SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
#PrecisoLavarCabelo
#OhPraNosTaoGiros
#SouGiraPois
#OsGiracosPonteVagos
#SimEstouEncherAgua
#OhChefeNao
com o apoio:
Câmara Municipal da Murtosa
COLUNA
COR DE ROSAquase
Dear ,JóTó
I found out from the newspaper Escuta that you are a very famous person! If
you ever wish to visit NJ, you will be elcome. Take care, MaRia Marw
Tiago Pereira, 794 – Vilar
Olá! Desde o início do ACAREG que não tive coragem de falar contigo. Acho-
te super giro e pareces muito simpático. Adoro quando sorris e quando
passo por ti parece que o mundo pára. Da tua adoradora, Deusa.
A todos os Escuteiros do ACAREG desejo uma Boa Caça e em especial ao
Agrupamento e à Família Poeta Pelicano com um beijo. Até970 da Palhaça
Já.
A todos os escuteiros e dirigentes do uma838 de Albergaria-a-Velha
canhota amiga. Obrigada também aos voluntários: Celina, Edite, Fátima e
Francisco. Da vossa chefinha Liliana
pa
ra
bé
ns
No dia de ontem, terça-feira 5 de agosto, durante a atividade fora de
campo dos pioneiros, ocorreu um acidente com um velocípede na
ponte da Varela, concelho da Murtosa. Um ciclista do sexo feminino
jovem, descia a mítica ponte, que liga as margens da freguesia do
Bunheiro e da Torreira, a alta velocidade quando a certa altura se
esbardalhou completamente. Os pioneiros do agrupamento 1084 da
Trofa que se encontravam no local, deslocaram-se imediatamente para
a área acidentada, tendo fornecido todos os devidos cuidados à vítima.
Além da tentativa de acalmar a jovem com diversas escoriações na
cabeça, pernas e braços, os pioneiros mantiveram-na estável até à
chegada de uma ambulância do INEM.
Através deste simples e singelo gesto queremos prestar a nossa sincera
e sentida homenagem aos heroicos escuteiros da área da Bairrada.
ESCUTEIROS
HERÓIS
EM ACIDENTE
NA PONTE
DA VARELA
Chefe Rui Sequeira
189 Ílhavo
A melhor parte da vida de uma pessoa está nas suas amizades. [Abraham Lincoln]
Edição n.º 57|5
ESCUTA
XVIII ACAREG - REGIÃO DE AVEIRO
TORREIRA | MURTOSA
06 | agosto | 2014
DESCOBRE ONDE
ANDA A CABRA DA IV
recebeu um «LIVRE TRÂNSITO»
e nunca mais foi vista!!!
O 1º a descobrir o seu paradeiro
e a dizer-nos, ganha um brinde!
director Manuel Santos
coordenador José Carlos
02.
É MESMO O
ACAREG CARAGO!?
03.
LOBITOS
VIVERAM O PERDÃO
07.
SOMOS A
PROTECÇÃO CIVIL
08.
ESCUTEIROS HERÓIS
EM ACIDENTE
II
MARIA MAR…
É MESMO O ACAREG CARAGO!?
“O EscuƟsmo só tem senƟdo,
só tem vida se for entrelaçado e jogado na vida dos outros.
Jogar a sério, darmo-nos por inteiro a quem nos acolhe.
Nunca ficarmos, pela metade, dar, dar, dar-se”.
Manuel Santos, Chefe Regional/Chefe de Campo.
Sempre a morrer. Dizem que: Deus perdoa sempre; nós perdoamos às vezes (pelo menos: 70X7…); e que a Natureza nunca
perdoa!? Não quero crer que assim seja. A nossa natureza é descoberta do Criador. E por isso nos sabemos Criaturas. Somos
uma NATUREZA humana, geográfica e genéƟ ca. Todavia as nossas feridas quando naturais (ou mesmo arƟ ficiais) são as
cicatrizes das nossas pancadas ocultas, para descobrir o Invisível. Dores de desenvolvimento. O livro da Natureza precisa de ser
lido com Respeito. Somos uma gota de água, com outras gotas de água; pequeno grão de areia, úƟ l quando o nosso orgulho
superior se junta, a outro grão de areia; numa cadeia de Infinito, tal qual as Dunas para beijar a MariaMar! Os Peixes fora de
Água morrem, mas ressuscitam como Alimento Rico!
Sempre a começar. Tudo o que fazemos dentro de nós, enquanto : leva Tempo. Às vezes demasiado. Por isso, amudança
importância decisiva de começar Agora no é o Tempo de (re)construir. Como fazem os trabalhadores ao lado dajá. Acareg
nossa , na reforma duma Escola Futura E . Ouço os seus martelos, as suas vozes de ordem. Ouço ofrágil-cidade-de-lona B2
barulho do . NÓS somos escola pedagógica imperdível. Quando perdemos ganhamos!? Ouço, sobretudo, ocomeço essa
barulho dos a limpar o WC e os Balneários…; a vigiar o Campo…; a preparar os alimentos…, ETC. Tudo comChefes dos Serviços:
uma mistura de ternura e competência. Medito no EscuƟ smo que não tem tempo de nojo; mesmo quando mete… Só quem se
(a)baixa: percebe a beleza do Horizonte Infinito. Ouço, sem ruído, uma que brinca com o Sol quente; ela abre aCriança
Memória: é um «barulho seminal». Inocência Segunda. Um Silêncio Primordial dentro de Mim (mesmo lá no fundo). Tudo está
prestes a Nascer de Novo. Somos uma FAMÍLIA que nasce amistosa em cada Acampamento! Somos uma Família que é fiel aos
seus Valores Geracionais. Somos uma Família que põe sempre na mesa um Prato a Mais!
Sempre a aprender. Somos uma CULTURA dum saber feito de sabor afecƟ vo e inteligente. Nossa cultura tem a História do
território Murtoseiro. Somos um Raid Nocturno no meio do Milho, com espigas amarelas, verdes, azuis, vermelhas!?
Atravessando pontes de insónias felizes!? Somos esse Território dos nossos Antepassados, herança futura da Murtosa ainda
não nascida. Entre nós: quem melhor sabe; melhor serve! É a Cultura sólida e não líquida ou vaporosa! Nossa CANGA colorida
dum Jugo menos incerto, porque realizador. Tudo ficará mais leve! Arte Xávega em mares certos que apesar de perigosos serão
libertadores!
Sempre a esperar. Somos COMUNIDADE que não tem medo do Vento mais forte, porque se faz oportunidade de ParƟ lha.
Pensar global, agir local: não é pregação retórica é a própria Realidade. Os nossos ConƟ nentes são por todos, com todos, em
todos. Como na EucarisƟ a nos Caminhos de Emaús. Cada ConƟ nente deveria estar dentro de nós, para além do consumo
próprio, tornando-se uma acção de graças gerada por Sinergia. Ao dar o Necessário, parƟ lhando o Possível, acabamos
realizando o Impossível. Todos sabemos daquela Força de « ». Sobretudo, noB.P.: deixar o mundo um pouco melhor
« » para (per)seguir em conjunto.deixamento Todo o Projecto se sabe Memória futura, enquanto IdenƟdade presente. Bênção,
Tarefa e Dom de Deus reparƟdos por todos(as)!
Com a Transparência Consciente em Deus; com Jesus Cristo, por Liberdade Confiada; com o Espírito Santo, na Verdade
Amorosa: seremos capazes de: , , e . A Fé é, sobretudo, a conjugação de Verbos, na primeiraMorrer Começar Aprender Esperar
pessoa do plural (de preferência: no Céu, de mãos juntas; apesar do Inferno, de costas voltadas; enquanto, Purgatório, de
olhares desfocados…). Não somos seduzidos por substanƟ vos ou adjeƟ vos (que tanta falta nos dizem…) de apenas mais um
« Até ao Domingo sem Ocaso! No Acampamento da Vida Eterna! No Reino Futuro! Somos eFim-de-Semana-Espetacular!»
seremos uma por Deus: Jogando em modo de paráfrase escuƟ sta:Carta Aberta MaRia Mar… é Mesmo o Acareg Carago!?
«Que Ele nos consiga escrever direito, pelas nossas linhas tortas!»
Pe. Pedro José, Assistente da IIIª Secção, Acareg, Torreira: 05/08/2014. 4275.
IIV
SERVIÇOS EM CAMPO
ACTIVIDADES GERAIS
COZINHA
PROTECÇÃO CIVIL
SAÚDE
SERVIÇOS GERAIS
A equipa da proteção civil deste ACAREG é
constituída por 12 elementos, e tem como
principal tarefa assegurar preventivamente a
segurança durante toda a atividade, minimizando
a probabilidade da ocorrência de acidentes.
A equipa está organizada em 5 equipas, de forma
a ter disponíveis pelo menos 2 elementos durante
24h/dia, que asseguram o cumprimento do plano
de segurança da atividade.
