SlideShare uma empresa Scribd logo
Qualidade e Agilidade [email_address]
Sócia-Diretora da ProMove Mestre em Eng. de Sistemas e Computação pela UFRJ (2009), Pós-graduação em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas PUC (1999) e graduado em Informática pela UFF (1996). Implementadora credenciada do modelo MPS, participou em  implementações dos modelos CMMI e MPS. Avaliadora líder inicial credenciado do modelo MPS. Mais de 10 anos de experiência em Gerência de Projetos,  certificada Scrum-Master e PMP. Analia Irigoyen Ferreiro Ferreira  | © ProMove – Business Intelligence Solutions
Grupos de processo de organizações que adotaram os modelos CMMI ou MPS e querem adotar práticas ágeis . Empresas que tenham interesse em realizar avaliações no CMMI com práticas ágeis nos próximos anos. Implementadores que desejam compreender o que o CMMI na versão 1.3  discute sobre a Agilidade. Público Alvo  | © ProMove – Business Intelligence Solutions
“ Use professional judgment and common sense to interpret the model for your organization. That is, although the process areas described in this model depict behaviors considered best practices for most users, process areas and practices should be interpreted using an in-depth knowledge of CMMI-DEV, your organizational constraints, and your business environment.” Qual o julgamento profissional e senso comum em organizações que adotam métodos ágeis? Para Refletir ...  | © ProMove – Business Intelligence Solutions

Recomendado para você

CMM e CMMI
CMM e CMMICMM e CMMI
CMM e CMMI

O documento discute os modelos CMM e CMMI para avaliação e melhoria de processos de desenvolvimento de software. Apresenta os cinco níveis de maturidade do CMM, caracterizando cada nível, e explica conceitos-chave do CMMI como áreas de processo e objetivos.

CMMI 7
CMMI 7CMMI 7
CMMI 7

O documento descreve o modelo CMMI (Capability Maturity Model Integration), que fornece um framework para melhoria de processos de software e sistemas. O CMMI inclui níveis de maturidade, áreas de processo, metas e práticas. O documento também fornece um histórico do desenvolvimento do CMMI e seus modelos anteriores.

qualidade de software
Msf microsoft solutions framework - Apresentação
Msf  microsoft solutions framework -  ApresentaçãoMsf  microsoft solutions framework -  Apresentação
Msf microsoft solutions framework - Apresentação

O documento descreve a origem e os objetivos do Microsoft Solutions Framework (MSF), um conjunto de boas práticas para desenvolvimento de software da Microsoft. O MSF tem como objetivos principais entregar soluções tecnológicas de forma mais rápida, eficiente e com menor risco, além de obter resultados de maior qualidade. Ele fornece orientações para organizar equipes e projetos visando planejar, construir e implementar soluções tecnológicas com maior chance de sucesso.

CMMI or Agile: Why Not Embrace Both!  [Glazer 2008]. CMMi não diz como implementar as práticas. CMMi V1.3: notas auxiliam na interpretação. CMMi - Versão 1.3 e Agilidade
Lista de pré-requisitos do CMMi V1.3 Aderente Manifesto for Agile Development  [Beck 2001].  Envolvimento do PO
Lista de pré-requisitos do CMMi V1.3 Aderente Manifesto for Agile Development  [Beck 2001].  Múltiplas  interações para conhecer e evoluir o produto
Lista de pré-requisitos do CMMi V1.3 Aderente Manifesto for Agile Development  [Beck 2001].  Cliente comprometido em compartilhar decisões e riscos

Recomendado para você

Visão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel
Visão Geral do CMMI - Por Henrique GabrielVisão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel
Visão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel

Apresentação utilizada em um seminário sobre CMMI da disciplina de Engenharia de Software I do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, da Faculdade de Tecnologia SENAC-RS.

38484931 questionario-es
38484931 questionario-es38484931 questionario-es
38484931 questionario-es

Engenharia de software é a área voltada para especificação, desenvolvimento e manutenção de sistemas de software. Modelagem objetiva manter aplicações robustas e fáceis de manter, evitando problemas futuros. Análise investiga problemas e requisitos, enquanto projeto foca em soluções para esses requisitos.

Trabalho de CMMI
Trabalho de CMMITrabalho de CMMI
Trabalho de CMMI

O documento descreve os níveis de maturidade do modelo CMMI (Capability Maturity Model Integration). Apresenta os cinco níveis de maturidade do modelo, desde o nível inicial até o nível de otimização, explicando as características de cada nível e como a maturidade dos processos evolui à medida que a organização sobe de nível.

cmmi
Agilidade  | © ProMove – Business Intelligence Solutions
Agilidade x SCRUM SCRUM é uma pequena parte do mundo ágil  
Princípios Ágeis
Notas do CMMI Versão 1.3 sobre agilidade  | © ProMove – Business Intelligence Solutions 5 Causal Analysis and Resolution (CAR)  Organizational Performance Management (OPM) 4 Organizational Process Performance (OPP)  Quantitative Project Management (QPM)  3 Decision Analysis and Resolution (DAR)  Integrated Project Management (IPM)  Organizational Process Definition (OPD)  Organizational Process Focus (OPF)  Organizational Training (OT)  Risk Management (RSKM)  Product Integration (PI)  Requirements Development (RD)  Technical Solution (TS)  Validation (VAL)  Verification (VER) 2 Configuration Management (CM)  Measurement and Analysis (MA)  Project Monitoring and Control (PMC)  Project Planning (PP)  Process and Product Quality Assurance (PPQA)  Requirements Management (REQM)  Supplier Agreement Management (SAM)

Recomendado para você

Cmmi e mps.Br
Cmmi e mps.BrCmmi e mps.Br
Cmmi e mps.Br

Este documento apresenta e compara dois modelos de qualidade para desenvolvimento de software: o CMMI e o MPS.Br. O CMMI é um modelo reconhecido internacionalmente enquanto o MPS.Br foi desenvolvido no Brasil para se adequar melhor à realidade das empresas nacionais com custos mais acessíveis. Ambos os modelos possuem níveis de maturidade graduais para melhoria contínua dos processos, porém o MPS.Br tem níveis mais adaptados às pequenas e médias empresas brasileiras.

GT5 - CMMI
GT5 - CMMIGT5 - CMMI
GT5 - CMMI

O documento descreve os modelos de maturidade CMMI e MPS.Br, incluindo suas definições, áreas de processo, níveis de capacidade/maturidade e aplicações no Brasil. Resume os principais conceitos dos modelos como a melhoria contínua dos processos, a customização para projetos e a medição de desempenho para tomada de decisões.

