22/05/2015
1
Política Monetária no Brasil
Unidade 3
Profa, Gisele F.Tiryaki
ECO 174 – Economia Monetária
FCE/UFBA
Sumário
...
22/05/2015
2
Política Monetária durante o
Milagre Econômico: 1964 – 1973
Conjuntura
 Diagnóstico na época: inflação era r...
22/05/2015
3
Plano de Ação Econômica do
Governo (PAEG) - 1963
 Controle da inflação com manutenção do crescimento econômi...
22/05/2015
4
Desempenho
Crescimento
PIB/Capita
Inflação Arrecadação
Tributária
(%PIB)
Poupança do Setor
Público (%PIB)
196...
22/05/2015
5
I Plano Nacional de Desenvolvimento (I
PND): 1972 - 1974
 Meta de crescimento econômico de 8% a 9% ao ano, i...
22/05/2015
6
Fatores que Possibilitaram o
Milagre Econômico
 Existência de capacidade ociosa na economia
 Política salar...
22/05/2015
7
Política Monetária durante a Fase de
Crescimento com Endividamento: 1974 –
1984
Conjuntura
 Auge e esgotamen...
22/05/2015
8
Política Econômica: 1974 – 1978
 II PND (1974): plano de investimentos dos setores público e
privado em infr...
22/05/2015
9
Política Econômica: 1979 – 1984
 Fase Simonsen (1974-1979): aceleração da inflação e cenário
internacional d...
22/05/2015
10
Política Econômica: 1979 – 1984
 Fase Delfim Netto (1979 – 1984):
 Reação: ajuste explicitamente recessivo...
22/05/2015
11
0
5000
10000
15000
20000
25000
30000
1962
1964
1966
1968
1970
1972
1974
1976
1978
1980
1982
1984
1986
1988
1...
22/05/2015
12
Conjuntura
 Retomada do crescimento econômico, mas inflação em
aceleração
 Propostas de solução:
 Pacto s...
22/05/2015
13
Conjuntura
 Inércia inflacionária: a indexação reproduz uma situação de
desequilíbrio, já que os reajustes ...
22/05/2015
14
0
5000
10000
15000
20000
25000
30000
1962
1964
1966
1968
1970
1972
1974
1976
1978
1980
1982
1984
1986
1988
1...
22/05/2015
15
Plano Cruzado – Resultados
 Queda no nível de preços
 Elevação no emprego e crescimento econômico: acelera...
22/05/2015
16
Plano Bresser
 Plano Bresser (1987): elementos heterodoxos e ortodoxos
 Congelamento de preços e salários,...
22/05/2015
17
Desempenho
Crescimento
PIB/Capita
Inflação Poupança do Setor
Público (%PIB)
Dívida Externa
Líquida/Exportaçõ...
22/05/2015
18
Conjuntura
 Mudança de paradigma do papel do estado: privatização e
liberalização comercial e financeira (C...
22/05/2015
19
0
5000
10000
15000
20000
25000
30000
1962
1964
1966
1968
1970
1972
1974
1976
1978
1980
1982
1984
1986
1988
1...
22/05/2015
20
Política Macroeconômica
 Plano Collor II (1991):
 Ajuste fiscal
 Modernização do parque industrial
 Inde...
22/05/2015
21
Política Monetária no Período Pós-
Plano Real
Conjuntura
 Aquecimento da economia
 Câmbio sobre-valorizado...
22/05/2015
22
Período Pós-Real
 Câmbio administrado: adoção de microdesvalorizações através de
movimentos pequenos no tet...
22/05/2015
23
Desempenho
Crescimento PIB Inflação
1995 2.8% 66.0%
1996 0.6% 15.8%
1997 1.8% 6.9%
1998 -1.5% 3.2%
1999 -1.2...
22/05/2015
24
0
5000
10000
15000
20000
25000
30000
1962
1964
1966
1968
1970
1972
1974
1976
1978
1980
1982
1984
1986
1988
1...