As principais funções a cargo da equipa são:
Controlo de entradas/saídas de campo do
contingente; Rondas para verificação do recinto de
acampamento; Observação do cumprimento das
regras de segurança nas atividades a decorrer no
exterior.
O controlo de entradas/saídas de campo é
importantíssimo em caso de emergência, para se
poder saber quais os elementos em campo, e para
evitar entradas ou saídas inadvertidas em campo.
As rondas pelo recinto do acampamento
decorrem 4 vezes por dia e o principal objetivo é a
verificação do cumprimento das regras de
segurança no campo das equipas/patrulhas. Os
principais riscos encontrados até agora são:
· Infestação de pragas (ratos, formigas, moscas)
devido a alimentos espalhados nas mesas e no
chão do campo das patrulhas/equipas;
· Acidente ou cortes causados por ferramentas
mal arrumadas ou caídas do chão;
· Botijas de gás mal acondicionadas (enterradas
ou expostas ao sol) e redutores de gás caídos
na areia (risco de fuga de gás ao voltar a
apertar na botija);
Equipa da Proteção Civil
A proteção civil conta com a ajuda dos guias
para que as patrulhas/equipas se preocupem em
respeitar as regras de segurança durante o resto do
ACAREG.
Principais ocorrências registadas:
Saída permanente /abandono do acampamento: 3
Lobitos, 12 exploradores, 4 pioneiros e 3
caminheiros
Transporte de elementos ao Hospital: 3
VI
O dia da IVª Secção começou às 07h30.
Após o pequeno-almoço por continente, os
caminheiros/companheiros prepararam-se para a
segunda parte do seu raid. Este novo percurso realizou-
se somente pela praia que liga S. Jacinto à Torreira. À
semelhança do dia anterior, foram desenvolvidas
actividades nos postos do raid onde as tribos foram
convidadas a abordar os temas felicidade, confiança,
união e serviço.
A felicidade esteve presente nas estrelas origami
escritas pelos caminheiros/companheiros de manhã. Já
da parte da tarde, a confiança foi testada e os
caminheiros/companheiros deixaram-se cair sobre os
restantes elementos para serem transportados.
Ao final da tarde, na chegada ao campo, muitas eram
as dores de costas e as bolhas nos pés, que nada
significavam perante toda a aventura vivida!
O dia da IVª Secção acabou com o fogo de conselho
com a participação de diferentes continentes em
momentos de alegria, convívio, oração e reflexão.
SURPRESAAAAAA!!
Foi encontrado o 6º continente no campo da IVª
secção, a Antártida!
O novo continente é constituído por um grupo
de caminheiros/companheiros oriundos dos
restantes continentes, que congelaram as suas
dores, bolhas e problemas, mas não a boa
disposição, pois essa não é curada com um
cubo de gelo.
O nosso continente já conta com 13 habitantes
que neste momento se encontram estáveis.
Somos o continente menos numeroso, mas o
mais unido na saúde e na doença até que a
morte nos separe.
PEGADAS NA AREIA
III
Mais um dia que começou bem cedo com os
Lobitos a tirar as “patinhas” do saco cama e o
“focinho” da almofada ainda bastante ensonados.
Mais um novo dia cheio de atividades que os
espera com novos desafios. Ontem foram
convidados a viver o valor do perdão, as saudades
começam a deixar marcas e nem sempre estão com
a melhor disposição o que pode trazer alguns
conflitos. Pedir desculpa, ser tolerante foi o valor.
Como desafio devem encontrar, em diferentes
Alcateias, três Lobitos da mesma idade e que
pertençam ao bando com a cor do seu. Tal como a
Maria Mar veio descobrir novos amigos e novas
terras, os Lobitos também vão fazer muitas e belas
amizades.
O dia iniciou-se de uma forma já mais tranquila,
com tudo mais ajustado e tudo começou mais
cedo, com mais calma e com tempo para poderem
fazer todos os jogos e usufruírem plenamente de
todas as atividades.
Uma palavra de relevo para os artesãos que
aceitaram o desafio de, nestes três dias trazerem
aos nossos Lobitos um pouco da sua arte
maravilhando-os com a beleza que sai das suas
mãos. Um obrigado para eles.
VIVER O PERDÃO
IV
NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA
Ana Marques do agrupamento 1084 da Trofa magoou-se no braço esquerdo
No dia 4 do mês de agosto, por volta das 12h, na Torreira, a exploradora Ana
Marques, que é pouco cuidadosa, foi encontrada com um garfo espetado no
braço esquerdo!!! A desastrada, coitada, aflita e atrapalhada, arrancou o garfo,
ficando desesperada.
Os ventos trouxeram-vos a bom porto? Atracaram os vossos navios em
segurança? Os nossos exploradores seguindo os seus navegadores, D. Infante
Henrique, Vasco da Gama e Fernão de Magalhães, navegam pelas terras da
Torreira e Murtosa em busca de conhecimentos novos e aventuras.
Os nossos navegadores trouxeram os seus exploradores até ao campo, onde na
Casa Museu Custódio Prato tiveram o prazer de assistir a uma actuação do
Rancho Folclórico Os camponeses da Beira Ria, e também dançar com eles. Nesta
habitação revive-se o quotidiano de uma casa de lavrador no início do séc. XX.
Nela estão expostos móveis, roupa, loiças e outros utensílios recolhidos pelo
Rancho. Na zona envolvente e currais optou-se por criar várias salas temáticas:
alfaiataria, barbearia, sapataria, forja do ferreiro, taberna/mercearia, carpintaria,
adega e salas de alfaias agrícolas. Foram também reconstruídas a retrete e os
currais dos porcos e das vacas.
Aqui os exploradores além de ficarem a conhecer esta casa Museu podem reviver
algumas aventuras dos nossos navegadores por esses mares fora, tais como, o
cabo das tormentas, os descobrimentos, a rota das especiarias, e os
desembarques, transformados em jogos para diversão de todos. Além disso
aprender com os ateliers de origami, porta chaves, anilhas, e chichorro (malha da
cama de rede, e das redes de pesca).
Amanhã será tempo de preparar os barcos e regressar às nossas terras.
Que Deus nos dê bom vento para encher as velas e seguir o nosso caminho.
Saudações marítimas dos navegadores da Nau ORIEVA
BOM DIA ESCUTEIROS DE AVEIRO
V
No campo dos Pioneiros, o dia 5 amanheceu silencioso. Nenhuma equipa em campo, todas estavam em Raid.
Espalhadas entre os percursos da Murtosa e de Estarreja. De bicicleta ou a pé, foram mostrando as maravilhas
naturais e culturais da Murtosa, e da vizinha Estarreja, à nossa visitante MaRia Mar.
Apesar do cansaço e das mazelas da longa jornada, chegar à meta, com a sensação de dever cumprido, é o suficiente
para motivar os nossos azuis que, com esforço, conseguimos alcançar os nossos objectivos. A construção de
jangadas no Cais do Bico foi talvez dos momentos mais marcantes, onde cada equipa pôde mostrar a sua perícia e
engenho, uma vez que um nó mal feito podia significar o naufrágio de toda a embarcação.
Lentamente aproxima-se o final desta grande actividade. Mas ainda faltam muitas aventuras para que Maria Mar se
apaixone pela sua Terra Natal e fique verdadeiramente entre nós. Entre o Mar e a Ria, todos os Pioneiros estarão de
volta ao campo na véspera do dia de encerramento, para o Grande Fogo de Conselho da Península da Torreira.
ALCANÇAR OS OBJECTIVOS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2014.08.04 ESCUTA - Edição especial ACAREG #57/3
2014.08.04 ESCUTA - Edição especial ACAREG #57/32014.08.04 ESCUTA - Edição especial ACAREG #57/3
2014.08.04 ESCUTA - Edição especial ACAREG #57/3Diocese de Aveiro
 
