Responsabilidade ecológica

1.464 visualizações

Publicada em

Trabalho de Grupo - Alunos

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.464
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
33
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Responsabilidade ecológica

  1. 1. Trabalho realizado por:André Costa nº4Gonçalo Martins nº14Gustavo Dias nº15Telmo Navarone nº30
  2. 2. Ecologia -A Ecologia é o estudo da relaçãoentre os organismos e os ambientes em que vivem, incluindo todos os componentes vivos e não vivos.
  3. 3. Poluição• O conceito de poluição, de uma maneira geral, aplica-se a todas as intervenções dos humanos que de alguma forma perturbam (por vezes irremediavelmente) os equilíbrios naturais do meio ambiente.• Ao mesmo tempo, a ideia de poluição aparece associada à presença de elementos tóxicos que dificultam gravemente a vida no respectivo habitat.
  4. 4. Tipos de poluição• -sonora• -hídrica• -atmosférica
  5. 5. Responsabilidade ecológica• -O ser humano é um ser racional e uma espécie dominante. Assim o seu dever é proteger aquilo que permite e garante a sua existência, a sua continuidade.• - Isto implica que o Homem deveria tomar como principal atenção o planeta e sua respectiva protecção, segurança.
  6. 6. • Nós estamos a destruir o planeta.• Hoje sabemos que somos o nosso maior inimigo. A nossa irresponsabilidade, ganância, necessidade de ter algo melhor foi o que levou a esta situação actual.
  7. 7. E o que está errado?...• Exemplo: a escassez da água.• Todos sabemos que a quantidade de água própria para consumo é bastante diminuída, apenas cerca de 2 % de toda a água que existe no planeta é água doce e nos com as nossas acções estamos a gastar a pouca agua que temos.
  8. 8. Jonas Hans Resumo biográfico• Nasceu em 1903, em Mönchengladback, na Alemanha, no seu de família e comunidade judaicas.• Teve uma intensa vida intelectual, que segundo o próprio• Em 1934, teve de abandonar a Alemanha devido à ascensão do nazismo ao poder. Foi para Israel, onde se integrou numa brigada judaica de auto-defesa.• Em 1945, volta à Alemanha e toma conhecimento que os pais haviam morrido (a mãe, no campo de concentração de Auschwitz). Em 1949, vai para o Canadá, leccionando nas Universidades de Montreal e Otawa e em 1955, transfere-se para os EUA.• Faleceu em 1993, nos EUA, tendo sido um homem sempre activo até ao fim dos seus dias.
  9. 9. Eco ética e o princípio da responsabilidade moral• No ponto de vista de Hans Jonas, as bombas atómicas largadas no Japão e suas consequências foram o que levou ao desenvolvimento do pensamento em direcção a um novo tipo de questionamento, o poder do Homem na Natureza. Hans Jonas teve como base o filósofo Kant e apresentou imperativos semelhantes aos do respectivo, tais como :• “Age de tal modo que os efeitos da tua acção sejam compatíveis com a permanência duma vida humana autêntica na Terra” • ou • “Age de tal modo que os efeitos da tua acção não sejam destrutivos para a futura possibilidade dessa Vida” • ou• “ Inclui na tua eleição presente, como objecto também do teu querer, a futura integridade do Homem” • ou • “Não ponhas em perigo as condições da continuidade indefinida da Humanidade na Terra”
  10. 10. • O quarto imperativo mostra-nos que não nos é tirada a legitimidade de arriscar a própria vida mas não nos é permitido arriscar a vida da Humanidade. Questionamo- nos então sobre se existe realmente uma obrigação para com aqueles que ainda não existem e se esses mesmo podem exigir ou sequer têm direito a exigir uma existência. Na visão da ética clássica e antropocêntrica temos então o interesse e a obrigação moral de defesa e manutenção da espécie humana. No futuro deve haver a todo o custo um mundo apto para que o Homem o habite. Podemos dizer que a existência de um mundo é melhor do que a sua inexistência.
  11. 11. Só porque temos a capacidade de alterar os modelosatmosféricos em grandes regiões da Terra e criar novas formas de vida, será que temos o direito de fazer tais coisas?• O problema não é o conhecimento em si, mas sim a aplicação que lhe damos. Logo, a questão que subsiste para o futuro não se relaciona com o desenvolvimento das tecnologias mas antes com a forma sábia de as implementar nas nossas vidas. Assim, a ecoética exige não só responsabilidade, que sabemos que é o elemento central, mas também sabedoria e conhecimento.
  12. 12. • A tecnologia moderna faz com que seja reduzida cada vez mais a distância que se considera saudáve entre os desejos do quotidiano e os seus fins últimos. É por isso que é-nos exigida uma maior sabedoria na acção e decisão.• Por outro lado, reconhecemos a nossa própria ignorância quando se fala das consequências das acções humanas. Reconhecemos também o possível irreversibilidade. E assim é-nos exigido o conhecimento, pois esta nova ética deve ser uma ética informada.
  13. 13. Conclusão• Após a execução deste trabalho, concluímos que devemos estar sériamente preocupados com o ambiente actual. Este é o nosso mundo e há que o tratar convenientemente e de maneira a que permita não só a nossa existência mas também de futuras gerações. Conhecemos os problemas, as consequências e as soluções.• Agora precisamos apenas de tratar o nosso planeta com responsabilidade, visando não as nossas acções imeadiatas mas sim o futuro da Humanidade e do planeta, ou por outras palavras, tendo em vista o nosso futuro e dos outros. Assim há que pensar em nós, mas principalmente nas gerações futuras!

×