Adding value through Program Management
Adding value through Program ManagementAdding value through Program Management
Adding value through Program Management

Este documento discute a importância da agregação de valor no gerenciamento de programas. Ele resume as principais práticas de mercado e propõe uma abordagem orientada a agregação de valor por meio de decisões baseadas no negócio, visão sistêmica, cultura colaborativa, gestão de mudanças e governança alinhada aos objetivos estratégicos.

Gerência de Configuração (CM)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Responsável por GC no Time: Garantindo que Estratégia de GC seja cumprida Estratégia de GC+ Complexa
Integração do Produto (PI)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Integração Contínua
Integração do Produto (PI)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions A Estratégia de Integração Contínua deve (1/2): Ser elaborada no início do projeto e revista para  refletir a evolução dos componentes existentes e os novos. 2) Conter regras para incorporar produtos de terceiros. 3) Como será a solução para as interface entre as  aplicações. 4) Informações enviadas e recebidas
Integração do Produto (PI)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions A Estratégia de Integração Contínua deve (2/2): 5) Quando realizar refactoring.

Recomendado para você

PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...

PLM2M Assessment e benefícios do CMMI - Como eliminar as incertezas na implementação PLM Evandro Gama Chairman Cadware-Technology, MSc UFSCar, pesquisador DMS/EESC-USP

cmmimanufatura digitalplm
ALM focado em resultados
ALM focado em resultadosALM focado em resultados
ALM focado em resultados

ALM (Application Management Lifecycle) é o processo de gerenciar o ciclo de vida de uma aplicação, desde da sua concepção até o momento em que ela deixa de ser usada. Esta trilha irá discutir técnicas ágeis para a construção e gerencimento de projetos de software, além de apresentar as ferramentas e dicas mais bacanas para que o seu projeto tenha sucesso não só durante a construção, mas também durante a produção. Como aplicar ALM em projetos de metodologia tradicional e métodos ágeis de forma a obter resultados em Projetos de Desenvolvimento de Software. Ferramentas e suas aplicações em gestão de projetos e gestão de serviços.

application lifecycle managementalmthe developers conference
CMMI for Services, 4º Edição
CMMI for Services, 4º EdiçãoCMMI for Services, 4º Edição
CMMI for Services, 4º Edição

Apresentação realizada no dia 30 de março de 2009, já considerando a versão final do modelo CMMI-SVC, v1.2 (publicada em fevereiro)

cmmicmmiservices
Monitoração e Controle (PMC)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Monitoração do envolvimento dos Stakeholders - É crucial garantir que o PO e os usuários finais estejam envolvidos nas atividades de desenvolvimento.
Planejamento do Projeto (PP)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Por desconhecimento do todo (o software é evoluído conforme o conhecimento adquirido) (1/3): Planejamento inicial de Alto Nível. -> Os maiores riscos e marcos são conhecidos. -> Restrições e premissas também são conhecidas. 2) O time faz o planejamento/Replanejamento  mais frequentes  e com maiores detalhes.
Planejamento do Projeto (PP)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Por desconhecimento do todo (o software é evoluído conforme o conhecimento adquirido) (2/3): -> Refletem como realizar uma iteração e o perfil do time envolvido e alguns fatores como: esforço, recursos e riscos.  -> O planejamento é revisado/refinado durante as reuniões diárias e ao final das iterações. -> O comprometimento é obtido ao “pegar a tarefa” (time, durante o sprint)
Planejamento do Projeto (PP)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Por desconhecimento do todo (o software é evoluído conforme o conhecimento adquirido) (3/3): 3) Estimativas  -> Estórias são elaboradas ou estimadas e as iterações são realizadas por meio de um conjunto de tarefas. -> Sprint Backlog é derivado de um Product Backlog.

Recomendado para você

Cmmi apresentação
Cmmi apresentaçãoCmmi apresentação
Cmmi apresentação

O documento descreve o modelo CMMI, incluindo sua história, representações, níveis de maturidade e disciplinas. Ele também apresenta casos de sucesso como a AMBISIG em Portugal, que aplica um processo multi-modelo CMMI alcançando altos níveis de maturidade em desenvolvimento e serviços.

DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...
DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...
DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...

Este documento apresenta um projeto para implantação do CMMI nível dois de maturidade e Scrum na empresa Realize-se. O projeto aborda requisitos, planejamento, monitoramento, fornecedores, medição, garantia de qualidade e gestão de configuração de acordo com as áreas de processo do CMMI nível dois. A implantação visa melhorar os processos da empresa e trazer benefícios como redução de custos e maior satisfação do cliente.

scrumcmmi
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...

O documento discute os princípios e práticas das metodologias ágeis de desenvolvimento de software em comparação com a abordagem tradicional de gerenciamento de projetos, com o objetivo de aumentar a credibilidade do paradigma ágil e incentivar sua adoção. Apresenta os doze princípios da agilidade e descreve a metodologia Extreme Programming, incluindo seus valores, princípios, papéis, práticas e ciclo de vida iterativo e incremental.

gerenciamento de projetosmetodologias ágeis
Garantia da Qualidade (PPQA)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Times ágeis estão resolvendo necessidades imediatas da iteração! Planejar no início do projeto: como as avaliações objetivas serão realizadas para garantir objetivos organizacionais. Que processos e produtos serão avaliados; Como o resultado das avaliações serão incorporados ao time (parte do  daily meeting ,  checklists ,  peer reviews ,  tools ,  integração contínua ,  restrospectivas )
Gerência de Projeto Quantitativa (QPM)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Exemplos de objetivos de desempenho dos processos: Aumentar a velocidade do time em X %  em Y meses ou anos.
Desenvolvimento de Requisitos (RD)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Requisitos e idéias são elicitados, desenvolvidos , elaborados e validados de forma iterativa (1/2). São documentados em: User Stories, Cenários, Casos de Uso, Product Backlogs, Código. A priorização dos requisitos e análise dos riscos é  realizada ao selecionar o “Sprint Backlog“ do “Product Backlog”.
Desenvolvimento de Requisitos (RD)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Requisitos e idéias são elicitados, desenvolvidos , elaborados e validados de forma iterativa (2/2). Quanto de detalhes dos requisitos a ser documentado é decidido pelo risco de perder o que foi aprendido. Quando o  PO está no time, é necessário separar requisitos do cliente de requisitos do produto. Todas as tarefas e responsabilidades são distribuídas entre os times e a rastreabilidade é feita por meio do “Product Backlog”.

Recomendado para você

O que e cmm
O que e  cmmO que e  cmm
O que e cmm

O documento descreve o CMM (Capability Maturity Model), um modelo de avaliação e melhoria da maturidade dos processos de desenvolvimento de software. O CMM avalia as organizações em 5 níveis de maturidade com foco na documentação e melhoria dos processos. O objetivo é guiar as organizações a conhecerem e melhorarem seus processos de software.

Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2

O documento descreve e compara o modelo CMMI nível 2 e o modelo Estrela para desenvolvimento de software. O modelo CMMI define níveis de maturidade para gestão de processos de software, enquanto o modelo Estrela fornece um guia orientado a processos para desenvolvimento de e-commerce. O modelo Estrela cobre as áreas necessárias para atingir o nível 2 do CMMI, embora sua abordagem extensa possa tornar o processo mais demorado.

Elevator pitch2
Elevator pitch2Elevator pitch2
Elevator pitch2

2 Gründe,

finanzenanlagekapitalanlage
Gerência de Requisitos (REQM)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Requisitos são comunicados através dos quadros e comprometimentos são obtidos /revistos nas reuniões de planejamento e revisões (daily meeting,..) (1/3):
Gerência de Requisitos (REQM)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions 2) Rastreabilidade (2/3) Product Backlog Sprint Backlog Tarefas Código
Gerência de Requisitos (REQM)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions 3) Análise das Inconsistências (3/3) Reuniões de Início de Sprint (SP 1), Retrospectiva e Review (Demo)
Gerência de Riscos (RISKM)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions A estratégia de riscos está “embutida” na própria metodologia ágil. Algumas técnicas de mitigação de riscos podem ser adotadas, como: experimentação ( early failures ) ou  spike  (fora da iteração). Só que é necessário algo mais sistemático: Planejamento, Estimativa e Aceite as tarefas.

Recomendado para você

Cataratas
CataratasCataratas
Cataratas

Las cataratas Victoria en el río Zambeze entre Zambia y Zimbabwe son uno de los saltos de agua más grandes del mundo con una longitud de 1.7 km y una altura de 108 metros, mucho más altas que las cataratas del Niágara. Otras cataratas notables mencionadas son las cataratas Iguazú en la frontera entre Argentina y Brasil y las cataratas Ángel en Venezuela.

Educação a distância apresentação
Educação a distância apresentaçãoEducação a distância apresentação
Educação a distância apresentação

O documento discute a educação a distância no Brasil, abordando sua história, legislação e mitos versus verdades sobre a modalidade. Ele destaca que a educação a distância ampliou o acesso ao ensino público e gratuito, está regulamentada pela LDB desde 1996 e exige qualidade equivalente à educação presencial. Também esclarece que os mitos sobre ser fácil, ter menos exigência, maior evasão e isolamento dos alunos não são verdadeiros.

Teste ppt
Teste pptTeste ppt
Teste ppt

As Cataratas Victoria são uma queda d'água no rio Zambeze localizada na fronteira entre a Zambia e o Zimbabwe, medindo cerca de 1,7 km de largura e 108 m de altura. Foi declarada Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1989 e é uma das maiores atrações turísticas da África Austral.

Solução Técnica (TS)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Exploração de soluções  técnicas o mais cedo possível. Ex.: tecnologia, Arquitetura, reutilização, requisitos funcionais e não funcionais. É importante explicitar o custo x benefício  e outros raciocínios quando existem altos (DAR) Manuais de instalação, informações da release, logs de manutenção.
Verificação (VER) e Validação (VAL)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Com Envolvimento do PO, VER passa a ser VAL. (1/2) Um defeito detectado em um  Sprint  , tanto pelos testes do time ou pelo PO contribuem para o alcance do objetivo.  Algo mais sistemático deve ser estabelecido no início do projeto: o que vai ser revisto e testado, métodos e ambiente (Ex.: Integração Contínua). Garantir: Compatibilidade com a Solução e Requisitos e Consistência.
Verificação (VER) e Validação (VAL)  | © ProMove – Business Intelligence Solutions Exemplo: Integração Contínua
Relação MPS.BR e XP

Recomendado para você

I swhat pressclipping_tour2009
I swhat pressclipping_tour2009I swhat pressclipping_tour2009
I swhat pressclipping_tour2009

This document provides a review of a jazz concert recording featuring Archie Shepp performing with Napoleon Maddox. The recording from 2007 presents a special project where Shepp explores the historical and political relevance of rap music. Shepp is joined by Maddox, a talented rapper, and their performance also includes a radio edit of a song with a strong anti-George Bush message. The recording features excellent performances from all the musicians and captures Shepp's continued passion and ability to inspire other artists through collaborative projects later in his career.

Apresentação central2
Apresentação central2Apresentação central2
Apresentação central2

O documento descreve a Central de Atendimento da STI da UFF, que atende usuários dos sistemas desenvolvidos pela STI. A Central recebe demandas, soluciona problemas e encaminha questões, criando um canal de comunicação eficaz entre usuários e desenvolvedores. Análises mostraram que a Central solucionou imediatamente a maioria dos casos recebidos.

Agentes geológicos externos
Agentes geológicos externosAgentes geológicos externos
Agentes geológicos externos

ESTA PRESENTACIÓN TRATA SOBRE LOS AGENTES GEOLÓGICOS EXTERNOS COMO YA VEIS EN EL TITULO DE LA PRESENTACIÓN.

blogger
Auditoria independente (GQA) A periodicidade ideal é a cada três meses. Assegurar a objetividade das auditorias (GQA e GC) Avaliador independente do projeto. Nível de hierarquia adequado. Critérios de avaliação que garantam o entendimento comum. Papéis – Qualidade no Nível F
Scrum para Implantar Biblioteca de Ativos
Não  busque o processo perfeito . Comece com: Processo Iterativo com melhoria contínua Faça: Um  bom  planejamento inicial Um  excelente   backlog Uma  excelente  infraestrutura Uma equipe  comprometida  e  motivada Lições Aprendidas
 

Recomendado para você

Heyat_Terzi _Report (Fevral 2016)
Heyat_Terzi _Report (Fevral 2016)Heyat_Terzi _Report (Fevral 2016)
Heyat_Terzi _Report (Fevral 2016)

Bakı sakinlərin Həyat Tərzi

DECÁLOGO DEL ADVIENTO
DECÁLOGO DEL ADVIENTODECÁLOGO DEL ADVIENTO
DECÁLOGO DEL ADVIENTO

Este documento presenta un decálogo de consejos para el Adviento en tres oraciones: Reconoce tu debilidad y no te conformes con poco, lucha por crecer en deseo y amor; ten paciencia y no seas ansioso ya que la espera fortalece; mantén la fe y los sentidos alerta a la llegada de lo esperado.

