20/04/2015
1
Oferta de Moeda
Unidade 3 – Parte 1
Profa. Gisele F.Tiryaki
ECO 174 – Economia Monetária
FCE/UFBA
Sumário
 I...
20/04/2015
2
Conceitos Básicos
Introdução
 Oferta de moeda: quantidade de moeda que circula na
economia
 Impactos de flu...
20/04/2015
3
Introdução
 Modelo simplificado da oferta de moeda:
 Definição de moeda: ativos utilizados como meio de tro...
20/04/2015
4
Banco Central e a Base Monetária
 Base monetária: moeda em circulação + reservas bancárias
 Balanço patrimo...
20/04/2015
5
Alíquotas de Reservas Requeridas
Fonte: BCB (Março 2014)
Reservas Compulsórias - Brasil
Fonte: BCB (Março 201...
20/04/2015
6
Banco Central e a Base Monetária
 Manipulações na Base Monetária (B): via variações nos
ativos
 Ativos do B...
20/04/2015
7
Banco Central e a Base Monetária
 Flexibilização/Restrições nos termos das operações de
redesconto
 Taxas d...
20/04/2015
8
Manipulações da Base Monetária:
Mercado Aberto
 Exemplo: BC quer aumentar B em R$ 1 milhão e adquire títulos...
20/04/2015
9
Manipulações da Base Monetária:
Mercado Aberto – Resumo
Banco
Central
Bancos
Agentes Não-
Bancários
Mantém so...
20/04/2015
10
Banco Central e a Base Monetária
 Um outro olhar sobre a base monetária...
 Base monetária não emprestada ...
20/04/2015
11
Banco Central e a Base Monetária:
Em Resumo...
B = Moeda em
Circulação (M) +
Reservas (R)
R = RR + RE
R = r*...
20/04/2015
12
Multiplicador de Depósitos Simples
 Multiplicador: estabelece a conexão entre variações na base monetária e...
20/04/2015
13
Multiplicador de Depósitos Simples
 O Banco B, por sua vez, concede empréstimos para outras empresas dentro...
20/04/2015
14
Multiplicador de Depósitos Simples
= 100,000 + 100,000(1 – 0.10) + 100,000(1 – 0.10)2 + …
Onde D = depósitos...
20/04/2015
15
Multiplicador Monetário
Fonte: Gamboa (2010)
Multiplicador de Depósitos Simples
 Multiplicador simples: inv...
20/04/2015
16
Multiplicador Monetário e as Decisões
do Público Não-Bancário
 Multiplicador monetário: efeito final depend...
20/04/2015
17
Multiplicador Monetário e as Decisões
das Instituições Bancárias
 Multiplicador de depósitos simples: efeit...
20/04/2015
18
Multiplicador Monetário
Dado que M = C + D, C = c*D e
Temos que
B
erc
D 







1
B
erc
c
M 


...
20/04/2015
19
Variáveis do Processo de Oferta
Monetária
Um aumento
na(s) ...
Em virtude de
ações do...
Leva a oferta
monet...
20/04/2015
20
Questões
 O multiplicador monetário é necessariamente maior do que 1. Essa afirmação é
verdadeira ou falsa?...
20/04/2015
21
Introdução
 Objetivo da política monetária: reduzir as flutuações na
atividade econômica
 Taxas de juros: ...
20/04/2015
22
Operações do Mercado Aberto
 Tipos de transação:
 Dinâmicas: execução de política monetária
 Defensivas: ...
20/04/2015
23
Operações de Redesconto
 Benefício:
 Dificuldades de liquidez do sistema financeiro: BC enquanto emprestad...
20/04/2015
24
Alíquota de Reservas Requeridas
 Benefícios:
 Liquidez: a imposição de reservas requeridas permite a
dispo...
20/04/2015
25
Mercado de Reservas
 Impacto inicial da política monetária: mercado de
reservas bancárias
 Selic: taxa de ...
20/04/2015
26
Mercado de Reservas
 Demanda por reservas: mostra a relação entre a
demanda por reservas bancárias e a taxa...
20/04/2015
27
Mercado de Reservas
 Oferta de reservas: mostra a relação entre a oferta de
reservas pelo Banco Central e a...
