Vida santa (1Ts 4:1-12)_Resumo_Lição_732012_da Escola Sabatina

994 visualizações

Publicada em

https://www.facebook.com/gerson.g.ramos
https://twitter.com/@ramosgerson7

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
994
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vida santa (1Ts 4:1-12)_Resumo_Lição_732012_da Escola Sabatina

  1. 1. Vida santa (1Ts 4:1-12)Lição 7 11 a 18 de agosto VERSO PARA MEMORIZAR: “Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação” (1Ts 4:7).- Impureza: (Heb. geralmente tame," impureza [cerimonial ou religiosa] "também Zenunim, zenût, gr. akatharsia,"impureza " [geral]).- A Poluição ou impureza que mancha a alma, pode ser de origem física, mental, ou religiosa que é o espiritual, em queparte for que haja a contaminação ela se espalha pelo ser todo. O propósito de Deus em revelar impureza, fosse deforma voluntária ou involuntária, era para ensinar seu povo a distinção entre o santo e o profano, entre o puro e o impuroe para ensinar todos os estatutos que Ele tem ordenado (cf. Lev. 10:10-11), uma distinção que todos devem reconhecerpara servir a Deus de modo aceitável, para que recebamos Dele a limpeza ou purificação.Os que não querem cair presa dos enganos de Satanás devem guardar bem as vias de acesso ao coração;devem se esquivar de ler, ver ou ouvir tudo quanto sugira pensamentos impuros. Não devem permitir que amente se demore ao acaso em cada assunto que o inimigo das almas venha a sugerir. O coração deve ser fielmenteguardado, pois, de outra maneira os males externos despertarão os internos e a pessoa vagará em trevas.Atos dos Apóstolos, p. 518.Tereis de tornar-vos fiéis sentinela sobre os olhos, ouvidos, e vossos sentidos todos, se quereis controlarvossa mente e impedir que pensamentos vãos e corruptos vos manchem a alma. O poder da graça,unicamente, pode realizar esta importante obra. Testimonies, vol. 2, pág. 561.- Santificação: (gr. haguiasmós [del verbo haguiázo, "consagrar", "santificar", "separar"; equivalente ao verbo heb.qâdash, "apartar do uso comum, para o uso divino", "santidade", "consagração","dedicação").- Santo: (Heb. sûr, "desviar-se", "apartar-se" "distanciar-se, "retirar-se"; gr. ekklíno, "desviar-se de","esquivar", "evitar"). A palavra aparece em Jó 1:1, 8, 2:3, 2 P. 3:11; etc. E tem o sentido de "abster-se [apartar-se]de"; principalmente el de "fugir [escapar] assustado de" “com medo de” algo. É o que se decide a servir a Deus eagora com o poder recebido do alto se aparta do mal, tornarem-se consagrados instrumentos por cujo intermédio possaEle operar.A santificação de alma, corpo e espírito nos circundará da atmosfera do Céu. Se Deus nos escolheu desde aeternidade, é para que fôssemos santos, tendo a consciência purificada de obras mortas para servirmos aoDeus vivo. Não devemos de maneira alguma fazer do próprio eu o nosso deus. Deus a Si mesmo Se deu paramorrer por nós, a fim de que pudesse purificar-nos de toda iniquidade. O Senhor levará avante essa obra deperfeição para nós se consentirmos em ser dominados por Ele. Leva avante essa obra para nosso bem e para a glória deSeu próprio nome. Mensagens Escolhidas, Vol. 3 pp. 200-201.A verdadeira santificação significa perfeito amor, perfeita obediência, perfeita conformidade com a vontadede Deus. Devemos santificar-nos para Deus mediante a obediência à verdade. Nossa consciência deve serexpurgada das obras mortas para servir ao Deus vivo. Não somos ainda perfeitos; mas é nosso privilégiodesvencilharmo-nos dos obstáculos do eu e do pecado e prosseguir para a perfeição. Grandes possibilidades, altas esantas conquistas são colocadas ao alcance de todos. ...O maior louvor que os homens podem apresentar a Deus é tornarem-se consagrados instrumentos por cujointermédio possa Ele operar. Atos dos Apóstolos, pp. 565-566.Objetivo: Se conscientizar de que a sexualidade humana foi criada por Deus com um propósito grandioso, e é umprecioso presente, que revela Seu amor e atenção para conosco, mas assim como todos os dons e bençãos, separadosda orientação divina, mal administrada, sem critério, é desviada do propósito e perde a sua função, se tornando emmalefício. Domingo: Progredir cada vez mais (1Ts 4:1, 2)1. Como os