SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 46
TREINAMENTO
LIXADEIRA / POLICORTE
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
•
•
•
•
•
•
•
Introdução
EPI - Equipamento de Proteção Individual
Características de Lixadeiras
Segurança Operacional
Os discos
Segurança na Operação de Lixadeiras e Policortes
Casos mais comuns de erro operacionais e acidentes
CURSOSDE LIXADEIRA/POLICORTES
Introdução
Segurança na Operação de Máquinas
Lixadeiras e Policortes.
Neste curso você estudará a fundo as
informações importantes sobre o
manuseio, as características técnicas,
e os procedimentos seguros no
emprego destas ferramentas.
OBJETIVO
Tem como objetivo esclarecer, de forma correta, quando ao uso dos
EPI, as normas de segurança para os colaboradores, a partir da
educação e conscientização, desfrutem dos benefícios alcançados
pela realização de um trabalho 100% seguro.
NORMASREGULAMENTADORAS
NR 06 - Equipamentos de proteção individual
O QUE É EPI?
6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se
Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo dispositivo ou produto, de uso individual
utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a
segurança e a saúde no trabalho.
O EPI PRECISA DE CERTIFICADO ?
6.2 O equipamento de proteção individual, de fabricação nacional ou importado, só poderá
ser posto à venda ou utilizado com a indicação do Certificado de Aprovação - CA, expedido
pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho do
Ministério do Trabalho e Emprego.
NORMASREGULAMENTADORAS
NR 06 - Equipamentos de proteção individual
DE QUEM É A RESPONSABILIDADE DE FORNECER O EPI?
6.3 A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao
risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes circunstâncias:
a) sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos
de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho;
b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; e,
c) para atender a situações de emergência.
QUAL É A RESPONSABILIDADE DO EMPREGADO?
6.7.1 Cabe ao empregado quanto ao EPI:
a) usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina;
b) responsabilizar-se pela guarda e conservação;
c) comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso; e,
d) cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado.
NORMASREGULAMENTADORAS
NR 06 - Equipamentos de proteção individual
LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PARA OPERADOR DE LIXADEIRAS E
POLICORTES
Usar protetor de ouvidos.
Óculos/Viseira.
Avental.
Luvas de proteção
Sapatos de Segurança.
COMPONENTES DE LIXADEIRAS
1 Botão de trava
2 Descanso
3 Interruptor
4 Botão
5Aberturas de ventilação
6 Empunhadeira auxiliar
7 Colar de fixação
8 Eixo de trabalho
9Capa de proteção
10 Chave de pinos
11 Capa de proteção com
limitador de profundidade (acessório opcional*)
12 Flange de apoio
13 Porca de aperto
14Disco de desbaste (acessório opcional*)
15 Disco de corte (acessório opcional*)
COMPONENTES DE POLICORTE
1 Bloqueio de ligação para o interruptor de
ligar-desligar
2Interruptor de ligar-desligar
3 Punho
4 Capa de protecção pendular
5 Bloqueio do fuso
6 Disco de corte
7 Limitador angular
8 Veio de travamento
9Destravamento rápido
10 Punho do veio
11 Orifícios para montagem
12 Placa de base
13 Parafuso de fixação para o limitador angular
14 Chave anular (15 mm; 13 mm)
15 Protecção para o transporte
16 Esbarro de profundidade
17 Braço da ferramenta
18 Punho de transporte
COMPONENTES DE POLICORTE
19 Capa de protecção
20Chapa de protecção contra aparas
21 Veio da ferramenta
22 Flange de aperto
23 Arruela plana
24 Parafuso sextavado
25Contra-porca do esbarro de
profundidade
SEGURANÇA OPERACIONAL
Atenção: Ao utilizar ferramentas elétricas observe derminadas medidas
básicas de segurança, para evitar o risco de incêndio, choques elétricos e
acidentes pessoais.
1. Mantenha o local de trabalho arrumado
A desordem no local de trabalho pode ser motivo de acidente.
2. Evite choque elétrico
A tomada deve ser adequada ao plugue da ferramenta elétrica. Em
hipótese alguma troque ou modifique o plugue. Não utilize adaptadores de
tomadas em ferramentas elétricas que utilizam plugues com pino terra.
Plugue original e tomada adequada a esse plugue reduzem o risco de
choque elétrico.
SEGURANÇA OPERACIONAL
3. Não sobrecarregue a ferramenta
Você conseguirá trabalhar melhor e com mais segurança se observar os
limites indicados para cada máquina.
4. Utilize a ferramenta apropriada
Não use ferramentas demasiado fracas para trabalhos pesados. Não
empregue ferramentas em trabalhos e para fins a que não se destinam; não
use, por exemplo, uma serra circular manual para cortar árvores ou
troncos.
5. Escolha vestuário apropriado para o trabalho
Não use roupas largas ou jóias, pois podem prender-se em alguma peça
móvel. Nos trabalhos externos aconselha-se o uso de luvas e sapatos que
não escorreguem. Se tiver cabelo comprido, prenda-o com uma rede.
SEGURANÇA OPERACIONAL
6. Não force o cabo elétrico
Nunca transporte a ferramenta pelo cabo elétrico e não o puxe para tirar o
plugue da tomada. Proteja-o de calor e evite seu contato com óleo e objetos
cortantes.
7. Mantenha fixa a peça a ser trabalhada
Utilize dispositivos de fixação ou uma morsa, a fim de fixar a peça a ser
trabalhada. Ficará mais seguro do que a fixação manual e você,
obrigatoriamente, deve manusear a máquina com ambas as mãos.
8. Não mantenha a máquina ligada à rede
Quando não estiver em uso, ou ao trocar acessórios, como por exemplo o
disco de serra, etc mantenha a máquina desligada da rede.
9.Evite escutar músicas, MP3 ou qualquer outro tipo de coisa que possa
tirar sua atenção do trabalho.
Trabalhar de forma atenta é um dos principais itens que colaboram para
evitam acidentes.
TIPOS DE DISCOS CORTE OU DESBASTE
Disco de Corte
Destinado a corte de chapas , tubos e perfis de baixa espessura
A face lateral do disco não deve ser usada para esmerilhar
Não se deve forçar o disco contra a peça ao ponto de baixar
muito a rotação
Disco de Desbaste:
Destinado a desbastar superfícies
Projetado para usar as faces laterais contra a peça a esmerilhar
Escova Rotativa
Serve para polimento final de uma solda e retirada de crosta
de ferrugem.
TIPOS DE DISCOS CORTE OU