Regalos De Dios
Regalos De DiosRegalos De Dios
Regalos De Dios

El documento agradece las cosas que nunca pidió pero que están a su alrededor, como los aromas, sonidos y colores de la naturaleza, la obra del hombre y el poder de Dios, y la armonía de los cinco sentidos y los cuatro elementos, además de experiencias como el monte, el árbol, la luz, la música y los mensajes ocultos de la naturaleza.

gratuidadregalodios
Contato  | © ProMove – Business Intelligence Solutions www.promovesolucoes.com [email_address] Tel/Fax: (21) 3283-8340

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho CMM
Trabalho CMMTrabalho CMM
Trabalho CMM
Paulo Steinhauser
 
Slide apresentação CMMI-TOGAF
Slide apresentação CMMI-TOGAFSlide apresentação CMMI-TOGAF
Slide apresentação CMMI-TOGAF
Edton Lemos
 
CMM e CMMI
CMM e CMMICMM e CMMI
CMM e CMMI
felipegaraujo
 
CMM e CMMI
CMM e CMMICMM e CMMI
CMMI 7
CMMI 7CMMI 7
CMMI 7
Aleh Santos
 
Msf microsoft solutions framework - Apresentação
Msf  microsoft solutions framework -  ApresentaçãoMsf  microsoft solutions framework -  Apresentação
Msf microsoft solutions framework - Apresentação
cesaraks
 
Visão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel
Visão Geral do CMMI - Por Henrique GabrielVisão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel
Visão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel
Henrique Gabriel
 
38484931 questionario-es
38484931 questionario-es38484931 questionario-es
38484931 questionario-es
Concurseiro Área de TI
 
Trabalho de CMMI
Trabalho de CMMITrabalho de CMMI
Trabalho de CMMI
Daniel Alves
 
Cmmi e mps.Br
Cmmi e mps.BrCmmi e mps.Br
Cmmi e mps.Br
Jefferson Bessa
 
GT5 - CMMI
GT5 - CMMIGT5 - CMMI
GT5 - CMMI
Manoel Mota
 
Adding value through Program Management
Adding value through Program ManagementAdding value through Program Management
Adding value through Program Management
Werther Krause
 
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...
CADWARE-TECHNOLOGY
 
ALM focado em resultados
ALM focado em resultadosALM focado em resultados
ALM focado em resultados
Cristiano Heringer
 
CMMI for Services, 4º Edição
CMMI for Services, 4º EdiçãoCMMI for Services, 4º Edição
CMMI for Services, 4º Edição
Alessandro Almeida
 
Cmmi apresentação
Cmmi apresentaçãoCmmi apresentação
Cmmi apresentação
Nilton Rodrigues Pereira
 
DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...
DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...
DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...
Diogo Rocha Ferreira de Menezes
 
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
Ivo M Michalick Vasconcelos, PMP, PMI-SP, CPCC
 
O que e cmm
O que e  cmmO que e  cmm
O que e cmm
Gustavo Oliveira
 
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Fernando Vargas
 

Mais procurados (20)

Trabalho CMM
Trabalho CMMTrabalho CMM
Trabalho CMM
 
Slide apresentação CMMI-TOGAF
Slide apresentação CMMI-TOGAFSlide apresentação CMMI-TOGAF
Slide apresentação CMMI-TOGAF
 
CMM e CMMI
CMM e CMMICMM e CMMI
CMM e CMMI
 
CMM e CMMI
CMM e CMMICMM e CMMI
CMM e CMMI
 
CMMI 7
CMMI 7CMMI 7
CMMI 7
 
Msf microsoft solutions framework - Apresentação
Msf  microsoft solutions framework -  ApresentaçãoMsf  microsoft solutions framework -  Apresentação
Msf microsoft solutions framework - Apresentação
 
Visão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel
Visão Geral do CMMI - Por Henrique GabrielVisão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel
Visão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel
 
38484931 questionario-es
38484931 questionario-es38484931 questionario-es
38484931 questionario-es
 
Trabalho de CMMI
Trabalho de CMMITrabalho de CMMI
Trabalho de CMMI
 
Cmmi e mps.Br
Cmmi e mps.BrCmmi e mps.Br
Cmmi e mps.Br
 
GT5 - CMMI
GT5 - CMMIGT5 - CMMI
GT5 - CMMI
 
Adding value through Program Management
Adding value through Program ManagementAdding value through Program Management
Adding value through Program Management
 
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...
 
ALM focado em resultados
ALM focado em resultadosALM focado em resultados
ALM focado em resultados
 
CMMI for Services, 4º Edição
CMMI for Services, 4º EdiçãoCMMI for Services, 4º Edição
CMMI for Services, 4º Edição
 
Cmmi apresentação
Cmmi apresentaçãoCmmi apresentação
Cmmi apresentação
 
DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...
DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...
DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...
 
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
 
O que e cmm
O que e  cmmO que e  cmm
O que e cmm
 
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
 

Destaque

Elevator pitch2
Elevator pitch2Elevator pitch2
Elevator pitch2
Ulrich J. Steinacker
 
Cataratas
CataratasCataratas
Educação a distância apresentação
Educação a distância apresentaçãoEducação a distância apresentação
Educação a distância apresentação
guicassoli
 
Teste ppt
Teste pptTeste ppt
Teste ppt
Otaviano Rocha
 
I swhat pressclipping_tour2009
I swhat pressclipping_tour2009I swhat pressclipping_tour2009
I swhat pressclipping_tour2009
lacandela
 
Apresentação central2
Apresentação central2Apresentação central2
Apresentação central2
Sti Uff
 
Agentes geológicos externos
Agentes geológicos externosAgentes geológicos externos
Agentes geológicos externos
rociofuenla
 
Heyat_Terzi _Report (Fevral 2016)
Heyat_Terzi _Report (Fevral 2016)Heyat_Terzi _Report (Fevral 2016)
Heyat_Terzi _Report (Fevral 2016)
Business Insight International Research Group
 
DECÁLOGO DEL ADVIENTO
DECÁLOGO DEL ADVIENTODECÁLOGO DEL ADVIENTO
Regalos De Dios
Regalos De DiosRegalos De Dios

Destaque (10)

Elevator pitch2
Elevator pitch2Elevator pitch2
Elevator pitch2
 
Cataratas
CataratasCataratas
Cataratas
 
Educação a distância apresentação
Educação a distância apresentaçãoEducação a distância apresentação
Educação a distância apresentação
 
Teste ppt
Teste pptTeste ppt
Teste ppt
 
I swhat pressclipping_tour2009
I swhat pressclipping_tour2009I swhat pressclipping_tour2009
I swhat pressclipping_tour2009
 
Apresentação central2
Apresentação central2Apresentação central2
Apresentação central2
 
Agentes geológicos externos
Agentes geológicos externosAgentes geológicos externos
Agentes geológicos externos
 
