SlideShare uma empresa Scribd logo
Linguagens, Códigos e suas Tecnologias -
Língua Portuguesa
Ensino Médio, 3ª Série
Texto argumentativo: dissertação escolar.
LÍNGUA PORTUGUESA, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Objetivo da dissertação escolar
Sabendo-se que nesse gênero a maior finalidade é
persuadir, convencer seu interlocutor de sua opinião, ou
mesmo fazer com que a sua hipótese seja aceita como
válida, é necessário entender como isso pode ser feito
com mais eficácia.
Para isso partiremos de dois pontos (elementos)
básicos:
1- TESE: sua hipótese, sua opinião acerca do tema.
2- ARGUMENTOS: aquilo que você vai utilizar para
convencer alguém a aceitar sua tese.
Imagine a seguinte situação:
Sua escola irá organizar uma excursão
pedagógica ao Sítio Histórico de Olinda, mas seus
responsáveis não permitem que você vá.
O que você poderia dizer para convencê-los do
contrário?
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Imagem:
Prefeitura
de
Olinda
/
Creative
Commons
Attribution
2.0
Generic.
Prefeitura
de
Olinda
/
Creative
Commons
Attribution
2.0
Generic.
a- Todos os meus amigos vão;
b- haverá um trabalho para a nota;
c- vai ser divertido;
d- vai ser a maior festa no ônibus;
e- vamos conhecer um pouco da história do nosso Estado;
f- vamos estar acompanhados por 10 professores;
g- no Alto da Sé vende-se um acarajé delicioso;
h- vamos ver ao vivo coisas que só vemos nos livros, como a
arte e a arquitetura barroca.
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Imagem: Chen / public domain
Pois é, considerando que seus responsáveis se
preocupam com sua educação, o natural seria que os
seguintes argumentos funcionassem melhor:
b- haverá um trabalho para a nota;
e- vamos conhecer um pouco da história do nosso estado;
f- vamos estar acompanhados por 10 professores;
h- vamos ver ao vivo coisas que só vemos nos livros, como a arte e a
arquitetura barroca.
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Porém, se você tivesse tentando convencer um amigo a
ir com você, talvez, estes funcionassem melhor:
a- todos os meus amigos vão;
c- vai ser divertido;
d- vai ser a maior festa no ônibus;
g- no Alto da Sé, vende-se um acarajé delicioso;
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Tese:
- quero ir a Olinda
Interlocutor:
- responsáveis
Argumentos:
b- haverá um trabalho para a
nota;
e- vamos conhecer um pouco da
história do nosso estado;
f- vamos estar acompanhados
por 10 professores;
h- vamos ver ao vivo coisas que
só vemos nos livros,
como a arte e a
arquitetura barroca.
Tese:
- vamos a Olinda comigo!
Interlocutor:
- amigos
Argumentos:
a- todos os meus amigos vão;
c- vai ser divertido;
d- vai ser a maior festa no ônibus;
g- no Alto da Sé, vende-se um
acarajé delicioso;
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Imagem: Drodriguez505
/ GNU Free
Documentation License.
Imagem:
Pictofigo
/
Creative
Commons
Attribution-Share
Alike
3.0
Unported.
Dependendo do seu interlocutor (responsáveis ou
amigos), ficaria simples escolher quais argumentos
funcionariam melhor. Na Dissertação Escolar, porém, seu
interlocutor pode ser qualquer um – o que chamamos de
leitor universal.
Sendo assim, seus argumentos devem ser também
universais, ou seja, ser reconhecidos
como verdadeiros ou possíveis por
qualquer um.
Aqui vão algumas
estratégias que podem ajudá-lo
nessa importante escolha:
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Imagem: Steelman / Creative
Commons Attribution-Share Alike 2.5
Generic.
Tipos de argumentos
I – Argumentação por citação (ou de autoridade):
neste tipo de argumento, utiliza-se a voz de outras pessoas que
corroboram (confirmam) a opinião do autor. Normalmente essa pessoa
(ou instituição) citada é um especialista na área ou alguém reconhecido
pela sociedade como confiável.
TESE: A leitura é extremamente importante.
EX: A leitura permite ao homem se comunicar, aprender e até mesmo
desenvolver, trabalhar suas dificuldades. Em reportagem recente, uma
grande revista de circulação nacional atribuiu à leitura, a importância
de agente fundamental para a transformação social do nosso país.
Através do conhecimento da língua, todos tem acesso à
informação e são capazes de emitir uma opinião sobre os
acontecimentos. Ter opinião é cidadania e essa parte
pode ser a grande transformação social do Brasil (1).
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Tipos de argumentos
II – Argumentação por dados concretos:
estes argumentos se baseiam em demonstrar a
opinião através de estatísticas, dados que revelem o
que o autor quer provar.
Tese: O brasileiro não tem o hábito de ler.
Em uma pesquisa recente sobre hábitos de leitura, os
brasileiros ficaram em 27º em um ranking de 30 países,
gastando 5,2 horas por semana com um livro. Os argentinos,
vizinhos, ficaram em 18º (2).
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Tipos de argumentos
III – Argumentação por exemplificação: aqui se faz a
defesa da tese, através da apresentação de um
exemplo, um fato, um acontecimento que
demonstrem o que o autor quer provar.
Obs.: é preferível que o fato escolhido seja
amplamente conhecido, porém não precisa ser verídico,
mas reconhecidamente verossímil, ou seja, mesmo que não tenha
acontecido, deve estar o mais perto possível da realidade.
Tese: O Brasil começa a dar mais importância à leitura.
Um jovem senta no metrô, abre sua
mochila, retira um livro e começa a ler. Essa é uma imagem
cada vez mais frequente e que reflete uma lenta mudança de
hábitos no Brasil.
Imagem: José Ferraz de Almeida
Júnior (1850–1899) / public
domain.
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Tipos de argumentos
IV – Argumentação por causa e consequência: a argumentação aqui
passa por uma questão de lógica. O autor, ao usar este tipo de
argumentação, estabelece uma relação entre o motivo (causa) e a
consequência (efeito) de determinado fato. Assim o autor pretende, de
maneira lógica, provar sua tese.
TESE: O hábito da leitura traz benefícios incríveis.
Ex.: Os benefícios da leitura são cientificamente
comprovados. Pesquisas indicam que crianças que têm o hábito da
leitura incentivado durante toda a vida escolar desenvolvem
seu senso crítico e mantêm seu rendimento escolar em um
nível alto. O analfabetismo, um dos grandes obstáculos da
educação no Brasil, está sendo combatido com a educação
de jovens e adultos, mas a tecnologia está afastando
nossas crianças dos livros (3).
Introdução
Introduzir uma dissertação escolar é mais do
que meramente iniciá-la, é, na verdade, dar início à
persuasão.
Assim, o modo como se introduz o texto pode
ou não contar pontos para atingir o objetivo: provar
a tese. Vejamos algumas formas eficazes de se fazer
isso.
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
I- ROTEIRO: como em toda
introdução, o tema deve estar
presente. Além disso, neste tipo é
apresentado ao leitor o roteiro de
discussão que será seguido
durante o desenvolvimento.
II- HIPÓTESE: este tipo de
introdução traz o ponto de vista a
ser defendido, ou seja, a tese que
se pretende discutir.
III- PERGUNTAS: esta
introdução constitui-se de uma
série de perguntas sobre o tema.
Tais perguntas devem ser
comprovadas durante o
desenvolvimento.
IV- HISTÓRICA: esta
introdução traça um rápido
panorama histórico da questão,
servindo muitas vezes de
contraponto ao presente (4).
( ) Na década de 90, tivemos um exemplo da
violência e do descaso com as crianças do país. A
tragédia conhecida como Chacina da Candelária
expôs o flagelo da realidade de grande parte de
nossas crianças.
( ) A situação das crianças brasileiras não é das
melhores. Não há creches suficientes para atender
as menores, as escolas que atendem as maiores não
oferecem um bom serviço e, como se não bastasse,
são frequentes os casos de abusos e violências.
( ) É preciso mudar drasticamente o tratamento
dado à criança brasileira. Não se pode mais negar a
elas direitos essenciais do ser humano como
educação, saúde, moradia etc. como vem