DESBASTE
Disco de Corte/Desbaste:
Lixas com formato circular, com
ou sem furo central, que é fixado a
um suporte, acoplado a uma
máquina portátil ou estacionária.
Discos com diferentes diâmetros e
diferentes tipos de grãos abrasivos
são fabricados para cada
aplicação.
TIPOS DE DISCOS
COMPOSIÇÃO DE UM DISCO DE
CORTE
TIPOS DE DISCOS CORTE OU
DESBASTE
Algumas das principais causas de quebra de discos abrasivos são:
a) Velocidade da máquina superior à assimilada no rótulo dos discos;
b)Montagem incorreta dos discos na máquina, como aperto excessivo,
flanges sujos, empenados, imperfeitos e/ou pequenos, entre outros
fatores;
c)Usos abusivos, ocasionados pela pressão excessiva de trabalho,
especialmente nas laterais do disco, por choques contra a peça obra,
utilização da lateral para rebarbar peças, etc.
SIMBOLOGIA DOS DISCOS
Vermelho para aço
Azul para aços inoxidáveis e ligas à base de níquel
Verde para alumínio e metais não-ferrosos
SELEÇÃO DOS
DISCOS
Cinza para concreto e materiais dúteis e flexíveis
Preto para plástico
SELEÇÃO
DOS DISCOS
- Sempre respeitar as restrições de utilização indicada no rótulo dos discos.
NÃO adequado para desbaste
NÃO adequado para máquinas manuais
NÃO utilizar para desbaste ou corte com água
SELEÇÃO DOS
DISCOS
Assegurar que a RPM máxima da máquina seja sempre, em qualquer
condição de funcionamento, igual ou inferior à velocidade máxima indicada
no rótulo do disco.
Certificar-se que a máquina não exceda a velocidade máxima de operação
do disco abrasivo (máquinas com ajuste automático da velocidade
proporcional ao diâmetro do disco).
Verificar com um tacômetro se a velocidade de rotação da máquina
corresponde ao valor indicado em sua etiqueta. Caso contrário, consertar a
máquina antes de utilizá-la.
VELOCIDADE DE TRABALHO DOS
DISCOS
INSTRUÇÕES PARA
MONTAGEM
Antes de montar ou desmontar um produto
abrasivo, desligue a fonte de alimentação
da máquina (energia elétrica, ar
comprimido etc.).
Para abrasivos com haste montada, a
velocidade do disco refere-se a um
comprimento livre da haste fora da fixação
máxima de ½”. Para um comprimento livre
da haste fora da fixação superior à ½”,
reduzir a velocidade.
A fim de não danificar o disco durante a montagem, evitar o uso de pressão
excessiva para sua fixação.
Nunca forçar os discos durante a montagem. Se o furo do disco for
pequeno para o eixo da máquina, não forçar.
Verificar se o diâmetro do furo indicado no rótulo do disco corresponde ao
indicado no manual de instruções da máquina.
Não montar discos se o furo não for compatível com o eixo. Isto pode gerar
fortes vibrações e ser muito perigoso.
Não montar mais de um disco no mesmo eixo.
Nunca use disco reto Tipo 1 (EN 41), com um flange para discos com centro
deprimido.
FIXAÇÃO
Alguns tipos de discos são equipados com um anel que é montado
entre o flange e as laterais do disco antes de sua fixação, para evitar o
deslizamento, compensar pequenas irregularidades da superfície do
flange e do disco, e reduzir o desgaste do flange.
O anel é feito de material macio (por exemplo, papel ou papelão) e
deve ter diâmetro ligeiramente maior que o flange utilizado. Usar
sempre um anel novo.
Discos para máquinas de bancada são equipados com um base de
apoio que precisa ser ajustado antes do uso. A distância não deve ser
superior a 3 mm (1/8") do disco e não deve tocá-lo durante a
operação.
FIXAÇÃO
Discos de desbaste tipos 27, 28 e 29 não devem ser usados em um ângulo
muito baixo ou muito alto em relação à peça-obra.
Tipo 27: Ângulo ideal para discos de
desbaste varia de 15° to 30°
Tipo 29 Ângulo ideal para discos flexíveis é 10°
Tipo 28: Ângulo ideal é inferior a 10°
Para discos Combo Tipo 27 (corte e
desbaste), o ângulo ideal é de 90° ou 20°
ÂNGULO DE
TRABALHO
ÂNGULO DE
TRABALHO
O único ângulo permitido para discos de corte é de 90° em relação ao material
(Tipo 1 (EN 41) – reto)
Tipo 27 / (EN 42) – centro deprimido)
- Manuseie o disco sempre com extrema atenção e segurança.
-Caso exista alguma suspeita de que o disco esteja com algum defeito ou
danificados, consulte imediatamente o fabricante.
MANUSEIO
Segurança na Operação
Sempre use os equipamentos individuais de segurança
Segurança na Operação
Nunca transporte a máquina pelo cabo elétrico.
Segurança na Operação
Nunca pendure a máquina pelo cabo elétrico.
Segurança na Operação
Na troca de acessórios, desconecte o cabo da energia.
Segurança na Operação
Verifique o ambiente, evitando o contato com materiais inflamáveis.
SEGURANÇA NA
OPERAÇÃO
Utilize biombos, lonas plásticas ou outro tipo de obstáculo, como
prevenção de acidentes com terceiros.
CASOS MAIS COMUNS DE ERROS
OPERACIONAIS
NUNCA remova a capa de proteção ao
operar a ferramenta. SEMPRE que realizar
trabalhos em peças pequenas, fixe-as antes
de iniciar o serviço.
Manuseie sempre com as duas mãos.
CASOS MAIS COMUNS DE
ERROS OPERACIONAIS
Evite ficar na Linha de Corte da máquina.
Evite impactos no eixo da máquina,
quando retirar o acessório.
CASOS MAIS COMUNS DE
ERROS OPERACIONAIS
Nunca use a máquina entre as pernas.
Esteja sempre em uma posição
confortável quando for trabalhar.
Casos mais comuns de erros operacionais
Nunca use disco de corte para desgastar (ou limar rebarbas das
peças cortadas nas laterais do disco) e vice-e-versa.
CASOS MAIS COMUNS DE ERROS OPERACIONAIS
A DISTRAÇÃO do operador durante o trabalho pode levar a descontrole da
ferramenta e causar acidentes
CASOS MAIS COMUNS DE ERROS OPERACIONAIS
O EXCESSO DE CONFIANÇA leva o operador a descuidar em cuidados básicos
no manuseio de ferramentas . Temos registros de acidente com lixadeiras
operadas por ENCANADORES experientes com mais de 10 anos na função
O MEDO de perguntar / tirar dúvidas pode levar um funcionário com pouca
habilidade a operar a ferramenta de forma insegura .
Operação Segura!
O grande
motivo para
segurança no
trabalho pode
ser um BEM
pequeno!
VOCÊ SABE O QUE É:
ACIDENTE DE TRABALHO ?
Acidente de trabalho é uma ocorrência não
programada, inesperada ou não, que interrompe
ou interfere no processo normal de uma atividade,
ocasionando perda de tempo útil e/ou lesões nos
trabalhadores e danos materiais
Ato Inseguro
Comportamento
Condição Insegura
Ambiente
ACIDENTES
ACIDENTES
ACIDENTES
ACIDENTES

