SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
Tema:
Intra-abdominal sepsis: new
definitions and current clinical
standards
Autor: Wezza Nataniel
Introdução
• Em 2017 OMS e a Assembleia Mundial da Saúde aprovaram a
importância do diagnóstico, tratamento e prevenção da sepse.
• Em de países desenvolvidos, a taxa de mortalidade é até 2,8
milhões atribuídas à sepse em 2010.
• Nos EUA, a sepse causa um terço de morte hospitalares.
• Estima-se que no mundo cerca de 1400 pacientes morrem de sepse
por dia.
Novas definições de sepse
• O qSOFA consiste em três critérios fáceis de avaliar:
• 1. Alteração do estado mental (escala de coma
de Glasgow <15).
• 2. Frequência respiratória ≥ 22 respirações / min.
• 3. Pressão arterial sistólica ≤ 100 mmHg.
Para os cirurgiões, os critérios SIRS continuam sendo a
ferramenta mais importante para detectar
inflamação, infecção e complicações
Diagnóstico
Terapia
Os alvos para ressuscitação terapêutica foram:
ü PVC: 8-12 mmHg
ü PAM :> 65 mmHg
ü débito urinário:> 0,5 ml / kg de peso corporal
ü SaO₂> 70 mmHg
Controle de foco
• O controle da fonte na sepse intra-abdominal é baseado
em quatro elementos importantes:
ü Desbridamento,
ü Remoção de dispositivos infectados,
ü Drenagem de cavidades purulentas
ü Descompressão da cavidade abdominal
Qual é a lógica da cirurgia de controle de
danos no paciente não traumático?
ü Coagulopatia
ü Inflamação
ü Instabilidade
cardiovascular
Terapia antibiótica
As recomendações do SSC de
2016
• 1. A administração inicial de
antimicrobianos intravenosos
deve ser realizado dentro de 1
hora após a admissão.
• 2. A primeira escolha é um
antibiótico de amplo espectro (ou
uma combinação de antibióticos).
• 3. O espectro do antibiótico deve
ser reduzido após o isolamento
dos micróbios.
• 4. Com base na situação clínica, o
desescalonamento da
farmacoterapia antimicrobiana
deve ser considerado como assim
que possível.
Terapia antimicrobiana cirúrgica
moderna em UTI
• A detecção rápida de bactérias
específicas da fonte intra-
abdominal
• A administração de antibióticos
deve ser implementada em
qualquer UTI cirúrgica
• A diferenciação entre infecção e
colonização é de grande
importância para pacientes
cirúrgicos com peritonite
Resultado e conclusões
• A melhora substancial da sobrevida na sepse é o
principal desafio de pesquisa cirúrgica moderna.
• O Controlo da fonte é o tratamento obrigatório da
peritonite.
Obrigado pela Atenção

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Sepse Abdominal

Assistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e Pâncreas
Assistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e PâncreasAssistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e Pâncreas
Assistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e PâncreasBruno Cavalcante Costa
 
Monitorização na área de radiologia intervencionista
Monitorização na área de radiologia intervencionistaMonitorização na área de radiologia intervencionista
Monitorização na área de radiologia intervencionistaCarlos D A Bersot
 
Hemorragia Pós Parto.pptx
Hemorragia Pós Parto.pptxHemorragia Pós Parto.pptx
Hemorragia Pós Parto.pptxLorenaLucena6
 
Hemorragia Pós Parto.pptx
Hemorragia Pós Parto.pptxHemorragia Pós Parto.pptx
Hemorragia Pós Parto.pptxLorenaLucena6
 
Introdução de enfermagem ( apostila para vcs meus amigos de enfermagem)
Introdução de enfermagem ( apostila para vcs meus amigos de enfermagem)Introdução de enfermagem ( apostila para vcs meus amigos de enfermagem)
Introdução de enfermagem ( apostila para vcs meus amigos de enfermagem)Wagner Lima Teixeira
 
Artigo diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
Artigo  diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque sépticoArtigo  diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
Artigo diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque sépticoErick Bragato
 
Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica
Doença Pulmonar Obstrutiva CrónicaDoença Pulmonar Obstrutiva Crónica
Doença Pulmonar Obstrutiva CrónicaFrederico Brandão
 
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - SobralTransplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - SobralRenan Miranda Cavalcante
 
Aula Cirurgias Seguras Salvam Vidas
Aula Cirurgias Seguras Salvam VidasAula Cirurgias Seguras Salvam Vidas
Aula Cirurgias Seguras Salvam VidasProqualis
 