acontecendo ao longo do tempo
( ) Quais as reais oportunidades dadas à criança
brasileira hoje? Quantas terminarão a faculdade?
Quantas concluirão um curso técnico ou mesmo o
Ensino Fundamental?
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
V- COMPARAÇÃO: por
semelhança ou oposição, procura-
se, neste tipo de introdução,
mostrar como o tema, ou aspectos
dele, se assemelham - ou se
opõem - a outros.
VI- DEFINIÇÃO: parte da
definição do significado do tema,
ou de uma parte dele.
VII- CONTESTAÇÃO: contesta
uma ideia ou uma citação
conhecida.
VIII-NARRAÇÃO: narra-se um
pequeno fato de relevância como
ponto de partida para a análise do
tema.
IX- ESTATÍSTICA: consiste em se
apresentar dados estatísticos
relativos à questão a ser tratada.
X- MISTA: procura fundir várias
formas de introdução.
( ) A criança brasileira não é tratada com dignidade. Qual a
qualidade da escola oferecida à maioria de nossas crianças e
adolescentes? Quais oportunidades reais, além do futebol, são
oferecidas a ela?
( ) Embora a mortalidade infantil tenha diminuído mais de
50% nos últimos 20 anos, o descaso com as crianças continua
evidente quando encaramos o fato de que essas mortes
poderiam ser reduzidas em pelo menos 70% se às mães fosse
dado o tratamento adequado.
( ) Ainda ecoa na lembrança do país o caso da adolescente
resgatada pela polícia em Goiânia. A adolescente estava
amarrada e apresentava marcas de espancamento, como se
não bastasse, era responsável por todo o serviço da casa.
( ) O Brasil é o país do futuro diz o ditado, porém quando
vemos a situação das crianças que são o futuro do país – má
educação, falta de saúde, de segurança e de oportunidades –
somos levados a crer que o futuro será triste, a menos que algo
seja feito para mudar esse quadro.
( ) Direito seria o inegável, o justo, o legítimo. Baseado nisso,
parece lógico dizer que as crianças deste país não têm de fato
direitos, já que necessidades básicas lhes são negadas e não
são tratadas com legitimidade ou justiça.
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Conclusão
O verbo concluir tem dois significados
básicos:
1- finalizar, terminar, pôr fim;
2- inferir, tirar conclusões a partir de fatos.
Na dissertação escolar, temos de
assumir os dois significados:
I- o gênero tem a função de convencer o leitor da validade de sua tese;
II- os argumentos usados no desenvolvimento tentam provar a tese;
III- finaliza-se o texto inferindo algo a partir dos argumentos
apresentados.
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Levando em consideração os pontos I, II e III, é
necessário admitir a conclusão como um retorno à
tese, observe:
A- apresenta-se a tese;
B- apresentam-se argumentos para defender a tese;
C- chega-se a uma conclusão a partir dos argumentos
apresentados, que provam a tese.
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
A conclusão, além da finalização do texto, é
obviamente um retorno à tese, pois seus argumentos
orientarão o pensamento do leitor até ela.
Porém, ela não é um simples retorno à introdução,
mas um reforço à tese desde que seja garantida a
progressão textual, ou seja, a continuidade das ideias do
texto.
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Vejamos na prática o que tudo isso significa:
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Chegando ao terceiro milênio, o homem
ainda não conseguiu resolver os graves problemas
que preocupam a todos, pois existem populações
imersas em completa miséria, a paz é
interrompida frequentemente por conflitos
internacionais e, além do mais, o meio ambiente
encontra-se ameaçado por sério desequilíbrio
ecológico.
Embora o planeta disponha de riquezas
incalculáveis – estas, mal distribuídas, quer
entre Estados, quer entre indivíduos –
encontramos legiões de famintos em pontos
específicos da Terra. Nos países do Terceiro
Mundo, sobretudo em certas regiões da África,
vemos com tristeza, a falência da solidariedade
humana e da colaboração entre as nações.
Além disso, nesta últimas décadas, temos
assistido, com certa preocupação, aos conflitos
internacionais que se sucedem. Muitos trazem na
memória a triste lembrança das guerras do Vietnã
e da Coréia, as quais provocaram grande
extermínio. Em nossos dias, testemunhamos
conflitos na antiga Iugoslávia, em alguns membros
da Comunidade dos Estados Independentes, sem
falar da Guerra do Golfo, que tanta apreensão
nos causou.
Outra preocupação constante é o
desequilíbrio ecológico, provocado pela ambição
desmedida de alguns, que promovem
desmatamentos desordenados e poluem as
águas dos rios. Tais atitudes contribuem para
que o meio ambiente, em virtude de tantas
agressões, acabe por se transformar em local
inabitável.
Em virtude dos fatos mencionados,
somos levados a acreditar que o homem está
muito longe de solucionar os graves problemas
que afligem diretamente uma grande parcela da
humanidade e indiretamente a qualquer pessoa
consciente e solidária. É desejo de todos nós que
algo seja feito no sentido de conter essas forças
ameaçadoras, para podermos suportar as
adversidades e construir um mundo que, por ser
justo e pacífico, será mais facilmente habitado
pelas gerações vindouras (5).
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
INTRODUÇÃO
Apresenta a tese e antecipa os
argumentos
(1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico)
PRIMEIRO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Fome e miséria
SEGUNDO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Conflitos violentos
TERCEIRO ARGUMENTO
Argumentação por causa e consequência
Desequilíbrio ecológico
CONCLUSÃO
Reforço da tese
Proposta de solução
Análise da Estrutura Argumentativa
Introdução
(tipo roteiro)
Aqui o autor nos apresenta
claramente sua tese – “o homem ainda não
conseguiu resolver os graves problemas
que preocupam a todos”– e nos apresenta
logo de início quais argumentos utilizará no
desenvolvimento:
Argumento 1 = “existem populações imersas
em completa miséria”;
Argumento 2 = “a paz é interrompida
frequentemente por conflitos internacionais”;
Argumento 3 = o meio ambiente encontra-se
ameaçado por sério desequilíbrio ecológico.
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
INTRODUÇÃO
Apresenta a tese e antecipa os
argumentos
(1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico)
PRIMEIRO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Fome e miséria
SEGUNDO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Conflitos violentos
TERCEIRO ARGUMENTO
Argumentação por causa e consequência
Desequilíbrio ecológico
CONCLUSÃO
Reforço da tese
Proposta de solução
Análise da Estrutura Argumentativa
Introdução
(tipo roteiro)
A partir da introdução, (tipo
roteiro) já conseguimos identificar a linha
de argumentação do autor. O autor pretende
provar que os maiores problemas da
humanidade ainda não foram resolvidos,
para persuadir seu interlocutor dessa
posição, ele citará exemplos de imensos
problemas de diversas naturezas.
INTRODUÇÃO
Apresenta a tese e antecipa os
argumentos
(1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico)
PRIMEIRO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Fome e miséria
SEGUNDO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Conflitos violentos
TERCEIRO ARGUMENTO
Argumentação por causa e consequência
Desequilíbrio ecológico
CONCLUSÃO
Reforço da tese
Proposta de solução
Análise da Estrutura Argumentativa
Desenvolvimento:
nesse texto o autor
desenvolve seus argumentos
seguindo a mesma ordem já
apresentada na introdução –
primeiro parágrafo:
Argumento 1 = “existem populações imersas
em completa miséria”;
Argumento 2 = “a paz é interrompida
frequentemente por conflitos internacionais”;
Argumento 3 = “o meio ambiente encontra-se
ameaçado por sério desequilíbrio ecológico”.
INTRODUÇÃO
Apresenta a tese e antecipa os
argumentos
(1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico)
PRIMEIRO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Fome e miséria
