação e disseminação da agenda ao público em geral estes resultados. Desenvolveram mapas estratégicos e score- e um processo de gerenciamento de estratégia. cards em nível de 26 ministérios e identificaram suas vincu- lações verticais à estratégia nacional. Os líderes também esta- Em outubro de 2006 a agenda estratégica foi apresentada a beleceram um processo de governança da estratégia, sendo dois candidatos ao governo estadual, que se compromete- que um Escritório Nacional de Gerenciamento de Estratégia ram diante de 1.000 pessoas e da imprensa a implementar já está em implementação. Para manter os prazos e o com- suas metas e iniciativas, caso eleitos. O novo governo de Yeda promisso do governo com transparência e responsabilidade, Crusius já se comprometeu a alinhar o orçamento e o plano cada ministro tem que publicar seu mapa estratégico e de longo prazo do governo do estado à agenda estratégica. 5
  6. 6. C O M M E N TA R Y Por que as agendas estratégicas desfrutam de um crescimento rápi- do da renda e riqueza, enquanto do desenvolvimento são impor- que a grande maioria de seus cole- gas cidadãos permanece afundada tantes para os negócios na pobreza. Os países podem não ser capazes de sustentar três Por Robert S. Kaplan condições – democracia, empresa privada e alto nível de desigualdade À primeira vista, o artigo anterior pode parecer relevante apenas persistente – simultaneamente. Os para as organizações do setor público. Mas a relevância de agen- países freqüentemente possuem das sociais e econômicas nacionais para as empresas do setor quaisquer duas dessas condições ao privado é muito mais do que uma curiosidade. Os negócios e as mesmo tempo, mas não as três. A sociedades nas nações em desenvolvimento no mundo devem China e a Rússia, por exemplo, pos- se tornar protagonistas ativos no estabelecimento e monitora- suem alta desigualdade, empresa mento de agendas governamentais. privada em expansão, mas pouca ou quase nenhuma democracia. A visão convencional é de que as talismo democrático. Os cidadãos Venezuela e Bolívia possuem missões de governo e negócios são em muitos países ao redor do democracia (embora o recente distintas. Os negócios adquirem mundo desfrutaram de crescimento fechamento de um meio de comu- capital de acionistas que toleram sem precedentes em suas rendas e nicação na Venezuela exemplifique riscos e investem no desenvolvi- bem estar. Infelizmente, aqueles que a rápida erosão das instituições mento, produção, marketing, vendas viviam sob o controle que o estado democráticas), alta desigualdade e e serviços a clientes por meio de exercia sobre os recursos experi- gradual destruição do setor privado. transações de benefício mútuo. Os mentaram estagnação ou declínio É essa combinação que os negócios governos, sejam democráticos ou em suas rendas. Hoje, com exceção em países com alta e persistente autoritários, recolhem impostos dos de áreas isoladas como Cuba e desigualdade e democracia devem cidadãos para fornecer uma ampla Zimbabwe, a maioria dos países agir para alcançar. Porque quando a variedade de bens e serviços, tais abraçou o capitalismo com base no maioria da população vive muito como infraestrutura, defesa e segu- mercado embora nem todos (pense- abaixo do nível médio de renda rança bem como educação, que mos na Rússia ou na China) tenham (tecnicamente, quando a renda do podem não estar eficientemente estabelecido instituições democráti- eleitor médio é muito mais baixa fornecidos puramente pela iniciativa cas, incluindo as regulamentações que a renda mais alta), políticos privada. Nas quatro décadas que se da lei. Duas conclusões a partir do populistas como Hugo Chavez na seguiram à Segunda Guerra experimento econômico do pós- Venezuela, Evo Morales na Bolívia e Mundial, mais ou menos de 1948 a guerra saltam aos olhos: o cresci- López Obrador no México vão 1988, o mundo testemunhou o mento econômico é o melhor pro- provavelmente emergir, prometendo maior experimento econômico da grama contra a pobreza já inventa- a massiva redistribuição da renda e história com dois sistemas econômi- do; e empresas bem sucedidas do da riqueza para a maioria dos cos operando em paralelo. Um foi setor privado são muito mais efi- eleitores que os elegeram a partir caracterizado pela democracia, pro- cientes do que as empresas gover- do crescimento que ocorre no setor priedade privada de recursos e a namentais na criação do desenvolvi- privado. Os negócios estão apren- mento econômico. dendo o alto custo de operar em Mas o aparente economias nas quais a agenda dos Os negócios estão aprendendo o alto custo de equilíbrio de hoje políticos eleitos é revogar os dire- operar em economias nas quais a agenda dos entre democracia itos de propriedade privada e trans- e capitalismo é, ferir renda e riqueza para seus políticos eleitos é revogar os direitos de pro- na verdade, frágil. eleitores empobrecidos. Portanto, é priedade privada e transferir renda e riqueza Enquanto que as do melhor interesse dos negócios para seus eleitores empobrecidos. nações ocidentais não esperar por tais eventualidades, e o Japão pos- mas ao contrário, engajar-se pró-ati- suem a democra- vamente com o governo para cia, a empresa privada e relativa- fornecer esperança e oportunidade proteção aos direitos de pro- para os que ficaram para trás, até mente pouca desigualdade, muitos priedade; o outro possuía governos agora, pelo crescimento econômico países do mercado emergente, espe- autoritários, socialismo ou comunis- de seu país. cialmente na América Latina, pos- mo e pouca ou nenhuma proteção suem graus de desigualdade Nos casos de agendas estratégicas aos direitos de propriedade privada. extremamente altos. Cidadãos esco- exemplificados (CNI, Agenda 2020, O veredito dessa experiência foi larizados com empregos em empre- Todos pela Educação) os empresá- esmagadoramente a favor do capi- sas bem sucedidas do setor privado 6