Hemorragias digestivas 2008
Hemorragias digestivas 2008Hemorragias digestivas 2008
Hemorragias digestivas 2008Arquivo-FClinico
 
Prevenção de infecção hospitalar - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
Prevenção de infecção hospitalar - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.Prevenção de infecção hospitalar - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
Prevenção de infecção hospitalar - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.Lucas Fontes
 
Pneumonias: conceitos, dúvidas e cuidados fisioterapêuticos pós-alta hospitala
Pneumonias: conceitos, dúvidas e cuidados fisioterapêuticos pós-alta hospitalaPneumonias: conceitos, dúvidas e cuidados fisioterapêuticos pós-alta hospitala
Pneumonias: conceitos, dúvidas e cuidados fisioterapêuticos pós-alta hospitalaPCare Fisioterapia
 

Semelhante a Sepse Abdominal (20)

Assistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e Pâncreas
Assistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e PâncreasAssistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e Pâncreas
Assistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e Pâncreas
 
Monitorização na área de radiologia intervencionista
Monitorização na área de radiologia intervencionistaMonitorização na área de radiologia intervencionista
Monitorização na área de radiologia intervencionista
 
Hemorragia Pós Parto.pptx
Hemorragia Pós Parto.pptxHemorragia Pós Parto.pptx
Hemorragia Pós Parto.pptx
 
Hemorragia Pós Parto.pptx
Hemorragia Pós Parto.pptxHemorragia Pós Parto.pptx
Hemorragia Pós Parto.pptx
 
Protocolo sca-com-supra
Protocolo sca-com-supraProtocolo sca-com-supra
Protocolo sca-com-supra
 
I008552
I008552I008552
I008552
 
Enfermagem
EnfermagemEnfermagem
Enfermagem
 
Introdução de enfermagem ( apostila para vcs meus amigos de enfermagem)
Introdução de enfermagem ( apostila para vcs meus amigos de enfermagem)Introdução de enfermagem ( apostila para vcs meus amigos de enfermagem)
Introdução de enfermagem ( apostila para vcs meus amigos de enfermagem)
 
PME Lecture 3: Portuguese
PME Lecture 3: Portuguese PME Lecture 3: Portuguese
PME Lecture 3: Portuguese
 
Manual serviço eda
Manual serviço edaManual serviço eda
Manual serviço eda
 
Artigo diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
Artigo  diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque sépticoArtigo  diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
Artigo diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
 
Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica
Doença Pulmonar Obstrutiva CrónicaDoença Pulmonar Obstrutiva Crónica
Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica
 
RESUMO - Sepse
RESUMO - Sepse RESUMO - Sepse
RESUMO - Sepse
 
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - SobralTransplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
 
Aula Cirurgias Seguras Salvam Vidas
Aula Cirurgias Seguras Salvam VidasAula Cirurgias Seguras Salvam Vidas
Aula Cirurgias Seguras Salvam Vidas
 
Dpoc pronto
Dpoc prontoDpoc pronto
Dpoc pronto
 
Hemorragias digestivas 2008
Hemorragias digestivas 2008Hemorragias digestivas 2008
Hemorragias digestivas 2008
 
O politraumatizado em UCI boas praticas
O politraumatizado em UCI   boas praticas O politraumatizado em UCI   boas praticas
O politraumatizado em UCI boas praticas
 
Prevenção de infecção hospitalar - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
Prevenção de infecção hospitalar - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.Prevenção de infecção hospitalar - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
Prevenção de infecção hospitalar - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
 
Pneumonias: conceitos, dúvidas e cuidados fisioterapêuticos pós-alta hospitala
Pneumonias: conceitos, dúvidas e cuidados fisioterapêuticos pós-alta hospitalaPneumonias: conceitos, dúvidas e cuidados fisioterapêuticos pós-alta hospitala
Pneumonias: conceitos, dúvidas e cuidados fisioterapêuticos pós-alta hospitala
 

Mais de Idalecio de Oliveira

Aula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómen
Aula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómenAula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómen
Aula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómenIdalecio de Oliveira
 
Conduta em lesoes Mamárias atipicas
Conduta em lesoes Mamárias atipicasConduta em lesoes Mamárias atipicas
Conduta em lesoes Mamárias atipicasIdalecio de Oliveira
 
