Projeto 6 sigma - Apresentação slide share

2.534 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.534
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
100
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto 6 sigma - Apresentação slide share

  1. 1. Fundação Vanzolini Gustavo Scarabôtolo Gattás Projeto 6 Sigma - Melhoria da Capacidade do Processo de Usinagem da Peça Nº 2281016 – Data de início: 06/09/2004 Revisão: 03 Direitos Autorais Reservados
  2. 2. Fundação Vanzolini Descrição do Projeto OBJETIVO DO PROJETO Reduzir o índice de não conformidade do processo de usinagem que está em 60.000 PPM para um máximo de 20.000 PPM, num prazo inferior a seis meses. DPMO INICIAL: 60.457 ppm Cp inicial : 0,76 Cpk inicial : 0,54 META: 20.000 ppm ESTIMATIVA DE REDUÇÃO DE CUSTO ANUAL: R$ 38.280,00 Direitos Autorais Reservados
  3. 3. Fundação Vanzolini Descrição do ProjetoEscopo do Projeto:• Inclui: • Processo de usinagem da peça nº 2281016 que consiste em: •1ª operação : topador, facear frente, escarilhar frente, chanfrar fundo e frente, facear fundo – Torno Automático Traub A 15/25 – Dimensão 49,60 + 0,10 mm; •Não Inclui: •2ª operação : escarilhar fundo – Furadeira de Bancada; •3ª operação : tratamento superficial ( cromeação ) – externo; •Defeitos no material (escaras na parte interna do tubo);Impacto no Cliente: • Evitar danos no molde de injeção plástica (se a peça ficar maior o molde não fecha podendo danificá-lo); •Evitar peças injetadas com defeito (se ficar menor o furo é coberto por plástico); •Impacto na Empresa: • Diminuição de refugos, retrabalho e inspeção final. Direitos Autorais Reservados
  4. 4. Fundação Vanzolini Descrição do Projeto Cliente : Filtertek CTQ associado ao projeto : Dimensão 49,60 + 0,10 mm ( comprimento do tubo ); Unidade: um tubo usinado; Oportunidades: uma oportunidade por peça; Defeitos (por oportunidade): uma peça com dimensão maior ou menor. Direitos Autorais Reservados 4
  5. 5. Fundação Vanzolini Equipe de Projeto FASE DO PROJETO Principais DEFINIÇÃO MEDIÇÃO ANÁLISE MELHORIA CONTROLE EnvolvidosNucleo:1 - Gustavo Gattás X X X X X2 - Claudio Deido X X X X X3 - Ademir Bertolino X X X X4 - Jefferson Moura X X X XAmpliada: x5 - Antonio Santos6 - Kelly Zechi X x Direitos Autorais Reservados 5
  6. 6. Fundação Vanzolini FEPSCFornecedores Entradas Processo Saídas Clientes Pérsico Pisamiglio Operadores, Tornos Posicionar o mate- Peça usinada OP 20 - Furadeira Sandvik Automáticos. rial no alimentador. Aços Vic Usinar o tubo em 1ª operação. Direitos Autorais Reservados 6
  7. 7. Mapa do Processo –Fundação Vanzolini Específico Posicionar o tubo de aço no alimentador do torno 1ª OPERAÇÃO : Topador 2ª OPERAÇÃO : Facear Frente 3ª OPERAÇÃO : Escarilhar Frente 4ª OPERAÇÃO : Chanfrar Fundo e Frente 5ª OPERAÇÃO : Facear Fundo Direitos Autorais Reservados 7
  8. 8. Fundação Vanzolini Reprodutividade e Repetitividade Estudo de R&R - Paquímetro C 185 ; escala 0-150 mm; precisão 0,01 mm Es t u d o d e R & R - M e d id a 4 9 ,6 0 + 0 ,1 0 mm R e p o rte d b y : G a ge na m e : E stu d o d e R & R - M e d id a 4 9 ,6 0 + 0 , 1 0 m m T o le ra n ce : 0,01 m m D a te o f stu d y : 2 0 /0 9 /2 0 0 4 M isc: 1 2 3 4 5 a n a lista C lá u d io 49,68 C ristin a M ean 49,66 49,64 M e d id a s 49,62 6 7 8 9 10 49,68 49,66 M ean 49,64 49,62 a n a lis t a P a n e l v a ria b le : p e ça Direitos Autorais Reservados 8