SEGUNDO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Conflitos violentos
TERCEIRO ARGUMENTO
Argumentação por causa e consequência
Desequilíbrio ecológico
CONCLUSÃO
Reforço da tese
Proposta de solução
Análise da Estrutura Argumentativa
1º argumento:
Ao iniciar a argumentação
propriamente dita, o autor prova a ideia já
apresentada da existência da fome e da
miséria quando nos exemplifica tais fatos
citando países do Terceiro Mundo,
sobretudo certas regiões da África, onde
reconhecidamente as
pessoas enfrentam
dificuldades
alimentares extremas.
Imagem: Pablo Romero Ibáñez
/ public domain.
INTRODUÇÃO
Apresenta a tese e antecipa os
argumentos
(1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico)
PRIMEIRO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Fome e miséria
SEGUNDO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Conflitos violentos
TERCEIRO ARGUMENTO
Argumentação por causa e consequência
Desequilíbrio ecológico
CONCLUSÃO
Reforço da tese
Proposta de solução
Análise da Estrutura Argumentativa
2º argumento:
No 2º argumento – 3º parágrafo
– o autor demonstra, através dos
exemplos de algumas guerras, o que
havia afirmado na introdução:
“a paz é interrompida
frequentemente por
conflitos
internacionais”
Imagem: Eduarda7 / Creative
Commons Attribution-Share Alike
2.5 Portugal.
INTRODUÇÃO
Apresenta a tese e antecipa os
argumentos
(1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico)
PRIMEIRO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Fome e miséria
SEGUNDO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Conflitos violentos
TERCEIRO ARGUMENTO
Argumentação por causa e consequência
Desequilíbrio ecológico
CONCLUSÃO
Reforço da tese
Proposta de solução
Análise da Estrutura Argumentativa
3º argumento:
O quarto parágrafo muda um
pouco a estratégia argumentativa.
Para provar o desequilíbrio
ecológico, o autor estabelece uma
relação de causa e consequência,
entre a “ambição desmedida”e o
“desequilíbrio
ecológico”.
Imagem:
http://areaprojecto8a.wiki
spaces.com/ Creative
Commons Attribution-
Share Alike 3.0 Unported
AMBIÇÃO DESEQUILÍBRIO
(causa) (consequência)
3º ARGUMENTO
Imagem: Marya / Creative
Commons Attribution 2.0 Generic.
Imagem: alexandro auler from Recife,
Brazil / Creative Commons Attribution
2.0 Generic.
INTRODUÇÃO
Apresenta a tese e antecipa os
argumentos
(1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico)
PRIMEIRO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Fome e miséria
SEGUNDO ARGUMENTO
Argumentação por exemplificação
Conflitos violentos
TERCEIRO ARGUMENTO
Argumentação por causa e consequência
Desequilíbrio ecológico
CONCLUSÃO
Reforço da tese
Proposta de solução
Análise da Estrutura Argumentativa
Conclusão
Na conclusão, como de
praxe, o autor retoma sua tese
inicial:
“o homem ainda não
conseguiu resolver os graves
problemas que preocupam a
todos” (trecho da introdução)
(6)
COMPONENTE CURRICULAR, Série
Tópico
Conclusão
Note, porém, que, apesar de ser um retorno à tese,
o autor garante a progressão textual, ao afirmar
quem são “ TODOS” citados na exposição inicial
da tese:
“o homem está muito longe de solucionar os graves problemas que
afligem diretamente uma grande parcela da humanidade e
indiretamente a qualquer pessoa consciente e solidária.” (7)
Muitos exames, como o ENEM,
pedem que o candidato apresente propostas para
solucionar ou amenizar o problema exposto.
Vemos aqui que o autor caminha neste
sentido, porém não traz uma proposta concreta. Releia a
conclusão:
Em virtude dos fatos mencionados, somos levados a
acreditar que o homem está muito longe de solucionar os graves
problemas que afligem diretamente uma grande parcela da
humanidade e indiretamente a qualquer pessoa consciente e solidária.
É desejo de todos nós que algo seja feito no sentido de conter essas
forças ameaçadoras, para podermos suportar as adversidades e
construir um mundo que, por ser justo e pacífico, será mais
facilmente habitado pelas gerações vindouras (8).
COMPONENTE CURRICULAR, Série
Tópico
É desejo de todos nós que algo seja feito no
sentido de conter essas forças ameaçadoras
A frase acima nos leva a duas questões básicas
para se chegar a uma solução.
1-O que, de fato, poderia ser feito para contê-las?
2- Quem são as forças ameaçadoras
citadas na conclusão?
O que seriam as
“forças ameaçadoras”
de que o autor fala?
a- Quais as causas da
miséria?
b- Qual a causa da
degradação
ambiental?
2º PARÁGRAFO
Embora o planeta disponha de riquezas
incalculáveis – estas, mal distribuídas, quer
entre Estados, quer entre indivíduos – encontramos
legiões de famintos em pontos específicos da Terra.
Nos países do Terceiro Mundo, sobretudo em certas
regiões da África, vemos, com tristeza, a falência da
solidariedade humana e da colaboração entre as
nações.
4º PARÁGRAFO
Outra preocupação constante é o desequilíbrio
ecológico, provocado pela ambição desmedida de
alguns, que promovem desmatamentos
desordenados e poluem as águas dos rios. Tais
atitudes contribuem para que o meio ambiente, em
virtude de tantas agressões, acabe por se
transformar em local inabitável (9).
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Avaliando as causas apresentadas (falta de
solidariedade, ambição) e estendendo-as, através
da experiência de vida, às guerras, chegamos a
uma proposta mais concreta:
Ex: Em virtude dos fatos mencionados, somos levados a
acreditar que o homem está muito longe de solucionar os graves
problemas que afligem diretamente uma grande parcela da
humanidade e indiretamente a qualquer pessoa consciente e solidária.
É preciso apostar pesadamente numa educação transformadora e
cidadã, que tenha suas bases no respeito e solidariedade, só assim
poderemos construir um mundo que, por ser justo e pacífico, será
mais facilmente habitado pelas gerações vindouras (10).
LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano
Texto argumentativo: dissertação escolar
Tabela de Imagens
Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso
3a Prefeitura de Olinda / Creative
Commons Attribution 2.0 Generic.
http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Centro_
Hist%C3%B3rico_de_Olinda_-_Pernambuco.jpg
28/03/2012
3b Prefeitura de Olinda / Creative
Commons Attribution 2.0 Generic.
http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Mosteir
o_de_S%C3%A3o_Bento-(Olinda-PE).jpg
28/03/2012
4 Chen / public domain http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Group_
pic.jpg
29/03/2012
7a Drodriguez505 / GNU Free Documentation
License.
http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Group_
work2.JPG
29/03/2012
7b Pictofigo / Creative Commons Attribution-Share
Alike 3.0 Unported.
http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Family-
party.png
29/03/2012
8 Steelman / Creative Commons Attribution-Share
Alike 2.5 Generic.
http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Estudo.j
pg
30/03/2012
11 José Ferraz de Almeida Júnior (1850–
1899) / public domain.
http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Almeid
a_J%C3%BAnior_-_Mo%C3%A7a_com_Livro.jpg
03/04/2012
24 Pablo Romero Ibáñez / public domain. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:No_m%
C3%A1s_pobreza.jpg
03/04/2012
25 Eduarda7 / Creative Commons Attribution-Share
Alike 2.5 Portugal.
http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Carro_d
e_Combate_Portugu%C3%AAs_(Penha_Garcia).j
pg
03/04/2012
26 http://areaprojecto8a.wikispaces.com/ Creative
Commons Attribution-Share Alike 3.0
Unported
http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Emiss%
C3%A3o%2Bde%2Bgases%2Bpoluentes.jpg
03/04/2012
Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso
27a Marya / Creative Commons Attribution 2.0
Generic.
http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Money
_lunch.jpg
03/04/2012
27b alexandro auler from Recife, Brazil / Creative
Commons Attribution 2.0 Generic.
http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Incendi
o_no_bairro_Sao_Jose.jpg
03/04/2012
Tabela de Imagens

