ShishinbunShishinbun
RKMD - Curitiba
Abr/Mai/Jun n 02-2013
Haisai!! Mensore!!
RKMD - Filial Curitiba
°
Haisai!! Mensoore!
...
RKMD - Filial Curitiba
Aquilo que passou
RKMD - Filial Curitiba
Nos três meses que essa edição relata, o ano da nossa fili...
RKMD - Filial CuritibaRKMD - Filial Curitiba
Como falamos, o Shishinbun não poderia deixar de relembrar a vinda da Harumi ...
RKMD - Filial CuritibaRKMD - Filial CuritibaRKMD - Filial Curitiba
Galera do Curitiba-shibu!
Olá ^^ Como vão vocês?
Imagin...
Shimanchu nu Takara
僕が生まれたこの島の空を / Boku ga umareta kono shima no sora wo
僕はどれくらい知っているんだろう/ Boku wa dorekurai shitteirundar...
RKMD - Filial Curitiba
Apresentando!
No dia 17 de Maio, nosso grupo se apresentou no Lar de Idosos Junshin, no bairro Pila...
Entrevista
RKMD - Filial CuritibaRKMD - Filial Curitiba
Perfil
Redação:
Yuji Nakashima
Felipe Utiyama
Renato Scholz
RKMD -...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Shishinbun (abr/mai/jun de 2013)

376 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
376
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Shishinbun (abr/mai/jun de 2013)

  1. 1. ShishinbunShishinbun RKMD - Curitiba Abr/Mai/Jun n 02-2013 Haisai!! Mensore!! RKMD - Filial Curitiba ° Haisai!! Mensoore! Tudo bem com vocês pessoal? Alguns meses atrás não imaginávamos nem o número um mas o nosso Shishinbun chega ao número dois e só podemos agradecer a boa recepção que o jornal teve. Confessamos que de- vido alguns imprevistos, dentre eles computadores resolvendo parar de funcionar quando o jornal já estava pronto, causaram algumas mudanças no conteúdo e um atraso no lançamento. Muito bem, nessa segunda edição trouxemos a tradução da música Akemodoro no Uta, com- plementando o último número do jornal que trazia a música Shimanchu nu Takara, ambas apresentadas no Teatro Guaíra esse ano. Conversamos com um entrevistado internacional e também lembramos um pouco daquilo que aconteceu entre o final de março e a metade de junho. Outra coisa que não podemos deixar de colocar aqui é a visita da Harumi Kamesato, uma ex- periência ótima para todos que puderam conhecê-la e aprender com ela. Uma novidade é a seção “Apresentando!” onde contaremos como foi uma apresentação que passou e o que ficou de lembrança para quem estava lá. Desejamos as boas vindas aos novos membros que entraram na Convocatória e à todos, uma boa leitura! Chibariyo!
  2. 2. RKMD - Filial Curitiba Aquilo que passou RKMD - Filial Curitiba Nos três meses que essa edição relata, o ano da nossa filial começou para valer, logo no começo de Abril tivemos as estréias na Convocatória na semana seguinte recebemos os novos membros no último dia da Harumi san conosco. Ainda naquela época, pudemos ver no Amigo Secreto de Páscoa, como ganhar um chocolate pode ser muito empolgante para algumas pessoas. Para dar as boas vindas oficiais aos shinjins, tivemos então o primeiro RKMDay que botou todo mundo pra dançar e contou com muita gente nova. Nos dias 27 e 28 de Abril, fomos ao Hana Matsuri na Praça do Japão. As apresentações aconteceram em dois horários, apenas no sábado. É importante lembrar que no segundo horário tocamos quando já eestava escuro e como o espaço destinado à apresentação era pequeno e o público ainda era grande, foi a ajuda mútua entre o nosso grupo e o Wakaba Yosakoi Soran que permitiu uma apresentação segura para ambos os lados. Outro evento que tivemos, foi uma sessão para assistir