20/04/2015
28
Equilíbrio no Mercado de Reservas
Quantidade de
Reservas, R
Selic
Oferta de
Reservas, RO
O BC utiliza-se da ...
20/04/2015
29
Mercado de Reservas: Venda de
Títulos Governamentais
Quantidade de
Reservas, R
Selic
Oferta de
Reservas, RO
...
20/04/2015
30
Mercado de Reservas: Variações
na Taxa de Redesconto
Quantidade de
Reservas, R
Selic
Oferta de
Reservas, RO
...
20/04/2015
31
Questões
 Os benefícios de se utilizar operações de redesconto para se
prevenir pânicos são óbvios. Quais s...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Unidade 3 parte 1

235 visualizações

Publicada em

Curso de Economia Monetária

Publicada em: Economia e finanças
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Unidade 3 parte 1

  1. 1. 20/04/2015 1 Oferta de Moeda Unidade 3 – Parte 1 Profa. Gisele F.Tiryaki ECO 174 – Economia Monetária FCE/UFBA Sumário  Introdução: Conceitos Básicos  Banco Central e a Base Monetária  Operações no MercadoAberto  Operações de Redesconto  Multiplicador  Multiplicador de Depósitos Simples  Multiplicador Monetário e as Decisões dos Agentes Bancários e Não- Bancários  Instrumentos de Política Monetária
  2. 2. 20/04/2015 2 Conceitos Básicos Introdução  Oferta de moeda: quantidade de moeda que circula na economia  Impactos de flutuações na oferta de moeda:  Taxas de juros  Taxa de câmbio  Inflação  Investimento e produção  Atores que afetam a oferta de moeda:  Banco central  Instituições financeiras  Firmas e unidades familiares
  3. 3. 20/04/2015 3 Introdução  Modelo simplificado da oferta de moeda:  Definição de moeda: ativos utilizados como meio de troca  M1 = moeda em circulação + depósitos à vista  Relembrando... Agregado Definição M1 Papel moeda em poder público + depósitos à vista M2 M1 + depósitos especiais remunerados + depósitos de poupança + títulos emitidos por instituições depositárias1 M3 M2 + quotas de fundos de renda fixa2 + operações compromissadas registradas no Selic M4 M3 + títulos públicos de alta liquidez Meios de Pagamentos Restritos Meios de Pagamentos Ampliados Poupança Financeira 1 Inclui depósitos a prazo, letras de câmbio, letras hipotecárias e letras de imobiliárias 2 Fundos: Cambial; Curto Prazo; Renda Fixa (inclusive extramercado); Multimercado; Referenciado; e outros ainda não enquadrados nas classes instituídas pela Instrução CVM Nº 409, de 18. 8 2004 Introdução  Dois conceitos básicos do modelo:  Base monetária  Multiplicador monetário Base Monetária Multiplicador Monetário Oferta Monetária Determinada pelo BC Determinado pelo BC, instituições financeiras, firmas e unidades familiares
  4. 4. 20/04/2015 4 Banco Central e a Base Monetária  Base monetária: moeda em circulação + reservas bancárias  Balanço patrimonial do Banco Central: Ativo Passivo • Títulos do Governo • Moeda em Circulação • Empréstimos concedidos às instituições financeiras • Reservas: • Moeda mantida pelas instituições financeiras • Depósitos de instituições financeiras no BC Base Monetária Banco Central e a Base Monetária  Reservas (R): reservas requeridas + excesso de reservas  Reservas compulsórias ou requeridas (RR): fração da quantidade de depósitos que o BC impõe que os bancos mantenham sob forma de caixa ou em depósitos no BC  Reservas em Excesso (RE): fração da quantidade de depósitos que os bancos mantém em caixa ou em depósitos no BC em excesso ao imposto pela autoridade monetária R = RR + RE ou R = r*D + e*D Onde r = alíquota das reservas compulsórias; e = fração alocada em reservas excedentes e D = depósitos à vista