  9. 9. Fundação Vanzolini Estudo de R&R Es t ud o d e R & R - M e d id a 4 9,60 + 0 ,1 0 mm R e p o rte d b y : G a ge na m e : E stu d o d e R & R - M e d id a 4 9 ,6 0 + 0 ,1 0 m m T o le ra n ce : 0 ,0 1 m m D a te o f stu d y : 2 0 /0 9 /2 0 0 4 M isc: Co m p o n e n ts o f Va ria tio n M e d id a s b y p e ça % C o n t r ib u t io n % Study Va r 4 9 ,6 8 100 P erc ent % T o le r a n ce 4 9 ,6 5 50 4 9 ,6 2 0 G a g e R& R Re p e a t Re p r o d P a r t- to - P a r t 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 peç a R Ch a rt b y a n a lista M e d id a s b y a n a lista Cl á u d i o Cr i sti n a U CL= 0 ,0 1 1 6 0 4 9 ,6 8 Sam ple R ange 0 ,0 1 0 4 9 ,6 5 0 ,0 0 5 _ R= 0 ,0 0 3 5 5 4 9 ,6 2 0 ,0 0 0 LCL= 0 Cl á u d i o Cr i sti n a analis ta Xb a r Ch a rt b y a n a lista Cl á u d i o Cr i sti n a a n a lista * p e ça I n te ra ctio n a n a list a 4 9 ,6 8 4 9 ,6 8 Sam ple M ean C lá u d io _ A v erage _ CL= 4 9 ,6 6 7 1 5 U C r ist in a X = 4 9 ,6 6 0 4 8 LCL= 4 9 ,6 5 3 8 0 4 9 ,6 5 4 9 ,6 5 4 9 ,6 2 4 9 ,6 2 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 peç a Direitos Autorais Reservados 9
  10. 10. Fundação Vanzolini Estudo de R&R Gage R&R %Contribution Source VarComp (of VarComp) Total Gage R&R 0,0000186 3,84 Repeatability 0,0000174 3,58 Reproducibility 0,0000012 0,25 analista 0,0000012 0,25 Part-To-Part 0,0004664 96,16 Total Variation 0,0004850 100,00 Study Var %Study Var %Tolerance Source StdDev (SD) (6 * SD) (%SV) (SV/Toler) Total Gage R&R 0,0043131 0,025878 19,58 25,88 Repeatability 0,0041677 0,025006 18,92 25,01 Reproducibility 0,0011103 0,006662 5,04 6,66 analista 0,0011103 0,006662 5,04 6,66 Part-To-Part 0,0215960 0,129576 98,06 129,58 Total Variation 0,0220225 0,132135 100,00 132,13 Number of Distinct Categories = 7 Direitos Autorais Reservados 10
  11. 11. Teste de NormalidadeFundação Vanzolini Kolmogorov - Smirnov T e s te de N o r ma l i da de - P r o je to No r m a l 99,9 M ean 49,66 S tD ev 0,02283 99 N 100 KS 0,052 95 P - V alu e > 0,150 90 80 70 Pe r c e nt 60 50 40 30 20 10 5 1 0,1 4 9 ,6 0 4 9 ,6 2 4 9 ,6 4 4 9 ,6 6 4 9 ,6 8 4 9 ,7 0 4 9 ,7 2 4 9 ,7 4 dados Direitos Autorais Reservados 11
  12. 12. Fundação Vanzolini Capacidade Sigma do Processo Capacidade Sigma = Z. Bench + 1,5 = 1,55 + 1,5 = 3,05 E s tudo da C a pa c ida de S igma do P r o c e s s o LS L USL P ro ce ss D a ta W ith in LS L 4 9 ,6 0 0 0 0 O v er all T a rg e t * P o te n tia l (W ith in ) C a p a b ility USL 4 9 ,7 0 0 0 0 Z .B e n ch 1 ,6 2 S a m p le M e a n 4 9 ,6 6 4 0 0 S a m p le N 100 Z .LS L 2 ,9 1 Z .U S L 1 ,6 3 S tD e v (W ith in ) 0 ,0 2 2 0 3 C pk 0 ,5 4 S tD e v (O v e ra ll) 0 ,0 2 2 8 9 C C pk 0 ,7 6 O v e ra ll C a p a b ility Z .B e n ch 1 ,5 5 Z .LS L 2 ,8 0 Z .U S L 1 ,5 7 P pk 0 ,5 2 C pm * 4 9 ,6 0 4 9 ,6 2 4 9 ,6 4 4 9 ,6 6 4 9 ,6 8 4 9 ,7 0 O b se rv e d P e rfo rm a n ce E xp . W ith in P e rfo rm a n ce E xp . O v e ra ll P e rfo rm a n ce P P M < LS L 0 ,0 0 P P M < LS L 1834,58 P P M < LS L 2584,97 PPM > USL 0 ,0 0 PPM > USL 51105,87 PPM > USL 57872,06 P P M T o ta l 0 ,0 0 P P M T o ta l 52940,45 P P M T o ta l 60457,02 Direitos Autorais Reservados 12
  13. 13. Fundação Vanzolini Gráfico de Ishikawa C a us e -a nd-E f f e c t D i a gr a m M ed iç õ es M ater iais M ão d e O b r a M étodos c orretos M aterial c om patív el N º de operadores s ufic iente C onhec im ento de m edidas e M étodos padroniz ados M aterial s / defeito ins trum entos de m ediç ão M aterial = des enho M étodos regis trados C onhec im / em des enhos M aterial s / v ariaç ão dim . Frequênc ia de m ediç ões C onhec im / em pas tilhas M aterial c / durez a c erta C onhec im / em ruídos de m áqs . Ins trum entos de m ediç ões M aterial s / em penar H abilidade do Operador, C alibraç ões doc um entadas Óleos e lubrific antes Preparador e A fiador Ins trum entos identific ados T reinam ento do Operador, Es toque de m ateriais Ins trum entos arm az enados Preparador e A fiador Is entos de m anc has e Ex periênc ia do Operador, A uditorias c onf. norm a defeitos s uperfic iais Preparador e A fiador A feriç ões c onf. norm a M ec ânic os M anut.Preparados Ec onom ia