SlideShare uma empresa Scribd logo

Fonologia

1) O documento discute conceitos fundamentais da fonologia como fonemas, letras, dígrafos e encontros vocálicos. 2) Fonemas são os menores elementos sonoros capazes de distinguir significados, enquanto letras representam graficamente os fonemas. 3) Dígrafos ocorrem quando duas letras representam um único fonema, dividindo-se em consonantais e vocálicos.

1 de 11
Baixar para ler offline
FONOLOGIA
Profª Andriane
Fonemas
Fonologia é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Ao estudar a maneira
como os fones (sons) se organizam dentro de uma língua, classifica-os em unidades capazes de
distinguir significados, chamadas fonemas.
Dá-se o nome de fonema ao menor elemento sonoro capaz de estabelecer uma distinção de
significado entre as palavras. Observe, nos exemplos a seguir, os fonemas que marcam a distinção
entre os pares de palavras:
amor - ator
morro - corro
vento - cento
Fonema e letra
1) O fonema não deve ser confundido
com a letra. Na língua escrita,
representamos os fonemas por meio de
sinais chamados letras. Portanto, letra é a
representação gráfica do fonema. Na
palavra sapo, por exemplo, a letra s
representa o fonema /s/ (lê-se sê); já na
palavra brasa, a letra s representa o
fonema /z/ (lê-se zê).
2) Às vezes, o mesmo fonema pode ser
representado por mais de uma letra do alfabeto. É o
caso do fonema /z/, que pode ser representado
pelas letras z, s, x:
Exemplos:
●zebra
●casamento
●exílio
3) Em alguns casos, a mesma letra pode
representar mais de um fonema. A letra x, por
exemplo, pode representar:
●- o fonema sê: texto
●- o fonema zê: exibir
●- o fonema chê: enxame
●- o grupo de sons ks: táxi
4) O número de letras nem sempre coincide com o número de fonemas.
Exemplos:
tóxico
fonemas: letras:
/t/ó/k/s/i/c/o t ó x i c o
1 2 3 4 5 6 7 1 2 3 4 5 6
galho
fonemas: letras:
/g/a/lh/o/ g a l h o
1 2 3 4 1 2 3 4 5
5) As letras m e n, em determinadas palavras, não representam fonemas. Observe os exemplos:
●compra
●conta
Nessas palavras, m e n indicam a nasalização das vogais que as antecedem.(õ)
6) A letra h, ao iniciar uma palavra, não representa fonema.
Exemplos:
hoje fonemas: ho / j / e / letras: h o j e
1 2 3 1 2 3 4
Dígrafo
O dígrafo ocorre quando duas letras são usadas para representar um único fonema.
Podem-se dividir os dígrafos da língua portuguesa em dois grupos: os consonantais e os vocálicos.
DÍGRAFOS CONSONANTAIS
Duas letras com som de uma consoante:
●lh, nh, ch, rr, ss (no interior da palavra). Ex.: folha, ninho, bicho, serra, cassado. É importante saber
que essas ocorrências não são dígrafos consonantais porque são formados por consoantes, e sim,
porque tem som de consoante;
●qu (seguido de E e I) – Ex.: quilombo, quente;
●gu ( seguido de E e I) – Ex.: guerreiro, mangue;
●sc sç, xc – Ex.: nascer, nasço, exceção.
Dígrafos consonantais
Veja um abaixo todos os dígrafos consonantais e alguns exemplos:
●ch - chuva, China
●lh - alho, milho
●xs - exsudar, exsuar
●nh - sonho, venho
●rr (usado unicamente entre vogais) - barro, birra, burro
●ss (usado unicamente entre vogais) - assunto, assento, isso
●sc - ascensão. descendente
●sç - nasço, cresça
●xc - exceção, excesso
●gu - guelra, águia
●qu - questão, quilo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Dígrafo e encontro consonantal
Dígrafo e encontro consonantalDígrafo e encontro consonantal
Dígrafo e encontro consonantal
 