  5. 5. 20/04/2015 5 Alíquotas de Reservas Requeridas Fonte: BCB (Março 2014) Reservas Compulsórias - Brasil Fonte: BCB (Março 2014)
  6. 6. 20/04/2015 6 Banco Central e a Base Monetária  Manipulações na Base Monetária (B): via variações nos ativos  Ativos do BC:  Títulos do governo: curto e longo prazo  Empréstimos concedidos às instituições financeiras: operações de redesconto  Problemas de liquidez das instituições financeiras Banco Central e a Base Monetária  Operações no mercado aberto: compra e venda de títulos do governo  Objetivo: aumentar(reduzir) B  Aumento (redução) em moeda em circulação: compra (vende) títulos de agentes não-bancários  Aumento (redução) em reservas bancárias: compra (vende) títulos de instituições financeiras  Taxa de remuneração dos títulos: Selic
  7. 7. 20/04/2015 7 Banco Central e a Base Monetária  Flexibilização/Restrições nos termos das operações de redesconto  Taxas de redesconto: Fevereiro de 2013  Operações com 1 dia útil: Selic + 1% a.a. (antes era 6% a.a. acima da Selic)  Operações até 15 dias: Selic + 2% a.a. (antes era 4% a.a. acima da Selic)  Operações até 90 dias: Selic + 2% a.a.  Instituições que não conseguem manter reservas compulsórias: Selic + 4% a.a. (antes era 14% a.a. acima da Selic) Manipulações da Base Monetária: Mercado Aberto  Exemplo: BC quer aumentar B em R$ 1 milhão e adquire títulos de instituições financeiras Sistema Bancário Ativo Passivo Títulos do governo (-) R$ 1 milhão Reservas (+) R$ 1 milhão Banco Central Ativo Passivo Títulos do governo (+) R$ 1 milhão Reservas (+) R$ 1 milhão
  8. 8. 20/04/2015 8 Manipulações da Base Monetária: Mercado Aberto  Exemplo: BC quer aumentar B em R$ 1 milhão e adquire títulos de agentes não-bancários, que mantém o valor sob forma de depósitos nos bancos Agentes Não-Bancários Ativo Passivo Títulos do governo (-) R$ 1 milhão Depósitos à vista (+) R$ 1 milhão Banco Central Ativo Passivo Títulos do governo (+) R$ 1 milhão Reservas (+) R$ 1 milhão Sistema Bancário Ativo Passivo Reservas (+) R$ 1 milhão Depósitos à vista (+) R$ 1 milhão Manipulações da Base Monetária: Mercado Aberto  Exemplo: BC quer aumentar B em R$ 1 milhão e adquire títulos de agentes não-bancários, que mantêm o valor sob forma de moeda Agentes Não-Bancários Ativo Passivo Títulos do governo (-) R$ 1 milhão Moeda em circulação (+) R$ 1 milhão Banco Central Ativo Passivo Títulos do governo (+) R$ 1 milhão Moeda em circulação (+) R$ 1 milhão
  9. 9. 20/04/2015 9 Manipulações da Base Monetária: Mercado Aberto – Resumo Banco Central Bancos Agentes Não- Bancários Mantém sob forma de moeda Deposita cheques nos bancos Mantém sob forma de moeda Deposita cheques no BC Aquisição de títulos do governo em mãos do público Operação de compra de títulos no Mercado Aberto Base Monetária aumenta Banco Central e a Base Monetária: Empréstimos a Instituições Financeiras  Manipulações na Base Monetária (B): via variações nos empréstimos  Operações de redesconto  Exemplo: BC concede R$ 1 milhão em empréstimos a instituições financeiras com problemas de liquidez Sistema Bancário Ativo Passivo Reservas (+) R$ 1 milhão Empréstimos do BC (+) R$ 1 milhão Banco Central Ativo Passivo Empréstimos a Bancos (+) R$ 1 milhão Reservas (+) R$ 1 milhão
