Reestruturação Societária            Novembro 2007
Agenda  Reestruturação Societária  Light  PCP                              2
Agenda  Reestruturação Societária  Light  PCP                              3
Reestruturação Societária - Reestruturação Societária           - Aumento da Participação no Controle da Equatorial e da C...
1. Concentração do Controle da Equatorial eda CEMAR    Em 05/11/07 foi assinado contrato entre GP Energia e PCP Latin Amer...
1. Concentração do Controle da Equatorial eda CEMAR              Estrutura Atual                                        Es...
2. Incorporação da PCP Energia pela Equatorial                                                   Estrutura da Participação...
2. Incorporação da PCP Energia pela Equatorial    O CA da Equatorial aprovou um Protocolo, firmado entre a Equatorial e a ...
2. Incorporação da PCP Energia pela Equatorial                              Estrutura após Concentração do Controle       ...
2. Incorporação da PCP Energia pela EquatorialCálculo do Valor das Ações da Equatorial Energia e PCP Energia Participações...
3. Adesão da Equatorial ao Novo Mercado     Após a Incorporação, serão submetidas à aprovação dos acionistas da Equatorial...
3. Adesão da Equatorial ao Novo Mercado                     Estrutura após a Concentração do Controle,               Incor...
Análise da Relação de Troca          Análise - Relação de Troca                         LIGT3       EQTL11          Cotaçã...
Análise da Relação de Troca             LIGT3 - Geração                                 Cenário 1          Cenário 2      ...
Análise da Relação de TrocaAnálise - EQTL em 26/11/07                     LIGT3       EQTL11      LIGT3 - Distribuição    ...
Estratégia Pós-Reestruturação   Cemar e Light: retorno    Continuidade do processo de reestruturação na Cemar e     superi...
Reestruturação Societária As principais conseqüências da reestruturação proposta são:     •   Eliminação de restrições geo...
Agenda  Reestruturação Societária  Light  PCP                              18
Light S.A. – Highlights                                                                                              Energ...
Light S.A. – Histórico da Companhia • Após um resultado negativo no seu processo de revisão tarifária em 2003 e uma gestão...
Light S.A. – Estrutura Societária                                                                   Mercado 47,8%         ...
Light S.A. - Distribuição                                                        Distribuição                           20...
Light S.A. - Geração                                                          Geração                         2005    2006...
Light S.A. – Comercialização  •   A Light através da sua subsidiária Light      Esco, atua como comercializadora e      ag...
Light S.A. – Resultado Financeiro             Receita Líquida                               Custos Operacionais           ...
Light S.A. – Resultado Financeiro                EBITDA                                  Lucro Líquido                 (R$...
Light S.A. – Resultado Financeiro                      Dívida Líquida                              (R$MM)         4.223   ...
Light S.A. – Governança Corporativa   Acionistas                                             Grupo de Discussão           ...
Light S.A. – Criação de Valor                                •   Novos projetos de geração                                ...
Agenda  Reestruturação Societária  Light  PCP                              30
PCP – Histórico   •   Em 2001, o Banco Pactual, banco de investimentos líder no Brasil, criou uma       companhia de inves...
PCP – Estrutura de Investimento                                  • Estratégia fundamentalista e de longo prazo com        ...
PCP – Investimentos Selecionados                 •   Em 1995, o Pactual participou através da Iven da privatização da ESCE...
PCP – PDG Realty•     Companhia focada no mercado imobiliário      brasileiro, gerindo direta e indiretamente      investi...
PCP – Por Que o Setor Elétrico?      O PCP possui longo histórico e vasta experiência no setor       • O setor elétrico no...
Contato                           Carlos Piani                        Diretor Presidente                          Leonardo...