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Texto argumentativo dissertação escolar..pptx

Campanha educativa bullying
Campanha educativa bullyingCampanha educativa bullying
Campanha educativa bullyingLiliane Machado
 
CILP 2014 - slides 3 - Redação - aula 29/03
CILP 2014  - slides 3 - Redação - aula 29/03CILP 2014  - slides 3 - Redação - aula 29/03
CILP 2014 - slides 3 - Redação - aula 29/03
jasonrplima
 
AULÃO DE REDAÇÃO ENEM 2017
AULÃO DE REDAÇÃO ENEM 2017AULÃO DE REDAÇÃO ENEM 2017
AULÃO DE REDAÇÃO ENEM 2017
CrisBiagio
 
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
Cynthia Funchal
 
Dissertação aula com técnicas
Dissertação aula com técnicasDissertação aula com técnicas
Dissertação aula com técnicas
ressurreicaorecreio
 
Conversa filosófica 2015
Conversa filosófica 2015Conversa filosófica 2015
Conversa filosófica 2015
Elisangela Zati
 
Workshop-de-Redao.pdf
Workshop-de-Redao.pdfWorkshop-de-Redao.pdf
Workshop-de-Redao.pdf
lorena718313
 
Workshop de-redao
Workshop de-redaoWorkshop de-redao
Workshop de-redao
Milenon Farias
 
Primeiro paragrafo gqm_2013_22_03
Primeiro paragrafo gqm_2013_22_03Primeiro paragrafo gqm_2013_22_03
Primeiro paragrafo gqm_2013_22_03Moises Ribeiro
 
Dissertação organização e apresentação da tese
Dissertação organização e apresentação da teseDissertação organização e apresentação da tese
Dissertação organização e apresentação da tesemarlospg
 
Ensino de História e Experências
Ensino de História e ExperênciasEnsino de História e Experências
Ensino de História e Experências
Alef Lopes
 
jovens de palavra - E E Almeida Jr
 jovens de palavra - E E Almeida Jr  jovens de palavra - E E Almeida Jr
jovens de palavra - E E Almeida Jr
Mieli Rivero Montaño
 
Plano de curso sociologia
Plano de curso sociologiaPlano de curso sociologia
Plano de curso sociologia
kelton68
 
Prova de Língua Portuguesa da Ufop 2006 2 resolvida e comentada
Prova de Língua Portuguesa da Ufop 2006 2 resolvida e comentadaProva de Língua Portuguesa da Ufop 2006 2 resolvida e comentada
Prova de Língua Portuguesa da Ufop 2006 2 resolvida e comentada
ma.no.el.ne.ves
 
Dissertação completa.pptx
Dissertação completa.pptxDissertação completa.pptx
Dissertação completa.pptx
AndreRamos99
 