  10. 10. 20/04/2015 10 Banco Central e a Base Monetária  Um outro olhar sobre a base monetária...  Base monetária não emprestada (ou base monetária líquida das reservas emprestadas)  Reservas emprestadas: empréstimos de redesconto Ativo Passivo • Títulos do Governo • Moeda em Circulação • Empréstimos concedidos às instituições financeiras • Reservas: • Moeda mantida pelas instituições financeiras • Depósitos de instituições financeiras no BC Base Monetária Banco Central e a Base Monetária: Empréstimos a Instituições Financeiras  Banco Central: maior controle sobre operações do mercado aberto do que sobre financiamentos a bancos  Decisão de tomar empréstimos: bancos (BC controla a taxa de redesconto)  Decisão de comprar/vender títulos: BC Banco Central Bancos BC determina a taxa de desconto Bancos decidem se querem tomar empréstimos Reservas se elevam Operações de Redesconto Base Monetária = Bnão-emprestada + Reservas Emprestadas
  11. 11. 20/04/2015 11 Banco Central e a Base Monetária: Em Resumo... B = Moeda em Circulação (M) + Reservas (R) R = RR + RE R = r*D + e*D B = BNE + REMP Multiplicador Monetário
  12. 12. 20/04/2015 12 Multiplicador de Depósitos Simples  Multiplicador: estabelece a conexão entre variações na base monetária e variações na oferta de moeda  O que acontece quando o banco central faz uma operação de compra de títulos no mercado aberto no valor de R$ 100 mil? Assuma que r = 10% e que o banco que vendeu os títulos empresta a totalidade do valor recebido Banco A Ativo Passivo Títulos do governo (-) R$ 100.000 Reservas (+) R$ 100.000 Banco A Ativo Passivo Títulos do governo (-) R$ 100.000 Reservas (+) R$ 100.000 Depósito à vista (+) R$ 100.000 Empréstimos (+) R$ 100.000 Oferta de Moeda aumentou em R$ 100.000!!! Lembrem-se: M = Moeda em circulação + depósitos à vista Multiplicador de Depósitos Simples  Assuma que a empresa tomando o empréstimo faz um saque dos recursos e utiliza para pagar fornecedores, que depositam esses pagamentos no Banco B Banco B Ativo Passivo Reservas (+) R$ 100.000 Depósito à vista (+) R$ 100.000 Banco A Ativo Passivo Reservas R$ 0 Depósito à vista R$ 0 Empréstimos (+) R$ 100.000
  13. 13. 20/04/2015 13 Multiplicador de Depósitos Simples  O Banco B, por sua vez, concede empréstimos para outras empresas dentro do permitido pelo BC. Essas empresas pagam fornecedores e depositam no Banco C e o processo se repete... Banco C Ativo Passivo Reservas R$ 90.000 Depósito à vista R$ 90.000 Banco B Ativo Passivo Reservas R$ 10.000 Depósito à vista R$ 100.000 Empréstimos R$ 90.000 Oferta de Moeda agora aumentou em mais R$ 90.000 Multiplicador de Depósitos Simples  O volume de depósitos a vista continua a crescer à medida que os recursos são re-depositados, mas cada vez em menor proporção  Razão: somente uma fração desses depósitos pode ser emprestada  O processo se repete até que o montante de empréstimos tenda a zero  Multiplicador simples: impacto final sobre os depósitos à vista ΔD = empréstimos para 1ª firma + empréstimos para 2ª firma + empréstimos para 3ª firma...
