SlideShare uma empresa Scribd logo
TUBERCULOSETUBERCULOSETUBERCULOSETUBERCULOSE
INSTITUIÇÃO:INSTITUIÇÃO: ESCOLa TéCNICa Em ENfERmagEm aNa NERyESCOLa TéCNICa Em ENfERmagEm aNa NERy
CURSO:CURSO: TéCNICO Em ENfERmagEmTéCNICO Em ENfERmagEm
DISCIPLINa:DISCIPLINa: SaÚDE PÚBLICaSaÚDE PÚBLICa
DOCENTE:DOCENTE: mayaRa LOIOLamayaRa LOIOLa
DISCENTE:DISCENTE: maRaILza aNDRaDE LImamaRaILza aNDRaDE LIma
HHISTÓRIa DaISTÓRIa Da TTUBERCULOSEUBERCULOSEHHISTÓRIa DaISTÓRIa Da TTUBERCULOSEUBERCULOSE
a TUBERCULOSE ERa CHamaDa aNTIgamENTE
DE “PESTE CINzENTa“,“PESTE CINzENTa“, é CONHECIDa TamBém Em
PORTUgUêS COmO “TíSICa PULmONaR“ OU
“DOENÇa DO PEITO“.
é Uma DaS DOENÇaS INfECTO-CONTagIOSaS
DOCUmENTaDaS DESDE a maIS LONga DaTa E
qUE CONTINUa a afLIgIR a HUmaNIDaDE NOS
DIaS aTUaIS, TRaNSmITIDa PELO
myCOBaCTERIUm TUBERCULOSIS, O BaCILO DE
KOCH, é PROvavELmENTE a DOENÇa INfECTO-
CONTagIOSa qUE maIS OCaSIONa mORTES NO
BRaSIL.
O BRaSIL é Um DOS 22 PaíSES PRIORIzaDOS
PELa OmS, qUE REPRESENTam 80% Da CaRga
mUNDIaL DE TB.
qqUaIS aSUaIS aS CCaUSaS DaaUSaS Da TTUBERCULOSEUBERCULOSEqqUaIS aSUaIS aS CCaUSaS DaaUSaS Da TTUBERCULOSEUBERCULOSE??
é CaUSaDa POR Uma ESPéCIE DE BaCTéRIa PaTOgêNICa, a myCROBaCTERIUm
TUBERCULOSIS, TamBém CHamaDa DE BaCILO DE KOCH, NOmE DaDO Em HOmENagEm aO
SEU DESCOBRIDOR ROBERT KOCH.
é CaUSaDa POR Uma INfECÇÃO NO HOmEm E Em OUTROS aNImaIS POR DIfERENTES
ESPéCIES DO gêNERO myCOBaCTERIUm. a ESPéCIE qUE maIS TRaNSmITE aO HOmEm é O
myCOBaCTERIUm TUBERCULOSIS, EmBORa OUTRaS ESPéCIES TamBém POSSam O fazER,
COmO myCOBaCTERIUm BOvIS, afRICaNUm E mICROTI.
myCOBaCTERIUm
BOvIS
BaCTéRIa RESPONSávEL PELa
TRaNSmISSÃO Da TUBERCULOSE
ENTRE BOvINOS E Em mENOR
gRaU a OUTROS mamIfEROS
INCLUSIvE aO HOmEm.
myCOBaCTERIUm
afRICaNUm
Uma ESPéCIE DO gêNERO
myCOBaCTERIUm, COm maIOR
INCIDêNCIa Em PaíSES Da áfRICa
OCIDENTaL. OS SINTOmaS
CaUSaDOS POR SUa INfECÇÃO
aSSEmELHam-SE aOS DE m.
TUBERCULOSIS.
myCOBaCTERIUm
mICROTI
INfECTa ROEDORES, SENDO
NORmaLmENTE ISOLaDO Em
mUSaRaNHOS PERTENCENTES aO
géNERO mICROTUS, PODENDO
TamBém CaUSaR DOENÇa Em
HUmaNOS ImUNOCOmPROmETIDOS.
CCOmO OCORRE aOmO OCORRE a TTRaNSmISSÃO DaRaNSmISSÃO Da TTUBERCULOSEUBERCULOSECCOmO OCORRE aOmO OCORRE a TTRaNSmISSÃO DaRaNSmISSÃO Da TTUBERCULOSEUBERCULOSE??
SUa INfECÇÃO OCORRE a PaRTIR Da
INaLaÇÃO DE gOTíCULaS CONTENDO BaCILOS
ExPELIDOS PELa TOSSE, faLa OU ESPIRRO DO
DOENTE COm TUBERCULOSE aTIva DE vIaS
RESPIRaTÓRIaS.
a TUBERCULOSE é TRaNSmITIDa DE PESSOa
a PESSOa aTRavéS DO aR, SENDO aSSIm SEU
mODO DE TRaNSmISSÃO SE Dá POR vIa aéREa
Em PRaTICamENTE a TOTaLIDaDE DOS