Verbo www.professorpalmito.com.br
Verbo www.professorpalmito.com.brVerbo www.professorpalmito.com.br
Verbo www.professorpalmito.com.br
 
Homônimos e parônimos
Homônimos e parônimosHomônimos e parônimos
Homônimos e parônimos
 
Fonética fonologia
Fonética fonologiaFonética fonologia
Fonética fonologia
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
 
Semântica
SemânticaSemântica
Semântica
 
Gramática e suas divisões e classes de palavras
Gramática e suas divisões e classes de palavrasGramática e suas divisões e classes de palavras
Gramática e suas divisões e classes de palavras
 
Morfossintaxe - substantivos
Morfossintaxe - substantivosMorfossintaxe - substantivos
Morfossintaxe - substantivos
 
Tipos de predicado
Tipos de predicadoTipos de predicado
Tipos de predicado
 
Fonética e fonologia
Fonética e fonologiaFonética e fonologia
Fonética e fonologia
 
Regência Nominal
Regência NominalRegência Nominal
Regência Nominal
 
Regras de acentuação - simples
Regras de acentuação - simplesRegras de acentuação - simples
Regras de acentuação - simples
 
Divisao da gramatica
Divisao da gramaticaDivisao da gramatica
Divisao da gramatica
 
O artigo e o numeral
O artigo e o numeralO artigo e o numeral
O artigo e o numeral
 
Morfologia
MorfologiaMorfologia
Morfologia
 
Hifen
HifenHifen
Hifen
 
Preposições
PreposiçõesPreposições
Preposições
 
Polissemia e ambiguidade
Polissemia e ambiguidadePolissemia e ambiguidade
Polissemia e ambiguidade
 
Regência e crase
Regência e craseRegência e crase
Regência e crase
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 

Semelhante a Fonologia

Semelhante a Fonologia (20)

Fonologia 1º ano Ensino Médio
Fonologia 1º ano Ensino MédioFonologia 1º ano Ensino Médio
Fonologia 1º ano Ensino Médio
 
Fonemas.pdf
Fonemas.pdfFonemas.pdf
Fonemas.pdf
 
fonetica e fonologia da LP.pptx
fonetica e fonologia da LP.pptxfonetica e fonologia da LP.pptx
fonetica e fonologia da LP.pptx
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]
Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]
Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]
 
MODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdf
MODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdfMODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdf
MODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdf
 
1 fonética
1 fonética1 fonética
1 fonética
 
Encontros vocálicos
Encontros vocálicosEncontros vocálicos
Encontros vocálicos
 
Sons e letras 2
Sons e letras 2Sons e letras 2
Sons e letras 2
 
Fonética e fonologia
Fonética e fonologiaFonética e fonologia
Fonética e fonologia
 
Apostila de-portugues-
Apostila de-portugues- Apostila de-portugues-
Apostila de-portugues-
 
Apostila De Portugues Especifico Concurso
Apostila De Portugues Especifico ConcursoApostila De Portugues Especifico Concurso
Apostila De Portugues Especifico Concurso
 
FONÉTICA.pptx
FONÉTICA.pptxFONÉTICA.pptx
FONÉTICA.pptx
 
Metodo Fonico
Metodo FonicoMetodo Fonico
Metodo Fonico
 
Sons e letra 1
Sons e letra 1Sons e letra 1
Sons e letra 1
 
Sons e letras
Sons e letrasSons e letras
Sons e letras
 
Sons e letras
Sons e letrasSons e letras
Sons e letras
 
Sons e letras
Sons e letrasSons e letras
Sons e letras
 

Mais de Andriane Cursino

Resumos obras - Romantismo
Resumos obras - RomantismoResumos obras - Romantismo
Resumos obras - RomantismoAndriane Cursino
 
Simple present tense - Answers
Simple present tense - AnswersSimple present tense - Answers
Simple present tense - AnswersAndriane Cursino
 