Heyat_Terzi _Report (Fevral 2016)
Heyat_Terzi _Report (Fevral 2016)Heyat_Terzi _Report (Fevral 2016)
Heyat_Terzi _Report (Fevral 2016)
 
DECÁLOGO DEL ADVIENTO
DECÁLOGO DEL ADVIENTODECÁLOGO DEL ADVIENTO
DECÁLOGO DEL ADVIENTO
 
Regalos De Dios
Regalos De DiosRegalos De Dios
Regalos De Dios
 

Semelhante a [Uff]qualidade agilidade

Introdução ao RUP
Introdução ao RUPIntrodução ao RUP
Introdução ao RUP
Rodrigo Gomes da Silva
 
1- Apresentacao Metodologia RCP
1- Apresentacao Metodologia RCP1- Apresentacao Metodologia RCP
1- Apresentacao Metodologia RCP
Frank Coelho
 
1 apresentacao metodologia rcp
1  apresentacao metodologia rcp1  apresentacao metodologia rcp
1 apresentacao metodologia rcp
Frank Coelho
 
Jucelir
JucelirJucelir
Jucelir
jucelir
 
Aula 3 - Engenharia de Software
Aula 3 - Engenharia de SoftwareAula 3 - Engenharia de Software
Aula 3 - Engenharia de Software
Rudson Kiyoshi Souza Carvalho
 
Metodologia MID-Start SCRUM em ERP
Metodologia MID-Start SCRUM em ERPMetodologia MID-Start SCRUM em ERP
Metodologia MID-Start SCRUM em ERP
Pedro Bergo
 
úLtimo dia
úLtimo diaúLtimo dia
úLtimo dia
Bruce Ds
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
Bruce Ds
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
Bruce Ds
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
Bruce Ds
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
Bruce Ds
 
WBMA2013 - Método Ágil para desenvolvimento de software confiável
WBMA2013 - Método Ágil para desenvolvimento de software confiávelWBMA2013 - Método Ágil para desenvolvimento de software confiável
WBMA2013 - Método Ágil para desenvolvimento de software confiável
Alan Braz
 
Planificação do Projeto de Software
Planificação do Projeto de SoftwarePlanificação do Projeto de Software
Planificação do Projeto de Software
Rogerio P C do Nascimento
 
Gerenciamento de projetos de TI
Gerenciamento de projetos de TIGerenciamento de projetos de TI
Gerenciamento de projetos de TI
Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ)
 
Gestão de Projetos Hibrida
Gestão de Projetos HibridaGestão de Projetos Hibrida
Gestão de Projetos Hibrida
Aragon Vieira
 
Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)
Carlos Henrique Martins da Silva
 
Projeto Imperatriz - Levantamento Fotogramétrico
Projeto Imperatriz - Levantamento FotogramétricoProjeto Imperatriz - Levantamento Fotogramétrico
Projeto Imperatriz - Levantamento Fotogramétrico
Marco Coghi
 
Projeto Integração
Projeto IntegraçãoProjeto Integração
Projeto Integração
Marco Coghi
 
Artigo
ArtigoArtigo
Artigo asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...
Artigo   asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...Artigo   asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...
Artigo asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...
Garage Criativa | Garage Hub
 

Semelhante a [Uff]qualidade agilidade (20)

Introdução ao RUP
Introdução ao RUPIntrodução ao RUP
Introdução ao RUP
 
1- Apresentacao Metodologia RCP
1- Apresentacao Metodologia RCP1- Apresentacao Metodologia RCP
1- Apresentacao Metodologia RCP
 
1 apresentacao metodologia rcp
1  apresentacao metodologia rcp1  apresentacao metodologia rcp
1 apresentacao metodologia rcp
 
Jucelir
JucelirJucelir
Jucelir
 
Aula 3 - Engenharia de Software
Aula 3 - Engenharia de SoftwareAula 3 - Engenharia de Software
Aula 3 - Engenharia de Software
 
Metodologia MID-Start SCRUM em ERP
Metodologia MID-Start SCRUM em ERPMetodologia MID-Start SCRUM em ERP
Metodologia MID-Start SCRUM em ERP
 
úLtimo dia
úLtimo diaúLtimo dia
úLtimo dia
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
 
WBMA2013 - Método Ágil para desenvolvimento de software confiável
WBMA2013 - Método Ágil para desenvolvimento de software confiávelWBMA2013 - Método Ágil para desenvolvimento de software confiável
WBMA2013 - Método Ágil para desenvolvimento de software confiável
 
Planificação do Projeto de Software
Planificação do Projeto de SoftwarePlanificação do Projeto de Software
Planificação do Projeto de Software
 
Gerenciamento de projetos de TI
Gerenciamento de projetos de TIGerenciamento de projetos de TI
Gerenciamento de projetos de TI
 
Gestão de Projetos Hibrida
Gestão de Projetos HibridaGestão de Projetos Hibrida
Gestão de Projetos Hibrida
 
Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)
 
Projeto Imperatriz - Levantamento Fotogramétrico
Projeto Imperatriz - Levantamento FotogramétricoProjeto Imperatriz - Levantamento Fotogramétrico
Projeto Imperatriz - Levantamento Fotogramétrico
 
Projeto Integração
Projeto IntegraçãoProjeto Integração
Projeto Integração
 
Artigo
ArtigoArtigo
Artigo
 
Artigo asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...
Artigo   asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...Artigo   asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...
Artigo asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...
 

Mais de Sti Uff

Apresentação equipe 6 - UFF Caronas
Apresentação equipe 6 - UFF CaronasApresentação equipe 6 - UFF Caronas
Apresentação equipe 6 - UFF Caronas
Sti Uff
 
Apresentação equipe 1 - uff@
Apresentação equipe 1 - uff@Apresentação equipe 1 - uff@
Apresentação equipe 1 - uff@
Sti Uff
 
UFF Tech 2013 - Big Data - Rafael Borges EMC
UFF Tech 2013 - Big Data - Rafael Borges EMCUFF Tech 2013 - Big Data - Rafael Borges EMC
UFF Tech 2013 - Big Data - Rafael Borges EMC
Sti Uff
 
UFF Tech 2013 - Segurança no Cloud - Álvaro Teófilo, Produban (Banco Santander)
UFF Tech 2013 - Segurança no Cloud -  Álvaro Teófilo, Produban (Banco Santander)UFF Tech 2013 - Segurança no Cloud -  Álvaro Teófilo, Produban (Banco Santander)
UFF Tech 2013 - Segurança no Cloud - Álvaro Teófilo, Produban (Banco Santander)
Sti Uff
 