"A rigidez do modelo educativo é uma rigidez militar". Entrevista com Jurjo T...
"A rigidez do modelo educativo é uma rigidez militar". Entrevista com Jurjo T..."A rigidez do modelo educativo é uma rigidez militar". Entrevista com Jurjo T...
"A rigidez do modelo educativo é uma rigidez militar". Entrevista com Jurjo T...
Jurjo Torres Santomé
 
Panorama estudo violencia_escolas
Panorama estudo violencia_escolasPanorama estudo violencia_escolas
Panorama estudo violencia_escolas
Raimundo Bezerra
 
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leituraProjeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Amanda Freitas
 

Semelhante a Texto argumentativo dissertação escolar..pptx (20)

Campanha educativa bullying
Campanha educativa bullyingCampanha educativa bullying
Campanha educativa bullying
 
Campanha educativa bullying
Campanha educativa bullyingCampanha educativa bullying
Campanha educativa bullying
 
CILP 2014 - slides 3 - Redação - aula 29/03
CILP 2014  - slides 3 - Redação - aula 29/03CILP 2014  - slides 3 - Redação - aula 29/03
CILP 2014 - slides 3 - Redação - aula 29/03
 
AULÃO DE REDAÇÃO ENEM 2017
AULÃO DE REDAÇÃO ENEM 2017AULÃO DE REDAÇÃO ENEM 2017
AULÃO DE REDAÇÃO ENEM 2017
 
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
 
Dissertação aula com técnicas
Dissertação aula com técnicasDissertação aula com técnicas
Dissertação aula com técnicas
 
Conversa filosófica 2015
Conversa filosófica 2015Conversa filosófica 2015
Conversa filosófica 2015
 
Workshop-de-Redao.pdf
Workshop-de-Redao.pdfWorkshop-de-Redao.pdf
Workshop-de-Redao.pdf
 
Workshop de-redao
Workshop de-redaoWorkshop de-redao
Workshop de-redao
 
Primeiro paragrafo gqm_2013_22_03
Primeiro paragrafo gqm_2013_22_03Primeiro paragrafo gqm_2013_22_03
Primeiro paragrafo gqm_2013_22_03
 
Dissertação organização e apresentação da tese
Dissertação organização e apresentação da teseDissertação organização e apresentação da tese
Dissertação organização e apresentação da tese
 
Ensino de História e Experências
Ensino de História e ExperênciasEnsino de História e Experências
Ensino de História e Experências
 
jovens de palavra - E E Almeida Jr
 jovens de palavra - E E Almeida Jr  jovens de palavra - E E Almeida Jr
jovens de palavra - E E Almeida Jr
 
Plano de curso sociologia
Plano de curso sociologiaPlano de curso sociologia
Plano de curso sociologia
 
Modulo 12
Modulo 12Modulo 12
Modulo 12
 
Prova de Língua Portuguesa da Ufop 2006 2 resolvida e comentada
Prova de Língua Portuguesa da Ufop 2006 2 resolvida e comentadaProva de Língua Portuguesa da Ufop 2006 2 resolvida e comentada
Prova de Língua Portuguesa da Ufop 2006 2 resolvida e comentada
 
Dissertação completa.pptx
Dissertação completa.pptxDissertação completa.pptx
Dissertação completa.pptx
 
"A rigidez do modelo educativo é uma rigidez militar". Entrevista com Jurjo T...
"A rigidez do modelo educativo é uma rigidez militar". Entrevista com Jurjo T..."A rigidez do modelo educativo é uma rigidez militar". Entrevista com Jurjo T...
"A rigidez do modelo educativo é uma rigidez militar". Entrevista com Jurjo T...
 
Panorama estudo violencia_escolas
Panorama estudo violencia_escolasPanorama estudo violencia_escolas
Panorama estudo violencia_escolas
 
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leituraProjeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
 

Último

educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
ssuser701e2b
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
MariaFatima425285
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
kdn15710
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 