Aviso        As estimativas e declarações futuras constantes da presente apresentação têm por embasamento, em grande      ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Reestruturação societária

1.163 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.163
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
31
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reestruturação societária

  1. 1. Reestruturação Societária Novembro 2007
  2. 2. Agenda Reestruturação Societária Light PCP 2
  3. 3. Agenda Reestruturação Societária Light PCP 3
  4. 4. Reestruturação Societária - Reestruturação Societária - Aumento da Participação no Controle da Equatorial e da CEMAR - Incorporação da PCP Energia pela Equatorial - Adesão da Equatorial ao Novo Mercado - Análise da Relação de Troca das Ações - Estratégia após a Aprovação da Reestruturação Societária 4
  5. 5. 1. Concentração do Controle da Equatorial eda CEMAR Em 05/11/07 foi assinado contrato entre GP Energia e PCP Latin America Power Fund, que define a transferência da totalidade das ações detidas pela GP Energia na Equatorial Energia Holdings, LLC, sociedade que controla indiretamente a Equatorial, ao PCP Latin America Power Fund O preço a ser pago pela transferência das ações da GP Energia é de R$203,8 MM, o que equivale a uma cotação de R$18,64/Unit A transferência está condicionada à autorização da ANEEL, de modo que somente será implementada se e depois de obtida a anuência da Agência Concluída a transferência, a Equatorial e a CEMAR, terão o controle concentrado no PCP Latin America Power Fund 5
  6. 6. 1. Concentração do Controle da Equatorial eda CEMAR Estrutura Atual Estrutura após Concentração do Controle PCP Latin America PCP Latin America GP Energia Brasil LP GP Energia Brasil LP PCP Latin America PCP Latin America Power Fund Limited Power Fund Limited Power Fund Limited Power Fund Limited 46,25% total 53,75% total 100% total Equatorial Energia Equatorial Energia Equatorial Energia Equatorial Energia Holdings, LLC Holdings, LLC Holdings, LLC Holdings, LLC 100% total 100% total Brasil Energia II LLC Brasil Energia LLC Brasil Energia II LLC Brasil Energia LLC Exterior Exterior 55,60% ON 55,60% ON 3,80% PN 3,80% PN 30,70% total Brasil 30,70% total Brasil Equatorial Energia Equatorial Energia Equatorial Energia Equatorial Energia S.A. S.A. S.A. S.A. 65,07% ON 65,07% ON 65,02% total 65,02% total CEMAR CEMAR CEMAR CEMAR 6
  7. 7. 2. Incorporação da PCP Energia pela Equatorial Estrutura da Participação na Light S.A. PCP Latin America PCP Latin America Power Fund Limited Power Fund Limited Após a concentração, o PCP Latin America Power Fund buscará consolidar na 99,96% ON Exterior Equatorial Energia os seus investimentos 99,96 total Brasil no setor de energia PCP Energia PCP Energia Participações S.A. Participações S.A. A proposta é incorporar, na Equatorial, a 25,00% ON 25,00% total PCP Energia Participações RME – Rio Minas RME – Rio Minas Energia S.A. Energia S.A. Sociedade que detém participação indireta de 13,06% na Light, através da RME, e que, 52,24% ON através do acordo de acionistas, 52,24% total compartilha o controle da Light Light S.A. Light S.A. 7
  8. 8. 2. Incorporação da PCP Energia pela Equatorial O CA da Equatorial aprovou um Protocolo, firmado entre a Equatorial e a PCP Energia, que estabelece as condições para a futura Incorporação O Protocolo prevê uma relação de troca entre as ações da Equatorial e PCP Energia, com base na média ponderada pelo volume da cotação das Units da Equatorial e das ações da Light nos 90 pregões anteriores a 05/11/07 A cotação média da EQTL11 foi de R$19,31/Unit e da LIGT3 foi de R$27,85/mil ações, o que resultou em uma relação implícita de troca de 0,6934 Units da Equatorial para cada lote de mil ações da Light A Equatorial contratará empresa especializada independente para elaborar um laudo de avaliação da Equatorial e da PCP Energia, para fornecer informações adicionais sobre o valor das sociedades A Incorporação somente será implementada após a conclusão da transferência da GP Energia e a aprovação da operação em AGE, onde os acionistas detentores de ações PN terão o mesmo direito de voto dos acionistas detentores de ações ON 8
