Acentuação gráfica.

1.117 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.117
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acentuação gráfica.

  1. 1. Acentuação gráfica:
  2. 2. Classificação dos vocábulos quanto à tonicidade: • Monossílabos tônicos: vocábulos de uma única sílaba e que têm pronúncia forte. São acentuados os terminados cm A(S), E(S), O(S) Ex: má, más, pé, pés.  Oxítonos - vocábulos cuja sílaba tônica é a última. São acentuados os terminados em A(S), E(S), O(S), EM, ENS. Ex: cajá, café, cipó, armazém.
  3. 3.  Paroxítonos: vocábulos cuja sílaba tônica é a penúltima. São acentuados os terminados em: o L, N, R, X, PS: afável, líquen, repórter, fênix, tríceps. o I(S), US: dândi, lápis, bônus. o UM, UNS: médium, médiuns. o Ã(S), ÃO(S): ímã, ímãs, sótão, sótãos. o ÊEM: lêem, descrêem. o ONS: elétrons, mícrons. o ÔO(S): môo, vôos.
  4. 4. • Proparoxítonos: vocábulos cuja sílaba tônica é a antepenúltima e todos são acentuados. Ex: brâmane, pássaro.
  5. 5. Regras especiais:  Acentuam-se sempre os ditongos tônicos abertos: fiéis, céu, chapéu, véu, herói, caracóis.  Acentuam-se sempre o i e o u tônicos dos hiatos, quando estes formam sílabas sozinhas ou são seguidos de s: aí, balaústre, baú, egoísta, faísca, heroína, saída, saúde, viúvo.
  6. 6.  Acentuam-se graficamente as palavras terminadas em ditongo oral átono, seguido ou não de s: área, ágeis, importância, lírios, mágoa, extemporâneo, régua, tênue, túneis.  Mantém-se o acento circunflexo do singular crê, dê, lê, vê nas formas do plural desses verbos : crêem, dêem, lêem, vêem - e de seus compostos - descrêem, desdêem, relêem, revêem
  7. 7. Acento Diferencial: Acentuam-se para diferenciar de: pôde (pretérito do verbo poder) pode (presente do verbo poder) pélo, péla(s) (formas verbais de pelar) péla(s) (substantivo) pela(s) (preposição) pêlo(s) (substantivo) pelo(s) (preposição) pôlo(s) (substantivo), pólo(s) (substantivo) polo(s) (preposição) pêra (substantivo), pêra-fita (substantivo) pera (preposição) côa(s) (forma verbal de coar) coa(s) (preposição) pára (forma verbal de parar) para (preposição) eles têm, eles vêm (plural) ele tem, ele vem (singular) pôr (verbo) por (preposição)
  8. 8. Estrangeirismo: O estrangeirismo é o fenômeno linguístico que traz palavras de outros idiomas para a língua portuguesa. Algumas das expressões que utilizamos são vindas de outro idioma e as pronunciamos da forma do idioma de origem, já outras palavras sofrem modificações na sua pronúncia por uma questão de acomodação da linguagem, adaptando para uma pronúncia semelhante às palavras da língua nativa. Este outro fenômeno é popularmente chamado e aportuguesamento.
  9. 9. Na nossa língua portuguesa, existem muitos estrangeirismos vindos da língua inglesa, talvez seja essa a língua mais influente na atualidade por ser utilizada como língua universal. Existem também alguns estrangeirismos que devido ao seu frequente uso na língua portuguesa, já foram incorporados ao léxico da língua, ou seja, já são palavras dicionarizadas. Ex: reveillon, jeans, shampoo, pizza, show, site, football (futebol), basketball (basquete).
  10. 10. Trema: O trema não é mais usado sobre o u dos grupos que, qui, gue, gui, mas a pronuncia do u permanece. Obs: Usa-se, porém, o trema nas palavras de origem estrangeira e nas derivadas dela. Como por exemplo: München, Trüc. Essa nova regra justificou-se o fato de que há ditongos na língua que não precisam do trema para indicar a quem lê o fato do “u” ter que ser pronunciado ou não, como em: língua e quente.

×