UFF Tech 2013 - Segurança na Cloud- Jorge Viana, Crowe Horwath Bendoraytes
UFF Tech 2013 - Segurança na Cloud- Jorge Viana, Crowe Horwath BendoraytesUFF Tech 2013 - Segurança na Cloud- Jorge Viana, Crowe Horwath Bendoraytes
UFF Tech 2013 - Segurança na Cloud- Jorge Viana, Crowe Horwath Bendoraytes
Sti Uff
 
UFF Tech 2013 - Apresentação do Parque Tecnológico da UFF
UFF Tech 2013 - Apresentação do Parque Tecnológico da UFF UFF Tech 2013 - Apresentação do Parque Tecnológico da UFF
UFF Tech 2013 - Apresentação do Parque Tecnológico da UFF
Sti Uff
 
UFF Tech 2013 - NFC e o futuro da convergência - NXP
UFF Tech 2013 - NFC e o futuro da convergência - NXP UFF Tech 2013 - NFC e o futuro da convergência - NXP
UFF Tech 2013 - NFC e o futuro da convergência - NXP
Sti Uff
 
UFF Tech 2013 - RioCard e NFC: uma convergência possível - RioCard TI
UFF Tech 2013 - RioCard e NFC: uma convergência possível - RioCard TIUFF Tech 2013 - RioCard e NFC: uma convergência possível - RioCard TI
UFF Tech 2013 - RioCard e NFC: uma convergência possível - RioCard TI
Sti Uff
 
UFF Tech 2013 - Lançamento do aplicativo BusUFF - Thiago Nazareth de Oliveira
UFF Tech 2013 -  Lançamento do aplicativo BusUFF - Thiago Nazareth de OliveiraUFF Tech 2013 -  Lançamento do aplicativo BusUFF - Thiago Nazareth de Oliveira
UFF Tech 2013 - Lançamento do aplicativo BusUFF - Thiago Nazareth de Oliveira
Sti Uff
 
UFF Tech 2013 - Case Copa das Confederações - IBM
UFF Tech 2013 - Case Copa das Confederações - IBMUFF Tech 2013 - Case Copa das Confederações - IBM
UFF Tech 2013 - Case Copa das Confederações - IBM
Sti Uff
 
UFF Tech 2013 - Qualidade: Requisito de Software ou Premissa Pessoal - Bruno ...
UFF Tech 2013 - Qualidade: Requisito de Software ou Premissa Pessoal - Bruno ...UFF Tech 2013 - Qualidade: Requisito de Software ou Premissa Pessoal - Bruno ...
UFF Tech 2013 - Qualidade: Requisito de Software ou Premissa Pessoal - Bruno ...
Sti Uff
 
UFF Tech 2013 - Qualidade, Cloud Computing e Mobilidade - Analia Irigoyen - P...
UFF Tech 2013 - Qualidade, Cloud Computing e Mobilidade - Analia Irigoyen - P...UFF Tech 2013 - Qualidade, Cloud Computing e Mobilidade - Analia Irigoyen - P...
UFF Tech 2013 - Qualidade, Cloud Computing e Mobilidade - Analia Irigoyen - P...
Sti Uff
 
UFF Tech 2013 - Amazon AWS - Scalability, Performance and Security in the Cloud
UFF Tech 2013 - Amazon AWS - Scalability, Performance and Security in the CloudUFF Tech 2013 - Amazon AWS - Scalability, Performance and Security in the Cloud
UFF Tech 2013 - Amazon AWS - Scalability, Performance and Security in the Cloud
Sti Uff
 
UFF Tech 2013 - Benefícios e Desafios do Continuous Delivery - Daniel Castel...
 UFF Tech 2013 - Benefícios e Desafios do Continuous Delivery - Daniel Castel... UFF Tech 2013 - Benefícios e Desafios do Continuous Delivery - Daniel Castel...
UFF Tech 2013 - Benefícios e Desafios do Continuous Delivery - Daniel Castel...
Sti Uff
 
Apresentação computação 2013_1
Apresentação computação 2013_1Apresentação computação 2013_1
Apresentação computação 2013_1
Sti Uff
 
Gerenciamento de projetos
Gerenciamento de projetosGerenciamento de projetos
Gerenciamento de projetos
Sti Uff
 
Apresentação UFF Mobile
Apresentação UFF MobileApresentação UFF Mobile
Apresentação UFF Mobile
Sti Uff
 
Apresentação Carteirinha UFF
Apresentação Carteirinha UFFApresentação Carteirinha UFF
Apresentação Carteirinha UFF
Sti Uff
 
STI/UFF - Modelo de Gestão
STI/UFF - Modelo de GestãoSTI/UFF - Modelo de Gestão
STI/UFF - Modelo de Gestão
Sti Uff
 
Apresentacao pdi sti-v1
Apresentacao pdi sti-v1Apresentacao pdi sti-v1
Apresentacao pdi sti-v1
Sti Uff
 

Mais de Sti Uff (20)

Apresentação equipe 6 - UFF Caronas
Apresentação equipe 6 - UFF CaronasApresentação equipe 6 - UFF Caronas
Apresentação equipe 6 - UFF Caronas
 
Apresentação equipe 1 - uff@
Apresentação equipe 1 - uff@Apresentação equipe 1 - uff@
Apresentação equipe 1 - uff@
 
UFF Tech 2013 - Big Data - Rafael Borges EMC
UFF Tech 2013 - Big Data - Rafael Borges EMCUFF Tech 2013 - Big Data - Rafael Borges EMC
UFF Tech 2013 - Big Data - Rafael Borges EMC
 
UFF Tech 2013 - Segurança no Cloud - Álvaro Teófilo, Produban (Banco Santander)
UFF Tech 2013 - Segurança no Cloud -  Álvaro Teófilo, Produban (Banco Santander)UFF Tech 2013 - Segurança no Cloud -  Álvaro Teófilo, Produban (Banco Santander)
UFF Tech 2013 - Segurança no Cloud - Álvaro Teófilo, Produban (Banco Santander)
 
UFF Tech 2013 - Segurança na Cloud- Jorge Viana, Crowe Horwath Bendoraytes
UFF Tech 2013 - Segurança na Cloud- Jorge Viana, Crowe Horwath BendoraytesUFF Tech 2013 - Segurança na Cloud- Jorge Viana, Crowe Horwath Bendoraytes
UFF Tech 2013 - Segurança na Cloud- Jorge Viana, Crowe Horwath Bendoraytes
 
UFF Tech 2013 - Apresentação do Parque Tecnológico da UFF
UFF Tech 2013 - Apresentação do Parque Tecnológico da UFF UFF Tech 2013 - Apresentação do Parque Tecnológico da UFF
UFF Tech 2013 - Apresentação do Parque Tecnológico da UFF
 