  9. 9. 2. Incorporação da PCP Energia pela Equatorial Estrutura após Concentração do Controle PCP Latin America PCP Latin America Power Fund Limited Power Fund Limited 100% total Equatorial Energia Equatorial Energia Holdings, LLC Holdings, LLC 100% total Brasil Energia II LLC Brasil Energia LLC Exterior 99,96% ON 55,60% ON 99,96 total 3,80% PN PCP Energia PCP Energia 30,70% total Brasil Participações S.A. Participações S.A. Equatorial Energia Equatorial Energia 25,00% ON S.A. S.A. 25,00% total RME – Rio Minas RME – Rio Minas Energia S.A. Energia S.A. 65,07% ON 65,02% total 52,24% ON 52,24% total Light S.A. Light S.A. CEMAR CEMAR 9
  10. 10. 2. Incorporação da PCP Energia pela EquatorialCálculo do Valor das Ações da Equatorial Energia e PCP Energia Participações PCP Energia Part.Participação (%) 25,0%Participação (R$) R$ 740.036.708,96 RME / LidilParticipação (%) 52,24%Participação (R$) R$ 2.960.146.835,85 EQTL11 (R$/Unit) LIGT3 (R$/000 ações)Cotação Média Ponderada* R$ 19,31 (1) R$ 27,85 (2)Número de Units / Ações 66.218.483 203.462.739.012Valor das ações R$ 1.278.678.900,29 R$ 5.666.437.281,48Relação de Troca Implícita (1)/(2) 0,6934* 90 pregõesCálculo da Relação de Troca entre Equatorial Energia e PCP Energia Participações Equatorial Energia PCP Energia Part.Valor das Ações R$ 1.278.678.900,29 R$ 740.036.708,96Número de Ações 198.655.448 179.831.100Valor por Ação R$ 6,44 (1) R$ 4,12 (2)Relação de Troca (2)/(1) 0,6393 .50% Emissão Ações Ordinárias 0,3197 .50% Emissão Ações Preferenciais 0,3197 10
  11. 11. 3. Adesão da Equatorial ao Novo Mercado Após a Incorporação, serão submetidas à aprovação dos acionistas da Equatorial, as seguintes matérias: • conversão das ações preferenciais em ações ordinárias, na proporção de 1 ação preferencial em 1 ação ordinária • grupamento das ações na proporção de 1 ação ordinária para cada 3 ações ordinárias • reforma do Estatuto Social, assegurando os mais altos padrões de governança corporativa na Companhia • adesão às regras e listagem das ações da Equatorial no Novo Mercado da Bovespa A conversão das ações PNs em ONs somente ocorrerá após a Incorporação, logo a conversão não acarretará na dispersão das ações representativas de mais de 50% do capital votante da Equatorial, as quais continuarão detidas por um único acionista 11
  12. 12. 3. Adesão da Equatorial ao Novo Mercado Estrutura após a Concentração do Controle, Incorporação da PCP Energia e Adesão ao Novo Mercado PCP Latin America PCP Latin America Power Fund Limited Power Fund Limited 100% total Brasil Energia II LLC Brasil Energia LLC Exterior 56,1% ON 56,1% total Brasil Equatorial Energia Equatorial Energia S.A. S.A. 25,00% ON 25,00% total 65,07% ON RME – Rio Minas 65,02% total RME – Rio Minas Energia S.A. Energia S.A. 52,24% ON 52,24% total Light S.A. Light S.A. CEMAR CEMAR 12
  13. 13. Análise da Relação de Troca Análise - Relação de Troca LIGT3 EQTL11 Cotação por lote de mil ações/UNIT 27,85 19,31 Número de ações/UNITs 203.462.739.012 66.218.483 Valor das Ações (R$MM) 5.666 1.279 Dívida Bruta (R$MM) 1.776 474 Caixa (R$MM) (559) (325) Dívida Líquida (R$MM) 1.217 149 Dívida Fundo de Pensão (R$MM) 873 Ativo Regulatório Liquido (R$MM) (363) (58) Dívida Líquida Ajustada (R$MM) 1.727 91 Valor da Firma (VF) (R$MM) 7.393 1.370 EBITDA (Últ. 12 meses) 1.398 243 EBITDA Ajustado (Últ. 12 meses) 1.235 243 VF/EBITDA (x) 5,3 5,6 VF/Adj. EBITDA (x) 6,0 5,6 Vol. Fat. em MWh (Últ. 12 meses) 18.465 3.080 VF/MWh (R$/MWh) 400 445 13