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a TREINAMENTO_LIXADEIRA_POLICORTE_APT.pptx

NR18 - Treinamento Serra Marmore.pptx
NR18 - Treinamento Serra Marmore.pptxNR18 - Treinamento Serra Marmore.pptx
NR18 - Treinamento Serra Marmore.pptxCezarTST1
 
0.1 - Treinamento NR-12 Serra Circular Rev.00.pptx
0.1 - Treinamento NR-12 Serra Circular Rev.00.pptx0.1 - Treinamento NR-12 Serra Circular Rev.00.pptx
0.1 - Treinamento NR-12 Serra Circular Rev.00.pptxCARLOSFIGUEIREDO102
 
Ordem de serviço operador de maquina perfuratriz
Ordem de serviço operador de maquina perfuratrizOrdem de serviço operador de maquina perfuratriz
Ordem de serviço operador de maquina perfuratrizPaulo Carvalho
 
Instrucoes de seguranca_ferramentas_pneumaticas
Instrucoes de seguranca_ferramentas_pneumaticasInstrucoes de seguranca_ferramentas_pneumaticas
Instrucoes de seguranca_ferramentas_pneumaticasProf Brasil brasil
 
Treinamento de operador de serra circular
Treinamento de operador de serra circularTreinamento de operador de serra circular
Treinamento de operador de serra circularLéo César Oliveira
 
treinamento lixadeira
treinamento lixadeira treinamento lixadeira
treinamento lixadeira Ane Costa
 
MANUAL DE INSTRUÇÕES MARTELETE PERFURADOR/ROMPEDOR MPR 826k SUPERTORK
MANUAL DE INSTRUÇÕES MARTELETE PERFURADOR/ROMPEDOR MPR 826k SUPERTORKMANUAL DE INSTRUÇÕES MARTELETE PERFURADOR/ROMPEDOR MPR 826k SUPERTORK
MANUAL DE INSTRUÇÕES MARTELETE PERFURADOR/ROMPEDOR MPR 826k SUPERTORKDistribuidora Couto
 