22/05/2015
25
Desempenho
0
5
10
15
20
25
30 1970
1972
1974
1976
1978
1980
1982
1984
1986
1988
1990
1992
1994
1996
1998
200...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Unidade 3 parte 4

103 visualizações

Publicada em

Curso de Economia Monetária

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
103
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Unidade 3 parte 4

  1. 1. 22/05/2015 1 Política Monetária no Brasil Unidade 3 Profa, Gisele F.Tiryaki ECO 174 – Economia Monetária FCE/UFBA Sumário  Política Monetária durante o Milagre Econômico: 1964 – 1973  Política Monetária durante a Fase de Crescimento com Endividamento:1974 – 1984  Experiências Heterodoxas com Política Monetária: 1985 – 1989  Liberalização e Desindexação: 1990 – 1994  Política Monetária no Período Pós-Plano Real: 1994 – Presente
  2. 2. 22/05/2015 2 Política Monetária durante o Milagre Econômico: 1964 – 1973 Conjuntura  Diagnóstico na época: inflação era resultado de déficit público crônico (senhoriagem) e consequente de pressão por elevações salariais  Objetivos da política macroeconômica:  Combate gradual à inflação  Expansão das exportações  Retomada do crescimento Crescimento PIB/Capita Inflação Poupança do Setor Público (%PIB) Anos 50 3,7% 18,1% 2,8% 1960 5,1% 28,9% 4,1% 1961 11,2% 45,3% 1,1% 1962 2,3% 48,9% – 0,2% 1963 – 2,2% 75,7% 0,2%
  3. 3. 22/05/2015 3 Plano de Ação Econômica do Governo (PAEG) - 1963  Controle da inflação com manutenção do crescimento econômico (gradualismo)  Metas de inflação: 70% em 1964, 25% em 1965 e 10% em 1966  Metas de crescimento: 6% a.a. em 1965-1966  Programa de ajuste fiscal: elevação da arrecadação (impostos e tarifas) e redução de despesas  Reforma do sistema financeiro: financiamento de longo prazo para o processo de industrialização de forma não-inflacionária  Taxas decrescentes de expansão nos meios de pagamentos  Controle na concessão de crédito ao setor privado  Reajustes salariais: manutenção do salário real médio no biênio anterior + aumento de produtividade  Reajuste não era feito pelo pico de inflação Reforma Financeira  Criação do Banco Central e do CMN  Captação de recursos de longo prazo: como proteger o retorno real dos ativos (juros nominais eram limitados a 12% a.a.)?  Emissão de títulos públicos com correção monetária (ORTN): financiamento não monetário do déficit público  Emissão de instrumentos financeiros com indexação no mercado de capitais  Redução de imposto de renda sobre poupança e sobre empresas emissoras de ações  Abertura à captação de financiamentos no mercado externo
  4. 4. 22/05/2015 4 Desempenho Crescimento PIB/Capita Inflação Arrecadação Tributária (%PIB) Poupança do Setor Público (%PIB) 1964 0.50% 87.3% 17,0% -0.2% 1965 -0.47% 32.4% 19,0% 0.7% 1966 3.71% 37.1% 21,0% 1.9% Plano Estratégico de Desenvolvimento (PED) - 1966  Plano Estratégico de Desenvolvimento (PED) em 1966:  Estabilização de preços, sem metas explícitas: política monetária mais expansiva, com instituição de controle de preços públicos e de alguns preços privados  Fortalecimento de empresas privadas  Consolidação da infraestrutura pelo governo, sem comprometer o ajuste fiscal: maior papel para as estatais (menor déficit primário)  Política de minidesvalorizações cambiais (câmbio administrado): conter impactos da inflação sobre a balança comercial