  14. 14. Análise da Relação de Troca LIGT3 - Geração Cenário 1 Cenário 2 Capacidade Assegurada (MW) 537 537 VF/MW Assegurado (R$ mil) 2.500 4.500 Valor da Firma (R$MM) 1.343 2.417 (--) Dívida Líquida (R$MM) - - (=) Valor das Ações (R$MM) 1.343 2.417 Número de ações 203.462.739.012 203.462.739.012 Cotação por lote de mil ações (R$) 6,60 11,88 LIGT3 - Distribuição Cenário 1 Cenário 2 Cotação por lote de mil ações 21,25 15,97 Número de ações 203.462.739.012 203.462.739.012 Valor das Ações (R$MM) 4.324 3.250 Dívida Bruta (R$MM) 1.776 1.776 Caixa (R$MM) (559) (559) Dívida Líquida (R$MM) 1.217 1.217 Dívida Fundo de Pensão (R$MM) 873 873 Ativo Regulatório Liquido (R$MM) (363) (363) Dívida Líquida Ajustada (R$MM) 1.727 1.727 Valor da Firma (VF) (R$MM) 6.051 4.977 EBITDA (Últ. 12 meses) 1.227 1.227 EBITDA Ajustado (Últ. 12 meses) 1.064 1.064 VF/EBITDA (x) 4,9 4,1 VF/Adj. EBITDA (x) 5,7 4,7 Vol. Fat. em MWh (Últ. 12 meses) 18.465 18.465 VF/MWh (R$/MWh) 328 270 14
  15. 15. Análise da Relação de TrocaAnálise - EQTL em 26/11/07 LIGT3 EQTL11 LIGT3 - Distribuição Cenário 1 Cenário 2Relação de Troca 0,6934Cotação por lote de mil ações/UNIT 23,03 15,97 Cotação por lote de mil ações 16,43 11,15Número de ações/UNITs 203.462.739.012 66.218.483 Número de ações 203.462.739.012 203.462.739.012Valor das Ações (R$MM) 4.686 1.058 Valor das Ações (R$MM) 3.344 2.270Dívida Bruta (R$MM) 1.776 474 Dívida Bruta (R$MM) 1.776 1.776Caixa (R$MM) (559) (325) Caixa (R$MM) (559) (559)Dívida Líquida (R$MM) 1.217 149 Dívida Líquida (R$MM) 1.217 1.217Dívida Fundo de Pensão (R$MM) 873 Dívida Fundo de Pensão (R$MM) 873 873Ativo Regulatório Liquido (R$MM) (363) (58) Ativo Regulatório Liquido (R$MM) (363) (363)Dívida Líquida Ajustada (R$MM) 1.727 91 Dívida Líquida Ajustada (R$MM) 1.727 1.727Valor da Firma (VF) (R$MM) 6.413 1.149 Valor da Firma (VF) (R$MM) 5.071 3.997EBITDA (Últ. 12 meses) 1.398 243 EBITDA (Últ. 12 meses) 1.227 1.227EBITDA Ajustado (Últ. 12 meses) 1.235 243 EBITDA Ajustado (Últ. 12 meses) 1.064 1.064VF/EBITDA (x) 4,6 4,7 VF/EBITDA (x) 4,1 3,3VF/Adj. EBITDA (x) 5,2 4,7 VF/Adj. EBITDA (x) 4,8 3,8Vol. Fat. em MWh (Últ. 12 meses) 18.465 3.080 Vol. Fat. em MWh (Últ. 12 meses) 18.465 18.465VF/MWh (R$/MWh) 347 373 VF/MWh (R$/MWh) 275 216 15
  16. 16. Estratégia Pós-Reestruturação Cemar e Light: retorno Continuidade do processo de reestruturação na Cemar e superior através de na Light, através de gestão diferenciada, ganhos de desempenho operacional e eficiência operacional e redução das perdas comerciais financeiro diferenciado Aquisição de controle, independente ou compartilhado Consolidação das Distribuidoras no Brasil Agregação de valor através de reestruturação financeira e e na América Latina operacional, ganhos de sinergia e redução de perdas Pesados investimentos serão necessários em geração e Investimentos em transmissão nos próximos anos no Brasil Geração e Transmissão Este cenário poderá gerar oportunidades de investimento e co-investimento para a Equatorial Energia 16
  17. 17. Reestruturação Societária As principais conseqüências da reestruturação proposta são: • Eliminação de restrições geográficas na estratégia de crescimento da Equatorial • Ampliação do intercâmbio de melhores práticas entre as empresas controladas • Aprimoramento dos padrões de governança corporativa com listagem no Novo Mercado • Concentração dos investimentos em energia do controlador em um único veículo 17
  18. 18. Agenda Reestruturação Societária Light PCP 18
  19. 19. Light S.A. – Highlights Energia Vendida – 9M07 Outros Residencial 17,5% 40,2% RR AP AM MA CE PA RN PB AC PI PE Comercial RO TO SE AL 31,3% Industrial MT BA 10,9% DF GO 13.753 GWh MG MS ES SP RJ EBITDA por Segmento – 9M07 PR Comercialização SC Geração 0,3% RS 11,8% Holding com presença em distribuição, geração e comercialização 3ªmaior distribuidora do Brasil em termos de energia vendida* Distribuição 4ª maior base de clientes do país* 87,9% 852 MW de capacidade instalada Receita Bruta superior a R$6 bilhões nos 9M07 R$1.032 MM Fonte: ABRADEE e Light; * 2006 19