CaSOS.
=qUEm RESPIRa NO mESmO LOCaL ONDE
PaSSOU OU ESTá Um TUBERCULOSO, PODE SE
INfECTaR;
=amBIENTES fECHaDOS E POUCO vENTILaDOS
TamBém favORECEm O CONTágIO;
= aS PESSOaS INfECTaDaS E qUE NÃO ESTÃO
DOENTES NÃO TRaNSmITEm O BaCILO.
fORmaS DE INfECÇÃO Da DOENÇa:fORmaS DE INfECÇÃO Da DOENÇa:fORmaS DE INfECÇÃO Da DOENÇa:fORmaS DE INfECÇÃO Da DOENÇa:
a aPRESENTaÇÃO Da TUBERCULOSE Na fORma PULmONaR, aLém DE SER maIS
fREqUENTE, é TamBém a maIS RELEvaNTE PaRa a SaÚDE PÚBLICa, POIS é a
fORma PULmONaR BaCILífERa, a RESPONSávEL PELa maNUTENÇÃO Da CaDEIa
DE TRaNSmISSÃO Da DOENÇa.
TUBERCULOSE PULmONaRTUBERCULOSE PULmONaR
COmO O BaCILO DESTRÓI a ESTRUTURa
aLvEOLaR, fORmam-SE CavERNaS NO
TECIDO PULmONaR E vaSOS SaNgUíNEOS
E PODEm ROmPER-SE. POR ISSO, Na
TUBERCULOSE PULmONaR, é fREqUENTE
a PRESENÇa DE TOSSE COm ELImINaÇÃO
DE CaTaRRO, mUCO E SaNgUE.
TUBERCULOSE ExTRa-PULmONaRTUBERCULOSE ExTRa-PULmONaR
aLém DOS PULmõES, a DOENÇa PODE aCOmETER ÓRgÃOS COmO RINS, OSSOS, mENINgES, ETC.
a TUBERCULOSE ExTRaPULmONaR é aqUELa CaUSaDa PELO BaCILO DE KOCH qUE INSTaLa-SE
fORa DO PULmÃO, OS SINTOmaS INCLUI OS mESmOS Da TUBERCULOSE PULmONaR, maS SEm aS
maNIfESTaÇõES RESPIRaTÓRIaS.
aBaIxO vEjamOS aLgUNS ExEmPLOS:
TUBERCULOSE vERTEBRaL
TUBERCULOSE NaS mENINgES
TUBERCULOSE RENaL TUBERCULOSE PLEURaL
TUBERCULOSE gaNgLIONaR
DIagNÓSTICODIagNÓSTICODIagNÓSTICODIagNÓSTICO
PaRa SE CERTIfICaR qUE O PaCIENTE aPRESENTa SINTOmaS DE TUBERCULOSE E REaLmENTE
ESTá COm a DOENÇa, SÃO REaLIzaDOS DIvERSOS TESTES, COmO:
RaDIOgRafIaS PULmONaRES;
TESTE DE PELE. BRONCOSCOPIa;
aNáLISE E CULTURa DaS BaCTéRIaS
PRESENTES Em Uma amOSTRa DO
ESCaRRO; TESTE SaNgUíNEO PaRa TUBERCULOSE;
SINaIS E SINTOmaSSINaIS E SINTOmaSSINaIS E SINTOmaSSINaIS E SINTOmaS
aLgUNS PaCIENTES PODEm NÃO aPRESENTaR OS SINTOmaS OU ESTES PODEm SER IgNORaDOS POR
SEREm PaRECIDOS COm OS DE Uma gRIPE.
TOSSE POR maIS DE DUaS SEmaNaS, PRODUÇÃO DE CaTaRRO, fEBRE, SUDORESE, CaNSaÇO, DOR NO
PEITO, faLTa DE aPETITE E EmagRECImENTO SÃO OS PRINCIPaIS SINTOmaS Da TUBERCULOSE.
NOS CaSOS maIS avaNÇaDOS, PODE aPaRECER ESCaRRO COm SaNgUE. PESSOaS COm ESSES
SINTOmaS aSSOCIaDOS OU ISOLaDamENTE DEvEm PROCURaR Um POSTO DE SaÚDE O maIS RáPIDO
POSSívEL, POIS O TRaTamENTO é gRaTUITO E DEvE SER INICIaDO ImEDIaTamENTE.
TRaTamENTOTRaTamENTOTRaTamENTOTRaTamENTO
O TRaTamENTO é fEITO COm TRêS DROgaS DIfERENTES: PIRazINamIDa, ISONIazIDa E
RIfamICINa. DURaNTE DOIS mESES, O PaCIENTE TOma OS TRêS mEDICamENTOS E, a PaRTIR DO
TERCEIRO mêS, TOma SÓ ISONIazIDa E RIfamPICINa.
TRaTamENTOS aLTERNaTIvOS SÃO EmPREgaDOS a DEPENDER Da aPRESENTaÇÃO CLíNICa,