Apresentação de martelete com norma errada.pptx
Apresentação de martelete com norma errada.pptxApresentação de martelete com norma errada.pptx
Apresentação de martelete com norma errada.pptxJTFSERVIOS
 
seguranca-do-trabalho-com-lixadeiras.ppt
seguranca-do-trabalho-com-lixadeiras.pptseguranca-do-trabalho-com-lixadeiras.ppt
seguranca-do-trabalho-com-lixadeiras.pptrickfesst
 
Serviços com emerilhadeira
Serviços com emerilhadeiraServiços com emerilhadeira
Serviços com emerilhadeiramarciliocruz
 
TREINAMENTO OPERACIONAL PARA OPERADOR DE SERRA DE BANCADA
TREINAMENTO OPERACIONAL PARA OPERADOR DE SERRA DE BANCADATREINAMENTO OPERACIONAL PARA OPERADOR DE SERRA DE BANCADA
TREINAMENTO OPERACIONAL PARA OPERADOR DE SERRA DE BANCADArafael987369
 
TREINAMENTO SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DE SERRA POLICORTE.pptx
TREINAMENTO SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DE SERRA POLICORTE.pptxTREINAMENTO SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DE SERRA POLICORTE.pptx
TREINAMENTO SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DE SERRA POLICORTE.pptxJONATO1
 
M7 Cuidados de SHST e EPI_s Motorroçadora.pptx
M7 Cuidados de SHST e EPI_s Motorroçadora.pptxM7 Cuidados de SHST e EPI_s Motorroçadora.pptx
M7 Cuidados de SHST e EPI_s Motorroçadora.pptxsoniaalmeida38
 
Treinamento utilização segura da maquina corte bloco
Treinamento utilização segura da maquina corte blocoTreinamento utilização segura da maquina corte bloco
Treinamento utilização segura da maquina corte blocoEslley Santos
 

Semelhante a TREINAMENTO_LIXADEIRA_POLICORTE_APT.pptx (20)

NR18 - Treinamento Serra Marmore.pptx
NR18 - Treinamento Serra Marmore.pptxNR18 - Treinamento Serra Marmore.pptx
NR18 - Treinamento Serra Marmore.pptx
 
0.1 - Treinamento NR-12 Serra Circular Rev.00.pptx
0.1 - Treinamento NR-12 Serra Circular Rev.00.pptx0.1 - Treinamento NR-12 Serra Circular Rev.00.pptx
0.1 - Treinamento NR-12 Serra Circular Rev.00.pptx
 
Ordem de serviço operador de maquina perfuratriz
Ordem de serviço operador de maquina perfuratrizOrdem de serviço operador de maquina perfuratriz
Ordem de serviço operador de maquina perfuratriz
 
Instrucoes de seguranca_ferramentas_pneumaticas
Instrucoes de seguranca_ferramentas_pneumaticasInstrucoes de seguranca_ferramentas_pneumaticas
Instrucoes de seguranca_ferramentas_pneumaticas
 
Serra mármore 1200w Ingco - Chimas
Serra mármore 1200w Ingco  - ChimasSerra mármore 1200w Ingco  - Chimas
Serra mármore 1200w Ingco - Chimas
 
Treinamento de operador de serra circular
Treinamento de operador de serra circularTreinamento de operador de serra circular
Treinamento de operador de serra circular
 
treinamento lixadeira
treinamento lixadeira treinamento lixadeira
treinamento lixadeira
 
Acidente do trabalho com disco de corte cenas fortes
Acidente do trabalho com disco de corte   cenas fortesAcidente do trabalho com disco de corte   cenas fortes
Acidente do trabalho com disco de corte cenas fortes
 
MANUAL DE INSTRUÇÕES MARTELETE PERFURADOR/ROMPEDOR MPR 826k SUPERTORK
MANUAL DE INSTRUÇÕES MARTELETE PERFURADOR/ROMPEDOR MPR 826k SUPERTORKMANUAL DE INSTRUÇÕES MARTELETE PERFURADOR/ROMPEDOR MPR 826k SUPERTORK
MANUAL DE INSTRUÇÕES MARTELETE PERFURADOR/ROMPEDOR MPR 826k SUPERTORK
 
Esmerilhadeira angular 2000w Ingco - Chimas
Esmerilhadeira angular 2000w Ingco - ChimasEsmerilhadeira angular 2000w Ingco - Chimas
Esmerilhadeira angular 2000w Ingco - Chimas
 
Esmerilhadeira angular 950w chimas
Esmerilhadeira angular 950w chimasEsmerilhadeira angular 950w chimas
Esmerilhadeira angular 950w chimas
 
Apresentação de martelete com norma errada.pptx
Apresentação de martelete com norma errada.pptxApresentação de martelete com norma errada.pptx
Apresentação de martelete com norma errada.pptx
 
seguranca-do-trabalho-com-lixadeiras.ppt
seguranca-do-trabalho-com-lixadeiras.pptseguranca-do-trabalho-com-lixadeiras.ppt
seguranca-do-trabalho-com-lixadeiras.ppt
 