  5. 5. 22/05/2015 5 I Plano Nacional de Desenvolvimento (I PND): 1972 - 1974  Meta de crescimento econômico de 8% a 9% ao ano, inflação anual abaixo de 20% e um aumento de US$ 100 milhões nas reservas cambiais  Objetivo principal: continuidade do PED, com o fortalecimento da infraestrutura com investimentos majoritariamente estatais  Ênfase: transportes e telecomunicações Desempenho Crescimento PIB/Capita Inflação Arrecadação Tributária (%PIB) Poupança do Setor Público (%PIB) 1967 1.28% 23.7% 20,5% -0.6% 1968 6.72% 24.2% 23,3% 1.9% 1969 6.43% 18.3% 24,9% 0.1% 1970 6.79% 18.3% 26,0% 5.5% 1971 8.64% 14.9% 25,3% 5.9% 1972 9.23% 14.8% 26,0% 5.8% 1973 11.21% 32.9% 25,1% 6.0%
  6. 6. 22/05/2015 6 Fatores que Possibilitaram o Milagre Econômico  Existência de capacidade ociosa na economia  Política salarial: queda nos salários reais  Equilíbrio externo: baixas taxas de juros no mercado internacional e contexto comercial favorável (aumento de preços de commodities e expansão do comércio mundial) 0 5000 10000 15000 20000 25000 30000 1962 1964 1966 1968 1970 1972 1974 1976 1978 1980 1982 1984 1986 1988 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 R$percapita(base:2013) Desempenho Fonte: BCB (2015) Milagre Econômico Crescimento de 74% na renda per capita
  7. 7. 22/05/2015 7 Política Monetária durante a Fase de Crescimento com Endividamento: 1974 – 1984 Conjuntura  Auge e esgotamento do modelo de substituição de importações:  Investimento e crédito públicos  Dependência do endividamento externo: necessidade de gerar superávits comerciais para cumprir os encargos da dívida externa  Sustentabilidade requer política cambial adequada, demanda externa crescente e liquidez no mercado financeiro internacional  Dependência estrutural da economia em relação ao petróleo e em relação à importação de bens de capital  Cenário externo:  Dois choques do petróleo: 1973 e 1979  Aumento dos juros no mercado internacional  Racionamento de crédito para os países altamente endividados: moratória e renegociação de dívida externa
  8. 8. 22/05/2015 8 Política Econômica: 1974 – 1978  II PND (1974): plano de investimentos dos setores público e privado em infraestrutura, bens de capital e insumos, energia e exportações  Financiamento dos investimentos públicos: recursos do orçamento e endividamento externo via empresas estatais  Financiamento dos investimentos privados: BNDE (juros subsidiados)  Negligenciou-se o impacto do 1º choque do petróleo  Acirramento do processo inflacionário: controle monetário e fiscal, ainda que colocado em segundo plano em relação à promoção do crescimento econômico Desempenho Crescimento PIB/Capita Inflação Dívida Pública Mobiliária (%PIB) Dívida Externa Líquida/Exportações 1974 5.53% 27.9% 5,8% 1,86 1975 2.62% 43.9% n.a. 2,43 1976 7.59% 36.8% n.a. 2,53 1977 2.39% 38.7% n.a. 2,53 1978 2.43% 73.2% 8,2% 3,18
  9. 9. 22/05/2015 9 Política Econômica: 1979 – 1984  Fase Simonsen (1974-1979): aceleração da inflação e cenário internacional desfavorável exigiam mudanças na estratégia de política macroeconômica  Controle sobre meios de pagamento e crédito bancário: monetarismo  Redução dos investimentos das estatais e das despesas com subsídios  Política de desvalorizações reais da taxa de câmbio: tentativas de aumentar os superávits comerciais  Políticas restritivas geraram reações que culminaram com o pedido de demissão de Simonsen Política Econômica: 1979 – 1984  Fase Delfim Netto (1979 – 1984): ajustes no câmbio eram necessários no contexto internacional desfavorável  Objetivo: estimular as exportações, via desvalorizações cambiais  Reforço de medidas de controle monetário (contenção na emissão de meios de pagamento e restrições ao crédito)  Controle fiscal: ajustes de tarifas públicas e cortes nos gastos  Problema: ajustes de tarifas públicas, desvalorização cambial, a prática de indexação de contratos e ajustes mais frequentes de salários elevaram a inflação