  14. 14. 20/04/2015 14 Multiplicador de Depósitos Simples = 100,000 + 100,000(1 – 0.10) + 100,000(1 – 0.10)2 + … Onde D = depósitos à vista, R = reservas, r = alíquota de reservas a serem mantidas pelas instituições bancárias por imposição do BC Simplificando, temos que = R$ 1.000.000 ***Assumiu-se que RE = zero para todos os bancos ...)1()1( 2  rRrRRD r RD 1  Multiplicador Monetário Alíquota de Depósitos Compulsórios (r) Brasil 0,44 China 0,165 Estados Unidos 0 – 0,10 (depende do volume de depósitos à vista) Inglaterra e alguns países europeus Não é mandatório
  15. 15. 20/04/2015 15 Multiplicador Monetário Fonte: Gamboa (2010) Multiplicador de Depósitos Simples  Multiplicador simples: inverso da taxa requerida do BC  Importante: o processo ainda seria o mesmo se alguns dos bancos decidissem por investir em títulos ao invés de concederem empréstimos  Porque?  Processo de venda de títulos no mercado aberto: contração da oferta monetária na mesma proporção
  16. 16. 20/04/2015 16 Multiplicador Monetário e as Decisões do Público Não-Bancário  Multiplicador monetário: efeito final depende do pressuposto de que os empréstimos concedidos são depositados novamente em instituições financeiras  O que acontece se o público não-bancário decide por manter moeda em mãos?  M = C + D, onde C = moeda em circulação e D = depósitos à vista  Somente D está sujeito ao processo de multiplicação descrito  Impacto do multiplicador é maior à medida que c = C/D diminui Multiplicador Monetário e as Decisões do Público Não-Bancário  Motivações de alocação de portfólio dos agentes não- bancários: C/D declina à medida que...  A riqueza se eleva  O retorno esperado nos depósitos à vista aumenta  O risco em se manter recursos em bancos declina  O custo de informação diminui...  Moeda: prêmio pelo anonimato (e.g. setor informal)
  17. 17. 20/04/2015 17 Multiplicador Monetário e as Decisões das Instituições Bancárias  Multiplicador de depósitos simples: efeito final depende do pressuposto de que as instituições financeiras mantêm um saldo de reservas em excesso igual a zero  Determinantes do volume de reservas em excesso mantido:  Taxas de juros de mercado  Volatilidade no fluxo de depósitos (precaução)  Instituições financeiras também afetam a base monetária quando demandam empréstimos via a redesconto  Penalidade: taxas de redesconto são normalmente maiores que as taxas de juros de mercado  Volume de empréstimos: dependem da decisão do BC Multiplicador Monetário Se R = RR + ER, RR = r*D e ER = e*D, então R = r*D + e*D Se B = C + R e C = c*D, então B = c*D + r*D + e*D Logo, B erc D         1
  18. 18. 20/04/2015 18 Multiplicador Monetário Dado que M = C + D, C = c*D e Temos que B erc D         1 B erc c M          1 Base Monetária – Brasil Fonte: BCB (2015) 1M C C  1M DepVista D  DepVista Encaixes CXBan cos DepVista servas R Re  0 0.2 0.4 0.6 0.8 1 1.2 1.4 1.6 1.8 2 0 0.1 0.2 0.3 0.4 0.5 0.6 0.7 0.8 jan/92 jan/93 jan/94 jan/95 jan/96 jan/97 jan/98 jan/99 jan/00 jan/01 jan/02 jan/03 jan/04 jan/05 jan/06 jan/07 jan/08 jan/09 jan/10 jan/11 jan/12 jan/13 jan/14 Multiplicador C D CXBancos Rbancos Multiplicador
  19. 19. 20/04/2015 19 Variáveis do Processo de Oferta Monetária Um aumento na(s) ... Em virtude de ações do... Leva a oferta monetária a... Porque... Base Não- Emprestada BC (mercado aberto) Expandir A base monetária aumenta e mais reservas estão disponíveis para criação de depósitos Alíquota de reservas compulsórias, r BC Contrair Um menor volume de reservas pode ser emprestado e o multiplicador monetário declina Taxa de Redesconto BC Contrair Empréstimos de redesconto tornam-se mais caros, reduzindo as reservas emprestadas e a base monetária Variáveis do Processo de Oferta Monetária Um aumento na(s)... Em virtude de ações do(s)... Leva a oferta monetária a... Porque... Fração de moeda em circulação/depósitos, c Público Não- Bancário Contrair O multiplicador monetário declina Reservas em excesso relativo a depósitos, e Bancos Contrair O multiplicador monetário declina Fluxo esperado de saída de depósitos bancários Público Não- Bancário Contrair O aumento nas reservas em excesso relativo a depósitos reduz o multiplicador monetário Volatilidade dos fluxos de depósitos bancários Público Não- Bancário Contrair O aumento nas reservas em excesso relativo a depósitos reduz o multiplicador monetário