Jornal o taquaruçu 6
Jornal o taquaruçu 6 Jornal o taquaruçu 6
Jornal o taquaruçu 6 taquarucu
 
Café Receitas Causos
Café Receitas CausosCafé Receitas Causos
Café Receitas Causosfesta junina
 
Jornal no Compasso de Magé 4ª edição - setembro 2013
Jornal no Compasso de Magé 4ª edição - setembro 2013Jornal no Compasso de Magé 4ª edição - setembro 2013
Jornal no Compasso de Magé 4ª edição - setembro 2013Fernando Holmes
 
Relato passeio bmw brasil campos jordão
Relato passeio bmw brasil   campos jordãoRelato passeio bmw brasil   campos jordão
Relato passeio bmw brasil campos jordãoFernando Barros
 
Correio da Hora - o jornal do futuro
Correio da Hora - o jornal do futuroCorreio da Hora - o jornal do futuro
Correio da Hora - o jornal do futuroSergio Fontana
 
Letristas em Cena 3ª edição
 Letristas em Cena 3ª edição Letristas em Cena 3ª edição
Letristas em Cena 3ª ediçãoProfª Pettine
 
Musicas cifradas capoeira 02
Musicas cifradas capoeira 02Musicas cifradas capoeira 02
Musicas cifradas capoeira 02Elvis Live
 