  20. 20. Light S.A. – Histórico da Companhia • Após um resultado negativo no seu processo de revisão tarifária em 2003 e uma gestão ineficiente, a Light tornou-se insolvente e foi forçada a renegociar suas dívidas com os credores • Em março de 2006, o consórcio formado pela PCP, CEMIG, AG Concessões e Fundo Luce (RME) venceu processo de licitação para aquisição do controle da Light • O consórcio adquiriu por US$ 320 Milhões a participação de 79,39% do capital votante e total da Light • O consórcio assumiu efetivamente a Companhia em agosto de 2006, após o atendimento de uma série de pré-requisitos, incluindo a aprovação das autoridades regulatórias do Brasil e da França 20
  21. 21. Light S.A. – Estrutura Societária Mercado 47,8% Light S.A. (Holding) Light S.E.S.A. Light Energia Light Esco Ltda Lightger (Distribuição) (Geração) (Comercialização) (Novos Projetos) 21
  22. 22. Light S.A. - Distribuição Distribuição 2005 2006 9M07 • 3,8 milhões de consumidores em 31 municípios Receita Líquida (R$ MM) 4.875 5.212 3.742 PMSO (R$MM) 511 588 425 do estado do Rio de Janeiro, cobrindo 25% do Provisões (R$MM) 479 732 237 total do estado com uma área de cobertura de EBITDA (R$MM) 751 599 911 10.970 Km² Média Consumidores (mil) 3.732 3.788 3.828 • A venda de energia atingiu 18.324 GWh nos PMSO (R$) / Consumidor 137 155 111 últimos 12 meses (SET-07), representando EBITDA (R$) / Consumidor 201 158 238 aproximadamente 75% do total da energia consumida no estado • A qualidade do fornecimento de energia é uma Área de Concessão das melhores do Brasil. Nos últimos 12 meses, o FEC atingiu 6,24x e o DEC 8,38h • Após a troca do controle, o índice de arrecadação melhorou significativamente, aumentando de 91% no 3T06 para 99% no 3T07 • As perdas de energia no 3T07 que foram de 26,5%, representam um desafio na área de concessão Área Metropolitana Grande Rio de Janeiro • O reajuste tarifário acontece todo o mês de Região do Vale do Paraiba novembro. A próxima Revisão Tarifária ocorrerá em novembro de 2008 22
  23. 23. Light S.A. - Geração Geração 2005 2006 9M07 Receita Líquida (R$ MM) 20 253 197• A Light possui e opera 5 UHEs e 2 estações PMSO (R$MM) 3 41 29 elevatórias Provisões (R$MM) - 6 - EBITDA (R$MM) 14 147 122• As 5 usinas estão localizadas em três regiões Capacidade Assegurada (MW Avg.) 537 537 537 de geração: Santa Branca, Lages e Ilha dos Pombos EBITDA / Cap. Assegurada (kw) 26 274 227• A capacidade total instalada é de 852 MW, para uma demanda assegurada de energia de 537 MW• Os contratos de geração de energia da Light possuem uma média de preço de venda de R$ 60/MWh, com a maioria dos contratos vencendo em 2012 e 2013• Atualmente, 3 novas usinas geradoras estão sendo desenvolvidas: PCH Paracambi (25MW de capacidade instalada), PCH Lages (no complexo de Lages) e UHE Itaocara no Rio Paraíba do Sul (195 MW de capacidade instalada) 23
  24. 24. Light S.A. – Comercialização • A Light através da sua subsidiária Light Esco, atua como comercializadora e agenciadora para os consumidores livres • Nos 9M07, a Light na sua atividade de comercialização vendeu para os seus 19 clientes um total de 278 GW de energia Negócios 2005 2006 9M07 Receita Líquida (R$ MM) - - 24 PMSO (R$MM) - - 8 • Os seus clientes incluem a Unilever e a Provisões (R$MM) - - - AMBEV EBITDA (R$MM) - - 3 • Como agente, a Light possui 9 clientes com os quais negociou 892 GW nos 9M07 • Entre os seus clientes, estão a TV Globo e a Aços Gerdau 24
  25. 25. Light S.A. – Resultado Financeiro Receita Líquida Custos Operacionais (R$MM) (R$MM) CAGR 6,4% 4.534 CAGR 9,3% 4.268 4.443 1.643 5.423 1.381 5.335 4.886 3.543 - 16% 4.084 2.891 2.887 2004 2005 2006 LTM07 2004 2005 2006 LTM07 Não Gerenciáveis Gerenciáveis 25