o DVD do “Ichariba Choodee” o que completava assim o ciclo da organização do aniver- sário de 5 anos, iniciado há mais de um ano e que culminou no maior show que a nossa filial já proporcionou ao público curitibano. Por fim, gostaríamos de lembrar da boa-ação que vários membros fizeram ao participar do “Amigos do Kokoro”, um projeto antigo do nosso grupo que voltou a ser incentivado. Nele os interessados (membros, seus familiares e amigos) se juntam para ir doar sangue, um ato pequeno mas que pode ajudar à salvar vidas, parabéns pessoal! *Ainda em Junho tivemos outros acontecimentos mas serão relatados no próximo Shishinbun! RKMD - Filial Curitiba
  3. 3. RKMD - Filial CuritibaRKMD - Filial Curitiba Como falamos, o Shishinbun não poderia deixar de relembrar a vinda da Harumi san aqui para o Brasil e especialmente para nossa filial. Primeiramente, vamos apresentá-la para quem não pôde conhecê-la. Harumi Kamesato mora em Okinawa, nasceu em 1980, e só de taikô ela tem 18 anos! Ela foi especialmen- te convidada para vir ensinar nas filaiis brasileiras do Ryukyu Koku Matsuri Daiko. Logo na sua chegada, no aeroporto, assim como as outras filiais nós preparamos uma recepção especial e que pegou de surpresa a nossa visita. Depois de recebê-la a hora dos treinos chegou, todos ficaram impressionados como sua técinica era apurada e como demonstrava tanta energia ao tocar a música que fosse. Apesar da dificuldade da comunicação em alguns momentos, aprender com ela ficava fácil pela sua sen- sibilidade e também o bom humor. Nos dias que se seguiram, Harumi san mostrou ser muito dedicada dando treinos para o grupo até mesmo quando não estava sentindo-se muito bem. Quando não havia treino, havia passeios, muitos passeios. Sempre animada para conhcer os membros e aquilo que gostam de fazer, compartilhou muitos momentos de diversão com quem pode estar. Visitou parques, restaurantes, pontos turísticos e até saiu à noite! Foi muito bom, todos sabemos, mas o que será que ela achou? Bem... RKMD - Filial Curitiba
  4. 4. RKMD - Filial CuritibaRKMD - Filial CuritibaRKMD - Filial Curitiba Galera do Curitiba-shibu! Olá ^^ Como vão vocês? Imagino que os dias seguem bastante frios Já fazem três meses desde que eu deixei Curitiba Como vão os treinos?? ^^ Estava aqui lembrando dos treinos em Curitiba!! ^^ Todos me falaram que Curitiba é uma cidade muito fria, mas nos dez dias que eu fiquei aí, choveu em apenas dois dias!!! Será que é por causa do nome Harumi?? (risos) **Harumi se escreve com o ideograma para ‘ensolarado’** Eu me lembro que o clima estava muito bom Que todos se esforçaram ao máximo na convocatória Todas aquelas músicas... Eu só conseguia ver vocês dançando por uma brechinha no canto do palco, Mas não tinha diferença nenhuma de como dançamos em Okinawa. Senti novavente a maravilha que é ser membro do Ryukyu Koku Matsuri Daiko A maneira como os hatas, os tambores, os sons se distribuíram e trabalharam em conjunto foi muito sólida e confiante!!! ^^ Não conseguimos treinar muito com todos os membros presentes ao mesmo tempo Eu me arrependo um pouco disso, mas dentro daquelas poucas chances Eu me lembro perfeitamente até hoje da filial treinando super concentrada no último dia de treino!!! ^^ Eu gostei demais do pessoal alegre de Curitiba ^^ Sempre energéticos, dando tudo de si nas brincadeiras e no taiko Vocês são o máximo! ^^ Eu estou me esforçando aqui pro dia em que dançaremos juntos novamente, em Janeiro Então até lá!! Tchau Tchau ^^ Harumi Kamesato クリチバ支部のみなさん!! こんにちは^^ご機嫌いかがですか? とても寒い毎日が続いていると思います 私がクリチバをはなれてからもう早三か月が過ぎました 練習はどうですか??