de energia Proc es s os doc um entados B arram entos , buc has U s o rac ional da água C om partilham ento R olam entos , engrenagens , Seguranç a A rm az . de m . prim a Eix os , polias , m anc ais , R es íduos líquidos M étodo de trans porte A lim entadores , c ontadores , R ec ic lagem Em balagem adequada Pinç as , c arrinhos , N ív eis de ruído Sequênc ia de operaç ões V ariaç ão de tens ão R es íduos s ólidos D iv is ão do trabalho Ferram entas e ins ertos Organiz ado A fiaç ão ferram entas L ubrific aç ão L im po Ergonom ia equac ionada M anutenç ão Prev entiv a Salubre Parâm etros de us inagem Parâm etros de us inagem Ilum inado Proc es s os A dequados C apabilidade adequada M eio A m b ien te M éto d o s M áq u in as Direitos Autorais Reservados 13
  14. 14. Fundação Vanzolini Matriz Causa e Efeito PESO (escala de 1 a 5 ) 5 4 ITEM 1 2 CTQs ( Ys ) Tubo Maior Tubo Menor Total ITEM Xs 1 Tubo de Aço (Matéria-Prima) 10 4 66 2 Calibrador de Linha (Medição) 8 6 64 3 Ergon./Ilumin./Visibil. (Meio. Amb.) 4 8 52 4 Insertos de Metal Duro (Máquina) 10 4 66 5 Ferramentas de Aço Rápido (Máquina) 10 4 66 6 Lubrificação (Máquina) 4 4 36 7 Processo de Usinagem (Método) 10 10 90 8 Alimentador do Torno (Máquina) 8 8 72 9 Preparação de Máquina (Mão de Obra) 8 8 72 10 Manutenção Mecânica (Mão de Obra) 10 8 82 11 Parâmetros de Usinagem (Método) 10 6 74 12 Tensão Elétrica (Máquina) 4 4 36 13 Operação de Máquina (Mão de Obra) 6 10 70 14 Torno Automático (Máquina) 10 8 82 15 Afiação de ferramenta (Mão de Obra) 10 8 82 Direitos Autorais Reservados 14
  15. 15. Fundação Vanzolini Gráfico de Pareto para Matriz de Causa e Efeito P a r e to C ha r t o f E ntr a da s 100 0 100 80 0 80 Pe r c e nt Co u n t 60 0 60 40 0 40 20 0 20 0 0 Entra da s b. m t a i c a ic o m n o in a in a i d o r o ç o o r i r ão e g e e n ân á t a g e o r q u q u á p Du e A r a d V i s a ç O t h na m c m n T á á R l d b / ic s i r ra M e t o s i d o M M o e t a o a li m . b r if U e u U ç M b C i lu u o A e ã o d e de A Tu de e F ç ã no d ç o o / to n. / L o d e n r ro t a ç ã ç ã a m e r s o t T o e t e n ra r a r r n s go e s ç ã nu I Er c m im p a p e F e ro f ia M a P A râ A l r e O Pa P C o unt 9 0 82 82 82 74 72 7 2 70 66 66 66 64 52 36 36 Pe r ce nt 9 8 8 8 7 7 7 7 7 7 7 6 5 4 4 C um % 9 17 25 33 41 48 5 5 62 68 75 81 88 93 96 100 Direitos Autorais Reservados 15
  16. 16. Fundação Vanzolini F.M.E.A de Processo S O E ta p a d o E n tra d a d o M o d o d e F a lh a E fe ito d a F a lh a E C a u s a d a F a lh a C P ro c e s s o P ro c e s s o V O Q uão severo é o Q uão frequente a efeito para o cliente? falha ocorre? causa ou o m odo da Q u a l é a e ta p a Q u a l é a e n tra d a D e q u e m o d o a e n tra d a Q u a l é o im p a c to n a s s a íd a s O q u e c a u s a u m a e n tra d a (X ) a d o p ro c e s s o ? d o p ro c e s s o p o d e e s ta r e rra d a ? (Y s o u C T Q s ) o u n o s e s ta r e rra d a ? (X s ) ? re q u is ito s in te rn o s ? U s in a r tu b o n a T ubo de aço D u re za e x c e s s iv a d e D e s g a s te p re m a tu ro d a P ro b le m a s d e q u a lid a d e c o m od im e n s ã o 4 9 ,6 0 m a te ria l fe rra m e n ta (n ã o s e g u ra a 7 fo rn e c e d o r d o m a te ria l 4+ 0 ,1 0 m m m e d id a ), p ro v o c a n d o U s in a r tu b o n a C a lib ra d o r d e C a lib ra d o r d e s g a s ta d o o u M e d iç ã o in c o rre ta d a C a lib ra d o r s e m a fe riç ã o o ud im e n s ã o 4 9 ,6 0 lin h a a v a ria d o d im e n s ã o d a p e ç a 8 a v a ria d o p o r a c id e n te o u 3+ 0 ,1 0 m m u tiliza ç ã o in a d e q u a d a U s in a r tu b o n a In s e rto s d e m e ta l D u re za e /o u te n a c id a d e e m T u b o m a io r d a n ific a a m a triz P ro b le m a s d e q u a lid a d e c o m od im e n s ã o 4 9 ,6 0 d u ro d e s a c o rd o c o m a c la s s e d a d e in je ç ã o e m e n o r e n c h e d e 7 fo rn e c e d o r d a p a s tilh a , 5+ 0 ,1 0 m m p a s tilh a ; d e s g a s te p lá s tic o u tiliza ç ã o d a s a re s ta s d e c o rte U s in a r tu b o n a F e rra m e n ta s d e D e s g a s te p re m a tu ro , n ã o T u b o m a io r d a n ific a a m a triz A fia ç ã o in c o rre ta d a fe rra m e n ta ,d im e n s ã o 4 9 ,6 0 a ç o rá p id o s e g u ra a m e d id a d e in je ç ã o e m e n o r e n c h e d e 7 p ro b le m a s d e q u a lid a d e c o m o 5+ 0 ,1 0 m m p lá s tic o fo rn e c e d o r, u tiliza ç ã o d a a re s ta U s in a r tu b o n a A lim e n ta d o r d o A lim e n ta d o r d e s g a s ta d o / T u b o m a io r d a n ific a a m a triz E q u ip a m e n to s e m in s p e ç ã od im e n s ã o 4 9 ,6 0 to rn o p e s o e rra d o d e in je ç ã o e m e n o r e n c h e d e 8 e /o u m a n u te n ç ã o . P e s o m a l 4+ 0 ,1 0 m m p lá s tic o d im e n s io n a d o U s in a r tu b o n a P ro c e s s o d e N ã o g a ra n te a d im e n s ã o T u b o m a io r d a n ific a a m a triz P ro c e s s o m a l d e s e n v o lv id o ,d im e n s ã o 4 9 ,6 0 u s in a g e m d e n tro d a to le râ n c ia d e in je ç ã o e m e n o r e n c h e d e 8 o p e ra ç õ e s e m s e q u ê n c ia 5+ 0 ,1 0 m m e s p e c ific a d a p lá s tic o in a d e q u a d a U s in a r tu b o n a T o rn o a u to m á tic o D e s g a s te d e e q u ip a m / e /o u T u b o m a io r d a n ific a a m a triz M á q u in a s e m m a n u te n ç ã od im e n s ã o 4 9 ,6 0 fe rra m e n ta l in a d e q u a d o d e in je ç ã o e m e n o r e n c h e d e 8 p re v e n tiv a , d e s a lin h a d a , 5+ 0 ,1 0 m m p lá s tic o d e s g a s ta d a , c o m fo lg a s U s in a r tu b o n a O p e ra ç ã o d e O p e ra d o r c o m e te n d o e rro s T u b o m a io r d a n ific a a m a triz F a lta d e tre in a m e n to ,d im e n s ã o 4 9 ,6 0 T o rn o d e u s in a g e m d e in je ç ã o e m e n o r e n c h e d e 7 h a b ilid a d e , e x p e riê n c ia o u 3+ 0 ,1 0 m m A u to m á tic o p lá s tic o a te n ç ã o U s in a r tu b o n a P re p a ra ç ã o d e P re p a ra d o r d e m á q u in a s T u b o m a io r d a n ific a a m a triz F a lta d e tre in a m e n to ,d im e n s ã o 4 9 ,6 0 T o rn o c o m e te n d o e rro s d e d e in je ç ã o e m e n o r e n c h e d e 8 h a b ilid a d e , e x p e riê n c ia o u 2+ 0 ,1 0 m m A u to m á tic o p re p a ra ç ã o p lá s tic o a te n ç ã o Direitos Autorais Reservados 16
  17. 17. Fundação Vanzolini F.M.E.A de Processo D R S O D R Ações C o n tro le s A tu a is E P Resp. Ações Tom adas E C E P Recom endadas T N V C T N detectar a causa ou Q uão bem pode-se Q u a is s ã o o s c o n tro le s a tu a is e Q u a is s ã o a s a ç õ e s Q uem é Q u a is s ã o a s a ç õ e s p ro c e d im e n to s p a ra p re v e n ir a p a ra re d u zir a re s p o n s á v e l to m a d a s c o m s e u s R P N s c a u s a o u o m o d o d a fa lh a ? o c o rrê n c ia d a c a u s a o u p e la a ç ã o re c a lc u la d o s ? In c lu ir m e lh o ra r d e te c ç ã o ? re c o m e n d a d a m ê s e a n o d e té rm in o . In c lu ir s o m e n te a ç õ e s ? c o m R P N a lto o u d e fá c il im p le m e n ta ç ã oQ u a lific a ç ã o d o fo rn e c e d o r, F o rn e c e d o re s C la u d ioin s p e ç ã o d e re c e b im e n to , 3 84 c e rtific a d o s e c ie n te s 7 4 3 84c a lib ra d o r p a s s a n ã o p a s s a , d e q u e e s ta é u m aP la n o d e a fe riç ã o d e c a lib ra d o re s , T re in a m e n to d e C la u d ioc e rtific a d o d e a fe riç ã o , a u d ito ria d e 3 72 o p e ra d o re s e 8 3 3 72e q u ip a m e n to s d e m e d iç ã o e in s p e to re s d eQ u a lific a ç ã o d o fo rn e c e d o r e D e s e n v o lv e r n o v o s A d e m