Portefoli Do Grupo V

1.496 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.496
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
89
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Portefoli Do Grupo V

  1. 1. Escola Secundária de Paços de Ferreira Ano Lectivo 2009/2010 Área de Projecto PORTEFÓLIO Área de Projecto GRUPO V Realizado por: Bruno Ferreira Ellen Lavigne Lúcia Prates Marisa Martins Sara Vilela
  2. 2. 1. Aspectos gerais…
  3. 3. Grupo IV “Histórias da nossa escola em audiovisual” Grupo de Jornalismo e Fotografia/Vídeo Porta-voz  Marisa Martins Plano de trabalho: •entrevistas/inquéritos a alunos, professores, funcionários que estiveram relacionados com a escola desde o início até agora; •documentar fotográficamente; •tratamento de textos, fotos, vídeos, etc; •recolha de imagens da escola a devidas transformações; •recolha de informações sobre a escola; •documentário. O objectivo do nosso tema é, também, conhecer as histórias engraçadas/menos boas passadas na escola, para aqueles em que a escola é mais do que um local de trabalho/estudo.
  4. 4. Planificação… GRUPOS TEMAS OBJECTIVOS METOGOLOGIAS PRODUTO CALENDARIZAÇÃO 1º Período Nº NOME Nº GERAIS ESPECÍFICOS O QUE COMO RECURSOS Montagem em Setembro: FAZER? FAZER? vídeo Definir os grupos e os temas; Eleger o porta – voz ; Bruno 6 Criar uma Dar a conhecer as Trabalhar de Pesquisar; Auditório da (documentário) Organizar os dossiers individuais. Ferreira memória histórias acordo com os Recolher escola; resultante da Outubro: Fazer a calendarização; fotográfica e passadas na objectivos informações Biblioteca da junção de Identificar e registar os objectivos gerais e específicos; gerais e todos os Definir os temas individuais para cada grupo. audiovisual das escola; sobre a escola; Novembro: específicos de produtos finais Iniciar a planificação do trabalho; transformações Mostrar as escola; Suporte de Histórias da nossa escola em audiovisual modo a Concluir a planificação; ocorridas transformações Recolher registo e elaborados por Divisão de tarefas; apresentarmos durante o físicas na escola; um imagens da tratamento de todos os grupos Iniciar a recolha de informação; Requisição do material necessário; Lúcia Prates 17 projecto de Conhecer as documentário; escola e imagens de trabalho; Criação de uma poupança; IV construção da diferenças entre Documentar devidas (Computador, Elaboração de Produção de relatórios; Início do portefólio. nova escola; o antes e o agora fotograficamen transformaçõ Câmara de um portefólio; Dezembro: Avaliação; Conhecer a da vida escolar; te; es. filmar, câmara Apresentação Reunião de grupo sobre o trabalho realizado e a realizar. formação/const Entrevistar/ do 2º Período G rução da Documentário com a selecção inquirir alunos, fotográfica) ; Livros; documentário Janeiro: Início da recolha de material fotográfico; professores e em vídeo no Reunião de porta-vozes; Marisa escola; R Martins 18 Conhecer das imagens e vídeos das funcionários que estiveram Biblioteca Municipal; auditório da Fevereiro: Divisão de tarefas; Preparação das entrevistas. escola para U histórias relacionadas mudanças na escola. relacionados com a escola Depoimento de Alunos, toda a Realização do ingresso de autorização para a gravação das entrevistas por método audiovisual; Realização e gravação por via audiovisual da entrevistas. desde o inicio comunidade P com a escola; Dar a conhecer da formação professores funcionários; escolar. Março: Organização dos resultados das entrevistas (parte I); Recolha de material fotográfico; até agora. O Organização do portefólio. o produto final. Direcção da 3º Período Sara Vilela Tratar os textos, Escola. Abril: Reunião dos Porta-vozes; 21 Finalização do documentário; fotografias e Finalização do portefólio. vídeos; Maio: Produzir as Apresentação do produto final; Avaliação final do período. entrevistas e os inquéritos. Ellen Lavigne 23
  5. 5. Diário de bordo… 1º parte… •14 de Setembro de 2009: •7 de Outubro de 2009: -apresentação. -Trabalho em grupo; -Escolha de sub-temas; •15 de Setembro de 2009: -Escolha do porta-voz. -formação de grupos. •12 de Outubro de 2009: •21 de Setembro de 2009: -Continuação da definição dos subtemas; -Visualização de projectos de anos anteriores. Objectivos; metodologia e recursos. •23 de Setembro de 2009: •14 de Outubro de 2009: -Escolha de temas. -Técnicas de investigação: técnicas documentais, técnicas não documentais; inquérito por •28 de Setembro de 2009: questionário; entrevista e observação. - Exercício de evacuação. •30 de Setembro de 2009: (…) -Apresentação do projecto de uma ex-aluna.