^^ クリチバでの練習を思い出していました!!^^ みんなからクリチバはとても寒いと聞いていましたが 私のいた 10日のうち 雨が降ったのはわずか2日くらい!!! 晴美という名前のおかげでしょうか??笑 すごくいい天気だったこと覚えています 一生懸命頑張ったコンバカトーリア あんなにも沢山の曲。 おどっている姿を舞台のわずかな隙間から見ていましたが 沖縄で踊っている みんなと何も変わらない メンバーであることに 改めて琉球國祭り太鼓の素晴らしさを感じていました 旗持ちも、音響も、打ち手もみんなで分担して テキパキ動いて頼もしかったですよ!!^^ 全員で練習できたのがすこしね 少なかったのが心残りだったけど あの少ない時間の中で 集中して練習できたクリチバでの最後の練習日の事は今でもはっきり覚えていますよーーーー クリチバのみんなはね、明るくってとっても好きです^^ 元気があって遊びも太鼓も、一生懸命で 最高です!^^ また一月にみんなと踊れること楽しみに私も沖縄で頑張っているので その日まで!! またね^^ ...o único jeito de saber era perguntar à ela. Aqui está o que ela nos disse:
  5. 5. Shimanchu nu Takara 僕が生まれたこの島の空を / Boku ga umareta kono shima no sora wo 僕はどれくらい知っているんだろう/ Boku wa dorekurai shitteirundarou 輝く星も 流れる雲も / Kagayaku hoshi mo nagareru kumo mo 名前を聞かれてもわからない / Namae wo kikaretemo wakaranai でも誰より誰よりも知っている / Demo dareyori dareyori mo shitteiru 悲しい時も 嬉しい時も / Kanashii toki mo ureshii toki mo 何度も見上げていたこの空を / Nando mo miageteita kono sora wo 教科書に書いてある事だけじゃわからない / Kyoukasho ni kaitearu koto dake jya wakaranai 大切な物がきっとここにあるはずさ / Taisetsu na mono ga kitto koko ni aru hazu sa それが島人ぬ宝 / Sore ga shimanchu nu takara 僕がうまれたこの島の海を / Boku ga umareta kono shima no umi wo 僕はどれくらい知ってるんだろう/ Boku wa dorekurai shitterundarou 汚れてくサンゴも 減って行く魚も / Yogoreteku sango mo hetteyuku sakana mo どうしたらいいのかわからない / Dou shitara ii no ka wakaranai でも誰より誰よりも知っている / Demo dareyori dareyori mo shitteiru 砂にまみれて 波にゆられて / Suna ni mamirete nami ni yurarete 少しずつ変わってゆくこの海を / Sukoshi zutsu kawatteyuku kono umi wo テレビでは映せないラジオでも流せない / Terebi de wa utsusenai rajio demo nagasenai 大切な物がきっとここにあるはずさ / Taisetsu na mono ga kitto koko ni aru hazu sa それが島人ぬ宝 / Sore ga shimanchu nu takara 僕が生まれたこの島の唄を / Boku ga umareta kono shima no uta wo 僕はどれくらい知ってるんだろう/ Boku wa dorekurai shitterundarou トゥバラーマも デンサー節も / Tubaraama mo Densaa bushi mo 言葉の意味さえわからない / Kotoba no imi sae wakaranai でも誰より誰よりも知っている / Demo dareyori dareyori mo shitteiru 祝いの夜も 祭りの朝も / Iwai no yoru mo matsuri no asa mo 何処からか聞えてくるこの唄を / Doko kara ka kikoete kuru kono uta wo いつの日かこの島を離れてくその日まで / Itsu no hi ka kono shima wo hanareteku sono hi made 大切な物をもっと深く知っていたい / Taisetsu na mono wo motto fukaku shitteitai それが島人ぬ宝 / Sore ga shimanchu nu takara Quanto será que conheço sobre o céu desta ilha onde nasci? Mesmo que me perguntem o nome das estrelas brilhantes e das nuvens que passam, não saberei responder. Mas uma coisa eu sei, mais do que ninguém Nos momentos tristes, assim como nos felizes, inúmeras vezes olhei para esse céu. Apenas com o que está escrito nos livros-texto não é possível conhecer A coisa mais importante está definitivamente aqui. Esse é o tesouro de um shimanchu*. Quanto será que conheço sobre o mar desta ilha onde nasci? Os corais vão se sujando, os peixes vão ficando escassos, Não sei o que posso fazer a respeito. Mas uma coisa eu conheço, mais do que ninguém Coberto por areia, chacoalhado pelas ondas, Conheço esse mar que vai mudando pouco a pouco. Não é mostrada na TV, não é transmitida na rádio A coisa mais importante está definitivamente aqui Esse é o tesouro de um shimanchu. Quanto será que conheço da canção desta ilha onde nasci? Não sei sequer o significado de palavras como Tubaraama ou Densa Bushi. Mas uma coisa eu conheço, mais do que ninguém Nas noites de celebração, nas manhãs de festivais, Essa canção pode ser ouvida