O Despertar – 8454 – 12.10.2007
O Despertar – 8454 – 12.10.2007O Despertar – 8454 – 12.10.2007
O Despertar – 8454 – 12.10.2007dinis manuel alves
 
Ebookcarnalfenas
EbookcarnalfenasEbookcarnalfenas
EbookcarnalfenasPabaladas
 
Canções de capoeira
Canções de capoeiraCanções de capoeira
Canções de capoeiraDenis
 
Dois palitos 03_marco_2013
Dois palitos 03_marco_2013Dois palitos 03_marco_2013
Dois palitos 03_marco_2013Donato Grillo
 

Mais procurados (19)

Shishinbun (jan/fev/mar de 2013)
Shishinbun  (jan/fev/mar de 2013)Shishinbun  (jan/fev/mar de 2013)
Shishinbun (jan/fev/mar de 2013)
 
2014.08.04 ESCUTA - Edição especial ACAREG #57/3
2014.08.04 ESCUTA - Edição especial ACAREG #57/32014.08.04 ESCUTA - Edição especial ACAREG #57/3
2014.08.04 ESCUTA - Edição especial ACAREG #57/3
 
Jornal o taquaruçu 6
Jornal o taquaruçu 6 Jornal o taquaruçu 6
Jornal o taquaruçu 6
 
Outubro 2013
Outubro 2013Outubro 2013
Outubro 2013
 
Café Receitas Causos
Café Receitas CausosCafé Receitas Causos
Café Receitas Causos
 
Jornal no Compasso de Magé 4ª edição - setembro 2013
Jornal no Compasso de Magé 4ª edição - setembro 2013Jornal no Compasso de Magé 4ª edição - setembro 2013
Jornal no Compasso de Magé 4ª edição - setembro 2013
 
Shishinbun (abr/mai/jun de 2013)
 Shishinbun (abr/mai/jun de 2013) Shishinbun (abr/mai/jun de 2013)
Shishinbun (abr/mai/jun de 2013)
 
Relato passeio bmw brasil campos jordão
Relato passeio bmw brasil   campos jordãoRelato passeio bmw brasil   campos jordão
Relato passeio bmw brasil campos jordão
 
Riqueta a grande amiga versao final
Riqueta a grande amiga versao finalRiqueta a grande amiga versao final
Riqueta a grande amiga versao final
 
Correio da Hora - o jornal do futuro
Correio da Hora - o jornal do futuroCorreio da Hora - o jornal do futuro
Correio da Hora - o jornal do futuro
 
Letristas em Cena 3ª edição
 Letristas em Cena 3ª edição Letristas em Cena 3ª edição
Letristas em Cena 3ª edição
 
MSC Cruzeiros - Temporada 2012/2013
MSC Cruzeiros - Temporada 2012/2013MSC Cruzeiros - Temporada 2012/2013
MSC Cruzeiros - Temporada 2012/2013
 
123
123123
123
 
Musicas cifradas capoeira 02
Musicas cifradas capoeira 02Musicas cifradas capoeira 02
Musicas cifradas capoeira 02
 
O Despertar – 8454 – 12.10.2007
O Despertar – 8454 – 12.10.2007O Despertar – 8454 – 12.10.2007
O Despertar – 8454 – 12.10.2007
 
Ebookcarnalfenas
EbookcarnalfenasEbookcarnalfenas
Ebookcarnalfenas
 
ESCUTANEWS #03
ESCUTANEWS #03ESCUTANEWS #03
ESCUTANEWS #03
 
Canções de capoeira
Canções de capoeiraCanções de capoeira
Canções de capoeira
 
Dois palitos 03_marco_2013
Dois palitos 03_marco_2013Dois palitos 03_marco_2013
Dois palitos 03_marco_2013
 

Semelhante a ESCUTA - Edição especial ACAREG #57/5

Semelhante a ESCUTA - Edição especial ACAREG #57/5 (20)

N.º 00 o ideias março 96 ano ii
N.º 00 o ideias   março 96 ano iiN.º 00 o ideias   março 96 ano ii
N.º 00 o ideias março 96 ano ii
 
Aquecimento Global Katrina 3 B
Aquecimento Global   Katrina 3 BAquecimento Global   Katrina 3 B
Aquecimento Global Katrina 3 B
 
Jornal sg jul 2013
Jornal sg jul 2013Jornal sg jul 2013
Jornal sg jul 2013
 
Pequeno Compêndio de Poemas Luminosos - Os mais inspirativos poemas da litera...
Pequeno Compêndio de Poemas Luminosos - Os mais inspirativos poemas da litera...Pequeno Compêndio de Poemas Luminosos - Os mais inspirativos poemas da litera...
Pequeno Compêndio de Poemas Luminosos - Os mais inspirativos poemas da litera...
 
4a edição
4a edição4a edição
4a edição
 
Diário de bordo
Diário de  bordoDiário de  bordo
Diário de bordo
 
PDF Programa Amigos Da Natureza 2019
PDF Programa Amigos Da Natureza 2019PDF Programa Amigos Da Natureza 2019
PDF Programa Amigos Da Natureza 2019
 
4a edição
4a edição4a edição
4a edição
 
4a edição
4a edição4a edição
4a edição
 
4a edição
4a edição4a edição
4a edição
 
O outono da vida
O outono da vidaO outono da vida
O outono da vida
 
O outono da vida
O outono da vidaO outono da vida
O outono da vida
 
Boletim Maio/Junho 09
Boletim Maio/Junho 09Boletim Maio/Junho 09
Boletim Maio/Junho 09
 