  20. 20. 20/04/2015 20 Questões  O multiplicador monetário é necessariamente maior do que 1. Essa afirmação é verdadeira ou falsa?  Se um banco vende R$ 10 milhões em títulos para o BC com o objetivo de saldar um empréstimo tomado via redesconto, qual será o efeito final sobre o nível de depósitos à vista? Instrumentos de Política Monetária
  21. 21. 20/04/2015 21 Introdução  Objetivo da política monetária: reduzir as flutuações na atividade econômica  Taxas de juros: impacto sobre investimento, emprego e produção  Instrumentos:  Operações no mercado aberto  Empréstimos de redesconto  Estabelecimento de alíquota mínima de reservas Operações de Mercado Aberto  Comercialização de títulos do governo  Venda de títulos: redução da base monetária  Compra de títulos: aumento da base monetária Operação • Compra • Venda Canal:Taxa de Juros • DB aumenta, PB aumenta: i reduz • OB aumenta, PB diminui: i eleva Impacto: Reservas e Base Monetária • Aumento nas reservas e na base monetária • Redução das reservas e da base monetária Impacto: Economia • I eY aumentam • I eY diminuem
  22. 22. 20/04/2015 22 Operações do Mercado Aberto  Tipos de transação:  Dinâmicas: execução de política monetária  Defensivas: reação a choques internos e externos  Exemplos: variações nas preferências de alocação de portfólio, desvalorização cambial em função de uma crise internacional  Vantagens em relação aos outros instrumentos:  Controle no volume de transações: exclusivo do BC  Flexibilidade:maior facilidade de reverter uma operação  Facilidade de implementação: não existem atrasos administrativos na realização das transações Operações de Redesconto  Mecanismos: estabelecimento da taxa de redesconto e dos termos para concessão de empréstimos  Taxa de redesconto: aumento/redução leva a uma redução/aumento na base monetária  Afeta as demais taxas de juros de curto prazo  Tipos de empréstimos:  Primários: instituições financeiras robustas (utilização dos recursos: decisão dos bancos)  Secundários: instituições financeiras frágeis (vedada a utilização de recursos para a expansão de ativos bancários)  Sazonal: instituições de pequeno porte que estão expostas a variações sazonais no volume de depósitos (e.g. instituições de crédito agrícola)
  23. 23. 20/04/2015 23 Operações de Redesconto  Benefício:  Dificuldades de liquidez do sistema financeiro: BC enquanto emprestador de última instância  Problemas:  BC não tem controle sobre a quantidade de recursos que serão emprestados  Risco moral: bancos sabem que o BC tende a emprestar em condições favoráveis durante períodos de contração da atividade econômica Alíquota de Reservas Requeridas  Mecanismo: impacto sobre o multiplicador monetário e a oferta de moeda da economia  Problema 1: alterações na alíquota de reservas requeridas somente podem ser feitas eventualmente  Impacto significativo sobre o portfólio dos bancos: desestabilização do sistema financeiro  Problema 2: alíquota é um imposto sobre intermediação  Reservas: não há normalmente pagamento de juros  Instituições com dificuldades de atender o requerimento: empréstimos do BC ou de outras instituições financeiras
  24. 24. 20/04/2015 24 Alíquota de Reservas Requeridas  Benefícios:  Liquidez: a imposição de reservas requeridas permite a disponibilização de recursos para instituições solventes com problemas de liquidez durante pânicos  Problema com esta argumentação: probabilidade de um pânico depende não somente da volatilidade das retiradas, mas da volatilidade do valor dos ativos bancários e da disponibilidade de outros recursos para bancos (não somente de depósitos)  Controle monetário: permite maior controle da oferta de moeda pelo banco central  Problema com esta argumentação: decisão de manter reservas independe do estabelecimento da alíquota; pouca evidência que a imposição de reservas requeridas garante a estabilidade do multiplicador monetário Análise da Utilização de Instrumentos de Política Monetária
  25. 25. 20/04/2015 25 Mercado de Reservas  Impacto inicial da política monetária: mercado de reservas bancárias  Selic: taxa de juros dos títulos governamentais  Selic e demais taxas de juros de mercado Taxas de Juros – Brasil Fonte: BCB (2014) 0 10 20 30 40 50 60 mar/00 out/00 mai/01 dez/01 jul/02 fev/03 set/03 abr/04 nov/04 jun/05 jan/06 ago/06 mar/07 out/07 mai/08 dez/08 jul/09 fev/10 set/10 abr/11 nov/11 jun/12 jan/13 ago/13 mar/14 Selic acumulada no mês anualizada - % a.a. CDI acumulada no mês anualizada base 252 - % a.a. Taxa média de juros das operações de crédito -Total - % a.a.