  10. 10. 22/05/2015 10 Política Econômica: 1979 – 1984  Fase Delfim Netto (1979 – 1984):  Reação: ajuste explicitamente recessivo  Manutenção de juros reais elevados: redução da absorção interna  Maxidesvalorização da taxa de câmbio  Elevação da carga tributária  Fortalecimento da indexação da dívida pública como forma de facilitar financiamento do déficit Desempenho Crescimento PIB/Capita Inflação Dívida Pública Mobiliária (%PIB) Dívida Externa Líquida/Exportações 1979 4.18% 104.4% 7,2% 3,03 1980 6.98% 90.2% 5,1% 2,85 1981 -6.34% 101.7% 7,3% 2,85 1982 -1.34% 100.5% 11,0% 4,04 1983 -4.99% 135.0% 13,7% 4,07 1984 3.20% 192.1% 14,3% 3,34
  11. 11. 22/05/2015 11 0 5000 10000 15000 20000 25000 30000 1962 1964 1966 1968 1970 1972 1974 1976 1978 1980 1982 1984 1986 1988 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 R$percapita(base:2013) Desempenho Fonte: BCB (2015) II PND Fase Monetarista Experiências Heterodoxas com Política Monetária: 1985 – 1989
  12. 12. 22/05/2015 12 Conjuntura  Retomada do crescimento econômico, mas inflação em aceleração  Propostas de solução:  Pacto social (Unicamp/Beluzzo): inflação era vista como fruto de conflito distributivo (processo de barganha e distribuição de lucros e salários); solução: convencer as partes dos benefícios da estabilização  Choque ortodoxo (FGV): inflação era vista como resultado da monetização do déficit público; solução: políticas monetária e fiscal restritivas; desindexação; liberalização de preços Conjuntura  Propostas de solução:  Choque heterodoxo (Francisco Lopes/PUC-RJ): principal causa da inflação era a indexação introduzida durante o PAEG; solução: desindexação e congelamento de preços  Reforma monetária (PérsioArida/André Lara Rezende): também defendia a ideia que o problema era inflação inercial, mas considerava que o congelamento causava distorções alocativas; solução: desindexação via introdução de moeda indexada com circulação paralela à moeda doméstica
  13. 13. 22/05/2015 13 Conjuntura  Inércia inflacionária: a indexação reproduz uma situação de desequilíbrio, já que os reajustes de preços e salários não acontecem simultaneamente  Desindexação: necessário fazer a conversão de todos os contratos da economia pelo seu valor médio de equilíbrio  Evitar que a fase de transição ocorresse com os contratos em valores de pico (recentemente ajustados) ou vale (defasados)  Porque utilizar o valor médio?  Ideal para os agentes: valores de pico  Implicação: hiperinflação Desempenho Crescimento PIB/Capita Inflação Poupança do Setor Público (%PIB) Dívida Externa Líquida/Exportações 1985 5.64% 226,0% -8,6% 3,65 1986 5.35% 147,1% -7,4% 4,66 1987 1.56% 228,3% -6,4% 4,34 1988 -1.88% 629,1% -13,4% 3,09 1989 1.36% 1.430,7% -21,7% 3,08