Texto argumentativo dissertação escolar..pptx

  • 1. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias - Língua Portuguesa Ensino Médio, 3ª Série Texto argumentativo: dissertação escolar.
  • 2. LÍNGUA PORTUGUESA, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar Objetivo da dissertação escolar Sabendo-se que nesse gênero a maior finalidade é persuadir, convencer seu interlocutor de sua opinião, ou mesmo fazer com que a sua hipótese seja aceita como válida, é necessário entender como isso pode ser feito com mais eficácia. Para isso partiremos de dois pontos (elementos) básicos: 1- TESE: sua hipótese, sua opinião acerca do tema. 2- ARGUMENTOS: aquilo que você vai utilizar para convencer alguém a aceitar sua tese.
  • 3. Imagine a seguinte situação: Sua escola irá organizar uma excursão pedagógica ao Sítio Histórico de Olinda, mas seus responsáveis não permitem que você vá. O que você poderia dizer para convencê-los do contrário? LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar Imagem: Prefeitura de Olinda / Creative Commons Attribution 2.0 Generic. Prefeitura de Olinda / Creative Commons Attribution 2.0 Generic.
  • 4. a- Todos os meus amigos vão; b- haverá um trabalho para a nota; c- vai ser divertido; d- vai ser a maior festa no ônibus; e- vamos conhecer um pouco da história do nosso Estado; f- vamos estar acompanhados por 10 professores; g- no Alto da Sé vende-se um acarajé delicioso; h- vamos ver ao vivo coisas que só vemos nos livros, como a arte e a arquitetura barroca. LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar Imagem: Chen / public domain
  • 5. Pois é, considerando que seus responsáveis se preocupam com sua educação, o natural seria que os seguintes argumentos funcionassem melhor: b- haverá um trabalho para a nota; e- vamos conhecer um pouco da história do nosso estado; f- vamos estar acompanhados por 10 professores; h- vamos ver ao vivo coisas que só vemos nos livros, como a arte e a arquitetura barroca. LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 6. Porém, se você tivesse tentando convencer um amigo a ir com você, talvez, estes funcionassem melhor: a- todos os meus amigos vão; c- vai ser divertido; d- vai ser a maior festa no ônibus; g- no Alto da Sé, vende-se um acarajé delicioso; LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 7. Tese: - quero ir a Olinda Interlocutor: - responsáveis Argumentos: b- haverá um trabalho para a nota; e- vamos conhecer um pouco da história do nosso estado; f- vamos estar acompanhados por 10 professores; h- vamos ver ao vivo coisas que só vemos nos livros, como a arte e a arquitetura barroca. Tese: - vamos a Olinda comigo! Interlocutor: - amigos Argumentos: a- todos os meus amigos vão; c- vai ser divertido; d- vai ser a maior festa no ônibus; g- no Alto da Sé, vende-se um acarajé delicioso; LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar Imagem: Drodriguez505 / GNU Free Documentation License. Imagem: Pictofigo / Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported.
  • 8. Dependendo do seu interlocutor (responsáveis ou amigos), ficaria simples escolher quais argumentos funcionariam melhor. Na Dissertação Escolar, porém, seu interlocutor pode ser qualquer um – o que chamamos de leitor universal. Sendo assim, seus argumentos devem ser também universais, ou seja, ser reconhecidos como verdadeiros ou possíveis por qualquer um. Aqui vão algumas estratégias que podem ajudá-lo nessa importante escolha: LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar Imagem: Steelman / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.5 Generic.
  • 9. Tipos de argumentos I – Argumentação por citação (ou de autoridade): neste tipo de argumento, utiliza-se a voz de outras pessoas que corroboram (confirmam) a opinião do autor. Normalmente essa pessoa (ou instituição) citada é um especialista na área ou alguém reconhecido pela sociedade como confiável. TESE: A leitura é extremamente importante. EX: A leitura permite ao homem se comunicar, aprender e até mesmo desenvolver, trabalhar suas dificuldades. Em reportagem recente, uma grande revista de circulação nacional atribuiu à leitura, a importância de agente fundamental para a transformação social do nosso país. Através do conhecimento da língua, todos tem acesso à informação e são capazes de emitir uma opinião sobre os acontecimentos. Ter opinião é cidadania e essa parte pode ser a grande transformação social do Brasil (1). LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 10. Tipos de argumentos II – Argumentação por dados concretos: estes argumentos se baseiam em demonstrar a opinião através de estatísticas, dados que revelem o que o autor quer provar. Tese: O brasileiro não tem o hábito de ler. Em uma pesquisa recente sobre hábitos de leitura, os brasileiros ficaram em 27º em um ranking de 30 países, gastando 5,2 horas por semana com um livro. Os argentinos, vizinhos, ficaram em 18º (2). LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 11. LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar Tipos de argumentos III – Argumentação por exemplificação: aqui se faz a defesa da tese, através da apresentação de um exemplo, um fato, um acontecimento que demonstrem o que o autor quer provar. Obs.: é preferível que o fato escolhido seja amplamente conhecido, porém não precisa ser verídico, mas reconhecidamente verossímil, ou seja, mesmo que não tenha acontecido, deve estar o mais perto possível da realidade. Tese: O Brasil começa a dar mais importância à leitura. Um jovem senta no metrô, abre sua mochila, retira um livro e começa a ler. Essa é uma imagem cada vez mais frequente e que reflete uma lenta mudança de hábitos no Brasil. Imagem: José Ferraz de Almeida Júnior (1850–1899) / public domain.
  • 12. LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar Tipos de argumentos IV – Argumentação por causa e consequência: a argumentação aqui passa por uma questão de lógica. O autor, ao usar este tipo de argumentação, estabelece uma relação entre o motivo (causa) e a consequência (efeito) de determinado fato. Assim o autor pretende, de maneira lógica, provar sua tese. TESE: O hábito da leitura traz benefícios incríveis. Ex.: Os benefícios da leitura são cientificamente comprovados. Pesquisas indicam que crianças que têm o hábito da leitura incentivado durante toda a vida escolar desenvolvem seu senso crítico e mantêm seu rendimento escolar em um nível alto. O analfabetismo, um dos grandes obstáculos da educação no Brasil, está sendo combatido com a educação de jovens e adultos, mas a tecnologia está afastando nossas crianças dos livros (3).
  • 13. Introdução Introduzir uma dissertação escolar é mais do que meramente iniciá-la, é, na verdade, dar início à persuasão. Assim, o modo como se introduz o texto pode ou não contar pontos para atingir o objetivo: provar a tese. Vejamos algumas formas eficazes de se fazer isso. LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 14. I- ROTEIRO: como em toda introdução, o tema deve estar presente. Além disso, neste tipo é apresentado ao leitor o roteiro de discussão que será seguido durante o desenvolvimento. II- HIPÓTESE: este tipo de introdução traz o ponto de vista a ser defendido, ou seja, a tese que se pretende discutir. III- PERGUNTAS: esta introdução constitui-se de uma série de perguntas sobre o tema. Tais perguntas devem ser comprovadas durante o desenvolvimento. IV- HISTÓRICA: esta introdução traça um rápido panorama histórico da questão, servindo muitas vezes de contraponto ao presente (4). ( ) Na década de 90, tivemos um exemplo da violência e do descaso com as crianças do país. A tragédia conhecida como Chacina da Candelária expôs o flagelo da realidade de grande parte de nossas crianças. ( ) A situação das crianças brasileiras não é das melhores. Não há creches suficientes para atender as menores, as escolas que atendem as maiores não oferecem um bom serviço e, como se não bastasse, são frequentes os casos de abusos e violências. ( ) É preciso mudar drasticamente