princípios da oração de Paulo em 1 Tessalonicenses 3:11-13 poderiam ser aplicados na vida dos cristãos?Qual é a relação entre essa oração e as instruções de 1 Tessalonicences 4:1-18?I TESS. 3:11 Ora, o próprio Deus e Pai nosso e o nosso Senhor Jesus nos abram o caminho até vós, 12 e o Senhor vosfaça crescer e abundar em amor uns para com os outros e para com todos, como também nós abundamos paraconvosco; 13 para vos confirmar os corações, de sorte que sejam irrepreensíveis em santidade diante denosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus com todos os seus santos.I TESS. 4:1 Finalmente, irmãos, vos rogamos e exortamos no Senhor Jesus que, como aprendestes de nós de quemaneira deveis andar e agradar a Deus, assim como estais fazendo, nisso mesmo abundeis cada vez mais. 2 Pois vóssabeis que preceitos vos temos dado pelo Senhor Jesus. 3 Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossasantificação: que vos abstenhais da prostituição, 4 que cada um de vós saiba possuir o seu vaso emsantidade e honra, 5 não na paixão da concupiscência, como os gentios que não conhecem a Deus; 6ninguém iluda ou defraude nisso a seu irmão, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas, como também antes vo- Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com
  2. 2. lo dissemos e testificamos. 7 Porque Deus não nos chamou para a imundícia, mas para a santificação. 8 Portanto,quem rejeita isso não rejeita ao homem, mas sim a Deus, que vos dá o seu Espírito Santo. ...- Os cristãos mais experientes devem estar andando junto, dos mais recentes na fé, apoiando, ensinando e orandoconstantemente para que o Senhor confirme-os, com o crescimento no amor, na santidade e na pureza, a fim de evitar aconduta pecaminosa e os crescentes enganos teológicos, tanto atuais como os que surgirão antes da vinda de Jesus.Todos quantos se acham empenhados na obra em toda missão devem adquirir profundidade na experiência.Os que são novos na obra devem receber o auxílio dos mais experientes, e compreender a maneira detrabalhar. Os movimentos missionários estão sendo continuamente embaraçados por falta de obreiros com a devidaespécie de espírito - obreiros devotados e justos, que representem devidamente a nossa fé. CPPE, p. 500.Muitos teriam boa vontade de trabalhar, se lhes ensinassem a começar. Necessitam ser instruídos eanimados. Toda igreja deve ser uma escola missionária para obreiros cristãos. Seus membros devem ser instruídos a darestudos bíblicos, em dirigir e ensinar classes da Escola Sabatina, na melhor maneira de auxiliar os pobres e cuidar dosdoentes, de trabalhar pelos inconversos. Deve haver cursos de saúde, de arte culinária, e classes em vários ramos deserviço no auxílio cristão. Não somente deve haver ensino, mas trabalho real, sob a direção de instrutores experientes.Que os mestres vão à frente no trabalho entre o povo, e outros, unindo-se a eles, aprenderão em seu exemplo. Umexemplo vale mais que muitos preceitos. A Ciência do Bom Viver, pág. 149.- A Deus, que vos dá o seu Espírito Santo.Conduzir o pecador a Cristo é a obra do Consolador, o Espírito Santo. O Salvador é o Exemplo divino, a perfeiçãoda santidade, e Ele remodela a alma. Temos o privilégio de receber de Cristo toda a excelência necessária para aperfeição do caráter. Porém, para obtermos essa excelência, precisamos manifestar mais abnegação, mais sacrifíciopessoal. Carta 155, 1902.- Relação entre a oração e as instruções de I TESS. 4:1-18.A oração é ordenada pelo Céu como meio de alcançar êxito no conflito com o pecado e no desenvolvimento do carátercristão. As influências divinas que vêm em resposta à oração da fé produzirão na alma do suplicante tudo o que elepleiteia. Podemos pedir o perdão do pecado, o Espírito Santo, a natureza cristã, sabedoria e fortaleza para Sua obra,todos os dons, enfim, que Ele prometeu, e a promessa é: "Recebereis." Atos dos Apóstolos, p. 564. Segunda: A vontade de Deus: a santificação (1Ts 4:3)2. Leia 1 Tessalonicenses 4:3 e 7. Qual é a relação entre os dois versos? Qual é a mensagem básica de ambos? Qual éa importância dessa mensagem para nós hoje?I Tess. 4:3 Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais daprostituição, 4 que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santidade e honra, 5 não na paixão daconcupiscência, como os gentios que não conhecem a Deus; 6 ninguém iluda ou defraude nisso a seu irmão, porque oSenhor é vingador de todas estas coisas, como também antes vo-lo dissemos e testificamos. 