de qualquer lugar. Algum dia eu deixarei essa ilha, até que ele chegue Eu quero saber mais e mais sobre as coisas realmente importantes Esse é o tesouro de um shimanchu. (Tradução por Felipe Utiyama) RKMD - Filial Curitiba *Shimanchu: Habitante de uma ilha Akemodoro no uta 僕が生まれたこの島の空を / Boku ga umareta kono shima no sora wo 僕はどれくらい知っているんだろう/ Boku wa dorekurai shitteirundarou 輝く星も 流れる雲も / Kagayaku hoshi mo nagareru kumo mo 名前を聞かれてもわからない / Namae wo kikaretemo wakaranai でも誰より誰よりも知っている / Demo dareyori dareyori mo shitteiru 悲しい時も 嬉しい時も / Kanashii toki mo ureshii toki mo 何度も見上げていたこの空を / Nando mo miageteita kono sora wo 教科書に書いてある事だけじゃわからない / Kyoukasho ni kaitearu koto dake jya wakaranai 大切な物がきっとここにあるはずさ / Taisetsu na mono ga kitto koko ni aru hazu sa それが島人ぬ宝 / Sore ga shimanchu nu takara 僕がうまれたこの島の海を / Boku ga umareta kono shima no umi wo 僕はどれくらい知ってるんだろう/ Boku wa dorekurai shitterundarou 汚れてくサンゴも 減って行く魚も / Yogoreteku sango mo hetteyuku sakana mo どうしたらいいのかわからない / Dou shitara ii no ka wakaranai でも誰より誰よりも知っている / Demo dareyori dareyori mo shitteiru 砂にまみれて 波にゆられて / Suna ni mamirete nami ni yurarete 少しずつ変わってゆくこの海を / Sukoshi zutsu kawatteyuku kono umi wo テレビでは映せないラジオでも流せない / Terebi de wa utsusenai rajio demo nagasenai 大切な物がきっとここにあるはずさ / Taisetsu na mono ga kitto koko ni aru hazu sa それが島人ぬ宝 / Sore ga shimanchu nu takara 僕が生まれたこの島の唄を / Boku ga umareta kono shima no uta wo 僕はどれくらい知ってるんだろう/ Boku wa dorekurai shitterundarou トゥバラーマも デンサー節も / Tubaraama mo Densaa bushi mo 言葉の意味さえわからない / Kotoba no imi sae wakaranai でも誰より誰よりも知っている / Demo dareyori dareyori mo shitteiru 祝いの夜も 祭りの朝も / Iwai no yoru mo matsuri no asa mo 何処からか聞えてくるこの唄を / Doko kara ka kikoete kuru kono uta wo いつの日かこの島を離れてくその日まで / Itsu no hi ka kono shima wo hanareteku sono hi made 大切な物をもっと深く知っていたい / Taisetsu na mono wo motto fukaku shitteitai それが島人ぬ宝 / Sore ga shimanchu nu takara Quanto será que conheço sobre o céu desta ilha onde nasci? Mesmo que me perguntem o nome das estrelas brilhantes e das nuvens que passam, não saberei responder. Mas uma coisa eu sei, mais do que ninguém Nos momentos tristes, assim como nos felizes, inúmeras vezes olhei para esse céu. Apenas com o que está escrito nos livros-texto não é possível conhecer A coisa mais importante está definitivamente aqui. Esse é o tesouro de um shimanchu*. Quanto será que conheço sobre o mar desta ilha onde nasci? Os corais vão se sujando, os peixes vão ficando escassos, Não sei o que posso fazer a respeito. Mas uma coisa eu conheço, mais do que ninguém Coberto por areia, chacoalhado pelas ondas, Conheço esse mar que vai mudando pouco a pouco. Não é mostrada na TV, não é transmitida na rádio A coisa mais importante está definitivamente aqui Esse é o tesouro de um shimanchu. Quanto será que conheço da canção desta ilha onde nasci? Não sei sequer o significado de palavras como Tubaraama ou Densa Bushi. Mas uma coisa eu conheço, mais do que ninguém Nas noites de celebração, nas manhãs de festivais, Essa canção pode ser ouvida de qualquer lugar. Algum dia eu deixarei essa ilha, até que ele chegue Eu quero saber mais e mais sobre as coisas realmente importantes Esse é o tesouro de um shimanchu. (Tradução por Felipe Utiyama) RKMD - Filial Curitiba *Shimanchu: Habitante de uma ilha ニライの海 風の行く先 / Nirai no umi kaze no yukusaki Os ventos se destinam aos mares de Nirai* 鳥は飛び立つ カナイの空へ / tori wa tobitatsu kanai no sora e Pássaros alçam vôo aos céus de Kanai** 日よ今 出づる / hi yo ima dezuru