o tratamento dado à criança brasileira. Não se pode mais negar a elas direitos essenciais do ser humano como educação, saúde, moradia etc. como vem acontecendo ao longo do tempo ( ) Quais as reais oportunidades dadas à criança brasileira hoje? Quantas terminarão a faculdade? Quantas concluirão um curso técnico ou mesmo o Ensino Fundamental? LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 15. V- COMPARAÇÃO: por semelhança ou oposição, procura- se, neste tipo de introdução, mostrar como o tema, ou aspectos dele, se assemelham - ou se opõem - a outros. VI- DEFINIÇÃO: parte da definição do significado do tema, ou de uma parte dele. VII- CONTESTAÇÃO: contesta uma ideia ou uma citação conhecida. VIII-NARRAÇÃO: narra-se um pequeno fato de relevância como ponto de partida para a análise do tema. IX- ESTATÍSTICA: consiste em se apresentar dados estatísticos relativos à questão a ser tratada. X- MISTA: procura fundir várias formas de introdução. ( ) A criança brasileira não é tratada com dignidade. Qual a qualidade da escola oferecida à maioria de nossas crianças e adolescentes? Quais oportunidades reais, além do futebol, são oferecidas a ela? ( ) Embora a mortalidade infantil tenha diminuído mais de 50% nos últimos 20 anos, o descaso com as crianças continua evidente quando encaramos o fato de que essas mortes poderiam ser reduzidas em pelo menos 70% se às mães fosse dado o tratamento adequado. ( ) Ainda ecoa na lembrança do país o caso da adolescente resgatada pela polícia em Goiânia. A adolescente estava amarrada e apresentava marcas de espancamento, como se não bastasse, era responsável por todo o serviço da casa. ( ) O Brasil é o país do futuro diz o ditado, porém quando vemos a situação das crianças que são o futuro do país – má educação, falta de saúde, de segurança e de oportunidades – somos levados a crer que o futuro será triste, a menos que algo seja feito para mudar esse quadro. ( ) Direito seria o inegável, o justo, o legítimo. Baseado nisso, parece lógico dizer que as crianças deste país não têm de fato direitos, já que necessidades básicas lhes são negadas e não são tratadas com legitimidade ou justiça. LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 16. Conclusão O verbo concluir tem dois significados básicos: 1- finalizar, terminar, pôr fim; 2- inferir, tirar conclusões a partir de fatos. Na dissertação escolar, temos de assumir os dois significados: I- o gênero tem a função de convencer o leitor da validade de sua tese; II- os argumentos usados no desenvolvimento tentam provar a tese; III- finaliza-se o texto inferindo algo a partir dos argumentos apresentados. LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 17. Levando em consideração os pontos I, II e III, é necessário admitir a conclusão como um retorno à tese, observe: A- apresenta-se a tese; B- apresentam-se argumentos para defender a tese; C- chega-se a uma conclusão a partir dos argumentos apresentados, que provam a tese. LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 18. A conclusão, além da finalização do texto, é obviamente um retorno à tese, pois seus argumentos orientarão o pensamento do leitor até ela. Porém, ela não é um simples retorno à introdução, mas um reforço à tese desde que seja garantida a progressão textual, ou seja, a continuidade das ideias do texto. LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 19. Vejamos na prática o que tudo isso significa: LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 20. Chegando ao terceiro milênio, o homem ainda não conseguiu resolver os graves problemas que preocupam a todos, pois existem populações imersas em completa miséria, a paz é interrompida frequentemente por conflitos internacionais e, além do mais, o meio ambiente encontra-se ameaçado por sério desequilíbrio ecológico. Embora o planeta disponha de riquezas incalculáveis – estas, mal distribuídas, quer entre Estados, quer entre indivíduos – encontramos legiões de famintos em pontos específicos da Terra. Nos países do Terceiro Mundo, sobretudo em certas regiões da África, vemos com tristeza, a falência da solidariedade humana e da colaboração entre as nações. Além disso, nesta últimas décadas, temos assistido, com certa preocupação, aos conflitos internacionais que se sucedem. Muitos trazem na memória a triste lembrança das guerras do Vietnã e da Coréia, as quais provocaram grande extermínio. Em nossos dias, testemunhamos conflitos na antiga Iugoslávia, em alguns membros da Comunidade dos Estados Independentes, sem falar da Guerra do Golfo, que tanta apreensão nos causou. Outra preocupação constante é o desequilíbrio ecológico, provocado pela ambição desmedida de alguns, que promovem desmatamentos desordenados e poluem as águas dos rios. Tais atitudes contribuem para que o meio ambiente, em virtude de tantas agressões, acabe por se transformar em local inabitável. Em virtude dos fatos mencionados, somos levados a acreditar que o homem está muito longe de solucionar os graves problemas que afligem diretamente uma grande parcela da humanidade e indiretamente a qualquer pessoa consciente e solidária. É desejo de todos nós que algo seja feito no sentido de conter essas forças ameaçadoras, para podermos suportar as adversidades e construir um mundo que, por ser justo e pacífico, será mais facilmente habitado pelas gerações vindouras (5). LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 21. INTRODUÇÃO Apresenta a tese e antecipa os argumentos (1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico) PRIMEIRO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Fome e miséria SEGUNDO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Conflitos violentos TERCEIRO ARGUMENTO Argumentação por causa e consequência Desequilíbrio ecológico CONCLUSÃO Reforço da tese Proposta de solução Análise da Estrutura Argumentativa Introdução (tipo roteiro) Aqui o autor nos apresenta claramente sua tese – “o homem ainda não conseguiu resolver os graves problemas que preocupam a todos”– e nos apresenta logo de início quais argumentos utilizará no desenvolvimento: Argumento 1 = “existem populações imersas em completa miséria”; Argumento 2 = “a paz é interrompida frequentemente por conflitos internacionais”; Argumento 3 = o meio ambiente encontra-se ameaçado por sério desequilíbrio ecológico. LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 22. INTRODUÇÃO Apresenta a tese e antecipa os argumentos (1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico) PRIMEIRO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Fome e miséria SEGUNDO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Conflitos violentos TERCEIRO ARGUMENTO Argumentação por causa e consequência Desequilíbrio ecológico CONCLUSÃO Reforço da tese Proposta de solução Análise da Estrutura Argumentativa Introdução (tipo roteiro) A partir da introdução, (tipo roteiro) já conseguimos identificar a linha de argumentação do autor. O autor pretende provar que os maiores problemas da humanidade ainda não foram resolvidos, para persuadir seu interlocutor dessa posição, ele citará exemplos de imensos problemas de diversas naturezas.
  • 23. INTRODUÇÃO Apresenta a tese e antecipa os argumentos (1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico) PRIMEIRO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Fome e miséria SEGUNDO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Conflitos violentos TERCEIRO ARGUMENTO Argumentação por causa e consequência Desequilíbrio ecológico CONCLUSÃO Reforço da tese Proposta de solução Análise da Estrutura Argumentativa Desenvolvimento: nesse texto o autor desenvolve seus argumentos seguindo a mesma ordem já apresentada na introdução – primeiro parágrafo: Argumento 1 = “existem populações imersas em completa miséria”; Argumento 2 = “a paz é interrompida frequentemente por conflitos internacionais”; Argumento 3 = “o meio ambiente encontra-se ameaçado por sério desequilíbrio ecológico”.