Serviços com emerilhadeira
Serviços com emerilhadeiraServiços com emerilhadeira
Serviços com emerilhadeira
 
TREINAMENTO OPERACIONAL PARA OPERADOR DE SERRA DE BANCADA
TREINAMENTO OPERACIONAL PARA OPERADOR DE SERRA DE BANCADATREINAMENTO OPERACIONAL PARA OPERADOR DE SERRA DE BANCADA
TREINAMENTO OPERACIONAL PARA OPERADOR DE SERRA DE BANCADA
 
TREINAMENTO SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DE SERRA POLICORTE.pptx
TREINAMENTO SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DE SERRA POLICORTE.pptxTREINAMENTO SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DE SERRA POLICORTE.pptx
TREINAMENTO SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DE SERRA POLICORTE.pptx
 
treinamento nr12 2023.pptx
treinamento nr12 2023.pptxtreinamento nr12 2023.pptx
treinamento nr12 2023.pptx
 
M7 Cuidados de SHST e EPI_s Motorroçadora.pptx
M7 Cuidados de SHST e EPI_s Motorroçadora.pptxM7 Cuidados de SHST e EPI_s Motorroçadora.pptx
M7 Cuidados de SHST e EPI_s Motorroçadora.pptx
 
Treinamento utilização segura da maquina corte bloco
Treinamento utilização segura da maquina corte blocoTreinamento utilização segura da maquina corte bloco
Treinamento utilização segura da maquina corte bloco
 
Manual Clipper TT 200 EM
Manual Clipper TT 200 EMManual Clipper TT 200 EM
Manual Clipper TT 200 EM
 

Mais de EversonLima23

APRESENTAÇÃO_RESUMOS DAS NR_18_33_34_35.pptx
APRESENTAÇÃO_RESUMOS DAS NR_18_33_34_35.pptxAPRESENTAÇÃO_RESUMOS DAS NR_18_33_34_35.pptx
APRESENTAÇÃO_RESUMOS DAS NR_18_33_34_35.pptxEversonLima23
 
Lesão por Esforço Repetitivo Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho
Lesão por Esforço RepetitivoDistúrbio Osteomuscular Relacionado ao TrabalhoLesão por Esforço RepetitivoDistúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho
Lesão por Esforço Repetitivo Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao TrabalhoEversonLima23
 
AVC_O Acidente Vascular Cerebral_Derrame Cerebral
AVC_O Acidente Vascular Cerebral_Derrame CerebralAVC_O Acidente Vascular Cerebral_Derrame Cerebral
AVC_O Acidente Vascular Cerebral_Derrame CerebralEversonLima23
 
Apresentação_ de_ psicologia_ Estresse ocupacional
Apresentação_ de_ psicologia_ Estresse ocupacionalApresentação_ de_ psicologia_ Estresse ocupacional
Apresentação_ de_ psicologia_ Estresse ocupacionalEversonLima23
 
APRESENTAÇÃO_REDAÇÃO TÉCNICA_SEMINÁRIO.pptx
APRESENTAÇÃO_REDAÇÃO TÉCNICA_SEMINÁRIO.pptxAPRESENTAÇÃO_REDAÇÃO TÉCNICA_SEMINÁRIO.pptx
APRESENTAÇÃO_REDAÇÃO TÉCNICA_SEMINÁRIO.pptxEversonLima23
 
Implantação e treinamento de plano de gestão ambiental.pptx
Implantação e treinamento de plano de gestão ambiental.pptxImplantação e treinamento de plano de gestão ambiental.pptx
Implantação e treinamento de plano de gestão ambiental.pptxEversonLima23
 
Dilemas_e_desafios_para_consolidao_da_educao_bsica_Slides.pptx
Dilemas_e_desafios_para_consolidao_da_educao_bsica_Slides.pptxDilemas_e_desafios_para_consolidao_da_educao_bsica_Slides.pptx
Dilemas_e_desafios_para_consolidao_da_educao_bsica_Slides.pptxEversonLima23
 

Mais de EversonLima23 (7)

APRESENTAÇÃO_RESUMOS DAS NR_18_33_34_35.pptx
APRESENTAÇÃO_RESUMOS DAS NR_18_33_34_35.pptxAPRESENTAÇÃO_RESUMOS DAS NR_18_33_34_35.pptx
APRESENTAÇÃO_RESUMOS DAS NR_18_33_34_35.pptx
 
Lesão por Esforço Repetitivo Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho
Lesão por Esforço RepetitivoDistúrbio Osteomuscular Relacionado ao TrabalhoLesão por Esforço RepetitivoDistúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho
Lesão por Esforço Repetitivo Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho
 
AVC_O Acidente Vascular Cerebral_Derrame Cerebral
AVC_O Acidente Vascular Cerebral_Derrame CerebralAVC_O Acidente Vascular Cerebral_Derrame Cerebral
AVC_O Acidente Vascular Cerebral_Derrame Cerebral
 
Apresentação_ de_ psicologia_ Estresse ocupacional
Apresentação_ de_ psicologia_ Estresse ocupacionalApresentação_ de_ psicologia_ Estresse ocupacional
Apresentação_ de_ psicologia_ Estresse ocupacional
 