7 Porque Deus não noschamou para a imundícia, mas para a santificação. 8 Portanto, quem rejeita isso não rejeita ao homem, mas sim aDeus, que vos dá o seu Espírito Santo.- A vontade de Deus é a nossa santificação definido aqui como “controlar o seu próprio corpo” (1Ts 4:3, 4, NVI), que é ooposta à impureza e prostituição (do gr. porneia) “imoralidade sexual” (1Ts 4:3, 4, NVI); quando buscamos sinceramenteo Deus santo, por meio de Seu poder, escolheremos abandonar dia a dia as coisas que são impuras.A verdadeira santificação é doutrina bíblica. O apóstolo Paulo, em carta à igreja de Tessalônica, declara: "Esta é avontade de Deus, a vossa santificação." E roga: "E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo." I Tess. 4:3; 5:23. ABíblia ensina claramente o que é a santificação, e como deve ser alcançada. O Salvador orou pelos discípulos: "Santifica-os na verdade: A Tua Palavra é a verdade." João 17:17. E Paulo ensina que os crentes devem ser santificados pelo EspíritoSanto (Rom. 15:16). Qual é a obra do Espírito Santo? Disse Jesus aos discípulos: "Quando vier aquele Espírito de verdade,Ele vos guiará em toda a verdade." João 16:13. E o salmista declara: "Tua lei é a verdade." Pela Palavra e Espírito de Deusse revelam aos homens os grandes princípios de justiça incorporados em Sua lei. E desde que a lei de Deus é santa, justae boa, e cópia da perfeição divina, segue-se que o caráter formado pela obediência àquela lei será santo. Cristo é umexemplo perfeito de semelhante caráter. Diz Ele: "Eu tenho guardado os mandamentos de Meu Pai." "Eu faço sempre oque Lhe agrada." João 15:10; 8:29. Os seguidores de Cristo devem tornar-se semelhantes a Ele - pela graça deDeus devem formar caráter em harmonia com os princípios de Sua santa lei. Isto é santificação bíblica.Esta obra unicamente pode ser efetuada pela fé em Cristo, pelo poder do Espírito de Deus habitando emnós. Paulo admoesta aos crentes: "Operai a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é o que opera em vóstanto o querer como o efetuar, segundo a Sua boa vontade." Filip. 2:12 e 13. O cristão sentirá as insinuações dopecado, mas sustentará luta constante contra ele. Aqui é que o auxílio de Cristo é necessário. A fraquezahumana se une à força divina, e a fé exclama: "Graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo." ICor. 15:57. O Grande Conflito, pp. 469-470.Estamos sob solene obrigação, diante de Deus, de conservar o espírito puro e sadio o corpo, a fim depodermos ser de benefício à humanidade, e prestar a Deus um serviço perfeito.O apóstolo pronuncia estas palavras de advertência: "Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lheobedecerdes em suas concupiscências." Rom. 6:12. Ele insta que sigamos para a frente, dizendo-nos que "todo aqueleque luta de tudo se abstém". I Cor. 9:25. Exorta ele a todos os que se chamam cristãos, a apresentar o corpo "em Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com
  3. 3. sacrifício vivo, santo e agradável a Deus". Rom. 12:1. Diz ele: "Esmurro o meu corpo e o reduzo à escravidão, para que,tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desclassificado." I Cor. 9:27. Testimonies, vol. 2, pág. 381.A santificação apresentada nas Escrituras compreende o ser inteiro: espírito, alma e corpo. Paulo orou pelostessalonicenses para que todo o seu espírito, e alma, e corpo fossem plenamente conservados irrepreensíveis para avinda de nosso Senhor Jesus Cristo (I Tess. 5:23). Outra vez escreve ele aos crentes: "Rogo-vos, pois, irmãos, pelacompaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus." Rom. 12:1.No tempo do antigo Israel, toda oferta trazida como sacrifício a Deus era cuidadosamente examinada. Se se descobriaqualquer defeito no animal apresentado, era rejeitado; pois Deus recomendara que a oferta fosse "semmancha". Assim se ordena aos cristãos que apresentem o corpo "em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus". Afim