R E L A TÓ R I O D E V I A G E M

1.782 visualizações

Publicada em

A importância do relatório de viagem no Turismo Social

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.782
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

R E L A TÓ R I O D E V I A G E M

  1. 1. RELATÓRIO DE VIAGEM A importância desta ferramenta no Turismo Social
  2. 2. Significado - RELATÓRIO <ul><li>s.m. Ato de relatar. / Exposição de fatos observados por determinação de autoridade etc. / Parecer. </li></ul><ul><li>Fonte: www.dicionariodoaurelio.com </li></ul>
  3. 3. PERGUNTAS IMPORTANTES <ul><li>Por que fazer um relatório? </li></ul><ul><li>Como fazer um relatório? </li></ul><ul><li>Qual a forma de um relatório? </li></ul><ul><li>O que observar para escrever um relatório? </li></ul><ul><li>Quais os pontos fundamentais de um relatório para o Programa de Turismo Social? </li></ul>
  4. 4. Por que fazer um relatório?? Escrever auxilia na: <ul><li>organização das idéias </li></ul><ul><li>organização dos resultados </li></ul><ul><li>compreensão de novas possibilidades de atuação </li></ul><ul><li>na visualização do desenvolvimento do roteiro para a Unidade Operadora </li></ul>
  5. 5. Como fazer um Relatório?? Antes de mais nada... <ul><li>Conhecer os princípios do TS </li></ul><ul><li>Ter claro seu papel enquanto Guia de Turismo, dentro do Programa de Turismo Social </li></ul><ul><li>Saber o que se espera do relatório </li></ul><ul><li>Ter uma postura observadora e crítica </li></ul>http://www.producao.ufrgs.br
  6. 6. Qual a Forma de um Relatório?? Redação: A forma é importante <ul><li>Rever o texto </li></ul><ul><li>Escrever de forma impessoal (recomenda-se a 3ª </li></ul><ul><li>pessoa do singular) </li></ul><ul><li>Usar vocabulário claro </li></ul><ul><li>Usar frases curtas para facilitar o entendimento </li></ul><ul><li>Construir as frases em ordem direta (sujeito, </li></ul><ul><li>verbo, complementos) </li></ul><ul><li>Observar os tempos dos verbos (presente/passado) </li></ul><ul><li>Observar a pontuação </li></ul><ul><li>http://www.producao.ufrgs.br </li></ul>
  7. 7. O que considerar ao planejar um relatório? <ul><li>A forma é importante ... </li></ul><ul><li>mas não substitui resultados consistentes e a interpretação adequada da realidade </li></ul><ul><li>http://www.producao.ufrgs.br </li></ul><ul><li>OM MANI PADME HUM </li></ul><ul><li>Om fecha a porta para o sofrimento </li></ul><ul><li>Ma fecha a porta que vem da inveja. </li></ul><ul><li>Ni fecha a porta para o sofrimento que vem do desejo. </li></ul><ul><li>Pad fecha a porta para o sofrimento que vem da ignorância </li></ul><ul><li>Me fecha a porta para o sofrimento que vem da ganância </li></ul><ul><li>Hum fecha a porta para o sofrimento que vem da raiva ou ódio </li></ul>
  8. 8. O que observar para escrever um relatório? Olhar fotográfico... <ul><li>O roteiro na prática </li></ul><ul><li>Locais visitados do roteiro </li></ul><ul><li>Os acessos aos locais </li></ul><ul><li>Estacionamento do ônibus </li></ul><ul><li>Acessibilidade dos atrativos, dificuldades </li></ul><ul><li>Novas opções de atrativos </li></ul><ul><li>A reação das pessoas em diferentes situações </li></ul><ul><li>O entorno </li></ul>
  9. 9. O que é relevante para o TS <ul><li>As relações pessoais no grupo ( entrosamento, participação), ex: “Em Curitiba o convívio durante os passeios, ao se organizarem em busca das opções para os jantares (não incluso – sugeridas pelo Guia Ivo) e noites livres, fez com que o grupo se aproximasse “ </li></ul><ul><li>Situações onde podemos perceber um ou mais dos princípios norteadores </li></ul><ul><li>A atuação do guia, tendo em vista os princípios norteadores do TS, ex: “ Esse é o caminho que encontrei em minha atividade profissional, como prestador de serviço, para participar da construção do processo educativo na formação de público para as viagens e no turismo, alinhado ao Conceito e Princípios Norteadores definidos pelo SESC em seu programa no Turismo Social. Dessa maneira, vejo que o 2º (protagonismo dos participantes), 3º (educação pelo turismo) e 4º (educação para o turismo) princípios foram estimulados e aplicados” </li></ul>
  10. 10. Continuando... <ul><li>Condições da hospedagem: higiene, iluminação, acessibilidade, atendimento, roupas de cama e banho, entorno, segurança </li></ul><ul><li>Condições das refeições: higiene, variedade, qualidade, iluminação, segurança, acesso do ônibus </li></ul><ul><li>Guia receptivo: DIFÍCIL mas, precisamos observar o trabalho com o grupo, cumprimento do roteiro, disponibilidade, envolvimento com o grupo, ex: “Profissional com 18 anos no mercado do turismo, altamente recomendável. A qualidade das informações e desempenho apresentadas durante nossos passeios..” </li></ul>
  11. 11. Continuando... <ul><li>O roteiro, pontos positivos, pontos negativos, sugestões etc..ex: “... Outra opção é incluir mais uma diária, aumentando o número de 4 para 5 diárias.Ambas as sugestões visam um maior conforto para os pax....” </li></ul><ul><li>O ônibus e o motorista, idem ao guia </li></ul><ul><li>As atividades desenvolvidas durante o deslocamento, o roteiro ( em especial em Bertioga) </li></ul><ul><li>A auto avaliação, pontos positivos e a melhorar </li></ul>
  12. 12. Ampliando nossos horizontes <ul><li>Fotos </li></ul><ul><li>Filmes </li></ul><ul><li>Depoimentos dos paxs </li></ul><ul><li>Catálogos, folders e outros materiais da localidade </li></ul><ul><li>Histórias inusitadas </li></ul>
  13. 13. “ A viagem da descoberta, consiste não em achar novas paisagens, mas em ver com novos olhos” Marcel Proust <ul><li>Qual a relação, você faz, entre esta frase e o Relatório de Viagem? </li></ul>

×