  6. 6. Diário de bordo… 2º parte… (…) •28 de Outubro de 2009: -Continuação da elaboração do projecto de •19 de Outubro de 2009: investigação. -Continuação do estudo das técnicas de investigação: recolha, selecção e tratamento da •2 de Novembro de 2009: informação; as questões de autoria, citação ou -Trabalho de grupo; plágio? -Continuação do projecto. •21 de Outubro de 2009: •4 de Novembro de 2009: -Como se faz o trabalho de grupo; diário de -Prova de avaliação teórica. bordo; relatório; Brainstorming; portefólio; -Leitura dos textos; •9 de Novembro de 2009: -Preenchimento da ficha biográfica do aluno. -continuação da elaboração do projecto; -objectivos gerais; específicos; metodologias. •26 de Outubro de 2009: -Trabalho em grupo; -Elaboração do projecto.
  7. 7. 2. Comentários, auto e hetero-avaliações …
  8. 8. Bruno Ferreira Comentário… Na minha opinião, o início de um projecto é uma das partes mais complicadas na realização desse mesmo projecto. A pesquisa da mais variada espécie, tanto documental com não documental, a necessidade de estabelecer diferentes tarefas a cumprir em determinados prazos por determinados elementos do grupo e realização de planificações, relatórios etc. ,ou seja, o carácter teórico característico do início do trabalho pode causar, uma certa desorganização dentro do grupo de trabalho. Mas, apesar de toda a desorganização inicial que, na minha opinião, é normal no inicio de um projecto, o grupo superou as dificuldades e obteve bons resultados a nível de pesquisa e distribuição de tarefas, bem como uma planificação consistente que pretendemos cumprir dentro dos prazos estabelecidos. Na minha opinião penso que temos de nos empenhar um pouco mais fora da aula para que possamos cumprir o trabalho de uma forma mais organizada, sem grandes pressões no final de cada período.
  9. 9. Bruno Ferreira Auto-Avaliação… Fui assíduo e pontual, penso que a minha nota no teste foi boa e apesar de falador e distraído, cumpro sempre as tarefas estabelecidas, mesmo que nem sempre dentro do tempo estabelecido . Contribuí também para a realização do “brain storming” que inclui ideias que podem ser aceites para a realização do trabalho final. O trabalho que me compete é essencialmente baseado no registo audiovisual das transformações que estão a ocorrer no desenrolar do processo de construção da nova ESPF. Dentro dessa tarefa que me compete penso que realizei, até agora, uma boa recolha de fotografia que vai constar, após uma selecção prévia, no documentário e livro que pretendemos ser realizado como projecto da turma no final do ano lectivo. Em suma, penso que a minha prestação foi razoável. Penso que mereço um 15, neste período.
  10. 10. Bruno Ferreira Hetero - Avaliação … Ellen – Penso que o seu trabalho foi bastante positivo. Apesar das dificuldades que um aluno estrangeiro pode ter devido a problemas com a língua, a Ellen não desistiu de ajudar o grupo em tudo o que foi necessário. Sara – Cumpriu as tarefas propostas apesar de nem sempre dentro do tempo estabelecido. Mostra empenho e voluntaria-se para ajudar no grupo. Lúcia – Cumpriu as tarefas propostas, nem sempre dentro do tempo estabelecido. Apesar de distraída e, por vezes, não prestar atenção ao que é falado e combinado no grupo, é assídua e pontual. Marisa – A sua prestação no grupo é muito boa, mantém a ordem e tem um papel fundamental na organização do mesmo. É assídua, pontual e extremamente organizada e prestável.
  11. 11. Bruno Ferreira Hetero-avaliação… Bruno – 15 valores Ellen – 12 valores Lúcia – 10 valores Marisa – 16 valores Sara – 12 valores
  12. 12. Ellen Lavigne Comentário e Auto-Avaliação… Nos últimos meses desta disciplina de área projecto realizamos coisas fundamentais para iniciar a preparação do projecto. Organizamos o nosso ano lectivo, através de uma planificação, para utilizar todo tempo que temos, estabelecemos os nossos trabalhos individuais que nos competem para a integrar no projecto e exploramos os meios que usamos para obter pesquisa suficiente. Apesar da minha dificuldade em escrever em Português vou contribuir desta maneira, tentando ajudar a escrever e também ajudando a organizar e obter pesquisas. Mas o meu papel neste trabalho é principalmente dar as minhas opiniões sobre a construção da nossa nova escola em relação à minha escola americana. A minha nacionalidade diferente dá-me uma vista única, diferente dos meus colegas. Posso dar informações sobre as diferenças culturas entre as escolas e clarificar quais os factos sobre a nova escola que são unicamente factos portugueses. Espero que o nosso projecto corra dentro do previamente planeado e espero que consigamos concluir os objectivos estabelecidos na planificação.