O outono da vida
O outono da vidaO outono da vida
O outono da vida
 
O outono da vida
O outono da vidaO outono da vida
O outono da vida
 
O outono da vida
O outono da vidaO outono da vida
O outono da vida
 
O+outono+da+vida
O+outono+da+vidaO+outono+da+vida
O+outono+da+vida
 
O outono da vida
O outono da vidaO outono da vida
O outono da vida
 
O outono da Vida
O outono da VidaO outono da Vida
O outono da Vida
 
O+outono+da+vida
O+outono+da+vidaO+outono+da+vida
O+outono+da+vida
 

Mais de Diocese de Aveiro

Semanário digital ECCLESIA - Missão Jubilar
Semanário digital ECCLESIA - Missão Jubilar Semanário digital ECCLESIA - Missão Jubilar
Semanário digital ECCLESIA - Missão Jubilar Diocese de Aveiro
 
Conferência de imprensa de apresentação da missão jubilar
Conferência de imprensa de apresentação da missão jubilarConferência de imprensa de apresentação da missão jubilar
Conferência de imprensa de apresentação da missão jubilarDiocese de Aveiro
 
Modelo de Via sacra - Domingo da quaresma
Modelo de Via sacra - Domingo da quaresmaModelo de Via sacra - Domingo da quaresma
Modelo de Via sacra - Domingo da quaresmaDiocese de Aveiro
 
Modelo de Via sacra - Jesus é condenado à morte (2)
Modelo de Via sacra  - Jesus é condenado à morte (2)Modelo de Via sacra  - Jesus é condenado à morte (2)
Modelo de Via sacra - Jesus é condenado à morte (2)Diocese de Aveiro
 
Modelo de Via sacra - Jesus é condenado à morte
Modelo de Via sacra  - Jesus é condenado à morteModelo de Via sacra  - Jesus é condenado à morte
Modelo de Via sacra - Jesus é condenado à morteDiocese de Aveiro
 
Requisição de material para a caminhada da família
Requisição de material  para a caminhada da famíliaRequisição de material  para a caminhada da família
Requisição de material para a caminhada da famíliaDiocese de Aveiro
 
Caminhada da Quaresma e da Família 2012
Caminhada da Quaresma e da Família 2012Caminhada da Quaresma e da Família 2012
Caminhada da Quaresma e da Família 2012Diocese de Aveiro
 
Regulamento do Concurso: QUE BOM É TER UMA FAMÍLIA!
Regulamento do Concurso: QUE BOM É TER UMA FAMÍLIA!Regulamento do Concurso: QUE BOM É TER UMA FAMÍLIA!
Regulamento do Concurso: QUE BOM É TER UMA FAMÍLIA!Diocese de Aveiro
 
Jornadas de formação permanente do Clero da Diocese de Aveiro
Jornadas de formação permanente do Clero da Diocese de AveiroJornadas de formação permanente do Clero da Diocese de Aveiro
Jornadas de formação permanente do Clero da Diocese de AveiroDiocese de Aveiro
 
Jubileu Diocese de Aveiro - Proposta de Trabalho
Jubileu Diocese de Aveiro - Proposta de TrabalhoJubileu Diocese de Aveiro - Proposta de Trabalho
Jubileu Diocese de Aveiro - Proposta de TrabalhoDiocese de Aveiro
 
Abertura ano pastoral 2011-2012
Abertura ano pastoral 2011-2012Abertura ano pastoral 2011-2012
Abertura ano pastoral 2011-2012Diocese de Aveiro
 
Plano Diocesano de Pastoral Litúrgica (projecto)
 Plano Diocesano de Pastoral Litúrgica (projecto) Plano Diocesano de Pastoral Litúrgica (projecto)
Plano Diocesano de Pastoral Litúrgica (projecto)Diocese de Aveiro
 
Programa da peregrinação dos jovens para as JMJ Madrid 2011 - Caminho Neocate...
Programa da peregrinação dos jovens para as JMJ Madrid 2011 - Caminho Neocate...Programa da peregrinação dos jovens para as JMJ Madrid 2011 - Caminho Neocate...
Programa da peregrinação dos jovens para as JMJ Madrid 2011 - Caminho Neocate...Diocese de Aveiro
 
O ministério do leitor parte 2
O ministério do leitor parte 2O ministério do leitor parte 2
O ministério do leitor parte 2Diocese de Aveiro
 

Mais de Diocese de Aveiro (20)

Semanário digital ECCLESIA - Missão Jubilar
Semanário digital ECCLESIA - Missão Jubilar Semanário digital ECCLESIA - Missão Jubilar
Semanário digital ECCLESIA - Missão Jubilar
 
Conferência de imprensa de apresentação da missão jubilar
Conferência de imprensa de apresentação da missão jubilarConferência de imprensa de apresentação da missão jubilar
Conferência de imprensa de apresentação da missão jubilar
 
Missao jubilar apresentacao
Missao jubilar  apresentacaoMissao jubilar  apresentacao
Missao jubilar apresentacao
 
Modelo de Via sacra - Domingo da quaresma
Modelo de Via sacra - Domingo da quaresmaModelo de Via sacra - Domingo da quaresma
Modelo de Via sacra - Domingo da quaresma
 
Modelo de Via sacra - Jesus é condenado à morte (2)
Modelo de Via sacra  - Jesus é condenado à morte (2)Modelo de Via sacra  - Jesus é condenado à morte (2)
Modelo de Via sacra - Jesus é condenado à morte (2)
 
Modelo de Via sacra - Jesus é condenado à morte
Modelo de Via sacra  - Jesus é condenado à morteModelo de Via sacra  - Jesus é condenado à morte
Modelo de Via sacra - Jesus é condenado à morte
 
Modelo 2 de via-sacra
Modelo 2 de via-sacraModelo 2 de via-sacra
Modelo 2 de via-sacra
 
Modelo 1 de via-sacra
Modelo 1 de via-sacraModelo 1 de via-sacra
Modelo 1 de via-sacra
 
Requisição de material para a caminhada da família
Requisição de material  para a caminhada da famíliaRequisição de material  para a caminhada da família
Requisição de material para a caminhada da família
 
Modelo do Coração
Modelo do CoraçãoModelo do Coração
Modelo do Coração
 
Caminhada da Quaresma e da Família 2012
Caminhada da Quaresma e da Família 2012Caminhada da Quaresma e da Família 2012
Caminhada da Quaresma e da Família 2012
 
Regulamento do Concurso: QUE BOM É TER UMA FAMÍLIA!
Regulamento do Concurso: QUE BOM É TER UMA FAMÍLIA!Regulamento do Concurso: QUE BOM É TER UMA FAMÍLIA!
Regulamento do Concurso: QUE BOM É TER UMA FAMÍLIA!
 
