Amadeo Souza Cardoso

10.153 visualizações

Publicada em

1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.153
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
670
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
174
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Amadeo Souza Cardoso

  1. 1. Amadeo_Souza_Cardoso
  2. 2. Clique Amadeo de Souza-Cardoso, nasceu em Manhufe, freguesia de Mancelos, Amarante. Foi um pintor precursor da arte moderna, prosseguindo o caminho traçado pelos artistas de vanguarda da sua época. Poder-se-á dizer que foi um pintor impressionista, expressionista, cubista, futurista mas sempre recusou qualquer rotulo. Apesar das múltiplas influencias procurava a originalidade e a criatividade na sua obra.. Embora tendo tido uma vida curta, a sua obra tornou-se imortal. A cozinha de Manhufe, 1913
  3. 3. Frequentou o curso de Arquitectura na Academia de Belas Artes de Lisboa em 1905 que interrompeu para partir para Paris, em 1906, instalando-se em Montparnasse, tomando contacto primeiro com o Impressionismo e depois com o Expressionismo e o Cubismo, dedicando-se, assim, exclusivamente à pintura. As primeiras experiências  deram-se no desenho, especialmente como caricaturista.
  4. 4. Os Cavaleiros & cota
  5. 5. Paul Guillaume de Amedeo Modigliani , 1915 Em 1908 instala-se no número catorze da Cité de Falguière. Em Paris, frequentou ateliers preparatórios para Academia de Beaux-Arts e a Academia Viti do pintor catalão Anglada Camarasa. Em 1910 fez uma estadia de alguns meses em Bruxelas e em 1911 expôs trabalhos no Salon des Indépendants , em Paris, havendo-se aproximado progressivamente das vanguardas e de artistas como Amedeo Modigliani, Constantin Brancusi, Alexander Archipenko, etc. O beijo de Alexander Archipenko , 1908
  6. 6. Salto do Coelho Depois de participar em 1913 de uma exposição com oito trabalhos nos Estados Unidos da América, no Armory Show , voltou a Portugal, onde teve a ousadia de realizar duas exposições, respectivamente no Porto e em Lisboa. Nesse ano participou ainda no Herbstsalon da Galeria Der Sturm , em Berlim. Em 1914 encontrou-se em Barcelona com Antoni Gaudí, e parte para Madrid onde é surpreendido pelo início da I Guerra Mundial.
  7. 7. Entrada Depois do início da Grande Guerra, Amadeo regressa a Portugal, onde iniciou meteórica carreira na experimentação de novas formas de expressão, tendo pintado com grande constância ao ponto de, em 1916, expor no Porto 114 obras com o título "Abstraccionismo", que foram também expostas em Lisboa, num e noutro caso com novidade e algum escândalo.
  8. 8. Retrato de Francisco Cardoso, seu tio Surgiram telas com fortes manchas de cor, interligadas entre si e formando no conjunto figuras de inspiração nitidamente africana. É um bom exemplo desse período a obra Máscara de Olho Verde. Em 1917, participou com Almada Negreiros no Movimento Futurista Português.
  9. 9. Menina dos cravos O cubismo, que na época atingia notável expansão por toda a Europa, repercutiu-se na sua obra e algumas telas apresentam formas rectilíneas influenciadas pelo cubismo analítico. Inspirado por este estilo, Amadeo criou toda uma série de quadros com formas abstractas truncadas e figuras humanas recortadas destacadas por jogos de luz e cor.
  10. 10. Canção Popular: a Russa e o Figaro O objecto, humano ou mineral, povoa assim os seus quadros, tornando-se presença dominante nas obras que se seguem. Posteriormente, com o seu desejo de experimentar todas as formas possíveis de expressão pictórica, Amadeo dedicou-se ao expressionismo que então atingia o seu apogeu.
  11. 11. Pintura
  12. 12. Par - Impar
  13. 13. Pintura As suas últimas telas reflectem a experimentação de novas formas e técnicas, como as colagens, criando quadros em que espaços pintados se articulam com espaços ocupados por colagens de objectos vários: de espelhos a ganchos, de vidros a simples pedaços de papel, tudo tem lugar nas suas telas.
  14. 14. Pintura
  15. 15. Barcos
  16. 16. Procissão Corpus Christi Em 25 de Outubro de 1918, aos 31 anos de idade, morre prematuramente em Espinho, vítima de pneumónia que atacava em Portugal.
  17. 17. Fim

×