  26. 26. 20/04/2015 26 Mercado de Reservas  Demanda por reservas: mostra a relação entre a demanda por reservas bancárias e a taxa Selic  Demanda:reservas compulsórias + reservas em excesso  Outros fatores que influenciam a demanda: alíquota de reservas compulsórias, taxas de juros de mercado  À medida que a Selic se eleva, incentivo em se manter reservas declina Demanda por Reservas Quantidade de Reservas, R Selic Demanda por Reservas, RD Á medida que a Selic (taxa de juros dos títulos públicos) se eleva, o custo de oportunidade de se manter reservas cresce e a demanda por reservas diminui
  27. 27. 20/04/2015 27 Mercado de Reservas  Oferta de reservas: mostra a relação entre a oferta de reservas pelo Banco Central e a taxa Selic  Oferta de reservas: reservas não-emprestadas + reservas emprestadas  Reservas não-emprestadas (RNE): reservas ofertadas através de operações do mercado aberto  Reservas emprestadas (RE): reservas ofertadas através de operações de redesconto  Selic < taxa de redesconto: melhor tomar empréstimos no mercado do que recorrer a operações de redesconto (RE = 0)  Selic > taxa de redesconto: melhor recorrer a operações de redesconto (RE tende ao infinito; porque?) Oferta de Reservas Quantidade de Reservas, R Selic Oferta de Reservas, RO iRED Porque a curva de oferta é perfeitamente elástica no nível da taxa de redesconto? A Selic não pode exceder a taxa de redesconto! Bancos tomariam emprestado no BC e emprestariam no mercado com lucro
  28. 28. 20/04/2015 28 Equilíbrio no Mercado de Reservas Quantidade de Reservas, R Selic Oferta de Reservas, RO O BC utiliza-se da política monetária para atingir determinado nível da Selic iRED Demanda por Reservas, RD Selic* Equilíbrio no Mercado de Reservas Quantidade de Reservas, R Selic Oferta de Reservas, RO Selic* =iRED Demanda por Reservas, RD RNE REMP Reservas Totais
  29. 29. 20/04/2015 29 Mercado de Reservas: Venda de Títulos Governamentais Quantidade de Reservas, R Selic Oferta de Reservas, RO Política monetária restritiva: venda de títulos reduz a disponibilidade de reservas não-emprestadas iRED Demanda por Reservas, RD Selic** Selic* Mercado de Reservas: Compra de Títulos Governamentais Quantidade de Reservas, R Selic Oferta de Reservas, RO Política monetária expansiva: compra de títulos eleva a disponibilidade de reservas não-emprestadas iRED Demanda por Reservas, RD Selic* Selic**
  30. 30. 20/04/2015 30 Mercado de Reservas: Variações na Taxa de Redesconto Quantidade de Reservas, R Selic Oferta de Reservas, RO Como a taxa de redesconto é estabelecida acima da taxa Selic, não leva a uma variação no equilíbrio iRED Demanda por Reservas, RD Selic* iRED’ Mercado de Reservas: Variações na Taxa de Redesconto Quantidade de Reservas, R Selic Oferta de Reservas, RO iRED Demanda por Reservas, RD iRED’ Se a taxa Selic pudesse ser igual à taxa de redesconto, poderíamos observar variações nas reservas bancárias
  31. 31. 20/04/2015 31 Questões  Os benefícios de se utilizar operações de redesconto para se prevenir pânicos são óbvios. Quais seriam os custos?  Se a imposição de reservas compulsórias fosse eliminada, seria mais difícil controlar as taxas de juros. Essa afirmação está correta?  Se houver um aumento na quantidade de moeda em circulação em detrimento de depósitos bancários, o que pode ocorrer com a Selic? Responda à pergunta utilizando a análise de oferta e demanda por reservas.

×