SENSIBILIDaDE DO BaCILO, SEmPRE a CRITéRIO méDICO.
é fUNDamENTaL SEgUIR à RISCa O
TRaTamENTO;
O gRaNDE PROBLEma DO CONTROLE Da
TUBERCULOSE é O aBaNDONO aNTES DO fINaL
DOS 6 mESES. COmO OS SINTOmaS mELHORam Em
POUCO TEmPO E OS EfEITOS COLaTERaIS SÃO
COmUNS, mUITOS PaCIENTES NÃO COmPLETam O
TEmPO TOTaL DE TRaTamENTO, favORECENDO O
SURgImENTO DE CEPaS mULTI-RESISTENTES DO
BaCILO DE KOCH.
(DR. DRáUzIO vaRELLa).
24 DE maRÇO24 DE maRÇO
DIa mUNDIa DEDIa mUNDIa DE
COmBaTE áCOmBaTE á
TUBERCULOSETUBERCULOSE
PREvENÇÃOPREvENÇÃOPREvENÇÃOPREvENÇÃO
PRINCIPaIS mEDIDaS PROfILáTICaS:
-ExISTE Uma vaCINa CHamaDa DE BCg, qUE faz PaRTE DO CaLENDáRIO NaCIONaL. é
aDmINISTRaDa qUaNDO CRIaNÇa E SERvE PaRa PREvENIR aS fORmaS maIS gRavES Da DOENÇa,
COmO a TUBERCULOSE DISSEmINaDa E a mENINgITE TUBERCULOSa.
-OUTRa fORma PaRa EvITaR SUa CONTamINaÇÃO Em maIOR ESCaLa, é a mELHORaIa DaS
CONDIÇõES DE vIDa Da POPULaÇÃO, COmO O TRaTamENTO E ORIENTaÇÃO aOS ENfERmOS.
O qUE é BCg?
BCg(BaCILLUS CaLmETTE-gUéRIN) é
Uma vaCINa fREqUENTEmENTE
aDmINISTRaDa PaRa PREvENÇÃO Da
TUBERCULOSE, OBTIDa PELa
PREPaRaÇÃO Da BaCTéRIa
myCOBaCTERIUm BOvIS Em ESTaDO
aTENUaDO.
a vaCINa BCgBCg DEvE SER
aDmINISTRaDa Em TODOS OS RECém-
NaSCIDOS.
ExERCíCIO DE fIxaÇÃOExERCíCIO DE fIxaÇÃOExERCíCIO DE fIxaÇÃOExERCíCIO DE fIxaÇÃO
1= DEfINa TUBERCULOSE:
é Uma DaS DOENÇaS INfECTO-CONTagIOSa CaUSaDa POR Uma INfECÇÃO NO HOmEm E Em OUTROS aNI-
maIS POR DIfERENTES ESPéCIES DO gêNERO myCROBaCTERIUm.
2= LIgUE OS NOmES aBaIxO aOS SEUS RESPECTIvOS CINCEITOS:
I- myCROBaCTERIUm afRICaNUm.
II- myCROBaCTERIUm BOvIS.
III- myCROBaCTERIUm mICROTI.
3= qUaIS SÃO OS mEDICamENTOS PRESCRITOS PELO méDICO, PaRa O TRaTamENTO Da TUBERCULOSE?
PIRazINamIDa, ISONIazIDa E RIfamICINa
4= a TUBERCULOSE aPRESENTa-SE Em DUaS DIfERENTES fORmaS, CITE-aS:
TUBERCULOSE PULmONaR;
TUBERCULOSE ExTRaPULmONaR.
5= qUaOS OS SINaIS E SINTOmaS aPRESENTaDOS PELO PORTaDOR Da TUBERCULOSE?
PRODUÇÃO DE CaTaRRO, TOSSE, fEBRE, SUDORESE, CaNSaÇO, DOR NO PEITO, faLTa DE aPETITE, EmagRE-
CImENTO.
(II ) BaCTéRIa RESPONSávEL PELa TRaNSmISSÃO Da TUBERCULOSE ENTRE
BOvINOS E Em mENOR gRaU a OUTROS mamIfEROS INCLUSIvE aO HOmEm.
( I ) Uma ESPéCIE DO gêNERO myCOBaCTERIUm, COm maIOR INCIDêNCIa Em
PaíSES Da áfRICa OCIDENTaL. OS SINTOmaS CaUSaDOS POR SUa INfECÇÃO
aSSEmELHam-SE aOS DE m. TUBERCULOSIS.
(III)INfECTa ROEDORES, SENDO NORmaLmENTE ISOLaDO Em mUSaRaNHOS
PERTENCENTES aO géNERO mICROTUS, PODENDO TamBém CaUSaR DOENÇa
Em HUmaNOS ImUNOCOmPROmETIDOS.
maRaILza aNDRaDE LImamaRaILza aNDRaDE LIma