de fazerem isto, todas as faculdades devem ser conservadas na melhor condição possível. Todo uso oucostume que enfraquece a força física ou mental, inabilita o homem para o serviço de seu Criador. E agradar-Se-á Deuscom qualquer coisa que seja menos do que o melhor que podemos oferecer? Disse Cristo: "Amarás o Senhor teu Deus detodo o teu coração." Os que amam a Deus de todo o coração, desejarão prestar-Lhe o melhor serviço de suavida, e estarão constantemente procurando pôr toda faculdade do ser em harmonia com as leis que ostornarão aptos a fazer a Sua vontade. Não aviltarão nem mancharão, pela condescendência com o apetiteou paixões, a oferta que apresentam a seu Pai celestial.Diz Pedro: "Peço-vos ... que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma." I Ped. 2:11. Todacondescendência pecaminosa tende a embotar as faculdades e a destruir o poder de percepção mental eespiritual, e a Palavra ou o Espírito de Deus apenas poderão impressionar debilmente o coração. Pauloescreve aos coríntios: "Purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temorde Deus." II Cor. 7:1. E entre os frutos do Espírito - "caridade, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé,mansidão" - enumera a "temperança". Gál. 5:22 e 23. O Grande Conflito, pp. 473-474. Terça: Não como fazem os gentios (1Ts 4:4, 5)3. O que devemos fazer com nosso corpo? Que exemplo devemos evitar? Que lição esse texto traz para nós? 1Ts 4:4, 5que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia,como os gentios que não conhecem a Deus; (1 Ts 4:4-5)- Devemos manter o corpo em santificação e honra; devemos evitar o desejo de lascívia que é a paixão sensual, e oexcesso sexual, comum entre os gentios; para não ser dominado pelo pecado, precisamos conhecer e depender de Deus.O amor é um princípio puro e santo, mas a paixão sensual não admite restrições nem que lhe ditem regrasou o controle da razão. É cega às consequências e não raciocina da causa para o efeito. Mente, Caráter ePersonalidade, Vol 1 p. 222).A pureza moral, o respeito próprio, o forte poder de resistência, têm de ser acariciados firme econstantemente. … Não julgue ninguém que ele possa vencer sem o auxílio de Deus. Precisais ter a energia,a força, o poder, de uma vida interior produzida em vosso íntimo. Produzireis então frutos para asantificação e abominareis intensamente o vício. Deveis lutar constantemente para manter afastada amundanidade, as conversas fúteis, tudo que é sensual, e vos propordes como alvo a nobreza da alma e umcaráter imaculado. Medicina e Salvação, págs. 143 e 144.- Evitar “O desejo de lascívia” que significa a paixão sensual, desejos que se não forem evitados tornam-seincontroláveis agindo contra o raciocínio e a lucidez alterando o comportamento, o sensual é o oposto do moral, é oexcesso, abuso em práticas pervertidas, e em quantidade sexual exageradas, mesmo que lícitas.Muitos pais não obtêm o conhecimento que deviam em sua vida matrimonial. Não se guardam para queSatanás não se aproveite deles, controlando-lhes a mente e a vida. Não vêem que Deus requer que elescontrolem sua vida matrimonial, evitando qualquer excesso. Bem poucos, porém, sentem ser um dever religiosoreger as próprias paixões. Uniram-se em matrimônio ao objeto de sua escolha, e daí raciocinam que ocasamento santifica a condescendência com as paixões inferiores. Mesmo homens e mulheres que professampiedade dão rédea solta a suas paixões de concupiscência, e nem pensam que Deus os considera responsáveis pelodispêndio da energia vital que lhes enfraquece o poder na vida e enerva-lhes todo o organismo.O concerto matrimonial encobre pecados das mais negras cores. Homens e mulheres que professampiedade desonram o próprio corpo mediante a condescendência com as paixões corruptas, rebaixando-semais que as criaturas irracionais. Abusam das faculdades que Deus lhes deu a fim de serem preservadas emsantificação e honra. A saúde e a vida são sacrificadas sobre o altar da paixão inferior. As mais elevadas enobres faculdades são postas em sujeição às propensões sensuais. Os que assim pecam não conhecem osresultados dessa maneira de proceder. Pudessem todos ver a soma de sofrimentos que