Sons e letras 2

10.372 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.372
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
96
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
273
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sons e letras 2

  1. 1. • Observe as frases: Ao mar! Ao bar! • Compare as frases. Qual a diferença entre elas? Você pode notar que a letra m representa um determinado som, enquanto a letra b representa outro som. Esses sons diferentes é que estabelecem os significados diferentes das palavras mar e bar. • É importante perceber que são os sons os responsáveis pelos significados diferentes das duas palavras. Como esses sons são diferentes, criaram letras diferentes para representá-los por escrito. Isso quer dizer que, numa língua, aquilo que se fala ou ouve (o som) é que dá origem àquilo que se escreve e vê (as letras). É o som das palavras que dá origem à escrita. Afinal, você primeiro aprendeu a falar para somente depois aprender a escrever a língua. • Esses sons da língua, que as letras procuram representar, são os fonemas. Um fonema é um som típico de uma determinada língua, capaz de estabelecer diferenças de significado entre as palavras dessa língua. Por isso é que os sons representados pelas letras m e b são fonemas: mar e bar são palavras distintas.
  2. 2. • Há uma tendência para confundirmos os fonemas com as letras. Os fonemas são sons; são falados e ouvidos. • As letras são sinais gráficos que procuram representar os sons; assim, colocadas sobre o papel elas são visíveis. • Se você confundir fonemas com letras, correrá o risco de não perceber certos detalhes da fonologia, que é a parte da gramática que estuda os fonemas. • Tomemos como exemplo, a palavra que. Essa palavra é escrita com três letras q-u-e. Leia a palavra que. Quantos sons formam essa palavra? A letra u é pronunciada? A palavra que é escrita com três letras, mas formada por apenas dois fonemas: /q/ /e/. • É muito comum ocorrer incoerência entre o número de fonemas e o número de letras de uma palavra. Observe: nascer 6 letras e 5 fonemas (o sc representa um único som. exceção 7 letras e 6 fonemas (o xc representa um único som) sexo 4 letras e 5 fonemas (o x representa dois sons: /q/ /s/
  3. 3. • Os fonemas são classificados em: • VOGAIS – são fonemas produzidos sem que haja obstáculos à passagem da corrente de ar pela boca. Podem ser orais ou nasais, abertas ou fechadas. São sons musicais, o núcleo das sílabas em português. • SEMIVOGAIS – são fonemas representados pelas letras i, u, e, o; diferenciando-se das vogais por serem mais fracos. Não são núcleo de sílabas, acompanham uma vogal. • CONSOANTES – são fonemas produzidos com a presença de obstáculos à passagem da corrente de ar pela boca. São ruídos que soam com as vogais. Também não são núcleo de silabas.
  4. 4. O idioma português utiliza 34 fonemas, sendo 13 vogais, 19 consoantes e 2 semivogais. Estão representados na tabela a seguir: V O G A I S á Aberta, frontal, oral, não arredondada. átomo, arte â Semi-aberta, central, oral, não arredondada. pano, ramo, lanho ã Semi-aberta, central, nasal, não arredondada. antes, amplo, maçã, âmbito, ânsia é Semi-aberta, frontal, oral, não arredondada. métrica, peça. ê Semi-fechada, frontal, oral, não arredondada. medo, pêssego ẽ Semi-fechada, frontal, nasal, não arredondada. sempre, êmbolo, centro, concêntrico, têm, também.** ó Semi-aberta, posterior, oral, arredondada. ótima, ova. ô Semi-fechada, posterior, oral, arredondada. rolha, avô õ Semi-fechada, posterior, nasal, arredondada. ombro, ontem, cômputo, cônsul i Fechada, frontal, oral, não arredondada. item, silvícola ĩ Fechada, frontal, nasal, não arredondada. simples, símbolo, tinta, síncrono u Fechada, posterior, oral, arredondada. uva, útero ũ Fechada, posterior, nasal, arredondada. algum, plúmbeo, nunca, renúncia, muito
  5. 5. FONEMA CARACTERÍSTICAS FONÉTICAS EXEMPLOS C O N S O A N T E S m nasal, sonora, bilabial Marca n Nasal, sonora, alveolar Nervo ñ Nasal, sonora, palatal Arranhado b Oral, oclusiva, bilabial, sonora Barco p Oral, oclusiva, bilabial, surda Pato d Oral, oclusiva, linguodental, sonora Data t Oral, oclusiva, linguodental, surda Telha g Oral, oclusiva, velar, sonora Gato k Oral, oclusiva, velar, surda Carro, quanto v Oral, fricativa, labiodental, sonora Vento f Oral, fricativa, labiodental, surda Farelo z Oral, fricativa, alveolar, sonora zero, casa, exalar s Oral, fricativa, alveolar, surda seta, cebola, espesso, excesso, açúcar, auxílio, j Oral, fricativa, pós-alveolar, sonora gelo, jarro x Oral, fricativa, pós-alveolar, surda xarope, chuva R Oral, vibrante, sonora, uvular. rato, carroça r Oral, vibrante, sonora, alveolar. Variação λ Oral, lateral aproximante, sonora, palatal. Cavalheiro l Oral, lateral aproximante, sonora, alveolar Luz