APRESENTAÇÃO_REDAÇÃO TÉCNICA_SEMINÁRIO.pptx
APRESENTAÇÃO_REDAÇÃO TÉCNICA_SEMINÁRIO.pptxAPRESENTAÇÃO_REDAÇÃO TÉCNICA_SEMINÁRIO.pptx
APRESENTAÇÃO_REDAÇÃO TÉCNICA_SEMINÁRIO.pptx
 
Implantação e treinamento de plano de gestão ambiental.pptx
Implantação e treinamento de plano de gestão ambiental.pptxImplantação e treinamento de plano de gestão ambiental.pptx
Implantação e treinamento de plano de gestão ambiental.pptx
 
Dilemas_e_desafios_para_consolidao_da_educao_bsica_Slides.pptx
Dilemas_e_desafios_para_consolidao_da_educao_bsica_Slides.pptxDilemas_e_desafios_para_consolidao_da_educao_bsica_Slides.pptx
Dilemas_e_desafios_para_consolidao_da_educao_bsica_Slides.pptx
 

Último

Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptxProposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptxWiliamArmandoHarisso
 
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slidesAula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slidesAntonioJhennysonSouz1
 
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdf
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdfAteliê de costura trabalho final apresentação.pdf
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdfJaquelineMoura42
 
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxavaseg
 
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdf
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdfpdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdf
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdfrwewerw
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxmarketing18485
 
Integração_de__Segurança do Trabalho.pdf
Integração_de__Segurança do Trabalho.pdfIntegração_de__Segurança do Trabalho.pdf
Integração_de__Segurança do Trabalho.pdfEderAlexandre7
 
NR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptx
NR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptxNR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptx
NR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptxMarceloLeoSanttana
 
treinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticatreinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticaleilannygaldino
 

Último (9)

Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptxProposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
 
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slidesAula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
 
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdf
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdfAteliê de costura trabalho final apresentação.pdf
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdf
 
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
 
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdf
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdfpdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdf
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdf
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
 
Integração_de__Segurança do Trabalho.pdf
Integração_de__Segurança do Trabalho.pdfIntegração_de__Segurança do Trabalho.pdf
Integração_de__Segurança do Trabalho.pdf
 
NR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptx
NR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptxNR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptx
NR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptx
 
treinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticatreinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plástica
 