Jornadas de formação permanente do Clero da Diocese de Aveiro
Jornadas de formação permanente do Clero da Diocese de AveiroJornadas de formação permanente do Clero da Diocese de Aveiro
Jornadas de formação permanente do Clero da Diocese de Aveiro
 
Jubileu Diocese de Aveiro - Proposta de Trabalho
Jubileu Diocese de Aveiro - Proposta de TrabalhoJubileu Diocese de Aveiro - Proposta de Trabalho
Jubileu Diocese de Aveiro - Proposta de Trabalho
 
Abertura ano pastoral 2011-2012
Abertura ano pastoral 2011-2012Abertura ano pastoral 2011-2012
Abertura ano pastoral 2011-2012
 
Plano Diocesano de Pastoral Litúrgica (projecto)
 Plano Diocesano de Pastoral Litúrgica (projecto) Plano Diocesano de Pastoral Litúrgica (projecto)
Plano Diocesano de Pastoral Litúrgica (projecto)
 
Programa da peregrinação dos jovens para as JMJ Madrid 2011 - Caminho Neocate...
Programa da peregrinação dos jovens para as JMJ Madrid 2011 - Caminho Neocate...Programa da peregrinação dos jovens para as JMJ Madrid 2011 - Caminho Neocate...
Programa da peregrinação dos jovens para as JMJ Madrid 2011 - Caminho Neocate...
 
O ministério do leitor
O ministério do leitorO ministério do leitor
O ministério do leitor
 
O domingo e a sua pastoral
O domingo e a sua pastoralO domingo e a sua pastoral
O domingo e a sua pastoral
 
O ministério do leitor parte 2
O ministério do leitor parte 2O ministério do leitor parte 2
O ministério do leitor parte 2
 

Último

Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 

Último (20)

Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 

ESCUTA - Edição especial ACAREG #57/5

  • 1. #PrecisoLavarCabelo #OhPraNosTaoGiros #SouGiraPois #OsGiracosPonteVagos #SimEstouEncherAgua #OhChefeNao com o apoio: Câmara Municipal da Murtosa COLUNA COR DE ROSAquase Dear ,JóTó I found out from the newspaper Escuta that you are a very famous person! If you ever wish to visit NJ, you will be elcome. Take care, MaRia Marw Tiago Pereira, 794 – Vilar Olá! Desde o início do ACAREG que não tive coragem de falar contigo. Acho- te super giro e pareces muito simpático. Adoro quando sorris e quando passo por ti parece que o mundo pára. Da tua adoradora, Deusa. A todos os Escuteiros do ACAREG desejo uma Boa Caça e em especial ao Agrupamento e à Família Poeta Pelicano com um beijo. Até970 da Palhaça Já. A todos os escuteiros e dirigentes do uma838 de Albergaria-a-Velha canhota amiga. Obrigada também aos voluntários: Celina, Edite, Fátima e Francisco. Da vossa chefinha Liliana pa ra bé ns No dia de ontem, terça-feira 5 de agosto, durante a atividade fora de campo dos pioneiros, ocorreu um acidente com um velocípede na ponte da Varela, concelho da Murtosa. Um ciclista do sexo feminino jovem, descia a mítica ponte, que liga as margens da freguesia do Bunheiro e da Torreira, a alta velocidade quando a certa altura se esbardalhou completamente. Os pioneiros do agrupamento 1084 da Trofa que se encontravam no local, deslocaram-se imediatamente para a área acidentada, tendo fornecido todos os devidos cuidados à vítima. Além da tentativa de acalmar a jovem com diversas escoriações na cabeça, pernas e braços, os pioneiros mantiveram-na estável até à chegada de uma ambulância do INEM. Através deste simples e singelo gesto queremos prestar a nossa sincera e sentida homenagem aos heroicos escuteiros da área da Bairrada. ESCUTEIROS HERÓIS EM ACIDENTE NA PONTE DA VARELA Chefe Rui Sequeira 189 Ílhavo A melhor parte da vida de uma pessoa está nas suas amizades. [Abraham Lincoln] Edição n.º 57|5 ESCUTA XVIII ACAREG - REGIÃO DE AVEIRO TORREIRA | MURTOSA 06 | agosto | 2014 DESCOBRE ONDE ANDA A CABRA DA IV recebeu um «LIVRE TRÂNSITO» e nunca mais foi vista!!! O 1º a descobrir o seu paradeiro e a dizer-nos, ganha um brinde! director Manuel Santos coordenador José Carlos 02. É MESMO O ACAREG CARAGO!? 03. LOBITOS VIVERAM O PERDÃO 07. SOMOS A PROTECÇÃO CIVIL 08. ESCUTEIROS HERÓIS EM ACIDENTE
  • 2. II MARIA MAR… É MESMO O ACAREG CARAGO!? “O EscuƟsmo só tem senƟdo, só tem vida se for entrelaçado e jogado na vida dos outros. Jogar a sério, darmo-nos por inteiro a quem nos acolhe. Nunca ficarmos, pela metade, dar, dar, dar-se”. Manuel Santos, Chefe Regional/Chefe de Campo. Sempre a morrer. Dizem que: Deus perdoa sempre; nós perdoamos às vezes (pelo menos: 70X7…); e que a Natureza nunca perdoa!? Não quero crer que assim seja. A nossa natureza é descoberta do Criador. E por isso nos sabemos Criaturas. Somos uma NATUREZA humana, geográfica e genéƟ ca. Todavia as nossas feridas quando naturais (ou mesmo arƟ ficiais) são as cicatrizes das nossas pancadas ocultas, para descobrir o Invisível. Dores de desenvolvimento. O livro da Natureza precisa de ser lido com Respeito. Somos uma gota de água, com outras gotas de água; pequeno grão de areia, úƟ l quando o nosso orgulho superior se junta, a outro grão de areia; numa cadeia de Infinito, tal qual as Dunas para beijar a MariaMar! Os Peixes fora de Água morrem, mas ressuscitam como Alimento Rico! Sempre a começar. Tudo o que fazemos dentro de nós, enquanto : leva Tempo. Às vezes demasiado. Por isso, amudança importância decisiva de começar Agora no é o Tempo de (re)construir. Como fazem os trabalhadores ao lado dajá. Acareg nossa , na reforma duma Escola Futura E . Ouço os seus martelos, as suas vozes de ordem. Ouço ofrágil-cidade-de-lona B2 barulho do . NÓS somos escola pedagógica imperdível. Quando perdemos ganhamos!? Ouço, sobretudo, ocomeço essa barulho dos a limpar o WC e os Balneários…; a vigiar o Campo…; a preparar os alimentos…, ETC. Tudo comChefes dos Serviços: uma mistura de ternura e competência. Medito no EscuƟ smo que não tem tempo de nojo; mesmo quando mete… Só quem se (a)baixa: percebe a beleza do Horizonte Infinito. Ouço, sem ruído, uma que brinca com o Sol quente; ela abre aCriança Memória: é um «barulho seminal». Inocência Segunda. Um Silêncio Primordial dentro de Mim (mesmo lá no fundo). Tudo está prestes a Nascer de Novo. Somos uma FAMÍLIA que nasce amistosa em cada Acampamento! Somos uma Família que é fiel aos seus Valores Geracionais. Somos uma Família que põe sempre na mesa um Prato a Mais! Sempre a aprender. Somos uma CULTURA dum saber feito de sabor afecƟ vo e inteligente. Nossa cultura tem a História do território Murtoseiro. Somos um Raid Nocturno no meio do Milho, com espigas amarelas, verdes, azuis, vermelhas!? Atravessando pontes de insónias felizes!? Somos esse Território dos nossos Antepassados, herança futura da Murtosa ainda não nascida. Entre nós: quem melhor sabe; melhor serve! É a Cultura sólida e não líquida ou vaporosa! Nossa CANGA colorida dum Jugo menos incerto, porque realizador. Tudo ficará mais leve! Arte Xávega em mares certos que apesar de perigosos serão libertadores! Sempre a esperar. Somos COMUNIDADE que não tem medo do Vento mais forte, porque se faz oportunidade de ParƟ lha. Pensar global, agir local: não é pregação retórica é a própria Realidade. Os nossos ConƟ nentes são por todos, com todos, em todos. Como na EucarisƟ a nos Caminhos de Emaús. Cada ConƟ nente deveria estar dentro de nós, para além do consumo próprio, tornando-se uma acção de graças gerada por Sinergia. Ao dar o Necessário, parƟ lhando o Possível, acabamos realizando o Impossível. Todos sabemos daquela Força de « ». Sobretudo, noB.P.: deixar o mundo um pouco melhor « » para (per)seguir em conjunto.deixamento Todo o Projecto se sabe Memória futura, enquanto IdenƟdade presente. Bênção, Tarefa e Dom de Deus reparƟdos por todos(as)! Com a Transparência Consciente em Deus; com Jesus Cristo, por Liberdade Confiada; com o Espírito Santo, na Verdade Amorosa: seremos capazes de: , , e . A Fé é, sobretudo, a conjugação de Verbos, na primeiraMorrer Começar Aprender Esperar pessoa do plural (de preferência: no Céu, de mãos juntas; apesar do Inferno, de costas voltadas; enquanto, Purgatório, de olhares desfocados…). Não somos seduzidos por substanƟ vos ou adjeƟ vos (que tanta falta nos dizem…) de apenas mais um « Até ao Domingo sem Ocaso! No Acampamento da Vida Eterna! No Reino Futuro! Somos eFim-de-Semana-Espetacular!» seremos uma por Deus: Jogando em modo de paráfrase escuƟ sta:Carta Aberta MaRia Mar… é Mesmo o Acareg Carago!? «Que Ele nos consiga escrever direito, pelas nossas linhas tortas!» Pe. Pedro José, Assistente da IIIª Secção, Acareg, Torreira: 05/08/2014. 