  26. 26. Light S.A. – Resultado Financeiro EBITDA Lucro Líquido (R$MM) (R$MM) CAGR 18,6% 1.398 942 838 765 738 243 (98) (150) 2004 2005 2006 LTM07 2004 2005 2006 LTM07 26
  27. 27. Light S.A. – Resultado Financeiro Dívida Líquida (R$MM) 4.223 -71,2% Rating 3.147 de Investimento 2.540 (S&P) brA- 1.217 2004 2005 2006 SET07 Curto Prazo Moeda 8% Estrangeira 9% Longo Moeda Prazo Nacional 92% 91% 27
  28. 28. Light S.A. – Governança Corporativa Acionistas Grupo de Discussão RME Grupo Controlador Minoritários Assembléia Geral Comitê de Auditoria Fiscal Interface Conselho de Administração Comitê de Comitê de Recursos Comitê de Governança e Comitê de Comitê de Auditoria Finanças Humanos Sustentabilidade Gestão Administração Diretoria Conselho de Consumidores Instituto Light Superintendentes, Gerentes e Equipes 28
  29. 29. Light S.A. – Criação de Valor • Novos projetos de geração • Renovação dos contratos iniciais de energia Crescimento • Expansão das atividades de comercialização de energia • Investimentos significativos no estado do Rio de Janeiro • Redução de custos Ganhos • Prevenção de perdas de energia • Elevação das taxas de arrecadação de Eficiência • Terceirização das atividades não essenciais • Venda dos ativos não operacionais Retorno para • Forte geração de caixa os acionistas • Política de distribuição de dividendos Compromisso • Aprimoramento na relação com os clientes com o Futuro • Recuperação da imagem institucional da Light 29
  30. 30. Agenda Reestruturação Societária Light PCP 30
  31. 31. PCP – Histórico • Em 2001, o Banco Pactual, banco de investimentos líder no Brasil, criou uma companhia de investimentos com o objetivo de gerenciar e diversificar os investimentos dos seus sócios • Em 2006, com a venda do Pactual para o UBS, parte dos recursos originários da venda foi reinvestido nesta divisão de investimentos, que foi renomeada para UBS Pactual Gestão de Investimentos Alternativos • Hoje, o UBS Pactual Gestão de Investimentos Alternativos gerencia o capital dos ex- sócios do Banco Pactual através de um fundo de investimento em quotas chamado de PCP, que investe através de uma estratégia de investimentos diversificada em fundos específicos no Brasil e exterior • Atualmente, os fundos do PCP têm de US$ 3 bilhões sob a sua gestão com investimentos em fundos de fundos, hedge funds, ações listadas, private equity e no setor imobiliário 31
  32. 32. PCP – Estrutura de Investimento • Estratégia fundamentalista e de longo prazo com mais de R$250 milhões investidos (OUT-2007) • Aquisição do controle ou controle compartilhado de companhias • Investimentos realizados através da sua coligada PDG Realty 32
  33. 33. PCP – Investimentos Selecionados • Em 1995, o Pactual participou através da Iven da privatização da ESCELSA, a primeira privatização do setor elétrico brasileiro, companhia esta controlada por Iven investidores institucionais e financeiros. Em 1996, a ESCELSA adquiriu a ENERSUL. Em 1999, o investimento na Iven foi vendido para o grupo português EDP • Em março de 2006, o PCP investiu R$87,5 milhões na Equatorial Energia, Equatorial companhia controladora da CEMAR, e dividiu o controle conjuntamente com a Energia GP Investimentos. Em maio de 2006, a Equatorial Energia abriu o seu capital na BOVESPA • Em março 2006, o consórcio formado pela PCP, CEMIG, Andrade Gutierrez Concessões e Fundo Luce venceu processo de licitação para a aquisição do Light controle da Light S.A., companhia holding de energia nos segmentos de geração, distribuição e atividades de comercialização de energia • O PCP começou a participar do setor imobiliário em 2002. Em janeiro de 2007, a PDG Realty PDG Realty finalizou o seu processo de abertura de capital e formalmente tornou- se o braço imobiliário do Fundo PCP. A PDG Realty concentra todos os atuais e futuros investimentos do PCP no setor imobiliário 33