ir / R e a liza r e s tu d o : In s e rtoin s p e ç ã o d e re c e b im e n to 3 105 fo rn e c e d o re s , re a liza r G u s ta v o N o v o X In s e rto R e a fia d o - 7 5 3 105 e s tu d o s c o m p a ra tiv o s J a n ./2 0 0 4Q u a lific a ç ã o d o fo rn e c e d o r e E lim in a r a u tiliza ç ã o d e A d e m ir E lim in a d o o u s o d e a ç oin s p e ç ã o d e re c e b im e n to 3 105 fe rra m e n ta s d e a ç o rá p id o , s u b s titu id o p o r 7 1 3 21 rá p id o n a u s in a g e m d e m e ta l d u ro - D e z./2 0 0 4P la n o d e m a n u te n ç ã o p re v e n tiv a e F a ze r in s p e ç ã o g e ra l A n tô n io R e v is ã o g e ra l n o sfic h a d e c o n tro le d e e q u ip a m e n to s 5 160 n o a lim e n ta d o r e C a rlo s / a lim e n ta d o re s d o T o rn o s 8 3 5 120 re d im e n s io n a r o p e s o G u s ta v o T ra u b T A 1 1 e T A 1 3F ic h a d e p ro c e s s o s , a n á lis e d a R e e s tu d o d e p ro c e s s o , A d e m ir Im p la n ta ç ã o d e n o v ac a p a c id a d e d o p ro c e s s o , c o n tro le 5 200 a lte ra n d o s e p o s s ív e l a s e q u ê n c ia d e o p e ra ç õ e s 8 3 5 120e lib e ra ç ã o in ic ia l e fin a l s e q u ê n c ia d e n o T o rn o T ra u b T A 1 1P la n o d e m a n u te n ç ã o p re v e n tiv a e F a ze r re v is ã o g e ra l A n to n io R e v is ã o p re v e n tiv a d ofic h a d e c o n tro le d e e q u ip a m e n to s 5 200 n a s m á q u in a s q u e C a rlo s T ra u b T A 1 1 e T A 1 3 - 8 3 5 120 p ro d u ze m e s s a p e ç a D e z./2 0 0 4P la n o d e tre in a m e n to e c u rs o s d e T re in a m e n to e s p e c ífic o G u s ta v oc a p a c ita ç ã o 3 63 p a ra o s o p e ra d o re s 7 3 3 63 d e s s a p e ç a e x p lic a n d oP la n o d e tre in a m e n to e c u rs o s d e T re in a m e n to e s p e c ífic o G u s ta v oc a p a c ita ç ã o 3 48 p a ra o s p re p a ra d o re s 8 2 2 48 d a s m á q u in a s q u e Direitos Autorais Reservados 17
  18. 18. Fundação Vanzolini Boxplot B o x p l o t d o s d a d o s i ni c i a i s d o P r o je to 4 9 ,7 0 4 9 ,6 9 4 9 ,6 8 4 9 ,6 7 4 9 ,6 6 da do s 4 9 ,6 5 4 9 ,6 4 4 9 ,6 3 4 9 ,6 2 4 9 ,6 1 Obs. Não há ocorrência de Outliers Direitos Autorais Reservados 18
  19. 19. Fundação Vanzolini Gráfico Linear T i me S e r i e s P l o t o f d a d o s 4 9 ,7 0 4 9 ,6 9 4 9 ,6 8 4 9 ,6 7 dados 4 9 ,6 6 4 9 ,6 5 4 9 ,6 4 4 9 ,6 3 4 9 ,6 2 4 9 ,6 1 1 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 In d e x Não há tendência, estratificação ou mudança de nível Direitos Autorais Reservados 19
  20. 20. Fundação Vanzolini Potencialidades de melhoria no Processo Em função das prioridades na matriz Causa e Efeito e no FMEA identificou-se alguns itens com potencial para melhorias: 1 - No Processo : a seqüência de operações pode alterar o resultado final – Experiência : a operação de facear frente, logo após topador, foi transferida para imediatamente antes da operação final de facear fundo, com isso a peça é faceada quase que simultaneamente em ambos os lados, o que diminui as chances de variação de medida devido a outros fatores (sistema de fixação, sistema de alimentação, etc); o teste será comparado com o sistema de operações anterior. 2 - No Ferramental : o uso de insertos reafiados pode provocar um desgaste prematuro e imprevisível na ferramenta contribuindo com variação de medida – Experiência : será testada a troca de insertos reafiados por novos, sem a utilização de insertos de metal duro reafiados; o teste será comparado com o sistema anterior. 3 - Na Máquina : a peça é feita em duas máquinas e uma delas é mais desgastada (mais antiga, com mais folgas) que a outra e desconfia-se que essa máquina tem uma variação de processo substancialmente maior – Experiência : será feito um teste compararativo entre as duas máquinas. 4 – No Alimentador : quando a peça fica maior indica que após o topador ela pode estar se movimentando entre a pinça, com a máquina operando; como a força que empurra a barra de tubo (matéria-prima) deriva de pesos ligados a um sistema de roldanas, acredita-se que um excesso de peso pode estar “forçando” o deslizamento dessa barra de tubo – Experiência: testaremos abaixar o peso dos atuais 12,5 Kg para 10,0 Kg e vamos comparar os resultados. Direitos Autorais Reservados 20