  14. 14. 22/05/2015 14 0 5000 10000 15000 20000 25000 30000 1962 1964 1966 1968 1970 1972 1974 1976 1978 1980 1982 1984 1986 1988 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 R$percapita(base:2013) Desempenho Fonte: BCB (2015) Experiências Heterodoxas Plano Cruzado  Conjuntura: cenário internacional favorável, com queda no preço do petróleo e recuperação das contas externas; inflação em ascensão  Choque heterodoxo (1986):  Reforma monetária e congelamento de preços  Taxa de câmbio fixa  Desindexação: substituição das ORTN por OTN; proibição de indexação de contratos inferiores a 12 meses  Política salarial: os salários na nova moeda seriam calculados pela média dos últimos 6 meses e seriam congelados  Reajustes somente se inflação passasse de 20%: gatilho salarial (o reajuste não poderia exceder os 20%)
  15. 15. 22/05/2015 15 Plano Cruzado – Resultados  Queda no nível de preços  Elevação no emprego e crescimento econômico: aceleração do consumo sobre uma demanda já aquecida (queda significativa na capacidade ociosa)  Política monetária acomodatícia: juros reais negativos!  Expansão do crédito  Desabastecimento e ágio  Deterioração fiscal: aumentos de despesas com salários do funcionalismo público  Deterioração da balança comercial, com o câmbio artificialmente valorizado  Anúncio de política de minidesvalorizações  Cruzado II (pós-eleições): abandono do congelamento Plano Cruzado – Erros de Concepção  Inflação não era puramente inercial: demanda estava aquecida  Abonos salariais geraram explosão do consumo  Políticas fiscal e monetária pouco restritivas  Congelamento prolongado  Preços foram congelados no nível corrente, ao invés de congelados pelo nível médio  Manutenção do câmbio fixo: deterioração externa
  16. 16. 22/05/2015 16 Plano Bresser  Plano Bresser (1987): elementos heterodoxos e ortodoxos  Congelamento de preços e salários, com previsão de flexibilização e posterior descongelamento  Políticas fiscais e monetárias restritivas  Elevação dos juros reais  Redução dos déficits via elevação das tarifas públicas, eliminação de subsídios e cortes nos gastos e investimentos  Taxa de câmbio não foi congelada  Resultados:  Congelamento não foi respeitado  Reajustes salariais do funcionalismo impediram o ajuste fiscal  Ajuste externo possibilitado pela flexibilização do câmbio Gestão de Maílson da Nóbrega  Política do Feijão com Arroz (1988): política ortodoxa gradualista  Ajuste fiscal: contenção de salários do funcionalismo  Política monetária não foi suficientemente restritiva  Superávits da balança comercial  PlanoVerão (1989): radicalização das propostas de desindexação  Reforma monetária  Congelamento por tempo indeterminado sem preocupação com neutralidade distributiva  Ajuste fiscal: inviabilizado em função das eleições  Resultados: crescimento acelerado da inflação, sem mecanismo de coordenação de expectativas (não foram implementadas novas formas oficiais de indexação)
  17. 17. 22/05/2015 17 Desempenho Crescimento PIB/Capita Inflação Poupança do Setor Público (%PIB) Dívida Externa Líquida/Exportações 1985 5.64% 226,0% -8,6% 3,65 1986 5.35% 147,1% -7,4% 4,66 1987 1.56% 228,3% -6,4% 4,34 1988 -1.88% 629,1% -13,4% 3,09 1989 1.36% 1.430,7% -21,7% 3,08 Liberalização e Desindexação: 1990 – 1994
  18. 18. 22/05/2015 18 Conjuntura  Mudança de paradigma do papel do estado: privatização e liberalização comercial e financeira (Consenso deWashington)  Aumento da competição e da eficiência  Câmbio livre  Eliminação de restrições à importação  Plano Brady: reestruturação da dívida  Troca da dívida por bônus emitidos pelo país devedor (com abatimento do encargo da dívida)  Oferta abundante de poupança externa  Inflação: crescimento acentuado Desempenho Crescimento PIB/Capita Inflação 1990 -7,15% 2947,7% 1991 -0,67% 477,4% 1992 -2,15% 1.022,5% 1993 3,26% 1.927,4% 1994 4,20% 2.075,8%