2ª e 3ª geração romântica
2ª e 3ª geração romântica2ª e 3ª geração romântica
2ª e 3ª geração românticaAndriane Cursino
 
Romantismo - introdução e 1ª geração
Romantismo - introdução e 1ª geraçãoRomantismo - introdução e 1ª geração
Romantismo - introdução e 1ª geraçãoAndriane Cursino
 
Exercises simple past - Answers
Exercises simple past - AnswersExercises simple past - Answers
Exercises simple past - AnswersAndriane Cursino
 
Gabarito Barroco/ Arcadismo
Gabarito Barroco/ ArcadismoGabarito Barroco/ Arcadismo
Gabarito Barroco/ ArcadismoAndriane Cursino
 
Classicismo / Renascimento
Classicismo / RenascimentoClassicismo / Renascimento
Classicismo / RenascimentoAndriane Cursino
 
O velho da horta - Gil Vicente
O velho da horta - Gil VicenteO velho da horta - Gil Vicente
O velho da horta - Gil VicenteAndriane Cursino
 
Farsa de Inês Pereira - Gil Vicente
Farsa de Inês Pereira - Gil VicenteFarsa de Inês Pereira - Gil Vicente
Farsa de Inês Pereira - Gil VicenteAndriane Cursino
 
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)Andriane Cursino
 
O PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAX
O PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAXO PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAX
O PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAXAndriane Cursino
 
Exercícios sobre gêneros literários
Exercícios sobre gêneros literáriosExercícios sobre gêneros literários
Exercícios sobre gêneros literáriosAndriane Cursino
 
Modernismo (1945 - atuais) 3ª fase / Concretismo
Modernismo (1945 - atuais) 3ª fase / ConcretismoModernismo (1945 - atuais) 3ª fase / Concretismo
Modernismo (1945 - atuais) 3ª fase / ConcretismoAndriane Cursino
 
2ª fase Modernismo (1930-1945)
2ª fase Modernismo (1930-1945) 2ª fase Modernismo (1930-1945)
2ª fase Modernismo (1930-1945) Andriane Cursino
 

Mais de Andriane Cursino (20)

Resumos obras - Romantismo
Resumos obras - RomantismoResumos obras - Romantismo
Resumos obras - Romantismo
 
Simple present tense - Answers
Simple present tense - AnswersSimple present tense - Answers
Simple present tense - Answers
 
Gabarito - Romantismo
Gabarito -  RomantismoGabarito -  Romantismo
Gabarito - Romantismo
 
Romantismo - Prosa
Romantismo - ProsaRomantismo - Prosa
Romantismo - Prosa
 
2ª e 3ª geração romântica
2ª e 3ª geração romântica2ª e 3ª geração romântica
2ª e 3ª geração romântica
 
Romantismo - introdução e 1ª geração
Romantismo - introdução e 1ª geraçãoRomantismo - introdução e 1ª geração
Romantismo - introdução e 1ª geração
 
Exercises simple past - Answers
Exercises simple past - AnswersExercises simple past - Answers
Exercises simple past - Answers
 
Gabarito Barroco/ Arcadismo
Gabarito Barroco/ ArcadismoGabarito Barroco/ Arcadismo
Gabarito Barroco/ Arcadismo
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Camões / Os Lusíadas
Camões / Os LusíadasCamões / Os Lusíadas
Camões / Os Lusíadas
 
Classicismo / Renascimento
Classicismo / RenascimentoClassicismo / Renascimento
Classicismo / Renascimento
 
O velho da horta - Gil Vicente
O velho da horta - Gil VicenteO velho da horta - Gil Vicente
O velho da horta - Gil Vicente
 
Farsa de Inês Pereira - Gil Vicente
Farsa de Inês Pereira - Gil VicenteFarsa de Inês Pereira - Gil Vicente
Farsa de Inês Pereira - Gil Vicente
 
Humanismo - Literatura
Humanismo - LiteraturaHumanismo - Literatura
Humanismo - Literatura
 