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Tuberculose - Saúde pública.

Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
barucalves
 
Queimaduras. complexas e tratamento local
Queimaduras. complexas e tratamento localQueimaduras. complexas e tratamento local
Queimaduras. complexas e tratamento local
Rogério Porto da Rocha
 
Tumores malignos da pele
Tumores malignos da peleTumores malignos da pele
Tumores malignos da pele
Rogério Porto da Rocha
 
Aula08.03
Aula08.03Aula08.03
Aula08.03
Denise Carvalho
 
Aula08.03
Aula08.03Aula08.03
Aula08.03
Denise Carvalho
 
Escola santa helena
Escola santa helenaEscola santa helena
Escola santa helena
Silvânia Galdino
 
Intervenção Terapêutica de Crise com famílias danificadas por catástrofes nat...
Intervenção Terapêutica de Crise com famílias danificadas por catástrofes nat...Intervenção Terapêutica de Crise com famílias danificadas por catástrofes nat...
Intervenção Terapêutica de Crise com famílias danificadas por catástrofes nat...
ABRAPAHP _ Associação Brasileira do Programa de Ajuda Humanitária Psicológica
 
Aula 15 ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1
Aula 15   ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1Aula 15   ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1
Aula 15 ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1
Lucas Almeida Sá
 
Mosquitos e vetores abate basf
Mosquitos e vetores   abate basfMosquitos e vetores   abate basf
CALENDÁRIO SANITÁRIO (PREVENÇÃO) PARA REBANHOS DE GADO DE CORTE
CALENDÁRIO SANITÁRIO (PREVENÇÃO) PARA  REBANHOS DE GADO DE CORTECALENDÁRIO SANITÁRIO (PREVENÇÃO) PARA  REBANHOS DE GADO DE CORTE
CALENDÁRIO SANITÁRIO (PREVENÇÃO) PARA REBANHOS DE GADO DE CORTE
buzzcp
 
4 doenças bacterianas
4 doenças bacterianas4 doenças bacterianas
4 doenças bacterianas
Maria Jaqueline Mesquita
 
1643
16431643
1643
Pelo Siro
 
Tosse e expectoração
Tosse e expectoração Tosse e expectoração
Tosse e expectoração
Paulo Alambert
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
Monara Bittencourt
 
Palestra infecção
Palestra infecçãoPalestra infecção
Palestra infecção
renato89enfermeiro
 
Evolucao
EvolucaoEvolucao
Parte_1_ImunologiaBásica_ Relação_Parasito-Hospedeiro_[Profª.Zilka]
Parte_1_ImunologiaBásica_ Relação_Parasito-Hospedeiro_[Profª.Zilka]Parte_1_ImunologiaBásica_ Relação_Parasito-Hospedeiro_[Profª.Zilka]
Parte_1_ImunologiaBásica_ Relação_Parasito-Hospedeiro_[Profª.Zilka]
Profª. Zilka Nanes Lima - UEPB - Microbiologia e Imunologia
 
Doença trofoblastica gestacional
Doença trofoblastica gestacionalDoença trofoblastica gestacional
Doença trofoblastica gestacional
bia26
 