TREINAMENTO_LIXADEIRA_POLICORTE_APT.pptx

  • 2. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO • • • • • • • Introdução EPI - Equipamento de Proteção Individual Características de Lixadeiras Segurança Operacional Os discos Segurança na Operação de Lixadeiras e Policortes Casos mais comuns de erro operacionais e acidentes
  • 3. CURSOSDE LIXADEIRA/POLICORTES Introdução Segurança na Operação de Máquinas Lixadeiras e Policortes. Neste curso você estudará a fundo as informações importantes sobre o manuseio, as características técnicas, e os procedimentos seguros no emprego destas ferramentas.
  • 4. OBJETIVO Tem como objetivo esclarecer, de forma correta, quando ao uso dos EPI, as normas de segurança para os colaboradores, a partir da educação e conscientização, desfrutem dos benefícios alcançados pela realização de um trabalho 100% seguro.
  • 5. NORMASREGULAMENTADORAS NR 06 - Equipamentos de proteção individual O QUE É EPI? 6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho. O EPI PRECISA DE CERTIFICADO ? 6.2 O equipamento de proteção individual, de fabricação nacional ou importado, só poderá ser posto à venda ou utilizado com a indicação do Certificado de Aprovação - CA, expedido pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego.
  • 6. NORMASREGULAMENTADORAS NR 06 - Equipamentos de proteção individual DE QUEM É A RESPONSABILIDADE DE FORNECER O EPI? 6.3 A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes circunstâncias: a) sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho; b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; e, c) para atender a situações de emergência. QUAL É A RESPONSABILIDADE DO EMPREGADO? 6.7.1 Cabe ao empregado quanto ao EPI: a) usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina; b) responsabilizar-se pela guarda e conservação; c) comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso; e, d) cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado.
  • 7. NORMASREGULAMENTADORAS NR 06 - Equipamentos de proteção individual LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PARA OPERADOR DE LIXADEIRAS E POLICORTES Usar protetor de ouvidos. Óculos/Viseira. Avental. Luvas de proteção Sapatos de Segurança.
  • 8. COMPONENTES DE LIXADEIRAS 1 Botão de trava 2 Descanso 3 Interruptor 4 Botão 5Aberturas de ventilação 6 Empunhadeira auxiliar 7 Colar de fixação 8 Eixo de trabalho 9Capa de proteção 10 Chave de pinos 11 Capa de proteção com limitador de profundidade (acessório opcional*) 12 Flange de apoio 13 Porca de aperto 14Disco de desbaste (acessório opcional*) 15 Disco de corte (acessório opcional*)
  • 9. COMPONENTES DE POLICORTE 1 Bloqueio de ligação para o interruptor de ligar-desligar 2Interruptor de ligar-desligar 3 Punho 4 Capa de protecção pendular 5 Bloqueio do fuso 6 Disco de corte 7 Limitador angular 8 Veio de travamento 9Destravamento rápido 10 Punho do veio 11 Orifícios para montagem 12 Placa de base 13 Parafuso de fixação para o limitador angular 14 Chave anular (15 mm; 13 mm) 15 Protecção para o transporte 16 Esbarro de profundidade 17 Braço da ferramenta 18 Punho de transporte
  • 10. COMPONENTES DE POLICORTE 19 Capa de protecção 20Chapa de protecção contra aparas 21 Veio da ferramenta 22 Flange de aperto 23 Arruela plana 24 Parafuso sextavado 25Contra-porca do esbarro de profundidade
  • 11. SEGURANÇA OPERACIONAL Atenção: Ao utilizar ferramentas elétricas observe derminadas medidas básicas de segurança, para evitar o risco de incêndio, choques elétricos e acidentes pessoais. 1. Mantenha o local de trabalho arrumado A desordem no local de trabalho pode ser motivo de acidente. 2. Evite choque elétrico A tomada deve ser adequada ao plugue da ferramenta elétrica. Em hipótese alguma troque ou modifique o plugue. Não utilize adaptadores de tomadas em ferramentas elétricas que utilizam plugues com pino terra. Plugue original e tomada adequada a esse plugue reduzem o risco de choque elétrico.
  • 12. SEGURANÇA OPERACIONAL 3. Não sobrecarregue a ferramenta Você conseguirá trabalhar melhor e com mais segurança se observar os limites indicados para cada máquina. 4. Utilize a ferramenta apropriada Não use ferramentas demasiado fracas para trabalhos pesados. Não empregue ferramentas em trabalhos e para fins a que não se destinam; não use, por exemplo, uma serra circular manual para cortar árvores ou troncos. 5. Escolha vestuário apropriado para o trabalho Não use roupas largas ou jóias, pois podem prender-se em alguma peça móvel. Nos trabalhos externos aconselha-se o uso de luvas e sapatos que não escorreguem. Se tiver cabelo comprido, prenda-o com uma rede.
  • 13. SEGURANÇA OPERACIONAL 6. Não force o cabo elétrico Nunca transporte a ferramenta pelo cabo elétrico e não o puxe para tirar o plugue da tomada. Proteja-o de calor e evite seu contato com óleo e objetos cortantes. 7. Mantenha fixa a peça a ser trabalhada Utilize dispositivos de fixação ou uma morsa, a fim de fixar a peça a ser trabalhada. Ficará mais seguro do que a fixação manual e você, obrigatoriamente, deve manusear a máquina com ambas as mãos. 8. Não mantenha a máquina ligada à rede Quando não estiver em uso, ou ao trocar acessórios, como por exemplo o disco de serra, etc mantenha a máquina desligada da rede. 9.Evite escutar músicas, MP3 ou qualquer outro tipo de coisa que possa tirar sua atenção do trabalho. Trabalhar de forma atenta é um dos principais itens que colaboram para evitam acidentes.
  • 14. TIPOS DE DISCOS CORTE OU DESBASTE Disco de Corte Destinado a corte de chapas , tubos e perfis de baixa espessura A face lateral do disco não deve ser usada para esmerilhar Não se deve forçar o disco contra a peça ao ponto de baixar muito a rotação Disco de Desbaste: Destinado a desbastar superfícies Projetado para usar as faces laterais contra a peça a esmerilhar Escova Rotativa Serve para polimento final de uma solda e retirada de crosta de ferrugem.
  • 15. TIPOS DE DISCOS CORTE OU DESBASTE Disco de Corte/Desbaste: Lixas com formato circular, com ou sem furo central, que é fixado a um suporte, acoplado a uma máquina portátil ou estacionária. Discos com diferentes diâmetros e diferentes tipos de grãos abrasivos são fabricados para cada aplicação.