  7. 7. rios têm se engajado ativamente estratégicas pode produzir progra- apresentar maiores benefícios acom a sociedade – não apenas com mas e iniciativas específicos que todos os cidadãos.o governo, mas também com deslocam o gasto público da pura Ao fazer seu discurso deONGs, líderes comunitários, organi- transferência de renda para investi- Gettysburg, há mais de 140 anos, ozações voluntárias, comunidades mentos que oferecem oportunidade presidente americano Abrahamlocais – para formular uma agenda para uma massa da população que Lincoln falou sobre os perigos quenacional, estadual ou municipal vive na linha de pobreza ou abaixo enfrentava o frágil experimento depara o desenvolvimento social e dela. Essa é umaeconômico. É claro que o governo agenda essencial-possui o papel central e mais mente fundamen-importante em fornecer os funda- tal para s negó- Trabalhando de forma cooperativa com o setormentos para o crescimento, por cios em mercados público em uma agenda estratégica comum, omeio da educação, saúde pública e emergentes.infra-estrutura. Também é o agente setor privado encoraja os políticos a fortalecer Deveria ser assu-principal no fomento de um sis- uma parceria público-privada que esteja fun- mida não devidotema econômico competitivo, cionando bem e que possa apresentar maiores à motivação degarantindo mercados livres para uma responsabili- benefícios a todos os cidadãos.importação e exportação, respon- dade social corpo-sabilidade fiscal, níveis de impostos rativa de fazer omoderados, políticas monetárias bem, mas pela sobrevivência e pros- democracia na América. Ele se per-não inflacionárias, aplicação justa e peridade de longo prazo dos negó- guntava se a democracia poderiaeficiente da lei e segurança cios do setor privado. sobreviver à sangrenta guerra entrenacional. Embora se possa pensar os estados, uma guerra iniciadaque os governos naturalmente Ocasionalmente, como em pelo tratamento desigual dedicadoseguiriam tais políticas orientadas Botswana, um país pode ser aos negros americanos e suaspara o crescimento, os políticos abençoado com uma liderança go- reduzidas oportunidades, se com-eleitos são facilmente seduzidos vernamental que lança, pessoal- parados aos americanos brancos.pelas estratégias de curto prazo que mente, um diálogo sobre uma agen- Felizmente a experiência americanatransferem renda para seus eleitores da estratégica nacional. Em outros sobreviveu a esse teste e, comoao invés de investir os recursos lugares, como Brasil e Argentina, o demonstrou a última metade dopúblicos para impulsionar o cresci- setor público raramente demonstrou século vinte, comprovou os benefí-mento. A falta de regulamentação e a habilidade de lançar sozinho, e cios das instituições democráticas ede leis específicas em muitos países muito menos sustentar, uma agenda do capitalismo para o restante doemergentes apenas facilita essas de longo prazo para o desenvolvi- mundo. Os negócios nas economiasinclinações. mento social e o crescimento em desenvolvimento podem tomar econômico, se é que alguma vez oUm investimento de longo prazo a dianteira no re-engajamento de fez. Os negócios nesses países agora um amplo espectro da sociedadeNos idos de 1990, David Norton e possuem uma ferramenta com a para realmente fazer o seu setoreu estávamos preocupados que as qual engajar representantes chave de público, como expressou Lincolnempresas, utilizando apenas seus todos os setores da sociedade para “do povo, pelo povo e para povo”.sistemas de mensuração financeira, estabelecer uma agenda nacional e Com negócios, ONGs e a partici-poderiam cometer o erro de, igual- regional para acelerar e sustentar o pação dos cidadãos, juntamentemente, focar em melhorias nos crescimento econômico e o desen- com os trabalhadores do setorlucros de curto prazo ao custo de volvimento social. O mapa estratégi- público, no estabelecimento deinvestir em pessoas, processos, ino- co estabelece temas estratégicos uma agenda nacional (“do povo”),vação e relacionamento com cliente claros juntamente com responsabili- desenvolver países pode garantirque orientam o crescimento de dade, recursos, iniciativas e metas – que as políticas governamentaislongo prazo e o valor ao acionista. uma maneira de monitorar o desem- sejam “para todo o povo” e nãoO Balanced Scorecard tem ajudado penho do governo para assegurar apenas para aqueles que atual-as empresas a equilibrar a pressão que o estado permaneça na tra- mente se beneficiam do crescimen-de redução de custo de curto prazo jetória para o crescimento e a to econômico internacional. Icom os benefícios de longo prazo redução da desigualdade especifica- 1. L. K. Johnson, “Confederação Nacional dade investir na criação de valor. Os dos pela agenda estratégica. Indústria do Brasil elabora agenda nacional – commapas estratégicos para desenvolvi- Trabalhando de forma cooperativa o BSC”, BSR julho-agosto 2006 (Reprint B0607B).mento social e econômico de com o setor público em uma agen- Sou grato a meu colega da HBS,regiões e paises fornecem uma da estratégica comum, o setor priva- Professor Bruce Scott por me haver apre-agenda poderosa ao promover a do encoraja os políticos a fortalecer sentado à tensão entre desigualdade,coalizão dos setores público, priva- uma parceria público-privada que democracia e capitalismo.do e sem fins lucrativo. A agenda esteja funcionando bem e que possa Reprint B0709C 7

×