Cicatrização normal dos tecidos
Cicatrização normal dos tecidosCicatrização normal dos tecidos
Cicatrização normal dos tecidos
Rogério Porto da Rocha
 
Credenciamento saude
Credenciamento saudeCredenciamento saude
Credenciamento saude
Guy Valerio Barros dos Santos
 

Semelhante a Tuberculose - Saúde pública. (20)

Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Queimaduras. complexas e tratamento local
Queimaduras. complexas e tratamento localQueimaduras. complexas e tratamento local
Queimaduras. complexas e tratamento local
 
Tumores malignos da pele
Tumores malignos da peleTumores malignos da pele
Tumores malignos da pele
 
Aula08.03
Aula08.03Aula08.03
Aula08.03
 
Aula08.03
Aula08.03Aula08.03
Aula08.03
 
Escola santa helena
Escola santa helenaEscola santa helena
Escola santa helena
 
Intervenção Terapêutica de Crise com famílias danificadas por catástrofes nat...
Intervenção Terapêutica de Crise com famílias danificadas por catástrofes nat...Intervenção Terapêutica de Crise com famílias danificadas por catástrofes nat...
Intervenção Terapêutica de Crise com famílias danificadas por catástrofes nat...
 
Aula 15 ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1
Aula 15   ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1Aula 15   ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1
Aula 15 ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1
 
Mosquitos e vetores abate basf
Mosquitos e vetores   abate basfMosquitos e vetores   abate basf
Mosquitos e vetores abate basf
 
CALENDÁRIO SANITÁRIO (PREVENÇÃO) PARA REBANHOS DE GADO DE CORTE
CALENDÁRIO SANITÁRIO (PREVENÇÃO) PARA  REBANHOS DE GADO DE CORTECALENDÁRIO SANITÁRIO (PREVENÇÃO) PARA  REBANHOS DE GADO DE CORTE
CALENDÁRIO SANITÁRIO (PREVENÇÃO) PARA REBANHOS DE GADO DE CORTE
 
4 doenças bacterianas
4 doenças bacterianas4 doenças bacterianas
4 doenças bacterianas
 
1643
16431643
1643
 
Tosse e expectoração
Tosse e expectoração Tosse e expectoração
Tosse e expectoração
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Palestra infecção
Palestra infecçãoPalestra infecção
Palestra infecção
 
Evolucao
EvolucaoEvolucao
Evolucao
 
Parte_1_ImunologiaBásica_ Relação_Parasito-Hospedeiro_[Profª.Zilka]
Parte_1_ImunologiaBásica_ Relação_Parasito-Hospedeiro_[Profª.Zilka]Parte_1_ImunologiaBásica_ Relação_Parasito-Hospedeiro_[Profª.Zilka]
Parte_1_ImunologiaBásica_ Relação_Parasito-Hospedeiro_[Profª.Zilka]
 
Doença trofoblastica gestacional
Doença trofoblastica gestacionalDoença trofoblastica gestacional
Doença trofoblastica gestacional
 
Cicatrização normal dos tecidos
Cicatrização normal dos tecidosCicatrização normal dos tecidos
Cicatrização normal dos tecidos
 
Credenciamento saude
Credenciamento saudeCredenciamento saude
Credenciamento saude
 

Tuberculose - Saúde pública.

