Homememcatarse

217 visualizações

Publicada em

Homem em Catarse: uma pérola da música portuguesa.

Publicada em: Diversão e humor
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Homememcatarse

  1. 1. REVELAÇÃO MUSICAL PARA 2013Homem em Catarse é: Poesia embrulhada em dedilhados atmosféricos; Composição nas margens do Cávado por Afonso Dorido; Produção de Paulo Miranda (conhecido por trabalhar com nomes como Old Jerusalem, Legendary Tiger Man, Indignu ou Long Way to Alaska); Participações especiais da violetista Margarida Faria e do artista Gobi Bear; Gravação na Música Portuguesa A Gostar Dela Própria; 31 minutos de EP, em formato digital pela MimiRecords; Encomendas do EP em formato físico em homem.em.catarse@gmail.com.Homem em Catarse é isto e muito mais.Uma das esperanças para a música nacional portuguesa, diz a Rádio Universidade deCoimbra. Quem ousa discordar? Alinhamento do EP homónimo: 1-Navarra 7:30 2-Pena d´água 3-Évora 4-Pois!Não sei 5-(não és) Açor 6-Catarina 7-Novo começo
  2. 2. T EMA A TEMA , NAS PALAVRAS DO CANT AUTOR# 1 NavarraÉ o tema que abre o Ep. Nasce de uma foto de um trajecto laboral de alguém que,como muitos portugueses, teve de procurar emprego no estrangeiro. Tudo se passanos arredores de Pamplona, numa via rápida. As palavras estão nas cordas daguitarra e a mensagem espalhada num espectro ambiental.-------------------------------------------------------------# 2 Pena d’águaEste não é um tema de amor, mas tem amor dentro. Tudo nasceu num acaso (aliástudo o que genuinamente nasce, nasce assim), e tudo cresceu já em estúdio. O PauloMiranda, produtor do EP, falou-me que o delay da guitarra lhe fazia lembrar DuruttiColumn. Foi uma óptima maneira de conhecer uma excelente banda. Porém, a mim otema sempre me lembrou (e nem sei porquê) a versão de “Sempre que o amor mequiser” dos Linda Martini. Sabem de quem é o original desse tema? Talvez percebam otítulo instantes depois…-------------------------------------------------------------# 3 Évora (feat. Gobi Bear)Em Julho de 2011 passei três dias em Évora. Adorei. Esses dias eternizaram-se em mim.Parece que agora, há uma necessidade premente em lá regressar. Évora é especial emuito. As madrugadas,as pessoas, o “Luís”, asruas, as casas. A imagemque se tem da cidadequando se vem naestrada de Beja é dosretratos mais belos dePortugal! Para mim, Évoranão é apenas umacanção, é inspiração:“ao amanhecer, ouquando o acaso quiser”.
  3. 3. Em Setembro de 2012 tenho a felicidade de contactar com o grande Gobi Bear. Já nofinal do ano, no “Mi casa es tu casa”, em Guimarães, percebi quão enorme é o seuintimismo. Admiro muito o Diogo! Pelas excelentes criações, pelo seu talento e porqueé belíssima pessoa. Para mim é o futuro da Música Portuguesa. É um prazer enormecontar com a sua preciosa participação e o resultado ser muito bonito.Estes dias enquanto gravava para a MPAGDP, falou-se em tocar o tema na Capelados Ossos… Porque não?-------------------------------------------------------------# 4 Pois! Não seiPois, nem sei… o que dizer. Era uma vez uma menina. Uma menina e um menino.Foram felizes, mas não para sempre. Nunca nada é para sempre, porque o semprenão tem início mas tem fim. Tudo tem um fim, convenhamos. E nunca seremosobrigados a saber, um dos versículos da liberdade é mesmo esse. Dizer é fácil,saber…Pois! Não sei.O Paulo Miranda tem alta responsabilidade na produção deste tema. O trémolonasceu na sua mente tal como os arranjos de viola d´arco da Margarida Faria e…incrível captação. Quase que me obrigou (sentido figurado) a incluir este tema no Ep;julgo que se eu não o fizesse ele me obrigava a tocar um álbum duplo commetrónomo, coisa com que abomino. Posteriormente, gente de bem disse-me quecantarolar ao ouvido das pessoas é mais íntimo que penetrar no seu interior.-------------------------------------------------------------# 5 (não és ) Açor(DESCRIÇÃO DA AUTORIA DO GOBI BEAR) Sabendo do seu trabalho com os indignu, não podia rejeitar a proposta para participar no seu disco. Quando ele mo enviou pela primeira vez, ouvi-o de rajada e esta música prendeu-se na minha memória: “É a minha favorita”, contei-lhe. E agora vou tentar fazer-lhe jus. A viagem começa com um loop, que nos guia ao longo dos 7 minutos. A percussão ensina o coração a bater e a guitarra fá-lo sentir. A mensagem chega-nos de todos os lados, com a voz ao comando e os loops a viciar. O Homem quis crescer demais e foi maior: a Catarse tem a forma de um crescendo tão sufocante comolibertador, como em todo o bom pós-rock que o Homem respira. É a minha favorita.-------------------------------------------------------------
  4. 4. # 6 CatarinaOnde quer que sintamos, a vivência eterniza-se. No silêncio fecha-se os olhos; vemosbem mais do que com eles abertos. Há tanto em nada se dizer, e tudo entender.Chegar às profundezas de nós é sabermos o nosso limite e levitar é sempre melhor quesentir a inércia da terra. Flutuar. Quando eu morrer que as cordas de uma guitarrafalem por mim.-------------------------------------------------------------# 7 Novo começoUm fim não é um fim em si mesmo. “É um novo começo sempre que algo acabar”. Notema que encerra o EP, o Gobi Bear, juntamente comigo, volta a dar mais força eclarividência às palavras; é um tema especial no qual o Paulo Miranda volta a serpreponderante, sobretudo a nível de mistura. As flutuações e oscilações de tempodescrevem na perfeição aquilo que o tempo é (no fundo): inconstante.

×