  21. 21. Fundação Vanzolini Delineamento de Experimento Esses testes comparativos nada mais são do que um Delineamento de Experimento, para estudo da redução da variabilidade da resposta, com 4 fatores, 2 níveis e necessariamente duas réplicas; portanto são 32 experimentos que utilizaremos com 3 repetições. É um experimento de dois a quarta fatorial completo, com 2 réplicas, como segue:1º Fator : Tipo de Processo - 2 Níveis : processo antigo (-1) X processo novo (+1)2º Fator : Tipo de Insertos - 2 Níveis : insertos re-afiados (-1) X insertos novos (+1)3º Fator : Tipo de Máquina - torno TA 13 -mais desgastado- (-1) X torno TA 11 (+1)4º Fator : Peso do Alimentador - com 12,5 Kg (-1) X com 10,0 Kg (+1) Direitos Autorais Reservados 21
  22. 22. D.O.E - Redução daFundação Vanzolini Variabilidade Term T P Constant -137,42 0,000 Tipo de Inserto 0,10 0,921 Peso do Alimentador -0,10 0,921 Tipo de Processo -7,93 0,000 Tipo de Máquina -14,73 0,000 Tipo de Inserto*Peso do Alimentador -1,81 0,088 Tipo de Inserto*Tipo de Processo 1,78 0,095 Tipo de Inserto*Tipo de Máquina -2,28 0,037 Peso do Alimentador*Tipo de Processo 0,93 0,368 Peso do Alimentador*Tipo de Máquina -0,42 0,677 Tipo de Processo*Tipo de Máquina -0,67 0,515 Tipo de Inserto*Peso do Alimentador*Tipo de Processo 0,99 0,337 Tipo de Inserto*Peso do Alimentador*Tipo de Máquina 0,20 0,845 Tipo de Inserto*Tipo de Processo*Tipo de Máquina 0,40 0,693 Peso do Alimentador*Tipo de Processo*Tipo de Máquina -0,40 0,693 Tipo de Inserto*Peso do Alimentador* Tipo de Processo*Tipo de Máquina 0,63 0,539 R-Sq = 94,85% R-Sq(adj) = 90,03% Analysis of Variance for Natural Log of C12 Source DF Seq SS Adj SS Adj MS F P Main Effects 4 22,3990 22,3990 5,5997 69,99 0,000 2-Way Interactions 6 1,0494 1,0494 0,1749 2,19 0,099 3-Way Interactions 4 0,1072 0,1072 0,0268 0,34 0,850 4-Way Interactions 1 0,0315 0,0315 0,0315 0,39 0,539 Residual Error 16 1,2802 1,2802 0,0800 Pure Error 16 1,2802 1,2802 0,0800 Total 31 24,8672 Direitos Autorais Reservados 22
  23. 23. D.O.E - Redução daFundação Vanzolini Variabilidade P a r e to C ha r t o f the S ta nda r diz e d E ffe c ts (R e s po ns e is na tur a l lo g o f C 1 2 , A lpha = 0 ,0 5 ) 2 ,1 2 F a cto r N am e D A T ip o d e I n se rto C B P e so d o A lim e n ta d o r AD C T ip o d e P ro ce sso D T ip o d e M á q u in a AB AC A BC BC Te r m CD A BC D BD BC D ACD A BD B A 0 2 4 6 8 10 12 14 16 S t a nd a r d iz e d Effe c t Direitos Autorais Reservados 23
  24. 24. D.O.E - Redução daFundação Vanzolini Variabilidade N o r ma l P r o ba bili ty P lo t o f the S ta nda r diz e d E f fe c ts (R e s po ns e is na tur a l lo g o f C 1 2 , A lpha = 0 ,0 5 ) 99 E ffec t T y p e N o t S ig n ific an t 95 S ig n ific an t 90 F a cto r N am e A T ip o d e I n se rto 80 B P e so d o A lim e n ta d o r C T ip o d e P ro ce sso 70 D T ip o d e M á q u in a Pe r c e nt 60 50 40 30 20 AD 10 C 5 D 1 -16 -1 2 -8 -4 0 S t a nd a r d iz e d Effe c t Direitos Autorais Reservados 24
  25. 25. D.O.E - ReduçãoFundação Vanzolini da Variabilidade T e s te de N o r ma lida de pa r a o r e s íduo - D .O .E No r m a l 99 M ean 3,012104E - 15 S tD ev 1,016 95 N 32 AD 0,668 90 P - V alu e 0,073 80 70 Pe r c e nt 60 50 40 30 20 10 5 1 -3 -2 -1 0 1 2 3 S LR ES 1 Direitos Autorais Reservados 25