  • 1. TUBERCULOSETUBERCULOSETUBERCULOSETUBERCULOSE INSTITUIÇÃO:INSTITUIÇÃO: ESCOLa TéCNICa Em ENfERmagEm aNa NERyESCOLa TéCNICa Em ENfERmagEm aNa NERy CURSO:CURSO: TéCNICO Em ENfERmagEmTéCNICO Em ENfERmagEm DISCIPLINa:DISCIPLINa: SaÚDE PÚBLICaSaÚDE PÚBLICa DOCENTE:DOCENTE: mayaRa LOIOLamayaRa LOIOLa DISCENTE:DISCENTE: maRaILza aNDRaDE LImamaRaILza aNDRaDE LIma
  • 2. HHISTÓRIa DaISTÓRIa Da TTUBERCULOSEUBERCULOSEHHISTÓRIa DaISTÓRIa Da TTUBERCULOSEUBERCULOSE a TUBERCULOSE ERa CHamaDa aNTIgamENTE DE “PESTE CINzENTa“,“PESTE CINzENTa“, é CONHECIDa TamBém Em PORTUgUêS COmO “TíSICa PULmONaR“ OU “DOENÇa DO PEITO“. é Uma DaS DOENÇaS INfECTO-CONTagIOSaS DOCUmENTaDaS DESDE a maIS LONga DaTa E qUE CONTINUa a afLIgIR a HUmaNIDaDE NOS DIaS aTUaIS, TRaNSmITIDa PELO myCOBaCTERIUm TUBERCULOSIS, O BaCILO DE KOCH, é PROvavELmENTE a DOENÇa INfECTO- CONTagIOSa qUE maIS OCaSIONa mORTES NO BRaSIL. O BRaSIL é Um DOS 22 PaíSES PRIORIzaDOS PELa OmS, qUE REPRESENTam 80% Da CaRga mUNDIaL DE TB.
  • 3. qqUaIS aSUaIS aS CCaUSaS DaaUSaS Da TTUBERCULOSEUBERCULOSEqqUaIS aSUaIS aS CCaUSaS DaaUSaS Da TTUBERCULOSEUBERCULOSE?? é CaUSaDa POR Uma ESPéCIE DE BaCTéRIa PaTOgêNICa, a myCROBaCTERIUm TUBERCULOSIS, TamBém CHamaDa DE BaCILO DE KOCH, NOmE DaDO Em HOmENagEm aO SEU DESCOBRIDOR ROBERT KOCH. é CaUSaDa POR Uma INfECÇÃO NO HOmEm E Em OUTROS aNImaIS POR DIfERENTES ESPéCIES DO gêNERO myCOBaCTERIUm. a ESPéCIE qUE maIS TRaNSmITE aO HOmEm é O myCOBaCTERIUm TUBERCULOSIS, EmBORa OUTRaS ESPéCIES TamBém POSSam O fazER, COmO myCOBaCTERIUm BOvIS, afRICaNUm E mICROTI. myCOBaCTERIUm BOvIS BaCTéRIa RESPONSávEL PELa TRaNSmISSÃO Da TUBERCULOSE ENTRE BOvINOS E Em mENOR gRaU a OUTROS mamIfEROS INCLUSIvE aO HOmEm. myCOBaCTERIUm afRICaNUm Uma ESPéCIE DO gêNERO myCOBaCTERIUm, COm maIOR INCIDêNCIa Em PaíSES Da áfRICa OCIDENTaL. OS SINTOmaS CaUSaDOS POR SUa INfECÇÃO aSSEmELHam-SE aOS DE m. TUBERCULOSIS. myCOBaCTERIUm mICROTI INfECTa ROEDORES, SENDO NORmaLmENTE ISOLaDO Em mUSaRaNHOS PERTENCENTES aO géNERO mICROTUS, PODENDO TamBém CaUSaR DOENÇa Em HUmaNOS ImUNOCOmPROmETIDOS.
  • 4. CCOmO OCORRE aOmO OCORRE a TTRaNSmISSÃO DaRaNSmISSÃO Da TTUBERCULOSEUBERCULOSECCOmO OCORRE aOmO OCORRE a TTRaNSmISSÃO DaRaNSmISSÃO Da TTUBERCULOSEUBERCULOSE?? SUa INfECÇÃO OCORRE a PaRTIR Da INaLaÇÃO DE gOTíCULaS CONTENDO BaCILOS ExPELIDOS PELa TOSSE, faLa OU ESPIRRO DO DOENTE COm TUBERCULOSE aTIva DE vIaS RESPIRaTÓRIaS. a TUBERCULOSE é TRaNSmITIDa DE PESSOa a PESSOa aTRavéS DO aR, SENDO aSSIm SEU mODO DE TRaNSmISSÃO SE Dá POR vIa aéREa Em PRaTICamENTE a TOTaLIDaDE DOS CaSOS. =qUEm RESPIRa NO mESmO LOCaL ONDE PaSSOU OU ESTá Um TUBERCULOSO, PODE SE INfECTaR; =amBIENTES fECHaDOS E POUCO vENTILaDOS TamBém favORECEm O CONTágIO; = aS PESSOaS INfECTaDaS E qUE NÃO ESTÃO DOENTES NÃO TRaNSmITEm O BaCILO.