  6. 6. • Quando pronunciamos as palavras da Língua Portuguesa, agrupamos os fonemas que as formam. Cada um desses grupos de fonemas, emitidos de uma só vez, constitui uma sílaba. • As sílabas formam as palavras. As palavras podem ter: • Uma única sílaba – é o caso de é, há, ai, mar, cai, crer. Essas palavras são chamadas MONOSSÍLABAS. • Duas sílabas – é o caso de aí, ali, transpor. Essas palavras são chamadas DISSÍLABAS. • Três sílabas – é o caso de ideia, adulto, cadeira. Essas palavras recebem o nome de TRISSÍLABAS. • Mais de três sílabas – são os POLISSÍLABOS, como constituinte, assembleia, nacionalidade.
  7. 7. • OXÍTONA: palavra com a última sílaba tônica Português café sofá parabéns • PAROXÍTONA: palavra com a penúltima sílaba tônica História cadeira prato • PROPAROXÍTONA: palavra com a antepenúltima sílaba tônica Matemática
  8. 8. • São agrupamentos de vogais e semivogais sem consoantes intermediárias. Podem ser de três tipos: • DITONGOS - são formados pela sequência de uma vogal e uma semivogal, ou de uma semivogal e uma vogal, uma mesma sílaba. • Ex.: p a u p õ e b r a s i l e i r o • Vogal semivogal vogal semivogal vogal semivogal • Nessas palavras, os ditongos são formados por uma vogal e uma semivogal. Isso significa que pronunciamos um fonema forte e, um fonema fraco, ou seja, os ditongos decrescem. São chamados ditongos decrescentes (vogal + semivogal). • Agora observe estas palavras: • A u x í l i o t r a n q u i l o m á g o a Semivogal vogal semivogal vogal semivogal vogal Nesses casos, os ditongos crescem, pois são formados por um fonema fraco (semivogal) seguido de um fonema forte (vogal). São chamados ditongos crescentes (semivogal + vogal).
  9. 9. • TRITONGO – são formados pela sequencia semivogal + vogal + semivogal (sempre nessa ordem) numa mesma sílaba. Observe: • S a g u ã o q u a i s P a r a g u a i vogal vogal vogal semivogal semivogal semivogal HIATOS - Ocorrem quando duas vogais se encontram no interior ou no final de uma palavra, mas em sílabas diferentes. Observe: p o e t a r e a l i z a r s a ú d e vogal vogal vogal vogal vogal vogal
  10. 10. • É o agrupamento de duas ou mais consoantes numa mesma palavra; • Sem vogal intermediária; • Sem constituir dígrafo; • Podem ocorrer na mesma sílaba ou em sílabas diferentes.
  11. 11. • PERFEITOS: consoante + l ou r - são encontros que pertencem a uma mesma sílaba. – pra-to, pla-ca, bro-che, blu-sa, trei-no, a-tle-ta, cri-se, cla-ve, fran- co, flan-co. • IMPERFEITOS: duas consoantes pertencentes a sílabas diferentes . É o que ocorre em: – ab-di-car, sub-so-lo, ad-vo-ga-do, ad-mi-tir, al-ge-ma, cor-te.
  12. 12. • Pense novamente na palavra que, vista no início de nosso estudo sobre os fonemas. Lembra-se de que essa palavra é escrita com três letras, apesar de possuir apenas dois fonemas? • Esse fenômeno é bastante comum na Língua Portuguesa. O que ocorre com a palavra que é um fato muito simples: as letras q e u representam um único fonema, o mesmo, que a letra c representa na palavra casa. • Quando duas letras representam um único fonema, temos um dígrafo.
  13. 13. • QU – representa o mesmo som que a letra c em canto, cabana. – Ex.: queijo, quero, quibe, quilombo. • GU – representa o mesmo som que a letra g em gato, gota. – Ex.: guerreiro, guitarra. • CH – representa o mesmo som que a letra x em lixo, deixar. – Ex.: Chile, chapéu, chinelo. • LH – representa um fonema particular representado pelo símbolo / λ /. Perceba qual é esse fonema lendo os exemplos: – Folha, molho, milho. • NH – representa o fonema / η /. Perceba qual é esse fonema lendo os exemplos: – Ninho, nenhum, ninharia. • RR – representa o som da letra r quando ela surge no início das palavras rádio, riso, relógio. É usado apenas entre duas vogais. – Ex.: barro, berro, carro. • SS – representa o som da letra s como em sílaba, salada. É usado apenas entre duas vogais. – Ex.: assar, depressa, isso, osso. • SC SÇ XC XS – representam o mesmo som que a letra s quando aparece no início das palavras. São usadas entre duas vogais. – Ex.: nascer, desço, exceto, exsudar.
  14. 14. • As vogais nasais são muitas vezes representadas por duas letras. Observe: • AM / AN – têm o som de /ã/, como em campo, manto. • EM / EN – têm o som de /ẽ/, como em tempo, tentar. • IM / IN – têm o som que teria a letra /ĩ/, como em limpo, tinta. • OM / ON – têm o mesmo som de /õ/, como em compre, conta. • UM / UN – têm o mesmo som de /ũ/, como em tumba, nunca. • Em todos esse casos, temos dígrafos que representam vogais nasais. Observe que as letras m e n não representam fonemas, apenas indicam que a vogal anterior é nasal.

×