  19. 19. 22/05/2015 19 0 5000 10000 15000 20000 25000 30000 1962 1964 1966 1968 1970 1972 1974 1976 1978 1980 1982 1984 1986 1988 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 R$percapita(base:2013) Desempenho Fonte: BCB (2015) Governo Collor Política Macroeconômica  Plano Collor I (1990):  Reforma monetária  Congelamento de preços  Aumento da arrecadação fiscal: criação de novos tributos e corte em gastos do governo  Sequestro de liquidez: bloqueio de aplicações acima de teto estipulado, por 18 meses  Controle do estoque de moeda, mas não elimina a indexação  Resultado: queda temporária da inflação, que logo voltou a se acelerar
  20. 20. 22/05/2015 20 Política Macroeconômica  Plano Collor II (1991):  Ajuste fiscal  Modernização do parque industrial  Indexação “forward-looking”: incorporando a expectativa futura de inflação à TR  Resultado: não se conseguiu controlar a inflação  Plano Real (1994):  Fase 1: ajuste fiscal (déficit público como principal causa da inflação)  Fase 2: criação de um padrão estável de valor (URV: unidade de referência de valor)  Fase 3:emissão de nova moeda (paridade de R$1/US$: câmbio fixo)  Política monetária restritiva: juros altos e elevação nos depósitos compulsórios como forma de conter a inflação 0 5000 10000 15000 20000 25000 30000 1962 1964 1966 1968 1970 1972 1974 1976 1978 1980 1982 1984 1986 1988 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 R$percapita(base:2013) Desempenho Fonte: BCB (2015) Plano Real
  21. 21. 22/05/2015 21 Política Monetária no Período Pós- Plano Real Conjuntura  Aquecimento da economia  Câmbio sobre-valorizado  Inflação com alguma resistência à queda  Cenário externo: crise do México  Câmbio fixo e a possibilidade de ataque especulativo  Queda drástica nas reservas internacionais
  22. 22. 22/05/2015 22 Período Pós-Real  Câmbio administrado: adoção de microdesvalorizações através de movimentos pequenos no teto e piso da banda cambial  Elevação nas taxas de juros  Resultados:  Contração da atividade econômica  Controle da inflação  Dificuldades:  Necessidade de ajuste fiscal  Desequilíbrio externo crescente: forte apreciação cambial  Crises financeiras internacionais: Ásia e Rússia Período Pós-Real  Pós-1999:  Abandono da âncora cambial  Elevação da taxa de juros  Adoção do sistema de metas de inflação
  23. 23. 22/05/2015 23 Desempenho Crescimento PIB Inflação 1995 2.8% 66.0% 1996 0.6% 15.8% 1997 1.8% 6.9% 1998 -1.5% 3.2% 1999 -1.2% 4.9% 2000 1.5% 7.0% 2001 -0.1% 6.8% 2002 1.3% 8.4% 2003 -0,2% 14,7% Fonte: FMI (2015) PIB per capita Desempenho Crescimento PIB Inflação 2004 4.3% 6.6% 2005 1.9% 6.9% 2006 2.8% 4.2% 2007 4.8% 3.6% 2008 3.9% 5.7% 2009 -1.3% 4.9% 2010 6.5% 5.0% 2011 2.9% 6.6% 2012 0.8% 5.4% 2013 1.8% 6.2% 2014 -0.7% 6.3% 2015* -1.8% 7.8% Fonte: FMI (2014)
  24. 24. 22/05/2015 24 0 5000 10000 15000 20000 25000 30000 1962 1964 1966 1968 1970 1972 1974 1976 1978 1980 1982 1984 1986 1988 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 R$percapita(base:2013) Desempenho Fonte: BCB (2015) Pós-Real Desempenho – Gastos do Governo 0 5 10 15 20 25 1962 1964 1966 1968 1970 1972 1974 1976 1978 1980 1982 1984 1986 1988 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 %PIB Fonte: Banco Mundial (2015)
  25. 25. 22/05/2015 25 Desempenho 0 5 10 15 20 25 30 1970 1972 1974 1976 1978 1980 1982 1984 1986 1988 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 %PIB Gov/PIB Inv/PIB Fonte: Banco Mundial (2015)

×