  • 16. TIPOS DE DISCOS COMPOSIÇÃO DE UM DISCO DE CORTE
  • 17. TIPOS DE DISCOS CORTE OU DESBASTE Algumas das principais causas de quebra de discos abrasivos são: a) Velocidade da máquina superior à assimilada no rótulo dos discos; b)Montagem incorreta dos discos na máquina, como aperto excessivo, flanges sujos, empenados, imperfeitos e/ou pequenos, entre outros fatores; c)Usos abusivos, ocasionados pela pressão excessiva de trabalho, especialmente nas laterais do disco, por choques contra a peça obra, utilização da lateral para rebarbar peças, etc.
  • 19. Vermelho para aço Azul para aços inoxidáveis e ligas à base de níquel Verde para alumínio e metais não-ferrosos SELEÇÃO DOS DISCOS
  • 20. Cinza para concreto e materiais dúteis e flexíveis Preto para plástico SELEÇÃO DOS DISCOS
  • 21. - Sempre respeitar as restrições de utilização indicada no rótulo dos discos. NÃO adequado para desbaste NÃO adequado para máquinas manuais NÃO utilizar para desbaste ou corte com água SELEÇÃO DOS DISCOS
  • 22. Assegurar que a RPM máxima da máquina seja sempre, em qualquer condição de funcionamento, igual ou inferior à velocidade máxima indicada no rótulo do disco. Certificar-se que a máquina não exceda a velocidade máxima de operação do disco abrasivo (máquinas com ajuste automático da velocidade proporcional ao diâmetro do disco). Verificar com um tacômetro se a velocidade de rotação da máquina corresponde ao valor indicado em sua etiqueta. Caso contrário, consertar a máquina antes de utilizá-la. VELOCIDADE DE TRABALHO DOS DISCOS
  • 23. INSTRUÇÕES PARA MONTAGEM Antes de montar ou desmontar um produto abrasivo, desligue a fonte de alimentação da máquina (energia elétrica, ar comprimido etc.). Para abrasivos com haste montada, a velocidade do disco refere-se a um comprimento livre da haste fora da fixação máxima de ½”. Para um comprimento livre da haste fora da fixação superior à ½”, reduzir a velocidade.
  • 24. A fim de não danificar o disco durante a montagem, evitar o uso de pressão excessiva para sua fixação. Nunca forçar os discos durante a montagem. Se o furo do disco for pequeno para o eixo da máquina, não forçar. Verificar se o diâmetro do furo indicado no rótulo do disco corresponde ao indicado no manual de instruções da máquina. Não montar discos se o furo não for compatível com o eixo. Isto pode gerar fortes vibrações e ser muito perigoso. Não montar mais de um disco no mesmo eixo. Nunca use disco reto Tipo 1 (EN 41), com um flange para discos com centro deprimido. FIXAÇÃO
  • 25. Alguns tipos de discos são equipados com um anel que é montado entre o flange e as laterais do disco antes de sua fixação, para evitar o deslizamento, compensar pequenas irregularidades da superfície do flange e do disco, e reduzir o desgaste do flange. O anel é feito de material macio (por exemplo, papel ou papelão) e deve ter diâmetro ligeiramente maior que o flange utilizado. Usar sempre um anel novo. Discos para máquinas de bancada são equipados com um base de apoio que precisa ser ajustado antes do uso. A distância não deve ser superior a 3 mm (1/8") do disco e não deve tocá-lo durante a operação. FIXAÇÃO
  • 26. Discos de desbaste tipos 27, 28 e 29 não devem ser usados em um ângulo muito baixo ou muito alto em relação à peça-obra. Tipo 27: Ângulo ideal para discos de desbaste varia de 15° to 30° Tipo 29 Ângulo ideal para discos flexíveis é 10° Tipo 28: Ângulo ideal é inferior a 10° Para discos Combo Tipo 27 (corte e desbaste), o ângulo ideal é de 90° ou 20° ÂNGULO DE TRABALHO
  • 27. ÂNGULO DE TRABALHO O único ângulo permitido para discos de corte é de 90° em relação ao material (Tipo 1 (EN 41) – reto) Tipo 27 / (EN 42) – centro deprimido)
  • 28. - Manuseie o disco sempre com extrema atenção e segurança. -Caso exista alguma suspeita de que o disco esteja com algum defeito ou danificados, consulte imediatamente o fabricante. MANUSEIO
  • 29. Segurança na Operação Sempre use os equipamentos individuais de segurança
  • 30. Segurança na Operação Nunca transporte a máquina pelo cabo elétrico.
  • 31. Segurança na Operação Nunca pendure a máquina pelo cabo elétrico.
  • 32. Segurança na Operação Na troca de acessórios, desconecte o cabo da energia.
  • 33. Segurança na Operação Verifique o ambiente, evitando o contato com materiais inflamáveis.
  • 34. SEGURANÇA NA OPERAÇÃO Utilize biombos, lonas plásticas ou outro tipo de obstáculo, como prevenção de acidentes com terceiros.
  • 35. CASOS MAIS COMUNS DE ERROS OPERACIONAIS NUNCA remova a capa de proteção ao operar a ferramenta. SEMPRE que realizar trabalhos em peças pequenas, fixe-as antes de iniciar o serviço. Manuseie sempre com as duas mãos.
  • 36. CASOS MAIS COMUNS DE ERROS OPERACIONAIS Evite ficar na Linha de Corte da máquina. Evite impactos no eixo da máquina, quando retirar o acessório.
  • 37. CASOS MAIS COMUNS DE ERROS OPERACIONAIS Nunca use a máquina entre as pernas. Esteja sempre em uma posição confortável quando for trabalhar.
  • 38. Casos mais comuns de erros operacionais Nunca use disco de corte para desgastar (ou limar rebarbas das peças cortadas nas laterais do disco) e vice-e-versa.
  • 39. CASOS MAIS COMUNS DE ERROS OPERACIONAIS A DISTRAÇÃO do operador durante o trabalho pode levar a descontrole da ferramenta e causar acidentes
  • 40. CASOS MAIS COMUNS DE ERROS OPERACIONAIS O EXCESSO DE CONFIANÇA leva o operador a descuidar em cuidados básicos no manuseio de ferramentas . Temos registros de acidente com lixadeiras operadas por ENCANADORES experientes com mais de 10 anos na função O MEDO de perguntar / tirar dúvidas pode levar um funcionário com pouca habilidade a operar a ferramenta de forma insegura .
  • 41. Operação Segura! O grande motivo para segurança no trabalho pode ser um BEM pequeno!
  • 42. VOCÊ SABE O QUE É: ACIDENTE DE TRABALHO ? Acidente de trabalho é uma ocorrência não programada, inesperada ou não, que interrompe ou interfere no processo normal de uma atividade, ocasionando perda de tempo útil e/ou lesões nos trabalhadores e danos materiais Ato Inseguro Comportamento Condição Insegura Ambiente