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
 
O PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAX
O PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAXO PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAX
O PARALELISMO COMO RECURSO ESTILÍSTICO DAS CANTIGAS DE MARTIM CODAX
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Exercícios sobre gêneros literários
Exercícios sobre gêneros literáriosExercícios sobre gêneros literários
Exercícios sobre gêneros literários
 
Modernismo (1945 - atuais) 3ª fase / Concretismo
Modernismo (1945 - atuais) 3ª fase / ConcretismoModernismo (1945 - atuais) 3ª fase / Concretismo
Modernismo (1945 - atuais) 3ª fase / Concretismo
 
2ª fase Modernismo (1930-1945)
2ª fase Modernismo (1930-1945) 2ª fase Modernismo (1930-1945)
2ª fase Modernismo (1930-1945)
 

Último

a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...azulassessoriaacadem3
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...excellenceeducaciona
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Mary Alvarenga
 
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...azulassessoriaacadem3
 
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoReprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoMariaJoão Agualuza
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...azulassessoriaacadem3
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...apoioacademicoead
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...azulassessoriaacadem3
 
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Prime Assessoria
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...excellenceeducaciona
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...GraceDavino
 
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...Prime Assessoria
 
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...azulassessoriaacadem3
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...azulassessoriaacadem3
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdfCludiaFrancklim
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Prime Assessoria
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIAHenrique Pontes
 
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
 
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
 
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoReprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
 