  13. 13. Ellen Lavigne Hetero-avaliação… Bruno – 15 valores Ellen – 13valores Lúcia – 14 valores Marisa – 19 valores Sara – 15 valores
  14. 14. Lúcia Prates Comentário… Em relação ao trabalho que foi realizado tudo foi feito de forma organizada. O tema do trabalho foi escolhido, sendo chamado de “Histórias da nossa escola em audiovisual” . De acordo com este, o grupo elaborou um plano sobre as tarefas que a cada um competia realizar. Tudo foi feito de forma organizada. Houve a elaboração do portfólio ao longo do trabalho. Houve também a cooperação de todos os elementos do grupo neste, e todas as tarefas que foram distribuídas foram realizadas e algumas ainda decorrem. Penso que o trabalho começa a tornar-se mais interessante á medida que vai avançando, devido ao facto da organização do grupo estar cada vez melhor, e ao facto de termos já melhor disponibilidade para realizarmos as tarefas, como é exemplo do registo fotográfico, que nem sempre foi possível de realizar esta tarefa, e agora está a tornar-se mais fácil devido a já haver material disponível para a sua realização. Em relação ao tema do nosso trabalho, penso que este é interessante e que iremos descobrir e aprender muitas coisas novas, devido ao facto de este representar a história da escola onde estudamos e onde muitos pais e outros familiares nossos já estudaram.
  15. 15. Lúcia Prates Auto e hetero-avaliação… Penso que realizei todas as tarefas que me foram atribuídas ao longo deste período. Cooperei no que foi preciso em conjunto com os meus colegas. O meu comportamento durante o decorrer deste trabalho foi razoável, nem mau nem bom comportamento. Em relação aos outros membros do grupo poderei dizer que todos eles realizaram as tarefas pretendidas e que cooperaram todos em conjunto. Cada um trabalhou na sua tarefa de maneira organizada e responsável, em relação ao comportamento de todos os membros do grupo, este pode não ser dos melhores, mas digamos que se encontra dentro do razoável. Penso que satisfaz seria a nota que atribuía a mim e aos outros membros do grupo.
  16. 16. Lúcia Prates Hetero-avaliação… Bruno – 15 valores Ellen – 11 valores Lúcia – 11 valores Marisa – 16 valores Sara – 11 valores
  17. 17. Marisa Martins Comentário/reflexões crítica… O trabalho realizado durante o primeiro período foi muito teórico. Desde a selecção dos grupos e temas à realização da planificação do trabalho, foi preciso muito empenho no projecto. Contudo, fizemos tudo o que tínhamos proposto fazer durante este período. Acho que nos faltou cooperar mais uns com os outros e acabar as tarefas nas datas propostas, sem que deixássemos o trabalho para a última hora.
  18. 18. Marisa Martins Auto-avaliação… Fui assídua e pontual. Contribuí com ideias a desenvolver no nosso projecto, realizei todas as tarefas que me foram destinadas nos devidos prazos e com o empenho necessário. Ajudei os meus colegas de grupo nas tarefas que lhes foram incumbidas e voluntariei-me sempre que foi necessário fazer alguma tarefa. Hetero-avaliação
  19. 19. Marisa Martins Hetero-avaliação… Bruno - fez as suas tarefas, embora nem sempre nos prazos pedidos. Durante as aulas a ideia que transmite é que não trabalha e que está sempre a brincar, contudo, e como o seu trabalho está relacionado com a captação de imagens da escola, as suas tarefas foram cumpridas com sucesso. Ellen - considero o seu trabalho positivo. Fez as tarefas que lhe foram destinadas e voluntariou- se para ajudar os colegas nas tarefas deles. Lúcia - fez as tarefas nos prazos determinados, é pontual e assídua, participa activamente na vida do grupo. Sara - as suas tarefas foram concluídas nos prazos determinados e voluntaria-se, demonstrando empenho.
  20. 20. Marisa Martins Hetero-avaliação… Bruno – 15 valores Ellen – 12 valores Lúcia – 10 valores Marisa – 15 valores Sara – 12 valores
  21. 21. Sara Vilela Comentário… O nosso trabalho foi começado a pouco tempo pela pouca motivação do tema em questão e por não termos acesso a um bom material fotográfico na escola. Este problema foi resolvido pois não poderíamos voltar atrás na nossa escolha e o professor ajudou-nos no que diz respeito ao material fotográfico que necessitávamos. Falou com outro professor, seu colega, que tem o filho com um gosto pela fotografia e não parece apenas um gosto banal pois este tem as máquinas fotográficas que nós precisávamos e isso ajudou-nos imenso para começarmos a trabalhar no projecto decidido pela turma.
  22. 22. Sara Vilela Auto-avaliação A minha avaliação em relação ao projecto acho que se pode considerar razoável. No início não sentia tanta motivação bem como o resto de grupo porque não tinha com o que trabalhar e para que estava destinada a fazer no grupo. Hetero-avaliação A minha opinião em relação à participação dos restantes elementos do grupo na realização do projecto, nesta fase, é de empenho pois como agora já temos quase todo o material que precisávamos para trabalhar sentimos mais motivação para o fazer em relação a quando o projecto nos foi entregue para as mãos para começarmos a trabalhar.
  23. 23. Sara Vilela Hetero-avaliação… Bruno – 15 valores Ellen – 14 valores Lúcia – 14 valores Marisa – 16 valores Sara – 14 valores
  24. 24. *Alguns dados escritos relativos ao grupo (V) poderão não ser aqui apresentados devido ao formato de apresentação do portefólio…

×