trazem sobre si mesmos por suapecaminosa condescendência, e ficariam alarmados, e alguns pelo menos, recuariam da senda de pecado que traz tãotremendos resultados. Tão miserável é a existência arrastada por uma grande classe, que a morte lhes seria preferível àvida; e muitos morrem prematuramente, sacrificada a existência nessa obra inglória da excessiva satisfação das paixõessensuais. Todavia, por serem casados, julgam não cometer pecado nenhum. Mensagens Escolhidas, Vol. 1 pp. 267-268.Nosso corpo pertence a Deus. Pagou Ele o preço da redenção tanto para o corpo como para a alma. ... Deus é o grandezelador do maquinismo humano. Ao cuidarmos do nosso corpo devemos cooperar com Ele. O amor de Deus é necessárioà vida e à saúde. A fim de que tenhamos saúde perfeita nosso coração deve estar cheio de esperança, amor e alegria.As paixões inferiores devem ser estritamente vigiadas. As faculdades perceptivas são mal empregadas,terrivelmente mal empregadas, quando se permite que as paixões corram desenfreadas. Quando secondescende com as paixões, em lugar de circular por todas as partes do corpo, aliviando assim o coração e purificando Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com
  4. 4. a mente, é o sangue atraído em quantidade excessiva para os órgãos internos. Como resultado vem a doença. Não podeo homem ser sadio até que o mal seja notado e corrigido."Mas o que se ajunta com o Senhor" - que está estreitamente ligado a Cristo no concerto da graça - "é ummesmo espírito. Fugi da prostituição." I Cor. 6:17 e 18. Não vos de tenhais por um momento para arrazoar. Satanás seregozijaria ao ver-vos vencidos pela tentação. Não pareis para discutir o caso com vossa consciência enfraquecida.Desviai-vos do primeiro passo da transgressão.Quisera que o exemplo de José fosse seguido por todos aqueles que alegam ser sábios, que se sentem capazes em suaprópria força para desincumbir-se dos deveres da vida. O homem sábio não se deixará governar e dominar porseus apetites e paixões, mas os controlará e governará. Aproximar-se-á de Deus, esforçando-se parapreparar mente e corpo para desempenhar-se a contento dos deveres da vida. ... Satanás é o destruidor;Cristo o restaurador. Conselhos Sobre Saúde, págs. 41, 586-588. Quarta: De acordo com o plano de Deus (1Ts 4:6-8)4. O que Paulo disse sobre a imoralidade sexual? 1Ts 4:6-8I Tess. 4:6 ninguém iluda ou defraude nisso a seu irmão, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas, comotambém antes vo-lo dissemos e testificamos. 7 Porque Deus não nos chamou para a imundícia, mas para a santificação.8 Portanto, quem rejeita isso não rejeita ao homem, mas sim a Deus, que vos dá o seu Espírito Santo.- Visto que Deus não nos chamou para a impureza ou imoralidade, mas para a santificação, se prejudicarmos nossoirmão, Deus será vingador, significando que efetuará a justiça, dando a cada um conforme as suas obras.Cremos sem nenhuma dúvida que Cristo está para vir em breve. Isto não é uma fábula para nós; é uma realidade. ...Quando Ele vier, não nos há de purificar de nossos pecados, remover de nós os defeitos que há em nossocaráter, ou curar-nos das fraquezas de nosso gênio e disposição. Se acaso esta obra houver de ser efetuadaem nós, sê-lo-á totalmente antes daquela ocasião. Quando o Senhor vier, os que são santos serão santosainda. Os que houverem conservado o corpo e o espírito em santidade, em santificação e honra, receberãoentão o toque final da imortalidade. Mas os que são injustos, não santificados e sujos, assim permanecerão parasempre. Nenhuma obra se fará então por eles para lhes tirar os defeitos, e dar-lhes um caráter santo. Então oRefinador não Se assentará para prosseguir em Seu processo de purificação, e para remover-lhes ospecados e a corrupção. Tudo isto deve ser feito nestas horas da graça. É agora que esta obra deve ser feitapor nós. Testemunhos Seletos, vol. 1, págs. 181 e 182. Quinta: Cuidar do próprio negócio (1Ts 4:9-12)5. Que aspectos de 1 Tessalonicenses 3:11-13 são reafirmados no texto de 1 Tessalonicenses 4:9-12? - O dever de crescer no amor de uns para com os outros; o amor é demonstrado na santidade dos irmãos que trabalhampara não ser pesados aos outros e na proteção da