Câncer de mama - Diagnóstico, Estadiamento e conduta
Câncer de mama - Diagnóstico, Estadiamento e condutaCâncer de mama - Diagnóstico, Estadiamento e conduta
Câncer de mama - Diagnóstico, Estadiamento e condutaIdalecio de Oliveira
 
Câncer de de mama - Abordagem da axila
Câncer de de mama - Abordagem da axilaCâncer de de mama - Abordagem da axila
Câncer de de mama - Abordagem da axilaIdalecio de Oliveira
 

Mais de Idalecio de Oliveira (7)

Aula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómen
Aula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómenAula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómen
Aula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómen
 
Abd agudo. radiologico pdf
Abd agudo. radiologico pdfAbd agudo. radiologico pdf
Abd agudo. radiologico pdf
 
Abdomen Agudo Perfurativo.pptx
Abdomen Agudo Perfurativo.pptxAbdomen Agudo Perfurativo.pptx
Abdomen Agudo Perfurativo.pptx
 
Conduta em lesoes Mamárias atipicas
Conduta em lesoes Mamárias atipicasConduta em lesoes Mamárias atipicas
Conduta em lesoes Mamárias atipicas
 
Câncer de mama - Diagnóstico, Estadiamento e conduta
Câncer de mama - Diagnóstico, Estadiamento e condutaCâncer de mama - Diagnóstico, Estadiamento e conduta
Câncer de mama - Diagnóstico, Estadiamento e conduta
 
Mastectomia
MastectomiaMastectomia
Mastectomia
 
Câncer de de mama - Abordagem da axila
Câncer de de mama - Abordagem da axilaCâncer de de mama - Abordagem da axila
Câncer de de mama - Abordagem da axila
 

Sepse Abdominal

  • 1. Tema: Intra-abdominal sepsis: new definitions and current clinical standards Autor: Wezza Nataniel
  • 2. Introdução • Em 2017 OMS e a Assembleia Mundial da Saúde aprovaram a importância do diagnóstico, tratamento e prevenção da sepse. • Em de países desenvolvidos, a taxa de mortalidade é até 2,8 milhões atribuídas à sepse em 2010. • Nos EUA, a sepse causa um terço de morte hospitalares. • Estima-se que no mundo cerca de 1400 pacientes morrem de sepse por dia.
  • 4.
  • 5.
  • 6. • O qSOFA consiste em três critérios fáceis de avaliar: • 1. Alteração do estado mental (escala de coma de Glasgow <15). • 2. Frequência respiratória ≥ 22 respirações / min. • 3. Pressão arterial sistólica ≤ 100 mmHg. Para os cirurgiões, os critérios SIRS continuam sendo a ferramenta mais importante para detectar inflamação, infecção e complicações
  • 8. Terapia Os alvos para ressuscitação terapêutica foram: ü PVC: 8-12 mmHg ü PAM :> 65 mmHg ü débito urinário:> 0,5 ml / kg de peso corporal ü SaO₂> 70 mmHg
  • 9.
  • 10. Controle de foco • O controle da fonte na sepse intra-abdominal é baseado em quatro elementos importantes: ü Desbridamento, ü Remoção de dispositivos infectados, ü Drenagem de cavidades purulentas ü Descompressão da cavidade abdominal
  • 11. Qual é a lógica da cirurgia de controle de danos no paciente não traumático? ü Coagulopatia ü Inflamação ü Instabilidade cardiovascular
  • 12. Terapia antibiótica As recomendações do SSC de 2016 • 1. A administração inicial de antimicrobianos intravenosos deve ser realizado dentro de 1 hora após a admissão. • 2. A primeira escolha é um antibiótico de amplo espectro (ou uma combinação de antibióticos). • 3. O espectro do antibiótico deve ser reduzido após o isolamento dos micróbios. • 4. Com base na situação clínica, o desescalonamento da farmacoterapia antimicrobiana deve ser considerado como assim que possível. Terapia antimicrobiana cirúrgica moderna em UTI • A detecção rápida de bactérias específicas da fonte intra- abdominal • A administração de antibióticos deve ser implementada em qualquer UTI cirúrgica • A diferenciação entre infecção e colonização é de grande importância para pacientes cirúrgicos com peritonite
  • 13.
  • 14. Resultado e conclusões • A melhora substancial da sobrevida na sepse é o principal desafio de pesquisa cirúrgica moderna. • O Controlo da fonte é o tratamento obrigatório da peritonite.