UFF Tech 2013 - NFC e o futuro da convergência - NXP
UFF Tech 2013 - NFC e o futuro da convergência - NXP UFF Tech 2013 - NFC e o futuro da convergência - NXP
UFF Tech 2013 - NFC e o futuro da convergência - NXP
 
UFF Tech 2013 - RioCard e NFC: uma convergência possível - RioCard TI
UFF Tech 2013 - RioCard e NFC: uma convergência possível - RioCard TIUFF Tech 2013 - RioCard e NFC: uma convergência possível - RioCard TI
UFF Tech 2013 - RioCard e NFC: uma convergência possível - RioCard TI
 
UFF Tech 2013 - Lançamento do aplicativo BusUFF - Thiago Nazareth de Oliveira
UFF Tech 2013 -  Lançamento do aplicativo BusUFF - Thiago Nazareth de OliveiraUFF Tech 2013 -  Lançamento do aplicativo BusUFF - Thiago Nazareth de Oliveira
UFF Tech 2013 - Lançamento do aplicativo BusUFF - Thiago Nazareth de Oliveira
 
UFF Tech 2013 - Case Copa das Confederações - IBM
UFF Tech 2013 - Case Copa das Confederações - IBMUFF Tech 2013 - Case Copa das Confederações - IBM
UFF Tech 2013 - Case Copa das Confederações - IBM
 
UFF Tech 2013 - Qualidade: Requisito de Software ou Premissa Pessoal - Bruno ...
UFF Tech 2013 - Qualidade: Requisito de Software ou Premissa Pessoal - Bruno ...UFF Tech 2013 - Qualidade: Requisito de Software ou Premissa Pessoal - Bruno ...
UFF Tech 2013 - Qualidade: Requisito de Software ou Premissa Pessoal - Bruno ...
 
UFF Tech 2013 - Qualidade, Cloud Computing e Mobilidade - Analia Irigoyen - P...
UFF Tech 2013 - Qualidade, Cloud Computing e Mobilidade - Analia Irigoyen - P...UFF Tech 2013 - Qualidade, Cloud Computing e Mobilidade - Analia Irigoyen - P...
UFF Tech 2013 - Qualidade, Cloud Computing e Mobilidade - Analia Irigoyen - P...
 
UFF Tech 2013 - Amazon AWS - Scalability, Performance and Security in the Cloud
UFF Tech 2013 - Amazon AWS - Scalability, Performance and Security in the CloudUFF Tech 2013 - Amazon AWS - Scalability, Performance and Security in the Cloud
UFF Tech 2013 - Amazon AWS - Scalability, Performance and Security in the Cloud
 
UFF Tech 2013 - Benefícios e Desafios do Continuous Delivery - Daniel Castel...
 UFF Tech 2013 - Benefícios e Desafios do Continuous Delivery - Daniel Castel... UFF Tech 2013 - Benefícios e Desafios do Continuous Delivery - Daniel Castel...
UFF Tech 2013 - Benefícios e Desafios do Continuous Delivery - Daniel Castel...
 
Apresentação computação 2013_1
Apresentação computação 2013_1Apresentação computação 2013_1
Apresentação computação 2013_1
 
Gerenciamento de projetos
Gerenciamento de projetosGerenciamento de projetos
Gerenciamento de projetos
 
Apresentação UFF Mobile
Apresentação UFF MobileApresentação UFF Mobile
Apresentação UFF Mobile
 
Apresentação Carteirinha UFF
Apresentação Carteirinha UFFApresentação Carteirinha UFF
Apresentação Carteirinha UFF
 
STI/UFF - Modelo de Gestão
STI/UFF - Modelo de GestãoSTI/UFF - Modelo de Gestão
STI/UFF - Modelo de Gestão
 
Apresentacao pdi sti-v1
Apresentacao pdi sti-v1Apresentacao pdi sti-v1
Apresentacao pdi sti-v1
 