  • 5. fORmaS DE INfECÇÃO Da DOENÇa:fORmaS DE INfECÇÃO Da DOENÇa:fORmaS DE INfECÇÃO Da DOENÇa:fORmaS DE INfECÇÃO Da DOENÇa: a aPRESENTaÇÃO Da TUBERCULOSE Na fORma PULmONaR, aLém DE SER maIS fREqUENTE, é TamBém a maIS RELEvaNTE PaRa a SaÚDE PÚBLICa, POIS é a fORma PULmONaR BaCILífERa, a RESPONSávEL PELa maNUTENÇÃO Da CaDEIa DE TRaNSmISSÃO Da DOENÇa. TUBERCULOSE PULmONaRTUBERCULOSE PULmONaR COmO O BaCILO DESTRÓI a ESTRUTURa aLvEOLaR, fORmam-SE CavERNaS NO TECIDO PULmONaR E vaSOS SaNgUíNEOS E PODEm ROmPER-SE. POR ISSO, Na TUBERCULOSE PULmONaR, é fREqUENTE a PRESENÇa DE TOSSE COm ELImINaÇÃO DE CaTaRRO, mUCO E SaNgUE.
  • 6. TUBERCULOSE ExTRa-PULmONaRTUBERCULOSE ExTRa-PULmONaR aLém DOS PULmõES, a DOENÇa PODE aCOmETER ÓRgÃOS COmO RINS, OSSOS, mENINgES, ETC. a TUBERCULOSE ExTRaPULmONaR é aqUELa CaUSaDa PELO BaCILO DE KOCH qUE INSTaLa-SE fORa DO PULmÃO, OS SINTOmaS INCLUI OS mESmOS Da TUBERCULOSE PULmONaR, maS SEm aS maNIfESTaÇõES RESPIRaTÓRIaS. aBaIxO vEjamOS aLgUNS ExEmPLOS: TUBERCULOSE vERTEBRaL TUBERCULOSE NaS mENINgES TUBERCULOSE RENaL TUBERCULOSE PLEURaL TUBERCULOSE gaNgLIONaR
  • 7. DIagNÓSTICODIagNÓSTICODIagNÓSTICODIagNÓSTICO PaRa SE CERTIfICaR qUE O PaCIENTE aPRESENTa SINTOmaS DE TUBERCULOSE E REaLmENTE ESTá COm a DOENÇa, SÃO REaLIzaDOS DIvERSOS TESTES, COmO: RaDIOgRafIaS PULmONaRES; TESTE DE PELE. BRONCOSCOPIa; aNáLISE E CULTURa DaS BaCTéRIaS PRESENTES Em Uma amOSTRa DO ESCaRRO; TESTE SaNgUíNEO PaRa TUBERCULOSE;
  • 8. SINaIS E SINTOmaSSINaIS E SINTOmaSSINaIS E SINTOmaSSINaIS E SINTOmaS aLgUNS PaCIENTES PODEm NÃO aPRESENTaR OS SINTOmaS OU ESTES PODEm SER IgNORaDOS POR SEREm PaRECIDOS COm OS DE Uma gRIPE. TOSSE POR maIS DE DUaS SEmaNaS, PRODUÇÃO DE CaTaRRO, fEBRE, SUDORESE, CaNSaÇO, DOR NO PEITO, faLTa DE aPETITE E EmagRECImENTO SÃO OS PRINCIPaIS SINTOmaS Da TUBERCULOSE. NOS CaSOS maIS avaNÇaDOS, PODE aPaRECER ESCaRRO COm SaNgUE. PESSOaS COm ESSES SINTOmaS aSSOCIaDOS OU ISOLaDamENTE DEvEm PROCURaR Um POSTO DE SaÚDE O maIS RáPIDO POSSívEL, POIS O TRaTamENTO é gRaTUITO E DEvE SER INICIaDO ImEDIaTamENTE.