honra uns dos outros.I TESS. 3:11 Ora, o próprio Deus e Pai nosso e o nosso Senhor Jesus nos abram o caminho até vós, 12 e o Senhor vosfaça crescer e abundar em amor uns para com os outros e para com todos, como também nós abundamospara convosco; 13 para vos confirmar os corações, de sorte que sejam irrepreensíveis em santidade diante de nossoDeus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus com todos os seus santos.I TESS. 4:9 Quanto, porém, ao amor fraternal, não necessitais de que se vos escreva, visto que vós mesmos soisinstruídos por Deus a vos amardes uns aos outros; 10 porque certamente já o fazeis para com todos os irmãos que estãopor toda a Macedônia. Exortamo-vos, porém, irmãos, a que ainda nisto abundeis cada vez mais, 11 e procureis viverquietos, tratar dos vossos próprios negócios, e trabalhar com vossas próprias mãos, como já vo-lo mandamos, 12 a fimde que andeis dignamente para com os que estão de fora, e não tenhais necessidade de coisa alguma.- “E o Senhor vos faça crescer e abundar em amor uns para com os outros”."Nós amamos porque Ele nos amou primeiro." I João 4:19. Verdadeira conversão, verdadeira santificação será acausa da mudança em nossos conceitos e em nossos sentimentos de uns para com os outros e para comDeus. "Nós conhecemos e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor, e aquele que permanece no amorpermanece em Deus, e Deus, nele." I João 4:16. Precisamos crescer na fé. Precisamos conhecer a santificação doEspírito. Com fervorosa oração, precisamos buscar a Deus, para que o divino Espírito possa operar em nós.Deus será então glorificado pelo exemplo do instrumento humano. Seremos cooperadores de Deus.Mensagens Escolhidas, Vol. 3 p. 200.6. Que admoestação Paulo fez aos tessalonicenses sobre negócios e ocupação no contexto urbano? 1Ts 4:11, 12- Eles deviam viver tranquilamente, cuidando dos próprios negócios, evitando depender dos outros e dando bom exemploaos não cristãos.I TESS. 4:11 e procureis viver quietos, tratar dos vossos próprios negócios, e trabalhar com vossas próprias mãos, comojá vo-lo mandamos, 12 a fim de que andeis dignamente para com os que estão de fora, e não tenhais necessidade decoisa alguma.- O Apóstolo Trabalhou para não ser pesado a nenhum dos irmãos; não porque não tivéssemos autoridade ou direito,“mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes” Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com
  5. 5. Porque, vos recordais, irmãos, do nosso labor e fadiga; e de como, noite e dia labutando para não vivermos àcusta de nenhum de vós, vos proclamamos o evangelho de Deus. Vós e Deus sois testemunhas do modo por quepiedosa, justa e irrepreensivelmente procedemos em relação a vós outros, que credes. (1 Ts 2:9-10)Ao mesmo tempo que Paulo tinha cuidado em apresentar aos seus conversos os positivos ensinos da Escritura comrelação à devida manutenção da obra de Deus, e se bem que pedisse para si, como ministro do evangelho, o "direito dedeixar de trabalhar" (I Cor. 9:6) em empregos seculares como meio de vida, todavia em várias ocasiões, durante seuministério nos grandes centros de civilização, ele trabalhou num ofício para obter sua própria subsistência. …É em Tessalônica que primeiro ouvimos a respeito de Paulo trabalhar com as próprias mãos num meio de vida, enquantopregava a Palavra. Escrevendo à igreja dos crentes aí, ele lhes lembrava que podia ser-lhes pesado, e acrescenta: "Bemvos lembrais, irmãos, do nosso trabalho e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum devós, vos pregamos o evangelho de Deus." I Tess. 2:9. E outra vez, em sua segunda epístola aos mesmos, declarou queele e seus companheiros de trabalho, enquanto com eles, não haviam comido "de graça" "o pão de homem algum". Noitee dia trabalhando, escreveu ele, "para não sermos pesados a nenhum de vós; não porque não tivéssemosautoridade, mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes". II Tess. 3:8 e 9.Quando Paulo visitou Corinto, encontrou-se entre gente que suspeitava dos intuitos dos estrangeiros. Os gregos nolitoral eram espertos negociantes. Por tanto tempo se haviam exercitado em sagazes práticas comerciais,que haviam chegado a considerar o ganho como