  • 24. INTRODUÇÃO Apresenta a tese e antecipa os argumentos (1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico) PRIMEIRO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Fome e miséria SEGUNDO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Conflitos violentos TERCEIRO ARGUMENTO Argumentação por causa e consequência Desequilíbrio ecológico CONCLUSÃO Reforço da tese Proposta de solução Análise da Estrutura Argumentativa 1º argumento: Ao iniciar a argumentação propriamente dita, o autor prova a ideia já apresentada da existência da fome e da miséria quando nos exemplifica tais fatos citando países do Terceiro Mundo, sobretudo certas regiões da África, onde reconhecidamente as pessoas enfrentam dificuldades alimentares extremas. Imagem: Pablo Romero Ibáñez / public domain.
  • 25. INTRODUÇÃO Apresenta a tese e antecipa os argumentos (1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico) PRIMEIRO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Fome e miséria SEGUNDO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Conflitos violentos TERCEIRO ARGUMENTO Argumentação por causa e consequência Desequilíbrio ecológico CONCLUSÃO Reforço da tese Proposta de solução Análise da Estrutura Argumentativa 2º argumento: No 2º argumento – 3º parágrafo – o autor demonstra, através dos exemplos de algumas guerras, o que havia afirmado na introdução: “a paz é interrompida frequentemente por conflitos internacionais” Imagem: Eduarda7 / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.5 Portugal.
  • 26. INTRODUÇÃO Apresenta a tese e antecipa os argumentos (1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico) PRIMEIRO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Fome e miséria SEGUNDO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Conflitos violentos TERCEIRO ARGUMENTO Argumentação por causa e consequência Desequilíbrio ecológico CONCLUSÃO Reforço da tese Proposta de solução Análise da Estrutura Argumentativa 3º argumento: O quarto parágrafo muda um pouco a estratégia argumentativa. Para provar o desequilíbrio ecológico, o autor estabelece uma relação de causa e consequência, entre a “ambição desmedida”e o “desequilíbrio ecológico”. Imagem: http://areaprojecto8a.wiki spaces.com/ Creative Commons Attribution- Share Alike 3.0 Unported
  • 27. AMBIÇÃO DESEQUILÍBRIO (causa) (consequência) 3º ARGUMENTO Imagem: Marya / Creative Commons Attribution 2.0 Generic. Imagem: alexandro auler from Recife, Brazil / Creative Commons Attribution 2.0 Generic.
  • 28. INTRODUÇÃO Apresenta a tese e antecipa os argumentos (1º fome, 2º miséria, 3º desequilíbrio ecológico) PRIMEIRO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Fome e miséria SEGUNDO ARGUMENTO Argumentação por exemplificação Conflitos violentos TERCEIRO ARGUMENTO Argumentação por causa e consequência Desequilíbrio ecológico CONCLUSÃO Reforço da tese Proposta de solução Análise da Estrutura Argumentativa Conclusão Na conclusão, como de praxe, o autor retoma sua tese inicial: “o homem ainda não conseguiu resolver os graves problemas que preocupam a todos” (trecho da introdução) (6)
  • 29. COMPONENTE CURRICULAR, Série Tópico Conclusão Note, porém, que, apesar de ser um retorno à tese, o autor garante a progressão textual, ao afirmar quem são “ TODOS” citados na exposição inicial da tese: “o homem está muito longe de solucionar os graves problemas que afligem diretamente uma grande parcela da humanidade e indiretamente a qualquer pessoa consciente e solidária.” (7)
  • 30. Muitos exames, como o ENEM, pedem que o candidato apresente propostas para solucionar ou amenizar o problema exposto. Vemos aqui que o autor caminha neste sentido, porém não traz uma proposta concreta. Releia a conclusão: Em virtude dos fatos mencionados, somos levados a acreditar que o homem está muito longe de solucionar os graves problemas que afligem diretamente uma grande parcela da humanidade e indiretamente a qualquer pessoa consciente e solidária. É desejo de todos nós que algo seja feito no sentido de conter essas forças ameaçadoras, para podermos suportar as adversidades e construir um mundo que, por ser justo e pacífico, será mais facilmente habitado pelas gerações vindouras (8).
  • 31. COMPONENTE CURRICULAR, Série Tópico É desejo de todos nós que algo seja feito no sentido de conter essas forças ameaçadoras A frase acima nos leva a duas questões básicas para se chegar a uma solução. 1-O que, de fato, poderia ser feito para contê-las? 2- Quem são as forças ameaçadoras citadas na conclusão?
  • 32. O que seriam as “forças ameaçadoras” de que o autor fala? a- Quais as causas da miséria? b- Qual a causa da degradação ambiental? 2º PARÁGRAFO Embora o planeta disponha de riquezas incalculáveis – estas, mal distribuídas, quer entre Estados, quer entre indivíduos – encontramos legiões de famintos em pontos específicos da Terra. Nos países do Terceiro Mundo, sobretudo em certas regiões da África, vemos, com tristeza, a falência da solidariedade humana e da colaboração entre as nações. 4º PARÁGRAFO Outra preocupação constante é o desequilíbrio ecológico, provocado pela ambição desmedida de alguns, que promovem desmatamentos desordenados e poluem as águas dos rios. Tais atitudes contribuem para que o meio ambiente, em virtude de tantas agressões, acabe por se transformar em local inabitável (9). LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 33. Avaliando as causas apresentadas (falta de solidariedade, ambição) e estendendo-as, através da experiência de vida, às guerras, chegamos a uma proposta mais concreta: Ex: Em virtude dos fatos mencionados, somos levados a acreditar que o homem está muito longe de solucionar os graves problemas que afligem diretamente uma grande parcela da humanidade e indiretamente a qualquer pessoa consciente e solidária. É preciso apostar pesadamente numa educação transformadora e cidadã, que tenha suas bases no respeito e solidariedade, só assim poderemos construir um mundo que, por ser justo e pacífico, será mais facilmente habitado pelas gerações vindouras (10). LÍNGUA PORTUGUEAS, 3º Ano Texto argumentativo: dissertação escolar
  • 34. Tabela de Imagens Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do Acesso 3a Prefeitura de Olinda / Creative Commons Attribution 2.0 Generic. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Centro_ Hist%C3%B3rico_de_Olinda_-_Pernambuco.jpg 28/03/2012 3b Prefeitura de Olinda / Creative Commons Attribution 2.0 Generic. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Mosteir o_de_S%C3%A3o_Bento-(Olinda-PE).jpg 28/03/2012 4 Chen / public domain http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Group_ pic.jpg 29/03/2012 7a Drodriguez505 / GNU Free Documentation License. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Group_ work2.JPG 29/03/2012 7b Pictofigo / Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Family- party.png 29/03/2012 8 Steelman / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.5 Generic. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Estudo.j pg 30/03/2012 11 José Ferraz de Almeida Júnior (1850– 1899) / public domain. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Almeid a_J%C3%BAnior_-_Mo%C3%A7a_com_Livro.jpg 03/04/2012 24 Pablo Romero Ibáñez / public domain. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:No_m% C3%A1s_pobreza.jpg 03/04/2012 25 Eduarda7 / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.5 Portugal. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Carro_d e_Combate_Portugu%C3%AAs_(Penha_Garcia).j pg 03/04/2012 26 http://areaprojecto8a.wikispaces.com/ Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Emiss% C3%A3o%2Bde%2Bgases%2Bpoluentes.jpg 03/04/2012
  • 35. Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do Acesso 27a Marya / Creative Commons Attribution 2.0 Generic. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Money _lunch.jpg 03/04/2012 27b alexandro auler from Recife, Brazil / Creative Commons Attribution 2.0 Generic. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Incendi o_no_bairro_Sao_Jose.jpg 03/04/2012 Tabela de Imagens