  26. 26. D.O.E - Redução daFundação Vanzolini Variabilidade R e s idua l P lo ts f o r N a tur a l L o g o f C 1 2 R e sid u a ls V e rsu s t h e Fit t e d V a lu e s H ist o g ra m o f t h e R e sid u a ls Sta nda r dize d L o g R e sidua l 2 12 1 9 F r e que ncy 0 6 -1 3 -2 0 0,005 0,010 0,015 0,020 0,025 -2 -1 0 1 2 F itte d V a lue Sta nda r dize d L o g R e sidua l R e sid u a ls V e rsu s t h e O rd e r o f t h e D a t a Sta nda r dize d L o g R e sidua l 2 1 0 -1 -2 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 32 O bse r v a tio n O r de r Direitos Autorais Reservados 26
  27. 27. Fundação Vanzolini Conclusões sobre o D.O.EO experimento indicou que o Tipo de Máquina, o Tipo de Processo e a interação entreTipo de Máquina e o Tipo de Inserto são elementos significativos para a redução davariação do processo, na ordem respectiva de importância.Após brainstorming chegou-se as seguintes conclusões :1 – É clara a indicação de que a variação do processo é notadamente função do estado damáquina (mais desgastada, menos desgastada).2 - Como as operações em ambos os processos são as mesmas ( facear, escarilhar, chanfrare cortar) e só o que mudou foi a ordem em que foram dispostas, é altamente sugestivoconsiderar que a oportunidade (tempo disponível) para ocorrência de variação da máquinano processo novo é bem menor em relação ao processo antigo, uma vez que facear e cortarno processo novo é executado quase que simultaneamente. Isso indica um foco em cima devariação de máquina.3 - Por fim, a interação entre tipo de máquina e tipo de inserto indica novamente ocomponente máquina presente como elemento que interage com o tipo de pastilha, ou seja,é provável que a máquina mais antiga, desgastada, com mais folga, potencialize o desgasteno inserto que é reafiado. Direitos Autorais Reservados 27
  28. 28. Fundação Vanzolini Conclusões sobre o D.O.E Sendo assim, o foco do projeto passa a ser em cima da variação de máquina. Após negociação e o auxílio de facilitadores, foi determinada a reforma do Torno Traub TA 13 ( o mais desgastado ) onde foram substituídos os seguintes elementos : 2 eixos do comando; 6 buchas de mancal; 3 anéis de feltro; 1 eixo central de comando; 4 engrenagens; 2 pinos; 2 porcas; 1 rolamento de esfera ranhurado nº 6207; 2 rolamentos de esfera nº 7208; 1 pinça. Implementada a reforma dessa máquina e preparada no novo processo, foi coletada uma outra amostra de 100 peças para estudo de capacidade cujos resultados vem a seguir: Direitos Autorais Reservados 28
  29. 29. Estudo de CapacidadeFundação Vanzolini após modificações Capacidade Sigma = Z. Bench + 1,5 = 2,31 + 1,5 = 3,81 C a pa c ida de S igma a pó s mo dific a ç õ e s - P r o je to LS L USL P ro ce ss D a ta W ith in LS L 4 9 ,6 0 0 0 0 O v er all T a rg e t * P o te n tia l (W ith in ) C a p a b ility USL 4 9 ,7 0 0 0 0 Z .B e n ch 2 ,3 5 S a m p le M e a n 4 9 ,6 5 2 5 0 S a m p le N 100 Z .LS L 2 ,7 5 Z .U S L 2 ,4 9 S tD e v (W ith in ) 0 ,0 1 9 0 7 C pk 0 ,8 3 S tD e v (O v e ra ll) 0 ,0 1 9 4 0 C C pk 0 ,8 7 O v e ra ll C a p a b ility Z .B e n ch 2 ,3 1 Z .LS L 2 ,7 1 Z .U S L 2 ,4 5 P pk 0 ,8 2 C pm * 4 9 ,6 0 4 9 ,6 2 4 9 ,6 4 4 9 ,6 6 4 9 ,6 8 4 9 ,7 0 O b se rv e d P e rfo rm a n ce E xp . W ith in P e rfo rm a n ce E xp . O v e ra ll P e rfo rm a n ce P P M < LS L 0 ,0 0 P P M < LS L 2 9 5 7 ,3 0 P P M < LS L 3 4 0 4 ,2 0 PPM > USL 0 ,0 0 PPM > USL 6 3 8 1 ,0 8 PPM > USL 7 1 7 5 ,5 6 P P M T o ta l 0 ,0 0 P P M T o ta l 9 3 3 8 ,3 8 P P M T o ta l 1 0 5 7 9 ,7 5 Direitos Autorais Reservados 29