O sol agora ascende 神々の島 ひとうたう / kamigami no shima hito utau Na Ilha dos Deuses, uma canção ressona あけもどろの花よ / akemodoro no hana yo (para) a flor de Akemodoro*** 時よ今 しるす / toki yo ima shirusu O tempo agora eterniza(marca) 神々の島 ひとゆめみ / kamigami no shima hito yumemi A ilha dos Deuses; um sonho あけもどろの風よ / akemodoro no kaze yo (sobre) os ventos de Akemodoro 君よ今 つつむ / kimi yo ima tsutsumu Você é agora envolto 神々の島 ひとときめき / kamigami no shima hito tokimeki (pela) Ilha dos Deuses; (e nela) reverbera あけもどろの詩よ / akemodoro no uta yo A canção de Akemodoro. */**: Ambas Nirai e Kanai se referem a Niraikanai, a terra de além-mar das lendas de Ryukyu. Graças à Harumi san, eu consegui um texto que explica várias teorias sobre a origem do nome, dividindo os termos em Nirai/Kanai. Nirai pode ser descrito como algo próximo de “Lugar de origem”, e Kanai tem uma teoria sobre significar “além/distante”, mas se eu entendi direito, quando o Medoruma san escreveu essa letra, ele quis indicar Kanai com o valor de “realização das orações”... De qualquer forma, ambos remetem à ilha dos Deuses. ***: Akemodoro é uma palavra em Uchinaaguchi que se refere a uma paisagem vislumbrante, no momento que o nascer do sol nas ilhas do sul enche o céu de uma cor vibrante. Na nossa língua é difícil de atribuir símbolos em geral a um “momento”, mas considere Akemodoro como um ‘outro mundo’, que é atemporal, mas só nos é mostrado por um breve momento em cada manhã. Tradução por Felipe Utiyama
  6. 6. RKMD - Filial Curitiba Apresentando! No dia 17 de Maio, nosso grupo se apresentou no Lar de Idosos Junshin, no bairro Pilarzinho. Essa apresentação sempre é diferente, “sempre” pois já tivemos a oportunidade de estar lá tocando em anos anteriores. Mas você pode estar se perguntando o que há de tão diferente.. certamente é o público que nos assiste. O Lar Junshin recebe idosos que muitas vezes não podem contar com a assistência de um membro de sua família todos os dias da semana, então ao irem para o Lar são tratados muito bem, lá se promove um espaço onde eles podem se divertir, socializar e aprender coisas novas. Contando um pouco dessa última apresentação, os membros Naoto, Miti, Yuji, Shooji, Utiyama, Danielle, Miyuki, Renato, Lumi e Yasmine foram até o Lar naquela tarde que estava muito fria, mas chegando lá fomos recebidos de uma forma bem calorosa. Após um tempo preparando a forma- ção, os odaikos, e resolvendo os últimos detalhes, fomos chamados para entrar numa sala onde o público nos esperava ansiosamente. Primeiramente a Lumi falou sobre o grupo, então começamos com a música Achame. Na sequência vieram Kariyushi no Yoru e Nenjuu Kuduchi. Após os aplausos, fomos convidados a nos apresentar individualmente e recebemos os elogios dos idosos, especialmente de uma senhora que não can- sava de nos agradecer e acabou por pedir mais uma música. Terminamos então tocando Ashibina. No fim depois de tirar o uniforme e instrumentos, participamos de um café da tarde com todos os idosos onde pudemos conversar com eles. Podemos dizer que bastante fueshi , uma platéia tão es- pecial e até alguns erros engraçados, fizeram dessa apresentação uma lembrança boa de se levar. RKMD - Filial Curitiba “Foi uma apresentação que eu pude perceber o que nosso grupo pode fazer para os outros. Pude conversar com uma das mulheres que es- tavam vendo lá, e ela me disse que no dia quase não foi no lar porque estava gripada e não estava