piedade, e que fazer dinheiro, fosse por meios lícitos ounão, era coisa recomendável. Paulo se achava familiarizado com suas características, e não lhes queria darocasião de dizer que ele pregava o evangelho a fim de se enriquecer. Ele podia, com razão, haver solicitadosustento de seus ouvintes coríntios; mas estava disposto a renunciar a esse direito, a fim de que suautilidade e êxito como ministro não fossem prejudicados por suas injustas suspeitas de que ele pregava oevangelho por interesse. Ele procurava afastar qualquer ocasião de dar lugar a um mau juízo, a fim de nãoprejudicar a influência da mensagem. …Enquanto ele trabalhava com Áquila, mantinham-se em contato com o grande Mestre, não perdendooportunidade de testemunhar em favor do Salvador, e de auxiliar os que disso necessitavam . Seu espíritoesforçava-se sempre em busca de conhecimento espiritual. Dava a seus companheiros de trabalhoinstruções quanto às coisas espirituais, e dava ao mesmo tempo um exemplo de atividade e de esmero. Eleera um operário ligeiro e hábil, diligente no negócio, fervoroso "no espírito, servindo ao Senhor". Rom. 12:11. Enquantotrabalhava em seu ofício, o apóstolo estava em contato com uma classe de pessoas que, de outro modo,não teria podido atingir. Ele mostrava aos seus cooperadores que a habilidade nas artes comuns é dom de Deus, oqual provê, tanto o dom, como a sabedoria para o empregar devidamente. Ensinava que mesmo nos serviços diários,Deus deve ser honrado. Suas mãos calosas em nada diminuíam a força de seus comoventes apelos como ministrocristão. …Sendo um dos maiores mestres da humanidade, Paulo alegremente cumpria os mais humildes, bem como osmais elevados deveres. Quando, em seu serviço para o Mestre, as circunstâncias o pareciam exigir, de boavontade trabalhava em seu ofício. Entretanto, estava sempre pronto a pôr de lado seu trabalho secular a fim deenfrentar a oposição dos inimigos do evangelho, ou aproveitar uma oportunidade de atrair almas para Jesus. Seu zelo eindústria são uma censura à indolência e ao desejo de comodidade. Atos dos Apóstolos, págs. 346-355. Sexta: Estudo adicionalConclusão: Em “Vida santa” (1Ts 4:1-12) aprendi que ...- A sexualidade humana foi criada por Deus com um propósito grandioso, e é um precioso presente, que revela Seu amore atenção para conosco, mas assim como todos os dons e bençãos, separados da orientação divina, mal administrada,sem critério, é desviada do propósito e perde a sua função, se tornando em malefício.- Para Progredir cada vez mais os cristãos mais experientes devem estar andando junto, dos mais recentes na fé,apoiando, ensinando e orando constantemente para que o Senhor confirme-os, com o crescimento no amor, na santidadee na pureza, a fim de evitar a conduta pecaminosa e os crescentes enganos teológicos, tanto atuais como os quesurgirão antes da vinda de Jesus.- A vontade de Deus: a santificação, definida aqui neste contexto como “controlar o seu próprio corpo” (1Ts 4:3, 4,NVI), que é o oposta à impureza e prostituição “imoralidade sexual” (1Ts 4:3, 4, NVI); quando buscamos sinceramente oDeus santo, por meio de Seu poder, escolheremos abandonar dia a dia as coisas que são impuras.- Devemos manter o corpo em santificação e honra, evitando o desejo de lascívia que é a paixão sensual, e o excessosexual, e não como fazem os gentios que não conhecem a Deus e se entregam a eles. Para não ser dominado pelopecado, precisamos conhecer e depender de Deus.- De acordo com o plano de Deus, que não nos chamou para a impureza ou imoralidade, mas para a santificação, seprejudicarmos nosso irmão, Deus será vingador, significando que efetuará a justiça, dando a cada um conforme as suasobras.- É importante viver tranquilamente, crescer no amor e cuidar do próprio negócio, evitando depender dos outros,proceder de modo justo, piedoso e irrepreensível, para dar o exemplo tanto à igreja quanto aos de fora, e deixar semefeito as críticas e acusações. Por isso o Apóstolo Paulo trabalhou para não ser pesado a nenhum dos irmãos; não porquenão tivéssemos autoridade ou direito, “mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes”. II Tess. 3:8 e 9. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com

×