  30. 30. Conclusões sobre o cálculoFundação Vanzolini da nova Capacidade σ Na comparação das curvas - Máquina antes da reforma X Máquina depois da reforma - existe melhora na Capacidade Sigma (de 3,05 para 3,81), portanto a reforma foi significativa para melhoria da Capacidade Sigma. Conclusão Final : a fonte primária de variação de processo foi variação de Máquina (folgas e desgastes em buchas, eixos, rolamentos, engrenagens, pinças e pinos). Após a apresentação dos resultados foi feita reforma semelhante no outro Torno - TA 11 e foram coletadas novas amostras cuja análise de capacidade confirmaram a melhoria – assim iniciou-se a fase de Controle, com a implantação de cartas de Controle Estatístico de Processos. Direitos Autorais Reservados 30
  31. 31. Fundação Vanzolini Boxplot - Antes X Depois B o x pl o t c o mpa r a tiv o a nte s X de po i s 4 9 ,7 0 4 9 ,6 8 4 9 ,6 6 Da t a 4 9 ,6 4 4 9 ,6 2 4 9 ,6 0 A nte s De po is Direitos Autorais Reservados 31
  32. 32. Teste de HipótesesFundação Vanzolini para Variâncias T e s t f o r E qua l V a r i a nc e s f o r A nte s ; D e po i s F - T est T est S tatistic 1,39 A n tes P - V alu e 0,102 L ev en es T est T est S tatistic 3,43 P - V alu e 0,065 D ep o is 0,016 0,018 0,020 0,022 0,024 0,026 0,028 9 5 % B o nf e r r o ni C o nf ide nce I nte r v a ls f o r StD e v s A n tes D ep o is 49,60 49,62 49,64 49,66 49,68 49,70 D a ta Direitos Autorais Reservados 32
  33. 33. Teste de HipótesesFundação Vanzolini para médias Two-Sample T-Test and CI: Antes; Depois Two-sample T for Antes vs Depois N Mean StDev SE Mean Antes 100 49,6640 0,0228 0,0023 Depois 100 49,6525 0,0194 0,0019 Difference = mu (Antes) - mu (Depois) Estimate for difference: 0,011500 95% lower bound for difference: 0,006553 T-Test of difference = 0 (vs >): T-Value = 3,84 P-Value = 0,000 DF = 192 Como Pvalue é menor que 0,05 então a média depois (nova média) é menor que a média inicial, ou seja, houve de fato a centralização do processo. Direitos Autorais Reservados 33
  34. 34. Fundação Vanzolini C.E.P C .E .P - 1 a mo s tr a de 3 pe ç a s c o l e ta da s po r ho r a Incluindo te s te da s o ito ca us a s e s pe cia is po s s íve is no M inita b UC L = 49,67361 49,66S a m p le M e a n _ _ 49,64 X = 49,64142 49,62 L C L = 49,60922 49,60 4 8 12 16 20 24 28 32 36 40 S a m p le UC L = 0,08101 0,075S a m p le R a n g e 0,050 _ R = 0,03147 0,025 0,000 LC L= 0 4 8 12 16 20 24 28 32 36 40 S a m p le Direitos Autorais Reservados 34
  35. 35. Fundação Vanzolini Conclusões Finais Existe ainda, dentro da mesma proposta de controle de variação de máquina, uma última reforma que é tida pela equipe como forte candidata a reduzir ainda mais a variação do processo. É a reforma do carrinhos, que basicamente eliminaria as folgas; ocorre que, ao contrário da outra reforma, essa não pode ser realizada internamente; é preciso desmontar os carrinhos e enviá-los a empresa Hessel, que precisa de mínimo 10 dias para realizar o trabalho. Com a demanda da peça em alta, ficamos aguardando uma oportunidade de parar para reforma; porém o importante é que a determinação da reforma dos carrinhos já está tomada. Direitos Autorais Reservados 35
  36. 36. Fundação Vanzolini Conclusões Finais Benefícios para o processo: o processo está todo mapeado, houve melhora da Capacidade Sigma e o seu estudo deixou caminhos para ganhos futuros maiores; o processo como um todo foi centralizado (Boxplot); Benefícios para o Produto: o produto está mais confiável e previsível; Benefícios para a empresa: a chance de chegar um produto não conforme até o cliente diminuiu em 50000 ppm, o que reduz na mesma proporção o risco de dano na matriz de injeção plástica do cliente; diminuição de refugos, melhora da imagem, maior confiabilidade e mais segurança transmitida ao cliente; economia anual projetada de R$ 47.000,00; Benefícios para o Black Belt: houve ganho em auto confiança, conhecimento e experiência. Direitos Autorais Reservados 36

×