[Uff]qualidade agilidade

  • 1. Qualidade e Agilidade [email_address]
  • 2. Sócia-Diretora da ProMove Mestre em Eng. de Sistemas e Computação pela UFRJ (2009), Pós-graduação em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas PUC (1999) e graduado em Informática pela UFF (1996). Implementadora credenciada do modelo MPS, participou em implementações dos modelos CMMI e MPS. Avaliadora líder inicial credenciado do modelo MPS. Mais de 10 anos de experiência em Gerência de Projetos, certificada Scrum-Master e PMP. Analia Irigoyen Ferreiro Ferreira | © ProMove – Business Intelligence Solutions
  • 3. Grupos de processo de organizações que adotaram os modelos CMMI ou MPS e querem adotar práticas ágeis . Empresas que tenham interesse em realizar avaliações no CMMI com práticas ágeis nos próximos anos. Implementadores que desejam compreender o que o CMMI na versão 1.3 discute sobre a Agilidade. Público Alvo | © ProMove – Business Intelligence Solutions
  • 4. “ Use professional judgment and common sense to interpret the model for your organization. That is, although the process areas described in this model depict behaviors considered best practices for most users, process areas and practices should be interpreted using an in-depth knowledge of CMMI-DEV, your organizational constraints, and your business environment.” Qual o julgamento profissional e senso comum em organizações que adotam métodos ágeis? Para Refletir ... | © ProMove – Business Intelligence Solutions
  • 5. CMMI or Agile: Why Not Embrace Both! [Glazer 2008]. CMMi não diz como implementar as práticas. CMMi V1.3: notas auxiliam na interpretação. CMMi - Versão 1.3 e Agilidade
  • 6. Lista de pré-requisitos do CMMi V1.3 Aderente Manifesto for Agile Development [Beck 2001]. Envolvimento do PO
  • 7. Lista de pré-requisitos do CMMi V1.3 Aderente Manifesto for Agile Development [Beck 2001]. Múltiplas interações para conhecer e evoluir o produto
  • 8. Lista de pré-requisitos do CMMi V1.3 Aderente Manifesto for Agile Development [Beck 2001]. Cliente comprometido em compartilhar decisões e riscos
  • 9. Agilidade | © ProMove – Business Intelligence Solutions
  • 10. Agilidade x SCRUM SCRUM é uma pequena parte do mundo ágil 
  • 12. Notas do CMMI Versão 1.3 sobre agilidade | © ProMove – Business Intelligence Solutions 5 Causal Analysis and Resolution (CAR) Organizational Performance Management (OPM) 4 Organizational Process Performance (OPP) Quantitative Project Management (QPM) 3 Decision Analysis and Resolution (DAR) Integrated Project Management (IPM) Organizational Process Definition (OPD) Organizational Process Focus (OPF) Organizational Training (OT) Risk Management (RSKM) Product Integration (PI) Requirements Development (RD) Technical Solution (TS) Validation (VAL) Verification (VER) 2 Configuration Management (CM) Measurement and Analysis (MA) Project Monitoring and Control (PMC) Project Planning (PP) Process and Product Quality Assurance (PPQA) Requirements Management (REQM) Supplier Agreement Management (SAM)
  • 13. Gerência de Configuração (CM) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Responsável por GC no Time: Garantindo que Estratégia de GC seja cumprida Estratégia de GC+ Complexa
  • 14. Integração do Produto (PI) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Integração Contínua
  • 15. Integração do Produto (PI) | © ProMove – Business Intelligence Solutions A Estratégia de Integração Contínua deve (1/2): Ser elaborada no início do projeto e revista para refletir a evolução dos componentes existentes e os novos. 2) Conter regras para incorporar produtos de terceiros. 3) Como será a solução para as interface entre as aplicações. 4) Informações enviadas e recebidas
  • 16. Integração do Produto (PI) | © ProMove – Business Intelligence Solutions A Estratégia de Integração Contínua deve (2/2): 5) Quando realizar refactoring.
  • 17. Monitoração e Controle (PMC) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Monitoração do envolvimento dos Stakeholders - É crucial garantir que o PO e os usuários finais estejam envolvidos nas atividades de desenvolvimento.
  • 18. Planejamento do Projeto (PP) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Por desconhecimento do todo (o software é evoluído conforme o conhecimento adquirido) (1/3): Planejamento inicial de Alto Nível. -> Os maiores riscos e marcos são conhecidos. -> Restrições e premissas também são conhecidas. 2) O time faz o planejamento/Replanejamento mais frequentes e com maiores detalhes.
  • 19. Planejamento do Projeto (PP) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Por desconhecimento do todo (o software é evoluído conforme o conhecimento adquirido) (2/3): -> Refletem como realizar uma iteração e o perfil do time envolvido e alguns fatores como: esforço, recursos e riscos. -> O planejamento é revisado/refinado durante as reuniões diárias e ao final das iterações. -> O comprometimento é obtido ao “pegar a tarefa” (time, durante o sprint)
  • 20. Planejamento do Projeto (PP) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Por desconhecimento do todo (o software é evoluído conforme o conhecimento adquirido) (3/3): 3) Estimativas -> Estórias são elaboradas ou estimadas e as iterações são realizadas por meio de um conjunto de tarefas. -> Sprint Backlog é derivado de um Product Backlog.
  • 21. Garantia da Qualidade (PPQA) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Times ágeis estão resolvendo necessidades imediatas da iteração! Planejar no início do projeto: como as avaliações objetivas serão realizadas para garantir objetivos organizacionais. Que processos e produtos serão avaliados; Como o resultado das avaliações serão incorporados ao time (parte do daily meeting , checklists , peer reviews , tools , integração contínua , restrospectivas )
  • 22. Gerência de Projeto Quantitativa (QPM) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Exemplos de objetivos de desempenho dos processos: Aumentar a velocidade do time em X % em Y meses ou anos.
  • 23. Desenvolvimento de Requisitos (RD) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Requisitos e idéias são elicitados, desenvolvidos , elaborados e validados de forma iterativa (1/2). São documentados em: User Stories, Cenários, Casos de Uso, Product Backlogs, Código. A priorização dos requisitos e análise dos riscos é realizada ao selecionar o “Sprint Backlog“ do “Product Backlog”.
  • 24. Desenvolvimento de Requisitos (RD) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Requisitos e idéias são elicitados, desenvolvidos , elaborados e validados de forma iterativa (2/2). Quanto de detalhes dos requisitos a ser documentado é decidido pelo risco de perder o que foi aprendido. Quando o PO está no time, é necessário separar requisitos do cliente de requisitos do produto. Todas as tarefas e responsabilidades são distribuídas entre os times e a rastreabilidade é feita por meio do “Product Backlog”.
  • 25. Gerência de Requisitos (REQM) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Requisitos são comunicados através dos quadros e comprometimentos são obtidos /revistos nas reuniões de planejamento e revisões (daily meeting,..) (1/3):
  • 26. Gerência de Requisitos (REQM) | © ProMove – Business Intelligence Solutions 2) Rastreabilidade (2/3) Product Backlog Sprint Backlog Tarefas Código
  • 27. Gerência de Requisitos (REQM) | © ProMove – Business Intelligence Solutions 3) Análise das Inconsistências (3/3) Reuniões de Início de Sprint (SP 1), Retrospectiva e Review (Demo)
  • 28. Gerência de Riscos (RISKM) | © ProMove – Business Intelligence Solutions A estratégia de riscos está “embutida” na própria metodologia ágil. Algumas técnicas de mitigação de riscos podem ser adotadas, como: experimentação ( early failures ) ou spike (fora da iteração). Só que é necessário algo mais sistemático: Planejamento, Estimativa e Aceite as tarefas.
  • 29. Solução Técnica (TS) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Exploração de soluções técnicas o mais cedo possível. Ex.: tecnologia, Arquitetura, reutilização, requisitos funcionais e não funcionais. É importante explicitar o custo x benefício e outros raciocínios quando existem altos (DAR) Manuais de instalação, informações da release, logs de manutenção.
  • 30. Verificação (VER) e Validação (VAL) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Com Envolvimento do PO, VER passa a ser VAL. (1/2) Um defeito detectado em um Sprint , tanto pelos testes do time ou pelo PO contribuem para o alcance do objetivo. Algo mais sistemático deve ser estabelecido no início do projeto: o que vai ser revisto e testado, métodos e ambiente (Ex.: Integração Contínua). Garantir: Compatibilidade com a Solução e Requisitos e Consistência.
  • 31. Verificação (VER) e Validação (VAL) | © ProMove – Business Intelligence Solutions Exemplo: Integração Contínua
  • 33. Auditoria independente (GQA) A periodicidade ideal é a cada três meses. Assegurar a objetividade das auditorias (GQA e GC) Avaliador independente do projeto. Nível de hierarquia adequado. Critérios de avaliação que garantam o entendimento comum. Papéis – Qualidade no Nível F
  • 34. Scrum para Implantar Biblioteca de Ativos
  • 35. Não busque o processo perfeito . Comece com: Processo Iterativo com melhoria contínua Faça: Um bom planejamento inicial Um excelente backlog Uma excelente infraestrutura Uma equipe comprometida e motivada Lições Aprendidas
  • 36.  
  • 37. Contato | © ProMove – Business Intelligence Solutions www.promovesolucoes.com [email_address] Tel/Fax: (21) 3283-8340