se sentindo bem. Por isso sua filha não queria levá-la, mas ela a convenceu e conseguiu ir. No final me disse que valeu a pena ter ido para ver a gente apresentar.” Naoto “Tenho a oportunidade de poder apresentar com o grupo em vários luga- res, mas na apresentação do Lar, em especial, o sentimento de alegria e gratidão fala mais alto! O público não é aquele público agitado, mas só de ver o sorriso, sentir a felicidade vinda de cada senhor e senhora lá pre- sentes, ter a oportunidade de poder conversar mais com eles depois da apresentação, e ver o quanto eles gostam da alegria que o grupo transmi- te, é inexplicavel.” Miti “Nunca tinha participado das apresentações no Lar Junshin, e fiquei mui- to feliz quando soube que, finalmente, eu teria a oportunidade de parti- cipar! Talvez não nos emocionamos dessa vez da mesma forma como o pessoal que apresentou Toki wo Koe, mas foi um sentimento diferente de todas as apresentações que já participei. Sempre lembro da Nah falando para apresentarmos para os Ojis e Obas, para tocarmos de maneira que ajudemos eles a “voltarem” para Okinawa ou para ou tro local de onde vieram. Eu sempre guardei essas palavras comigo, mas confesso que nunca tinha sentido esse “efeito”... até participar da apresentação no Lar. Os olhares eram de agradecimento, nostalgia, alegria e até orgulho. Essa foi a minha interpretação, e são esse olhares que eu guardei pra mim dessa apresentação (não o meu erro bizarro em Nenjuu hahaha).” Lumi
  7. 7. Entrevista RKMD - Filial CuritibaRKMD - Filial Curitiba Perfil Redação: Yuji Nakashima Felipe Utiyama Renato Scholz RKMD - Filial Curitiba Idealização: Fabiano Maruo Jornal Shishinbun RKMD - Curitiba Nessa edição do Shishinbun entrevistamos uma visita que o grupo está recebendo já há algum tempo. É o primeiro japo- nês (que não fazia parte do RKMD) a treinar conosco na nossa filial. Muito dedicado a aprender o nosso idioma, nosso entre- vistado nos escreveu 100% em português! Apresente-se aos leitores! *** Meu nome é Keisuke Asano, Eu fiz 18 anos em Junho deste ano. Sou do Japão, cidade de Miyoshi, que é perto de Nagoya. Eu gosto de comer! A comida do Brasil é muito boa! *** Como você veio parar aqui no Brasil? *** No Japão eu tenho amigos brasileiros. Eles são muito alegres, e me falaram muito sobre o Brasil. Quando entrei no meu colégio eu descobri que ele recomenda intercâmbio para os estudantes. Então pensei “Eu posso ir para lá e aprender sobre o Brasil” Eu passei num exame, escolhi o Brasil, e vim parar aqui. *** Como você conheceu o Taiko? *** A Fernanda me apresentou o taiko. Eu conhecia ela porque ela é uma voluntária da AFS, que é uma or- ganização de intercâmbio que não visa o lucro. Eu criei interesse pelo taiko, e comecei a treinar desde então. *** Fale-nos suas impressões sobre o grupo, e como vão indo os treinos... *** Quando eu vi o treino pela primeira vez, pensei “eu quero treinar também!”, porque todo mundo foi legal e pareceu divertido. O treino me cansa, mas eu não pratico muitos esportes, então é bom pra mim, e mais do que isso, é muito divertido! O grupo tem muitos japoneses, então eu me assustei, mas achei muito legal. Quando eu estava no Japão, eu nunca achei que aprenderia sobre a cultura japonesa no Brasil. Mas vocês parecem mais japoneses do que os próprios japoneses. Enfim, eu me esforço para ficar cada vez melhor no taiko e aproveitar ao máximo minha estadia aqui no Brasil! ***

×