  • 9. TRaTamENTOTRaTamENTOTRaTamENTOTRaTamENTO O TRaTamENTO é fEITO COm TRêS DROgaS DIfERENTES: PIRazINamIDa, ISONIazIDa E RIfamICINa. DURaNTE DOIS mESES, O PaCIENTE TOma OS TRêS mEDICamENTOS E, a PaRTIR DO TERCEIRO mêS, TOma SÓ ISONIazIDa E RIfamPICINa. TRaTamENTOS aLTERNaTIvOS SÃO EmPREgaDOS a DEPENDER Da aPRESENTaÇÃO CLíNICa, SENSIBILIDaDE DO BaCILO, SEmPRE a CRITéRIO méDICO. é fUNDamENTaL SEgUIR à RISCa O TRaTamENTO; O gRaNDE PROBLEma DO CONTROLE Da TUBERCULOSE é O aBaNDONO aNTES DO fINaL DOS 6 mESES. COmO OS SINTOmaS mELHORam Em POUCO TEmPO E OS EfEITOS COLaTERaIS SÃO COmUNS, mUITOS PaCIENTES NÃO COmPLETam O TEmPO TOTaL DE TRaTamENTO, favORECENDO O SURgImENTO DE CEPaS mULTI-RESISTENTES DO BaCILO DE KOCH. (DR. DRáUzIO vaRELLa). 24 DE maRÇO24 DE maRÇO DIa mUNDIa DEDIa mUNDIa DE COmBaTE áCOmBaTE á TUBERCULOSETUBERCULOSE
  • 10. PREvENÇÃOPREvENÇÃOPREvENÇÃOPREvENÇÃO PRINCIPaIS mEDIDaS PROfILáTICaS: -ExISTE Uma vaCINa CHamaDa DE BCg, qUE faz PaRTE DO CaLENDáRIO NaCIONaL. é aDmINISTRaDa qUaNDO CRIaNÇa E SERvE PaRa PREvENIR aS fORmaS maIS gRavES Da DOENÇa, COmO a TUBERCULOSE DISSEmINaDa E a mENINgITE TUBERCULOSa. -OUTRa fORma PaRa EvITaR SUa CONTamINaÇÃO Em maIOR ESCaLa, é a mELHORaIa DaS CONDIÇõES DE vIDa Da POPULaÇÃO, COmO O TRaTamENTO E ORIENTaÇÃO aOS ENfERmOS. O qUE é BCg? BCg(BaCILLUS CaLmETTE-gUéRIN) é Uma vaCINa fREqUENTEmENTE aDmINISTRaDa PaRa PREvENÇÃO Da TUBERCULOSE, OBTIDa PELa PREPaRaÇÃO Da BaCTéRIa myCOBaCTERIUm BOvIS Em ESTaDO aTENUaDO. a vaCINa BCgBCg DEvE SER aDmINISTRaDa Em TODOS OS RECém- NaSCIDOS.
  • 11. ExERCíCIO DE fIxaÇÃOExERCíCIO DE fIxaÇÃOExERCíCIO DE fIxaÇÃOExERCíCIO DE fIxaÇÃO 1= DEfINa TUBERCULOSE: é Uma DaS DOENÇaS INfECTO-CONTagIOSa CaUSaDa POR Uma INfECÇÃO NO HOmEm E Em OUTROS aNI- maIS POR DIfERENTES ESPéCIES DO gêNERO myCROBaCTERIUm. 2= LIgUE OS NOmES aBaIxO aOS SEUS RESPECTIvOS CINCEITOS: I- myCROBaCTERIUm afRICaNUm. II- myCROBaCTERIUm BOvIS. III- myCROBaCTERIUm mICROTI. 3= qUaIS SÃO OS mEDICamENTOS PRESCRITOS PELO méDICO, PaRa O TRaTamENTO Da TUBERCULOSE? PIRazINamIDa, ISONIazIDa E RIfamICINa 4= a TUBERCULOSE aPRESENTa-SE Em DUaS DIfERENTES fORmaS, CITE-aS: TUBERCULOSE PULmONaR; TUBERCULOSE ExTRaPULmONaR. 5= qUaOS OS SINaIS E SINTOmaS aPRESENTaDOS PELO PORTaDOR Da TUBERCULOSE? PRODUÇÃO DE CaTaRRO, TOSSE, fEBRE, SUDORESE, CaNSaÇO, DOR NO PEITO, faLTa DE aPETITE, EmagRE- CImENTO. (II ) BaCTéRIa RESPONSávEL PELa TRaNSmISSÃO Da TUBERCULOSE ENTRE BOvINOS E Em mENOR gRaU a OUTROS mamIfEROS INCLUSIvE aO HOmEm. ( I ) Uma ESPéCIE DO gêNERO myCOBaCTERIUm, COm maIOR INCIDêNCIa Em PaíSES Da áfRICa OCIDENTaL. OS SINTOmaS CaUSaDOS POR SUa INfECÇÃO aSSEmELHam-SE aOS DE m. TUBERCULOSIS. (III)INfECTa ROEDORES, SENDO NORmaLmENTE ISOLaDO Em mUSaRaNHOS PERTENCENTES aO géNERO mICROTUS, PODENDO TamBém CaUSaR DOENÇa Em HUmaNOS ImUNOCOmPROmETIDOS. maRaILza aNDRaDE LImamaRaILza aNDRaDE LIma