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
 
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
 
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
 

Fonologia

  • 2. Fonemas Fonologia é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Ao estudar a maneira como os fones (sons) se organizam dentro de uma língua, classifica-os em unidades capazes de distinguir significados, chamadas fonemas. Dá-se o nome de fonema ao menor elemento sonoro capaz de estabelecer uma distinção de significado entre as palavras. Observe, nos exemplos a seguir, os fonemas que marcam a distinção entre os pares de palavras: amor - ator morro - corro vento - cento
  • 3. Fonema e letra 1) O fonema não deve ser confundido com a letra. Na língua escrita, representamos os fonemas por meio de sinais chamados letras. Portanto, letra é a representação gráfica do fonema. Na palavra sapo, por exemplo, a letra s representa o fonema /s/ (lê-se sê); já na palavra brasa, a letra s representa o fonema /z/ (lê-se zê). 2) Às vezes, o mesmo fonema pode ser representado por mais de uma letra do alfabeto. É o caso do fonema /z/, que pode ser representado pelas letras z, s, x: Exemplos: ●zebra ●casamento ●exílio 3) Em alguns casos, a mesma letra pode representar mais de um fonema. A letra x, por exemplo, pode representar: ●- o fonema sê: texto ●- o fonema zê: exibir ●- o fonema chê: enxame ●- o grupo de sons ks: táxi
  • 4. 4) O número de letras nem sempre coincide com o número de fonemas. Exemplos: tóxico fonemas: letras: /t/ó/k/s/i/c/o t ó x i c o 1 2 3 4 5 6 7 1 2 3 4 5 6 galho fonemas: letras: /g/a/lh/o/ g a l h o 1 2 3 4 1 2 3 4 5 5) As letras m e n, em determinadas palavras, não representam fonemas. Observe os exemplos: ●compra ●conta Nessas palavras, m e n indicam a nasalização das vogais que as antecedem.(õ) 6) A letra h, ao iniciar uma palavra, não representa fonema. Exemplos: hoje fonemas: ho / j / e / letras: h o j e 1 2 3 1 2 3 4
  • 5. Dígrafo O dígrafo ocorre quando duas letras são usadas para representar um único fonema. Podem-se dividir os dígrafos da língua portuguesa em dois grupos: os consonantais e os vocálicos. DÍGRAFOS CONSONANTAIS Duas letras com som de uma consoante: ●lh, nh, ch, rr, ss (no interior da palavra). Ex.: folha, ninho, bicho, serra, cassado. É importante saber que essas ocorrências não são dígrafos consonantais porque são formados por consoantes, e sim, porque tem som de consoante; ●qu (seguido de E e I) – Ex.: quilombo, quente; ●gu ( seguido de E e I) – Ex.: guerreiro, mangue; ●sc sç, xc – Ex.: nascer, nasço, exceção.
  • 6. Dígrafos consonantais Veja um abaixo todos os dígrafos consonantais e alguns exemplos: ●ch - chuva, China ●lh - alho, milho ●xs - exsudar, exsuar ●nh - sonho, venho ●rr (usado unicamente entre vogais) - barro, birra, burro ●ss (usado unicamente entre vogais) - assunto, assento, isso ●sc - ascensão. descendente ●sç - nasço, cresça ●xc - exceção, excesso ●gu - guelra, águia ●qu - questão, quilo
  • 7. Dígrafos vocálicos DÍGRAFOS VOCÁLICOS Duas letras com som de uma vogal: ●am/an – Ex.: tampa, pranto, campo, sangue; ●em/en – Ex.: tempo, sempre, tenda, tento; ●im/in – Ex.: cacimba, limpo, faminto, tingir; ●om/on – Ex.: lombo, rombo, encontro, tonto; ●um/um – Ex.: dumbo, bumbo, tundra, sunga. Quando se tem tampa, membro, dumbo, encontro, faminto, esse am, em, um, on, in, representam, respectivamente, o A, E, U, O e o I com o acento til. Os m e n não são consoantes, são apenas um indicador de nasalização. Logo, na palavra pranto existe apenas 3 consoantes (p, r, t). Além disso, nas palavras estavam e também, o am e o em são ditongo fonético nasal, porque o m de estavam é pronunciado como u e o m de também como i.
  • 8. Dífonos (di = dois + fono = som): uma letra que representa dois fonemas. Estes podem ser: TÁXI – taKSi FIXAÇÃO – fiKSação NEXO – neKSo SEXO – seKSo OXIGÊNIO – oKSigênio LÁTEX – láteKS TÓXICO – tóKSico
  • 9. Classificação dos fonemas Os fonemas da Língua Portuguesa classificam-se em vogais, semivogais e consoantes. Vogais: são fonemas pronunciados sem obstáculo à passagem de ar, chegando livremente ao exterior. Exemplos: pato, bota. Semivogais: são os fonemas que se juntam a uma vogal, formando com esta uma só sílaba. Exemplos: couro, baile. Observe que só os fonemas /i/ e /u/ átonos funcionam como semivogais. Consoantes: são fonemas produzidos mediante a resistência que os órgãos bucais (língua, dentes, lábios) opõem à passagem de ar. Exemplos: caderno, lâmpada.
  • 10. Encontros vocálicos Os encontros vocálicos são agrupamentos de vogais e semivogais, sem consoantes intermediárias. É importante reconhecê-los para dividir corretamente os vocábulos em sílabas. 1) Ditongo É o encontro de uma vogal e uma semivogal (ou vice-versa) numa mesma sílaba. Pode ser: a) Crescente: quando a semivogal vem antes da vogal. Por Exemplo: sé-rie (i = semivogal, e = vogal) b) Decrescente: quando a vogal vem antes da semivogal. Por Exemplo: pai (a = vogal, i = semivogal) c) Oral: quando o ar sai apenas pela boca. Exemplos: pai, série d) Nasal: quando o ar sai pela boca e pelas fossas nasais. Por Exemplo: mãe
  • 11. Encontros vocálicos 2) Tritongo É a sequência formada por uma semivogal, uma vogal e uma semivogal, sempre nessa ordem, numa só sílaba. Pode ser oral ou nasal. Exemplos: ●Paraguai - Tritongo oral ●quão - Tritongo nasal SV + V + SV 3) Hiato É a sequência de duas vogais numa mesma palavra que pertencem a sílabas diferentes, uma vez que nunca há mais de uma vogal numa sílaba. Por Exemplo: ●saída (sa-í-da) ●poesia (po-e-si-a) V + V