Sentir pensar

423 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
423
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sentir pensar

  1. 1. Stephen Hawking, físico teórico   e cosmólogo britânico, considerado um dos mais brilhantes cientistas de todos os tempos, tem partilhado ao longo das últimas décadas aquelas que seriam, a seu ver, as maiores ameaças à vida humana na Terra.
  2. 2. Quando era mais novo, Stephen Hawking dizia acreditar que a mais temível ameaça à Humanidade seria o impacto de um asteroide, meteorito, cometa ou outro objeto celeste gigante.
  3. 3. A colisão de corpos celestes com a Terra já causou a extinção dos dinossauros há 66 milhões de anos, e um novo impacto poderia ter efeitos catastróficos semelhantes.
  4. 4. Mais tarde, durante o período da Guerra Fria, Stephen Hawking afirmou que a maior ameaça para a Humanidade seria uma guerra nuclear.
  5. 5. No entanto, apenas uma guerra nuclear “muito específica” poderia acabar com a Humanidade.
  6. 6. Bombardeios isolados (como os dos Estados Unidos no Japão em 1945) seriam graves catástrofes humanitárias, mas não seriam capazes de extinguir a vida humana.
  7. 7. Até mesmo uma guerra nuclear entre as potências mundiais não teria impacto suficiente para extinguir a Humanidade.
  8. 8. Um conflito que dizimasse os Estados Unidos e a Rússia, por exemplo, mataria cerca de 2 bilhões de pessoas, um número relativamente reduzido de mortos para comprometer a continuidade da espécie humana.
  9. 9. No entanto, o problema de uma guerra desse tipo é o chamado “inverno nuclear”. Se muitas ogivas fossem detonadas, as temperaturas do planeta cairiam rapidamente, afetando a agricultura e tornando inviável a vida humana.
  10. 10. Com o fim da Guerra Fria, a ameaça do “inverno nuclear” ficou perdida no passado histórico.
  11. 11. Em 2014, Stephen Hawking, em consonância com o instituto britânico “Future of Humanity”, listou entre as maiores ameaças para a Humanidade a Inteligência Artificial.
  12. 12. Avanços exponenciais na inteligência artificial que temos testemunhado nos últimos anos certamente têm facilitado a nossa vida, mas podem ter consequências imprevisíveis.
  13. 13. Assim que programas de computadores conseguirem aprender a programar sozinhos, eles poderiam usar essa tecnologia para se atualizarem, causando uma espiral infinita de superinteligência.
  14. 14. Se a inteligência artificial continuar amistosa aos humanos, ela pode ser benéfica. Mas existe o risco que ela queira um dia nos destruir.
  15. 15. Filmes de ficção científica, como “O Exterminador” e “Blade Runner” abordam a questão de robôs dotados de inteligência artificial que fogem do controle humano.
  16. 16. Mais recentemente, no entanto, Stephen Hawking afirmou que revendo seus conceitos chegou à conclusão de que a mais severa ameaça à vida humana responde por outro nome.
  17. 17. A maior ameaça ao homem, segundo Stephen Hawking, responde pelo nome de agressividade.
  18. 18. “A falha humana que eu mais gostaria de corrigir é a agressividade.” 
  19. 19. “Ela (a agressividade) pode ter sido uma vantagem na época dos homens das cavernas, para que eles pudessem obter mais comida, território ou uma parceira com quem se reproduzir. Mas, agora, ela ameaça destruir todos nós.”
  20. 20. A maior ameaça ao futuro coletivo da Humanidade é o próprio homem, quando desprovido de humanidade.
  21. 21. A violência generalizada que acomete todos os rincões da Terra, seja na forma de guerras, seja na forma de violência urbana, está dizimando um sem número de vidas todos os dias.
  22. 22. Como foi que permitimos que a agressividade atingisse níveis tão graves a ponto de ser uma ameaça à própria continuidade da vida humana na Terra?
  23. 23. Stephen Hawking prossegue, afirmando que a qualidade humana que mais gostaria de ampliar é a empatia: “Ela nos une de uma forma amorosa e pacífica”.
  24. 24. O maior cientista da atualidade nos alerta que a agressividade pode ser o algoz do projeto civilizatório, e que, por sua vez, a empatia pode redimir a vida na Terra.
  25. 25. Mas nós, que tão distraidamente andamos nos bondes da rotina, quão frequentemente nos lembramos de vivenciar a empatia?
  26. 26. Quão frequentemente nos recordamos de ensinar, de semear a empatia nos tenros corações das nossas crianças?
  27. 27. Nenhuma criança nasce agressiva; Nenhuma criança nasce dotada de empatia.
  28. 28. Se este pequeno ser irá manifestar agressividade ou amorosidade pela vida afora depende daquilo que for semeado no seu tenro coração desde a primeira infância.
  29. 29. É dever da Educação conduzir a criança pela mão pelas alamedas do amor, da bondade, da empatia.
  30. 30. É dever dos pais, dos professores e educadores, e de toda a sociedade garantir uma amorosa educação para todas as nossas crianças.
  31. 31. Se este nosso mundo velho e doente ainda tiver jeito, passa necessariamente por uma nova Educação, um novo olhar sobre a Infância.
  32. 32. Somente com uma nova Educação conseguiremos fazer com que a agressividade seja varrida para que a empatia soberana reine.
  33. 33. Mudar a Educação para mudar o mundo é o desafio mais significativo dos tempos atuais.
  34. 34. Empatia: Capacidade de compreender o sentimento ou reação da outra pessoa, imaginando-se nas mesmas circunstâncias. 
  35. 35. Empatia: Sentir com o outro, pensar com o outro, viver com o outro. Tema musical: Peer Gynt - Suite No. 2, Op. 55 - IV. Solveig's Song, de Edvard Grieg (1843 – 1907)
  36. 36. Empatia: Sentir com o outro, pensar com o outro, viver com o outro. um_peregrino@hotmail.com
  37. 37. Empatia: Sentir com o outro, pensar com o outro, viver com o outro.

×