4275. IIV SERVIÇOS EM CAMPO ACTIVIDADES GERAIS COZINHA PROTECÇÃO CIVIL SAÚDE SERVIÇOS GERAIS A equipa da proteção civil deste ACAREG é constituída por 12 elementos, e tem como principal tarefa assegurar preventivamente a segurança durante toda a atividade, minimizando a probabilidade da ocorrência de acidentes. A equipa está organizada em 5 equipas, de forma a ter disponíveis pelo menos 2 elementos durante 24h/dia, que asseguram o cumprimento do plano de segurança da atividade. As principais funções a cargo da equipa são: Controlo de entradas/saídas de campo do contingente; Rondas para verificação do recinto de acampamento; Observação do cumprimento das regras de segurança nas atividades a decorrer no exterior. O controlo de entradas/saídas de campo é importantíssimo em caso de emergência, para se poder saber quais os elementos em campo, e para evitar entradas ou saídas inadvertidas em campo. As rondas pelo recinto do acampamento decorrem 4 vezes por dia e o principal objetivo é a verificação do cumprimento das regras de segurança no campo das equipas/patrulhas. Os principais riscos encontrados até agora são: · Infestação de pragas (ratos, formigas, moscas) devido a alimentos espalhados nas mesas e no chão do campo das patrulhas/equipas; · Acidente ou cortes causados por ferramentas mal arrumadas ou caídas do chão; · Botijas de gás mal acondicionadas (enterradas ou expostas ao sol) e redutores de gás caídos na areia (risco de fuga de gás ao voltar a apertar na botija); Equipa da Proteção Civil A proteção civil conta com a ajuda dos guias para que as patrulhas/equipas se preocupem em respeitar as regras de segurança durante o resto do ACAREG. Principais ocorrências registadas: Saída permanente /abandono do acampamento: 3 Lobitos, 12 exploradores, 4 pioneiros e 3 caminheiros Transporte de elementos ao Hospital: 3
  • 3. VI O dia da IVª Secção começou às 07h30. Após o pequeno-almoço por continente, os caminheiros/companheiros prepararam-se para a segunda parte do seu raid. Este novo percurso realizou- se somente pela praia que liga S. Jacinto à Torreira. À semelhança do dia anterior, foram desenvolvidas actividades nos postos do raid onde as tribos foram convidadas a abordar os temas felicidade, confiança, união e serviço. A felicidade esteve presente nas estrelas origami escritas pelos caminheiros/companheiros de manhã. Já da parte da tarde, a confiança foi testada e os caminheiros/companheiros deixaram-se cair sobre os restantes elementos para serem transportados. Ao final da tarde, na chegada ao campo, muitas eram as dores de costas e as bolhas nos pés, que nada significavam perante toda a aventura vivida! O dia da IVª Secção acabou com o fogo de conselho com a participação de diferentes continentes em momentos de alegria, convívio, oração e reflexão. SURPRESAAAAAA!! Foi encontrado o 6º continente no campo da IVª secção, a Antártida! O novo continente é constituído por um grupo de caminheiros/companheiros oriundos dos restantes continentes, que congelaram as suas dores, bolhas e problemas, mas não a boa disposição, pois essa não é curada com um cubo de gelo. O nosso continente já conta com 13 habitantes que neste momento se encontram estáveis. Somos o continente menos numeroso, mas o mais unido na saúde e na doença até que a morte nos separe. PEGADAS NA AREIA III Mais um dia que começou bem cedo com os Lobitos a tirar as “patinhas” do saco cama e o “focinho” da almofada ainda bastante ensonados. Mais um novo dia cheio de atividades que os espera com novos desafios. Ontem foram convidados a viver o valor do perdão, as saudades começam a deixar marcas e nem sempre estão com a melhor disposição o que pode trazer alguns conflitos. Pedir desculpa, ser tolerante foi o valor. Como desafio devem encontrar, em diferentes Alcateias, três Lobitos da mesma idade e que pertençam ao bando com a cor do seu. Tal como a Maria Mar veio descobrir novos amigos e novas terras, os Lobitos também vão fazer muitas e belas amizades. O dia iniciou-se de uma forma já mais tranquila, com tudo mais ajustado e tudo começou mais cedo, com mais calma e com tempo para poderem fazer todos os jogos e usufruírem plenamente de todas as atividades. Uma palavra de relevo para os artesãos que aceitaram o desafio de, nestes três dias trazerem aos nossos Lobitos um pouco da sua arte maravilhando-os com a beleza que sai das suas mãos. Um obrigado para eles. VIVER O PERDÃO
  • 4. IV NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA Ana Marques do agrupamento 1084 da Trofa magoou-se no braço esquerdo No dia 4 do mês de agosto, por volta das 12h, na Torreira, a exploradora Ana Marques, que é pouco cuidadosa, foi encontrada com um garfo espetado no braço esquerdo!!! A desastrada, coitada, aflita e atrapalhada, arrancou o garfo, ficando desesperada. Os ventos trouxeram-vos a bom porto? Atracaram os vossos navios em segurança? Os nossos exploradores seguindo os seus navegadores, D. Infante Henrique, Vasco da Gama e Fernão de Magalhães, navegam pelas terras da Torreira e Murtosa em busca de conhecimentos novos e aventuras. Os nossos navegadores trouxeram os seus exploradores até ao campo, onde na Casa Museu Custódio Prato tiveram o prazer de assistir a uma actuação do Rancho Folclórico Os camponeses da Beira Ria, e também dançar com eles. Nesta habitação revive-se o quotidiano de uma casa de lavrador no início do séc. XX. Nela estão expostos móveis, roupa, loiças e outros utensílios recolhidos pelo Rancho. Na zona envolvente e currais optou-se por criar várias salas temáticas: alfaiataria, barbearia, sapataria, forja do ferreiro, taberna/mercearia, carpintaria, adega e salas de alfaias agrícolas. Foram também reconstruídas a retrete e os currais dos porcos e das vacas. Aqui os exploradores além de ficarem a conhecer esta casa Museu podem reviver algumas aventuras dos nossos navegadores por esses mares fora, tais como, o cabo das tormentas, os descobrimentos, a rota das especiarias, e os desembarques, transformados em jogos para diversão de todos. Além disso aprender com os ateliers de origami, porta chaves, anilhas, e chichorro (malha da cama de rede, e das redes de pesca). Amanhã será tempo de preparar os barcos e regressar às nossas terras. Que Deus nos dê bom vento para encher as velas e seguir o nosso caminho. Saudações marítimas dos navegadores da Nau ORIEVA BOM DIA ESCUTEIROS DE AVEIRO V No campo dos Pioneiros, o dia 5 amanheceu silencioso. Nenhuma equipa em campo, todas estavam em Raid. Espalhadas entre os percursos da Murtosa e de Estarreja. De bicicleta ou a pé, foram mostrando as maravilhas naturais e culturais da Murtosa, e da vizinha Estarreja, à nossa visitante MaRia Mar. Apesar do cansaço e das mazelas da longa jornada, chegar à meta, com a sensação de dever cumprido, é o suficiente para motivar os nossos azuis que, com esforço, conseguimos alcançar os nossos objectivos. A construção de jangadas no Cais do Bico foi talvez dos momentos mais marcantes, onde cada equipa pôde mostrar a sua perícia e engenho, uma vez que um nó mal feito podia significar o naufrágio de toda a embarcação. Lentamente aproxima-se o final desta grande actividade. Mas ainda faltam muitas aventuras para que Maria Mar se apaixone pela sua Terra Natal e fique verdadeiramente entre nós. Entre o Mar e a Ria, todos os Pioneiros estarão de volta ao campo na véspera do dia de encerramento, para o Grande Fogo de Conselho da Península da Torreira. ALCANÇAR OS OBJECTIVOS