20/04/2015
1
Conduta da Política Monetária
Unidade 3 – Parte 2
Profa. Gisele F.Tiryaki
ECO 174 – Economia Monetária
FCE/UF...
20/04/2015
2
Conduta da Política Monetária
Introdução
 Objetivo geral da política monetária: maximizar o bem estar da
pop...
20/04/2015
3
Introdução
 Objetivos específicos (cont.):
 Estabilização no nível de emprego
 Desemprego estrutural (razõ...
20/04/2015
4
Conduta da Política Monetária
 Preocupação com a estabilidade de preços
 Uso de “âncora nominal”: escolha d...
20/04/2015
5
Independência do Banco Central
Fonte: Alesina e Summers (1993)
Independência do Banco Central –
Índice de Cuk...
20/04/2015
6
Independência do Banco Central –
Índice de Cukierman
Emprestador de último recurso
Taxas de Mercado?
Média (A...
20/04/2015
7
Independência do Banco Central na América
Latina e Caribe: Jácome & Vasquéz (2005)
Conduta da Política Monetá...
20/04/2015
8
Ciclos Políticos - Brasil
Fonte: Gonçalves e
Fenólio (2007)
Ciclos Políticos - Brasil
Fonte: Vasconcelos et a...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Unidade 3 parte 2 (parcial)

85 visualizações

Publicada em

Curso de Economia Monetária

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
85
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Unidade 3 parte 2 (parcial)

  1. 1. 20/04/2015 1 Conduta da Política Monetária Unidade 3 – Parte 2 Profa. Gisele F.Tiryaki ECO 174 – Economia Monetária FCE/UFBA Sumário  Conduta da Política Monetária  Objetivos da Política Monetária  Dificuldades de Implementação da Política Monetária  Metas  Operacionais  Intermediários  Finais  Metas Intermediárias e Política Monetária  Política Monetária: Inflação e Desemprego  Regra deTaylor e aTaxa Natural de Desemprego  Inflação e Desemprego: a Curva de Phillips  Bolhas no Mercado deAtivos Financeiros e a Política Monetária
  2. 2. 20/04/2015 2 Conduta da Política Monetária Introdução  Objetivo geral da política monetária: maximizar o bem estar da população do país  Objetivos específicos:  Estabilidade de preços: inflação baixa e estável  Custos com a inflação:  Incapacita a utilização de moeda enquanto meio de troca, unidade de medida e, em casos severos, reserva de valor  Preços deixam de ser um mecanismo útil na alocação de recursos: dificuldades no estabelecimento de contratos de logo prazo; dificuldades com as decisões de poupança  Inflação elevada (volátil): eleva a incerteza, podendo levar a estagnação
  3. 3. 20/04/2015 3 Introdução  Objetivos específicos (cont.):  Estabilização no nível de emprego  Desemprego estrutural (razões: legislação, salário eficiência, sindicatos & barganha coletiva, estrutura da economia)  Desemprego friccional e a taxa natural de desemprego: desemprego de longo prazo  Crescimento Econômico  Estabilidade da taxa de juros: flutuações nas taxas de juros dificultam o planejamento e a realização de investimentos  Estabilidade do mercado e das instituições financeiras: canalização eficiente de recursos dos poupadores para os tomadores de empréstimos  Estabilidade do mercado de câmbio: facilita o planejamento de operações comerciais e financeiras Conduta da Política Monetária  Como promover o crescimento econômico e baixo desemprego com estabilidade de preços?  Curto prazo: Curva de Phillips  Longo-prazo: não há inconsistência entre estabilidade de preços e crescimento econômico  Formas de conduta da política monetária:  Mandatos hierárquicos: estabelecimento de objetivo primário e tentativa de atingir objetivos secundários somente se o primário se materializar  União Européia: objetivo primário é a manutenção da estabilidade de preços  Mandatos duais: existência de dois objetivos com igual peso  Estabilidade de preços e minimização do desemprego
  4. 4. 20/04/2015 4 Conduta da Política Monetária  Preocupação com a estabilidade de preços  Uso de “âncora nominal”: escolha de uma variável nominal para manter o nível de preços em um determinado intervalo (e.g. taxa de inflação, oferta de moeda)  Objetivos principais da âncora nominal:  Garantir a manutenção de expectativas de inflação baixa e estável  Problema:“inconsistência temporal” da política monetária  Tentação de utilizar a política monetária para estimular a atividade econômica: decisões do Banco Central e pressões políticas  Implicação: decisões dos agentes econômicos incorporarão expectativas de alta de preço  Consequência: política monetária expansionista leva a aumento na inflação e não afeta a produção Conduta da Política Monetária  Independência do BC  Independência de instrumentos: liberdade em escolher instrumentos de política monetária  Independência de objetivos: liberdade de escolher os objetivos de política monetária  Conselho monetário nacional?  Evidência empírica: controle da inflação tende a ser mais efetivo em países cujos BCs possuem maior independência (Alesina e Summers, 1993)
  5. 5. 20/04/2015 5 Independência do Banco Central Fonte: Alesina e Summers (1993) Independência do Banco Central – Índice de Cukierman Estabilidade de preço é o único ou principal objetivo, e, em caso de conflito com o governo, a decisão final é do BC: 1
  6. 6. 20/04/2015 6 Independência do Banco Central – Índice de Cukierman Emprestador de último recurso Taxas de Mercado? Média (AL): 0,50 Máximo: 0,85 (Chile) Mínimo: 0,31 (Argentina) Independência do Banco Central na América Latina e Caribe: Jácome &Vasquéz (2005)
  7. 7. 20/04/2015 7 Independência do Banco Central na América Latina e Caribe: Jácome & Vasquéz (2005) Conduta da Política Monetária  Independência do BC  Vantagens:  Isolar o BC de pressões políticas: teoria dos ciclos políticos  Evitar que o governo utilize o BC para facilitar o financiamento de déficits fiscais  Desvantagens:  Falta de controle do público: não é democrático que decisões cruciais para o desempenho da economia fiquem a cargo de uma elite  Risco que a diretoria do BC se preocupe em maximizar o próprio bem estar: poder e prestígio (teoria do comportamento burocrático)
  8. 8. 20/04/2015 8 Ciclos Políticos - Brasil Fonte: Gonçalves e Fenólio (2007) Ciclos Políticos - Brasil Fonte: Vasconcelos et al (2013)

×