  34. 34. PCP – PDG Realty• Companhia focada no mercado imobiliário brasileiro, gerindo direta e indiretamente investimentos imobiliários através de suas coligadas• Uma das maiores empresas do setor imobiliário negociadas na BOVESPA, com capitalização de mercado superior a R$3,6 bilhões• Até setembro de 2007, participou de mais de 100 lançamentos imobiliários• Levantou R$ 630 milhões através da sua oferta OPERAÇÕES inicial de ações em janeiro de 2007 e mais R$500 milhões através de uma segunda oferta de ações em outubro de 2007• Gerenciada por ex-sócios do Pactual, com vasta experiência nos setores imobiliário, de private equity e de finanças corporativas• O fundo de private equity FIP PDG I, controlado indiretamente pelo PCP, é atualmente proprietário de 46,5% da Companhia (investimento de aprox. R$ 1,4 bilhão) 34
  35. 35. PCP – Por Que o Setor Elétrico? O PCP possui longo histórico e vasta experiência no setor • O setor elétrico no Brasil é complexo e altamente regulado • Experiência no setor configura-se em grande diferencial O setor ainda é altamente fragmentado • O processo de consolidação ainda é incipiente • O PCP está posicionado para avaliar e explorar alternativas de investimentos com rígida disciplina financeira Demanda por energia elétrica é potencializada pelo crescimento econômico A implementação de controles rígidos de custos e disciplina financeira geram retornos atrativos nas distribuidoras • Companhias competem contra a “empresa de referência” estabelecida pela ANEEL • Competição na compra e na venda é limitada • Estrutura de capital ótima adequada gera retornos superiores 35
  36. 36. Contato Carlos Piani Diretor Presidente Leonardo Dias Diretor Financeiro e de RI Telefone 1: +0 XX (98) 3217-2198 Telefone 2: +0 XX (98) 3217-2113 Email: ri@equatorialenergia.com.br Website: http://www.equatorialenergia.com.br/ri 36
  37. 37. Aviso As estimativas e declarações futuras constantes da presente apresentação têm por embasamento, em grande parte, as expectativas atuais e estimativas sobre eventos futuros e tendências que afetam ou podem potencialmente vir a afetar os negócios, a situação financeira, os resultados operacionais e prospectivos da EQUATORIAL. Estas estimativas e declarações estão sujeitas a diversos riscos, incertezas e suposições e são feitas com base nas informações de que a EQUATORIAL atualmente dispõe. Esta apresentação também está disponível no site www.equatorialenergia.com.br/ri e no sistema IPE da CVM. Essas estimativas envolvem riscos e incertezas e não consistem em garantia de um desempenho futuro, sendo que os reais resultados ou desenvolvimentos podem ser substancialmente diferentes das expectativas descritas nas estimativas e declarações futuras. Tendo em vista os riscos e incertezas envolvidos, as estimativas e declarações acerca do futuro constantes desta apresentação podem não vir a ocorrer e, ainda, os resultados futuros e o desempenho da EQUATORIAL podem diferir substancialmente daqueles previstos nas estimativas da EQUATORIAL. Por conta dessas incertezas, o investidor não deve se basear nestas estimativas e declarações futuras para tomar uma decisão de investimento. As palavras “acredita”, “pode”, “poderá”, “estima”, “continua”, “antecipa”, “pretende”, “espera” e expressões similares têm por objetivo identificar estimativas. Tais estimativas referem-se apenas à data em que foram expressas, sendo que a EQUATORIAL não pode assegurar a atualização ou revisão de quaisquer dessas estimativas em razão da ocorrência de nova informação, de eventos futuros ou de quaisquer outros fatores. Esta apresentação não constitui oferta, convite ou solicitação de oferta de subscrição ou compra de quaisquer valores mobiliários. E, esta apresentação ou qualquer informação aqui contida não constituem a base de um contrato ou compromisso de qualquer espécie 37

×